GEOLOGIA - 11
        Ocupação antrópica e problemas de
        ordenamento - Bacias Hidrográficas
Geologia
2


               A Geologia é a ciência que estuda o
                 Planeta Terra nas múltiplas interacções
 ...
Questão de aula
3

                       [...] passavam dez minutos das 21 horas de quatro de Março [...];
              ...
4




    Nuno Correia 09/10
1607 flood that affected Burnham-On-Sea




5                          Nuno Correia 09/10
Rio
6




   São cursos de água, mais ou
    menos contínuos, que correm
    em leito próprio,
    transportando partícul...
Rede hidrográfica
7




       O conjunto de todos os
        cursos de água ligados a
        um rio principal.




    ...
Bacia Hidrográfica
8




       área onde está
        implantada a rede
        corresponde à
        respectiva bacia
 ...
Leito do rio
9


       Espaço que pode ser ocupado pelas águas.
         Leito   pode ser
           Ordinário /   apa...
Leito de cheia / Leito de estiagem
10




                     Nuno Correia 09/10
Cheia
11



        Fenómeno natural provocado por precipitação
         intensa de curta duração, por precipitação muito...
Quais os factores que intervêm na
12
                   acção de um rio?
     Declive - expresso em metros por quilómetro;...
13



    Características das Bacias Hidrográficas determinantes do
     comportamento dos cursos de água
      Relevo

...
Perfil de equilíbrio
14




                       Nuno Correia 09/10
15




     Nuno Correia 09/10
Acção geológica de um rio
16


        Meteorização e erosão
        Transporte
        Sedimentação




              ...
Erosão
17


        Extracção progressiva de materiais do leito e das
         margens do rio. Deve-se à pressão exercida...
Erosão
18




                       Rio Âncora
     Rio Caima
                 Nuno Correia 09/10
Marmitas de gigante
19




              Rio Guadiana – Pulo do Lobo (Mértola)


             Nuno Correia 09/10
Transporte
20



        Deslocação dos detritos rochosos erodidos pela
         corrente de água para outros locais.

  ...
Transporte
21




                  Nuno Correia 09/10
Tipologia dos materiais
22




                     Nuno Correia 09/10
Sedimentação
23



        Deposição dos materiais ao longo do leito e nas
         margens dos cursos de água – nos terr...
24




     Nuno Correia 09/10
Sedimentação
25




                              Foz do Douro

                    Nuno Correia 09/10
Delta (Mississipi – EUA)
26




                                      Formação de um delta


                      Nuno Co...
Depósitos de Leito - aluviões
27




                             A deposição de
                             materiais é ...
Meandros
28




                Nuno Correia 09/10
29




     Nuno Correia 09/10
Redução das Consequências dos Riscos
                  Geológicos




30                     Nuno Correia 09/10
Principais factores de risco associados
31
             às Bacias Hidrográficas




                       Nuno Correia 09...
Prevenção e controlo dos danos
32




                    Nuno Correia 09/10
Cheias
33




       Nuno Correia 09/10
Cheias
34



     Precipitações longas e moderadas
     Precipitações repentinas e de elevada intensidade.
     Fusão de g...
35




     Os egípcios sabiam lidar
     bem com cálculos e
     faziam previsões das
     cheias do Nilo.




          ...
Cheias no ribatejo
36




     Boas ou más? Depende do ponto de vista!!
                        Nuno Correia 09/10
Cheias no Douro
37




                                            Más !!



                                            O...
Pico de cheia
38




                     Nuno Correia 09/10
Previsão de cheias
39




                     Nuno Correia 09/10
Ruptura de diques e barragens
40




                    Nuno Correia 09/10
Barragem Teton - EUA
41




                    Nuno Correia 09/10
Barragens
42



        Permite regular o caudal dos rios.

        A retenção de água na albufeira evita inundações a j...
Impactes negativos
43


        retenção de sedimentos a montante da barragem,
         com redução da carga

        Ca...
 acumulação de sedimentos a montante, diminuindo a capacidade de armazenamento
 da albufeira;

  diminuição do transport...
Diques
45




              Nuno Correia 09/10
Canais e enrocamento
46




                  Rio Mondego




                      Nuno Correia 09/10
Katrina - 2005                     A causa foi aquecimento global?

