Escola estadual cassiano mende livro
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Escola estadual cassiano mende livro

on

  • 4,952 views

Livro:Cassiano Mendes, Uma Lição de Vida.

Livro:Cassiano Mendes, Uma Lição de Vida.

Statistics

Views

Total Views
4,952
Views on SlideShare
3,581
Embed Views
1,371

Actions

Likes
1
Downloads
8
Comments
0

12 Embeds 1,371

http://obedprofessora.blogspot.com.br 1141
http://obedprofessora.blogspot.com 128
http://obedprofessora.blogspot.pt 46
http://www.obedprofessora.blogspot.com.br 36
http://obedprofessora.blogspot.ru 6
http://obedprofessora.blogspot.it 6
http://obedprofessora.blogspot.ie 3
http://obedprofessora.blogspot.nl 1
http://obedprofessora.blogspot.fr 1
http://obedprofessora.blogspot.ro 1
http://www.obedprofessora.blogspot.com 1
http://www.obedprofessora.blogspot.ch 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Escola estadual cassiano mende livro Document Transcript

  • 1. Escola Estadual Cassiano Mendes Uma Lição de Vida Coletânea de Depoimentos E. E. Cassiano Mendes Turno Vespertino Agosto de 2010
  • 2. E. E. Cassiano Mendes Endereço: R. Alaor David de Souza, 100 – Sebastião Faria – Pedra Azul/ MG www.cassianomendes.blogspot.comDiretora: Ana Lúcia CostaVice - diretoras: Wanda Silva da Rocha Flávia de Almeida F. PamponetSupervisores: Daniela Gad Matos Rodrigues Caroline Ramos Botelho Irismar Rodrigues de Oliveira Kelly de Assis SilvaSecretaria: Marilta Rodrigues de MoraisAuxiliares de Serviço da Educação Básica: Ailza da Silva Santos Aloísia Porto Figueiredo Fernanda Xavier Pereira Gerusa Lelis Porto Kátia Cilene Silva Bahia Sandra Rocha Pamponet Selda Gonçalves VieiraBibliotecários: Cristina D.M. Rodrigues Evanilde de Souza Lázaro Tânia Sena Peixoto Tomás de Aquino R. Silva Professores do turno Vespertino, responsáveis por este projeto: Adilsa Pereira Brito Maria Júlia G. R. Neves Alessandra Torres Botelho Marineide G. Quaresma Alex B. Ferreira Marlene Gonçalves Souto Amanda A. Arruda Mércia P. de Morais Ana Aparecida R. Ribas Nauza Alves Peixoto Anier dos Santos Rodrigues Obed Rodrigues de Souza Daniela Ribeiro. Lima Romaria Clemência Ferraz Porto Edinalva Pereira Rodrigues Vanessa Martins Moura Edma de Almeida Cardoso Antunes Vera Lúcia Bizari Eliana de Moura Brita Castro Elzina Maria Duarte Santos Ernane Santiago Santos Eva Ozana Pereira de Souza Flávia de Almeida F.Pamponet Fredney Mares Rocha Indiara Ribeiro da Silva Iracy Maria das Virgem Bispo Isná Rocha de Oliveira Isabel Cristina Kroger dos Santos Joana Orquídea M. O. Santos Marcela Maria de Almeida Lázaro Maria das Neves Santos
  • 3. Concepção da obra e edição: Obed Rodrigues de SouzaDigitação: Daniela Ribeiro LimaPesquisa: Alunos do 4M1 turma de 1998 e do turno vespertino de 2010.Revisão: Eva Ozana Pereira de Souza e Rachel Lima Alvim.Arte da capa: Daniela Gad MatosConcepção do projeto: Daniela Gad, Elzina Maria Duarte Santos, Obed Rodrigues de Souza e Wanda Silva da Rocha. Escola Estadual Cassiano Mendes 4 Uma Lição de Vida
  • 4. “... Empreste seus ouvidos para ouvir minha história Empreste sua lembrança para minha memória Empreste seu riso para minha gente Empreste seu peito pro meu coração E sinta profundo que tenho razão Empreste suas mãos para o nosso trabalho E vê que não falho em nada que digo Vem ver meu cansaço, vem ver meu pedaço Assim, bem vivendo, me chame de amigo... “ Heitor de Pedra Azul ‘‘... Desejo que meus filhos reconheçam isto e trabalhem para esta terra; quesejam unidos e trabalhem para mostrar que são bons filhos, não se envolvendo em politicagem que é o atraso do sertão. ’’ Sr. Cassiano Mendes, in Cassiano Mendes de Oliveira, Autobiografia Escola Estadual Cassiano Mendes 5 Uma Lição de Vida
  • 5. Introdução Este trabalho é uma tentativa de deixarmos o registro escrito da história da EscolaEstadual Cassiano Mendes. É também uma homenagem a todos aqueles que por aqui passaram enos legaram sua contribuição. Muitos são os nomes, incontáveis as memórias... É certo quefuturas gerações de alunos dele farão uso, pois como disse o Sr. Reynaldo Veloso: “Toda cidadedeve ter sua história para ser amada. Só se possui verdadeiramente aquilo que se ama. Tambémservirá para o aperfeiçoamento e a conduta de sua sociedade, seus filhos, seus habitantes, visandoa felicidade coletiva que se realiza pelo trabalho, pela harmonia, e pela paz. “ (Pedra Azul, CincoVisões de uma Cidade, 1996). Mudanças ocorrerão no decorrer dos anos, correções serão feitas, outros depoimentosserão acrescentados, isso é o que esperamos. Algumas fontes de pesquisa foram orais, com os alunos trabalhando como entrevistadores.A outra fonte muito importante foi o livro ‘Cinco Visões de uma Cidade’, de Luiz CarlosSantiago. No ano de 1998, demos início ao trabalho com os alunos do 4º. Ano A1, que entrevistaramD. Leda Barbosa Mendes de Oliveira, D. Maria José Pereira e ‘ D. Lila’ - Aloísia Porto quetrabalha na secretaria da escola, quando publicamos a primeira edição do ‘Jornal da Cassiano’. Asprofessoras de História da época eram D. Adélia Rodrigues e Elzina Maria de Jesus. Em 2002 realizamos a primeira de três exposições memoriais com fotografias do acervomunicipal disponível naquela época. Seguidas de mais duas, uma em 2003, com a participação dePaulinho Pedra Azul, em recital de poesias e outra em 2004, todas com visitação dos alunos daCassiano Mendes. Naquela época pudemos contar com a colaboração/coordenação dasprofessoras de História Márcia Andrade, Márcia Augusta e Maria Júlia Rodrigues Neves. Agora em 2010, os alunos também realizaram pesquisa sobre os ex-alunos, homenageadosatravés deste projeto, contando com a coordenação dos professores do turno vespertino. Algunsalunos dos 2ºs. anos T, T1 e 3T2 entrevistaram os ex-diretores, cujas gravações serão lançadas noblog da escola. www.cassianomendes.blogspot.com Deixo aqui,como minhas, as palavras da aluna do 3T, Tawanne Débora, ano de 2010: “Somos elos de uma corrente que começou há muito tempo, e sob essa perspectiva, estudar nesta escola é buscaro significado de nossa participação na grande aventura da qual todo ser humano deve fazer parte. A história danossa escola, vista desta forma deixa de ser um conjunto de informações sobre o passado, mas se torna um vastocampo de reflexões e aprendizado. Conhecer a história da nossa escola não é trazer na memória um grande númerode acontecimentos, mas sim, funcionários capacitados, professores e diretores dedicados, capazes de fazer de umsimples gesto uma grande lição de vida.” Obed Rodrigues de Souza Pedra Azul, agosto de 2010. Escola Estadual Cassiano Mendes 6 Uma Lição de Vida
  • 6. A CASSIANO MENDES E SUA HISTÓRIA por D. Lêda B.Mendes Oliveira/ex Inspetora de Ensino Em 1899 houve a primordial tentativa cultural na comunidade com a criação do Ateneu de Fortaleza. Em 1940instalou-se o Ginásio Fortaleza para dar continuidade aos estudos das quatro primeiras séries. Este foi encampado em1942 pelo novo Ginásio Pedra Azul que funcionou em prédio próprio. Em 1959, criou-se o curso Técnico Comercial, cujasatividades encerraram-se em 1966. Em 1964 foi criada a escola particular Menino Jesus, que não foi adiante. Vista parcial da Av. Cassiano Mendes, com a escola ao fundo, no início dos anos 70. Em 1964, eu era inspetora da região; contávamos com 98% de professores leigos. Em entrevista com o entãogovernador, José Magalhães Pinto, expus-lhe a situação, procurando justificar a necessidade de uma escola paraformação de professores. Ele sugeriu-me que elaborasse um projeto e lhe enviasse por intermédio de seu líder, Dr.Ataliba Mendes. Elaborei um projeto, expondo a situação do professorado e o aproveitamento escolar, ao fluxo de 10 anos. Naépoca, nem 2% dos alunos chegavam à 4ª série do primeiro grau. O projeto foi encaminhado pelo deputado Dr. AtalibaMendes de Oliveira, filho do patrono da escola. No mesmo ano foi criada a escola. O projeto de lei de criação da escola foi enviado à Assembléia Legislativa para aprovação do nome, no mesmoano. Ali permanecendo três meses, na comissão de educação. Diante dessa demora na tramitação do Projeto, sugeri,principalmente, ao Sr. Márcio Garcia, Chefe de Gabinete e ao Secretário de Educação que fosse expedido um memorandoautorizando o funcionamento da escola. Primeira turma de formandos Escola Estadual Cassiano Mendes 7 Uma Lição de Vida
  • 7. A escola começou a funcionar em fevereiro de 1965, graças à boa vontade do Secretário de Estado de Educação,Dr. Aureliano Chaves de Mendonça. Em 4 de março, quando já em funcionamento, o Secretário veio a Pedra Azul instalar aescola. O discurso de instalação foi proferido no Cine Izabel que funcionava na Praça Francisco Figueiredo. Entre os primeiros professores, podemos citar: Dr. Gamaliel, Juiz de Direito, Dr. Mussoline O. de Miranda,Promotor de Justiça, Professor Faiçal Chequer, Dr. Aquino Perpétuo, Dona Rosalina Lacerda, D. Maria José Pereira, D.Leda Barbosa Mendes de Oliveira e D. Maria José Penha. O primeiro diretor foi Dr. Alcebíades Mendes Oliveira, quando ainda não funcionava no atual prédio. Histórico e Fundamentação Legal da Escola Lei número 3.153 de 02/07/64, publicada no jornal Minas Gerais, número 123 de 03/07/64, pág. 01 do Diário doExecutivo. Foi instalado oficialmente em 04/04/65, pelo Secretário de Estado de Educação, dando-se início às atividadesescolares no prédio da Fundação Cassiano Mendes. Lei de criação do Colégio Oficial anexo ao colégio Normal Oficial Cassiano Mendes. Lei número 3.985 de 27/12/65, pág.1, coluna 5, autorizado pela portaria 153 de 07/04/66, Minas Gerais, pág. 03, col. 04.Em 1983, a pedido, através da 24ª DREde Teófilo Otoni, requereu-se o reconhecimento oficial da escola. HÉLIO JOSÉ DE SOUZA (1971 A 1973) Uma história muito simples Professor Hélio José de Souza Professor Hélio José de Souza Eu sou filho de Pedra Azul e fiz meus primeiros estudos na Escola Estadual Dr.) e conclui na E. E. Pacífico Faria (4ªsérie). Logo depois fiz as provas de admissão para o curso ginasial. Eu me lembro bem: as provas de admissão eram umvestibular para ingressar no curso ginasial. Fui aprovado e concluí a 8ª série no saudoso GPA (hoje E. E. João de Almeida),onde vivi momentos de muita alegria, não só pelos professores altamente gabaritados, como também pelo alto nível doensino administrado. O nosso diretor, na época, o saudoso Dr. Reynaldo Veloso, respeitado por todos pelo seu altíssimo nível cultural,ressaltava minha facilidade em línguas (português, latim e francês), quando ganhei alguns concursos , que eram realizadosna época, como português, redação, leitura e interpretação, o mesmo não acontecia em matemática. Lembro-me de professores inesquecíveis daquela época: o próprio Dr. Reynaldo Veloso (Latim, Francês), Dr.Gilberto Almeida (Matemática e Desenho), Dr. Pedro Vieira (Português e Inglês), Dr. Henrique Oliveira (Geografia ePortuguês), Professora Terezinha Yone (História), Dr. João Barbato (Ciências), D. Aldiva Morais (Canto Orfeônico), Dr.Mussolini Otoni (Geografia e OSPB), Geraldo Azevedo (Educação Física), Dr. Aurélio de Almeida (Matemática) e muitos outrosque também foram tão importantes na nossa formação. Infelizmente, muitos deles já morreram, mas continua a nossa saudade e eterno reconhecimento. Escola Estadual Cassiano Mendes 8 Uma Lição de Vida
