Your SlideShare is downloading. ×
0
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Slide estresse e psicopatoligias no trabalho   setor privado
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Slide estresse e psicopatoligias no trabalho setor privado

3,958

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
3,958
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
176
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1.  Setor Privado Estresse e Psicopatologias no Trabalho Anne Araujo Daniel Ranieri Débora Rodrigues Fernanda Alencar Iane Lima Leodiana Pantoja
  • 2.  Um pouco de História...  Estresse A evolução do conceito estresse primeiramente foi usado para descrever fenômenos físicos, como calor ou força aplicada. Considerada a epidemia dos anos 80. Cannon (1932) foi o primeiro a utilizar o modelo de estresse “explorando a química do susto, medo, luta e fuga” designado atualmente “reação do estresse” A expressão Estresse foi utilizada primeiramente em 1936, na revista científica Nature, em um artigo de autoria do médico endocrinologista, Hans Selye. O cientista o batizou inicialmente de Síndrome Geral de Adaptação, dividida em três etapas.
  • 3.  1) Fase de alerta: Ocorre quando o indivíduo entra em contato com o agente estressor e o corpo perde seu equilíbrio, diminuindo sua resistência, e se o estresse for suficientemente forte( Queimaduras Graves,extremos de temperatura a morte pode ocorrer)  2) Fase da resistência: Se a exposição continua ao estresse for compatível com a adaptação os sinais corporais característicos da reação de alarme virtualmente desaparecem e a resistência surge acima do normal , o corpo voltar ao seu equilíbrio. O organismo pode se adaptar ao problema ou eliminá-lo.  3) Fase da exaustão: Apôs a exposição prolongada ao mesmo estresse ao qual o corpo adaptou-se, a energia eventualmente esgota-se,os sinais de alarme reaparecem, mas agora são irreversíveis e o indivíduo morre. É a mais perigosa, pois se tem diversos comprometimentos físicos em forma de doença. Fases do estresse
  • 4. Estresse: o mal do século Atualmente somos a sociedade que tem pressa Sete em cada dez brasileiros reclamam de estresse no trabalho.Destes, pelo menos três sofrem da chamada síndrome de Burnout-esgotamento mental e físico intenso causados por pressões no ambiente profissional. Muito se fala sobre o estresse, que vem sendo caracterizado como a doença do século XXI. Um levantamento realizado pela Associação Internacional do Controle do Estresse, ISMA (International Stress Management Association), revelou que o Brasil é o segundo país do mundo com níveis de estresse altíssimos. Pelo menos três em cada sete trabalhadores sofrem a síndrome de Burnout e não sabem. Resultado da soma de algumas respostas mentais e físicas, o estresse fisiológico, sem sobrecargas, pode contribuir de forma saudável para o crescimento e o desenvolvimento dos nossos ossos, músculos, cérebro e demais partes do corpo. Sua causa como doença, porém, está relacionada aos estímulos externos e à pressão a qual é submetida uma determinada pessoa e ao desgaste que ela pode sofrer sob esta pressão. Para atender a essa demanda de cura, normalmente os tratamentos são associados à medicação e atividade física relaxante. Sua essência pode ser física, psicológica ou social.
  • 5. Hans Selye O Estresse é a resposta do organismo a acontecimentos que provocam desequilíbrios no bem-estar. É provocado por qualquer acontecimento – positivo ou negativo – que nos obriga a mudar de comportamento. O agente responsável pode ser físico ou psicológico e ambiental.
