• Save
Apresentação do Trabalho de Grupo - Parte 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Apresentação do Trabalho de Grupo - Parte 1

on

  • 394 views

 

Statistics

Views

Total Views
394
Views on SlideShare
394
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • Produzidospor New Media Consortium e EDUCAUSE Learning Initiative
  • UTILIZACAO DO TELEMOVEL (incluindoaplicações de escritório, Internet e e-mail), a forma comogastamosnosso tempo livre (porexemplo, com jogos de vídeo, vídeo, Internet e podcasts), o nossa forma de obterinformações (inclusive através de navegadores GPS, realidadeaumentada e navegaçãona Web), e atémesmoeducação.TECNOLOGIAS RELACIONADAS AO MOBILE (context awareness das tecnologias) em 2004 e 2005 horas (Johnson & Laurence, 2004; Johnson et al., 2005) e Geo-tudona HR 2009 (Johnson et al., 2009) sobre o horizonteintercalar de 2010-2011.
  • the idea is to record a real cylinder with the mobile phone and associate overlapped information on how to calculate its total surface area and volume. This information appears over the image on the screen of the mobile phone
  • As illustrated in Fig. 3, our prototype has a Service Oriented architecture technology in order to centralize the content generation and seamless deployment on the mobiles phones.
  • The Fig. 4(a) show the design of the application when it displays a 3D model. Fig. 4(b) shows the video playback. The system searches the marker in the content repository and gets the video file related to it. Fig. 4(c) shows the playback of an audio file recovered from the cloud. Just as with the video, the player will remain at the forefront regardless of whether the marker leaves the field of view of the camera and regardless of what it captures.
  • Sistema on-line que permite aos próprios alunos construir conteúdos em realidade aumentada. Cada aluno constrói um módulo que depois pode distribuir aos colegas usando AR tags personalizada. Construção de uma plataforma que permite aos alunos construir o seu AR hotspot com conteúdos desenhados para que os colegas possam aprender algo na sala de aula. Múltiplas aplicações em várias aulas. Ciências Naturais: pesquisa de informação sobre árvores da escola e construção de quadros informativos acessíveis apontando a câmara do dispositivo móvel à AR tag presente na árvore. Pesquisa e inclusão de vídeos, pequenos textos, etc que aumentem a experiência de aprendizagem dos colegasEducação visual: exposição em realidade aumentada. só se vê AR tags que, quando os alunos apontam o seu dispositivo móvel, fornece acesso à arte “escondida” que pode ser estática, animada e/ou acompanhada por efeitos sonoros.Geografia: mapa com AR tags onde cada aluno inscreve informação sobre cada país OU bandeira do país funciona como AR tag e, ao apontar o dispositivo móvel, vê-se informação construída por cada aluno sobre esse paísHistória: pesquisa de modelos 3d de edifícios históricos e inclusão de AR tags em fotos 2D desse edifícios.Etc...

