Estresse ou ansiedade

5,049 views
4,739 views

Published on

Estresse ou ansiedade

Published in: Education, Technology

Estresse ou ansiedade

  1. 1. Estresse ou Ansiedade ?<br />Psic. PatriciaBader<br />Coordenadora Serviço de Psicologia Itaim<br />Dez/2010<br />
  2. 2. Pode ser definido como a soma de respostas físicas e mentais causadas por determinados estímulos externos (estressores) e que permitem ao indivíduo superar determinadas exigências do meio-ambiente <br />Pode ser definido como desgaste físico e mental causado por esse processo.<br />Estresse<br />
  3. 3. O termo estresse foi usado por Selye (1976)<br /> com um sentido neutro - nem positivo nem negativo. <br />Ele o definiu como "reação não-específica do corpo a qualquer tipo de exigência". <br />A partir dessa definição diferencia dois tipos de estresse: o "eustresse", que indica a situação em que o indivíduo possui meios (físicos, psíquicos...) de lidar com a situação, e o "distresse" (distress), que indica a situação em que a exigência é maior do que os meios para enfrentá-la. <br />
  4. 4. O organismo reage à percepção de um estressor com uma reação de adaptação (ou seja, o organismo se adapta à nova situação para enfrentá-la), que gera uma momentânea elevação da resistência do organismo. <br />Depois de toda tensão deve seguir um estado de relaxamento, pois apenas com descanso suficiente o organismo é capaz de manter o equilíbrio entre relaxamento e excitação necessário para a manutenção da saúde. <br />Assim se o organismo continuar sendo exposto a mais estressores, não poderá retornar ao estágio de relaxamento inicial, o que, a longo prazo, pode gerar problemas de saúde <br />Reação de alarme<br />Estágio de resistência<br />Estágio de esgotamento<br />Síndrome geral de adaptação<br />
  5. 5. O estresse não é uma doença, é o estado do organismo quando submetido à tensão. <br />Numa situação estressante, o corpo sofre reações químicas. <br />Em excesso, isso pode prejudicar o organismo. <br />O CORPO EM ALERTA <br />
  6. 6. O sistema nervoso é responsável pelas transformações químicas que ocorrem no organismo, “reconhecendo” a qualidade de cada mensagem captada e enviada até ele por terminações nervosas. <br /> Por meio da sensibilidade do corpo, os centros nervosos são informados sobre as alterações que ocorrem no meio externo e interno. Essas alterações sensitivas atingem a glândula supra-renal, onde há produção da adrenalina. <br />As Transformações Químicas do Corpo <br />
  7. 7. Principais Sintomas do Estresse<br /><ul><li> Sinais de cansaço </li></ul>·      Nó na garganta <br />·      Tristeza <br />·      Prostração <br />·      Bruxismo (ranger os dentes) <br /><ul><li>Dor na coluna </li></ul>·      Diarréia <br />·      Dor de cabeça <br />·      Grande agitação <br />·      Aflição <br />·      Pânico <br />·      Sentimento de medo e agressividade constantes <br />·      Constantes crises de tensão e angústia <br />Incapacidade de domínio sobre as emoções <br />·      Impotência na resolução de problemas <br />·     ·      Alteração do desempenho de suas funções normais <br />·      Fixação num determinado problema de trabalho <br />·      Diminuição da produtividade e eficiência <br />·      Perda de memória <br />·      Sudorese intensa (suor, transpiração intensa) <br />·      Queixas freqüentes <br />·      Manchas roxas <br />·      Perturbação <br />·      Fala desordenada <br />·      Aceleração do batimento cardíaco <br />·      Irritação <br />·      Isolamento <br />·      Hipertensão <br />·      Mau humor <br />·      Pigarro <br />·      Úlcera <br />·      Medo <br />·      Melancolia <br />·      Angústia <br />·      Esgotamento <br />·      Roer unhas <br />
  8. 8. É uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central conseqüente a interpretação de uma situação de perigo.Parente próximo do medo, (muitas vezes onde a diferenciação não é possível).é distinguida dele pelo fato de o medo ter um fator desencadeante real e palpável enquanto na ansiedade o fator de estimulo teria características mais subjetivas.<br />Ansiedade<br />
  9. 9. Ansiedade é a expressão sintomática de um conflito emocional interno que ocorre quando certas experiências, sentimentos e impulsos muito perturbadores são suprimidos da consciência.<br />Mesmo fora da consciência, os conteúdos mantidos no inconsciente retêm grande parte da catexia psíquica original. A liberação de lembranças ou impulsos proibidos, que buscam gratificação, provoca ansiedade por ser ameaçadora para o ego. O mesmo ocorre quando experiências traumáticas, profundamente soterradas, assolam o ego, exigindo uma elaboração mais aprofundada.<br />
  10. 10. 1. Diante de pessoas(estranhas). Perda do rosto da mãe. <br />2. Diante de situações: sozinho no escuro, perdido, sem a mãe.<br />3. Diante de objetos(pessoas ou coisas que substituem o verdadeiro motivo do medo)<br />O nascimento é a primeira e grande separação; desamparo. Maior nos humanos do que nos animais.<br />Os neuróticos sofrem de reminiscências(Freud)<br />ANGÚSTIA INFANTIL<br />
  11. 11. 1. Livre - Nãoligada a representações. Um significanterelacionadoao soma, vindoda parte instintual.<br />2. Ligada a representações. Desde um medogenérico, comum a todos. Raios, bombas, tiros, agressões. Ponto de fixação. Dos mitosculturaisaosindividuais.<br />3. Grupos de representações. Associações de idéias, àsvezesisoladas do resto do pensamento(histeria, fobias).<br />NÍVEIS DE ELABORAÇÃO DA ANSIEDADE<br />
  12. 12. 1. Repressão - retirada de idéias, afetos ou desejos perturbadores da consciência, pressionando-os para o inconsciente.<br />2. Formação reativa - fixação de uma idéia, afeto ou desejo na consciência , opostos ao impulso inconsciente temido.<br />3. Projeção - sentimentos próprios indesejáveis são atribuídos a outras pessoas.<br />4. Regressão - retorno a formas de gratificação de fases anteriores, devido aos conflitos que surgem em estágios posteriores do desenvolvimento.<br />5. Racionalização - substituição do verdadeiro, porém assustador, motivo do comportamento por uma explicação razoável e segura.<br />Mecanismos de defesa<br />
  13. 13. 6. Negação - recusa consciente para perceber fatos perturbadores. Retira do indivíduo não só a percepção necessária para lidar com os desafios externos, mas também a capacidade de valer-se de estratégias de sobrevivência adequadas.<br />7. Deslocamento - redirecionamento de um impulso para um alvo substituto.<br />8. Anulação - através de uma ação, busca-se o cancelamento da experiência prévia e desagradável.<br />9.Introjeção - estreitamente relacionada com a identificação, visa resolver alguma dificuldade emocional do indivíduo, ao tomar para a própria personalidade certas características de outras pessoas.<br />10. Sublimação - parte da energia investida nos impulsos sexuais é direcionada à consecução de realizações socialmente aceitáveis (p.ex. artísticas ou científicas).<br />
  14. 14. http://www.freudpage.info<br />www.abpbrasil.org.br<br />http://sti.br.inter.net<br />www.cerebromente.org.br<br />www.saudeemmovimento.com.br/.../estresse<br />Referências<br />

×