DQOI - UFC Prof. NunesUniversidade Federal do CearáCentro de CiênciasDepartamento de Química Orgânica e InorgânicaQuímica ...
DQOI - UFC Prof. NunesOs aldeídos e cetonas têm um grupo acila em comum, e diferem entre si nosubstituinte deste grupo.RO...
DQOI - UFC Prof. Nunes Os aldeídos e cetonas se assemelham aos derivados de ácidoscarboxílicos por apresentarem o grupo a...
DQOI - UFC Prof. Nunes Dois aspectos notáveis ​​do grupo carbonila são a sua geometria e suapolaridade. A carbonila e os...
DQOI - UFC Prof. Nunes A geometria do formaldeído pode ser descrita de acordo com um modelode hibridização sp2 análoga à ...
DQOI - UFC Prof. Nunes A figura abaixo compara as superfícies de potencial eletrostático doetileno e formaldeído, e demon...
DQOI - UFC Prof. NunesEstruturas de Aldeídos e CetonasEstruturas de Aldeídos e Cetonas Observando-se as duas formas mesom...
DQOI - UFC Prof. Nunes Substituintes alquila estabilizam o grupo carbonila da mesma maneiraque estabilizam ligações C=C e...
DQOI - UFC Prof. Nunes A propriedade química mais importante do grupo carbonila é a suatendência a sofrer reações de adiç...
DQOI - UFC Prof. NunesEfeitos da Estutura no Equilíbrio: Aldeídos e cetonas reagem com água em um rápido equilíbrio. A r...
DQOI - UFC Prof. NunesEfeitos da Estutura no Equilíbrio:Reações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoReações de Aldeídos e Ce...
DQOI - UFC Prof. Nunes A tabela abaixo compara as constantes de equilíbrio (Khydr) parahidratação de alguns aldeídos e ce...
DQOI - UFC Prof. Nunes Considere primeiro o efeito eletrônico de grupos alquila versus átomos dehidrogênio ligados a C=O....
DQOI - UFC Prof. Nunes Um exemplo contrário de um efeito eletrônico sobre a estabilidade dacarbonila e sua relação com a ...
DQOI - UFC Prof. Nunes Agora vamos voltar nossa atenção ao efeito estérico, observando como otamanho dos grupos que estav...
DQOI - UFC Prof. Nunes Efeitos eletrônicos e estéricos atuam no mesmo sentido.Reações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoR...
DQOI - UFC Prof. NunesReações de Hidratação – Catálise BásicaReações de Hidratação – Catálise Básica A velocidadevelocida...
DQOI - UFC Prof. NunesReações de Hidratação – Catálise BásicaReações de Hidratação – Catálise BásicaNa primeiraprimeira et...
DQOI - UFC Prof. NunesReações de Hidratação – Catálise ÁcidaReações de Hidratação – Catálise ÁcidaSob condições de catális...
DQOI - UFC Prof. NunesReações de Hidratação - MecanismoReações de Hidratação - Mecanismo
DQOI - UFC Prof. NunesNa seção anterior discutimos uma reação que pode ocorrer quando a águaataca um aldeído ou cetona. Ag...
DQOI - UFC Prof. NunesNa presença de um ácido, a carbonilacarbonila éé protonadaprotonada, tornando o átomo decarbono mais...
DQOI - UFC Prof. NunesFormação de Acetais - MecanismoFormação de Acetais - Mecanismo
DQOI - UFC Prof. NunesA reação total se processa em duas etapas:1) O hemiacetal é formado na primeira fase pela adição nuc...
DQOI - UFC Prof. Nunes2) Sob condições ácidas de sua formação, o hemiacetal é convertido em umacetal através de um carbocá...
DQOI - UFC Prof. NunesA captura nucleofílica do carbocátion intermediário por uma molécula deálcool leva a um acetal:Forma...
DQOI - UFC Prof. NunesNote que a formaçãoformação dede acetalacetal requerrequer doisdois equivalentesequivalentes dodo ál...
DQOI - UFC Prof. NunesDesenhe um mecanismo plausível para a seguinte transformação:ExercícioExercício
DQOI - UFC Prof. NunesAcetais são susceptíveis à hidrólise em meio ácido.Hidrólise de AcetaisHidrólise de Acetais
DQOI - UFC Prof. NunesEscreva o mecanismo da reação de hidrólise:Hidrólise de AcetaisHidrólise de Acetais
DQOI - UFC Prof. NunesEscreva o mecanismo da reação de hidrólise:Hidrólise de AcetaisHidrólise de Acetais
DQOI - UFC Prof. NunesHidrólise de AcetaisHidrólise de Acetais
DQOI - UFC Prof. NunesAcetais – Como Grupos ProtetoresAcetais – Como Grupos ProtetoresA formaçãoformação dede acetalacetal...
DQOI - UFC Prof. NunesAcetais – Como Grupos ProtetoresAcetais – Como Grupos ProtetoresDeste modo, acetaisacetais podem ser...
DQOI - UFC Prof. NunesAcetais – Como Grupos ProtetoresAcetais – Como Grupos ProtetoresO problema acima requer uma redução ...
DQOI - UFC Prof. NunesAcetais – Como Grupos ProtetoresAcetais – Como Grupos ProtetoresO grupogrupo acetalacetal resultante...
DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Nucleófilos NitrogenadosAldeídos e Cetonas – Nucleófilos NitrogenadosAminasAmin...
DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Nucleófilos NitrogenadosAldeídos e Cetonas – Nucleófilos NitrogenadosMecanismoM...
DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Reações com Aminas 1asAldeídos e Cetonas – Reações com Aminas 1asExemplos:Em am...
DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Reações com Aminas 1asAldeídos e Cetonas – Reações com Aminas 1asNas reações de...
DQOI - UFC Prof. NunesO meio ácido é exigido para desidratar oaminoálcool. Porém, muita acidezC O H2N R..CNO-H HR+CNOHHR~ ...
DQOI - UFC Prof. NunesReações com Aminas 1as - ExercíciosReações com Aminas 1as - ExercíciosEscreva a estrutura da carbino...
DQOI - UFC Prof. NunesReações com Aminas 1as - ExercíciosReações com Aminas 1as - ExercíciosEscreva a estrutura da carbino...
DQOI - UFC Prof. NunesReações com Aminas 1as - ExercíciosReações com Aminas 1as - ExercíciosEscreva a estrutura da carbino...
DQOI - UFC Prof. NunesMuitos compostos diferentes de forma RNHRNH22 reagem com aldeídos e cetonas,incluindo os compostos e...
DQOI - UFC Prof. NunesUm número de compostos do tipo ZNH2 reage com aldeídos e cetonassegundo um mesmo mecanismo geral:ROH...