  • 8. Ao terminar o curso ginasial fui para Belo Horizonte e lá concluí o 2º grau – curso clássico (mais voltado para aslínguas) onde havia sete aulas de Português e Literatura por semana, isto no colégio Marconi, dirigido por padres. Logodepois tentei o vestibular para jornalismo e fui reprovado em História. Lembro-me bem que assumi o 2º lugar em línguaportuguesa, mas na época cada disciplina eliminava. Aí, então, voltei para Pedra Azul e, a convite do Dr. Reynaldo Veloso (Diretor da recém inaugurada Escola EstadualCassiano Mendes), assumi a carreira de professor de português e literatura. Fui tomando gosto pela nova profissão atéchegar o grande momento: em 1971 foi inaugurado o novo prédio da E. E. Cassiano Mendes e, por motivos pessoais, o diretor,Dr. Reynaldo Veloso, não quis continuar no cargo e me indicou para ocupar a difícil missão de dirigir a escola. Para mim foiuma grande surpresa, mas aceitei o desafio. Assumi a direção da Cassiano Mendes de 1971 a 1973. Foram três anos de novasexperiências e aprendizados, porém sempre exercendo o cargo original de professor de Português e Literatura. Procurei dirigir a escola de maneira simples, contando com muito apoio de alguns colegas da época. Tudo deumuito certo. O meu sucessor, na direção, foi o nosso colega (que muito nos ajudou), Professor de História, Alírio PereiraRodrigues, que cumpriu sua missão com muito zelo e sabedoria, promovendo melhorias no ensino. É bom lembrar que, naquela época, contávamos com um corpo docente de primeira ponta. Não vamos citarnominalmente para não corrermos o risco de omitir alguns nomes. Os alunos, conseqüentemente, levavam mais a sério ocumprimento das suas atividades e a escola funcionava num clima de muita paz e progresso. Como professor, tivemos muitos alunos que se destacaram nas suas futuras atividades. Hoje são excelentesprofissionais, como advogados, médicos, engenheiros, enfermeiros, veterinários, professores, arquitetos, biólogos,psicólogos, bancários, contabilistas, comerciantes, etc... Quando ainda professor, aconteceu um fato que me deixou tão orgulhoso que merece aqui um registro: dois ex-alunos meus, irmãos, prestaram vestibular para engenharia na federal de Juiz de Fora (MG) e me escreveram dizendo quehaviam fechado a prova de Português graças ao programa visto por nós durante o período na Cassiano Mendes. Ambosforam aprovados, com destaque, e hoje são importantes profissionais no nosso estado, cada um na sua área de atuação. Há muitos outros acontecimentos que marcaram muito a nossa jornada, como professor, porém, se fôssemosenumerá-los, com certeza, tomaria muito tempo, mas o certo é que, durante toda a nossa vida no magistério, sóconhecemos bons momentos, alegrias e muita satisfação. Foi uma época inesquecível para nós. Quando me aposentei, no dia 1º de Dezembro de 2000, passei por alguns momentos de indecisão. Não sabia bem oque fazer e demorou um pouco para me adaptar à nova vida. Assim fui levando os anos entre tarefas diversas até que noinício deste ano de 2010 aconteceu uma grata surpresa, quando recebi, em minha residência a visita da professora AliceVeloso Pires, (neta do saudoso Reynaldo Veloso), atual diretora do Pitágoras (Unidade Local) e me convidou para assumir ascadeiras de Língua Portuguesa e Literatura no ensino do 2º grau. Aceitei a proposta e estou muito grato e feliz por convivernovamente com alguns alunos e colegas de profissão, com quem sempre me identifiquei. Hoje me sinto realizado profissionalmente e vou me dedicar, com afinco, em prol da nossa nova missão. Encerrando o nosso depoimento, agradeço de coração à direção atual da Cassiano Mendes, por deixar que euregistrasse um pouco da nossa história de professor, ao longo dos 32 anos consecutivos numa mesma escola – a nossaquerida Cassiano Mendes. Torna-se impossível citar todas as pessoas com quem convivi durante os 32 anos, como professor da CassianoMendes, mas por uma questão de gratidão, podemos destacar, entre outros, o nosso saudoso Dr. Reynaldo Veloso, que alémde ter sido meu professor de latim e francês, ainda no curso ginasial, indicou-me depois para assumir a direção da escolano seu novo prédio, cargo que me deixou muito orgulhoso. Lembramos ainda de outros professores que abraçaram, commuita seriedade, a difícil carreira de ensinar, tais como: Alírio, D. Ivonilde, D. Nilde (in memorian), prof. Alaor (in memorian),Faiçal (hoje reitor da Universidade de Itaúna), Dr. Aquino (hoje Juiz de Direito), Letícia Botelho, Ana Lúcia, Max, Dagmar,Hermano, Fábio Faria, Ariovaldo (Café), João Marcos, Elmany, Hilário (in memorian), Sulian, Ana Angélica, Eva Ozana, Obed,Tomás de Aquino, Orquídea, Margareth Lima, Dione Paranhos, Ana Lúcia, Alice Veloso, Adilson Lopes, Alex e muitos outroscom quem tivemos a honra de dividir e exercício da nobre profissão. O mais importante de tudo é que muito desses nossoscolegas já ocuparam também o cargo de diretor da E. E. Cassiano Mendes. Escola Estadual Cassiano Mendes 9 Uma Lição de Vida
  • 9. ALÍRIO PEREIRA RODRIGUES (1973 a 1983) Professor Alírio Pereira Rodrigues Comecei a dar aulas de História do Brasil, em setembro do ano de 1963, ainda no antigo Ginásio Pedra Azul. Nestemesmo Educandário, foi fundado o Grêmio Cultural Machado de Assis, quando eu fui eleito presidente do mesmo. Ali, algunsartistas famosos, como Saulo Laranjeira, Paulinho Pedra Azul, Célia Mara, entre outros, começaram suas carreiras. O Ginásio Pedra Azul, foi então incorporado pela Escola Estadual Cassiano Mendes. Como professor, ministrei aulas de História do Brasil, História Geral e Econômica, OSPB, Educação Moral e Cívica,Geografia e Elementos da Economia Política. Em 17 de novembro de 1973, tomei posse, como Diretor da Escola Estadual Cassiano Mendes, e, ali permaneci comoDiretor até 22 de fevereiro de 1983. Data esta que fui apostilado e voltei a ministrar aulas. Durante o tempo que estive na direção da Escola, realizamos vários trabalhos, através de muitas lutas, tais como:  Reforma geral do prédio da Escola, com a construção da ala à direita, com várias salas de aulas e biblioteca;  O muro do fundo da Escola foi construído;  Foram plantadas árvores, que até os dias de hoje se encontram na frente da Escola;  Os arquivos foram organizados e várias mudanças foram feitas para a melhoria da Escola. Entretanto, só foi possível a realização desses trabalhos, graças à eficiência de uma boa equipe, à qual deixo osmeus sinceros agradecimentos. Durante o período que estive Diretor, tive algumas secretárias, dentre elas, darei destaque à última, a Sra. MariltaRodrigues de Moura, pessoa que ainda permanece prestando os seus relevantes serviços na referida Escola. A Escola em construção, no início da década de 70 Quero destacar também, os serviços prestados por 03 (três) vice-diretores que muito contribuíram com seusserviços para a educação e cultura de Pedra Azul. São eles: Escola Estadual Cassiano Mendes 10 Uma Lição de Vida
  • 10.  Sra. Maria José Pereira de Souza;  Sr. Constantino Carera;  Professor Antônio Hilário Ferreira. Contudo, estou aposentado desde 08 de março de 1995 e guardo ótimas lembranças dos meus queridos alunos,dos seus pais atenciosos e das pessoas que colaboraram para o bom desempenho do meu trabalho, aos quais deixo o meuabraço, pois muito contribuíram para que eu tivesse a consciência do dever cumprido. NILDE FARIA DE ALMEIDA (1983 A 1988) Nilde Faria de Almeida Ocupou o cargo de professora e também diretora. De espírito empreendedor, foi uma diretora atuante e com fortezelo administrativo. Nessa época, o Brasil começava o processo de democratização. Tancredo Neves foi eleito governador em 82 eOrlando Ruas o Prefeito. Ronald Reagan era o presidente dos Estados Unidos. Na cidade, o Sr. Manoel dos Passos Gusmão começa a entrar no cenário político. A Escola oferecia os cursos nasáreas de Técnico em Contabilidade e Magistério. Nessa época, D. Edinha e Dagmar iniciaram suas carreiras na escola. ANA ANGÉLICA FIGUEIREDO (1988) Ana Angélica Figueiredo. Exerceu o cargo de Professora e Diretora. Nessa época, cai o Muro de Berlim, em 1989. Collor é eleito Presidente. Sr. Gusmão é o novo prefeito em 1989. Escola Estadual Cassiano Mendes 11 Uma Lição de Vida
  • 11. A professora Margareth e alguns alunos, na época. ANTÔNIO HILÁRIO FERREIRA (1991 ) Antônio Hilário Ferreira Ocupou o cargo de Diretor, Vice-diretor e Professor. O país e o mundo passavam por profundas transformações então. Era o processo da globalização, a tecnologiacomeçava a moldar nossa maneira de viver. A União Soviética e o muro de Berlim não mais existem e Collor renuncia. O Prefeito, Sr. Manoel dos Passos Gusmão populariza o poder em Pedra Azul. O processo de abertura política vaise consolidando. NELDIRA EDNI DE OLIVEIRA BOTELHO (1983, por 6 meses / 1992 a 1996) D. Edinha. Nasci na cidade de Vitória, estado do Espírito Santo, filha de Gentil Rodrigues de Oliveira e Mercedes Segóvia deOliveira. Passei minha infância onde nasci. Aos treze anos fui fazer o Fundamental do sexto ao nono no Instituto AdventistaPetropolitano de Ensino em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, em regime de internato. Escola Estadual Cassiano Mendes 12 Uma Lição de Vida
  • 12. Ao terminar o Primeiro Grau, fiquei noiva de Otavio José Botelho, estudante do mesmo educandário, mineiro deJequitinhonha. Em fevereiro de 1960, nos unimos em matrimônio. Em Pedra Azul, conclui o curso Normal (Magistério deprimeira a quarta série) no Ginásio Pedra Azul. Trabalhei nas escolas: Cel. Pacífico Faria, Dr. Carlos Américo, Mobral e zonarural. Em 1976, fiz vestibular para Pedagogia em Teófilo Otoni; em 1977 começamos a estudar e também a ministrar aulas deFundamentos II (Filosofia, Sociologia e História de Educação) para o curso Normal e Educação Física para o Fundamental. Ao conclui o curso de Pedagogia em Administração e matérias Pedagógicas, fui para São João Del” Rei e graduei-me em Supervisão Pedagógica de 1° e 2° graus. Mais tarde, graduei-me também em Inspeção Escolar em Batatais/SãoPaulo. Continuei meus estudos, fazendo Pós Graduação em Educação em Vassouras/Rio e Janeiro. Na Unimontes, trabalhei como Supervisora Itinerante. Como parte do corpo docente E. E. Cassiano Mendes, procuramos fazer o trabalho administrativo – Pedagógicocom dedicação e entusiasmo, pensando sempre no futuro melhor da escola. Com isto, a sociedade foi beneficiada comexcelentes profissionais da área técnica em contabilidade e professores do Magistério / curso Normal (magistério de 1° a4° serie). Os valores éticos e morais sempre foram objetivo de destaque em nossos planejamentos pedagógicos. Tínhamos a“Hora Cívica”, uma vez por semana toda a escola em posição de sentido hasteava as bandeiras do Brasil, Minas Gerais ePedra Azul e cantava o Hino Nacional, enquanto um dos professores fazia uma pequena reflexão. O zelo pela boa disciplinaera uma luta constante através de projetos. Na minha trajetória por esta instituição tive profissionais que marcaram anossa vida, como verdadeiros profissionais de Educação, dedicados e comprometidos. Como diretora, montamos vários projetos como: “Semana do Normalista” que influenciava os alunos, tanto naparte pedagógica como nos valores éticos e profissionais, oferecendo cursos como: “Sala de aula Oficina do saber”,Oferecemos cursos de aperfeiçoamentos, metodológicos, e especializações disciplinares e interdisciplinares. Também,oferecemos palestras, concurso, etc... Tínhamos, em todo final de ano, Concurso de Oratória, onde alunos formados participavam com muita garra eentusiasmo, juntamente com, a Comunidade Escolar, os professores e a sociedade. Ativamos o Grêmio Estudantil “Machadode Assis”, através do qual oferecíamos Carteira do Estudante aos alunos e programações culturais. Procuramos dar uma nova estrutura física ao prédio da escola, começando pela frente, pois só tinha a entradalateral. Conseguimos trator para realizar a terraplenagem, abrindo caminho, que logo foi calçado e feito serviço dejardinagem. Construímos um salão para eventos, que tem sido muito útil à escola. Colocamos aparelhagem de som em todasas salas para facilitar os avisos e comunicações em geral. Adequamos o terreno em torno da escola, muramos econstruímos a quadra para Educação Física e escadaria de acesso. Na reforma física da escola, aumentamos o número de salas de aulas, fizemos sala de vídeo, cozinha, despensas ebanheiros. Melhoramos todo o aspecto físico da escola que era isolada. Construímos também escritório Modelo de CursoProfissionalizante de Técnico em Contabilidade e o mobiliamos com móveis adequados. Com o fim do curso, a sala passou afuncionar como Laboratório de Inglês. Administramos condições para que a parceria entre professor e aluno fosse feita dentro de uma aprendizagemsignificativa de um ambiente escolar harmonioso. Procurei ser um elemento facilitador do Processo Educacional da minha Comunidade Pedrazulense, meus ideais naluta foram por um ensino eficiente e pela valorização do professor, Trabalhamos para que houvesse melhoria e qualidade devida na Comunidade Escolar. A você que durante toda a minha caminhada ajudou-me a vencer as dificuldades, demonstrando amizade sincera,provando que “amigo é aquele que torce para que tudo dê certo, sempre”, o meu muito obrigada. Não há como esquecer.Ficou guardado na parte mais profunda do meu ser. Neldira Edni Oliveira Botelho Agosto de 2010. Escola Estadual Cassiano Mendes 13 Uma Lição de Vida
