Reações de Álcoois, Fenóis e Éteres
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Reações de Álcoois, Fenóis e Éteres

on

  • 54,823 views

Notas de Aula

Notas de Aula

Statistics

Views

Total Views
54,823
Views on SlideShare
54,823
Embed Views
0

Actions

Likes
5
Downloads
1,202
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Olá, professor!

    Gostei bastante da apresentação sobre Álcoois, Fenóis e Éteres. Poderia me enviar só o conteudo por e-mail?? Não precisa ser a apresentação não. APenas o conteudo. No Word.

    Agradeceria bastante!!

    Abç
    Luana Ferreira Nunes
    e-mail: luanna.fc@hotmail.com
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Reações de Álcoois, Fenóis e Éteres Reações de Álcoois, Fenóis e Éteres Presentation Transcript

  • DQOI - UFC Prof. NunesReações deReações de Alcoóis,Alcoóis, FenóisFenóisUniversidade Federal do CearáCentro de CiênciasDepartamento de Química Orgânica e InorgânicaQuímica Orgânica IIProf. Nunesee ÉteresÉteresProf. Dr. José Nunes da Silva Jr.
  • DQOI - UFC Prof. NunesAlcoóisAlcoóisOs alcoóisalcoóis são compostos que possuem um grupo hidroxila (OH) esão caracterizados pela nomes que terminam em "ol":Um grande número de compostos que ocorrem naturalmente, contemo grupogrupo hidroxilahidroxila. Alguns exemplos:
  • DQOI - UFC Prof. NunesFenóisFenóisO fenolfenol é um tipo especial de álcool. Ele é constituído por um grupogrupohidroxilahidroxila ligadoligado diretamentediretamente aa umum anelanel benzênicobenzênico.Os fenóis substituídos são extremamenteextremamente comunscomuns nana naturezanatureza eexibem uma vasta variedade de propriedades e funções, como podeser visto nos exemplos seguintes.
  • DQOI - UFC Prof. NunesAcidez da HidroxilaAcidez da HidroxilaA acidezacidez de um composto pode ser avaliado qualitativamente atravésda análise da estabilidade de sua base conjugada:A basebase conjugadaconjugada de um álcool é chamado um alcóxidoalcóxido, e apresentauma carga negativa sobre o átomo de oxigênio.uma carga negativa sobre o átomo de oxigênio.Uma cargacarga negativanegativa sobresobre umum átomoátomo dede oxigêniooxigênio éé maismais estávelestável doque uma carga negativa sobre átomo de carbono ou nitrogênio, mas émenos estável do que uma carga negativa sobre um halogênio.
  • DQOI - UFC Prof. NunesAcidez da HidroxilaAcidez da HidroxilaPortanto, os alcoóisalcoóis sãosão maismais ácidosácidos do que as aminas e os alcanos,mas sãosão menosmenos ácidosácidos dodo queque osos halogenetoshalogenetos dede hidrogêniohidrogênio.O pKa para a maioria dos alcoóis cai no intervalo de 15-18.
  • DQOI - UFC Prof. NunesReagentes para Desprotonar um ÁlcoolReagentes para Desprotonar um ÁlcoolExistem duas formas mais comuns para desprotonardesprotonar umum álcoolálcool eformar um íoníon alcóxidoalcóxido.1)1) UmaUma basebase forteforte deve ser utilizada para desprotonar o álcool. Umabase comumente utilizada é hidretohidreto dede sódiosódio ((NaHNaH)), porque o íoníonhidretohidreto (H(H--)) desprotonadesprotona oo álcoolálcool e gera o gás hidrogênio (H2) quesai como bolhas na solução.2) Alternativamente, é muitas vezes mais prático utilizar metaisalcalinos (Li,Li, NaNa ou KK). Estes metais reagem com o álcool paraliberar o gás de hidrogênio e produzir o íon alcóxido.
  • DQOI - UFC Prof. NunesReações de AlcoóisReações de AlcoóisComo já vimos anteriormente, os álcooisálcoois terciáriosterciários sofrem reaçõesreações dedesubstituiçãosubstituição nucleofílicanucleofílica (SN1) quando tratados comum halogenetode hidrogênio (HX).O mecanismomecanismo é visto abaixo:
  • DQOI - UFC Prof. NunesReações de AlcoóisReações de AlcoóisOs alcoóisalcoóis primáriosprimários e secundáriossecundários serão submetidos a reaçõesreações dedesubstituiçãosubstituição com uma variedade de reagentes, através de umprocesso SNSN22.1) Os álcooisálcoois primáriosprimários, por exemplo, reagem com HBrHBr.A hidroxila é protonada em primeiro lugar, convertendo-a em umexcelente grupo abandonador, seguido pelo mecanismo SN2.Essa reaçãoreação funcionafunciona bembem parapara HBrHBr, masmas nãonão funcionafunciona bembem parapara HClHCl..
  • DQOI - UFC Prof. NunesReações de AlcoóisReações de AlcoóisPara substituirsubstituir aa hidroxilahidroxila porpor umum átomoátomo dede clorocloro, o cloreto de zinco(ZnCl2 ) é usado como um catalisador.O catalisadorcatalisador éé umum ácidoácido dede LewisLewis que converte a hidroxila em ummelhor grupo abandonador.
  • DQOI - UFC Prof. NunesReações de AlcoóisReações de Alcoóis2) Um álcool pode ser convertido num tosilatotosilato (ou mesilatomesilato) usando ocloreto de tosila (ou de mesila) e piridina.A hidroxila é convertida num grupogrupo tosilatotosilato (ou(ou mesilatomesilato)) (excelentesgrupos de saída), que é susceptível a um processo SN2.SOCl SOClSOClcloreto de tosila (ToCl) cloreto de mesila (msCl)SOCl
  • DQOI - UFC Prof. NunesReações de AlcoóisReações de Alcoóis3) Os álcooisálcoois primáriosprimários ee secundáriossecundários reagem com SOCISOCI22 (cloreto detionila) ou com PBr3, via um mecanismomecanismo SNSN22, para gerar cloretos ebrometos de aquila, respectivamente.
  • DQOI - UFC Prof. NunesReações de AlcoóisReações de AlcoóisMecanismoMecanismo da reaçãoreação dodo álcoolálcool comcom SOCISOCI22 (cloreto de tionila) :
  • DQOI - UFC Prof. NunesReações de AlcoóisReações de AlcoóisO mecanismo da reaçãoreação dodo álcoolálcool comcom PBrPBr33 tem característicassemelhantes, incluindoincluindo aa conversãoconversão dada hidroxilahidroxila emem umum melhormelhor grupogrupoabandonadorabandonador, seguido pelo ataque nucleofílico.
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícioExercícioIdentifique os reagentes que você usaria para realizar a seguintetransformação:
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de AlcoóisOxidação de AlcoóisAlcoóisAlcoóis podem ser oxidadosoxidados, levando à formaçãoformação dede aldeídos,aldeídos,cetonascetonas ouou ácidosácidos carboxílicoscarboxílicos.O resultado do processo de oxidaçãooxidação depende se o álcool de partidaé primário,primário, secundáriosecundário ou terciárioterciário.Consideremos em primeiro lugar a oxidaçãooxidação de um álcoolálcool primárioprimário.Note que um álcool primário tem dois prótons na posiçãoposição αα (carbonoque carrega a hidroxila). Como resultado, os alcoóisalcoóis primáriosprimários podemser oxidados por duas vezes. A primeiraprimeira oxidaçãooxidação produzproduz umum aldeídoaldeído,e, a seguir, aa oxidaçãooxidação dodo aldeídoaldeído produzproduz umum ácidoácido carboxílicocarboxílico.
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de AlcoóisOxidação de AlcoóisAlcoóisAlcoóis secundáriossecundários têm apenas um próton na posiçãoposição αα, de modoque sósó podepode serser oxidadooxidado uma vez, e formar uma cetona. De um modogeral, a cetonacetona nãonão éé oxidadaoxidada.ÁlcooisÁlcoois terciáriosterciários não têm nenhum próton na posiçãoposição αα e, comoresultado, geralmente não sofrem oxidação:
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de AlcoóisOxidação de AlcoóisUm grande número de reagentesreagentes são disponíveis parapara aa oxidaçãooxidação dealcoóis primários e secundários.O reagentereagente oxidanteoxidante mais comum é o ácidoácido crômicocrômico (H(H22CrOCrO44)), quepode ser formado quer a partir de trióxidotrióxido dede cromocromo (CrO(CrO33)) ou a partirde dicromatodicromato dede sódiosódio (Na(Na22CrCr22OO77)), em solução aquosa ácida.