  • 6.  “Eustress” é o estresse positivo, de curta duração, que nos prepara para reagir a acontecimentos inesperados, a fim de nos defendermos. A permanência neste estado de alerta, contudo, pode causar uma infinidade de complicações, provocando alterações e sobrecarga do funcionamento dos nossos órgãos. Este é o estresse negativo, o “distress”. Tipos de Estresse
  • 7.  Cargas de trabalho excessivamente altas com deadlines irrealistas fazem com que as pessoas se sintam apressadas, sobre pressão e sobrecarregadas.  Cargas de trabalho insuficientes dando a entender que as habilidades e características do colaborador estão em subutilização;  Falta de controlo sobre as atividades;  Bullying ou perseguição;  Falta de ajuda interpessoal ou fracas relações de trabalho levam a uma sensação de isolamento;  Pedido para a concretização de determinado trabalho para o qual o colaborador não tem experiência ou treino suficiente.  Um ambiente de trabalho fraco em termos físicos, por exemplo excesso de calor, frio ou barulho, iluminação inadequada, assentos pouco confortáveis, equipamento em mau funcionamento, etc. Principais Causas de Estresse no Trabalho
  • 8.  Uma pesquisa feita com 451 pessoas pelo site Trabalhando.com , afirmam que Ter que trabalhar sob pressão é a principal causa de estresse para 28% dos profissionais brasileiros. Equipamentos que não funcionam e mau humor dos chefes e colegas também foram apontados como fatores de estresse. Quais são as maiores causas de estresse no trabalho? Ter que trabalhar sob pressão: 28% A falta de ferramentas adequadas de trabalho (computador ruim, cadeira desconfortável e etc.): 26% Mau humor dos chefes ou dos colegas de trabalho: 22% Trabalhar mais horas do que deveria: 10% Ter um salário menor que o do colega: 10% Outros motivos: 4% Causas de Estresse no Trabalho
  • 9.  Sintomas de Estresse no Trabalho Quem sofre de stress demonstra quase sempre um conjunto de sinais que o revelam aos colegas e gestores. São eles :  Cansaço e irritabilidade;  Redução da qualidade do trabalho;  Indecisão e fraco julgamento;  Perda do sentido de humor;  Problemas físicos como dores de cabeça, náuseas e dores constantes;  Nervosismo ou demonstração de infelicidade;  Baixas médicas prolongadas;  Mudança dos padrões e hábitos de trabalho – talvez ficando a trabalhar até tarde ou levar trabalho para casa.
  • 10.  Opções de tratamento Para ultrapassar esta realidade denominada por stress no trabalho, o colaborador deverá ser pró-ativo. Abaixo algumas soluções que visam tratar das causas listadas anteriormente. * Se o excesso de trabalho é o seu problema, tire umas férias, saia do trabalho a horas sempre que possível e evite trabalhar em casa; * Se está preocupado com um possível despedimento, tudo o que poderá fazer é assegurar que está preparado caso isso aconteça; * Se reparar que fez uma má escolha de carreira ou a sua carreira já não o preenche então talvez seja altura para uma mudança. Tome as suas decisões com cuidado; * Se está a ter conflitos com o seu chefe ou colegas de trabalho tente trabalhar com eles. * Embora possa ser difícil resolver problemas relativos a diferenças de personalidade, pode tentar descobrir uma forma de se darem melhor; * Se o stress está a ter efeitos profundos na sua vida, não tenha medo de pedir ajuda profissional.
  • 11.  O estado de estresse prolongado passa a influir no desempenho do trabalho, reduzindo a produtividade e a qualidade, podendo também aumentar os riscos de acidentes, e a rotatividade dos trabalhadores. O estresse também reduz a capacidade do organismo em responder a estímulos, diminuindo a vigilância e provocando distúrbios emocionais. São frequentes os sintomas de ansiedade e depressão e a procura de drogas, álcool e fumo para “aliviar” os sintomas. Consequências
  • 12.   Burnout pode ser definido como “aquilo, ou aquele, que chegou ao seu limite, e por falta de energia, não tem mais condições de desempenho físico ou mental” (BENEVIDESPEREIRA, 2002, p.21). Segundo a autora o Burnout está associado ao mundo laboral e ocorre pela cronificação de um processo de estresse.  O estresse pode ser identificado como o determinante do Burnout, mas não coincide com o mesmo.  Diferente do estresse, o Burnout tem apenas o aspecto negativo e está relacionado somente com o trabalho. Burnout
  • 13. 