  • 13. LETÍCIA CARVALHO BOTELHO (1997 a 2.000) Letícia Carvalho Botelho, assinando termo de Posse, como Diretora, em Almenara. Iniciei meu trabalho na Cassiano Mendes em 1º/03/1973, até 2008, quando me aposentei pela 2ª vez. Iniciei comoprofessora de Português. Fui vice-diretora na administração da Drª. Nilde e Diretora, por quatro anos. Comecei meu trabalho, tendo o Professor Hélio José de Souza como Diretor e o conclui na administração atual daProfessora Ana Lúcia Pereira Costa, passando por administradores fabulosos como o Professor Alírio, D. Nilde Almeida, D.Edinha e outros. Todos deixaram marcas indeléveis em minha formação profissional. Meus vice-diretores, Cíntia, Elizinha,João Marcos e Betinha muito me ajudaram. Enfim, a equipe da Cassiano foi excelente: Professores, especialistas e,principalmente, os serviçais, pessoas maravilhosas, sem as quais a escola não funciona. Gostaria de prestar umahomenagem especial a D. Nilde Faria de Almeida, de quem fui vice-diretora. Foi uma pessoa maravilhosa, experiente, resolutae sábia em suas decisões. Até hoje os seus ensinamentos têm me ajudado. Eu era mais nova do que ela e fui uma discípulaatenta. Tive a humildade de querer aprender. Outras pessoas que me marcaram profundamente foram os meus alunos.Aprendi muito com eles. Eu os conhecia até pelo estilo da redação de cada um. Até hoje eu posso identificar a caligrafia decada um. Eram todos meus amigos. E até hoje temos lembranças recíprocas daquela época. O meu período na direção foi de muitas mudanças, sem o devido preparo dos professores, dos alunos e dasfamílias. A imposição dos Ciclos (a Cassiano Mendes resistiu por muito tempo), onde o aluno “ tinha”, entre aspas, de passarde qualquer forma. Não podia haver reprovação. Esta época de transição foi muito difícil, tanto para a direção como para osespecialistas, professores e alunos. Em contrapartida, foi também uma época de muitos cursos de capacitação de diretores e professores:  PROCAD (Programa de Capacitação de Diretores), onde diretores, vice-diretores, secretários de educação foram orientados por mim;  PROMÉDIO, com a participação de 100% dos professores do Ensino Médio, inclusive com a publicação de livros didáticos das professoras Alice Veloso Pires e Luciana Andrade Grezzi;  PROCIÊNCIAS, com a participação de três professores em Lavras.  Houve, também, na parte pedagógica, a implantação do Laboratório de Inglês, e seu real funcionamento, enriquecendo o ensino desta disciplina (televisão, vídeo-cassetes, Cd´s, livros, dicionários, etc. O acervo era muito rico.  Implantação de 02 jornais em épocas diferentes: “De Olho no Mundo” , supervisionado pelas bibliotecárias Lucilente, Maclóvia e Marília e Jornal da Cassiano, em 1998, supervisionado pela professora Obed.  Na parte tecnológica, houve um fato muito importante, que marcou a era da informática na escola: instalação do Núcleo de Informática, com 11 computadores e duas impressoras.  Participei da Feira de Informática, em Belo Horizonte, onde os computadores foram adquiridos.  Na inauguração do Núcleo, pudemos contar com a presença do então Governador de Estado, Dr. Eduardo Azeredo. Este fato marcou muito a nossa escola, pois recebemos também outros benefícios como verbas avultadas, carteiras novas, etc. Escola Estadual Cassiano Mendes 14 Uma Lição de Vida
  • 14. Inauguração do Laboratório de Informática da E. E. Cassiano Mendes. Da esquerda para direita: Governador Eduardo Azeredo, Dep. Estadual Romeu Queiroz, Diretora da Escola Letícia Carvalho Botelho, Prefeito Municipal Ricardo Mendes Pinto. (1997) Outro fato marcante em nossa administração foi a realização do 1º. Curso de Pós-Graduação em História,ministrado pela UNIMONTES. Sessenta alunos de Pedra Azul e cidades vizinhas participaram do evento. Na parte da estrutura física pouca coisa pôde ser realizada, pois estavam proibidas as reformas maiores. Aprimeira planilha completa do Ginásio Coberto Poliesportivo foi também encaminhada em nossa administração.Mensagem Final:  Aos Diretores: continuem trabalhando com a mente dos grandes empresários, mas com o coração do educador. Assim, as ações serão eternizadas.  Aos Professores/Colegas: vou pedir emprestada a frase de Cora Coralina: “Feliz aquele que transforma o que sabe e a aprende o que ensina”. Há sempre o que aprender com os nossos alunos. Sejamos convincentes ao ensinar e humildes ao aprender.  Aos alunos: aproveitem este período maravilhoso de convívio entre educadores e colegas. É na escola que nos é permitido errar e aprender de novo. Estudem, batalhem e sejam sempre VENCEDORES. Letícia Carvalho Botelho, em 22/06/2010. RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS I - MELHORIAS NO SETOR PEDAGÓGICO: 1. PROMÉDIO, curso de capacitação de professores em Ibirité, com participação de 100% dos professores, inclusive com a publicação de livros didáticos das professoras Alice Veloso Pires e Luciana Andrade Grezzi; 2. PROCAD (Programa de Capacitação de Diretores), onde a diretora Letícia foi orientadora de Aprendizagem de 28 diretores, vice-diretores e secretários municipais de Pedra Azul e cidades vizinhas; 3. PROCIÊNCIAS, com a participação de três professores da área, em Lavras; 4. Participação em Fórum e Debates Educacionais, em Almenara e Governador Valadares, onde a diretora foi eleita representante regional da Educação; 5. Instalação do Laboratório de Inglês e seu real funcionamento. Aquisição de duas televisões 29”; 2 vídeo-cassetes; livros, dicionários, CDs e fitas em inglês, legendados ou não. Todas as aulas de inglês eram ministradas no laboratório; 6. Instalação do Núcleo de Informática, com 11 computadores e 2 impressoras. Informatização da Secretaria, Biblioteca, Orientação e Sala dos Professores. Foi realmente a inclusão digital da escola no mundo da informática. A Diretora foi a Belo Horizonte, participou da Feira de Informática e adquiriu os primeiros computadores para a escola, trazendo também os cursos para treinamento dos funcionários e professores. A inauguração teve a presença do então Governador de Minas, Dr. Eduardo Azeredo. Escola Estadual Cassiano Mendes 15 Uma Lição de Vida
  • 15. 7. Nova roupagem do Conselho de Classe, com a participação de pais, alunos e professores, sob a orientação e supervisão das especialistas Dagmar e Ediralva. 8. Implantação do Jornal “De Olho no Mundo”, sob a supervisão das bibliotecárias Lucilene, Maclóvia e Marília; 9. Enriquecimento do acervo da biblioteca, com mais de 1.000 livros novos, incentivando e incrementando a boa leitura; 10. Autorização do primeiro curso de Pós Graduação de História, em Pedra Azul, pela UNIMONTES. Início: 10/01/2010, com 50 cursistas, custeado pela diretora e colaboradores locais; 11. Montagem de todo o processo para a implantação da Extensão da UNIMONTES em Pedra Azul, com coleta de todos os documentos necessários aos primeiros cursos acadêmicos de Educação Física, Geografia e Pedagogia. Trabalho político para a liberação destes cursos. Na montagem contou com a ajuda das secretárias Gerusa e Selda; 12. Implantação da sala de vídeo para enriquecimento das aulas dos professores; 13. Reforma e enriquecimento do laboratório de ciências, física e química, com o seu real funcionamento. II – EST RUTURA FÍSICA: Neste período foram proibidas as reformas, ampliações e construções de prédios escolares, pelo Estado. Não foiliberada qualquer verba para esta finalidade, apesar de várias planilhas terem sido encaminhadas.Contudo, ainda foram executados com recursos da cantina:  Reforma total da sala de orientação;  Reforma total do Núcleo de Informática;  Reforma total do Laboratório de Inglês;  Encaminhamento de planilha completa do Ginásio Poliesportivo;  Recuperação permanente de carteiras escolares; III – ENRIQUECIMENTO DO PATRIMÔNIO DA ESCOLA:Naquela época não tínhamos verbas para aquisição do material abaixo relacionado. Tudo era conseguido com a renda dacantina e festas escolares: 1. Uma máquina Xerox “Sharp”, com a ajuda dos professores, com a renda da própria máquina, da cantina e festa junina; 2. Uma máquina de soldar (profissional), para conservação de grades, portões e carteiras de ferro; 3. Uma máquina de arrebites, para a recuperação de carteiras e mesas; 4. Uma furadeira profissional; 5. Aquisição de um bebedouro grande, inox, de água filtrada e gelada; 6. Instalação de 15 ventiladores nas salas de orientação, cozinha e salas-de-aula; 7. Aquisição de geladeira, telefone sem fio e televisão para sala dos professores; Escola Estadual Cassiano Mendes 16 Uma Lição de Vida
  • 16. Sala ambiente de Inglês na época8. Instalação de um telefone público para uso de toda a comunidade escolar, principalmente dos alunos que até então não tinham como telefonar (celular ainda era para pouquíssimos). Foi esta a nossa singela contribuição, na direção da Escola Estadual “Cassiano Mendes”. Pedra Azul, 13 de junho de 2.010. Letícia Carvalho Botelho Escola Estadual Cassiano Mendes 17 Uma Lição de Vida
  • 17. EVA OZANA PEREIRA DE SOUZA (2000 A 2002) Eva Ozana Pereira de Souza Fui vice-diretora de 97 a 98, na gestão de Edinha, diretora de 2000 a 2003 e vice-diretora em 2008 na gestão deAmélia Lúcia Botelho, assumindo a direção em agosto daquele ano. Estudei na Cassiano Mendes no período militar (anos de chumbo), seguidos da transição para a democracia. Foiuma época de moderação. Minha geração é moderada. Na escola tínhamos Hino Nacional e oração, mas não era todo dia.Professores mais conservadores (com medo do regime militar) e outros mais arrojados – em busca da democracia.Tínhamos aulas de Educação Moral e Cívica e OSPB (Organização social e Política Brasileira), mas já não eram matérias demuita credibilidade. Quando estava no Ensino Médio o governo do Ernesto Geisel – os professores já nos preparavam para ademocracia. Eu me lembro das aulas de Didática da professora D Elisa Morais, que falava da Lei 5692, sobre a Educação quepreparava cidadãos críticos e reflexivos. Estudar era muito bom: Escola era santuário da educação. Professor era sinônimode respeito. O professor tinha o domínio do “Saber” o aluno, tinha que demonstrar ter adquirido o conhecimento que osprofessores exigiam nas avaliações – que eram só quantitativas: Reprovava-se por meio ponto. O aluno ficava retido por umano, repetia a série se não passasse em TODAS as matérias. Os auditórios e as feiras de ciências eram freqüentes e ali apresentávamos o que tínhamos aprendido em sala. Maso lazer da nossa geração, em parte, dependia também da escola, já que nas tardes de sábado (ou domingo) havia reunião doGrêmio (“MACHADO DE ASSIS”) e ali, formava-se Bandas, cantores, poetas, atores... foi com o Grêmio que deixei a timidez delado e familiarizei com o palco, microfone e ali eu declamava poesias, apresentava peças de teatro... (Ah! A diretoria doGrêmio era toda formada por alunos, mas as reuniões semanais só aconteciam coma participação de professores, diretorou representante da escola). Depois da família e da religião, a escola tinha papel importantíssimo na formação do cidadão: Respeito, gratidão,amizade, consideração, parceria, tudo era ensinado na escola (e aprendido pelos alunos). Os auditórios, as comemoraçõescívicas, os clubes de leituras, tudo girava em torno da formação do caráter e da personalidade do aluno. Muitos foram os professores que me marcaram: Professor Alírio pelo dinamismo das suas aulas (História Geral – antiga e atual, do Mundo e do Brasil), DªIvonilde Braga que o substituiu quando ele foi para a direção. Seu Alaor e Seu Elmany – pelo grande conhecimento que tinham de Geografia e repassavam para os alunos.DªMaria José Pereira, Educadíssima no trato com os alunos. “Seu João Bô” e “Dª Zizinha, Assistentes de turno – “fiscalizavam os alunos”: portão, cadernetas, uniforme tinhaque estar impecável. Matar aula? Nem pensar... D Biosias e D Nilde, pela paciência que tiveram com a minha “burrice” em Matemática.D. Carmelita, pelasmaravilhosas aulas de Educação Física, às 6:00 da manhã e, mesmo sem quadra específica, ela sempre dava um jeito de nosensinar postura e andar com elegância. Marchar e muitos exercícios para “afinar” a cintura. Como Diretora, na parte administrativa fizemos pouca coisa, porque não dispúnhamos de verbas – osgovernadores anteriores não eram tão “mão-aberta” para reformar escolas, tanto é que para trocar o telhado de amianto Escola Estadual Cassiano Mendes 18 Uma Lição de Vida
