• Like
Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Boletim mensageiro do_algarve _iii_2013

  • 224 views
Published

Entrámos no quarto trimestre e, conforme o prometido, "O Mensageiro do Algarve" está de novo á vossa disposição com o seu terceiro número. Apraz-nos registar a boa receção por parte dos nossos …

Entrámos no quarto trimestre e, conforme o prometido, "O Mensageiro do Algarve" está de novo á vossa disposição com o seu terceiro número. Apraz-nos registar a boa receção por parte dos nossos leitores e as mensagens de apoio que temos recebido razão, mais que suficiente, para continuarmos.
Com a "ALGARPEX 2013" a aproximar-se retardámos um pouco a saída da publicação, para pudermos dar a cobertura necessária a este certame que, de outro modo só seria noticiada nos começos de Janeiro. A ALGARPEX é uma Iniciativa das quatro Agremiações não juvenis do Algarve, nascida em 2010 com uma nova e única filosofia de realização. Vai na sua quarta edição e fecha, assim, o seu primeiro ciclo. Com o balanço positivo só nos resta continuar.
Sabemos que o momento atual não é dos melhores, sabemos das dificuldades para a maior parte dos filatelistas obterem material para as suas coleções, da persistência de muitos deles para seguir em frente, Sabemos que a nível associativo os apoios são cada vez menores. Temos, no entanto, de nos adaptar, de encontrar soluções mais viáveis e não deixar esmorecer o espírito de colecionismo que há, um pouco, em cada um de nós.
A união faz a força e, a nível da filatelia algarvia, a franca colaboração das diversas Agremiações tem surtido efeito. Os resultados já começaram a fazer-se sentir e, com a maior satisfação, verificamos que os filatelistas estão a reagir positivamente às nossas apostas conjuntas, as Algarpex e “O Mensageiro do Algarve”. O nosso maior destaque vai para eles, os filatelistas, elementos essenciais para o bom desenvolvimento do colecionismo com quem esperamos puder continuar a contar em todos nas nossas ações filatélicas.
O Mensageiro do Algarve, órgão oficial das Agremiações Filatélicas do Algarve, na sua última edição do ano, agradece a todos, entidades públicas ou privadas e filatelistas que colaboraram e apoiaram a atividade filatélica durante o corrente ano, nas diversas Agremiações de Filatelia existentes.
A todos desejamos um Natal Feliz e um Ano de 2014 filatelicamente próspero.

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
224
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Boletim das Agremiações Filatélicas e de Coleccionismo do Algarve Publicação Trimestral Ano I, Número 3 Editorial Entrámos no quarto trimestre e, conforme o prometido, "O Mensageiro do Algarve" está de novo á vossa disposição com o seu terceiro Edição: número. Apraz-nos registar a boa receção por parte dos nossos leito Associação Filatélica Alentejo-Algarve ciente, para continuarmos. (Portimão)  Núcleo de Filatelia de Faro – ATAF (Associação de Trabalhadores Autárquicos de Faro)  Núcleo Filatélico Juvenil “Os Amigui Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão  Secção de Coleccionismo da AssociaHumanitária dos Com a "ALGARPEX 2013" a aproximar-se retardámos um pouco a saída da publicação, para pudermos dar a cobertura necessária a este certame que, de outro modo só seria noticiada nos começos de Janeiro. A ALGARPEX é uma Iniciativa das quatro Agremiações não juvenis nhos dos Selos” (Estoi) ção res e as mensagens de apoio que temos recebido razão, mais que sufi- Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António do Algarve, nascida em 2010 com uma nova e única filosofia de realização. Vai na sua quarta edição e fecha, assim, o seu primeiro ciclo. Com o balanço positivo só nos resta continuar. Sabemos que o momento atual não é dos melhores, sabemos das dificuldades para a maior parte dos filatelistas obterem material para as suas coleções, da persistência de muitos deles para seguir em frente, Sabemos que a nível associativo os apoios são cada vez menores. Nesta edição: Página Quem sabe? (Resposta) 2 Quem sabe? 4 Correios Assistentes de Castro Marim 6 Temos, no entanto, de nos adaptar, de encontrar soluções mais viáveis e não deixar esmorecer o espírito de colecionismo que há, um pouco, em cada um de nós. A união faz a força e, a nível da filatelia algarvia, a franca colaboração das diversas Agremiações tem surtido efeito. Os resultados já começaram a fazer-se sentir e, com a maior satisfação, verificamos que os filatelistas estão a reagir positivamente às nossas apostas con- Atividades filatélicas de Julho a Outubro 12 Próximos eventos 17 Outras notícias 20 Publicações, comentários e sugestões recebidas 25 Colecionismo 27 Selos colocados em circulação no 2.º trimestre 28 dade filatélica durante o corrente ano, nas diversas Agremiações de Outros produtos postais 30 Filatelia existentes. juntas, as Algarpex e “O Mensageiro do Algarve”. O nosso maior destaque vai para eles, os filatelistas, elementos essenciais para o bom desenvolvimento do colecionismo com quem esperamos puder continuar a contar em todos nas nossas ações filatélicas. O Mensageiro do Algarve, órgão oficial das Agremiações Filatélicas do Algarve, na sua última edição do ano, agradece a todos, entidades públicas ou privadas e filatelistas que colaboraram e apoiaram a ativi- A todos desejamos um Natal Feliz e um Ano de 2014 filatelicamente próspero.