  • 14.  Psicopatologias PSICO-PATOS-LOGO: Estudo do sofrimento psíquico. Um termo de origem Grega. O termo foi empregado pela primeira vez por Ermming Naus professor dês de 1878 como sinônimo de “psiquiatria clínica”. Adquiriu seu atual significado pela obra de Karl Jarpers publicada em 1913, (Algemaine Psicopatologi ). A partir desse livro Jarpers tenta construir uma teoria geral das questões relacionadas a psique. É possível que o seu criador tenha sido Jeremy Bentham, jurisconsulto E filósofo inglês (Londres, 1748-1832), que, ao preparar uma lista das motivações humanas, reconheceu a necessidade da organização de uma psychological patology (1817). Por séculos tentou-se entender a doença mental em diferentes contextos sócio-ambientais. Aristóteles (384 a.C.) atribuiu os males da mente à paixão. Hipócrates (460 A.C.), filósofo grego, e considerado o pai da medicina moderna, separou a medicina da religião e da superstição. Através de Hipócrates conhecemos conceitos como humor, crise, metástase, prognóstico entre outros. Esse filósofo defendeu que as doenças mentais tinham causas naturais e deveriam ser tratadas como outras doenças. Davidson (2003) Um pouco de História...
  • 15.  Com o correr do tempo os autores empregaram várias expressões para designar esse novo campo de estudos:  Psicopatologia o Psicopatologia geral o Psicologia anormal o Psicologia da anormalidade o Psicologia do patológico A última expressão é a mais adequada para qualificar o objeto de estudo da nova ciência, mas o termo mais empregado e amplamente aceito é psicopatologia.
  • 16.   Psicopatologia: é uma área do conhecimento que objetiva estudar os estados psíquicos relacionados ao sofrimento mental.  É composta de três palavras gregas: o "psychê": psique, psíquico, psiquismo, alma, espírito; o pathos: paixão, passividade, sofrimento, doença e o “logos": lógica, discurso, narrativa, conhecimento. Conceito
  • 17.   A Psicopatologia do Trabalho estuda o sofrimento e as formas de defesa adotadas pelos trabalhadores, frente à uma organização de trabalho imposta pelas empresas, bem como as consequências de tal situação para os trabalhadores, para a própria empresa e para a sociedade como um todo. Psicopatologia do trabalho
  • 18.   CID – 10 (Classificação Internacional das Doenças) Apresenta um caráter descritivo por diagnóstico, com os principais aspectos clínicos e outros associados, mesmo que menos importantes. Fornece diretrizes diagnósticas que são as orientações que visam auxiliar o profissional a avaliar o conjunto de sinais e de sintomas apresentados pelo paciente.  DSM-IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais) É um sistema diagnóstico definido como multiaxial. Isso significa que ele avalia vários fatores, ou "eixos” do comportamento, buscando uma compreensão que vai além do simples diagnóstico do transtorno mental atual. Sistemas de classificação da psicopatologia - 1
  • 19.   Categorias de classificação do CID – 10  F00-F09 - Transtornos mentais orgânicos, inclusive os sintomáticos.  F10-F19 - Transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de substancias psicoativas  F20-F29 - Esquizofrenia, transtornos esquizotípicos e delirantes.  F30-F48 - Transtorno do humor (afetivos).  F40-F48 - Transtornos neuróticos, transtornos relacionados com o estresse e transtornos somatoformes.  F50-F59 - Síndromes comportamentais associadas com distúrbios fisiológicos e a fatores físicos.  F60-F69 - Transtorno de personalidade e do comportamento do adulto.  F70-F79 - Retardo Mental.  F80-F89 - Transtornos do desenvolvimento psicológico.  F90-F98 - Transtornos do comportamento e transtornos emocionais que aparecem habitualmente na infância e adolescência. Sistemas de classificação da psicopatologia - 2
  • 20.  Categorias de classificação do DSM-IV  Transtornos geralmente diagnosticados pela primeira vez na infância ou na adolescência  Delirium, demência, transtorno amnéstico e outros transtornos cognitivos  Transtornos mentais causados por uma condição médica geral  Transtornos relacionados a substâncias  Esquizofrenia e outros transtornos psicóticos  Transtornos do humor  Transtornos de ansiedade  Transtornos somatoformes  Transtornos factícios  Transtornos dissociativos  Transtornos sexuais e da identidade de gênero  Transtornos da alimentação  Transtornos do sono  Transtornos do controle do impulso não classificados em outro local  Transtornos de adaptação  Transtornos de personalidade  Outras condições que podem ser foco de atenção clínica Sistemas de classificação da psicopatologia - 3
