Ppt 9 TectóNica De Placas

7,614 views
7,308 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
7,614
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
167
Actions
Shares
0
Downloads
477
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ppt 9 TectóNica De Placas

  1. 1. 10º ANO - GEOLOGIA Tectónica de Placas
  2. 2. A orquestra dispersa (1930-60) Durante os anos que se seguiram à morte de Wegener, e apesar dos esforços de alguns, as ideias da deriva continental e da geodinâmica global desapareceram das preocupações dos investigadores das ciências da Terra. Cada um voltou aos seus estudos específicos. Wegener tinha reunido a orquestra, mas esta dispersou-se. Nuno Correia - 09/10
  3. 3. Oceanografia  O estudo da morfologia dos fundos oceânicos permitiu descobrir novas cadeias montanhosas submersas que constituem importantes alinhamentos por todo o globo, como por exemplo a dorsal médio-oceânica presente no Oceano Atlântico . www.ceoe.udel.edu Nuno Correia - 09/10
  4. 4. Morfologia dos fundos oceânicos  O Geólogo Harry Hess constatou que as montanhas de um dos lados do rifte eram um perfeito espelho das que existiam do outro lado. Nuno Correia - 09/10
  5. 5. Rifte  Fissura por onde ocorre a emissão de elevados volumes de magma. No geral, os riftes localizam-se na dorsal médio-oceânica onde ocorre a expansão dos oceanos. Nuno Correia - 09/10
  6. 6.  Com base nestes estudos, Hess defendia a expansão da crusta oceânica ao nível dos riftes e a sua destruição nas fossas oceânicas. Nuno Correia - 09/10
  7. 7. A orquestra reúne...  a constatação da existência de dorsais médio-oceânicas;  a diminuta idade das rochas da crusta oceânica, quando comparadas com as da crusta terrestre;  a descoberta de que a camada de sedimentos que se acumulava sobre o fundo do oceano Pacífico era muito mais fina do que o esperado (considerando que esse oceano se teria formado há cerca de 4000 milhões de anos), tornando-se mais espessa à medida que aumenta a distância ao rifte;  a hipótese de expansão dos fundos oceânicos,segundo a qual a crusta oceânica é formada nas zonas de rifte e reciclada nas zonas de subducção (fossas);  grande incidência da actividade sísmica e vulcânica em determinados locais. Nuno Correia - 09/10
  8. 8. Relevo Nuno Correia - 09/10
  9. 9. Idade da crusta Nuno Correia - 09/10
  10. 10. Espessura dos sedimentos Nuno Correia - 09/10
  11. 11. Actividade sísmica Nuno Correia - 09/10
  12. 12. Actividade vulcânica Nuno Correia - 09/10
  13. 13. Nasce uma nova teoria Robert Palmer e Donald Mackenzie, revisitaram os achados de Wegener e combinaram-nos com os de Hess, de modo a formular uma nova teoria, a Teoria da Tectónica de Placas. Nuno Correia - 09/10
  14. 14. Observações e experiências.. Com um pouco de sorte... Surgem dados para a formulação de hipótese. Hipótese Outras hipóteses.... Desafios O teste repetido de uma hipótese por outros Revista cientistas... Providência suporte ou resulta na Suportada ? rejeição de hipótese Não Rejeitada Sim Uma ou mais hipóteses podem obter apoio/confirmação Teoria Outras teorias.... suficiente para se tornarem uma ... Desafios Revista As teorias também são Suportada ? desafiadas!! Não Rejeitada .. E um grupo de ideias Modelo Científico “sobreviventes” assume-se 14 Nuno Correia 09/10
  15. 15. Tectónica de Placas  Constituiu um dos avanços mais importantes nas Ciências da Terra do século XX.  Considera que o planeta Terra se encontra dividido em diferentes camadas, com propriedades químicas e físicas distintas. Nuno Correia - 09/10
  16. 16. Nuno Correia - 09/10
  17. 17. Litosfera  Inclui todo o material até aos 100 km de profundidade, contendo a crusta (oceânica e continental) e parte do manto superior  Todo o material encontra-se no estado sólido, com as principais diferenças a existirem entre a crusta oceânica e a continental.  A crusta continental é mais espessa, menos densa, composta por rochas ácidas, enquanto que a crusta oceânica é pouco espessa, mais densa e composta essencialmente por rochas básicas. Nuno Correia - 09/10
  18. 18. Astenosfera  Localiza-se por debaixo da litosfera, no manto superior.  O material encontra-se parcialmente fundido, cerca de 2%, o suficiente para possuir comportamento plástico. Nuno Correia - 09/10
  19. 19. Modelo químico/Modelo Físico Nuno Correia - 09/10
  20. 20. Placas litosféricas Nuno Correia - 09/10
  21. 21. Limites de Placas Nuno Correia - 09/10