  • 2. Página 2 O Mensageiro do Algarve Quem sabe? Resposta dos nossos leitores à pergunta: “Polícia de Faro fez serviço de Correios?” Iniciámos no nosso último número a rubrica QUEM SABE?, com a publicação de um documento com a marca da Polícia de Faro. Recebemos duas respostas e desde já agradecemos a colaboração prestada pelos dois colecionadores que nos responderam. Congratulamo-nos por constatar que o Mensageiro é lido e que a partilha de conhecimentos se está a processar, a bem de toda a Filatelia. Irá, certamente, contribuir para o maior enriquecimento da História Postal do Algarve. Um dos esclarecimentos veio de F. Bernardo que nos informa: «O interessante postal inserido na rubrica "Quem sabe?", foi tratado por forças militarizadas durante o período da Greve dos Correios de 1920.» O outro veio da parte da Professora Isabel Vieira, cujo email transcrevemos: "Bom dia Obrigada pela vossa publicação que muito apreciei. Aproveito para esclarecer sobre a marca da Polícia de Faro. Em Março de 1920 houve uma greve dos Correios. Junto parte de um artigo que o meu pai escreveu sobre o assunto. “Em Março de Envio-lhe também imagens de uma peça que circulou de Faro para Lisboa e tam- 1920 houve uma bém foi obliterada com o carimbo da Polícia de Faro e em Lisboa com o carimbo da greve dos Cor- Conferederação Patronal. Seguem ainda reprodução destes carimbos. Espero aju- reios” dar ao esclarecimento. Se precisar de mais alguma informação estou ao dispor. Cumprimentos Isabel Vieira” «Greve dos Correios ocorrida no mês de Março de 1920 Integrada no movimento grevista do funcionalismo público, iniciado a 3 daquele mês e motivado pelo incessante aumento do custo de vida, a paralisação de trabalhadores de estações telégrafos-postais assumiu os mais variados aspectos ao longo de todo o Carta circulada de Faro para Lisboa no qual foi aposto o carimbo de polícia país. Diversas foram também as medidas adoptadas pelas autoridades e particulares para minimizarem os efeitos da falta de tão importantes meios de comunicação. A lei da greve então em vigor, datada de 6 de Dezembro de 1910, não abrangia os funcionários públicos os quais, ao lançarem mão desta forma de luta para a obtenção de melhores salários, corriam sérios riscos disciplinares que podiam culminar
  • 3. Ano I, Número 3 Página 3 com a própria perda dos seus empregos. Mesmo assim, a adesão ao movimento foi muito generalizada, contribuindo certamente para isso a brandura do Primeiro Ministro em relação a outras atitudes, não mesmo ilegais, tomadas pouco tempo antes pelos ferroviários, na sua paralisação de 1919, a qual afectar seriamente todo o país e, sob o ponto de vista postal, o transporte das malas de correspondência. Mas o Governo, desta vez sem meios financeiros para satisfazer as reivindicações do seu pessoal, tentou pôr-lhes cobro pela força, atitude que acarretaria, de pronto, a queda do Executivo. O novo Ministério logrou parcial sucesso ao decretar, a 13 de Março, a atribuição de Pormenor do carimbo da polícia ajudas de custo de vida aos empregados públicos, os quais vieram a retomar o trabalho, com excepção da maioria dos funcionários dos serviços telégrafos-postais. Estes tiveram então de suportar sozinhos toda a pressão governamental para o restabelecimento da ordem. Divididos entre si e sem o apoio das populações, começaram a voltar ao serviço sobretudo a partir do dia 20, altura em que o Governo os ameaçou com a destituição, caso não se apresentassem nas estações dentro do prazo de quatro dias. Foi neste quadro resumido que se processou a Greve dos Correios. Porto, Outubro de 1991 EPISÓDIO DA GREVE DOS CORREIOS DE 1920 Catálogo do Salão Filatélico CERES, Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto, 1992 Armando Vieira Também publicado em Artigos Filatélicos Dispersos.» Em seguimento do 1º email a Professora Isabel Vieira envia mais um tex- “Um pouco por toda a parte, entidades particulares e cidadãos anónimos apoiaram o esforço das autoridades militares e civis, to complementar que também transcrevemos: ajudando-as no pro- “ao reler o que enviei parece que falta um pouco de texto que ajudará ainda mais a cessamento do cor- explicar o que se passou durante a greve.” «Um pouco por toda a parte, entidades particulares e cidadãos anónimos apoiaram o esforço das autoridades militares e civis, ajudando-as no processamento do correio. Às Administrações dos Concelhos, às forças da Guarda Republicana e aos Regimentos do Exército coube geralmente a tarefa de ocupar as estações telégrafo-postais e se desembaraçarem do respectivo serviço interno. No exterior as coisas eram mais difíceis pois a complicada rede de transporte e permuta de malas tinha imensas malhas cortadas, encontrando-se no mais completo caos.» reio”
  • 4. Página 4 O Mensageiro do Algarve Quem sabe? Em boa hora lançámos esta rubrica e obtivemos respostas. No terceiro número do Mensageiro as interrogações não são sobre peças filatélicas mas sim sobre a atividade filatélica, no Algarve, no passado século XX. Assim, apresentamos quatro questões e pedimos, a quem tenha informações, o favor de partilhar com o Mensageiro e darmos a conhecer um pouco o que foi o associativismo nesta província algumas décadas atrás. 1 - O que era a "Fédération International de Collectionneurs Échangistes?" Ao que sabemos esta Federação não era mais que um Clube de trocas fundado e sediado, ao que parece, em Portimão, na 2.ª década do século passado. Será que algum colecionador saberá dar mais informações sobre este Pormenor do carimbo da “Federation International de Collectionneurs Échangistes” Clube? 2 - O que era o "International Algarve Exchange Club"? Pelo Dr. Jorge Bomba foi-nos facultada a cópia de um folheto de outro Clube de trocas, sediado em Faro, na 2.ª década do século passado. Mais uma vez apelamos a quem nos possa dar mais informações o favor de o fazer. Logótipo do “International Algarve Exchange Club”
