Ciências naturais 7 história da terra - o que dizem os fósseis - parte iii

1,319 views
1,190 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,319
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ciências naturais 7 história da terra - o que dizem os fósseis - parte iii

  1. 1. CIÊNCIAS NATURAIS 7
  2. 2. Nuno Correia 2012/13 2
  3. 3. A CRONOLOGIA DOS ACONTECIMENTOS QUE MARCARAM A TERRADurante muito tempo, pensou-se que a Terra era umplaneta estático e relativamente recente.A partir do século XVI vários foram os cientistas querecolheram evidências de que a Terra é um planeta emconstante mutação e de que esses fenómenos sópodem ser explicados numa escala de tempo muitomaior do que aquela que era considerada até então. Nuno Correia 2012/13 3
  4. 4. Atualmente, a comunidade científicadetermina que a idade da Terra é deaproximadamente 4600 milhões de anos. Nuno Correia 2012/13 4
  5. 5. Durante este longo período de tempo, os continentesdeslocaram-se, os mares e oceanos redesenharam-se,os climas alteraram-se, a composição da atmosferasofreu variações, elevaram-se montanhas, os seresvivos apareceram, evoluíram e/ou extinguiram-se. Nuno Correia 2012/13 5
  6. 6. Nuno Correia 2012/13 6
  7. 7. A Terra está em constante variação. Nuno Correia 2012/13 7
  8. 8. O TEMPO EM GEOLOGIA Nuno Correia 2012/13 8
  9. 9. Para reconstruir a história destes acontecimentos, éessencial estabelecer a sua cronologia, pelo que se torna importante atribuir-lhes idades.Qual a figura que representa a época mais recuada? A B C D Nuno Correia 2012/13 9
  10. 10. 1) Qual a figura que representa a época mais recente?2) Ordene do mais antigo para o mais recente, as quatro figuras representadas. A B C D Nuno Correia 2012/13 10
  11. 11. Comente a seguinte afirmação: “a idade atribuída acada uma das figuras é uma idade relativa”. A B C D Nuno Correia 2012/13 11
  12. 12. A família do Pedro é constituída por cinco pessoas - o pai, a mãe, a avó euma irmã mais nova.Sabendo que:- a avó do Pedro nasceu em 1940;- o pai do Pedro é mais novo que a avó 32 anos;- a mãe do Pedro tem a mesma idade que o pai;- quando a irmã nasceu, o Pedro tinha 4 anos;- quando o Pedro nasceu, o pai tinha 25 anos;a) Determine o ano em que nasceu o Pedro.b) Determine a idade de todos os elementos desta família em 2005.c) Comente a seguinte afirmação: "A idade atribuída a cada elemento da família do Pedro é uma idade absoluta". Nuno Correia 2012/13 12
  13. 13. No dia a dia, o tempo mede-seem horas, minutos e segundos.Em Geologia, o tempo mede-seem milhões de anos (Ma).O intervalo de tempo quecompreende toda a história daTerra, desde a sua formação àatualidade, é o tempo geológico,que corresponde aos 4,6 mil Made idade da Terra. Nuno Correia 2012/13 13
  14. 14. 14Nuno Correia 2012/13
  15. 15. Na atualidade, é possível determinar com algum rigor aidade de algumas rochas, recorrendo para tal amétodos tecnologicamente evoluídos — dataçãoabsoluta.Uma maneira mais fácil de estabelecer a idade dasrochas é fazê-lo por comparação com outras — dataçãorelativa. Nuno Correia 2012/13 15
  16. 16. DATAÇÃO RELATIVA Nuno Correia 2012/13 16
  17. 17. OS SEDIMENTOS DEPOSITAM-SE EM CAMADAS HORIZONTAISSegundo Nicolau Steno, os sedimentos, que dão origem às rochas sedimentares, sãotransportados e depositados em locais normalmente afastados do seu local deorigem. Habitualmente, os sedimentos depositam-se em camadas horizontais, dandoorigem a estratos que se formam uns sobre os outros. Nuno Correia 2012/13 17
  18. 18. Nuno Correia 2012/13 18
  19. 19. PRINCÍPIO DA SOBREPOSIÇÃO DOS ESTRATOS,Princípio da sobreposição dos estratos, segundo o qual um estrato que seencontra por baixo é mais antigo do que um que se situa por cima, e mais recente do que um outro que esteja por baixo dele . 19 Nuno Correia 2012/13
  20. 20. Indica, para cada uma das figuras, a rocha maisantiga e a rocha mais recente. Justifica a resposta. 20 Nuno Correia 2012/13
  21. 21. Explica a diferença verificada na inclinação das camadas K e Z da figura A. 21 Nuno Correia 2012/13
  22. 22. Nuno Correia 2012/13 22
  23. 23. Explica a diferença de cotas entre a camada R e o depósito Y da figura B. 23 Nuno Correia 2012/13
  24. 24. Explica a influência dos rios na destruição/formação do registo fóssil. 24 Nuno Correia 2012/13
  25. 25. PRINCÍPIO DA IDENTIDADE PALEONTOLÓGICAA análise do registo fóssil também possibilita a datação relativadas rochas. Para tal, devemos partir do princípio de que, numfóssil, quer o organismo que deixou o vestígio, quer ossedimentos onde o mesmo fossilizou são contemporâneos, istoé, têm a mesma idade. Nuno Correia 2012/13 25
  26. 26. PRINCÍPIO DA IDENTIDADE PALEONTOLÓGICAOutra informação importante e facilitadora da datação dosestratos é a associação fossilífera: dois estratos com os mesmostipos de fósseis, ainda que distanciados geograficamente, têm amesma idade. 26 Nuno Correia 2012/13
  27. 27. Indica, relativamente ao local A da figura, o estrato mais antigo e o mais recente. Nuno Correia 2012/13 27
  28. 28. Identifica os estratos dos locais A e B com a mesma idade. Nuno Correia 2012/13 28
  29. 29. Explica a diferença de espessura entre estratos coma mesma idade. Nuno Correia 2012/13 29
  30. 30. Localiza, considerando a figura, as superfícies que representam lacunas na sequência de camadas. Nuno Correia 2012/13 30
  31. 31. Procura dar uma explicação para essas lacunas ou camadas em falta. Nuno Correia 2012/13 31
  32. 32. Nuno Correia 2012/13 32

×