DQOI - UFC Prof. NunesDevido ao fato das hidrazonas e semicarbazonas serem freqüentementesólidos estáveis e cristalinos, e...
DQOI - UFC Prof. NunesEm condiçõescondições ácidasácidas, um aldeído (ou cetona) reage com uma aminaaminasecundáriasecundá...
DQOI - UFC Prof. NunesMecanismos de formação de enaminasenaminas:Reações com Aminas SecundáriasReações com Aminas Secundár...
DQOI - UFC Prof. NunesEste mecanismo é idêntico ao de formação de iminas, exceto pelas últimasetapas:Reações com Aminas Se...
DQOI - UFC Prof. NunesEscreva a estrutura do intermeiário carbinolamina (aminoálcool) e do produtoenamina formada na reaçã...
DQOI - UFC Prof. NunesEscreva a estrutura do intermeiário carbinolamina (aminoálcool) e do produtoenamina formada na reaçã...
DQOI - UFC Prof. NunesEscreva a estrutura do intermeiário carbinolamina (aminoálcool) e do produtoenamina formada na reaçã...
DQOI - UFC Prof. NunesCetonasCetonas podem ser convertidas em hidrazonashidrazonas. Essa transformação tem umautilidade pr...
DQOI - UFC Prof. NunesMecanismoMecanismo::Reações de Wolff-KishnerReações de Wolff-Kishner
DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de EnxofreAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de EnxofreEm condições á...
DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de EnxofreAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de EnxofreQuando tratado...
DQOI - UFC Prof. Nunes As carbonilas de aldeídos e cetonas podem ser reduzidas,respectivamente, a álcoois primários e sec...
DQOI - UFC Prof. NunesRedução de Aldeídos e CetonasRedução de Aldeídos e Cetonas NaBH4  agente redutor mais brando. Redu...
DQOI - UFC Prof. NunesMecanismoMecanismo::Redução de Aldeídos e CetonasRedução de Aldeídos e CetonasNa primeira etapa do m...
DQOI - UFC Prof. NunesReagentesReagentes dede GrignardGrignard::Quando tratado com um reagente de Grignard, aldeídosaldeíd...
DQOI - UFC Prof. NunesReagentesReagentes dede GrignardGrignard -- MecanismoMecanismoAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de Ca...
DQOI - UFC Prof. NunesQuando tratados com cianetocianeto dede hidrogêniohidrogênio (HCN)(HCN), aldeídos e cetonas sãoconve...
DQOI - UFC Prof. Nunes O mecanismo desta reação é análogo ao mecanismo base de hidrataçãocatalisada, onde o nucleófilo (í...
DQOI - UFC Prof. Nunes Em vez de usar uma quantidade catalítica de base para formar íons decianeto, aa reaçãoreação podep...
DQOI - UFC Prof. Nunes HCN é um líquido à temperatura ambiente e é extremamente perigoso dese manusear, porque é altament...
DQOI - UFC Prof. NunesAs cianoidrinas são intermediários úteis nas síntese orgânicas. Dependendodas condições adotadas, a ...
DQOI - UFC Prof. NunesCianoidrinasCianoidrinas são úteis na síntese, porque o grupo ciano pode ser aindatratado para se ob...
DQOI - UFC Prof. NunesO grupo hidroxila de uma cianidrina também é um sítio potencialmentereativo. A metacrilonitrila é um...
DQOI - UFC Prof. NunesPrediga o produto majoritário para cada uma das seguintes reações:Formação de Cianoidrinas - Exercíc...
DQOI - UFC Prof. NunesIdentifique os reagentes necessários para promover cada uma das seguintesreações:Formação de Cianoid...
DQOI - UFC Prof. Nunes O potencial sintético desta reação foi demonstradopelo químico alemão Georg Wittig, o qual ganhou ...
DQOI - UFC Prof. Nunes As reações de Wittig podem ser realizadas em um número de diferentessolventes, normalmente tetrahi...
DQOI - UFC Prof. Nunes A característica mais interessante da reação de Wittig é a suaregiospecificidade. A localização d...
DQOI - UFC Prof. NunesMecanismo das Reações de WittigMecanismo das Reações de Wittig
DQOI - UFC Prof. NunesIdentifique o alceno formado em cada uma das seguintes reações:Reação de Wittig - ExercíciosReação d...
DQOI - UFC Prof. Nunes A fim de identificar os compostos carbonílicos e os ilídeos necessáriospara produzir um determinad...
DQOI - UFC Prof. Nunes Quais combinações de compostos carbonílicos e ilídeos são possíveispara produzir o seguinte alceno...
DQOI - UFC Prof. Nunes Quais combinações de compostos carbonílicos e ilídeos são possíveispara produzir o seguinte alceno...
DQOI - UFC Prof. Nunes Ilídeos de fósforo são preparados a partir de haletos de alquila por umaseqüência de duas etapas....
DQOI - UFC Prof. Nunes A trifenilfosfina é um nucleófilo muito poderoso, mas não é fortementebásico. Haletos de alquila ...
DQOI - UFC Prof. Nunes Após o isolamento, o halogeneto de alquiltrifenilfosfônio é convertido noilídeo desejado por despr...
DQOI - UFC Prof. Nunes Os aldeídosaldeídos são facilmente oxidados a ácidos carboxílicos por uma sériede reagentes, inclu...
DQOI - UFC Prof. Nunes Mecanicamente, essas reações, provavelmente, procedem através dohidrato do aldeído e segue um perc...
DQOI - UFC Prof. Nunes A reação de cetonas com peroxiácidos (RCO3H) ésinteticamente muito útil. O oxigênio doperóxiácidop...
DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-Villiger - MecanismoOxidação de Baeyer-Villiger - MecanismoO peroxiácidoperoxiáci...
DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-Villiger - MecanismoOxidação de Baeyer-Villiger - MecanismoDa mesma forma, o trat...
DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-Villiger - ExercícioOxidação de Baeyer-Villiger - ExercícioQual o produto formado...
DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-VilligerOxidação de Baeyer-Villiger A reação é estereoespecífica, o grupo alquil...
DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-VilligerOxidação de Baeyer-Villiger Tão incomum quanto a reação de Baeyer-Villig...
DQOI - UFC Prof. NunesReview das ReaçõesReview das Reações
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosPara cada par dos seguintes compostos, identifique qual o composto maisreativo f...
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosDesenhe os produtos de cada reação de Wittig abaixo. Se dois estereoisômerosfore...
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosMostre como uma reação de Wittig pode ser utilizada para preparar cada um doscom...
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosEscolha um reagente de Grignard e uma cetona que possam ser usados paraproduzir ...
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosPreveja o(s) principal(is) produto(s) formados a partir do tratamento da acetona...
