áReas rurais 1 11º (1)

5,855 views

Published on

a

Published in: Design
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,855
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
255
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

áReas rurais 1 11º (1)

  1. 1. Tema 3: “As áreas rurais em mudança”- Fragilidades dos sistemas agrários-
  2. 2. Relação entre espaços rural, agrário e agrícola Espaço Espaçomm Espaço SAU rural agrário agrícolaEspaço rural – conjunto de áreas dedicadas à agricultura, criação de gado, floresta, artesanato, turismo, produção de energias renováveis, etcEspaço agrário – produção agrícola (vegetal e animal), pastagens, florestas, habitações dos agricultores, infra-estruturas e equipamentos agrícolasEspaço agrícola – espaço ocupado com a produção vegetal e/ou animalSAU – superfície agrícola utilizada (área de culturas)
  3. 3. Paisagem Agrária
  4. 4. Povoamento Disperso (Faial)
  5. 5. Características: 9,6% da pop. activa trabalha na agricultura pop. Agrícola tem diminuído devido a: - “atracção” exercida pelos sectores 2º e 3º; - modernização da agricultura. aumentou o êxodo agrícola e o envelhecimento da pop. Agrícola o grau de instrução é baixo a formação profissional baseia-se essencialmente na prática e nos conhecimentos transmitidos de pais para filhos. a mão-de-obra é sobretudo familiar as mulheres representam oficialmente ¼ do total da pop. activa agrícola e verifica-se uma tendência para o aumento destes valores o trabalho da pop. agrícola está muito ligado à pluriactividade e ao pluri-rendimento
  6. 6. - CULTURAS TEMPORÁRIAS - Cereais (milho, trigo, arroz, centeio, aveia, cevada e triticale)- são os que assumem maior importância; o Alentejo é a maior região cerealífera nacional.Milho-assume maior expressão produtiva na região oeste e é a mais importante cultura arvense nacional;Trigo-tem maior representatividade no Alentejo e é o principal cereal de sequeiro na produção cerealífera portuguesa;Arroz-produzido nas regiões associadas às bacias hidrográficas dos rios Mira, Mondego, Sado e Sorraia;Centeio- para consumo humano e animal. É um cereal de altitude cultivado no interior do país (Norte e Centro);Aveia- produção predomina no Alentejo;Cevada- produção para malte. Predomina no Alentejo;
  7. 7. Batata- um dos mais importantes produtos agrícolas e cultiva-se em todo o país, com destaque para Entre Douro e Minho, Trás-os-Montes, Beira Litoral e Ribatejo e Oeste.Culturas industriais- Destacam-se o tomate (Ribatejo e Oeste eno Alentejo), o tabaco (produção tem diminuído e predomina nasBeiras litoral e interior e Ribatejo e oeste) e o girassol (Alentejo eRibatejo e Oeste).A produção de beterraba sacarina tem aumentado (indústria detransformação do açucar)
  8. 8. - Culturas Permanentes -OLIVAL – encontra-se por todo o país (excepto em altitude) mas sobretudo no Alentejo. Trás-os-Montes surge em 2º lugar.VINHA – a área de vinha e a produção de vinho estão a diminuir desde 1980. Trás-os-Montes é a região com maior área de vinha. A região do Ribatejo e Oeste é a principal produtora de vinho.POMAR- a área de pomar diminuiu em relação ao conjunto das culturas permanentes. Frutos frescos como as maçãs, peras, pêssegos e citrinos (laranja, limão, tangerina) ocupam a maior área total de pomares no país. A produção de frutos secos (castanha, noz, avelã e a amêndoa) apresenta boas perspectivas - HORTAS FAMILIARES -Constituem um valor muito reduzido (‹1%) destacando-se a BeiraLitoral e Madeira.
  9. 9.  Forte dependência externa– produção nacional não satisfaz as necessidades de consumo logo a balança alimentar nacional é deficitária A livre circulação de mercadorias na U.E. facilita aimpor- tação. O aumento da exigência dos consumidores, o marketing, a facilidade de transporte e a globalização também favorecem a importação de produtos agrícolas de outros países do mundo. Baixos níveis de produtividade – são reflexo dos problemas estruturais da agricultura nacional.Rendimento dos factores – indicador económico, em que ao VAB líquido subtrai-seos impostos sobre a produção e soma-se os subsídios à produçãoRendimento empresarial líquido – saldo resultante da soma do excedente líquidode exploração e dos juros recebidos e da subtracção das rendas e dos juros pagos.Rendimento agrícola – (relação entre a produção e a superfície cultivada) influencia
  10. 10. Produtividade – relação entre a quantidade produzida e a mão-de-obra utilizada. Depende de factores como as tecnologias utilizadas, a formação profissional e o grau de mecanização  Níveis de RENDIMENTO E PRODUTIVIDADE (Inferiores à média da U.E.) Fraca competitividade Deve-se a : condições meteorológicas irregulares população envelhecida e com baixa instrução e formação profissional ainda muito uso de técnicas tradicionais uso incorrecto de adubos e pesticidas elevado número de pequenas explorações agrícolas culturas agrícolas inadequadas aos solos elevados custos de produção: custos de combustível e impostos mais elevados que na maioria da U.E. o crédito agrícola (modernização das explorações agrícolas) origina grandes encargos financeiros.
  11. 11. Muitas actividades agrícolas desenvolvem-se em solos pouco aptos para aagricultura.Problemas dos solos no sistema extensivo: utilização do pousio absoluto (sem plantas forrageiras ou pastagens artificiais) que facilita a erosão dos solos; a monocultura conduz ao esgotamento em certos nutrientes; excessiva mecanização leva à compactação dos solos;Problemas no sistema intensivo: utilização excessiva ou incorrecta de fertilizantes químicos e pesticidas degrada,polui e diminui a fertilidade dos solos. A má utilização dos solos leva à DESERTIFICAÇÃO Solução: ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

×