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de AlcoóisOxidação de AlcoóisO mecanismo de oxidaçãooxidação com ácidoácido crômicocrômico tem duas etapasprincipais.1) A primeira etapa envolve a formação de um ésteréster dede cromatocromato.2) Na segunda etapa ocorre a formação de uma ligação ππππ C=O.
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de AlcoóisOxidação de AlcoóisQuando um álcoolálcool primárioprimário é oxidado com ácidoácido crômicocrômico, um ácidocarboxílico é obtido.Geralmente éé difícildifícil controlarcontrolar aa reaçãoreação para produzir apenas o aldeído.
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de AlcoóisOxidação de AlcoóisPara produzirproduzir oo aldeídoaldeído como um produto final, é necessário utilizarum reagentereagente oxidanteoxidante maismais seletivoseletivo, que iráirá reagirreagir comcom oo álcool,álcool, masmasnãonão reagereage comcom oo aldeídoaldeído.Muitos reagentes são disponíveis, incluindo clorocromatoclorocromato dede piridiniopiridinio(PCC)(PCC), o qual é formado a partir da reação entre a piridina, o trióxidode crômio e ácido clorídrico.
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de AlcoóisOxidação de AlcoóisQuando PCCPCC é usado como o agenteagente oxidanteoxidante, um aldeído éproduzido como o produto principal.Nessas condições, o aldeídoaldeído nãonão éé oxidadooxidado parapara oo ácidoácido carboxílicocarboxílico.
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de AlcoóisOxidação de AlcoóisAlcoóisAlcoóis secundáriossecundários,, sob condições oxidantes, são oxidados apenasuma vez para formarformar cetonascetonas.Assim, um álcoolálcool secundáriosecundário pode ser oxidado com ácido crômico oucom PCC.O dicromatodicromato dede sódiosódio éé maismais baratobarato, mas o PCCPCC éé maismais brandobrando emuitas vezes é preferido quando outros grupos funcionais estãopresentes no composto.
  • DQOI - UFC Prof. NunesPreparações e Reações de AlcoóisPreparações e Reações de Alcoóis
  • DQOI - UFC Prof. NunesCom base na nossa discussão até agora, podemos esperar que ofenolfenol nãonão seriaseria facilmentefacilmente oxidadooxidado, pois é necessária a presença deum próton na posiçãoposição αα.O fenolfenol seria muito parecido com um álcool terciário.Oxidação de FenóisOxidação de Fenóis
  • DQOI - UFC Prof. NunesNo entanto, observa-se que fenolfenol sofresofre oxidaçãooxidação ainda maisprontamente que os alcoóis primários e secundários.O produtoproduto dada oxidaçãooxidação do fenol é chamado de benzoquinonasbenzoquinonas, asquais são importante, pois são rapidamente transformadas emhidroquinonashidroquinonas.Oxidação de FenóisOxidação de Fenóis
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de FenóisOxidação de FenóisA oxidaçãooxidação de compostos deste tipo com óxidoóxido dede prataprata ou ácidoácidocrômicocrômico geram compostos dicarbonilados chamados de quinonas.
  • DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Fenóis – QuinonasOxidação de Fenóis – QuinonasQuinonas são coloridas. A p-benzoquinona, por exemplo, é amarela.Muitas ocorrem naturalmente e têm sido usadas como corantes. AAlizarina é um pigmento vermelho extraído a partir de raízes de umaplanta.
  • DQOI - UFC Prof. NunesQuinona – Vitamina KQuinona – Vitamina KOutra quinona importante fisiologicamente é a vitamina K.“K” está relacionado a coagulação (koagulation), uma vez que estasubstância foi primeiro identificada como essencial para a coagulaçãonormal do sangue.A vitamina K é obtida a partir de uma dieta normal, mas grande parte daquantidade necessária para os humanos é produzida pelas suasquantidade necessária para os humanos é produzida pelas suaspróprias floras intestinais.