  • 5. Página 5 Ano I, Número 3 3 - As comemorações do dia do Selo em 1957, realizaram-se também em Vila Real de Santo António? Rebuscando velhas publicações encontrámos uma notícia no Jornal Filatélico n.º 11 de 1 de Novembro de 1957, publicada na primeira página, com o título VÁRIAS MANIFESTAÇÕES FILATÉLICAS NO CONTINENTE E ULTRAMAR, PARA A COMEMORAÇÃO DO «DIA DO SELO». Transcrevemos o terceiro parágrafo: "O Clube Filatélico de Portugal está envidando os seus esforços junto das comissões organizadoras da 1.ª Exposição Filatélica Escutista, em Vila Real “O Clube Filatélico de Portugal está envidando os seus esforços junto das comissões organizadoras da 1.ª Exposição Filatélica Escutista, em Vila de Santo António, e 1.ª Exposição Filatélica de S. João de Deus, em Lisboa, para Real de Santo Antó- que estas manifestações filatélicas, uma vez que são inauguradas no dia 1 de nio” Dezembro, fiquem integradas nas comemorações do «Dia do Selo». De acordo com o artigo de Francisco Galveias publicado no n.º 1 deste boletim, sabemos que: “Quando no ano de 1957, se realizou nesta Vila, de 1 a 8 de Dezembro, a “I Exposição Nacional do Selo Escuteiro, no seu seio estava aquele que viria a ser a génese na filatelia dos Bombeiros – José Manuel Pereira. Foi pela mão deste filatelista, que se realizaram todas as manifestações filatélicas em Vila Real de Santo António até ao ano de 1991” Porém, será que esta exposição foi integrada nas comemorações do dia do selo? Terá havido algum sobrescrito comemorativo? Quem sabe alguma informação sobre esta notícia? 4 - Núcleos Filatélicos no Algarve na década de 60? Encontrámos também notícias do Algarve no n.º 1 do Notícias Filatélico, de 1 de Julho de 1966, jornal de publicação mensal, cujo Diretor, Editor e Proprietário era o Dr. António José de Figueiredo, de Coimbra. Com efeito, na página 7, num artigo intitulado "Panorama Filatélico do Algarve" assinado com a letra C., escreve-se: "Estamos em crer que a falta de um elo de ligação entre os diversos filatelistas algarvios, poderá ser frutuosamente suprido com o aparecimento do Notícias Filatélico, que encontrará apoio nos núcleos de filatelistas que em Lagos, Portimão, Faro, Olhão e Vila Real de Santo António, têm dado sinais de vida com as comemorações do Dia do Selo". Escreve, também, haver uma tentativa de formação de uma Secção Filatélica no Circulo Filatélico do Algarve e da organização de um Clube de jovens, em Faro. Quem sabe dar informações sobre estes núcleos e quem era o filatelista que assinava com C. os artigos para o jornal? Recorte de jornal “Notícias filatélicas”
  • 6. O Mensageiro do Algarve Página 6 Correio Assistentes de Castro Marim “A Carta de Nomea- ção do Correio-Mor, nada se dizia sobre os seus representantes nos mais diversos lugares e que mais tarde foram chamados de Correios Assistentes” Quando, em Março de 2001, escrevi o artigo “Os Correios Assistentes em Castro Marim” para o Catálogo da “Primeira Mostra Filatélica de Castro Marim”, prometi a mim mesmo voltar ao assunto, mas com mais profundidade. O artigo iniciava com a informação da criação do ofício de Correio-Mor, outorgada por D. Manuel, na cidade de Évora em 1520, cargo entregue a Luís Homem, um cavaleiro da Casa Real. Competia ao titular deste cargo, e de acordo com a carta de nomeação, deveria “residir em Lisboa, ter os correios necessários, ajustar os preços dos portes, estabelecer cavalos de posta nos lugares mais convenientes”. Ao interpretar estas duas linhas temos aqui que “ter os correios necessários”, a carta de outorga queria exprimir ter homens suficientes para o transporte de cartas e, mais à frente, entendemos que a expressão “estabelecer cavalos de posta” era ter cavalos suficientes e devidamente apetrechados e distribuídos pelo Reino em lugares apropriados para o exercido da actividade de correio, e foi assim que se estabeleceram os primeiros edifícios da Mala-Posta, também chamadas de Estações de Muda, distribuídas pelos locais de passagem do correio. A primeira Mala-Posta instituída em Portugal foi de Lisboa para Coimbra em 1798, alargando-se posteriormente até ao Porto e a outras localida(Estação de Muda de Sanfins) des. O “reino do Algarve”, só viria a ficar integrado na rede de correio ordinário a partir do início do Século XVIII, pelo que nunca conheceu a Mala-Posta. A Carta de Nomeação do Correio-Mor, nada se dizia sobre os seus representantes nos mais diversos lugares e que mais tarde foram chamados de Correios Assistentes. Terá sido o volume de correspondência, que ditou a criação destes cargos, o certo é que os primeiros Correios assistentes apareceram nos lugares onde o volume de correspondência era maior, Porto em 1574, Coimbra em 1580 (?), Aveiro em 1590 (?) e Braga em 1596. Uma outra hipótese da criação deste cargo terá sido a dispersidade de lugares do Reino e a sua difícil interligação entre eles e, logicamente iniciarse-ia pelos locais de maior volume de correio. Apesar de não fundamentada, esta hipótese é de considerar já que em muitas localidades os Correios Assistentes começaram a tomar posse, a maior parte das vezes nas Câmaras Municipais, fazendo os juramentos sobre os Santos Evangelhos, dando assim a dignidade que o cargo exigia e apelando aos sentimentos da honra por se tratar de um cargo público de grande responsabilidade.