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha um mecanismo plausível para a seguinte transformação:
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha uma rota sintética para a seguinte transformação:
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosPreveja o(s) produto(s) principal(is) obtido(s) quando cada um dos seguintescomp...
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosIdentifique as matérias-primas necessárias para fazer cada um dos os seguintesac...
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha uma eficiente síntese para cada uma das seguintes transformações:
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha uma eficiente síntese para cada uma das seguintes transformações:
DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha uma eficiente síntese para cada uma das seguintes transformações:
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Reações de Aldeídos e Cetonas

99,775

Published on

Notas de Aula

Published in: Education
2 Comments
27 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
99,775
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
2,196
Comments
2
Likes
27
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Reações de Aldeídos e Cetonas

  1. 1. DQOI - UFC Prof. NunesUniversidade Federal do CearáCentro de CiênciasDepartamento de Química Orgânica e InorgânicaQuímica Orgânica IIReações de AldeídosProf. Dr. José Nunes da Silva Jr.nunes.ufc@gmail.come CetonasProf. Dr. José Nunes da Silva Jr.nunes.ufc@gmail.com
  2. 2. DQOI - UFC Prof. NunesOs aldeídos e cetonas têm um grupo acila em comum, e diferem entre si nosubstituinte deste grupo.ROH ROREstruturas de Aldeídos e CetonasEstruturas de Aldeídos e CetonasA presença da carbonila nestas funções orgânicas atribui a elas duascaracterísticas reacionais.O carbono eletrofílico reagirá com nucleófilos e o oxigênio básico reagirácom ácidos.R H R Raldeído cetona
  3. 3. DQOI - UFC Prof. Nunes Os aldeídos e cetonas se assemelham aos derivados de ácidoscarboxílicos por apresentarem o grupo acila. Todavia, as ligações C-C e C-H são mais fortes que as ligações C-Cl, C-Oe C-N presentes nos derivados de ácidos carboxílicos.Estruturas de Aldeídos e CetonasEstruturas de Aldeídos e Cetonas Este fato dificulta a quebra das referidas ligações e faz com que osaldeídos e cetonas reajam de forma diferente. Enquanto os derivados de ácidos carboxílicos sofrem reações desubstituição nucleofílica no grupo acila, aldeídos e cetonas sofremreações de adição.
  4. 4. DQOI - UFC Prof. Nunes Dois aspectos notáveis ​​do grupo carbonila são a sua geometria e suapolaridade. A carbonila e os átomos diretamente ligados a ela estão no mesmo plano. O formaldeído, por exemplo, é planar. Os ângulos de ligação envolvendoa carbonila de aldeídos e cetonas são próximos de 120°.Estruturas de Aldeídos e CetonasEstruturas de Aldeídos e Cetonas A ligação dupla (C=O) em aldeídos e cetonas (122 pm) ésignificativamente menor do que a ligação simples C-O (141 pm) emálcoois e éteres.
  5. 5. DQOI - UFC Prof. Nunes A geometria do formaldeído pode ser descrita de acordo com um modelode hibridização sp2 análoga à do etileno:Estruturas de Aldeídos e CetonasEstruturas de Aldeídos e Cetonas
  6. 6. DQOI - UFC Prof. Nunes A figura abaixo compara as superfícies de potencial eletrostático doetileno e formaldeído, e demonstra claramente como o oxigênio afeta adistribuição eletrônica no formaldeído. A densidade de elétrons em ambos os componentes (s e p) da ligaçãoC=O é deslocada para o oxigênio. A carbonila é polarizada de forma que ocarbono é parcialmente positivo e o oxigênio é parcilamente negativo.Estruturas de Aldeídos e CetonasEstruturas de Aldeídos e Cetonas
  7. 7. DQOI - UFC Prof. NunesEstruturas de Aldeídos e CetonasEstruturas de Aldeídos e Cetonas Observando-se as duas formas mesoméricas, A tem uma ligaçãocovalente a mais e evita a separação de cargas. A estrutura B tem uma distribuição eletrônica mais próxima daencontrada na ligação C=O da carbonila.
  8. 8. DQOI - UFC Prof. Nunes Substituintes alquila estabilizam o grupo carbonila da mesma maneiraque estabilizam ligações C=C e carbocátions – através da doação deelétrons para o carbono hibridizado sp2.Estruturas de Aldeídos e CetonasEstruturas de Aldeídos e Cetonaselétrons para o carbono hibridizado sp2. Assim, como calores de combustão revelam, a cetona 2-butanona émais estável do que o seu isômero butanal (aldeído). O carbono carbonílico de uma cetona tem dois grupos alquila doadoresde elétrons; já no aldeído, tem apenas um. Assim, uma carbonila de cetona é mais estável que umauma carbonila de aldeído.
  9. 9. DQOI - UFC Prof. Nunes A propriedade química mais importante do grupo carbonila é a suatendência a sofrer reações de adição nucleofílica do tipo representado naequação geral:Reações de Aldeídos e CetonasReações de Aldeídos e Cetonas Um átomo (ou grupo de átomos) polarizado negativamente ataca ocarbono polarizado positivamente da carbonila na etapa determinante davelocidade dessas reações. Reagentes de Grignard, reagentes organolítio, hidreto de alumínio e lítio(LiAlH4) e boroidreto de sódio (NaBH4), por exemplo, reagem comcompostos carbonílicos por adição nucleofílica.
  10. 10. DQOI - UFC Prof. NunesEfeitos da Estutura no Equilíbrio: Aldeídos e cetonas reagem com água em um rápido equilíbrio. A reação é classificada como uma adição. Os elementos da água adicionam-se à carbonila e o hidrogênio liga-se aoReações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoReações de Aldeídos e Cetonas - Hidratação Os elementos da água adicionam-se à carbonila e o hidrogênio liga-se aooxigênio e a hidroxila liga-se ao carbono.
