Ppt 22   Caracteristicas Do Vulcanismo AçOriano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Ppt 22 Caracteristicas Do Vulcanismo AçOriano

on

  • 5,820 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,820
Views on SlideShare
5,813
Embed Views
7

Actions

Likes
1
Downloads
223
Comments
0

1 Embed 7

http://www.slideshare.net 7

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Ppt 22 Caracteristicas Do Vulcanismo AçOriano Presentation Transcript

  • 1. 10º ANO - GEOLOGIA VULCANISMO NOS AÇORES
  • 2. Enquadramento tectónico  Nos Açores encontram-se registos de erupções efusivas e explosivas, num quadro regional complexo. Nuno Correia 09/10
  • 3.  O arquipélago dos Açores está situado na confluência de três importantes placas litosférica - as placas Norte- Americana, Africana e Euro-Asiática.  Este peculiar enquadramento geológio gerou um complexo sistema de estruturas tectónicas que afecta toda a região e que se encontr na génese das ilhas. Nuno Correia 09/10
  • 4.  0 rifte da Terceira, que passa pelas ilhas de São Miguel, Terceira e Graciosa, corresponde a uma região de expansão do fundo oceânico, embora de forma lenta, quando comparado com outros riftes. Epicentros sísmicos A velocidade de expansão da crusta ao longo do Rifte da Terceira está entre as mais lentas conhecidas em riftes activos (daí a classificação de hiper-lento): cerca de 3,7 mm/ano quando medido na perpendicular ao rifte; 2,3-3,8 mm/ano quando medido na perpendicular aos segmentos axiais oblíquos. Nuno Correia 09/10
  • 5.  Os geólogos consideram que deverá ser responsável pelo vulcanismo em São Miguel, Terceira e Graciosa.  A origem dos fenómenos vulcânicos existentes nas restantes ilhas ainda é pouco conhecida. Ilhéu de Vila Franca do Campo – S. Miguel Nuno Correia 09/10
  • 6. Vulcanismo em S. Miguel Nuno Correia 09/10
  • 7. Hipóteses  Os geólogos julgam que o vulcanismo intenso nas ilhas centrais (parcialmente em S. Miguel), se poderá dever à existência de um hot spot (Ponto Quente). Nuno Correia 09/10
  • 8. Hot Spot = Plumas Térmicas  pontos quentes se relacionam com as chamadas plumas térmicas, que são longas colunas de material quente e pouco denso, provavelmente oriundas da zona de fronteira entre o manto e o núcleo que sobem até à base da litosfera.  Em consequência da subida, o material experimenta uma descompressão, o que pode levar à sua fusão, originando uma fonte de magma que alimenta fenómenos de vulcanismo à superfície da Terra. Nuno Correia 09/10
  • 9.  No entanto, não existe nenhuma anomalia térmica positiva no manto da região dos Açores: bem pelo contrário, a temperatura deduzida da análise dos peridotitos e dos basaltos do manto superior é ligeiramente inferior ao normal (BONATTI, 1998). Nuno Correia 09/10
  • 10. Nuno Correia 09/10
  • 11.  S.Miguel iniciou a sua formação há 4,1 M.a.e foi sendo sucessivamente aumentada pelo material expelido em novas erupções.  A actividade vulcânica mais recente encontra-se na parte Este da ilha (Sete Cidades e Picos). Lagoa das Furnas – S. Miguel Nuno Correia 09/10
  • 12. Vulcão do Fogo  O vulcão do Fogo, na parte central, apresenta uma caldeira com 3,25 km de diâmetro, com um lago no seu centro.  Nos flancos do vulcão existem extensos depósitos de piroclastos.  As rochas mais antigas desta região possuem uma idade absoluta de 280 000±140 000 anos,tendo-se formado em ambiente submarino.  Após duas erupções importantes verificou-se o abatimento da estrutura e a formação de uma caldeira há 46 500 e 26 500 anos Nuno Correia 09/10