  • DQOI - UFC Prof. NunesAcilação de FenóisAcilação de FenóisO anel aromático de um fenolfenol é visto como um grupo funcional rico emelétrons e é capaz de uma variedade de reações.Em alguns casos, entretanto, é o oxigênio da hidroxila que reage.Agentes acilantes, tais como cloretos de acila e anidridos acéticos, podemreagir com fenóis, seja no anel aromático (C-acilação) ou com o oxigênio dahidroxilia (O-acilação).hidroxilia (O-acilação).Presença de ac. Lewis Ausência de ac. Lewis
  • DQOI - UFC Prof. NunesAcilação de FenóisAcilação de FenóisExemplo de O-acilação.A OO--acilaçãoacilação de fenóis com anidridos acéticos pode serconvenientemente catalisada de duas formas:1) Aumentando a eletrofilicidade do anidrido, adicionando-se algumasgotas de ácido sulfúrico.
  • DQOI - UFC Prof. NunesAcilação de FenóisAcilação de Fenóis2) Aumentando a nucleofilicidade do fenol, convertendo-o em seufenóxido em uma solução básica.
  • DQOI - UFC Prof. NunesAcilação de FenóisAcilação de FenóisA O-aciliação e a C-acilação competem entre si.A preferência pela O-acilação de fenóis ocorre porque estas reações sãocontroladascontroladas cineticamentecineticamente, isto é, possuem um estado de transição demenor energia que as reações de CC--alquilaçãoalquilação.Portanto, a O-acilação é mais rápida que a C-acilação.Todavia os isômeros C-acilados sãosão maismais estáveisestáveis, e é conhecido que oTodavia os isômeros C-acilados sãosão maismais estáveisestáveis, e é conhecido que oAlCl3 é muito efetivo para catalisar aa conversãoconversão dede arilésteresarilésteres aaarilcetonasarilcetonas (esta isomerização é conhecida como rearranjo de Fries).
  • DQOI - UFC Prof. NunesCarboxilação de FenóisCarboxilação de FenóisO arilésterariléster mais conhecido é a ácido o-acetilsalícilico (Aspirina®).Ele é preparado pela acetilaçãoacetilação dada hidroxilahidroxila fenólicafenólica do ácido salicílico.
  • DQOI - UFC Prof. NunesCarboxilação de FenóisCarboxilação de FenóisO composto-chave na síntese da Aspirina®, o ácidosalicílico, é preparado a partir do fenol por um procesodescoberto no século XIX por um químico alemãochamado Hermann Kolbe.Na síntese de Kolbe, também conhecida como reaçãode Kolbe–Schmitt, o fenóxido de sódio é aquecidocom CO2 sob pressão, e a mistura reacional ésubsequentemente acidificada para geral o ácidosalicílico.1818-1884
  • DQOI - UFC Prof. NunesSíntese de Kolbe - MecanismoSíntese de Kolbe - MecanismoAtivação do grupo alcóxido.Ataque nucleofílico
  • DQOI - UFC Prof. NunesSíntese de Kolbe - MecanismoSíntese de Kolbe - MecanismoA síntese de Kolbe-Schmitt é um processo em equilíbrio governado porcontrole termodinâmico.A posição de equilíbrio favorecefavorece aa formaçãoformação dada basebase maismais fracafraca (íonsalicilato) em detrimento da base mais forte (íon fenóxido).O controle termodinâmico também é responsável substituiçãopreferencial na posição orto sobre a posição para.ao invés de
  • DQOI - UFC Prof. NunesSíntese de Kolbe - AplicaçõesSíntese de Kolbe - AplicaçõesA síntese de KolbeKolbe--SchmittSchmitt tem sido aplicada na preparação de outrosoutrosácidosácidos hidroxibenzóicoshidroxibenzóicos.Fenóis que carregam grupos retiradores fortes normalmente geramprodutos carboxilados em baixo rendimentos.Seus ânions fenóxidosfenóxidos sãosão menosmenos básicosbásicos, e as constantesconstantes dede equilíbrioequilíbrioparapara suassuas carboxilaçõescarboxilações sãosão menoresmenores.