  • 7. Ano I, Número 3 Não se pense que este cargo existia apenas nas Direcções de Correio, também as Delegações de Correio instaladas em determinadas localidades subordinadas a Direcções possuíam um Correio Assistente, o que não era o caso das localidades sob a alçada de Castro Marim, vejamos por exemplo, no caso de Alcácer do Sal, localidade subordinada a Setúbal, que teve como correio assistente um tal Custódio José de Oliveira. Com a “massificação” de (Pormenor do Extracto do mappa [de Portugal] dos correios assistentes de 1812 a 1842), existentes na Correios Assistentes houve Biblioteca Nacional de Portugal, indicando fonte 5 léguas de Faro a Tavira e 4½ de Tavira a Castro Marim) necessidade de criar normas para o exercício do cargo e, foi assim que em 6 de Junho de 1799, mais de dois séculos depois da criação do primeiro Correio Assistente, que foram publicadas as “INSTRUÇÕES PRÁTICAS PARA OS CORREIOS ASSISTENTES, para que em todas as terras do Reino fe obferve hum ferviço exacto, e conforme ao Regulamento do primeiro de Abril do prefente ano, os Correios affiftentes obfervaraõ o presente Regulamento prático conftante dos artigos feguintes, por cuja execuçaõ os mefmos Correios ficaõ refponfaveis, em virtude dos Artigos I., III., e XIII. do mencionado Regulamento”, poderá ler-se no respectivo preambulo destas instruções práticas. Logo no Artigo I. do Regulamento mencionava que “nas Cidades e Villas principaes, além do Correio affiftente, ou Adminiftrador faraõ empregados hum Fiel, e os Efcrpiturarios competentes, conforme exigir a aftluencia das cartas, a fim de que o Público feja fervido com exacçaõ, e celeridade”. Faznos crer que conforme a dimensão do tráfego de correio os Correios Assistentes se socorriam de colaboradores para a consecução do seu serviço. Uma outra questão que se punha era a localização das instalações do correio, este deveria estar no centro das localidades, em edifício decente e com determinadas condições de atendimento público. Era muito comum que a detenção do cargo, que longe de ser vitalício, portava-se muitas vezes como tal, sendo comum que os filhos “herdassem” o lugar dos pais ou até que o cargo ficaria na mesma família. No Algarve, o primeiro Correio Assistente foi empossado em 1642, data em que, Luís Gomes da Mata estipulou “que escolha uma das cidades de Faro, Lagos ou Tavira, sendo o período de duração de quatro anos por entender que servirá bem e confiar a sua eficiência e cuidado”. Página 7 “Não se pense que este cargo existia apenas nas Direcções de Correio, também as Delegações de Correio instaladas em determinadas localidades subordinadas a Direcções possuíam um Correio Assistente, o que não era o caso das localidades sob a alçada de Castro Marim”
  • 8. O Mensageiro do Algarve Página 8 A escolha acabou por recair na cidade de Faro, já que foi o primeiro alvará registado, neste caso na Câmara daquela cidade. As fontes de informação são bastante escassas, pelo que o pouco que se sabe sobre estas personagens está espelhado nos autos de alvará de nomeação do cargo e muitas vezes nas actas camarárias, já que para este cargo era necessário dominar as letras e, à altura, poucos eram os que sabiam ler e escrever e, logicamente estes personagens detinham outros cargos além o de Correio Assistente. Castro Marim conheceu os seguintes Correios Assistentes: António Pádua Cabreira; António Martins; José Bernardo Pereira; João Martins e Sebastião António Nogueira Mimoso. Vejamos então um pouco de cada um: “As fontes de informação são bastante escassas, pelo que o pouco que se sabe sobre estas persona- gens” António Pádua Cabreira teve o seu alvará de nomeação em 5 de Maio de 1806, alvará registado no Copiador do Ministério dos Negócios Estrangeiros e relativo ao Correio Geral de 1798 a 1865, (Livro I, Fls. 140vº,) outorgado pelo Ministro e Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Guerra e Inspector dos Correios, António de Araújo de Azevedo (reproduzimos a lauda), exerceu a sua actividade até 12 de Dezembro de 1806. Além deste cargo, Cabreira pertenceu à vereação de Castro Marim de 1812, de acordo com informação recolhida junto do Instituto dos Arquivos Nacionais / Torre do Tombo (Desembargo do Paço (Alentejo Algarve) Maço 754, doc. 28. António Martins foi nomeado Correio Assistente em 13 de Dezembro de 1806, alvará no Copiador do Ministério dos Negócios Estrangeiros e relativo ao Correio Geral de 1798 a 1865, Livro I, Fls 160, cujas laudas também reproduzimos. Exerceu estas funções até 20 de Agosto de 1821, altura em que foi substituído interinamente, no entanto, como veremos mais adiante esta data foi largamente ultrapassada. Em 10 de Julho de 1821, que está registada a sua substituição, de acordo com um Acórdão da Câmara Castro Marim que se reproduz mais adiante.