  • 18. (já que molhava todo o 1º pavimento) e para pintar a escola, tivemos que lançar mão de ajuda externa. Através de PadreFelice e Evaristo, italianos “Amigos da Escola”, conseguimos uma verba vinda da Itália – para reformar a escola e comprarcarteiras novas (200). As portas eram de compensado (todas esburacadas) e trocamos por outras de madeira maciça – estas que aíestão foram adquiridas com a contribuição dos pais. Fazíamos o “Forró do Cassiano” para explorarmos uma cantina interna e o lucro era revertido para os reparosnecessários, e era assim que comprávamos aquilo que não era prioritário para o governo, mas que era muito importantepara nós: aparelhagem de som, iluminação do jardim e dos pátios, liquidificador industrial, impressora e computador para asala das supervisoras, etc... Na parte pedagógica:  Reativamos o Grêmio Machado de Assis, criamos uma Associação de Pais – a 1ª da Superintendência;  Organização dos jardins e muros da escola (ciências, biologia e química);  Assistência psicológica aos alunos-problema (Drª Silvana);  Sala de Inglês – Sala ambiente (Laboratório) para enriquecimento cultural;  Aulas de informática - Professores voluntários: Luiz Carlos Berloffa e Valdir Soriano;  Implantação do Projeto Pedagógico da escola. Como educadora, gostaria imensamente de ser lembrada por meus alunos como alguém que os incentivou àleitura, porque tenho plena convicção que só a partir desse despertar – a cultura é que traz o sucesso pessoal ouprofissional – eles serão bons cidadãos. Nada me trouxe mais satisfação do que trabalhar por dois anos na Biblioteca, quanto pude direcionar melhor osalunos que ali entravam para essa verdade. Na sala de aula, projetos vários me trouxeram satisfação imensa: Criação de cantinhos de leitura nas salas,Projetos de literatura (desde o início da minha carreira – todos os anos criávamos um novo momento literário para que oaluno se interesse por um escritor). Vários momentos: Auditórios, Palestras, Varais de Poesias, Semana do Livro e da Biblioteca, Apresentaçõesteatrais, Seminários, sempre objetivando o crescimento intelectual dos nossos alunos – permearam minha vida profissionale continuam presentes como o que estou realizando neste momento com meus alunos: Levo-os para a Praça do Varandal,para ali realizarmos os “SARAUS LITERÁRIOS” para motivá-los à descoberta de autores e obras. Sinto-me realizada como profissional porque já ouvi de muitos alunos: “COM EVA APRENDI A GOSTAR DE LITERATURAou ainda: “GRAÇAS ÀS SUAS AULAS CONSEGUI FAZER UMA BOA PRODUÇÃO DE TEXTOS NAQUELE CONCURSO OU UMA BOAPROVA... A Margareth e Flávia Pamponet, meu abraço de gratidão. Às “meninas” da secretaria, Coca, Selda, Geruzinha,Sandra, Fernanda, meu agradecimentos. A todos o meu muito obrigada! Algumas Atividades Desenvolvidas 1. Criação da Associação de pais da E. E. Cassiano Mendes, em abril de 2001; 2. Assistência voluntária da Psicóloga Dra. Silvana Maria Mendes Gouveia; 3. Reativação do Grêmio Cultural “Machado de Assis”; 4. Participação da escola no Seminário da Infância e Adolescência do Vale do Jequitinhonha, promovido pelo Ministério Público; 5. Uso efetivo da Sala de informática e do núcleo de Inglês; 6. Curso de computação, tendo como voluntário o ex- aluno da escola, Sr. Valdir Soriano e Ênio Ferraz de Oliveira, aluno da própria escola; 7. Projeto sobre a Dengue, desenvolvido com os alunos, com a participação efetiva da comunidade. Escola Estadual Cassiano Mendes 19 Uma Lição de Vida
  • 19. Dagmar de Fátima Moreira – Supervisora que prestou relevante contribuição à escola 8. Muros pintados pelos alunos com motivos ecológicos, em comemoração à “Semana do Meio Ambiente.” 9. Organização do jardim da escola, projeto coordenado pelas professoras de Ciências, Física e Química: Elizelene e Orquídea; 10. Projeto da pintura dos muros da cidade com motivos culturais, lançado pela Prefeitura Municipal, em comemoração ao aniversário da cidade. 11. Projeto coordenado pelo Professor Hilton Ferreira entitulado “Coleta Seletiva de Lixo”, através do qual os alunos visitaram bairros da cidade promovendo a coleta seletiva. 12. Projeto coordenado pelos professores de Língua Portuguesa, Inglês e Ensino Religioso sob o título de “Por uma Terra sem Males”, promovendo consciência ecológica, respeito à natureza e desenvolvimento sustentável. 13. Reforma do telhado da escola, com ajuda de Dom Sefarino. Obra supervisionada pelo Juiz da Comarca, Dr. Rogério Mendes Torres que autorizou 03 detentos como ajudantes de pedreiros. O Sr. Evaristo Tosa, esposo da professora Rosaly coordenou o trabalho. TOMÁS DE AQUINO RODRIGUES SILVA (2003 A 2007) Tomás de Aquino Rodrigues Silva Entrevista concedida aos alunos do 2T, T1 e 3T2 1. O Senhor estudou na Cassiano Mendes, como era o ensino na sua época como aluno? Estudei aqui na E. E. Cassiano Mendes no ano de 1980 a 1986 ano que conclui o curso Técnico em Contabilidade.Quanto às recordações pedagógicas lembro-me da grande ênfase dos valores morais que nos eram repassados. Osprofessores tinham como objetivo primordial repassar aos alunos a grande importância do estudo, onde muitos sempre Escola Estadual Cassiano Mendes 20 Uma Lição de Vida
  • 20. usavam a frase animadora: “Estudem, pois sem estudo você não será nada na vida”. Era um ensino tradicional, objetivo,direto e muito preciso. 2. A escola ofereceu contribuição para os educandos na formação de valores éticos e de cidadania? Faça um pequeno relato. A Escola tem sempre como meta repassar ao educando a sua formação como cidadão integro, ético, digno e acimade tudo honesto. Haja vista que ao aluno são dadas inúmeras oportunidades para seu desenvolvimento intelectual, social ehumano com a elaboração de projetos como este que de uma forma mais agradável e satisfatória tem como objetivo alargaros conhecimentos históricos da sua escola que sem dúvida é a base sólida de um futuro promissor aos educandos. E comoeste projeto outros tantos foram desenvolvidos sobre: Copa, Folclore, São João, Feira de Ciências e cultural. Todosdesenvolvidos com a proposta de sempre aprofundar os conhecimentos de seus participantes. 3. Fale um pouco sobre sua administração A minha administração foi um trabalho coletivo, com isto todos foram destaque, todos comprometidos com a suafunção dedicando sempre para um resultado satisfatório. Obrigado:  À equipe de ajudantes de serviços gerais com seu empenho tornando sempre o ambiente muito agradável e limpo.  À secretaria sempre ágil com seu serviço em prol de todo o corpo docente e discente que cumprimento a todas na pessoa da secretária Marilta.  À Tesoureira Selda Borges que muitas vezes abdicou de seus afazeres domésticos para tão bem executar as finanças com afinco, responsabilidade, honestidade e muita transparência.  À equipe de professores sempre dinâmicos no exercício de sua vocação profissional.  À equipe pedagógica onde a orientadora educacional Srª Dagmar de Fátima Moreira que tornou a escola sua casa, sempre inteirada de todo processo pedagógico, responsável pela elaboração do PPDE (Plano Pedagógico Desenvolvimento Educacional) naquela ocasião, a supervisora Neldira Edni Oliveira Botelho com sua ampla experiência, firmeza e conhecimento sempre encontrava soluções nos momentos mais difíceis, acompanhando a elaboração do Regimento Escolar, às supervisoras: Caroline Botelho e Daniela Gad que com o conhecimento teórico recém concluído na faculdade se comprometeram aplicando tais conhecimentos na prática efetiva e intensa fazendo sempre o melhor.  Às vice-diretoras: Joana Orquídea que com sua simpatia conquistava a todos, inclusive aqueles que mais demonstravam desinteresse, tornando-os assim cidadãos íntegros e capazes; Márcia Andrade com sua firmeza, sinceridade e sabedoria lidava com seus educandos de uma forma que só ela os entendia e muito bem, também a atual Diretora, Srª Ana Lúcia que no meu primeiro ano de mandato exerceu a função de vice-diretora.  À bibliotecária Tânia Sena que com muito carinho recebia os alunos e freqüentadores da biblioteca local, assim como os demais professores em uso da biblioteca.  Às inspetoras: Eva Cassimira, Aureni de Quadros, Rosane e Bethânia repassando suas lições e informação para o bom andamento da escola.  À SRE com todo seu apoio na pessoa da então diretora Srª Dicíola das Graças Morais Lacerda que nunca mediu esforços em empenhar com sua participação para a melhoria da escola.  À Comissão de Avaliação de Desempenho do Servidor, nas pessoas de, Leolina Moreira, Elzina Duarte, João Marcos Morais, Elizabeth Gomes e Dagmar de Fátima. Um grande marco na minha administração, por ter sido um projeto novo e de muita relevância.  Aos membros do colegiado que ao longo da minha administração foram parceiros inseparáveis. Mensagem Final Ser educador para mim sempre foi a realização dos meus desejos como cidadão e profissional formador deopinião. Sempre busquei a integração, o trabalho em equipe e a valorização do HUMANO. Para isso estava sempreproporcionando reuniões pedagógicas aliadas a confraternizações para uma maior descontração e propiciar contentamentoao educador. Sempre estive presente em olimpíadas esportivas, olimpíadas da matemática, festivais de dança e eventos Escola Estadual Cassiano Mendes 21 Uma Lição de Vida
  • 21. culturais em geral. A formação de um cidadão capacitado e reflexivo para a evolução do tempo real, capaz de criar, desenvolver seupróprio potencial fazendo valer as suas habilidades foi o nosso principal objetivo. A todos o meu muito obrigado. “O sopro do amor faz aumentar o talento.” Dom Helder Câmara AMÉLIA LUCIA DE OLIVEIRA BOTELHO (2007) Foi diretora por um breve período, mas por motivo de força maior, teve que se mudar para Belo Horizonte, sendo substituída por Eva Ozana Pereira de Souza Amélia Lúcia de Oliveira Botelho À Escola Cassiano Mendes. Tenho muito orgulho de ter feito parte desta Comunidade Escolar... Quando estamos na Educação em Pedra Azul, pensamos que estamos sempre a passos mais lentos eprecisamos acelerar para chegarmos a patamares mais altos e assim alcançarmos aqueles que vivem nas metrópoles. Hoje,fazendo parte da Educação em Belo Horizonte, tenho a certeza de que, na E. E. Cassiano Mendes, bem como, em Pedra azul,fazemos Educação e Gestão de Qualidade! Neste momento, aproveito para parabenizar a alma da Escola; VOCÊS ALUNOS! A Cabeça; VOCÊS: DIRETORES E PROFESSORES, ESPECIALISTAS E FUNCIONÁRIOS! Tenho boas lembranças dessa Escola, ela me preparou para o futuro árduo na Educação que nem eu haviaprevisto. Muito Obrigada, Amélia Lúcia Leite Botelho Julho de 2010. Escola Estadual Cassiano Mendes 22 Uma Lição de Vida