  • DQOI - UFC Prof. NunesPreparação de AriléteresPreparação de AriléteresAriléteres são preparados pelo método de Williamson.A alquilaçãoalquilação dodo oxigêniooxigênio dada hidroxilahidroxila dede umum fenolfenol ocorreprotamente quando um íoníon fenóxidofenóxido reage com umhaletohaleto dede alquilaalquila.1824-19041824-1904
  • DQOI - UFC Prof. NunesDetermine a estruturas do produto formado em cada uma das seguintesreações.Exercícios - FenóisExercícios - Fenóis
  • DQOI - UFC Prof. NunesDetermine a estrutura do produto formado em cada uma das seguintesreações.Exercícios - FenóisExercícios - Fenóis
  • DQOI - UFC Prof. NunesDetermine a estrutura do produto formado em cada uma das seguintesreações.Exercícios - FenóisExercícios - Fenóis
  • DQOI - UFC Prof. NunesA síntese da substânica analgésica fenacetina é apresentada na equaçãoquímica abaixo. Qual é a estrutura da fenacetina?Exercícios - FenóisExercícios - Fenóisfenacetina
  • DQOI - UFC Prof. NunesIdentifique os compostos A, B e C na sequência sintética representada pelasequações abaixo:Exercícios - FenóisExercícios - Fenóisa)b)b)c)
  • DQOI - UFC Prof. NunesProponha uma sequência sintética para a obtenção do 3-pentadecilcatecol apartir doExercícios - FenóisExercícios - Fenóis
  • DQOI - UFC Prof. NunesÉteresÉteresÉteresÉteres são compostos que exibem um oxigênio ligado a dois grupos R(alquila, arila ou vinila).A porção éter é uma característicacaracterística comumcomum emem muitosmuitos produtosprodutos naturaisnaturais,como os exemplos que seguem:como os exemplos que seguem:
  • DQOI - UFC Prof. NunesÉteresÉteresMuitos fármacos também exibem um fragmento éteréter:
  • DQOI - UFC Prof. NunesPreparação de ÉteresPreparação de ÉteresIndustrialIndustrial::O dietiléterdietiléter é preparado industrialmente via a desidrataçãodo etanol, catalisada por ácidos.O mecanismo do processo é SN2.
  • DQOI - UFC Prof. NunesPreparação de Éteres - SínteseSíntese de Williamsonde WilliamsonPreparação de Éteres - SínteseSíntese de Williamsonde WilliamsonÉteresÉteres podem ser prontamente preparados via um processo deduas etapas chamado de SínteseSíntese dede ÉterÉter dede WilliamsonWilliamson.
  • DQOI - UFC Prof. NunesPreparação de Éteres - SínteseSíntese de Williamsonde WilliamsonPreparação de Éteres - SínteseSíntese de Williamsonde WilliamsonA preparação de éteres pelo método de Williamson é mais satisfatóriaquando o haleto de halquila é um que reaja através de uma reação SN2.Haletos de metila e haletos de alquila primários são os melhoressubstratos.
  • DQOI - UFC Prof. NunesPreparação de Éteres - SínteseSíntese de Williamsonde WilliamsonPreparação de Éteres - SínteseSíntese de Williamsonde WilliamsonUma vez que a segunda etapa é um processo SN2, efeitosefeitos estéricosestéricosdevemdevem serser consideradosconsiderados.Especificamente, o processo ocorre melhor com haletoshaletos dede metilametila ehaletoshaletos dede aquilaaquila primáriosprimários.HaletosHaletos dede alquilaalquila secundáriossecundários são menos eficientes porque aeliminação é favorecida sobre a substituição; e haletoshaletos dede alquilaalquilaterciáriosterciários nãonão podempodem serser usadosusados.
  • DQOI - UFC Prof. NunesPreparação de Éteres - SínteseSíntese de Williamsonde WilliamsonPreparação de Éteres - SínteseSíntese de Williamsonde WilliamsonAA primeiraprimeira rotarota éé eficienteeficiente porque ela utiliza um haleto de metila, o qualé um substrato adequado para um processo SN2.AA segundasegunda rotarota nãonão funcionafunciona porque ela utilzia um haleto de alquilaterciário como substrato, o qual sofrerá eliminação ao invés desusbtituição.