  22. 22. Limites de Placas  As placas estão separadas umas das outras por falhas.  É nessas zonas de fronteira - limites de placas - que as forças tectónicas são mais evidentes. Nuno Correia - 09/10
  23. 23. Que limites....  convergentes - as placas colidem uma contra a outra.  divergentes - as placas deslocam-se, afastando-se uma da outra.  conservativos - as placas deslizam horizontalmente uma relativamente à outra. Nuno Correia - 09/10
  24. 24. Cada placa pode simultaneamente ser divergente, convergente e conservativa, em relação às placas que lhe estão próximas. Nuno Correia - 09/10
  25. 25. Limites Convergentes  Tal como Hess tinha proposto, a Terra não aumenta de diâmetro.  Têm de existir locais onde haja destruição do material.  A destruição e "reciclagem" do material ocorrem ao longo dos limites convergentes.  O comportamento das placas na zona de convergência depende directamente da sua densidade e indirectamente dos materiais que a constituem. Nuno Correia - 09/10
  26. 26. Oceânico-continental  A placa oceânica mais densa mergulha sob a continental - subducção.  O atrito gerado origina sismos profundos.  Ocorre fusão do material, formando-se magmas, que podem solidificar em profundidade ou originar fenómenos vulcânicos. Nuno Correia - 09/10
  27. 27. Oceânico-Oceânico  A placa que sofre subducção ao longo de uma fossa é a mais antiga, pois apresenta maior espessura de sedimentos.  Pode formar-se um magma que originará fenómenos vulcânicos, ao longo de arcos vulcânicos. Nuno Correia - 09/10
  28. 28. Continental - Continental  Nenhuma das placas sofre subducção, pois ambas são pouco densas.  Do choque resulta a formação de cadeias montanhosas, com dobramentos e levantamento dos materiais que se encontravam no fundo oceânico. Nuno Correia - 09/10
  29. 29. Limites divergente  Correspondem a locais onde as placas se afastam, e nova crosta é formada por magma que ascende do manto através de vulcões submarinos, como no caso dos Açores.  Ao longo da dorsal médio- atlântica a taxa de alastramento do fundo oceânico é em média de 2,5 cm/ano.  Em África existe um rifte continental - Rift Leste Africano - que está a promover a divisão do continente africano, levando à formação, nesse local, de um oceano. Nuno Correia - 09/10
  30. 30. Nuno Correia - 09/10
  31. 31. Nuno Correia - 09/10
  32. 32. Limites conservativos  As placas deslizam horizontalmente, uma em relação à outra. Este movimento causa grande atrito, com intensa actividade sísmica.  Nenhuma placa é subductada, nem se abrem fissuras, não existe fusão de material, não estando associados a este tipo de limite fenómenos vulcânicos. Nuno Correia - 09/10
  33. 33. San Andreas Fault Observatory at Depth (SAFOD) Nuno Correia - 09/10
  34. 34. O motor da Tectónica Nuno Correia - 09/10
  35. 35. Velocidades de alastramento Imobilismo ? Mobilismo Nuno Correia - 09/10
  36. 36. Um modelo  Em 1994,o professor Uyeda (Universidade deTóquio) enfatizou a importância dos fenómenos de subducção como principais responsáveis pela deslocação das placas tectónicas.  A subducção de uma densa placa oceânica (determinada pela força gravítica) poderá gerar uma força capaz de fazer deslocar a restante placa. Esta força tem vindo a ser considerada vital no processo da tectónica de placas. Nuno Correia - 09/10
  37. 37. De Holmes a Uyeda Nuno Correia - 09/10
  38. 38. Consequências desta teoria....  Formação de cadeias montanhosas - o choque entre duas placas está na origem da formação de montanhas. Exemplo: Himalaias;  Deformação dos materiais - as forças que actuam sobre as massas rochosas podem causar-lhes deformações, tais como dobras, falhas e metamorfismo;  Distribuição dos seres vivos - ao moverem-se e ao moldarem o relevo, as placas podem aproximar ou afastar as populações de seres vivos, contribuindo para o mecanismo da evolução de espécies. se. Nuno Correia - 09/10
  39. 39. Formação de cadeias montanhosas Formação dos Pirinéus Nuno Correia - 09/10
  40. 40. Deformação de materiais Sedimentogénese + Diagénese Metamorfismo Magmatismo Nuno Correia - 09/10
  41. 41. Distribuição dos Seres Vivos  Porque é que só existem marsupiais na Austrália?  A abertura de um oceano pode isolar grupos de seres vivos. As populações podem tornar-se mais frágeis podendo algumas delas extinguir-se. Nuno Correia - 09/10
  42. 42.  A tectónica de placas é um factor de evolução das espécies. Nuno Correia - 09/10
  43. 43. Energia renovável Nuno Correia - 09/10
  44. 44.  http://esminfo.prenhall.com/science/geoanimatio ns/animations/35_VolcanicAct.html Nuno Correia - 09/10

×