  • 9. Ano I, Número 3 Página 9 António Martins, que foi escrivão da Comarca de Castro Marim e acumulou as duas funções durante anos, foi alvo de um processo: Foi suspenso das suas funções de escrivão, o que motivou um Acórdão em Câmara de 10 de Julho de 1821 que aqui reproduzimos na íntegra “Nésta acordarão por nomiar para Correio assistente desta Villa, em consequencia das Ordens de Regencia do Reyno de data de trez do corrente, de ser suspenso o Correio assistente, Antonio Martins, desta Villa, procederão á nomeação na forma do costume, e nomiarão em primeiro lugar a João Martins, escrivão do Geral désta Villa; em segundo lugar Francisco Antonio de Freitas, e em terseiro lugar em Jozé Bernardo Pereira, digo Francisco Antonio de Freitas, Professor de primeiras letras, /fl 39/ e em terseiro lugar a Jozé Bernardo Pereira, Capitão do Terço de Ordenanças desta Villa. E por esta forma ouverão por acabado e findo o prezente Acórdão e assinarão. Eu, Manoel Fortunato Henriques, escrivão Judicial de Notas, no impedimento do escrivão da Camara o escrevi. (rubricas): Oliveira Mal.ª; Contr.ªs; Miranda; Cabr.ª; Branco”. [Manuel José de Oliveira Malafaya (Juis de fora e presidente do Sinado da Câmara), Capitão Lourenço Pereira de Contreiras (Vereador), João Xavier de Brito Miranda (Vereador), António de Mendonça de Brito Cabreira (Vereador), e António Rodrigues Branco (Procurador)] Segue-se um segundo Acordão, que nada adianta ao assunto em estudo. Pese embora a substituição de António Martins como escrivão da Câmara de “António Martins, Castro Marim, este, continuou, incompreensivelmente o seu trabalho na citada viria a “ser absol- Câmara, lembremos que apenas foi substituído no Cargo de Correio Assistente em 20 de Agosto, António Martins, viria a “ser absolvido” da sindicância que lhe vido” da sindi- havia sido movida, não tendo chegado a ser substituído no cargo de Correio cância que lhe assistente e, um acórdão de 9 de Agosto de 1821, que se reproduz, é prova dis- havia sido movi- so: “Que mostrando-se o Correio assistente desta Villa, António Martins, livre por Provimento do Doutor Corregedor da Comarca, da Culpa imputada na da, não tendo Devassa e que procedeo o Doutor Juis de Fora por ordem da Regencia do Rey- chegado a ser no, e sendo suspenso em virtude da mesma culpa revelada em déz de Julho do substituído no corrente anno, novamente era mandado reintegrar (sic) no seu officio visto achar -se extinto o motivo da suspensão Sendo presente porem o Correio assistente dito António Martins, por elle foi dito que dezistia do dito officio do Correio assistente, visto achar-se imposibelitado por moléstias crónicas e idade já avansada que tinha; e que requeria se cargo de Correio assistente”
  • 10. O Mensageiro do Algarve Página 10 lhe lavrase termo de desistência, visto o estado de saúde tão detriorada, que sendo necessario documentaria, e sendo prezente á mesma Câmara e conhecidas de facto verdadeiras as rezões que alegava o Supplicante, mandarão que se lhe lavráse o seu termo de dezistencia, e que /fl.41 vº/ continuava a servir e interinamente nomiado emquanto não appareceria o nomeado pelo Excelenthissimo, digo, Illustrissimo e Excelenthissimo Senhor Secretário dos Negócios do Reyno, digo, dos Negócios Estrangeiros, Inspector Gerál dos Correios de Póstas, na forma da nomiação feita por esta Câmara em data de dez do mez proximo findo. E assignárão. Eu, Manoel Fortunato Henriques, Escrivão Gerál que o escrevi no impedimento respectivo. Acordão mais que em Escrever huma Carta de Felicitação a El Rey Constitucionál, o Senhor don João sexto, pelo seu regresso e entrada em Lisboa e prestação de Juramento ás Bázes da Constituição. E outra ao Augusto Congresso de prestação de homenagem pelos mesmos fáutos e motivos. E ouverão por esta fórma concluida a sessão da Camara. E assignarão. “António Martins renunciou ao cargo de Correio Assistente em 9 de Agosto de 1821 e viria a ser substituído interinamente a 20 do mesmo mês.” Eu, Manoel Fortunato Henriques, Escrivão Gerál que no impedimento respectivo o escrevi. (rubricas): Oliveira Mal.; Contr.ªs; Miranda; Cabreira, Branco (Manuel José de Oliveira Malafaya [Juis de fora e presidente do Sinado da Câmara), Capitão Lourenço Pereira de Contreiras (Vereador), João Xavier de Brito Miranda (Vereador), António de Mendonça de Brito Cabreira (Vereador), e António Rodrigues Branco (Procurador)]. Com este último Acórdão, António Martins renunciou ao cargo de Correio Assistente em 9 de Agosto de 1821 e viria a ser substituído interinamente a 20 do mesmo mês. Quanto ao seu serviço como Escrivão da Câmara de Castro Marim, prestou sempre este serviço, apesar de suspenso, não assinando apenas os Acórdãos que diziam respeito à sua pessoa, para alternar mais tarde neste serviço com João Martins (pessoa de que falaremos mais à frente), nos Termos Camarários num futuro muito próximo. Apesar desta renúncia ao cargo de Correio Assistente, e, quando já se encontrava em funções o seu sucessor, embora a exercer interinamente, em 13 de Novembro de 1822, num “Auto de Juramento que prestarão as primeiras Authoridades desta Villa nas mãos do R.do Beneficiado incomendado na Matriz desta Villa” que a seguir transcrevo apenas uma pequena parte “… e posto junto ao Altar Mór, ao lado da Epistola , nas mãos do selebrante, pasarão [a] aprezentar seos juramentos as authoridades seguintes:
  • 11. Página 11 Ano I, Número 3 Luiz Joze Maldonado d’Eça, Tenente Coronel do Batalhão de Infantaria do Regimento Numero dois que gornese esta Praça, e também servido de Governador Interino por empedimento do Tenente Coronel Governador da mesma, Joaquim Joze de Mendonça, e o Presidente do Senado da Camara, o Sargento Mor Antonio de Mendonça de Brito Cabreira, e o correio assistente António Martins, e debaixo do mesmo juramento declararão e jurarão as seguintes palavras: Juro guardar e fazer guardar a Constituição pulica (sic)…”, incompreensivelmente, este Auto de Juramento não só “este Auto de Jura- consta António Martins como Correio Assistente, como é ele também que mento não só cons- como escrivão proprietário da Câmara que o escreve, o que não aconteceu ta António Martins como Correio noutros casos em que foi interveniente. Levam-me a crer ainda, que a localidade de Corte António Martins, loca- Assistente, como é lizada na freguesia de Vila Nova de Cacela, concelho de Vila Real de Santo ele também que António, poderá ostentar o nome de António Martins, escrivão da Câmara como escrivão pro- de Castro Marim e Correio Assistente desta localidade, já que este lugar prietário da Câmara poderá muito bem ter sido o local onde António Martins guardava os seus que o escreve” animais – um assunto que ficará por estudar. No próximo número de “O Mensageiro do Algarve” apresentaremos outro artigo com os restantes Correios Assistentes de Castro Marim, José Bernardo Pereira, João Martins e Sebastião António Nogueira Mimoso. Francisco Matoso Galveias Obras consultadas: Agradecimento à Fundação Portuguesa das Comunicações Obras citadas do texto; CAVACO, Hugo – Vereações de Castro Marim à Época do Liberalismo (1818-1824) (Contributos para a sua História), Loulé, Junho de 2013, Edição da Câmara Municipal de Castro Marim; FIRMINO, Glória – Subsídios para a História dos Assistentes do Correio -Mor de Portugal Séculos XVI-XIX, [Cruz Quebrada], 2005, Edição do Grupo de Amigos do Museu das Comunicações; FRAZÃO, Luís Brito – Pré-Filatelia Portuguesa, Estudo das marcas postais pré-adesivas de Portugal, Ilhas adjacentes e domínios ultramarinos, Taboeiro – Aveiro, Setembro de 2012. Edição de Branca & Brito Sucª. Lda. GALVEIAS, Francisco Matoso – Artigo publicado no Catálogo da Primeira Mostra Filatélica em Castro Marim, Castro Marim, Março de 2011, Edição da Secção de Coleccionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António
  • 12. O Mensageiro do Algarve Página 12 Atividades Filatélicas no Algarve de Julho a Outubro Lançamento do livro “Os Bombeiros na Filatelia Portuguesa” Foi com gosto que vimos o nosso colega Francisco Galveias editar mais um livro, que foi colocado em circulação no dia 09 de Agosto de 2013. Desta vez Francisco Galveias dedicou as suas horas de estudo aos bombeiros, nomeadamente, à filatelia emitida em Portugal sobre os Bombeiros. A sessão de lançamento decorreu na Biblioteca Municipal Vicente Campinas em Vila Real de Santo António. Capa do livro No lançamento do livro estiveram presentes o Vice-Presidente da Câmara de Vila Real de Santo António Arqt.º José Carlos Barros, o autor do livro e o Presidente da Federação Portuguesa de Filatelia Sr. Pedro Vaz Pereira Neste livro com 221 páginas, Francisco Galveias inicia a explanação do seu estudo, fazendo uma pequena abordagem à história dos bombeiros. Seguidamente às formulas de franquia no qual vai elencando cronologicamente todos os selos, etiquetas e selos personalizados emitidos sobre a temática bombeiros. Passando então para as obliterações elencando todas as obliterações comemorativas organizando-as alfabeticamente por localidade, refira-se que ainda neste capítulo aborda também os carimbos numéricos e as flâmulas . Continuando o seu estudo apresenta-nos então um capítulo sobre os santos padroeiros de corporações de bombeiros que estão filatelizados, demonstrando mais uma vez um acentuado nível de pesPainel publicitário quisa. Para terminar apresenta-nos então dois capítulos um sobre as peças filatélicas e a montagem de uma coleção e finalmente uma resenha dos grupos de filatelia em associações de bombeiros.