  • 21.   Transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de álcool  Alcoolismo é o estado psíquico e físico resultante da ingestão do álcool, caracterizado por reações de comportamento e outras que sempre incluem uma compulsão para ingerir álcool de modo contínuo e periódico, a fim de experimentar seus efeitos psíquicos e por vezes evitar o desconforto de sua falta; a tolerância do mesmo, podendo ou não estar presente.  A lei diz que: "Constituem justa causa para rescisão do contrato de trabalho pelo empregador: embriaguez habitual ou em serviço“ (Art. 482, alínea “f” da CLT)  No entanto, por ser uma doença reconhecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde) requer tratamento e não punição. Sistemas de classificação da psicopatologia - 4
  • 22.   Depressão  A depressão é hoje considerada uma doença. Ela se instala de forma lenta, de maneira que as pessoas não se dão conta do problema. Algumas já têm uma predisposição genética, isto é, se alguém da família já sofreu de depressão, existe a possibilidade de elas sofrerem também. Ainda existe a depressão reativa, causada por situações difíceis que enfrentamos, como a morte de um ente querido ou o fim de um relacionamento, por exemplo. Porém, é muito comum a depressão causada pelo estresse crônico, principalmente por conta do trabalho.  Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até 2020 a depressão será o segundo maior fator incapacitante do trabalho no mundo, perdendo apenas para doenças cardíacas.  Condições de trabalho ruins, assédio moral (humilhações), exploração da mão de obra, excesso de cobranças e prazos, não reconhecimento financeiro, do desempenho e das qualidades do colaborador são alguns dos fatores que levam a depressão proveniente do ambiente de trabalho.  Os sintomas mais comuns da doença são: insônia, irritabilidade, dores sem causa aparente, cansaço excessivo, queda de produtividade, perda do interesse pela atividade e dificuldades na tomada de decisões. Sistemas de classificação da psicopatologia - 5
  • 23.   Ansiedade  Ansiedade é um fenômeno que ora nos beneficia, ora nos prejudica, dependendo das circunstâncias ou intensidade, e que tornar-se patológico, isto é, prejudicial ao nosso funcionamento psíquico (mental) e somático (corporal).  Os sintomas da ansiedade são: medos exagerados de algum objeto ou situação em particular, preocupações exageradas com saúde, dinheiro, família ou trabalho.  A ansiedade no trabalho pode ser motivada por: as metas funcionais, o desempenho, as relações, as promoções verticais e horizontais, as relações com chefias superiores, autocobrança excessiva, intolerância de erros próprios, etc.  A ansiedade acaba atrapalhando o desempenho funcional justamente por seu comprometimento psicológico do portador. Ou seja, antes de atrapalhar no trabalho, a ansiedade atrapalha a estrutura e a vivência psicológica. Sistemas de classificação da psicopatologia - 6
  • 24.  Insônia  Insônia é uma queixa de dificuldade para iniciar ou manter o sono ou de um sono não reparador, que dura no mínimo 1 mês e causa sofrimento clinicamente significativo ou prejuízo no funcionamento social ou ocupacional ou em outras áreas importantes da vida do indivíduo.  A constante falta de sono não afeta somente o raciocínio e a precisão dos trabalhadores, como também ocasiona um estresse adicional no trabalho, que pode acarretar problemas de sono ainda maiores.  As noites mal dormidas são as principais responsáveis pela ocorrência de acidentes do trabalho, rebaixamento da produtividade, clima de irritação, baixa qualidade de vida dos trabalhadores e indução de depressão e do alcoolismo.  Alguns passos para reduzir o estresse que causa a insônia: focar-se nos acontecimentos bons do dia-a-dia, fazer uma lista de tarefas e tirar férias. Sistemas de classificação da psicopatologia - 7
  • 25.  TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo)  É um transtorno de ansiedade. Manifesta-se sob a forma de alterações do comportamento, dos pensamentos e das emoções.  Sua característica principal é a presença de obsessões: pensamentos, imagens ou impulsos que invadem a mente e que são acompanhados de ansiedade ou desconforto, e das compulsões ou rituais: comportamentos ou atos mentais voluntários e repetitivos, realizados para reduzir a aflição que acompanha as obsessões.  A pessoa portadora de TOC tenta ignorá-los ou eliminá-los através de ações que são intencionais e repetitivas. Geralmente reconhece que seu comportamento é excessivo ou que não há muita razão para fazê- lo.  As obsessões ou compulsões acarretam grande estresse, consomem tempo (mais de uma hora por dia) ou interferem bastante na rotina normal, no trabalho ou nas atividades sociais e relacionamentos interpessoais. Sistemas de classificação da psicopatologia - 8