  11. 11. DQOI - UFC Prof. NunesEfeitos da Estutura no Equilíbrio:Reações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoReações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoEfeitos da Estutura no Equilíbrio: A posição de equilíbrio favorece geralmente a carbonila em vez dohidrato; excetoexceto nono casocaso dede aldeídosaldeídos muitomuito simplessimples, tais como:formaldeído
  12. 12. DQOI - UFC Prof. Nunes A tabela abaixo compara as constantes de equilíbrio (Khydr) parahidratação de alguns aldeídos e cetonas simples. A posição de equilíbrio depende de quais grupos estão ligados a C=O ecomo eles afetam seu ambiente estérico e eletrônico. Ambos os efeitos contribuem, mas o efeito eletrônico controla a Khydrmais do que o efeito estérico.Reações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoReações de Aldeídos e Cetonas - Hidratação
  13. 13. DQOI - UFC Prof. Nunes Considere primeiro o efeito eletrônico de grupos alquila versus átomos dehidrogênio ligados a C=O. Lembre-se que substituintes alquilasestabilizam a C=O, fazendo a carbonila da cetona mais estável do queuma carbonila de aldeído. Tal como acontece com todos os equilíbrios, fatoresque estabilizam os reagentes diminuição constante de equilíbrio. Assim, o grau de hidratação diminui à medida que o número de gruposReações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoReações de Aldeídos e Cetonas - Hidratação Assim, o grau de hidratação diminui à medida que o número de gruposalquila sobre a carbonila aumenta.Aumenta o no de grupos alquilaDiminui a constante de hidrataçãoK = 99,96 K = 50 K = 0,14
  14. 14. DQOI - UFC Prof. Nunes Um exemplo contrário de um efeito eletrônico sobre a estabilidade dacarbonila e sua relação com a constante de hidratação é visto no caso dahexafluorocetona. Em constraste com a quase inexistente hidratação da cetona, ahexafluorocetona é completamente hidratada.Reações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoReações de Aldeídos e Cetonas - Hidratação Ao invés de estabilizar a carbonila como os grupos alquila o fazem peladoração de elétrons, o grupo trifluorometila a desestabiliza por retirareletróns da mesma. A carbonila menos estabilizada é associada com uma constante deequilíbrio maior.K = 0,14
  15. 15. DQOI - UFC Prof. Nunes Agora vamos voltar nossa atenção ao efeito estérico, observando como otamanho dos grupos que estavam ligados a C=O afetam Khydr. Os ângulos de ligação no carbono vão de 120° para 109.5° com asmudanças de hibridização sp2 nos reagentes (aldeído oucetona) para o sp3 do produto (hidratado). A maior aglomeração dos susbtituintes implica que hidratação é maistolerada (K maior) quando os grupos são pequenos (hidrogênio)Reações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoReações de Aldeídos e Cetonas - Hidrataçãotolerada (Khydr maior) quando os grupos são pequenos (hidrogênio)do que quando eles são grandes (alquila).Aumenta aglomeração espacial no hidratoDiminui a constante de hidrataçãoK = 99,96 K = 50 K = 0,14
  16. 16. DQOI - UFC Prof. Nunes Efeitos eletrônicos e estéricos atuam no mesmo sentido.Reações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoReações de Aldeídos e Cetonas - HidrataçãoAumenta o no de grupos alquilaDiminui a constante de hidrataçãoAumenta aglomeração espacial no hidratoDiminui a constante de hidrataçãoK = 99,96 K = 50 K = 0,14
  17. 17. DQOI - UFC Prof. NunesReações de Hidratação – Catálise BásicaReações de Hidratação – Catálise Básica A velocidadevelocidade dada reaçãoreação éé relativamenterelativamente lentalenta, sob condições neutras,mas é prontamenteprontamente aumentadaaumentada nono presençapresença dede ácidoácido ouou basebase. Isto é, a reação pode ser catalisada por ácido ou por base, permitindoque o equilíbrio seja alcançado muito mais rapidamente.
  18. 18. DQOI - UFC Prof. NunesReações de Hidratação – Catálise BásicaReações de Hidratação – Catálise BásicaNa primeiraprimeira etapaetapa, um íon hidróxido (em vez da água) funciona como umnucleófilo.Em seguida, na segundasegunda etapaetapa, o intermediário tetraédrico é protonadocom água, regenerando um íon hidróxido.Deste modo, o hidróxido serve como catalisador para a adição de águana carbonila.
  19. 19. DQOI - UFC Prof. NunesReações de Hidratação – Catálise ÁcidaReações de Hidratação – Catálise ÁcidaSob condições de catálise ácida, a carbonilacarbonila éé protonadaprotonada em primeirolugar, gerando uma intermediáriointermediário carregadocarregado positivamentepositivamente que éextremamente eletrofílico.Este intermediáriointermediário é, então, atacadoatacado pelapela águaágua para formar umintermediário tetraédrico, o qual é desprotonado para dar origem aoproduto.
  20. 20. DQOI - UFC Prof. NunesReações de Hidratação - MecanismoReações de Hidratação - Mecanismo
  21. 21. DQOI - UFC Prof. NunesNa seção anterior discutimos uma reação que pode ocorrer quando a águaataca um aldeído ou cetona. Agora, iremos explorar uma reação semelhante,em que um álcoolálcool atacaataca umum aldeídoaldeído ouou cetonacetona:Formação de AcetaisFormação de AcetaisEm condiçõescondições ácidasácidas ((ácido para-toluenossulfônico (TsOH) e ácido sulfúrico(H2SO4), aldeídos e cetonas reagem com duas moléculas de álcool paraformar um acetalacetal.
  22. 22. DQOI - UFC Prof. NunesNa presença de um ácido, a carbonilacarbonila éé protonadaprotonada, tornando o átomo decarbono mais eletrofílico.Isto é necessário porque o nucleófilo (um álcool) é fraca, que reage com acarbonila mais rapidamente se ela estiver protonada.Formação de Acetais - MecanismoFormação de Acetais - MecanismoO mecanismo para formação de acetal é mostrado a seguir. Tal mecanismotem muitos passos, e é melhor dividi-lo concetualmente em duas partes:(1) Os três primeiros passos de produzir um intermediário denominadohemiacetalhemiacetal.(2) os quatro últimos passos converter o hemiacetal em um acetalacetal.