  • 22. ANA LÚCIA COSTA Ana Lúcia Pereira Costa Nasci no dia 07 de maio de 1972 em Pedra Azul/MG, sou a primeira filha de uma família de seis irmãos e fui criadapelos meus avôs. Meu pai, hoje falecido, so fui conhecê-lo aos 10 anos de idade e minha mãe, uma senhora digna de serchamada senhora do lar que faleceu 1 ano e sete meses após sofrer um aneurisma. Quando eu tinha cinco anos de idade, fomos morar na Fazenda Vereda, onde estudei até o 1º ano do ensinofundamental dos anos iniciais. Trabalhei plantando milho e feijão para me sustentar, pois a minha família era muito pobre.Todo o sofrimento que passei serviu para que eu dedicasse mais aos meus estudos, pois via neles a única maneira de vencere sair daquela vida de tristeza, solidão e poucos recursos financeiros. Durante o meu trabalho na roça tomava sol e chuva ecada gota de chuva que caia em minhas costas, a cada raio de sol que esquentava a minha cabeça e os meus ombros mefortalecia e dava forças para continuar lutando por uma vida melhor e com tudo isso jamais desanimei. Trabalhava pela manhã e estudava a tarde e para ir à escola andava mais de três quilômetros a pé, muitas vezestinha medo e corria da escola até minha casa e só tinha um pensamento EU VOU VENCER. Aos 9 anos vim para Pedra Azulcontinuar os meus estudos. Fiz o 2º, 3º e 4º anos na E. E. Cel. Pacífico Faria, onde sofri muitas discriminações por ser pobre.Não tinha condições de comprar o material escolar e os meus cadernos carregava num saco de arroz para não molharquando chovia. Minha avó, que Deus a Tenha, comprava dois cadernos brochurões para passar o ano, escrevia com letrasminúsculas para economizar as linhas com medo do caderno acabar e não ter o dinheiro para comprar outro. E a cadasofrimento, não desanimava, pois sabia que através dos meus conhecimentos e da minha sabedoria iria vencer. Tudopoderiam tirar de mim, menos a minha capacidade e a minha inteligência. Fiz o Ensino Fundamental dos anos Finais e EnsinoMédio (Técnico em Contabilidade) na E. E. Cassiano Mendes, graduação em Bilogia pela UEMG e pós graduação pela UFLA.Efetivei como professora de Biologia e Ciências na E. E. Cassiano Mendes, onde atualmente estou na FUNÇÃO DE DIRETORA.Me sinto realizada, pois faço o que gosto, convivo com pessoas que amo e trabalho com o que me realiza. Um fator marcante da minha vida foi assumir a direção da E. E. Cassiano Mendes. Fui nomeada pelo Governador nodia 07 de Abril de 2009. Sabia da minha responsabilidade perante os colegas, alunos e pais. Porém não foi difícil conquistara confiança e o apoio de todos eles, pois mostrei a eles que são tão importantes quanto eu para esta escola. A CassianoMendes, hoje não tem só UM DIRETOR, existem vários diretores, pois ninguém administra sozinho. Tenho duas excelentes vice-diretoras Flávia Pamponet e Wanda Silva da Rocha com total autonomia paraadministrar conflitos e buscar soluções. A precupação inicial frente a direção da escola era valorizar o ser humano, tanto no profissional quanto nopessoal. Fizemos um Projeto de Auto Estima para valorizar a equipe da Cassiano Mendes, como a Cassifolia, o café da manhã Escola Estadual Cassiano Mendes 23 Uma Lição de Vida
  • 23. e Lanche da tarde/noite, Sessão de Cinema para professores/alunos, o Dia do administrativo, Cerimonial para o AlunoDestaque/Incentivo. Módulo II no Country Club, etc. Além de valorizar o pessoal, procuramos também dar mais conforto aosmembros da equipe, como reforma dos móveis da sala do professor e melhor adequação da mesma, Sala de multimeiosmais confortável e atrativa, Descentralização do Data Show e notebook para as especialistas. Buscamos recursos junto àSRE de Almenara para adequar a Biblioteca, tornando-a mais confortável e visitada. Comandamos a Licitação para construção da Quadra Poliesportiva e continuação da Reforma da escola. Conseguimos junto ao NTE de Almenara e MEC mais 17 computadores com tela de LCD, uma impressora a laser erecursos para montagem da sala de informática junto a SEE de Minas Gerais. Colocamos, com recursos próprios, cortinas nos banheiros dos alunos, na sala de multimeios e informática,grades nos basculhantes da secretaria, sala de informática e supervisão, fechadura eletrônica na porta de entrada,fechamento de pia para a cozinha, geladeira para a sala do professor. Conseguimos também verba para comprar mesas degranito e bancos de madeira para o refeitório dos alunos, utensílios para cozinha, mobiliário para a sala de informática,incluindo armários e TV de LCD. Mudamos o arquivo inativo para a antiga sala da supervisão, tornando-o confortável, com aquisição de maisarquivos, facilitando assim o trabalho da secretaria. Montamos um projeto para eleger o Garoto e Garota Cassiano Mendes,cujo objetivo é ter, oficialmente um representante dos alunos desta escola. Apoiamos e incentivamos o Festival de Dança, que é uma atividade extra que eleva a auto estima dos alunos,além de proporcionar lazer aos mesmos. Mandamos um projeto de Radioteca para a Assembléia, aos cuidados de umDeputado, que foi aprovado e os nossos alunos vão usufruir, em breve, dos seus recuros pedagógicos. Hoje me sinto uma pessoa feliz e realizada profissionalmente. Procuro fazer o melhor pela escola, pelos meuscolegas e alunos. Tudo que faço, penso sempre em primeiro lugar que sou professora, defendo e valorizo a minha classe. Emmomento algum sinto melhor que eles, apenas sou um guia do grupo e para isso, preciso dar exemplo nas atitudes e nocomportamento. Tenho o apoio da maioria e por isso a atual gestão é um sucesso, porque administra com o grupo e nãopara o grupo. Quando retornar à regência de aula, voltarei de cabeça erguida com a sensação do dever cumprido na função dediretora, sem ter vergonha dos meus colegas por ter sido superior a eles. Pelo contrário sou uma colega deles e é por elesque procuro fazer desta escola um lugar melhor para se ensinar e aprender. Quanto aos alunos são parceiros da gestão. Élógico que não se consegue a totalidade da adesão, mas se tem a maioria, já é gradificante. Para ser bom não precisaagradar a todos, precisa-se fazer o melhor para todos. A minha maior preocupação é ter um grupo satisfeito e valorizado, pois se o seu pessoal vai bem você está beme se seu pessoal vai mal as coisas caminham com uma certa dificuldade. O segredo de uma boa administração é trabalhar a auto estima dos membros da equipe e é o que procuro fazer.Trabalhar com pessoas que se sentem valorizadas, para que possam me ajudar a alcançar os objetivos da escola, que éformar cidadãos críticos e capazes de enfrentar o mercado de trabalho com dedicação e profissionalismo, sempre embusca da excelência. Escola Estadual Cassiano Mendes 24 Uma Lição de Vida
  • 24. FRAGMENTOS DO SABERA Arte de aprender é uma missão complexa.Nobre Geografia que a história explica,Uma Química entre a Biologia e a Física.Rima enigmática, Inglês com informática!Matemática, verso exato, numérica poesia,Sociologia, traços humanos, sã Filosofia...Educação Religiosa ou Física, marca que fica,Professor, sábio poeta, riacho de cultura,Cassiano Mendes, árvore do conhecimento,Português, pai das línguas, mãe, LiteraturaE a árvore contínua: folhas, flores e frutos. Juarez F. Freitas/ex-aluno da Cassiano Mendes LEMBRANÇAS... Hoje, as lembranças me caem com uma leveza saudosa de passado bem presente. A ida para a escola, a cabulação das aulas, o respeito aos professores, a caneta tinteiro, as letras desenhadas, a matéria copiada, o fazer, o querer, o construir. Os desfiles com banda, baliza, carros alegóricos, saia pregueada (engomada e bem passada), que prazer em participar! Porta-bandeira? Era um luxo ser escolhida. Até separar pelotão dava prazer. Os valores permanecem. O fazer precisa de incentivo, de trabalho, de doação. O querer preciso de tempo, espaço, experiência. E tudo... tudo... precisa de amor. Rachel Lima Andrade /Professora de Língua Portuguesa Escola Estadual Cassiano Mendes 25 Uma Lição de Vida
  • 25. BREVE HISTÓRIA DE MINHA VIDA PROFISSIONAL Professora: Elzina/ Maria Duarte Santos “São tantas histórias”!... Ingressei na educação em 1979, como professora de Educação Religiosa, na E.E. Carlos Américo. Fiquei muitolisonjeada por ter sido convidada pela querida e ex- diretora Edinalva Rabelo, com quem aprendi muito, para trabalharnaquele educandário. Como me sentia honrada e feliz em conviver com aquelas crianças que valorizavam tanto as lindashistórias sobre Deus e o desenvolvimento das virtudes, que eram repassadas por nós com muito entusiasmo! Nos anos 80, tive a bendita oportunidade de continuar na educação, na E. E. Justino Ruas na direção da Sra. MarinaFigueiredo. Ali desenvolvi o trabalho como alfabetizadora, juntamente com Rosa Faustino ( in memória), Vanda , Lourdes damesma família e tantas outras... Nessa época o trabalho era de dedicação exclusiva, palavra tão mencionada hoje e quefuncionava efetivamente na educação nesse período histórico. Não medíamos esforços para elaborar planos de aula,ornamentar, confeccionar lembrancinhas para nossas crianças, em épocas apropriadas. E nem motivos e tempo faltavampara as salas de aula ficarem enfeitadas de acordo com as datas e conteúdo trabalhados. Como era gratificante chegar aofinal do ano letivo com noventa por cento de aprovação e de conhecimento naquela série. E mais ainda, crianças lendo emcoro e em voz alta como “tagarelas”! Sendo que, no recinto da sala de aula era Deus e o professor que desenvolviam otrabalho com educandos, desprovidos de qualquer bem material. Porém, a vontade de aprender e o desejo de ensinar entreprofessor e aluno superavam as barreiras. Vale mencionar que as autoridades competentes exigiam muito do professoratingir as metas estabelecidas. Quantas sementes semeadas no terreno fértil da mente daqueles pequeninos! E quantasfrutos colhidos do trabalho que regado com esforços, desprendimento e amor, foram colhidos em etapa tão importante daminha vida profissional! Pois bem, como sempre a vida nos reserva surpresas inevitáveis e tudo tem o seu tempo e a razão de ser, eis agrande novidade na minha carreira profissional: dar continuidade na educação na zona rural. E foi na E. E. Corcovado, sendoque a fazenda era de propriedade do Sr. Alberto Mendes, que em 1982, dei prosseguimento ao trabalho. Quando chegou aminha vez, que por forças de circunstâncias, teria que me posicionar, enfrentar as dificuldades pessoais, principalmente,dos dois filhos ainda pequeninos: Wilker e Hudson. Decididamente, junto com a querida colega Adilsa, fomos passar pornovas experiências e desafios que a vida profissional nos proporcionou. É inesquecível e não poderia deixar de mencionarnossas experiências em sala de aula multiseriada, o sinal nos intervalos que eram com o almofariz de pisar tempero, osbolos que fazíamos para as crianças eram levados no caminhão do leite do Sr. Carlito “Feijão”. Após os auditórios fazíamoso grande forró e todos dançavam; aos sábados e domingos, em que lá permanecíamos, visitas aos pais que necessitavam deesclarecimentos sobra a vida escolar do seu filho, eram feitas; do Sr Alberto Mendes que autorizava o fornecimento do leitefartamente para as professoras, assim dizia ele, dos cestos de verduras e frutas doado pelos pais, da lenha que juntávamoscom a serviçal Maria José para cozinhar a deliciosa merenda,do carro da saúde que chegava para vacinar as crianças emuitas delas pegávamos no mato, inclusive meu filho Wilker, das crianças que íamos buscar tomando banho no Rio dos Patosna hora do intervalo, dos escorpiões que colecionávamos vindos do assoalho da casa e eram levados para a Sra. InspetoraElisa de Morais...São tantas lembranças! E o mais admirável: a vontade e os esforços de aprender e ensinar entre alunos eprofessoras.É impossível esquecer de um trabalho tão grandioso para nosso aprendizado! Como já estava preparando-me para galgar a estabilidade profissional, assim aconteceu em 1984, a aprovação noprimeiro concurso a nível estadual, de primeira a quarta série e que foi na E. E. Ana Faria que dei prosseguimento aotrabalho realizado com luta e dedicação juntamente com as companheiras de muito compromisso como Cândida, Sandra,Nilza... Tantas noites, sábados e feriados elaborando planos de aula, matrizes, cartazes que contribuíram para aaprendizagem e resultados com índices elevados de aprovação ao final do ano letivo dos alunos. Novos anseios e expectativas desabrochavam na questão da busca do conhecimento. Ao mesmo tempo que adedicação era exclusiva na educação, havia necessidade em galgar patamares mais elevados na profissão.As informaçõesdo mundo globalizado chegavam lentamente em nossa cidade. O professor via que era necessário fazer um curso superior.Foi aí que em 1985, ingressei na Extensão da PUC- Almenara, para fazer a graduação em Estudos Sociais e, posteriormente aespecialização em História. Inúmeras foram as dificuldades ao longo dos seis anos. Porém, a compensação foi maior ainda,pois os horizontes se abriram tanto na questão do conhecimento, como ao nível profissional. Novos concursos e mudanças Escola Estadual Cassiano Mendes 26 Uma Lição de Vida
