Your SlideShare is downloading. ×
Biologia 11   sistemas de classificação (u8)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Biologia 11 sistemas de classificação (u8)

1,801
views

Published on

Published in: Education

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,801
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
139
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. BiologiaBiologia 11º
  • 2. 2 Nuno Correia 11/12
  • 3. 3Nuno Correia 11/12
  • 4. 4O sistema de classificação de Whittaker é uma tentativa para classificar a diversidade da vida de uma forma que é útil e reflete a história evolutiva. Nuno Correia 11/12
  • 5. 5Nuno Correia 11/12
  • 6. 6Nuno Correia 11/12
  • 7. 7Nuno Correia 11/12
  • 8. 8Nuno Correia 11/12
  • 9. 9Nuno Correia 11/12
  • 10. 10 Nuno Correia 11/12
  • 11. 11A recolha de novos dados tem conduzido os sistematas apropor novos sistemas de classificação.Em 1970, Carl Woese, biólogo da Universidade de Illinois, e osseus colaboradores, baseados em critérios moleculares,essencialmente sequências nucleotídicas de RNAribossómico, propuseram que há fundamentalmente doisgrupos distintos nos procariontes: arquebactérias e eubactérias. Nuno Correia 11/12
  • 12. 12 Nuno Correia 11/12
  • 13. 13 Nuno Correia 11/12
  • 14. 14 Nuno Correia 11/12
  • 15. 15 Nuno Correia 11/12
  • 16. 16O termo filogenia molecular refere-se às relações de ancestralidade inferidas apartir de estudos moleculares.Os caracteres moleculares são extremamente úteis para inferênciasfilogenéticas, constituindo um conjunto quase ilimitado de dados sobre omaterial genético.Desde então, os caracteres moleculares, como sequências de DNA, foramessenciais, por exemplo, na classificação das plantas Angiospérmicas.Juntamente com os caracteres morfológicos, têm ajudado os sistematas noaprimoramento das classificações dos seres vivos. Alessandra Selbach Schnadelbach & Cássio van den Berg Nuno Correia 11/12
  • 17. Os cavalos têm sido utilizados pelos seres humanos durante os últimos 5 mil anos. 17Hoje é difícil saber quando e onde os nossos antepassados domesticaram cavalos pelaprimeira vez. Um grupo de investigadores suecos descobriu que a domesticação doscavalos foi iniciada simultaneamente em vários lugares do mundo de forma independente.Chegaram a esta conclusão ao analisar DNA de diferentes raças de cavalos domésticos,cavalos selvagens e fósseis de cavalos que viveram há mais de 5000 anos (antes dadomesticação). Até agora, pensava-se que provavelmente os cavalos tivessem sidodomesticados pela primeira vez há cerca de 5000 anos, onde hoje fica a Ucrânia,Cazaquistão e Mongólia. Em seguida os cavalos domésticos teriam sido progressivamenteexportados para regiões vizinhas, até terem a distribuição dos dias de hoje. Para surpresados cientistas, as diferenças de DNA entre as raças de cavalos atuais são semelhantes àsdiferenças encontradas entre estes e cavalos selvagens. São até equivalentes às dife-renças entre diversos fósseis de cavalos de uma época anterior à domesticação. "Widespread origins of .domestic horse lineages", Science 291: 474-8 (19-01 -2001) Nuno Correia 11/12
  • 18. 181. Selecione a opção que completa corretamente a afirmação seguinte:Se os cavalos tivessem sido domesticados pela primeira vez há cerca de 5000anos e, em seguida, os cavalos domésticos tivessem sido progressivamenteexportados para regiões vizinhas, o DNA das diferentes raças modernas seria...a) ... mais semelhante entre si do que quando comparado com cavalos selvagens ou fósseis de cavalos.b) ... mais diferente entrec) si do que quando comparado com cavalos selvagens ou fósseis de cavalos antigos.d) ... semelhante entre si e idêntico ao dos cavalos selvagens ou fósseis de cavalos.e) ... diferente entre si, mas idêntico ao dos cavalos selvagens ou fósseis de cavalos. Nuno Correia 11/12
  • 19. 19Explique de que modo a domesticação doscavalos não pode ser considerada fator de evolução. Nuno Correia 11/12
  • 20. 20Selecione a(s) opção(ões) que completa(m)corretamente a afirmação seguinte:As diferenças de DNA encontradas nos cavalosdomésticos de hoje podem dever-se a...A - ... mutações.B - ... recombinação génica.C - ... fecundação.D - ... seleção artificial. Nuno Correia 11/12
  • 21. 21Selecione a opção que torna a frase correta."Sem l não há variabilidade; sem variabilidadenão há II e, consequentemente, não há III.“a) l = evolução , II = mutação e III = seleçãob) l = mutação , II = evolução e III = seleçãoc) l = mutação , II = seleção e III = evoluçãod) l = seleção , II = mutação e III = evolução Nuno Correia 11/12
  • 22. 22Refira o número de núcleos de domesticação obtidos a partir da investigação efetuada pelos cientistas suecos. Nuno Correia 11/12