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercitandoExercitandoMostre os reaegntes que você usaria para preparar os seguintes éteres,via síntese de Williamson.
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercitandoExercitandoO seguinte éter ciclico pode ser preparado via uma síntese de Williamsnintramolecular. Mostre quais reagentes você usaria para realizar asíntese.
  • DQOI - UFC Prof. NunesReações de ÉteresReações de ÉteresGeralmente, osos étereséteres nãonão reagemreagem emem condiçõescondições básicasbásicas ouou levementelevementeácidasácidas.Como resultado, eles são utilizados como solventes em muitas reações.Todavia, osos étereséteres nãonão sãosão completamentecompletamente nãonão reativosreativos.Todavia, osos étereséteres nãonão sãosão completamentecompletamente nãonão reativosreativos.
  • DQOI - UFC Prof. NunesÉteres – Clivagem Catalisadas por ÁcidosÉteres – Clivagem Catalisadas por ÁcidosAssim como a ligação C-O de álcoois é clivada em reação com haletosde hidrogênio, as ligações C-O de éteres também são quebradas.
  • DQOI - UFC Prof. NunesÉteres – Clivagem Catalisadas por ÁcidosÉteres – Clivagem Catalisadas por ÁcidosA clivagemclivagem dede étereséteres é normalmente conduzida sob condições (excessode haleto de hidrogênio e calor) que convertem o álcool formado em umhaleto de alquila.Assim, a reação tipicamente leva a duas moléculas de haleto de alquila.A ordem de reatividade dos haletos de hidrogênio é HI > HBr >> HCl.O ácidoácido fluorídridofluorídrido (HF)(HF) nãonão éé efetivoefetivo.
  • DQOI - UFC Prof. NunesÉteres – Clivagem Catalisadas por ÁcidosMecanismoÉteres – Clivagem Catalisadas por ÁcidosMecanismo
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosEscreva a estrutura do produto formado em cada uma das seguintesreações:
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosEscreva a estrutura do produto formado em cada uma das seguintesreações:
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícioExercícioEscreva o mecanismo da seguinte transformação:
  • DQOI - UFC Prof. NunesEpóxidos - ReatividadeEpóxidos - ReatividadeEpóxidosEpóxidos têm uma significativa tensãotensão anelaranelar e, como resultado, elesexibem uma reatividade característica.Especificamente, os epóxidosepóxidos sofrem reações em que o anelanel éé abertoaberto, oque alivia a tensão.Nesta seção, veremos que epóxidosepóxidos podem ser abertos em condiçõesque envolvem umum nucleófilonucleófilo forteforte ou sob condiçõescondições catalisadascatalisadas porporácidoácido.
  • DQOI - UFC Prof. NunesEpóxidos – Reação com NucleófilosEpóxidos – Reação com NucleófilosQuando um epóxidoepóxido é submetido ao ataque de um nucleófilonucleófilo forteforte, umreação de abertura de anel.Por exemplo, considere a abertura de óxido de etileno pelo íonhidróxido.
  • DQOI - UFC Prof. NunesEpóxidos – Reação com NucleófilosEpóxidos – Reação com NucleófilosMuitosMuitos nucleófilosnucleófilos fortes podem ser utilizados para abrir um epóxido.
  • DQOI - UFC Prof. NunesTodos estes nucleófilosnucleófilos são reagentes capazes de abrir epóxidosepóxidos.Todavia, estas reações exibem duas características importantes quedevem ser consideradas: regioquímicaregioquímica e estereoquímicaestereoquímica.Epóxidos – Reação com NucleófilosEpóxidos – Reação com Nucleófilos11)) RegioquímicaRegioquímica: quando o epóxido de partida é assimétrico, oonucleófilonucleófilo atacaataca nana posiçãoposição menosmenos substituídasubstituída (mecanismo SN2).