  • 26. de nível contribuíram para que eu desse continuidade á carreira como professora nas Escolas Deputado João de Almeida eCassiano Mendes. Vale ressaltar que em 1994, num período de intensa transição na minha vida tanto profissional como pessoal, entretempos e contratempos na administração da Sra. Neldira Edni, assumi um novo cargo na E. E. Estadual Cassiano Mendes quecontinua até os dias atuais, de grande valia a troca de experiências com colegas de diferentes áreas. Na época, trabalheicom educandos que problematizavam muito as questões tratadas em sala de aula. Eram críticos, reflexivos, por isso, oprofessor também era pesquisador e preparava suas aulas com firmeza e dedicação, pois transmitia o conhecimento paraalunos que preparavam-se para vencer as dificuldades e serem aprovados em vestibulares, concursos.Sendo assim, umagrande maioria dos estudantes da Cassiano Mendes, concluíam o Ensino Médio, com uma visão globalizante na questão doconhecimento.Era um trabalho prazeroso, pois éramos impulsionados pelos próprios educandos. Faziam questão que asaulas fossem bem ministradas. Eis o grande motivo de sentir-me realizada como professora, pois a educação era dequalidade e havia respeito mútuo. Felizes os profissionais que tiveram a oportunidade de incentivar e ser incentivados parainteragir o conhecimento com turmas que são inesquecíveis com a de Wanda, de Daniela Gad..., que através de dedicação eesforços estão ocupando cargos de responsabilidade na sociedade. Wanda hoje, vice-diretora e Daniela Gad, supervisora. Vale mencionar também, os ganhos e experiências adquiridas com a equipe de trabalho desse período, como: ElzaGomes, Elizabete, Eva Ozana, Braulina, Dagmar, Obed, João Marcos, Hilário, Cíntia Cerqueira, Fátima, Margaret Alvim, Ribanaque trabalhavam incessantemente para atingir os objetivos propostos e por prazer. Meus agradecimentos a todos oscolegas que não trabalhavam diretamente com eles, mas as trocas de experiências, a boa convivência motivou- me para queeu fizesse essa longa caminhada, mesmo tendo que pisar em alguns espinhos. Mas, tudo é aprendizado que contribui paranosso crescimento. Atualmente estamos passando por momento de transição na educação e vivenciando a era das novas tecnologias.Portanto, é natural que haja tensões entre a globalização e as diversidades dentro da própria escola. Percebemos que asinformações chegam de forma acelerada e toda a veiculação da mídia traz conseqüências que refletem na educação.Portanto, é necessário que nós educadores, juntamente com os setores competentes, reflitamos com relação a nossapostura frente aos desafios que muitas vezes nos causa indagações e inquietações com relação a desestrutura naeducação. Mas é importante mantermos firmes em nossas atitudes como educadores. Lembremos o que propôs e muitopraticou o inesquecível Paulo Freire, pernambucano, professor e coordenador em diversas áreas educacionais: ”Se aeducação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda.” Entretanto, seu ardente trabalho esuas idéias renovadoras ainda assim, incomodou a ordem vigente em 1964, os militares. Se a história se repete, e o inesperado acontece, imagine na educação em que o espírito de luta é inerente amuitos educadores que não desanimam jamais! Felizes os companheiros que persistem na luta acreditando na suasemeadura e nos frutos que com certeza vigorarão. Pensando nessa ótica, mais uma reflexão é necessária para o nossofortalecimento como educador: “Deus nos concede a cada dia uma página de vida nova no livro do tempo, o que escrevemosnela é por nossa conta. Vamos em frente companheiros! Shakespeare, tido como maior escritor do idioma inglês e que permanece “vivo”nos dias atuais através do teatro, cinema, televisão, nos deixou seu legado: “Ninguém é tão grande que não possa aprender,nem tão pequeno que não possa ensinar.” Meus agradecimentos a todos os colegas e os diversos setores desse educandário, que cultivaram a paciênciapara si mesmo e para comigo. Que o Mestre Jesus nos fortaleça e continue com todos em sua caminhada. Fonte: SANTOS, Elzina Maria Duarte. História: Breve Abordagem de Carreira Profissional. Pedra Azul, 2010. LAÇOS INQUEBRÁVEIS Indiara Ribeiro da Silva/Professora de Química e Matemática O que passo a relatar neste momento, para alguns, talvez possa parecer um desabafo um tanto melancólico; paraoutros uma forma de justificar a decadência do ensino médio, que de forma geral, é descaradamente mascarado por umsistema que criticamos negativamente. Entretanto, apesar das falhas, nós professores somos parte real e indispensável,modéstia à parte! Digo isso por que sou professora e me orgulho do que sou. Escola Estadual Cassiano Mendes 27 Uma Lição de Vida
  • 27. Às vezes ouço colegas dizerem que são professores por falta de opção, e dizem que “são bons no que fazem”, quea escola necessita deles e que sem os mesmos ela não funcionaria, que hoje em dia o sistema remunera tão mal o professorque não há mais quem se interesse em sonhar com tal profissão; outros dizem que até sonharam, mas com a falta de limitese o descaso geral com que é tratada a educação, desistiram do seu sonho. Observo que apesar de termos vivido tudo isso, de fazermos tudo que fazemos, não produzimos tanto quantodesejamos. Cresce um pavor que nos deixa estagnados, sem entendermos onde está a falha, de gerarmos dezenas de planospara transformar a sociedade e assistir esses planos serem abortados por uma sociedade viciada no consumismo do tudopronto; poucos se interessam em absorver o que aprendemos ao longo de tantos anos. Ao vendermos nosso “peixe” para o mercado juvenil, disputamos espaço com toda parafernália tecnológica que omundo globalizado original e pirata, conquistou e viciou-os de tal forma que parecemos invisíveis. Não nego que toda esta situação assusta, surge o desejo de fugir, mas ser professor ainda é criar cidadãoscríticos e pensantes, e que passar pela nossa quarentona “Cassiano Mendes”, de alguma forma ainda transforma essasnovas e informatizadas cabecinhas, cheias de sonhos e chips, letras e sons que os fazem complexos e encantadores comoos jovens sempre o são. Por tudo isso, acredito que os laços entre esta Quarentona e nossa comunidade, se tornaram inquebráveis, e porlidar com jovens, cresce a esperança de ainda estarmos convivendo com campeões, pessoas que se adaptarão à sociedade,e não simplesmente criaturas fadadas à extinção. MINHA VIDA, MINHA HISTÓRIA EM PEDRA AZUL. Joana Orquídea Maranhão Oliveira/ professora de Química Sou Joana Orquídea Maranhão Oliveira, natural de Barbalha-Ceará, filha de José Dionísio Maranhão e MariaStella Maranhão, a caçula de quatro irmãos: Rosa Maria, Hortência Maria, Maria Lírio e Gerânio, formamos assim, um jardimna nossa casa, por ser “mainha” uma grande admiradora das Flores. Sai da minha terra natal e fui estudar na cidade de Recife-Pernambuco, onde terminei o ensino médio e ingresseina Universidade Federal Rural de Pernambuco no curso de Engenharia Agronômica e também na Universidade Católica dePernambuco no curso de Serviço Social. Ao chegar em Recife logo conheci o Sérgio Oliveira Santos, natural de Pedra Azul,que ali morava a trabalho. Depois de anos de conhecimento tornou-se meu marido no dia 19/12/1992. Por circunstâncias detrabalho, o meu marido então decidiu regressar a Pedra Azul sua terra natal, o que de muito bom grado acatei, por já terconhecido aqui anos antes e tornado Pedra Azul minha “princesinha do Sertão Mineiro”. Com as idas e vindas, abracei e senti-me abraçada pelo calor dos braços pedrazulense. No dia 08 de março de 1993, dia em que se comemora o “Dia Internacional da Mulher”, ingressei à lista deprofessores (família) da E. E. Cassiano Mendes, data que tornou para mim um marco primordial, pois naquela ocasião meencontrava muito saudosista, uma vez que estava a muitos quilômetros de distância da minha família, fui acolhida combraços abertos por toda a equipe de servidores e também de alunos, que nos momento de saudade, ajudaram-me,transformando aquela angústia em amparo, benevolência, carinho e afeto com que todos me tratavam. No ano de 1996 ingressei na Universidade Estadual de Minas Gerias(UEMG) no curso de Química, cuja conclusãodeu-se no ano 2000. No ano seguinte concluí o curso de Pós-graduação pela Universidade Federal de Lavras - MG. Para tornar meu laço ainda mais forte com esta terra querida, no dia 08/08/1996 nasceu meu primeiro filho:Pedro Zeca Maranhão Oliveira, nesta ocasião de fato tornei o meu sangue pedrazulense, pois com a maternidade vislumbreia grande razão de viver ligada a outra VIDA. No período de 2003 a 2007 assumi a vice direção deste educandário ao lado do diretor Sr. Tomás de AquinoRodrigues Silva, experiência nova e construtiva para o meu lado profissional e pessoal, período no qual outra vitóriaaconteceu na minha vida: dia 08/11/2005, o nascimento da minha segunda filha: Fhadua Stella Maranhão Oliveira. Hoje ao longo dessa jornada pedrazulense, profissional e familiar, alavanquei minha nova história de vida e mealegro com a colheita próspera e feliz, graças a todos que me acolheram, meus colegas de trabalho e também os meusqueridos alunos. Escola Estadual Cassiano Mendes 28 Uma Lição de Vida
  • 28. A GLOBALIZAÇÃO E SEUS EFEITOS EM NOSSOS ALUNOS Manuelane Xavier de Almeida/professora de Geografia A globalização uniformizou o gosto dos jovens em todo o mundo. Eles gostam das mesmas músicas, filmes,roupas... Temos a valorização do consumismo, que leva a tantas atrocidades praticadas por jovens – quando não se tem oque se deseja: rouba-se! É papel do professor debater o atual processo de globalização e os bombardeios da mídia que contribuem para aalienação cultural que acaba moldando a visão dos jovens sobre o mundo. Visão essa, deturpada e isenta de valores éticos emorais, visão fundada apenas no ter e na aparência das coisas – o consumismo. Devem-se mostrar as portas que levam a outras possibilidades, aguçar os sentidos para se entender a naturezahumana, conduzir à comparação de imagens e dos valores dominantes com a realidade do próprio aluno, para que o mesmoreflita sobre seus próprios valores, desejos e experiências de forma perceptiva e crítica. Eis um dos nossos desafios, entre outros tantos que se apresentam diante de nós. PROFESSOR - ESTE ETERNO APRENDIZ Mércia Pereira de Morais/Professora de Língua Portuguesa A escola hoje não é mais transmissora de todo o “conhecimento”, o professor não mais ensina, ele é umincentivador e orientador na busca de informações que devem servir como base para a construção do conhecimento, ondeos saberes não são mais estáticos, e sim dinâmicos. Nesta realidade, há um desafio, o qual venho tentando superar. Acredito-me uma professora aprendiz, pois hoje em dia os professores aprendem juntamente com os alunos. E issonão diminui o valor do professor, muito pelo contrário, temos aí uma grande tarefa, pois além de dominarmos os saberes(disciplinares) e as competências pedagógicas, trocamos experiências com os colegas, para produzir e reformularconceitos, mudar a forma de ensinar. Esta sou eu, professora-aprendiz, aprendendo a construir novas competências deincentivadora da aprendizagem, incentivando o intercâmbio de saberes, através do uso de novas tecnologias e não apenasdecorando regras. Estrategicamente venho mudando minha forma de ensinar, porque o momento exige que estejamos emconstante renovação. As mudanças nem sempre são bem vindas, mas elas já se fazem urgentes e imprescindíveis para obom funcionamento do ensino e para facilitar o relacionamento professor-aluno. Sei também que algumas mudançasafetarão o aluno e que nem sempre conseguimos alcançar o nosso objetivo. E não podemos esquecer que às vezes asmudanças têm de partir de vários lados: do professor, do aluno, da escola, da família e da sociedade. Penso que a educação pode e deve melhorar, mas precisamos começar a sair da posição de vítimas para a posiçãode chefes de nossas carreiras e fazer ser uma carreira de fato. Precisamos pensar mais pra frente, ir mais longe, nosimpor energicamente, precisamos ser autoridade (lembrando da grande diferença entre ser autoridade e ser autoritário). Gosto muito dos meus alunos e sinto-me responsável por eles. Eu sou encantada pela profissão, porque sintonecessidade de estar perto dos alunos e penso o tempo todo em melhorar a maneira de atender as suas necessidades. Aexperiência profissional e a humildade são importantes para implantar mudanças. Sinto-me feliz por estar exercendo aprofissão. Escola Estadual Cassiano Mendes 29 Uma Lição de Vida