  • 13. http://geomorphologie.revues.org/index2853.html Nuno Correia 09/10
  • 14. Perigo de deslizamento de terrenos Ribeira Grande – Flanco norte do Em 1563, uma erupção Fogo – deslizamentos de terrenos explosiva (subpliniana), com emissão de lava, soterrou parte da povoação de Ribeira Seca. Nuno Correia 09/10
  • 15. Vulcão das Furnas  É o vulcão mais recente e estudado no contexto dos Açores, tendo ocorrido alguns episódios vulcânicos curtos nos últimos 5000 anos (dois históricos),de carácter explosivo (pliniano a subpliniano).  Em 1630, uma erupção com formação de escoadas piroclásticas terá morto 195 pessoas na ilha. Nuno Correia 09/10
  • 16. Idades radiométricas  Diversas idades radiométricas permitem fazer- se uma ideia razoável da idade das ilhas. Santa Maria 4,8 Ma São Miguel 3,1 Ma Terceira 0,9 Ma Graciosa 0,62 Ma São Jorge 0,45 Ma Faial 0,4 Ma Pico 0,25 Ma Nuno Correia 09/10
  • 17.  A actividade vulcânica nos Açores é intensa, com o registo de 34 erupções (terrestres e aquáticas) após a ocupação humana das ilhas Nuno Correia 09/10
  • 18.  A erupção mais recente (1998 a 2001) ocorreu 9 km ao largo da Terceira, dando origem a um novo estilo eruptivo (Serretiano). Nuno Correia 09/10
  • 19. Nuno Correia 09/10
  • 20.  Muitas das erupções submarinas provocaram o aparecimento de ilhéus que após algumas décadas de erosão marinha desapareceram, enquanto outras permitiram acrescentar área a muitas das ilhas. Nuno Correia 09/10
  • 21. Banco D. João de Castro  Entre as ilhas de São Miguel e Terceira,é um vulcão submarino, cujo topo se localiza a 14 metros da superfície do oceano. Nuno Correia 09/10
  • 22.  Em Dezembro de 1720, uma erupção originou uma ilha com 1,5 km de comprimento e 250 metros de altitude, que acabou por sofrer um intenso processo de erosão que culminou com o seu desaparecimento ao fim de dois anos. Nuno Correia 09/10
  • 23. Vulcanismo nas outras ilhas Nuno Correia 09/10
  • 24. Nuno Correia 09/10
  • 25. Flores Lagoa Funda, Sata Cruz das Flores. Nuno Correia 09/10
  • 26. Corvo A Lagoa do Caldeirão alojada na cratera vulcânica, ilha do Corvo Nuno Correia 09/10
  • 27. Faial Nuno Correia 09/10
  • 28. Pico É a mais alta montanha de Portugal e a terceira maior montanha que emerge do Atlântico, atingindo 2 351 metros de altitude. Nuno Correia 09/10
  • 29. Graciosa Ponta da Barca (um dique basáltico que resistiu à abrasão marinha). Nuno Correia 09/10
  • 30. S. Jorge Cratera do vulcão da Urzelina, sítio localmente conhecido por “Bocas de Fogo da Urzelina”, Vista Geral.  A velha torre sineira da Urzelina, o que resta da igreja destruída pela erupção. Nuno Correia 09/10
  • 31. Santa Maria Lavas em almofada Disjunção prismática Detalhe da formação geológica (almofadas e disjunções prismáticas de basalto) na ponta do Castelo. Nuno Correia 09/10
  • 32. Terceira Trata-se de uma notável chaminé vulcânica revestida internamente de formações siliciosas, alargada na parte basal e terminando numa lagoa de águas límpidas. O Algar do Carvão Nuno Correia 09/10
  • 33. WEBQUEST http://www.iep.uminho.pt/aac/hsi/a2003/vulcanismo/index.htm Nuno Correia 09/10