Your SlideShare is downloading. ×
Ppt 6   A Medida Do Tempo E A Idade Da Terra (Parte 2)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Ppt 6 A Medida Do Tempo E A Idade Da Terra (Parte 2)

4,070

Published on

Published in: Technology, Spiritual
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,070
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
281
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 10º ANO - GEOLOGIA A medida do tempo e a idade da Terra
  • 2. Parte 2 – Datação Absoluta Nuno Correia - 09/10
  • 3. Início  Durante o século XIX, houve várias tentativas para definir uma escala numérica para o tempo geológico. Foram desenvolvidos vários métodos, para procurar determinar a idade absoluta da Terra. Nuno Correia - 09/10
  • 4.  Em 1896, Henri Becquerel, um físico francês, descobriu a radioactividade no urânio, introduzindo um importante avanço na física moderna. O potássio (K), o rubídio (Rb) e o tório (Tr) também são instáveis e sofrem desintegração - decaimento radioactivo. Nuno Correia - 09/10
  • 5. A idade da Terra  Em 1905,o físico Ernest Rutherford sugeriu que os princípios da radioactividade podiam ser aplicados para medições mais precisas e fiáveis da idade das rochas, obtendo-se uma idade absoluta, normalmente expressa em milhões de anos. 1 M.a. = 1 000 000 anos 1 G.a. = 1 000 000 000 anos Nuno Correia - 09/10
  • 6. Tempo de semi-vida Nuno Correia - 09/10
  • 7. Princípios da datação absoluta Nuno Correia - 09/10
  • 8. Curva de decaimento Nuno Correia - 09/10
  • 9. Actividade Nuno Correia - 09/10
  • 10. Exemplos de isótopos utilizados Nuno Correia - 09/10
  • 11. Eficácia do método  As rochas magmáticas, ao contrário das rochas sedimentares e metamórficas, são rochas que podem ser sujeitas a este método de datação. Nuno Correia - 09/10
  • 12. Sistemas Abertos  As rochas metamórficas e as rochas sedimentares resultam da acumulação e da transformação (diagénese ou metamorfismo) de sedimentos com origens e idades diferentes, o que impede que seja determinada a idade absoluta da sua génese. Nuno Correia - 09/10
  • 13. Idade da Terra http://blacksmoker.wordpress.com/2009/09/09/4567-m-a/ Nuno Correia - 09/10
  • 14. Considerações finais...  A velocidade de decaimento não é afectada pelas condições ambientais (temperatura, humidade, pressão), o que torna o seu valor específico do elemento e não das condições a que esse elemento está sujeito. Nuno Correia - 09/10
  • 15. Memória dos Tempos Geológicos Escala do Tempo Geológico Nuno Correia - 09/10
  • 16. Tabela de divisões do Tempo Geológico As datações relativas e absolutas permitem aos geólogos construir uma escala do tempo geológico, que representa um calendário dos acontecimentos que marcaram a história evolutiva do planeta. Escala do tempo geológico O tempo desde a formação do planeta Terra até à actualidade, dividido em períodos durante os quais ocorrem fenómenos geológicos caracterizados pelos investigadores. Nuno Correia - 09/10
  • 17. http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/f/fe/Geologic_clock.jpg Nuno Correia - 09/10
  • 18. Quadro das grandes extinções Nuno Correia - 09/10
  • 19. Grandes acontecimentos http://sites.google.com/site/geologiaebiologia/geologia-e-biologia-10o/histria-da-terra Nuno Correia - 09/10

×