Your SlideShare is downloading. ×
Bdm 21.05.2010
Bdm 21.05.2010
Bdm 21.05.2010
Bdm 21.05.2010
Bdm 21.05.2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Bdm 21.05.2010

142

Published on

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
142
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Sexta-feira, 21 de Maio de 2010 bomdiamercado.com.br UE pode decidir hoje novas medidas para sustentar o euro Por ROSA RISCALA* ... Não há indicadores nos EUA, nem no BRASIL, nesta sexta-feira. Os investidores estão 100% liberados para a crise na EUROPA, onde a reunião de ministros de Finanças da União Européia, em Bruxelas, concentra todas as atenções. No encontro serão discutidas medidas para a sustentação do EURO -- inclusive a recente proibição decidida pela Alemanha para vendas a descoberto de bônus europeus, swaps de defaults de crédito e ações dos dez maiores bancos do país -- que surpreendeu os mercados, nesta semana. ... Há forte expectativa para os resultados, e receio de que outros países da zona do euro adotem restrições similares. Para o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang SCHAUBLE, uma regulação "realmente efetiva" é necessária para enfrentar os mercados financeiros, "que estão fora de controle". Nesta quinta-feira, depois de ter se antecipado a uma iniciativa unilateral, Ângela MERKEL teve uma longa conversa com SARKOZY por telefone, quando concordaram que Alemanha e França vão trabalhar juntos em Bruxelas. ... Jean-Claude TRICHET vai estar na reunião, e o que todo mundo espera é que entre as decisões seja recomendada uma ação efetiva do BCE em favor do EURO.... Ontem, a moeda comum européia conseguiu manter-se em alta, perto de US$ 1,25, sustentada por rumores de intervenção do Banco Central Europeu. Foi o único motivo plausível para explicar a inesperada reação em um ambiente de extrema desconfiança, que não poupou as AÇÕES nem as COMMODITIES - em mais um pregão de perdas e nervosismo com a crise européia, com os investidores carregando posições no dólar e bônus americanos. ... Numa análise pra lá de pessimista, o BARCLAYS Capital disse que o contágio da crise fiscal na Grécia já não se limita a considerações sobre Portugal, Itália e Espanha, mas se espalhou por todos os continentes e bolsas, tanto quanto as turbulências da crise do SUBPRIME nos Estados Unidos, que se estenderam muito além das expectativas iniciais ... O temor de que os problemas na zona do euro evoluam para uma crise global, jogando as economias do mundo num segundo mergulho de RECESSÃO, foi amplificado nesta quinta-feira por indicadores negativos em Nova York... Um inesperado aumento no número de pedidos do auxílio-desemprego colocou em xeque a força de recuperação norte-americana, provocando perdas severas para os índices em WALL STREET ( leia abaixo). ... AQUI, a BOVESPA caiu mais 1500 pontos, fechando perto de 58 mil. Em seis pregões de baixas consecutivas, o índice acumula queda de mais de 10% ( abaixo), enquanto o DÓLAR continua subindo frente ao real e nos JUROS, a tensão externa prevalece sobre o cenário de aquecimento da economia doméstica. Ontem, o salto do IPCA-15 de maio não foi suficiente para tirar os investidores das apostas conservadoras ao COPOM. .. Ainda na EUROPA, o Parlamento alemão vota hoje a participação do país no programa de ajuda de 750 bilhões de euros para ajudar as nações endividadas da zona do euro. Muitos analistas creditam às pressões políticas a investida de Ângela MERKEL contra os especuladores do EURO. A Alemanha não parece nada contente em assumir esse ônus. AE Broadcast - Proibida a reprodução sem prévia autorização 21/Mai/2010 9:22 Agência Estado - Av. Professor Celestino Bourroul, 68 CEP 02710-000-São Paulo-SP Central de Atendimento 0800 011 3000 Pág. 1/5