Apresentação do Trabalho de Grupo - Parte 1 Presentation Transcript

  • 1. Programa Doutoral em Multimédia em Educação o em oTrabalho de GrupoParte 1 Nuno Ribeiro | Nuno Lopes
  • 2. TEMÁTICAS ABORDADAS Mobile Learning Realidade aumentadaAmbientes de aprendizagem que podem ser acedidos Tecnologia que permite a sobreposição de em vários contextos e situações (Shin et al., 2011). conteúdos virtuais no mundo real (Lee, 2012) “Anytime, anywhere learning experience”TCEdu 1 de 20
  • 3. REVISÃO DO ESTADO 1/2DA ARTETÍTULO ANO AUTORES REVISTA Sergio Martin, Gabriel Diaz, Elio Computers & EducationNew technology trends in education: Seven years of 2011 Sancristobal, Rosario Gil, Manuelforecasts and convergence Castro, Juan PeireSmarthpones as smart pedagogical tools: 2011 Dong-Hee Shin, Youn-Joo Shin, Hyunseung Choo, Khisu Beom Computers in Human Behaviorimplications for smartphones as u-learning devicesDifferences between m-learning and e- 2011 Agah Tugrul Korucu, Ayse Alkan Procedia Social and Behavioral Scienceslearning, basic terminology and usage of m-learningin educationMobile system for flexible education 2010 Nadire Cavus, Mohammad Musa Al-Momani Procedia Computer ScienceTowards pervasive mobile learning - the vision of 2011 Vinu PV, Shrimon PC, Reshmy K Procedia Social and Behavioral Sciences21st centuryAugmented reality in education: current 2012 Mehmet Kesim, Yasin Ozarslan Procedia Social and Behavioral Sciencestechnologies and the potencial for educationTCEdu 2 de 20
  • 4. REVISÃO DO ESTADO 2/2DA ARTETÍTULO ANO AUTORES REVISTA Santana-Mancilla PC, García-Ruiz Procedia Computer ScienceService Oriented Architecture to Support Mexican 2012 MA, Acosta-Diaz R, Juárez CUSecondary Education through Mobile AugmentedRealityUsing Augmented Reality and m-learning to 2012 Cadavieco JF, Goulão MF, Costales Procedia Social and AF Behavioral Sciencesoptimize students performance in higher education Ruchter M, Klar B, Geiger W Computers & EducationComparing the effects of mobile computers and 2010traditional approaches in environmental educationIs SMS still alive for education: analysis of 2011 Yengin I, Karahoca A, Karahoca D, Uzunboylu H Procedia Computer Scienceeducational potentials of SMS technologyUsing RSS to support mobile learning based on 2010 Lan Y, Sie Y Computers & Educationmedia richness theoryLearning and technology: success and strategy in a 2009 George Siemens Learning Technologiesdigital worldTCEdu 3 de 20
  • 5. NEW TECHNOLOGY TRENDS IN EDUCATION:Seven years of forecasts and convergence‣ Teve como referência a análise da tendência de investigação educativa entre 2004 e 2014 através da análise dos Horizon Reports (de 2004 a 2010);‣ Estes relatórios fazem todos os anos a análise das tendências tecnológicas na educação em três níveis temporais: curto prazo (no ano do relatório), médio prazo (nos 2 anos seguintes, projeção) e a longo prazo (a uma distância de 4 anos, projeção);‣ Através da metodologia de bibliométrica confirmam a eficácia relativa das previsões dos Horizon Reports; Metodologia utilizada: Análise do nº de artigos que mencionavam as tecnologias previstas nos relatórios sem critério quanto às revistas em que foram publicados).TCEdu 4 de 20
  • 6. > Computação ubíqua não é umatecnologia em si, mas sim um grupo detecnologias que suportam a chegadadeste novo paradigma, incluindocomputação e context-awareness, redessem fio omnipresentes, objetosinteligentes, sistemas baseados emlocalização e, mais recentemente,baseados em tecnologias móveis;> Deixaram de ser simplesmente ummétodo de comunicação. Mudaram aforma como trabalhamos através de umavariedade de aplicações;> Em 2006 os especialistas esperavamtelefones para ter um impacto naeducação a médio prazo (2007-2008);> Foi em 2009 (Johnson et al.) previu seuimpacto a curto prazo para o período2009-2010; Fig. 7. Ubiquitous and mobile technologies most likely to have an impact on> O Desenvolvimento do Mobile tem sido education according to the Horizon Reports from 2004 to 2010.acompanhado por tecnologiasrelacionadas como sistemas baseados emlocalização. TCEdu 6 de 20
  • 7. > RA enquanto tecnologia que podeser aplicada em diversas aplicaçõesna educação comoarquitetura, arte, anatomia, linguagens (Yang, Chen, &Jeng, 2010), decorações e emqualquer outra matéria em que asimulação ou modelos 3D facilitem asua compreensão. (Zhou, Duh, &Billinghurst, 2008).> Em 2005 os HR (Johnson et al.)previu que a RA tivesse impacto alongo prazo (2008-2009) mas os HR(Johnson et al., 2006) previram umatraso de mais um ano (2009-2010).> Esta tecnologia voltou a serreferenciada nos HR de 2010(Johnson et al, 2010.) em quedispositivos móveis passaram adesempenhar um papel importantena educação. Fig. 5. Augmented reality technologies most likely to have an impact on education according to the Horizon Reports from 2004 to 2010.> Está previsto que a RA tenha umpapel ativo a médio prazo. TCEdu 5 de 20
  • 8. NEW TECHNOLOGY TRENDS IN EDUCATION:Seven years of forecasts and convergenceConclusões‣ A previsão da computação ubíqua e do context-awareness para dispositivos móveis foi bem sucedida (de acordo com o nº de publicações)‣ Outra tecnologia bem-sucedida foi a evolução da realidade aumentada para a realidade aumentada móvel.‣ A importância crescente de dispositivos móveis promove todas as tecnologias relacionadas. A realidade aumentada não teve a influência esperada na educação em 2008-2010, embora, de acordo com a evolução das publicações, prevê-se que irá desempenhar um papel mais importante em 2011-2012. "Students want to use the new technologies such as LMS and mobile phones in education for the reason that they see and use the technological devices in everyday life"TCEdu 7 de 20