  23. 23. DQOI - UFC Prof. NunesFormação de Acetais - MecanismoFormação de Acetais - Mecanismo
  24. 24. DQOI - UFC Prof. NunesA reação total se processa em duas etapas:1) O hemiacetal é formado na primeira fase pela adição nucleofílica doálcool à carbonila.Formação de AcetaisFormação de Acetais
  25. 25. DQOI - UFC Prof. Nunes2) Sob condições ácidas de sua formação, o hemiacetal é convertido em umacetal através de um carbocátion intermediário:Formação de AcetaisFormação de Acetais
  26. 26. DQOI - UFC Prof. NunesA captura nucleofílica do carbocátion intermediário por uma molécula deálcool leva a um acetal:Formação de AcetaisFormação de Acetais
  27. 27. DQOI - UFC Prof. NunesNote que a formaçãoformação dede acetalacetal requerrequer doisdois equivalentesequivalentes dodo álcoolálcool.Isto é, duas moléculas de ROH são necessárias para cada molécula decetona.Alternativamente, um compostocomposto contendocontendo doisdois gruposgrupos OHOH pode ser utilizado,para levar á formação de um acetalacetal cíclicocíclico.Formação de Acetais CíclicosCíclicosFormação de Acetais CíclicosCíclicos
  28. 28. DQOI - UFC Prof. NunesDesenhe um mecanismo plausível para a seguinte transformação:ExercícioExercício
  29. 29. DQOI - UFC Prof. NunesAcetais são susceptíveis à hidrólise em meio ácido.Hidrólise de AcetaisHidrólise de Acetais
  30. 30. DQOI - UFC Prof. NunesEscreva o mecanismo da reação de hidrólise:Hidrólise de AcetaisHidrólise de Acetais
  31. 31. DQOI - UFC Prof. NunesEscreva o mecanismo da reação de hidrólise:Hidrólise de AcetaisHidrólise de Acetais
  32. 32. DQOI - UFC Prof. NunesHidrólise de AcetaisHidrólise de Acetais
  33. 33. DQOI - UFC Prof. NunesAcetais – Como Grupos ProtetoresAcetais – Como Grupos ProtetoresA formaçãoformação dede acetalacetal é um processo reversível que pode ser controlado pelaescolha cuidadosa de reagentes e condições:Tal como mencionado na seção anterior, a formaçãoformação dede acetalacetal éé favorecidafavorecidapelapela remoçãoremoção dada águaágua.Para converterconverter dede umum acetalacetal dede voltavolta parapara oo aldeídoaldeído ouou cetonacetonaPara converterconverter dede umum acetalacetal dede voltavolta parapara oo aldeídoaldeído ouou cetonacetonacorrespondente, basta tratá-lo(s) com água, na presença de um catalisadorácido.
  34. 34. DQOI - UFC Prof. NunesAcetais – Como Grupos ProtetoresAcetais – Como Grupos ProtetoresDeste modo, acetaisacetais podem ser usadosusados ​​​​parapara protegerproteger asas cetonascetonas ouou aldeídosaldeídos.Por exemplo, considere como o seguinte a transformação pode ser realizada:Esta transformação envolve a redução de um éster para formar um álcool.Lembre-se que hidretohidreto dede alumínioalumínio ee lítiolítio (LAH)(LAH) podepode sese utilizadoutilizado para realizareste tipo de reação.No entanto, nestas condições, aa porçãoporção cetonacetona tambémtambém seráserá reduzidareduzida.O problema acima requer uma reduçãoredução dada porçãoporção ésteréster semsem reduzirreduzir aa porçãoporçãocetonacetona. Para realizar isto, um grupogrupo protetorprotetor pode ser usado.O primeiro passo consiste em converterconverter aa cetonacetona emem umum acetalacetal:
  35. 35. DQOI - UFC Prof. NunesAcetais – Como Grupos ProtetoresAcetais – Como Grupos ProtetoresO problema acima requer uma redução da porção éster sem reduzir a porçãocetona. Para realizar isto, um grupogrupo protetorprotetor pode ser usado.O primeiro passo consiste em converterconverter aa cetonacetona emem umum acetalacetal.Note-se que a porção cetona é convertida em um acetal, mas a porção ésternão é.não é.
  36. 36. DQOI - UFC Prof. NunesAcetais – Como Grupos ProtetoresAcetais – Como Grupos ProtetoresO grupogrupo acetalacetal resultante é estável em condições fortemente básicas e nãoirá reagir com LAH.Isto faz com que seja possívelpossível reduzirreduzir apenasapenas oo ésteréster.Depois, o acetal pode ser removido para regenerar a cetona:
  37. 37. DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Nucleófilos NitrogenadosAldeídos e Cetonas – Nucleófilos NitrogenadosAminasAminas primáriasprimárias::Em condições ligeiramente ácidasácidas, um aldeído ou cetona reage com umaamina primária para formar uma imina.
  38. 38. DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Nucleófilos NitrogenadosAldeídos e Cetonas – Nucleófilos NitrogenadosMecanismoMecanismo::
  39. 39. DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Reações com Aminas 1asAldeídos e Cetonas – Reações com Aminas 1asExemplos:Em ambas as reações o controle do pH é muito importante. O pH deve ficarentre 4-5.
  40. 40. DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Reações com Aminas 1asAldeídos e Cetonas – Reações com Aminas 1asNas reações de formação de iminas, o controlecontrole dodo pHpH éé muitomuito importanteimportante.O pHpH devedeve ficarficar entreentre 44--55.Se o pHpH forfor muitomuito elevadoelevado (isto é, se nenhum catalisador ácido é utilizado), acarbonilacarbonila nãonão éé protonadaprotonada (passo 1 do mecanismo) e a carbinolaminacarbinolaminatambémtambém nãonão éé protonadoprotonado (passo 4 do mecanismo), de modo a reação ocorremais lentamente.Se o pHpH éé muitomuito baixobaixo (muito ácido é utilizado), a maioria das moléculas deamina será protonada. Sob estas condições, o passo 2 do mecanismo ocorremuito lentamente.
  41. 41. DQOI - UFC Prof. NunesO meio ácido é exigido para desidratar oaminoálcool. Porém, muita acidezC O H2N R..CNO-H HR+CNOHHR~ H+aminoálcool..MecanismoMecanismoaminoálcool. Porém, muita acidezocasionará a protonação do nucleófilo,com conseqüente não formação doaminoálcool.H3O+CNOHRHH+..CNHROHH+..CN RH3O+ +imina
  42. 42. DQOI - UFC Prof. NunesReações com Aminas 1as - ExercíciosReações com Aminas 1as - ExercíciosEscreva a estrutura da carbinolamina e do produto final (imina) formados emcada uma das seguintes reações:(a) Acetaldeído e benzilamina, C6H5CH2NH2
  43. 43. DQOI - UFC Prof. NunesReações com Aminas 1as - ExercíciosReações com Aminas 1as - ExercíciosEscreva a estrutura da carbinolamina e do produto final (imina) formados emcada uma das seguintes reações:(b) Benzaldeído e butilamina, CH3CH2CH2CH2NH2- H2O
  44. 44. DQOI - UFC Prof. NunesReações com Aminas 1as - ExercíciosReações com Aminas 1as - ExercíciosEscreva a estrutura da carbinolamina e do produto final (imina) formados emcada uma das seguintes reações:(c) Cicloexanona e terc-butilamina, (CH3)3CNH2
  45. 45. DQOI - UFC Prof. NunesMuitos compostos diferentes de forma RNHRNH22 reagem com aldeídos e cetonas,incluindo os compostos em que R não é um grupo alquila.Nos exemplos a seguir, o grupogrupo RR da amina foi substituído por um grupogrupo quequetemtem sidosido destacadodestacado emem vermelhovermelho:Reações com Derivados da AmôniaReações com Derivados da Amônia
  46. 46. DQOI - UFC Prof. NunesUm número de compostos do tipo ZNH2 reage com aldeídos e cetonassegundo um mesmo mecanismo geral:ROHRO-HNH H+ROHNH~H+::..Mecanismo GeralMecanismo GeralH2N Z..Z H ZH3O+ROHNH ZHH::..+R HNZH- H2O+OHH ..R HNZ:
  47. 47. DQOI - UFC Prof. NunesDevido ao fato das hidrazonas e semicarbazonas serem freqüentementesólidos estáveis e cristalinos, elas são utilizadas para confirmar a supostaidentidade de aldeídos e cetonas.OOONota HistóricaNota Histórica102 oC 102 oC 106 oCNNHONH2NNHONH2NNHONH2112 oC 139 oC 157 oC
  48. 48. DQOI - UFC Prof. NunesEm condiçõescondições ácidasácidas, um aldeído (ou cetona) reage com uma aminaaminasecundáriasecundária para formar uma enaminaenamina:Reações com Aminas SecundáriasReações com Aminas SecundáriasAs enaminasenaminas são os compostos em que o par de elétrons do nitrogêniosolitário é deslocalizado devido à presença de uma ligação dupla (C=C)adjacente.
