• Save
Estresse ou ansiedade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 
  • 4,293 views

Estresse ou ansiedade

Estresse ou ansiedade

Statistics

Views

Total Views
4,293
Views on SlideShare
4,289
Embed Views
4

Actions

Likes
2
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 4

http://www.nucleoprocreare.com.br 3
http://procreare.trespontozero.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Estresse ou ansiedade Estresse ou ansiedade Presentation Transcript

  • Estresse ou Ansiedade ?
    Psic. PatriciaBader
    Coordenadora Serviço de Psicologia Itaim
    Dez/2010
  • Pode ser definido como a soma de respostas físicas e mentais causadas por determinados estímulos externos (estressores) e que permitem ao indivíduo superar determinadas exigências do meio-ambiente
    Pode ser definido como desgaste físico e mental causado por esse processo.
    Estresse
  • O termo estresse foi usado por Selye (1976)
    com um sentido neutro - nem positivo nem negativo.
    Ele o definiu como "reação não-específica do corpo a qualquer tipo de exigência".
    A partir dessa definição diferencia dois tipos de estresse: o "eustresse", que indica a situação em que o indivíduo possui meios (físicos, psíquicos...) de lidar com a situação, e o "distresse" (distress), que indica a situação em que a exigência é maior do que os meios para enfrentá-la.
  • O organismo reage à percepção de um estressor com uma reação de adaptação (ou seja, o organismo se adapta à nova situação para enfrentá-la), que gera uma momentânea elevação da resistência do organismo.
    Depois de toda tensão deve seguir um estado de relaxamento, pois apenas com descanso suficiente o organismo é capaz de manter o equilíbrio entre relaxamento e excitação necessário para a manutenção da saúde.
    Assim se o organismo continuar sendo exposto a mais estressores, não poderá retornar ao estágio de relaxamento inicial, o que, a longo prazo, pode gerar problemas de saúde
    Reação de alarme
    Estágio de resistência
    Estágio de esgotamento
    Síndrome geral de adaptação
  • O estresse não é uma doença, é o estado do organismo quando submetido à tensão.
    Numa situação estressante, o corpo sofre reações químicas.
    Em excesso, isso pode prejudicar o organismo.
    O CORPO EM ALERTA
  • O sistema nervoso é responsável pelas transformações químicas que ocorrem no organismo, “reconhecendo” a qualidade de cada mensagem captada e enviada até ele por terminações nervosas.
    Por meio da sensibilidade do corpo, os centros nervosos são informados sobre as alterações que ocorrem no meio externo e interno. Essas alterações sensitivas atingem a glândula supra-renal, onde há produção da adrenalina.
    As Transformações Químicas do Corpo
  • Principais Sintomas do Estresse
    • Sinais de cansaço
    ·      Nó na garganta
    ·      Tristeza
    ·      Prostração
    ·      Bruxismo (ranger os dentes)
    • Dor na coluna
    ·      Diarréia
    ·      Dor de cabeça
    ·      Grande agitação
    ·      Aflição
    ·      Pânico
    ·      Sentimento de medo e agressividade constantes
    ·      Constantes crises de tensão e angústia
    Incapacidade de domínio sobre as emoções
    ·      Impotência na resolução de problemas
    ·     ·      Alteração do desempenho de suas funções normais
    ·      Fixação num determinado problema de trabalho
    ·      Diminuição da produtividade e eficiência
    ·      Perda de memória
    ·      Sudorese intensa (suor, transpiração intensa)
    ·      Queixas freqüentes
    ·      Manchas roxas
    ·      Perturbação
    ·      Fala desordenada
    ·      Aceleração do batimento cardíaco
    ·      Irritação
    ·      Isolamento
    ·      Hipertensão
    ·      Mau humor
    ·      Pigarro
    ·      Úlcera
    ·      Medo
    ·      Melancolia
    ·      Angústia
    ·      Esgotamento
    ·      Roer unhas
  • É uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central conseqüente a interpretação de uma situação de perigo.Parente próximo do medo, (muitas vezes onde a diferenciação não é possível).é distinguida dele pelo fato de o medo ter um fator desencadeante real e palpável enquanto na ansiedade o fator de estimulo teria características mais subjetivas.
    Ansiedade
  • Ansiedade é a expressão sintomática de um conflito emocional interno que ocorre quando certas experiências, sentimentos e impulsos muito perturbadores são suprimidos da consciência.
    Mesmo fora da consciência, os conteúdos mantidos no inconsciente retêm grande parte da catexia psíquica original. A liberação de lembranças ou impulsos proibidos, que buscam gratificação, provoca ansiedade por ser ameaçadora para o ego. O mesmo ocorre quando experiências traumáticas, profundamente soterradas, assolam o ego, exigindo uma elaboração mais aprofundada.
  • 1. Diante de pessoas(estranhas). Perda do rosto da mãe.
    2. Diante de situações: sozinho no escuro, perdido, sem a mãe.
    3. Diante de objetos(pessoas ou coisas que substituem o verdadeiro motivo do medo)
    O nascimento é a primeira e grande separação; desamparo. Maior nos humanos do que nos animais.
    Os neuróticos sofrem de reminiscências(Freud)
    ANGÚSTIA INFANTIL
  • 1. Livre - Nãoligada a representações. Um significanterelacionadoao soma, vindoda parte instintual.
    2. Ligada a representações. Desde um medogenérico, comum a todos. Raios, bombas, tiros, agressões. Ponto de fixação. Dos mitosculturaisaosindividuais.
    3. Grupos de representações. Associações de idéias, àsvezesisoladas do resto do pensamento(histeria, fobias).
    NÍVEIS DE ELABORAÇÃO DA ANSIEDADE
  • 1. Repressão - retirada de idéias, afetos ou desejos perturbadores da consciência, pressionando-os para o inconsciente.
    2. Formação reativa - fixação de uma idéia, afeto ou desejo na consciência , opostos ao impulso inconsciente temido.
    3. Projeção - sentimentos próprios indesejáveis são atribuídos a outras pessoas.
    4. Regressão - retorno a formas de gratificação de fases anteriores, devido aos conflitos que surgem em estágios posteriores do desenvolvimento.
    5. Racionalização - substituição do verdadeiro, porém assustador, motivo do comportamento por uma explicação razoável e segura.
    Mecanismos de defesa
  • 6. Negação - recusa consciente para perceber fatos perturbadores. Retira do indivíduo não só a percepção necessária para lidar com os desafios externos, mas também a capacidade de valer-se de estratégias de sobrevivência adequadas.
    7. Deslocamento - redirecionamento de um impulso para um alvo substituto.
    8. Anulação - através de uma ação, busca-se o cancelamento da experiência prévia e desagradável.
    9.Introjeção - estreitamente relacionada com a identificação, visa resolver alguma dificuldade emocional do indivíduo, ao tomar para a própria personalidade certas características de outras pessoas.
    10. Sublimação - parte da energia investida nos impulsos sexuais é direcionada à consecução de realizações socialmente aceitáveis (p.ex. artísticas ou científicas).
  • http://www.freudpage.info
    www.abpbrasil.org.br
    http://sti.br.inter.net
    www.cerebromente.org.br
    www.saudeemmovimento.com.br/.../estresse
    Referências