  • 26.  Sistemas de classificação da psicopatologia - 9 Bulimia  As características essenciais da Bulimia Nervosa consistem de compulsões periódicas e métodos compensatórios inadequados para evitar ganho de peso.  Para qualificar o transtorno, a compulsão periódica e os comportamentos compensatórios inadequados devem ocorrer, em média, pelo menos duas vezes por semana por 3 meses. Anorexia  A anorexia nervosa é um transtorno alimentar caracterizado pela busca incessante por magreza e com isso a elaboração de estratégias para atingir este objetivo.  O medo intenso de ganhar peso leva o individuo a se utilizar de várias estratégias que vão desde a recusa em alimentar-se de forma saudável, pois vira vítima de tabelas calóricas, até o uso abusivo de laxantes e diuréticos, auto-indução a vômitos e prática de exercícios intensos.
  • 27.   Com o objetivo de exemplificar os dados acima expostos, fomos a duas companhias , com filiais em Sergipe, que oferecem serviços na área da saúde para obter informações do cotidiano de grandes empresas. Para assim fazer um comparativo entre elas. Pesquisa de Campo
  • 28.  Hospital Primavera Av. Ministro Geraldo Barreto Sobral, 2277 Bairro Jardins Aracaju/Se
  • 29.  Psicóloga: atua como gestora de RH  Tempo de atuação na área: 15 anos  Tempo de atuação na empresa: 8 anos  Número de colaboradores: 849 “Nem sempre as pessoas estão estressadas. Muitas vezes o que ocorre é a má administração do tempo.” “Os resultados são muito bons, no entanto existem pessoas que não tem jeito.”
  • 30.  Projetos Terapia do Riso Eventos Datas comemorativas
  • 31.  Projetos Semana da Enfermagem Humanização dos Setores
  • 32.  Unimed Rua Francisco Portugal, 59 Bairro Salgado Filho Aracaju/ Se
  • 33.  Psicóloga  Tempo de atuação na área: 12 anos  Tempo de atuação na empresa: 7 anos  Número de colaboradores: 400 “ Qualquer trabalho trás consigo uma carga de estresse.”
  • 34.  Projetos Quick - Massagem Raio X emocional
  • 35.  Projetos Coral Unimed Aniversariante do Quadrimestre “Investir em projetos de combate ao estresse e psicopatologias trás resultados eficazes e satisfatórios.”
  • 36.  Diante do que foi visto podemos perceber como a cultura das empresas diferem. A Rede Primavera apresenta aspectos preventivos onde investe-se contínua e persistentemente no ambiente, na valorização dos colaboradores, nas saudáveis relações interpessoais e no senso de equipe. Ao passo que a Unimed investe na prevenção, porém muito mais na remediação dos casos que venham a aparecer. Porém, devemos considerar que na primeira empresa nota-se um descaso em relação a casos que possam acontecer, como dois suicídios de funcionários. Traz a tona a indagação: Será que não foram percebidos situações adversas com esses funcionários? E devemos observar que o que ocorre na Unimed é uma pouca e deficiente falta de comunicação entre o setor administrativo e o RH, incluindo psicóloga. Fazendo com que a implementação dos projetos sejam completos e tragam melhores resultados Comparação
  • 37.   Cabe ao Administrador facilitar, junto ao psicólogo, o combate e a prevenção das Psicopatologias.  Para chegar a qualquer conclusão, é indispensável o diagnóstico feito por profissionais especializados. O Papel do Administrador
  • 38.  O papel do gestor é estabelecer metas que possam ser cumpridas, delegar tarefas e dar ao subordinado um controle sobre como realizar suas funções. De acordo com Dolan (2006) delegar tarefas é um dos fatores positivos no controle do estresse, pois alivia a tensão, libera mais tempo para a supervisão, aumenta a participação da equipe e melhora os resultados.  O estressor organizacional também está relacionado com a postura dos líderes, a forma como tratam os subordinados pode determinar o nível de estresse na empresa. Um gestor precisa ter ou procurar desenvolver características como: ter atitudes positivas, ser participativo, flexível,motivador. Cabe a ele também avaliar a rotina do funcionário e identificar se há uma disposição para o lazer ou se o trabalho está como fator primordial em sua vida.