  49. 49. DQOI - UFC Prof. NunesMecanismos de formação de enaminasenaminas:Reações com Aminas SecundáriasReações com Aminas Secundárias
  50. 50. DQOI - UFC Prof. NunesEste mecanismo é idêntico ao de formação de iminas, exceto pelas últimasetapas:Reações com Aminas SecundáriasReações com Aminas Secundárias
  51. 51. DQOI - UFC Prof. NunesEscreva a estrutura do intermeiário carbinolamina (aminoálcool) e do produtoenamina formada na reação de cada um das seguintes reações:a) Propanal e dimetilamina, CH3NHCH3Reações com Aminas Secundárias - ExercíciosReações com Aminas Secundárias - Exercícioscarbinolaminaenamina
  52. 52. DQOI - UFC Prof. NunesEscreva a estrutura do intermeiário carbinolamina (aminoálcool) e do produtoenamina formada na reação de cada um das seguintes reações:b) 3-Pentanona e pirrolidinaReações com Aminas Secundárias - ExercíciosReações com Aminas Secundárias - Exercícioscarbinolaminaenamina
  53. 53. DQOI - UFC Prof. NunesEscreva a estrutura do intermeiário carbinolamina (aminoálcool) e do produtoenamina formada na reação de cada um das seguintes reações:c) Acetofenona e piperidinaReações com Aminas Secundárias - ExercíciosReações com Aminas Secundárias - Exercícioscarbinolaminaenamina
  54. 54. DQOI - UFC Prof. NunesCetonasCetonas podem ser convertidas em hidrazonashidrazonas. Essa transformação tem umautilidade prática, porque hidrazonashidrazonas são prontamente reduzidasreduzidas sobsobcondiçõescondições fortementefortemente básicasbásicas:Reações de Wolff-KishnerReações de Wolff-KishnerEsta transformação é chamada de Wolff-Kishner, nome dado emhomenagem ao químico alemão Ludwig Wolff (Universidade de Jena) eao químico russo N.M. Kishner (University of Moscou).
  55. 55. DQOI - UFC Prof. NunesMecanismoMecanismo::Reações de Wolff-KishnerReações de Wolff-Kishner
  56. 56. DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de EnxofreAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de EnxofreEm condições ácidasácidas, um aldeído (ou cetona) reage com doisdois equivalentesequivalentes dedeumum tioltiol para formar um tioacetaltioacetal:O mecanismo desta transformação é diretamente análogo ao da formação deacetal, com átomos de enxofre tomando o lugar de átomos de oxigênio.Se um compostocomposto comcom doisdois gruposgrupos SHSH é utilizado um tioacetaltioacetal cíclicocíclico éformado:
  57. 57. DQOI - UFC Prof. NunesAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de EnxofreAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de EnxofreQuando tratado com níquelníquel dede RaneyRaney, tioacetaistioacetais sofrem dessulfuraçãodessulfuração,originando um alcano:O NiNi dede RaneyRaney é uma forma esponjosa de níquel que tem átomos dehidrogênio absorvidos.São estes átomos de hidrogênio que substituem os átomos de enxofre.
  58. 58. DQOI - UFC Prof. Nunes As carbonilas de aldeídos e cetonas podem ser reduzidas,respectivamente, a álcoois primários e secundários através da reaçãocom hidretos – reação de redução. O mais importante dos hidretos utilizados em química orgânica são oNaBH (borohidreto de sódio), o qual produz o íon BH - quando colocadoRedução de Aldeídos e CetonasRedução de Aldeídos e CetonasNaBH4 (borohidreto de sódio), o qual produz o íon BH4- quando colocadoem água e LiAlH4 (hidreto de alúmínio e lítio).
  59. 59. DQOI - UFC Prof. NunesRedução de Aldeídos e CetonasRedução de Aldeídos e Cetonas NaBH4  agente redutor mais brando. Reduz apenas aldeídos e cetonas. LiAlH4  agente redutor mais potente. Reduz inclusive ésteres e amidas.
  60. 60. DQOI - UFC Prof. NunesMecanismoMecanismo::Redução de Aldeídos e CetonasRedução de Aldeídos e CetonasNa primeira etapa do mecanismo, o agente de redução fornece um íoníonhidretohidreto, o qual ataca a carbonila, produzindo um intermediário tetraédrico.Este intermediário é, então, tratadotratado comcom umauma fontefonte dede prótonsprótons para originaro produto.
  61. 61. DQOI - UFC Prof. NunesReagentesReagentes dede GrignardGrignard::Quando tratado com um reagente de Grignard, aldeídosaldeídos ee cetonascetonas sãosãoconvertidosconvertidos em alcoóisalcoóis, acompanhado da formação de uma nova ligaçãoC-C:Aldeídos e Cetonas – Nucleófilos de CarbonoAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de Carbono
  62. 62. DQOI - UFC Prof. NunesReagentesReagentes dede GrignardGrignard -- MecanismoMecanismoAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de CarbonoAldeídos e Cetonas – Nucleófilos de Carbono
  63. 63. DQOI - UFC Prof. NunesQuando tratados com cianetocianeto dede hidrogêniohidrogênio (HCN)(HCN), aldeídos e cetonas sãoconvertidos em cianoidrinascianoidrinas, que são caracterizadas pela presença de umgrupo ciano e um grupo hidroxila ligados ao mesmo átomo de carbono:Reações de Aldeídos e Cetonas – Formação de CianoidrinasReações de Aldeídos e Cetonas – Formação de CianoidrinasEsta reação ocorre mais rapidamente em condições moderadamente básicas.Na presença de uma quantidade catalítica de base, uma pequena quantidadede cianeto de hidrogênio é desprotonado para gerar íon cianeto, que catalisaa reação.
