Ciências dos Games em Portugal
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Ciências dos Games em Portugal

on

  • 1,055 views

Palestra no Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Brasil. Em 7 de Novembro 2012.

Palestra no Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Brasil. Em 7 de Novembro 2012.

Statistics

Views

Total Views
1,055
Views on SlideShare
1,054
Embed Views
1

Actions

Likes
3
Downloads
12
Comments
0

1 Embed 1

https://twitter.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

CC Attribution-NonCommercial-ShareAlike LicenseCC Attribution-NonCommercial-ShareAlike LicenseCC Attribution-NonCommercial-ShareAlike License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ciências dos Games em Portugal Ciências dos Games em Portugal Presentation Transcript

  • Universidade do Minho Ciências dos Games em Portugal Nelson Zagalo, Universidade do Minho UFPE, Recife, Brasil 07 Novembro 2012
  • Sociedade Portuguesa de Ciências de Videojogos Universidade do Minho
  • A origem das Ciências dos Games em PortugalAs áreas académicas que deram origem às ciências dos videojogos emPortugal: Informática e Comunicação.Expressão Humana via Tecnologia.
  • Aparecimento das áreas na academia1975 - Universidade Nova de Lisboa cria a primeira Licenciatura emEngenharia Informática.1978 - Universidade do Minho cria um ramo em Sistemas de Informática noâmbito da licenciatura em Engenharia de Produção.1979 - Universidade Nova de Lisboa cria o curso de Comunicação Social.1988 - Criado o Grupo Português de Computação Gráfica (GPCG), grupoque se iria revelar como um dos principais impulsionadores do ensino dacomputação gráfica nas Universidades nacionais e criador do evento anualEncontro Português de Computação Gráfica.1998 – Aparecimento da SOPCOM, a associação científica de Ciências daComunicação. A SOPCOM é responsável pelo surgimento de váriasconferências nacionais (SOPCOM) e internacionais (Lusocom e Ibercom).
  • Em 2000Surge o primeiro estudo académico nacional no campodos games, no âmbito da tese de mestrado de JorgeMartins Rosa realizado na Universidade Nova deLisboa, e publicado pela Vega sob o nome “No Reinoda Ilusão, a Experiência Lúdica das NovasTecnologias”.Em 2003Surge o quarto número da revista Caleidoscópio –Revista de Comunicação e Cultura, número temáticosobre „Cultura de Jogos‟, organizado por Luís FilipeTeixeira. Com textos de Espen Arseth, Luís FilipeTeixeira, Patrícia Gouveia, Jorge Martins Rosa, entreoutros.Em 2004O Grupo Português de Computação Gráfica lança aConferência Nacional em Interacção Homem-Máquina,na qual se realiza o primeiro encontro científiconacional ligado aos videojogos, o Games 2004.
  • Games 2004 - 1º Workshop em Entretenimento e Jogos Interactivos.A Games 2004 seria organizada e dirigida por José Dionísio do IST como umworkshop científico, sendo a primeira reunião nacional académica emvideojogos em Portugal.Motores gráficos apresentados pela academia- Lost Ages de G.Santos, H.Mardolcar, R.Casais, J.Pereira do IST/INESC,- Reaktor: a game engine prototype de J. Salles Dias, T.Rodrigues, R.Pires doISCTE.Tópicos de comunicações científicas apresentadas- Online Game Development- Definições de Ludicidade- Abordagens ao Storytelling Interactivo
  • Primeiros encontros dedicados à discussão académica transdisciplinar dasciências dos videojogos.2005 - Videojogos.052006 - Videojogos.06O primeiro decorreu em Aveiro em 2005, como workshop integrante daSOPCOM IV, a Conferência Nacional de Ciências da Comunicação. O eventofoi coordenado por Nelson Zagalo, Óscar Mealha e Luís F. Teixeira. No eventoestiveram presentes e fizeram comunicação vários académicos nacionais,Luís F. Teixeira (ULHT), Paulo Dias (UA); Licínio Roque (UC), Leonel Morgado(UTAD), Paulo Lopes (UC), Nelson Zagalo (UA). A experiência seria repetidaem 2006, na Universidade de Coimbra, contando com a organização deLicínio Roque e Nelson Zagalo.
  • International Digital Games Conference - Games 2006, Portalegre.A presidência do evento científico coube a António Ramires Fernandes daUniversidade do Minho e José Dionísio do Instituo Superior Técnico da UTL.Foram apresentados mais de 20 artigos, contando com 50% de artigosnacionais. Sendo os campos mais representados o da comunicação, cultura,design e computação.
  • Investigação apresentada Psicologia dos videojogos Impactos e benefícios cognitivos (UC) Efeitos em Idosos (UA) Motivação (UA) Game Design Modelos descritivos de mecânicas (UC) Jogos Cooperativos (IST) Pervasividade (IST) Desenvolvimento Dispositivos Móveis (UBI) Augmente Reality (IST) Narrativa e Arte Desenvolvimento de experiência (UM) Arte Digital e jogos (UM)Digital Games 2008, Porto Instalação Artística (UA)Org: Universidade do Minho &Instituto Superior Técnico