  • 2. ... A agenda de INDICADORES inclui dados importantes, com o índice PMI de atividade e serviços em maio na zona do euro e na Alemanha. Ainda na Alemanha sairão o resultado final do PIB do primeiro trimestre e a pesquisa de sentimento econômico IFO. .... Nos EUA, o Senado aprovou, ontem à noite (59 a 39), a reforma do sistema financeiro, que impõe restrições aos maiores bancos do país, como a exigência de que se desfaçam de suas unidades de derivativos, e prevê mecanismos de proteção ao consumidor em cartões de crédito e hipotecas. A nova lei, que ainda deve ser conciliada com a versão da Câmara, também cria um conselho de governo para avaliar e auditar as agências de classificação de crédito para os produtos financeiros estruturados pelos bancos "grandes demais para falir".... O projeto deve seguir para a sanção de OBAMA antes de 4 de julho. Em WALL STREET, a ambiciosa reforma já está completamente absorvida. ... Ainda ontem à noite, a DELL reportou um crescimento de 52% em seu lucro líquido no primeiro trimestre, para US$ 441 milhões , ou US$ 0,22 por ação. No AFTER-HOURS, as ações subiram 4,26%%, depois de terem caído 4,41% no pregão regular. JAPÃO HOJE. BOJ manteve a taxa de juro (0,1%), e adotou novas medidas para facilitar empréstimos para bancos comerciais, com a injeção de 1 trilhão de ienes. Continue rezando ... O IBOVESPA já acumula perda de 13,8% este mês, sendo 10,7% só nos últimos seis pregões, com o aprofundamento da crise européia... Nesta quinta-feira, a bolsa caiu mais 2,51%, a 58.192,08 pontos. Na mínima, chegou a romper 58 mil, a 57.909,95 (-3,44%). O giro financeiro continua bastante elevado, atingiu quase R$ 8 bilhões (R$ 7,9 bilhões), numa sinalização de é forte o movimento de saída das ações, diante da aversão ao risco. .... Entre as BLUE CHIPS, VALE PNA caiu 3,85% (R$ 37,50) e a ON, -3,63% (R$ 43,85), apesar das notícias positivas do acordo fechado pela mineradora brasileira com as siderúrgicas japonesas... A VALE receberá pela tonelada do pó de minério de ferro cerca de US$ 110 no trimestre entre abril e junho... Mas as incertezas sobre o futuro das commodities, com as projeções de crescimento global prejudicadas pela crise européia e possibilidade de aumento de juro para desacelerar o PIB chinês, é o que prevalece. ... Na Europa, os papéis de mineração foram duplamente atingidos: tanto pela queda das commodities metálicas quanto pelas notícias de que o Bank of America Merrill Lynch rebaixou a sua recomendação para as ações das empresas britânicas do setor. O banco citou expectativas de que a tentativa da China de esfriar a construção prejudique a demanda por metais e o imposto proposto pela Austrália sobre o lucro das mineradoras. ... A PETROBRAS também teve outro pregão de fortes perdas - com queda de 3,92% do papel PN, para R$ 27,43, e de 3,51% do ON, a R$ 31,06. Ainda entre as companhias petrolíferas, OGX ON de EIKE Batista terminou em baixa de 1,87%, cotada em R$ 14,72. ... Lideraram as quedas do IBOVESPA: TIM PAR ON (-6,97%), COSAN ON (-6,25%) e as LOJAS RENNER ON (-6,19%).. As maiores altas foram das ações do setor de construção civil: MRV ON (+7,68%), CYRELA ON (+5,94%) e AGRE ON (+5,84%). ... Muita gente anda ansiosa para entrar na bolsa, considerando a oportunidade de ganho com os preços muito baixos, segundo apurou a jornalista Claudia Violante (AE) com gestores de fundos. Só estariam esperando um sinal de reversão da tendência, porque o mercado pode ainda não ter chegado ao fundo do poço. AE Broadcast - Proibida a reprodução sem prévia autorização 21/Mai/2010 9:22 Agência Estado - Av. Professor Celestino Bourroul, 68 CEP 02710-000-São Paulo-SP Central de Atendimento 0800 011 3000 Pág. 2/5