  • DQOI - UFC Prof. NunesAbertura de Epóxidos - RegioquímicaAbertura de Epóxidos - RegioquímicaSob condições de catálise ácida, a espécie que é atacada pelo nucleófilonão é o epóxido propriamente, mas seu ácido conjugadonão é o epóxido propriamente, mas seu ácido conjugado.O estado de transição para a abertura do anel tem caráter de um pseudo-carbocátion.A quebra da ligação C-O do anel é mais avançada do que a formação daligação ao nucleófilo.
  • DQOI - UFC Prof. NunesAbertura de Epóxidos - RegioquímicaAbertura de Epóxidos - RegioquímicaDevido ao caráter de carbocátion desenvolvido no estado de transição, asubstituição é favorecida no carbono que melhor suportar osubstituição é favorecida no carbono que melhor suportar odesenvolvimento de uma carga positiva.Assim, em contraste às reações de epóxidos com nucleófilos relativamentebásicos, nas quais o ataque tipo SN2 é mais rápido no carbono menosimpedido do anel de 3 membros, a catálise ácida promove a substituição nocarbono que carrega um maior número de grupos alquila.
  • DQOI - UFC Prof. Nunes22)) EstereoquímicaEstereoquímica: quando o ataque ocorre em um centro quiral, ainversãoinversão dede configuraçãoconfiguração éé observadaobservada.Epóxidos – Reação com NucleófilosEpóxidos – Reação com NucleófilosNote que o outrooutro centrocentro quiralquiral nãonão éé afetadoafetado pelopelo processoprocesso.Somente o centro que está sendo atacado sofre uma inversão deconfiguração.
  • DQOI - UFC Prof. NunesPrediga o produto da seguinte reação e desenhe o mecanismo.ExercitandoExercitando
  • DQOI - UFC Prof. NunesEpóxidos - ReaçõesEpóxidos - ReaçõesEpóxidosEpóxidos podem ser abertos pelo ataque de agentes nucleofílicos, taiscomo os reagentes de Grignard.Mecanismo:
  • DQOI - UFC Prof. NunesPrediga os produtos das seguinte reações e desenhe o mecanismo.ExercitandoExercitando
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercicioExercicioEscreva a estrutura do produto da reação:
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosQual produto (A,B ou C) esperaríamos ser formado quando o 1-metil-1,2-epoxiciclopentano, de configuração absoluta mostrada, reagisse commetanol na presença de algumas gotas de ácido sulfúrico.MeOH/H+Resposta
  • DQOI - UFC Prof. NunesRedução de EpóxidosRedução de EpóxidosEpóxidosEpóxidos são reduzidos a álcoois sob tratamento do hidreto de alumínio delítio (LiAlH4).O hidreto é transferido para o carbono menos impedido.
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresPrediga o principal produto orgânico de cada uma das reações que seguem:
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresPrediga o principal produto orgânico de cada uma das reações que seguem:
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresPrediga o principal produto orgânico de cada uma das reações que seguem:
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresQuando o (R)-2-fenil-2-butanol é colocado em metanol contendo poucasgotas de ácido sulfúrico, uma mistura racêmica 2-metoxi-2-fenilbutano éformada. Sugira um mecanismo razoável para esta reação.
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresSelecione as condições reacionais que permitiriam as seguintes transformações:
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresDeduza as estruturas dos compostos incognitas.
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresDeduza as estruturas dos compostos incognitas.(A)(B)(C) (D)
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresDeduza as estruturas dos compostos incognitas. Mostre a estereoquímica.
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresDeduza as estruturas dos compostos incognitas.
  • DQOI - UFC Prof. NunesExercícios - ÉteresExercícios - ÉteresDeduza as estruturas dos compostos incognitas. Mostre a estereoquímica.
  • DQOI - UFC Prof. NunesAbertura de EpóxidosAbertura de Epóxidos