  64. 64. DQOI - UFC Prof. Nunes O mecanismo desta reação é análogo ao mecanismo base de hidrataçãocatalisada, onde o nucleófilo (íon cianeto) ataca a carbonilade carbono na primeiraprimeira etapaetapa da reação. Na segunda etapa, ocorre a transferência de prótons para o oxigênio dacarbonila.Formação de Cianoidrinas - MecanismoFormação de Cianoidrinas - Mecanismo
  65. 65. DQOI - UFC Prof. Nunes Em vez de usar uma quantidade catalítica de base para formar íons decianeto, aa reaçãoreação podepode simplesmentesimplesmente serser realizadarealizada numanuma misturamistura dede HCNHCNee íoníon cianetocianeto (a partir do KCN). O processo é reversível, e o rendimento dos produtos é, portanto,determinado pelas concentrações de equilíbrio. Para a maioriamaioria dosdos aldeídosaldeídos ee cetonascetonas nãonão impedidosimpedidos, o equilíbriofavorece a formaçãoformação dada cianoidrinacianoidrina:Formação de CianoidrinasFormação de Cianoidrinasfavorece a formaçãoformação dada cianoidrinacianoidrina:
  66. 66. DQOI - UFC Prof. Nunes HCN é um líquido à temperatura ambiente e é extremamente perigoso dese manusear, porque é altamente tóxico e volátil (p. de eb. = 26 ° C). Para evitar os riscos associados com o manuseio de HCN, cianoidrinascianoidrinastambémtambém podepode serser preparadaspreparadas por tratamento de uma cetona ou aldeídocom cianetocianeto dede potássiopotássio ee umum fontefonte alternativaalternativa dede prótons,prótons, comocomo oo HClHCl:Formação de CianoidrinasFormação de Cianoidrinascom cianetocianeto dede potássiopotássio ee umum fontefonte alternativaalternativa dede prótons,prótons, comocomo oo HClHCl:
  67. 67. DQOI - UFC Prof. NunesAs cianoidrinas são intermediários úteis nas síntese orgânicas. Dependendodas condições adotadas, a hidrólise ácida converte as cianoidrinas aosácidos -hidroxilados ou a ácidos , - insaturados.HClH OOHhidrólise ácidaImportância Sintética das CianoidrinasImportância Sintética das CianoidrinasO HCN OCNHcianohidrinaH2OCOOHhidrólise ácidada nitrilaácido -insaturadoCOOHhidrólise edesidrataçãoH2SO4 conc.calor
  68. 68. DQOI - UFC Prof. NunesCianoidrinasCianoidrinas são úteis na síntese, porque o grupo ciano pode ser aindatratado para se obter um gama de produtos. Dois exemplos sãoapresentados a seguir:Importância Sintética das CianoidrinasImportância Sintética das CianoidrinasNo primeiro exemplo, o grupo cianociano éé reduzidoreduzido aa umum grupogrupo aminoamino. Nosegundo exemplo, o grupogrupo cianociano éé hidrolisadohidrolisado para dar um ácidocarboxílico.Ambas as reações e seus mecanismosmecanismos serãoserão exploradosexplorados emem maismais detalhesdetalhesnono próximopróximo capítulocapítulo.
  69. 69. DQOI - UFC Prof. NunesO grupo hidroxila de uma cianidrina também é um sítio potencialmentereativo. A metacrilonitrila é um produto químico industrial usado na produçãode plásticos e fibras. Um método para a sua preparação é a desidratação daacetona cianoidrina catalisada por ácido. Deduzir a estrutura dametacrilonitrila.Formação de Cianoidrinas - ExercícioFormação de Cianoidrinas - Exercícioacetona cianoidrina metacrilonitrila
  70. 70. DQOI - UFC Prof. NunesPrediga o produto majoritário para cada uma das seguintes reações:Formação de Cianoidrinas - ExercícioFormação de Cianoidrinas - Exercício
  71. 71. DQOI - UFC Prof. NunesIdentifique os reagentes necessários para promover cada uma das seguintesreações:Formação de Cianoidrinas - ExercícioFormação de Cianoidrinas - Exercício
  72. 72. DQOI - UFC Prof. Nunes O potencial sintético desta reação foi demonstradopelo químico alemão Georg Wittig, o qual ganhou oprêmioprêmio NobelNobel dede químicaquímica emem 19791979. Um método sintético de vasta extensão utiliza ilídeosde fósforo para converter aldeídos e cetonas emReações de WittigReações de Wittigde fósforo para converter aldeídos e cetonas emalcenos.(1897-1987)
  73. 73. DQOI - UFC Prof. Nunes As reações de Wittig podem ser realizadas em um número de diferentessolventes, normalmente tetrahidrofurano (THF) ou dimetilsulfóxido (DMSO)são os utilizados.Reações de WittigReações de Wittig
  74. 74. DQOI - UFC Prof. Nunes A característica mais interessante da reação de Wittig é a suaregiospecificidade. A localização da dupla ligação nunca está em dúvida. A dupla ligaçãoconecta o carbono da ligação C=O do aldeído ou cetona, e o carbonocarregado negativamente do ilídeo.Reações de Wittig - RegiosseletividadeReações de Wittig - Regiosseletividadecarregado negativamente do ilídeo.
  75. 75. DQOI - UFC Prof. NunesMecanismo das Reações de WittigMecanismo das Reações de Wittig
  76. 76. DQOI - UFC Prof. NunesIdentifique o alceno formado em cada uma das seguintes reações:Reação de Wittig - ExercíciosReação de Wittig - Exercíciosa) b)c)
  77. 77. DQOI - UFC Prof. Nunes A fim de identificar os compostos carbonílicos e os ilídeos necessáriospara produzir um determinado alceno, mentalmente desconectamos aligação dupla, para que um de seus carbonos seja derivadoum grupo carbonila e o outro de um ilídeo. Tomando estireno como um exemplo, vemos que as duas combinaçõessão possíveis. A escolha será baseada na disponibilidade dos reagentes:Reação de Wittig - PlanejamentoReação de Wittig - Planejamentosão possíveis. A escolha será baseada na disponibilidade dos reagentes:
  78. 78. DQOI - UFC Prof. Nunes Quais combinações de compostos carbonílicos e ilídeos são possíveispara produzir o seguinte alceno:Reação de Wittig - ExercícioReação de Wittig - Exercício
  79. 79. DQOI - UFC Prof. Nunes Quais combinações de compostos carbonílicos e ilídeos são possíveispara produzir o seguinte alceno:Reação de Wittig - ExercícioReação de Wittig - Exercício
  80. 80. DQOI - UFC Prof. Nunes Ilídeos de fósforo são preparados a partir de haletos de alquila por umaseqüência de duas etapas. A primeira etapa é uma substituição nucleofílica do tipo SN2:trifenilfosfina e um haleto de alquila para dar um salalquilltriphenilfosfônio.Síntese de FosforanasSíntese de Fosforanasalquilltriphenilfosfônio.