  • 3. ... Se a bolsa não pára de cair, o DÓLAR não pára de subir. A moeda americana voltou a se valorizar frente ao real, pela sexta sessão consecutiva, para fechar a R$ 1,8620 no balcão (alta de 1,36%), maior patamar desde o dia 12 de fevereiro. Já na abertura, o GAP de alta foi de 2%. Na máxima, no final da manhã, o dólar bateu R$ 1,8950, alta de 3,16%. ... "Está todo mundo com medo... O mercado está sensível... Muita gente já perdeu muito dinheiro", disse Carlos ALLIEVI Júnior (INFINITY ASSET) a Taís Fuoco, no Broadcast. O operador disse, ainda, que sem certeza de nada os investidores têm feito movimentos bruscos, o que explicaria o notável volume de negócios tanto no futuro como no mercado spot. O BC manteve o leilão de compras, no meio da tarde, à taxa de R$ 1,8588. ... No noticiário corporativo, o BANCO CRUZEIRO DO SUL, que no início do mês já havia cancelado uma emissão de bônus no exterior, cancelou ontem o pedido de registro de oferta primária e secundária de ações preferenciais - por causa do cenário desfavorável. Com a operação, a instituição esperava levantar pouco mais R$ 400 milhões. ... Nos JUROS futuros, o IPCA-15 de maio de 0,48%, bem acima de abril (0,63%) e perto do teto da previsões (0,65%), não conseguiu agregar prêmios às taxas do DI curto, orientadas pelas perspectivas de que o aperto monetário deverá ser limitado pelos efeitos recessivos da crise européia, inclusive inibindo as commodities. Tampouco a aprovação pelo Senado do reajuste de 7,7% das aposentadorias acima de um salário mínimo teve o impacto de outros tempos - embora os analistas ainda defendam o veto de LULA. .... Para o COPOM de junho, o consenso está em torno de um novo ajuste de 0,75 pp da SELIC, de 9,5% para 10,25%. A possibilidade de uma alta mais agressiva do juro básico, de 1,0 pp, que chegou a ser considerada antes do pico da crise externa, foi descartada. Mas o mercado não acredita que a magnitude do aperto possa ser reduzida para 0,50 pp. ... No fechamento da BM&F, o DI janeiro de 2011 caiu a 10,94% (de 10,97% no ajuste de quarta-feira); o DI julho de 2010 fechou estável a 9,76%; o DI outubro de 2010 caiu para 10,52% (de 10,52% na véspera); o DI janeiro de 2012 cedeu de 12,16% para 12,04%; e o DI janeiro de 2014 recuou de 12,55% para 12,45% (na mínima). Alta tensão ..... Em WALL STREET, uma nova debandada do risco elevou os Treasuries, desvalorizou as commodities e afundou os principais índices de ações em mais de 3,5%. A percepção de que a crise européia possa virar RECESSÃO e frear uma recuperação nos EUA foi acentuada pelos fracos indicadores econômicos divulgados ontem. Os pedidos de auxílio desemprego aumentaram 25 mil na semana, frustrando expectativa de queda em 4 mil, enquanto o índice dos indicadores antecedentes recuou em abril pela primeira vez desde março de 2009 (-0,1%). Os analistas esperavam um aumento de 0,2%. ... As bolsas em NY já acumulam quedas superiores a 10%, contra as máximas de abril, isso significa que estão "oficialmente" em correção técnica. Nesse ritmo, o mercado está no caminho para fechar maio como o pior mês em mais de um ano. Olhando para esse cenário, o economista Nouriel ROUBINI, citado pela CNBC, previu que as ações podem recuar outros 20%, e que "o dinheiro vivo é o lugar mais seguro para se estar". Dê o desconto, é ROUBINI, que virou o senhor pessimista desde que acertou a crise nos EUA. ... O DOW Jones teve a maior queda porcentual desde 5 de março de 2009 (-3,60%), aos 10.068,01 pontos, e agora acumula perda de 3,45% no ano e de 10,15% em relação à máxima de 2010, em 26/4. BANK OF AMERICA (-6,32%), ALCOA (-6,03%), GE (-5,79%), BOEING (-4,91%) e CATERPILLAR (-4,51%) lideraram as perdas... O NASDAQ recuou AE Broadcast - Proibida a reprodução sem prévia autorização 21/Mai/2010 9:22 Agência Estado - Av. Professor Celestino Bourroul, 68 CEP 02710-000-São Paulo-SP Central de Atendimento 0800 011 3000 Pág. 3/5