47



     Como consequência da tempestade,
     muito...
Extracção de inertes
48




     Entre-os-Rios




                     Nuno Correia 09/10
Extracção de inertes
49



        Associada à acumulação de sedimentos nos rios,
         como consequência da construçã...
Consequências
50




                     Nuno Correia 09/10
Cidades em áreas de inundação
51




                    Nuno Correia 09/10
52




     Liuzhou – China




       Nuno Correia 09/10
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Geo 2 OcupaçãO AntróPica E Problemas De Ordenamento Rios

3,287 views
3,215 views

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,287
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
392
Actions
Shares
0
Downloads
157
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Geo 2 OcupaçãO AntróPica E Problemas De Ordenamento Rios

  1. 1. GEOLOGIA - 11 Ocupação antrópica e problemas de ordenamento - Bacias Hidrográficas
  2. 2. Geologia 2 A Geologia é a ciência que estuda o Planeta Terra nas múltiplas interacções entre os diferentes sistemas terrestres, agregando diversas áreas de especialização que se afiguram essenciais a um número crescente de actividades relevantes em qualquer modelo de desenvolvimento sustentável da sociedade. Geologia, do grego γη, ge, "Terra" e λόγος, logos, "discurso, tratado". Nuno Correia 09/10
  3. 3. Questão de aula 3 [...] passavam dez minutos das 21 horas de quatro de Março [...]; um dos pilares da ponte cedeu, o tabuleiro partiu-se, o autocarro mergulhou nas águas rápidas do Douro, um rio tornado mais agressivo do que o habitual pelo Inverno rigoroso que se fez sentir durante meses. [...] O relatório do desastre da Hintze- Ribeiro -com mais de cem anos de idade - apontou o dedo acusador à extracção desregrada de areias do leito do Douro. [...] A consequência política directa foi o pedido de demissão, ainda na madrugada do dia 5, do Ministro do Equipamento Social. Anuário Expresso,2001 A demissão do Ministro do Equipamento Social reflecte a assunção, por parte do Governo, de falhas ao nível da política de ordenamento do território. Explique, de forma resumida, a importância de medidas coerentes e eficazes de ordenamento do território.
  4. 4. 4 Nuno Correia 09/10
  5. 5. 1607 flood that affected Burnham-On-Sea 5 Nuno Correia 09/10
  6. 6. Rio 6  São cursos de água, mais ou menos contínuos, que correm em leito próprio, transportando partículas de rochas de várias dimensões e substâncias em solução. Nuno Correia 09/10
  7. 7. Rede hidrográfica 7  O conjunto de todos os cursos de água ligados a um rio principal. Nuno Correia 09/10
  8. 8. Bacia Hidrográfica 8  área onde está implantada a rede corresponde à respectiva bacia hidrográfica. Nuno Correia 09/10
  9. 9. Leito do rio 9  Espaço que pode ser ocupado pelas águas.  Leito pode ser  Ordinário / aparente  Cheia  Estiagem Nuno Correia 09/10
  10. 10. Leito de cheia / Leito de estiagem 10 Nuno Correia 09/10
  11. 11. Cheia 11  Fenómeno natural provocado por precipitação intensa de curta duração, por precipitação muito prolongada ou por fusão dos gelos. Nuno Correia 09/10
  12. 12. Quais os factores que intervêm na 12 acção de um rio? Declive - expresso em metros por quilómetro; Área de secção do leito - expressa em metros quadrados; Velocidade média da água - expressa em metros por segundo; Débito - expresso em metros cúbicos por segundo; Competência - expressa em quilogramas por metro cúbico. Nuno Correia 09/10
  13. 13. 13  Características das Bacias Hidrográficas determinantes do comportamento dos cursos de água  Relevo  Natureza e Estrutura das rochas  Clima da região  Cobertura vegetal  Acção antrópica Nuno Correia 09/10
  14. 14. Perfil de equilíbrio 14 Nuno Correia 09/10
  15. 15. 15 Nuno Correia 09/10
  16. 16. Acção geológica de um rio 16  Meteorização e erosão  Transporte  Sedimentação Nuno Correia 09/10
  17. 17. Erosão 17  Extracção progressiva de materiais do leito e das margens do rio. Deve-se à pressão exercida pela água em movimento sobre as saliências do leito e das margens dos rios Nuno Correia 09/10
  18. 18. Erosão 18 Rio Âncora Rio Caima Nuno Correia 09/10
  19. 19. Marmitas de gigante 19 Rio Guadiana – Pulo do Lobo (Mértola) Nuno Correia 09/10