  • Videojogos 2009, AveiroOrg: Universidade de AveiroGame design Desenvolvimento Audio guidelines (UC) Game Engines (UP) Cinema import (ULHT) Acelerómetros (IST) Emotion design (UP) Jogos distribuidos (PT Inova) Modelos de desenho de jogos (UC) Análise de erros (UBI) Modelos wii (UBI) Multiplayer Browser Games (IST) Negociação de Intenções (IST) Jogos Tradicionais (UA) Narrativa e Arte Modelos com o corpo (IST) Imersão e distracção (UA) Generos (UM)Educação Drama Online (UC) Exergames (UM) Jogos como Arte (UC) Ensino de História (UC) Instalação artistica (UA) Videojogos e hábitos de estudo (UM) Game Critical Discourse (UM/UTAD) Serious de Condução de carros (UA) Toontalk (UTAD) Licenciaturas em videojogos (IPB)http://www3.ca.ua.pt/videojogos2009/actas.html
  • Emoções Interactivas. Do cinema para os videojogos Nelson Zagalo (2009), Ed. Grácio Editor, CECS/UM PARTE I 1. Natureza da Emoção Humana 2. Comunicação Afectiva 3. Da Ilusão Cinematográfica 4. Cinema e Tecnologia 5. Cinema de Entretenimento 6. Propriedades dos Ambientes Virtuais 7. Entretenimento Digital 8. Storytelling Interactivo PARTE II 1. Estudo Empírico do Espectro Emocional 2. Problemática da Divergência Emocional 3. Análise de Conteúdos 4. Avaliação de Classes e Parâmetroswww.emocoesinteractivas.net 5. Correlação de Classes e Parâmetros 6. Caso Específico da Tristeza
  • Emoções Interactivas. Do cinema para os videojogosNelson Zagalo (2009), Ed. Grácio Editor, CECS/UM Heavy Rain foi uma resposta da indústria à ausência de emocionalidade melancólica nos games.
  • Videojogos 2010, LisboaOrg: Instituo Superior TécnicoGame design Design com Padrões (UM/UTAD) Desenvolvimento Design de Som (UC) Simuladores (UC) Newsgames (UM) Location-based game (UP) Storytelling e Instalação (UM) Coopetition-based game (IST) Gameplay and Player Personality (IST) Real-Time Strategy Games (IST) Interfaces genéricas (UP) EducaçãoImpacto Social Jogo para Ensinar TIC (UA) Social Games (UM) Usar o Som Ambiente para Educar (UNL) MMO (UCP) Efeitos nos Idosos (UA)http://gaips.inesc-id.pt/videojogos2010/actas/Actas_Videojogos2010.html
  • Artes e Jogos Digitais, Estética e Design da Experiência Lúdica Patrícia Gouveia (2010). Edıções Unıversıtárıas Lusófonashttp://mouseland.blogs.ua.sapo.pt/124372.html
  • Videojogos 2011, PortoOrg: Universidade do Porto DesenvolvimentoGame design Brain-interface control (UP) Design com AR e Luz (UA) Criação rápida de Avatar (UP) Design de game concept (UA/UM) Cloud e Streaming (UC) Técnicas de Padrões (UM/UTAD) Engine 2d (IPP) Design com Som (UCP) Pintar pele virtual (UP) Jogar com Meteorologia (UNL) Dilemas Sociais (IST) Educação Interfaces Gestuais (UA) Jogos para lidar com Autismo (UP) Jogo educativo e Narrativa (INESC)Impacto Social Ensino de Agricultura (IST) Avaliação com eye-tracker (UA) Ensinar a Programar (UP) Aprender Mtemática (UBI) Aprender Inglês (ISCTE) Exergames (UM)http://dl.dropbox.com/u/5722059/SPCV_2011_proceedings.pdf
  • Grandes áreas de investigação em ciências devideojogos em PortugalGame Design – 30%Desenvolvimento – 25%Educação – 15%Storytelling e Narrativa – 10%Efeitos e Psicologia – 10%Arte – 10% Diagrama de Game Design de Jesse Schell
  • referênciasOrvalho, V., Oliveira, B., Ramires, A., Sousa, A., (2011), Actas da 4ª Conferência de Ciências eArtes dos Videojogos, Universidade do Porto, Porto, 02 a 04 de Dezembro 2011, ISBN: 978-989-20-2953-5Rui Prada, Carlos Martinho e Pedro Santos (eds), (2010), Actas da 3ª Conferência de Ciências eArtes dos Videojogos, Instituto Superior Técnico, Setembro 2010, ISBN 978-989-20-2190-4Veloso, A., Roque, L., Mealha, O., (ed), (2009), Livro de Actas do VIDEOJOGOS 2009 –Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências dos Videojogos, Comissão Editorial daUniversidade de Aveiro, Novembro 2009, ISBN 978-972-789-299-0Nelson Zagalo & Rui Prada (Eds.), Actas da Conferência ZON | Digital Games 2008, Centro deEstudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho, Braga, ISBN: 978-989-95500-2-5Patrícia Gouveia, (2010), Artes e Jogos Digitais, Edições Universitárias Lusófonas, Lisboa, 273Páginas. ISBN: 978-972-8881-84-9Nelson Zagalo, (2009), Emoções Interactivas, do Cinema para os Videojogos, CECS/UM, GracioEditor, Coimbra, Portugal. 400 Páginas. ISBN: 978-989-96375-1-1Jorge Martins Rosa, (2000), No Reino da Ilusão, a Experiência Lúdica das Novas Tecnologias,Vega, Lisboa, ISBN: 9789726996828
  • Universidade do MinhoInvestigação em Games em PortugalNelson Zagalo, nzagalo@ics.uminho.ptBlog: http://virtual-illusion.blogspot.comFacebook: http://www.facebook.com/nelsonzagaloHome: http://nelsonzagalo.googlepages.com