  • 4. 4,11%, aos 2.204,01 pontos, maior queda 17/2/2009... Acumula perda de 2,87% no ano e de 12,89% sobre o HIGH de 2010. O S&P- 500 fechou em baixa de 3,90%, aos 1.071,59, na maior queda desde 20/4/2009, com recuo de 3,9% no ano e de 11,97% sobre o HIGH. ... Na agência Bloomberg, Mohamed A. EL-ERIAN, CEO da PIMCO, previu que a baixa do S&P-500 pode se aprofundar, se a crise de crédito da EUROPA reduzir o crescimento global. "Esta não é uma retração comum. Estamos em águas desconhecidas. Os acontecimentos europeus são inequivocamente ruins para o crescimento global", concluiu. ... No mercado de câmbio, o dia foi atípico. Depois de oscilar muito, o EURO subiu ante o DÓLAR e recuperou-se das mínimas de nove anos e meio ante o IENE (109,47 ienes). Segundo traders, a recuperação ocorreu em ambiente de poucas transações, depois que muitos investidores já haviam deixado os mercados cambiais para evitar exposição ao impacto global imprevisível da crise da dívida soberana. Os volumes de negócios com os principais pares de moedas caíram pela metade, estimou o estrategista Sebastien GALY (do BNP PARIBAS), amplificando o impacto de negócios menores. ... Quando o euro começou a subir, os investidores que tinham apostado na queda foram forçados a recomprar para reduzir suas perdas.. Apesar disso, a moeda comum européia não está fora de perigo, disse Michael MAHONEY, vice-presidente de negócios cambiais do UNION BANK. Longe disso. Para ele, os investidores podem voltar a apostar contra o euro, que fechou a US$ 1,2480 e 111,75 ienes. O dólar caiu ante o iene, a 89,52 ienes. ... O câmbio favorável não conteve a fuga dos investidores do PETRÓLEO, embora tenha ajudado a diminuir as perdas do final do pregão. Em NY, o contrato julho de WTI recuou 2,3%, a US$ 70,80 o barril. Junho venceu com queda de 2,7%, a US$ 68,01.. Na sessão chegou a cair mais de 8%. Na ICE, o BRENT para julho caiu US$ 1,85, a US$ 71,84. ... Nos METAIS, enquanto o noticiário pressionava, o EURO dava suporte e, desta forma, as cotações fecharam fora das mínimas. Em Londres, o cobre recuou US$ 109, cotado a US$ 6.609 por tonelada. O alumínio perdeu US$ 10, a US$ 1.991, e o níquel, US$ 145, a US$ 21.150. A consultoria CAPITAL Economics previu um período de baixo crescimento, crédito apertado e dólar fortalecido no médio prazo - que deverá pressionar as commodities. "Seria errado assumir que as cotações vão se recuperar para os níveis pré crise, como se nada tivesse acontecido nesse meio tempo"... O JPMORGAN alertou para o risco de o cobre ser negociado numa faixa entre US$ 6.200,00 e US$ 6.250,00 no curto prazo. Em NY, o OURO para junho caiu 0,4%, para US$ 1.188,60 por onça-troy. ... Ativo preferencial para quem busca segurança na crise, os TREASURIES tiveram novo aumento de preços e queda de juros. O yield da T-NOTE de dez anos chegou a tocar o menor nível desde 1/12/2009, a 3,194%. No fechamento ficou em 3,213% (de 3,358%). O Tesouro dos EUA informou ontem que venderá menos títulos na próxima semana. Em tempo... LOCALIZA vai pagar juro sobre capital de R$ 0,045224978 por ação, com base na posição de 31/3/2010; os papéis ficaram ex em 1º de abril. PARANÁ BANCO aprovou programa de recompra de ações PN que poderá chega a 10% dos papéis em circulação, até 19/11/2010. USIMINAS. Lazard Asset Management atingiu 10,01% das ações PNA no dia 18 de maio. AVISO IMPORTANTE. Bom Dia Mercado é um serviço produzido pela Mídia Briefing, em parceria comercial com a Agência Estado, EXCLUSIVAMENTE, para assinantes. O repasse do serviço para terceiros NÃO É PERMITIDO - assim como a sua reprodução ou AE Broadcast - Proibida a reprodução sem prévia autorização 21/Mai/2010 9:22 Agência Estado - Av. Professor Celestino Bourroul, 68 CEP 02710-000-São Paulo-SP Central de Atendimento 0800 011 3000 Pág. 4/5
  • 5. republicação. Bom Dia Mercado está disponível para ASSINATURAS no Sistema AE Broadcast ou na página da Mídia Briefing na WEB: < http://www.bomdiamercado.com.br> *com MARIANA CISCATO Aos assinantes do Bom Dia Mercado, Bom Dia e Bons Negócios! Esta coluna é produzida pela Mídia Briefing com propósito exclusivamente informativo. As análises não consistem em recomendações de investimentos financeiros. A Mídia Briefing não se responsabiliza pelos resultados de decisões tomadas com base nesse conteúdo. AE Broadcast - Proibida a reprodução sem prévia autorização 21/Mai/2010 9:22 Agência Estado - Av. Professor Celestino Bourroul, 68 CEP 02710-000-São Paulo-SP Central de Atendimento 0800 011 3000 Pág. 5/5

×