  • 13. Página 13 Ano I, Número 3 “Secção Filatéli- ca dos Bombeiros Voluntários, desde 1977 que Audiência no dia de lançamento do livro Para assinalar o evento foi elaborado um selo personalizado, um sobrescrito comemorativo e um postal, que permitiram efetuar com a marca dia dos CTT de Vila Real de Santo António algumas peças filatélicas muito interes- vem marcando o panorama filatélico com carimbos comemorativos santes. alusivos aos bombeiros” Sobrescrito comemorativo com selo personalizado Por fim não poderia deixar de assinalar a importância e interesse que esta obra têm para a história postal do Algarve, sobretudo, a história postal de Vila Real de Santo António pois a Secção Filatélica dos Bombeiros Voluntários, desde 1977 que vem marcando o panorama filatélico com carimbos comemorativos alusivos aos bombeiros, contando já com 15 carimbos sobre esta temática. Para além disso F. Galveias descreve-nos o enquadramento histórico que levou à elaboração de cada carimbo. O nosso bem haja a F. Galveias e que continue com o bom trabalho. À direita: separador do livro “Os bombeiros na filatelia portuguesa” À esquerda: carimbos comemorativos no Algarve alusivos aos bombeiros
  • 14. Página 14 O Mensageiro do Algarve ALGARPEX 2013 “160 anos do Selo Português” Realizou-se, de 23 a 27 de outubro no Salão Medronheiro, do Hotel Júpiter, a ALGARPEX 2013 - IV Exposição Filatélica do Algarve, cuja organização coube, este ano, à Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão com os patrocínios e apoios da Federação Portuguesa da Filatelia, CTT - Correios de Portugal, Município de Portimão e Hotel Júpiter. Contou com a colaboração das outras Agremiações do Algarve, AFAL Associação Filatélica Alentejo Algarve, da Secção Filatélica da Associação dos Trabalhadores Autárquicos de Faro - ATAF, da Secção Filatélica dos Bombeiros de Vila Real de Santo António, dos Núcleos filatélicos dos Agrupamentos escolares de Estoi e Silves Sul de Armação de Pera e do Circulo Filatélico y Numismático de Huelva, na qualidade de Agremiação estrangeira convidada As "ALGARPEX" - Exposições Filatélicas do Algarve são exposições não competitivas levadas a efeito, anual e alternadamente, pelo conjunto de Agremiações Filatélicas sediadas no Algarve, destinadas a colecionadores “Estiveram expos- naturais ou residentes na província. Iniciadas em 2010, por proposta da tos 145 quadros AFAL, com o principal objetivo de divulgar e promover a filatelia, de incenti- dos quais 15 para var novos colecionadores e proporcionar, todos os anos, um grande encon- as Agremiações tro entre os filatelistas da região. Realizou-se, no primeiro ano no Alvor, Algarvias, 1 para a participação do Arquivo Municipal de Lagoa” seguindo-se Vila Real de Santo António, Faro, fechando-se este primeiro ciclo de exposições na Praia da Rocha, com quatro realizações levadas a efeito por outras tantas Agremiações. Estiveram expostos 145 quadros dos quais 15 para as Agremiações Algarvias, 1 para a participação do Arquivo Municipal de Lagoa e 129 para os 25 filatelistas do Algarve e 7 de Huelva. Panorama da sala de exposição
  • 15. Página 15 Ano I, Número 3 “As manhãs de quinta e sexta-feira foram dedicadas às visitas de jovens dos Agrupamentos Panorama da sala de exposição Escolares ” De realçar a colaboração dada pelo Arquivo Municipal de Lagoa ao apresentar algumas peças do seu acervo, com marcas postais nominativas de rara beleza, bem batidas e de grande importância em virtude de estarem sobre correspondência dirigida a entidades oficiais de Lagoa. Exemplo que era bom ser seguido por outros Arquivos colaborando nas Exposições Filatélicas e divulgando o património que possuem. Lançamos um repto à Federação Portuguesa de Filatelia no sentido de tentar contatar os Arquivos no sentido de os sensibilizarem na preservação e divulgação deste tipo de material, focando o exemplo de Lagoa. Na inauguração estiveram presentes inúmeros filatelistas, elementos da comunicação social e contou com a presença da Vereadora da Cultura da Câmara de Portimão, Dr.ª Ana Figueiredo, em representação do Município, que desejou o maior sucesso à exposição. Procedeu-se, também, à entregue, pela ATAF, da bandeira ALGARPEX. Ficará na posse do Lions Clube, que a entregará à Agremiação que realizar a próxima exposição. As manhãs de quinta e sexta-feira foram dedicadas às visitas de jovens dos Agrupamentos Escolares e no sábado à noite houve uma Tertúlia Filatélica, sempre agradável e proveitosa para os filatelistas presentes. No domingo, dia de encerramento, a Exposição abriu às dez horas com um Posto de Correio e o lançamento do Carimbo Comemorativo alusivo à Em cima: Convívio entre colecionadores no dia de fecho da ALGARPEX 2013 Exposição, evocando, também, os 160 anos do primeiro selo português 1853 -2013. Seguiu-se um encontro entre os colecionadores, bastante participado e muito proveitoso sobretudo para os mais jovens. Seguiu-se um Almoço de Confraternização com meia centena de participantes. Na mesa principal foi destinada ao Presidente da Direção do Lions do Portimão, Paulo Neto, e aos Presidentes da Assembleia Geral, da Direção e do Conselho Fiscal da Federação, respetivamente António Borralho, Pedro Vaz Pereira e António Cavaco. Paulo Neto, Pedro Vaz Pereira e António Borralho