  • 39. Dinâmica Obtenção e divulgação de informações Identificação de situações de conflitos Neutralização dos fatores que causam ansiedade Programa de promoção à saúde do trabalho
  • 40.  Pesquisa  Pesquisa feita com 34 pessoas de várias áreas  Faixa etária: 17 a 42 anos  18 mulheres e 16 homens  Cargos: Estagiário, vendedor, técnica em enfermagem, auxiliar administrativo, cozinheiro, corretor, professor, etc.  91% disseram que já se sentiram estressados no ambiente de trabalho
  • 41.  Pesquisa 19 6 7 6 19 13 9 9 6 6 6 6 3 2 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 Excesso de atividade Pessoas desorganizadas ou sem preparo Falta de planejamento Falta de cooperação Falta de reconhecimento profissional Pressão de tempo Problemas com recursos para o trabalho Longas jornadas de trabalho Dificuldade interperssoais Conflito de interesses e valores Ruídos no ambiente de trabalho Dificuldade de lidar com o chefe Problemas administrativos Exposição constante ao risco
  • 42.  Pesquisa 13% 13% 11% 11% 9% 9% 6% 6% 5% 4% 4% 4% 2% 1% Excesso de atividade Pessoas desorganizadas ou sem preparo Falta de planejamento Falta de cooperação Falta de reconhecimento profissional Pressão de tempo Problemas com recursos para o trabalho Longas jornadas de trabalho Dificuldade interperssoais Conflito de interesses e valores Ruídos no ambiente de trabalho Dificuldade de lidar com o chefe Problemas administrativos Exposição constante ao risco
  • 43.  Conclusão  Se constatada a existência de doenças à empresa deve investigar as possíveis causas: químicas, físicas, biológicas, assédio moral, pressão psicológica entre outras para eliminá-las. Com o aumento das doenças decorrentes do estresse, a empresa pode combater o mesmo por meio da prevenção, em atuações com os setores de recursos humanos, segurança e medicina do trabalho.  Sendo assim, a empresa consegue garantir certo grau de liberdade aos funcionários em suas rotinas e cria programas de aconselhamento profissional. A prevenção de doenças ocupacionais precisa ser vista como um investimento e não como um gasto.
  • 44.  Código Internacional de Doenças 10ª edição, OMS. Medicina net. Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.medicinanet.com.br/cid10/e.htm. Acessado em 23 nov. 2010. Epocates, enciclopédia médica eletrônica, 2010 Medscape, enciclopédia médica eletrônica, 2010  www.administradores.com.br/artigos/administracao-e-negocios/depressao-no-trabalho-um- inimigo-perigoso/57491/  www.jus.com.br/artigos/23420/alcoolismo-diferenciar-a-embriaguez-habitual-da-eventual  www.virtualpsy.locaweb.com.br/  www.administradores.com.br/artigos/carreira/ansiedade-o-mal-do-seculo/68561/  www.minhavida.com.br/saude/temas/ansiedade  pt.wikipedia.org/wiki/Psicopatologia  www.administradores.com.br/noticias/administracao-e-negocios/insonia-atrapalha- desempenho-de-funcionarios-em-todo-o-mundo/17314/  www.josepastore.com.br/artigos/ac/ac_110.htm  http://artigos.psicologado.com/psicopatologia/psicopatologia-introducao-e-definicao  http://ceccarelli.psc.br/paulorobertoceccarelli/?page_id=211  http://www.cpflcultura.com.br/2012/10/25/a-historia-da-psicopatologia-no-brasil-benilton- bezerra/  http://www.psiquiatriageral.com.br/psicopatologia/psico_descritiva.htm Bibliografia

×