  20. 20. Transporte 20  Deslocação dos detritos rochosos erodidos pela corrente de água para outros locais.  Designa-se por Carga sólida de um curso de água o conjunto de fragmentos sólidos por ele transportados. Nuno Correia 09/10
  21. 21. Transporte 21 Nuno Correia 09/10
  22. 22. Tipologia dos materiais 22 Nuno Correia 09/10
  23. 23. Sedimentação 23  Deposição dos materiais ao longo do leito e nas margens dos cursos de água – nos terraços fluviais, nos deltas e nos aluviões Nuno Correia 09/10
  24. 24. 24 Nuno Correia 09/10
  25. 25. Sedimentação 25 Foz do Douro Nuno Correia 09/10
  26. 26. Delta (Mississipi – EUA) 26 Formação de um delta Nuno Correia 09/10
  27. 27. Depósitos de Leito - aluviões 27 A deposição de materiais é importante quando ocorrem cheias. Nuno Correia 09/10
  28. 28. Meandros 28 Nuno Correia 09/10
  29. 29. 29 Nuno Correia 09/10
  30. 30. Redução das Consequências dos Riscos Geológicos 30 Nuno Correia 09/10
  31. 31. Principais factores de risco associados 31 às Bacias Hidrográficas Nuno Correia 09/10
  32. 32. Prevenção e controlo dos danos 32 Nuno Correia 09/10
  33. 33. Cheias 33 Nuno Correia 09/10
  34. 34. Cheias 34 Precipitações longas e moderadas Precipitações repentinas e de elevada intensidade. Fusão de grandes massas de gelo. Ruptura de barragens e de diques.  O excesso de água aumenta os caudais dos cursos e o leito normal extravasa, provocando a inundação das zonas mais próximas – leito de cheia. A elevação do leito pode acarretar elevados prejuízos materiais e humano. Nuno Correia 09/10
  35. 35. 35 Os egípcios sabiam lidar bem com cálculos e faziam previsões das cheias do Nilo. Nuno Correia 09/10
  36. 36. Cheias no ribatejo 36 Boas ou más? Depende do ponto de vista!! Nuno Correia 09/10
  37. 37. Cheias no Douro 37 Más !! Ocupação antrópica Nuno Correia 09/10
  38. 38. Pico de cheia 38 Nuno Correia 09/10
  39. 39. Previsão de cheias 39 Nuno Correia 09/10
  40. 40. Ruptura de diques e barragens 40 Nuno Correia 09/10
  41. 41. Barragem Teton - EUA 41 Nuno Correia 09/10
  42. 42. Barragens 42  Permite regular o caudal dos rios.  A retenção de água na albufeira evita inundações a jusante.  As barragens permitem ainda outras utilizações da água:  produção de energia hidroeléctrica  o abastecimento das populações  as actividades de recreio  a irrigação de terrenos agrícolas. Nuno Correia 09/10
  43. 43. Impactes negativos 43  retenção de sedimentos a montante da barragem, com redução da carga  Carga sólida debitada pelos rios no mar;  destruição ou desequilíbrio dos ecossistemas da zona, pela inundação de áreas anteriormente emersas, e interferência com as migrações de peixes. Nuno Correia 09/10
  44. 44.  acumulação de sedimentos a montante, diminuindo a capacidade de armazenamento da albufeira;  diminuição do transporte de sedimentos pelos rios, reduzindo drasticamente o fornecimento de sedimentos para a orla costeira, pois o maior transporte de sedimentos ocorre nos períodos de cheia que são reduzidos nos rios com regime artificial;  modificações no perfil transversal dos rios,que poderão estar na origem de uma maior erosão a jusante das barragens 44 Nuno Correia 09/10
  45. 45. Diques 45 Nuno Correia 09/10
  46. 46. Canais e enrocamento 46 Rio Mondego Nuno Correia 09/10
  47. 47. Katrina - 2005 A causa foi aquecimento global? 47 Como consequência da tempestade, muitos problemas apareceram. Alguns dos diques que protegiam Nova Orleães não conseguiram conter as águas do Lago Pontchartrain, que afluiu município adentro, inundando mais de 80% da cidade. Cerca de 200 mil casas ficaram debaixo d'água em Nova Orleans, sendo que foram necessárias várias semanas para que a água pudesse ser totalmente bombeada para fora da cidade. Nuno Correia 09/10
  48. 48. Extracção de inertes 48 Entre-os-Rios Nuno Correia 09/10
  49. 49. Extracção de inertes 49  Associada à acumulação de sedimentos nos rios, como consequência da construção de barragens, floresce a actividade de extracção de inertes. Nuno Correia 09/10
  50. 50. Consequências 50 Nuno Correia 09/10
  51. 51. Cidades em áreas de inundação 51 Nuno Correia 09/10
  52. 52. 52 Liuzhou – China Nuno Correia 09/10

×