  • 29. REMINISCÊNCIAS DE UM PROFISSIONAL Margareth Lima Alvim Silêncio. A noite já ia alta quando resolvi me deitar. Passei pela ponta do meu escritório, entrei e remexi em algunslivros e pastas dispostos na estante. Abri um aleatoriamente, e deparei com esta citação de Chico Xavier: “Sem o alfabeto anoitece o espírito Sem o livro, falece a cultura.” O mundo sem educador será um fiasco - pessoas agindo como irracionais, presas, alheias à voz da consciência. Peguei uma outra pasta antiga, encontrando ali papéis que demonstravam a minha participação em cursos deaperfeiçoamento. Que saudade daquele tempo... lembrei-me da primeira vez que entrei em uma sala-de-aula. Jovens ativos,questionadores, desejando saber quem era a nova professora. Pronto, tinha dado o primeiro passo de uma longa caminhada na Educação. Fui professora de Geografia (só um ano), inglês, literatura e português. Passei muitos finais semana e muitasmadrugadas, elaborando textos, preparando aulas e procurando um jeito agradável e diferente de ensinar. Sempre fiz issocom muito amor. Trabalhei nas escolas “Deputado João de Almeida”, “Dr. Clemente Faria” e “Cassiano Mendes”, onde passei bonsmomentos. O Padre Vieira disse, num dos seus sermões: “Tudo cura o tempo, tudo acaba, tudo desgasta. Ele corrói a colunasde mármore, quanto mais a corações de cera”, mas o tempo deu-me uma mão, consolidando as grandes amizades que fizem todos os lugares onde trabalhei. Laços fortes foram criados, que mesmo o tempo, com uma sabedoria intocável, terádificuldades em desatar. Depois de muitos anos de regência, fui convidada, por Edinha, para fazer parte do quadro administrativo da escola,como vice-diretora. Com ela, aprendi a ponderar os meus atos e analisar cuidadosamente as palavras. Por ela tenhorespeito de uma mãe e carinho de uma filha. Faziam parte dessa equipe: Eva Ozana, amiga para todas as horas, ágil e muitointeligente; também a nossa pequena Dagmar, que sempre me mostrou um gigante trabalho. Voltei a ser vice-diretora por mais duas vezes: uma onde conheci mais de perto a amiga Flávia Pamponet, que tempoder de conquistar a todos com seu jeito calmo e doce; e na gestão de Amélia, na E. M. “Dr. Clemente Faria”. O quadro de professores, com o qual tive o prazer de trabalhar na “Cassiano Mendes” era fantástico. Impossívelcitar todos os nomes que me ajudaram a crescer, como pessoa e como profissional. Muito obrigada aos colegassupervisores, professores, aos meus serviçais e ao pessoal da secretaria. Tenham certeza que a marca que deixaram emminha vida é profundíssima. Hoje, encontro-me aposentada, com a real certeza de que cumpri meu papel como educadora. E, no silêncio danoite em meu escritório, e objetos que me remetem a um passado de momentos inesquecíveis, guardo em um canto damemória a história que um dia construí. Depois de todos esses anos de compromisso com a educação, posso dizer com firmeza: Escola “Cassiano Mendes”,eu ajudei a construir sua história. EU E CASSIANO MENDES Romaria Clemência Ferraz Porto/ Professora de Português Falar de Cassiano é uma honra, pois o nosso romance começou na pré-adolescência. Sou professora do 1º e 2ºgraus, comecei minha vida profissional muito cedo, mas na área da educação em 1987. Com dificuldade fiz o curso demagistério, curso profissionalizante, o qual dava oportunidade para começar uma carreira na educação. Mais tarde, em1992 ingressei no curso de letras. Trabalhei muito tempo como contratada, em 2001 prestei concurso público na área da educação para professor etomei posse em um cargo. Sinto-me realizada profissionalmente, pois gosto daquilo que faço. Sou mãe de dois filhos, pelos quais luto para dar uma vida digna. Escola Estadual Cassiano Mendes 30 Uma Lição de Vida
  • 30. Já levantei às 5h para lecionar em uma escola que fica a 27 km de distância de minha casa, voltando às 15h, paracontinuar minha tarefa na “Cassiano”, mas vale a pena, minha carreira tem suas vantagens. Como estudante minha vida não foi fácil, os primeiros anos escolares estudei no município de Almenara, onde tinhaque levantar às 5h da manha para chegar à escola às 7h, pois era muito longe, tinha que ir a pé e eu era muito pequena.Depois mudei para a cidade, para terminar o primário. Fui matriculada na Escola Estadual Pacifico Faria, pertinho de minhacasa, com dez minutinhos chegava lá, e a minha professora era Elza Gomes, ótima professora, exigente, dedicada, queria omelhor para seus alunos, pela qual tenho grande admiração por ter sido minha professora e hoje minha colega de profissão,em quem tenho me espelhado, e sempre vou considerá-la minha querida professora. Fiz o 2º grau na Cassiano, escola de renome, sinto-me orgulhosa por fazer parte do quadro de funcionários. Tive excelentes professores, exigentes - D. Edinha e Ana Angélica com seus Fundamentos I e II sempre a nosexortar, Dagmar com Didática para tudo se normalizar, D. Letícia com seu Português Geral e Instrumental que nos ensinavaa caminhar mesmo com uma “Pedra no Caminho”, dizendo que nada podia nos atrapalhar na longa caminhada..., D. Nilde comsuas parábolas matemáticas dizendo: Leoa, precisa raciocinar... E outros... E outros... E Max com toda a sua “Moral... eCívica”, Hilário e seus Slides, com sua tese contra o aborto, mostrando que a “Vida é Bela” e que Deus nos conhece aindainformes dentro do ventre de nossa mãe... Eva com o seu Português mostrando que o “imperfeito” há, mas que não podemosesquecer que o “Perfeito” e o “Mais Que Perfeito” sempre vencerão, saber que o “Presente” é bom graças ao “Passado”, eque o “Futuro” será melhor porque o “Presente” soubemos usar. Margareth (Margô) com sua literatura e suas cantigas deAmor, D. Nice Ferraz com seu “Imperialismo” desbravando sua Historia Geral, Seu Alaor com a Linha do Equador, suas águasvertentes, latitudes e longitudes e o meridional de Greenwich. São pessoas que estão na memória que fizeram e fazem parte do corpo docente da “Cassiano” para nos atender.Porque não se lembrar do Sr. João Boa “quinze para as três” que despistadamente nos deixava sair escondidinhos para osnamoricos, D. Lenira com seu carimbo vermelho na cadernetinha de bolso nos punindo de uma forma carinhosa paraadquirirmos um futuro de sucesso, D. Eliza e Piaget, defensores do corpo discente “O professor não ensina, mas arranjamodos de a própria criança descobrir. Cria situações-problemas”, assim ela citava Piaget. Eu e Cassiano temos uma historia de amor muito bonita, apaixonei-me pelo cara assim que o vi, creio que só voudeixá-lo quando me aposentar, não está longe , dentro de quatro anos chego lá, não dá para contar todo nosso romance, seeu contar você vai chorar... Aqui na Cassiano aprendi valorizar tudo: a vida, as pessoas, e acima de tudo a mim mesma, aprendi valorizar as pessoas não pelo que têm, mas pelo que elas são. A vida me ensinou que vale muito mais um amigo de que um bolso cheio de vintém, e em toda a minha caminhada tinha alguém a me auxiliar, um Deus forte que não me deixa fraquejar. Na Cassiano ninguém fica a brincar, todos que aqui chegam têm uma lição e tarefa a realizar, seja criança, adolescente, jovem, estudante, professor, diretor, supervisor, secretário, serviçal, bibliotecário suas responsabilidades tem que efetuar, porque “Cassiano” tem amor e serviço para dá. Estudar ainda é o caminho que todos devem passar, mesmo com grandes ou pequenos obstáculos, e “Cassiano” aqui está com os braços abertos para ensinar. Faço parte de sua história e quero que você também venha participar, vem para a “Cassiano”, vem! Um novo ser você será... Romaria Clemência Ferraz Porto Escola Estadual Cassiano Mendes 31 Uma Lição de Vida
  • 31. DIÁRIO DE UMA PROFESSORA Obed Rodrigues de Souza / professora de Inglês Nasci em P. Azul em 24 de abril de 1965. Minha mãe, Dª. Elisbéria Pereira de Souza, (D. Bela) foi professora rural. Cresci ouvindo histórias dos eventos querealizava na Fazenda Carneiros. Sr. Netércio de Almeida, Dª. Leda, Dr. Gamaliel, Dr. Reynaldo, Dª. Helena Antipoff, foramnomes que ouvi, com freqüência, durante minha infância e adolescência. Nossa casa era humilde, mas minha mãe sepreocupava em garantir-nos uma educação formal. Havia livros nas gavetas e nos cantos da casa. Constantemente elafalava com tristeza dos filhos que não gostavam de estudar. Era minha professora de catecismo, aos 8 anos eu já lia a Bíblia. Estudei na E. E. Pacífico Faria nos anos 70. Jamais esquecerei a paciência de “Dª Lila”, na 2ª. série ao ensinar-mematemática. Ela me levava para sua casa após as aulas, e na cozinha, colocava feijões sobre a mesa para que eu aprendessea dividir. “Seu Anibal”, pai de Dª. “Lila”, costumava aparecer na cozinha e ela dizia: - Pai, essa menina é boa aluna, ótima em Português, mas não aprende dividir... Mais do que a lição de matemática, ficou o gesto, a sublimidade daqueles momentos feitos eternos na minhamemória. Eu não sentia vergonha com “Dª. Lila”, por não saber matemática, sentia sim, o apoio, o carinho encontrado.Outros professores me intimidavam, ela não. E olha que ela era enérgica! Na década de 70 minha ídola era Eva Wilma, fiquei fascinada com a novela “Mulheres de Areia”. Eu e Vaneideassistíamos às novelas, à noite, para representá-las durante o dia. Debaixo do pé de manga da casa de Dª. Anieta, noTimbiras, dançávamos como se fôssemos as chacretes. As árvores eram nossos aviões, com os quais viajamos, nas asas daimaginação para outros países. Eu tinha um caderninho onde escrevia minhas próprias novelas... Tudo secreto, meu mundoparticular, povoado de fantasia. Ajudava-me a enfrentar os anseios da pré-adolescência. Brincávamos de teatro na garagem da minha casa. Cobrávamos ingresso e com o dinheiro comprávamos “quebra-queixo”, “zorro”, “Maria mole”. Chocolates eram muito escassos naquela época... e caros. Fui alfabetizada com o livrinho de Dª. Leda. Lembro-me que minha irmã, Zelda tomava a leitura, para ver comoestava meu progresso: “... Eu sou Laurinha, eu sou Rachel...”. Matemática sempre foi meu “problema”, gostava de memorizar a tabuada em cima de uma pedra em frente àminha casa, no Timbiras , era mais agradável. Tínhamos muito medo de D. Rosalina, a diretora da Pacífico Faria. Aura Veloso, na 4ª. série, ria de minhasredações, quando eu falava que queria ser atriz. Era cúmplice dos meus sonhos, não debochava, achava graça e semprefalava que eu escrevia muito bem. Um dia, abri uma cômoda velha, e me deparei com um caderno velho de Inglês, de minha irmã Eva. Eu ficavaolhando para aquilo, tentando decifrar. Foi algo inexplicável. Ela já estudava na “Cassiano” com o livro “English for BrazilianStudents”, que eu folheava, sem entender, cujo autor, Vicente Andrade, mais tarde, em 94 seria meu professor, naespecialização em Língua Inglesa pela PUC. Ingressei na Cassiano Mendes em 76. Só havia o andar térreo. As salas bem cheias. Não me esqueço da primeiravez em que Ariovaldo Barbosa de Oliveira, “Café” escreveu o “Verbo To Be” no quadro da sala, sua letra não era muitobonita, mas mesmo assim me apaixonei pelo Inglês desde os primeiros instantes. D. Elisa mandava que olhássemos para ajanela do lado de fora e percebêssemos as folhas que caiam e o vento que soprava. Ela disse: “Na natureza nada se cria,nada se perde, tudo se transforma, assim disse Lavoisier”. Lembro-me de D. Nice que desenhou no quadro um retângulo e dentro dele uma bola, explicando que o SenhorFeudal era a bolinha pequena, e o rei o retângulo enorme... Já no segundo grau, D. Letícia, ao introduzir o Romantismo escreveu bem grande no quadro, com letras garrafais,“1836 – início do Romantismo no Brasil.” O segundo grau, em minha época, passava por muitas dificuldades, pois não havia professores habilitados para aárea de exatas. Paulo Davi lecionou alguns meses Física, Jalvanice, hoje médica em Itaobim deu algumas aulas de biologia equímica. Só no terceiro ano, “Elizinha” começou lecionar Física e Química. Ramon de Lucena Ramos era professor de Contabilidade e Francisco Carlos dos Reis (Quinho), de TécnicasComerciais. Hermano de Souza Figueiredo também foi nosso professor. Eram todos nossos amigos, lembro-me deles mais Escola Estadual Cassiano Mendes 32 Uma Lição de Vida