  • 23. 23Faça corresponder a cada uma das letras ( de A a F ), que identificam afirmações relativas a argumentos afavor do evolucionismo, o número de ( l a VI ) da chave, que assinala os tipos de argumentos.Afirmaçõesa) A análise do DNA de diferentes raças de cavalos domésticos e cavalos selvagens permitiu concluir que a domesticação dos cavalos foi iniciada simultaneamente em vários lugares do mundo de forma independente.b) Os membros anteriores do cavalo são homólogos dos membros superiores do Homem.c) Os fósseis de cavalos antigos ajudaram a reconstruir a história evolutiva do cavalo.d) Há semelhanças entre embriões do cavalo e dos outros vertebrados.e) A carraça tem como hospedeiros o cavalo e o cão.f) A maioria dos seres vivos obtém energia pela respiração celular.Chavel - PaleontológicosII – EmbriológicosIII - Anatomia comparadaIV – CitológicosV- ParasitológicosVI - Bioquímicos Nuno Correia 11/12
  • 24. 24As couves são plantas pertencentes à família Brassicaceae, género Brassica, espécie Brassicaoleracea L. Nesta família, para além das couves, ainda se pode destacar, pela suaimportância na alimentação, o nabo (Brassica rapa) e o rabanete (Raphanus sativus).Existem diversos Centros de Origem para as plantas da família Brassicaceae. A espécieBrassica oleracea L. cresce espontaneamente ao longo da costa atlântica da Europa, ondeterá sido cultivada na sua forma primitiva (couve de folhas). Quando foi levada para a regiãoEste do Mediterrâneo, tornou-se completamente domesticada e iniciou-se uma explosivadiversificação que originou uma enorme variedade de formas cultivadas. Na Idade Média acultura de couves espalhou-se por toda a Europa. Os primeiros caracteres utilizados parainferências filogenéticas, ou seja, para reconstrução de histórias evolutivas, foram osmorfológicos. Com o aparecimento da biologia molecular, inúmeras técnicas de acesso aomaterial genético foram desenvolvidas, entre as quais os ensaios imunológicos, a eletroforesede enzimas e proteínas, a hibridização do DNA e a reação em cadeia da DNA-polimerase.Mais recentemente, a sequência de regiões específicas de DNA tem constituído uma novaalternativa de acesso à informação genética, permitindo comparações entre indivíduos erepresentando diferentes níveis taxonómicos. A primeira grande filogenia de Angiospérmicasbaseada em sequências de DNA constituiu um marco para a sistemática filogenética. Nuno Correia 11/12
  • 25. 25 Nuno Correia 11/12
  • 26. 261. Classifique em verdadeiras (V) e falsas (F) as seguintes afirmações, relativas à evolução da Brassica olearecea.A. A estrutura A é homóloga da estrutura B.B. A estrutura A é homóloga da estrutura E.C. As estruturas E e F são estruturas análogas.D. A couve-flor resultou de uma evolução divergente.E. A couve de Bruxelas e os brócolos foram sujeitos a idêntica pressão seletiva.F. O nabo é mais próximo filogeneticamente da Brassica oleracea do que do rabanete.G. A estrutura D tem a mesma origem da estrutura E.H. As estruturas C e D desempenham a mesma função. Nuno Correia 11/12
  • 27. 27Explique de que modo Darwin interpretaria o aparecimento da couve-flor. Nuno Correia 11/12
  • 28. 28Classifique taxonomicamente a designação Brassica oleracea L. Nuno Correia 11/12
  • 29. 29O nabo (Brassica rapa) e o rabanete (Raphanussativus) apresentam semelhanças morfológicas.Explique por que razão o nabo e o rabanete se encontram em grupos taxonómicos diferentes. Nuno Correia 11/12
  • 30. 30As afirmações que se seguem são relativas às diferentes hipóteses eteorias que explicam a biodiversidade na Terra.I. As espécies vivas foram criadas por ato divino e com as características que apresentam hoje.II. A diversidade de espécies resulta de um processo de duas etapas: a mutação e recombinação génica, que criam variantes genéticas sobre as quais actua a selecção natural.III. As características de um indivíduo modificam-se em função do uso e desuso, e essas modificações são transmitidas aos descendentes.IV. A seleção natural favorece, ao longo de gerações, a permanência de características relacionadas com a melhor adaptação dos indivíduos às condições ambientais.Selecione a opção que contém as associações corretas. l - Fixismo; II - Darwinismo; III - Lamarckismo; IV- Neodarwinismo l - Fixismo; II - Neodarwinismo; III - Lamarckismo; IV - Darwinismo l - Lamarckismo; II - Darwinismo; III - Fixismo; IV - Neodarwinismo l - Lamarckismo; II - Neodarwinismo; III - Fixismo; IV - Darwinismo l - Darwinismo; II - Fixismo; III - Lamarckismo; IV - Neodarwinismo Nuno Correia 11/12
  • 31. 31Coloque por ordem as letras de A a E de modo areconstituir o aparecimento da espécie couve-flor,segundo Lamarck.A. As folhas da Brassica oleracea reduziram de tamanho.B. A Brassica oleracea foi plantada em climas quentes.C. A Brassica oleracea de folhas reduzidas reproduziu-se.D. Formou-se uma nova espécie - a couve-flor.E. A Brassica oleracea teve necessidade de se adaptar ao clima quente. Nuno Correia 11/12

×