  • 9. LEARNING AND TECHNOLOGY:SUCESS AND STRATEGY IN A DIGITAL WORLD‣ Informação como uma constante e incluída num contexto;‣ Não é centrada no dispositivo;‣ Não é isolada;‣ Os padrões anteriores de pesquisa da informação e a sua utilização serão utilizadas para nos disponibilizar os recursos relevantes.TCEdu 8 de 20
  • 10. SMARTHPONES AS SMART PEDAGOGICAL TOOLS:implications for smartphones as u-learning devicesO ESTUDO:‣ Destaca a importância da usabilidade;‣ Afirma que a usabilidade pode ser melhorada através de serviços e conteúdos de qualidade;‣ Destaca que a qualidade é o que irá permitir que as tecnologias sejam utilizadas com pouco esforço e eficazmente;‣ Afirma que o u-learning não substitui as vantagens do ensino tradicional, sendo necessário combinar ensino analógico e interação digital com os utilizadores;‣ Reconhece limitações da generalização das conclusões do estudo.TCEdu 9 de 20
  • 11. IS SMS STILL ALIVE FOR EDUCATION:ANALYSIS OF EDUCATIONAL POTENTIALS OF SMS TECHNOLOGYSão destacadas as vantagens da utilização dos dispositivos móveis:‣ São os mais utilizados globalmente;‣ Não exige uma taxa de registo e licenciamento;‣ Existe uma maior adaptação à tecnologia;‣ Existem estudos de implementações bem sucedidas na educação.TCEdu 10 de 20
  • 12. USING RSS TO SUPPORT MOBILE LEARNING BASEDON MEDIA RICHNESS THEORYEstudo que compara a eficácia do CONCLUSÃOenvio de informação aos alunos viaSMS, RSS ou e-mail. Quando se desenha um curso em‣ para questões de rapidez, o m-learning deve-se ter em conta SMS é mais eficaz; que para anúncios os SMS são‣ Para questões de multimédia melhores, para informações mais rich message, o e-mail é complexas envolvendo melhor; multimédia deve-se utilizar o email e para informações que‣ Para questões de facilidade de possam ser vistas em diversos compreensão e dispositivos móveis o RSS é adaptabilidade, o RSS teve melhor. resultados melhores.TCEdu 11 de 20
  • 13. MOBILE SYSTEM FOR FLEXIBLE EDUCATION‣ O artigo analisado visa o melhoramento dos sistemas de mobile learning e, em particular, providenciar o conhecimento necessário para os alunos com menos restrições em termos de dispositivos, locais e redes em uso. FUNCIONAMENTO‣ Foram envolvidos no estudo • Administrar todas as tarefas do sistema professores, estudantes e • Modificar a informação dos estudantes organizações educativas • Criar anúncios (ex: data de entrega do trabalho) como Universidades, Escolas • Enviar SMS diretamente ou automaticamente e Institutos Superiores. • Criar quizzesTCEdu 12 de 20
  • 14. TOWARDS PERVASIVE MOBILE LEARNINGTHE VISION OF 21ST CENTURY‣ A aprendizagem móvel pervasiva é uma aprendizagem melhorada através de um ambiente inteligente e consciente do contexto. Enquanto o aluno se move com o seu dispositivo móvel, o sistema apoia dinamicamente a sua aprendizagem através da comunicação com os dispositivos presentes no ambiente. Assim, através da integração de computação pervasiva e das tecnologias móveis de aprendizagem, os utilizadores são enriquecidos com uma boa experiência de aprendizagem. Um modelo de sala de aula pervasiva (inteligente)TCEdu 13 de 20
  • 15. USING AUGMENTED REALITY AND M-LEARNING TOOPTIMIZE STUDENTS PERFORMANCE IN HIGHEREDUCATION‣ O estudo procurou melhorar a aprendizagem de conceitos por parte dos estudantes através de uma aplicação em RA que analisa as características do objeto real, combinando imagens virtuais com as imagens reais.TCEdu 14 de 20
  • 16. SERVICE ORIENTED ARCHITECTURE TO SUPPORTMEXICAN SECONDARY EDUCATION THROUGHMOBILE AUGMENTED REALITY Fig. System architecture.TCEdu 15 de 20
  • 17. SERVICE ORIENTED ARCHITECTURE TO SUPPORTMEXICAN SECONDARY EDUCATION THROUGHMOBILE AUGMENTED REALITYTCEdu 16 de 20
  • 18. SERVICE ORIENTED ARCHITECTURE TO SUPPORTMEXICAN SECONDARY EDUCATION THROUGHMOBILE AUGMENTED REALITY‣ Os resultados deste estudo sugerem que a aplicação desenvolvida pode ser um suporte à educação secundária porque proporciona um mecanismo mais rico para complementar os conteúdos da aula.‣ O estudo indica que o uso das plataformas móveis para a utilização de aplicações de realidade aumentada na educação é adequada;‣ O uso do SOA (Service Oriented Architecture) e a AR assegura a distribuição de conteúdos atualizados para os estudantesTCEdu 17 de 20
  • 19. QUESTÕES ABORDADAS‣ Definições de m-learning/u-learning/realidade aumentada‣ Principais vantagens destas tecnologias‣ Aplicações destas tecnologias num contexto educativo (vários exemplos)QUESTÕES POR RESPONDER‣ Qual a eficácia da aplicação destas tecnologias na aprendizagem? Aumenta a qualidade da aprendizagem dos alunos?‣ Será o m-learning capaz de melhorar efetivamente a qualidade do ensino ou será mais uma ferramenta ubíqua de complemento ao ensino tradicional?TCEdu 18 de 20
  • 20. PROPOSTA PARA O TRABALHO – PARTE 2‣ Criar um ambiente de aprendizagem onde predomine a Realidade Aumentada e a utilização de ferramentas que possam ser potenciadas através do mobile learningTCEdu 19 de 20
  • 21. “There is a time and place for learning; it should be a learners time and place”TCEdu 20 de 20