Dziga Vertov
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Dziga Vertov

on

  • 507 views

 

Statistics

Views

Total Views
507
Views on SlideShare
507
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
5
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as OpenOffice

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Dziga Vertov Dziga Vertov Presentation Transcript

  • Dziga Vertov
  • Quem é?
    • David Abelevich Kaufman, mais conhecido por Dziga Vertov, nasceu a 2 de Janeiro de 1896 em Bialvstok na Rússia e morreu a 12 de Fevereiro de 1954.
    •  Era um cineasta, jornalista e documentarista e é o grande percursor do cinema directo, na sua versão de cinema verdade.
    • Para associar o olho humano ao da camera, Dziga usava, por exemplo, planos de uma persiana numa metáfora da retina do diafragma da objectiva capaz de apreender o real.
    • A sua teoria do Kino Pravda é fundadora de futuras teorias e práticas numa área fundamental do cinema: o contacto directo do olho da camera com o evento filmado, a verdadeira realidade, ao contrário da ficção, que precisa de cenário.
    • Dziga Vertov foi um dos primeiros cineastas russos a usar técnicas de animação e desenvolver certos princípios fundamentais da montagem no cinema.
    • Para Vertov a montagem é a alma do filme, o motor da sua estética e do seu sentido. O trabalho de Dizga Vertov foi fundamental para o desenvolvimento da construção dramática e melhoria do cinema e para o surgimento do cinema directo nos anos 60, com o desenvolvimento das técnicas de filmagem com câmaras leves com som síncrono.
    Técnica e equipamento View slide
  • Portfólio 1919 Kino Nedelia, A Semana no Cinema 1919 Aniversário da Revolução 1922 História da Guerra Civil 1924 Brinquedos Soviéticos 1924 Cine-Olho 1925 Kino-Pravda 1926 A Sexta Parte do Mundo 1928 O Onézimo 1929 O Homem da Câmara de Filmar 1931 Entusiasmo ( Sinfonia de Donbass ) 1934 Três Canções para Lênin 1937 Memórias de Sergo Ordjonikidze 1938 Três Heroínas 1944 Nas Montanhas de Ala-Tau 1954 Notícias View slide
  • Obras a salientar......
  • Cine olho – Réquiem a Lênin (1924) Esta obra de Vertov foi planeada inicialmente como uma série de seis filmes, mas apenas foi realizado um. A obra foi considerada a mais ambiciosa do teórico. É considerado o filme em que ele domina a relação imagem-som no seu mais perfeito estado. Vertov procurou explorar a linguagem visual do filme,manipulandoapenas os seus ritmos, formando um interessante visual urbano que se registava de uma maneira nunca antes pensada nos primeiros anos da vida social da jovem classe operária da época.
  • Um Homem com uma Camera (1929) Um Homem com uma Câmera de 1929 é o seu filme mais famoso. A obra retrata o quotidiano diário do cidadão dos anos 20. O filme é livre da literatura e também do teatro, seguindo muito bem a linguagem cinematográfica, pois há a presença de cortes, enquadramentos, interessantes técnicas de edição, como é o caso das sobreposições de imagens, que, mesmo 80 anos após, tal conceito ainda é muito utilizado, mudando-se apenas o suporte tecnológico, que hoje é bastante superior. Vertov faz um interessante uso da relação imagem-som ao longo do filme que possui uma imponente presença do processo de montagem. A obra acaba por desencadear uma instigante relação de passagem de tempo, diante da visão dos espectadores. Vertov brinca com o tempo ora acelerando ora retardando, muitas vezes em sincronia com algum som, essa manipulação das velocidades onde é gerada uma sensação frenética da relação espaço-tempo. Um Homem com uma Camera é sem dúvida nenhuma uma obra prima do cinema, com uma épica montagem, tudo sob a direcção do mestre Vertov.
  • Entusiasmo(1931 ) Entusiasmo é um filme que apresenta um olhar atento de um pesquisador de laboratório que está em vias de inventar o cinema sonoro. Logo, considerava-se que os filmes sonoros deveriam ser filmados não ao ar livre mas sim no interior de estúdios perfeitamente isolados. Vertov produz esse filme considerado também um clássico, que de acordo com Charles Chaplin, se constitui num filme no qual os ruídos são muito bem encadeados no processo de montagem, tornando-se belos, sendo contudo uma “perturbadora sinfonia” .
  • Três canções sobre Lênin (1934) Este filme foi produzido no ano de 1934 e mostra diversas áreas geográficas da União Soviética, desde as europeias até às asiáticas; além disso apresenta-nos a figura de Vladimir Ilich Lenin (1870-1924), como se ele fosse visto através dos olhos da população. São três filmes de curta-metragem que abordam sua vida, carreira política e a importância de sua figura na História. Dziga colocou três musicas, de modo a representar o próprio líder Lênin. Ao longo do filme o interessante também é notar o uso de materiais raros colectados por Vertov, tais como imagens e sons da voz de Lenin. O líder Lenin destacou-se como um dos maiores responsáveis pelo desenvolvimento e sucesso da revolução Russa de 1917.
  • Bibliografia
    • http://cinema.sapo.pt/pessoa/dziga-vertov/biografia
    • biografias.netsaber.com.br/ver_biografia_c_4844.html
    • www.mnemocine.com.br/aruanda/vertov.html
    .dzigavertovnet.wordpress.com/2009/07/04/no-final-de-1922-vertov-constituiu-o-grupo-soviet-troikh/
  • Trabalho realizado por:
    • Nuno Nogueira nº 50973
    Unidade Curricular de Produção Audiovisual - UTAD