  81. 81. DQOI - UFC Prof. Nunes A trifenilfosfina é um nucleófilo muito poderoso, mas não é fortementebásico. Haletos de alquila (metil, primário e secundário) são substratosadequados. Os produtos são alquiltrifenilfosfônios, sais iônicos que cristalizam emSíntese de FosforanasSíntese de Fosforanas Os produtos são alquiltrifenilfosfônios, sais iônicos que cristalizam emalto rendimento em solventes apolares em que estão preparados.
  82. 82. DQOI - UFC Prof. Nunes Após o isolamento, o halogeneto de alquiltrifenilfosfônio é convertido noilídeo desejado por desprotonação com uma base forte:Síntese de FosforanasSíntese de Fosforanas
  83. 83. DQOI - UFC Prof. Nunes Os aldeídosaldeídos são facilmente oxidados a ácidos carboxílicos por uma sériede reagentes, incluindo aquelas baseadas em Cr (VI) em meio aquoso.Oxidação de AldeídosOxidação de Aldeídos
  84. 84. DQOI - UFC Prof. Nunes Mecanicamente, essas reações, provavelmente, procedem através dohidrato do aldeído e segue um percurso semelhante ao de oxidação deálcoois.Oxidação de AldeídosOxidação de Aldeídos
  85. 85. DQOI - UFC Prof. Nunes A reação de cetonas com peroxiácidos (RCO3H) ésinteticamente muito útil. O oxigênio doperóxiácidoperóxiácido é inserido entre o grupo carbonila e umdos carbonos ligados da cetona para gerar uméster.Oxidação de Cetonas - Baeyer-VilligerOxidação de Cetonas - Baeyer-VilligerBaeyer Villiger Reações desse tipo foram descritas por Adolf vonBaeyer e Villiger Victor em 1899 e são conhecidascomo oxidação de Bayer-Villiger.Baeyer Villiger
  86. 86. DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-Villiger - MecanismoOxidação de Baeyer-Villiger - MecanismoO peroxiácidoperoxiácido ataca a carbonila da cetona, dando um intermediáriotetraédrico que, em seguida, sofre uma transferência de prótonsintramolecular (ou duas transferências sucessivas de prótonsintermoleculares).Finalmente, a ligação dupla está C=O refeita pela migração de um grupo R.Este rearranjo produzproduz oo ésteréster.Este rearranjo produzproduz oo ésteréster.
  87. 87. DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-Villiger - MecanismoOxidação de Baeyer-Villiger - MecanismoDa mesma forma, o tratamento de uma cetonacetona cíclicacíclica com um peroxiácidoperoxiácidoproduz um ésteréster cíclicocíclico ((lactonalactona)).Quando uma cetona assimétricaassimétrica é tratada com um peroxiácido, a formação doéster é regiosseletiva, por exemplo:Em geral, é o grupo R mais substituído que migra. A aptidão migratória dodiversos grupos alquila é:H > alquila 3o > alquila 2o , Ph > alquila 1o > metila
  88. 88. DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-Villiger - ExercícioOxidação de Baeyer-Villiger - ExercícioQual o produto formado a partir dos seguintes reagentes:
  89. 89. DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-VilligerOxidação de Baeyer-Villiger A reação é estereoespecífica, o grupo alquila migra com retenção deconfiguração. Quanto o experimento é realizado com o estereoisômero trans da cetona,apenas acetato de trans é formado.
  90. 90. DQOI - UFC Prof. NunesOxidação de Baeyer-VilligerOxidação de Baeyer-Villiger Tão incomum quanto a reação de Baeyer-Villiger possaparecer, o que é ainda mais notável é que uma reaçãoanáloga ocorre em sistemas vivos. Certas bactérias, incluindo as do tipo Pseudomonas eAcinetobacter, podem usar uma variedade de compostosorgânicos, mesmo hidrocarbonetos, como fonte decarbono.carbono.oxidaçãoem PseudomonasO2,Cicloexanona monooxigenasee coenzimas O cicloexano, por exemplo, em uma etapa preliminar de oxidação, éconvertido em cicloexanona que, então, sofre uma reação de "Baeyer-Villiger".
  91. 91. DQOI - UFC Prof. NunesReview das ReaçõesReview das Reações
  92. 92. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosPara cada par dos seguintes compostos, identifique qual o composto maisreativo frente a um nucleófilo:
  93. 93. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosDesenhe os produtos de cada reação de Wittig abaixo. Se dois estereoisômerosforem possíveis, desenhe ambos:
  94. 94. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosMostre como uma reação de Wittig pode ser utilizada para preparar cada um doscompostos seguintes. Em cada caso, também mostre como o reagente de Wittigseria preparado :
  95. 95. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosEscolha um reagente de Grignard e uma cetona que possam ser usados paraproduzir cada um dos compostos seguintes:a) 3-metil-3-pentanolb) 1-etilcicloexanolc) trifenilmetanold) 5-fenil-5-nonanol
  96. 96. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosPreveja o(s) principal(is) produto(s) formados a partir do tratamento da acetonaacetonacom os compostos seguintes reagentes:(a) [H+], NH3, (-H2O)(b) [H+], CH3NH2, (-H2O)(c) [H+], excesso de EtOH, (-H2O)(d) [H+], (CH3)2NH, (-H2O)(e) [H+], NH2NH2, (-H2O)(f) [H+], NH OH, (-H O)(f) [H+], NH2OH, (-H2O)(g) NaBH4, MeOH(h) Ácido metacloroperbenzóico(i) HCN, KCN(j) EtMgBr seguido por H2O(k) (C6H5)3P=CHCH2CH3(l) (l) LiAlH4 seguido por H2O
  97. 97. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha um mecanismo plausível para a seguinte transformação:
  98. 98. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha uma rota sintética para a seguinte transformação:
  99. 99. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosPreveja o(s) produto(s) principal(is) obtido(s) quando cada um dos seguintescompostos sofre hidrólise na presença de H3O+.
  100. 100. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosIdentifique as matérias-primas necessárias para fazer cada um dos os seguintesacetais.
  101. 101. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha uma eficiente síntese para cada uma das seguintes transformações:
  102. 102. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha uma eficiente síntese para cada uma das seguintes transformações:
  103. 103. DQOI - UFC Prof. NunesExercíciosExercíciosProponha uma eficiente síntese para cada uma das seguintes transformações:
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×