  • 32. como amigos do que como professores. Era costume alguns saírem para os barzinhos com os professores. Não haviaexageros. Eram amigos-professores, havia uma linha tênue mas respeitosa, a qual não ultrapassávamos. Sabíamos os“pode” e “não podes”, sem que ninguém impusesse nada. D. Nilde me marcou profundamente, com ela aprendi matemática financeira, juros, porcentagem... Como se deuesse milagre? Antes de iniciar a aula, ela conversava muito sobre outros assuntos, sobre política, ciência, a sociedade e omundo; isso tirava um pouco minha insegurança para com a matéria. É claro que as contas eu fazia com a calculadora...(risos). Sr. Castor, pai de Amelinha nos marcou no 3º. Ano, pela cultura, pela elegância de seus ternos, que só espelhavamaquilo que já era belo dentro de sua própria alma. Ele era uma fonte da qual bebemos, nossa sala gostava de quem era culto,que tinha histórias para contar, associando com o conhecimento de mundo. Marilene Pereira Ramos, sobrinha de Alírio, professora de matemática marcou-me pelo carisma e atenção. Elasabia que eu não entendia matemática, mas me apoiava, não me criticava. Hermano Figueiredo e seu “ábaco”, com aquele “ jeitão truculento”, nos punha medo... Mas todo mundo era amigo...o amor estava lá, invisível, regando nossos corações como orvalho, demonstrado em atitudes de respeito. Lembro-me de “D. Tita” e seus “beijus” de coco, as “ puxas”, os “ quebra-queixos”, a cantina da escola era bemescassa. Não havia merenda todos os dias. Assim, terminei o curso Técnico em Contabilidade, em 1983. Fui para Valadares, onde estudei “Letras” e voltei em1989, já como professora. Comecei com D.Nilde, passei por Ana Angélica, Hilário, Neldira, Letícia, Eva, Tomás e Ana Lúcia. . Falar da Cassiano Mendes é trazer à memória meus ex-alunos, ex-professores, e colegas. É minha vida. Agradeçoa Deus todos os dias por tudo que passei aqui. Se eu pudesse acrescentar mais uma bem aventurança, diria “Bemaventurados os que trabalham por prazer.” D. Nilde me aceitou de braços abertos. Naquela época fins dos anos 80, início dos anos 90 Edinha e Dagmar jáocupavam lugar de destaque na escola. Por elas passavam os problemas da escola. Edinha/Dagmar, dupla dinâmica que pormuito tempo geriram os problemas pedagógicos da escola, são figuras emblemáticas de uma década significativa naCassiano Mendes. Neldira / D. Edinha, era movida pela paixão, eu me identifico muito com ela nesse sentido. É exemplo de coragempara mim, sempre sonhou, apesar das dificuldades. Letícia enfrentou um período muito difícil, pois a progressão e os ciclos foram implantados, sem nos preparardevidamente. Mas foi uma época de renovação das tecnologias, recebemos os primeiros computadores, a salinha de Inglêsfoi toda equipada. Letícia comprou dicionários, livros para-didáticos e vídeos de Inglês. Foi um período em que pude colocarem prática muitas técnicas áudio-visuais. Eva, Margareth e Flávia Fizeram uma administração realista, mas muito produtiva, criou-se a Associação de Pais,reativou-se o Grêmio, as primeiras feiras culturais aconteceram. A globalização já era realidade em nosso dia-a-dia, ainternet já acessível à grande parte da população de Pedra Azul. Houve a reforma da escola. O Juiz de Direito, Dr. RogérioMendes Torres sempre vinha à escola. Drª. Silvana Mendes dava assistência psicológica a alguns alunos. A comunidadeparticipava ativamente. Em 2002, quando a atual Supervisora Irismar ainda era aluna, tivemos a participação dos alunos do noturno nafeira cultural e o trabalho da professora Luciana Grezzi sobre o rio Inhaúmas foi muito relevante. A administração de Tomás foi tranquila, um período de consolidação das políticas públicas de gestõesdemocráticas. Famoso mesmo é seu aniversário dia 24/06, já tradicional na escola, onde os colegas se reúnem para“aquela descontração.“ Enfim, com Ana Lúcia, a atual diretora, a escola tem caminhado em direção ao novo. Temos trabalhado com váriosprojetos. Sua jovialidade e carisma são ingredientes necessários para conduzirem as novas gerações de estudantes. Suamaior preocupação é elevar a auto-estima, tanto de alunos como professores. Gostaria de destacar o trabalho das professoras de Educação Física, com o projeto de dança coordenado porDaniela Lima, foi lindo. Daniela Gad e Wanda seguram muito bem a onda do vespertino. A área de exatas está de parabéns,quem dera no meu tempo eu tivesse estudado por meio de projetos, tais como os de Tânia, Anier, Indiara, Orquídea,Alessandra, “Marleninha”, Maria das Neves. Após 21 anos de magistério, ou melhor, de aprendizado, vejo que estou me calando diante de situações que nãocompreendo muito bem. Não é o silêncio da omissão, mas o silêncio de quem quer ouvir atento os gritos mudos de uma Escola Estadual Cassiano Mendes 33 Uma Lição de Vida
  • 33. geração alienada pelo que têm ou pelo que não têm. Procuro me calar, enquanto minha voz interior grita forte dentro demim. Preciso refletir sobre essa nova sociedade virtual, sobre a tecnologia que tenta controlar nossa rotina diária. Precisoproteger minha identidade, preciso fortalecer minhas raízes, lá onde encontro Deus e, por conseguinte, a mim mesma. Graças aos avanços tecnológicos podemos dar aulas com mais qualidade, porém muitos de nossos alunos estão,cada vez mais distantes, acomodados e menos criativos. A internet que nos conecta a todos, também nos faz uniformes, solitários, introvertidos, limitados e, muitas vezesmeros expectadores da vida real que pulsa muito além de uma tela, onde os raios de sol não podem entrar para aquecersonhos e impulsionar descobertas. Transformar a informação em conhecimento, e as disciplinas em saberes é o nosso desafio. Humanizar a máquina,controlar o gênio tecnológico que muitas vezes tenta destruir a singeleza de um simples abraço, de um olhar carinhoso, doafago de uma mão amiga... Eis o próximo capítulo a ser escrito. A internet abriu várias “ janelas” para a informação, masfechou várias portas de acesso ao conhecimento e reflexão para muitos internautas. Sinto uma grande maioria de nossos alunos muito sós, introvertidos, sem sonhos, sufocados pela dureza da vida;outros pelas facilidades de uma vida sem regras. Conectados em rede... solitários no meio da multidão... Barcos a navegarnum oceano de informações incapazes de os conduzirem à terra firme da sabedoria e do auto-conhecimento. Antes, a ditadura das botas dos generais, afinal, segundo eles “as massas não pensam, nem sabem decidir...”; hojea ditadura do consumismo e da conformidade medíocre imposta pela mídia. Se por um momento eu tivesse algum poder, gostaria de plantar sonhos nas almas de meus alunos. Para que eles,senhores de suas decisões, fossem impulsionados ao grande mar da vida sem medo de se arriscar. E nos momentos difíceispudessem se satisfazer com a certeza de que não traíram aquilo que de mais precioso nós possuímos: nossa consciência –ingrediente que nos faz humanos, razão de todas as escolas e todo conhecimento almejado pelo homem. A vocês alunos e colegas, obrigada pela paciência para comigo. Amo todos vocês. Pedra Azul, 19 de agosto de 2010 TRAJETÓRIA PROFISSIONAL Iracy Maria Das Virgens Bispo/ Professora de Educação Religiosa e Sociologia Escolhi o magistério por vocação, gosto da relação com crianças, adolescentes e jovens. Acredito que a educaçãoe a cultura são transformadoras da sociedade. Iniciei minha carreira em 1987, na Rede Municipal de Educação de Pedra Azul, meu primeiro ano de trabalho foi noParque de Exposições, com o projeto EDUCAR alfabetizando jovens e adultos, no ano seguinte fui transferida para a EscolaMunicipal Vereador Levy Roberto, onde atuei por quatorze anos e mais um ano, na Escola Municipal Doutor Clemente Farias;durante toda essa trajetória alfabetizei treze anos, jovens e adultos só no Município. Durante esses anos participei de todosos cursos oferecidos pela Rede Municipal de Educação e Secretaria de Educação de Almenara. Nestes anos de trabalhoaprendi muito com a troca de experiências com os jovens e adultos de culturas variadas. Em 1994, ingressei na Rede Estadual de Educação, na Escola Estadual Justino Ruas, lá permaneci por três anos,com alfabetização de crianças e um ano na quarta série. Foi uma experiência totalmente diferente da que já tinha comadultos. Em 1998, atuei na Escola Estadual Pacífico Farias como professora recuperadora e na escola do município deJequitinhonha Professor Manoel Do Norte, com alunos da 3ª série do ensino fundamental. Em 1999, tive uma outraexperiência de trabalho no Município de Cachoeira de Pajeú, no povoado de Águas Altas, lá atuei na biblioteca; foi umaexperiência gratificante, apesar da dificuldade para pegar carona. Em 1999, iniciei na Escola Estadual Deputado João deAlmeida com a disciplina Educação Religiosa, outra experiência que só me enriqueceu: me identifiquei com a clientela e oconteúdo. Em 2001 e 2002, trabalhei na Escola Estadual Ana Faria, de 5ª à 8ª séries, com Educação Religiosa. Em 2000, 2002e 2004, comecei a trabalhar na Escola Estadual Cassiano Mendes, e já faz uns cinco anos que estou de volta nesta Escola,onde fui efetivada. Apesar das experiências que trouxe das outras escolas, encontrei dificuldades por me deparar com uma clienteladiferente das outras, mas isso não foi impedimento para que eu pudesse superar os obstáculos e continuar meu trabalho, Escola Estadual Cassiano Mendes 34 Uma Lição de Vida
  • 34. como sempre o fiz com perfeição, dedicação e amor. Aqui como nas outras escolas, recebi apoio, orientação dossupervisores e direção, mas percebi certa desvalorização do conteúdo que era Educação Religiosa, por parte de algunscolegas e até mesmo dos especialistas e direção. Tive que lutar muito para vencer esses obstáculos e ter vez e voz nosconselhos de classe. Com as mudanças que houve na Educação Religiosa, percebi que houve também por parte dos colegasuma maior aceitação da disciplina. Hoje não sinto mais essa desvalorização, vejo respeito, confiança, por parte dos colegasdireção, especialistas e principalmente dos alunos. A Educação Religiosa hoje, abrange não só a questão religiosa, mas sim os princípios e valores que uma sociedadeprecisa para viver bem. No momento estou trabalhando também com a disciplina Sociologia; estou amando o trabalho, principalmente porestar na Cassiano Mendes, contribuindo com a efetivação de projetos que me fazem crescer a cada instante. Nesse períodotambém concluí meus cursos superiores e pós-graduações, com os quais me sinto capacitada para desempenhar bem aminha função. Trabalhar com a Educação, me dá a possibilidade de estar com os jovens, de acompanhá-los em seus conflitos eintervir na prevenção e na resolução de problemas relacionados à nossa realidade social. Agradeço à escola, pela oportunidade, de poder contar um pouco da minha experiência e aos colegas que meacompanharam nessa trajetória para o meu crescimento profissional. A todos, meus agradecimentos. Pedra Azul, 19 de agosto de 2010 Escola Estadual Cassiano Mendes 35 Uma Lição de Vida