  • 16. Página 16 O Mensageiro do Algarve Almoço convívio “Ano após ano estas No final procedeu-se à entrega de Diplomas e lembranças, pelo Presi- exposições tornaram- dente do Lions aos expositores e pelo Presidente da Federação Portugue- se num grande ponto sa de Filatelia às Agremiações participantes e ao Arquivo Municipal de de encontro entre os Lagoa. colecionadores do Algarve, evoluindo positivamente. Sem Presentes 30 dos filatelistas participantes e a maior partem dos dirigentes filatélicos das Agremiações do Algarve e de Huelva. Ano após ano estas exposições tornaram-se num grande ponto de formalismos, sem encontro entre os colecionadores do Algarve, evoluindo positivamente. distinções medalhís- Sem formalismos, sem distinções medalhísticas mas com o propósito de ticas mas com o pro- que algo se aprende com a experiência dos outros e com a ampla troca de pósito de que algo se ideias. aprende com a expe- Temos de nos congratular com a participação dos filatelistas, os princi- riência dos outros e pais intervenientes deste evento. Com o seu material exposicional, forne- com a ampla troca de ceram a matéria-prima para que a exposição se realizasse com dignidade. ideias.” Mas, nada teria sido possível expor sem o grande apoio dado por entidades públicas e privadas, o grande motor para a realização destes certames. A ALGARPEX 2013 foi um êxito. Deu novo ânimo aos expositores participantes e surgiram novos e promissores filatelistas, muito interessados. Sobrescrito comemorativo com carimbo comemorativo
  • 17. Ano I, Número 3 Página 17 Próximos eventos MOSTRA FILATÉLICA ALUSIVA À “GALERIA DOS COMANDANTES” A Secção de Coleccionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António vai realizar de 15 a 22 de Novembro uma Mostra alusiva à “Galeria dos Comandantes dos Bombeiros” de Vila Real de Santo António. Esta Mostra, estará patente nas instalações do Quartel Sede da instituição e poderá ser visitada diariamente as 10 às 12 e das 14 às 18 horas, funcionando um Posto de Correio, provido de um Carimbo Comemorativo no Imagem do carimbo comemorativo dia 16 de Novembro das 14H30 às 17H30, no local da exposição. Um lote interessante de coleções dedicadas a diversos temas, de que sobressaiam algumas dedicadas à causa dos Bombeiros, podem ser apreciadas durante o período da exposição. 1.ª Mostra Filatélica na EB 1 de St.ª Barbara de Nexe O Núcleo Infanto Juvenil “Os Amiguinhos do Selos”, vai organizar mais uma mostra filatélica, desta vez na EB 1 de St.ª Barbara de Nexe, visando divulgar o colecionismo de selos junto dos alunos da EB 1 de Estoi para permitir assim o desenvolvimento de trocas de selos entre os alunos e envolvendo também nas atividades do Núcleo a EB 1 / JI de Santa Barbara de Nexe. Esta mostra filatélica foi marcada para o dia 2 de Dezembro comemoran- Imagem do carimbo comemorativo do duplamente o Natal e assinalando o dia do selo, que se comemora no dia 01 de Dezembro. Na Escola estarão patentes várias coleções de um quadro, ilustrando as diferentes classes filatélicas, bem como os trabalhos dinamizados pelos alunos da EB 1 de Estoi no âmbito das desenvolvidas. O posto de correio funcionará na supra referida escola das 13:30 às 16:00, sendo que como sobrescrito comemorativo utilizar-se-á um postal alusivo ao Natal gentilmente oferecido pelo Núcleo de Filatelia de Faro ATAF. Postal comemorativo que servirá como sobrescrito comemorativo
  • 18. O Mensageiro do Algarve Página 18 Mostras Filatélicas “Dia do Selo” Na sequência das atividades feitas conjuntamente com a Biblioteca Escolar da Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa, e que deram aso à criação do Núcleo Infanto Juvenil “Os Amiguinhos dos Selos”, desta vez o Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF, irá colaborar com a Biblioteca Escolar da Escola EB 2/3 Dr. José Neves Júnior e Escola Secundária Pinheiro e Rosa, para levar junto dos alunos daquelas escolas um conjunto de coleBiblioteca escolar da EB 2/3 Dr. José Neves Júnior ções filatélicas que estarão patentes de 02 a 06/12/2013, assinalando assim o dia da filatelia (e cativando os alunos para esta forma de colecionismo. Refira-se que, esta iniciativa de divulgação da filatelia nas bibliotecas escolares, é uma das prioridades do NFF - ATAF, que num futuro próximo, tentará organizar outras mostras filatélicas em Escolas de 2.º, 3.º ciclos e Secundárias (quer no Concelho de Faro, quer nos Concelhos limítrofes). Exposição de Carimbos de Correio - ALGARVE Séc. XIX O Arquivo Municipal de Lagoa, leva a efeito uma 2ª edição da Exposição “Carimbos do Algarve do Século XIX” que se prolongará até ao Fevereiro, com a colaboração da AFAL, Fundação das Comunicações e CTT. Cartaz da exposição Nesta exposição poderão ser observados vários objetos utilizados nos CTT, como exemplo cintas usadas como fecho de correio, balança do início do século XX e vários tipos de carimbos, um glossário de parede, textos “A AFAL desde a sobre a História da filatelia: os Correios do Algarve: Época Pré adesiva e primeira hora Adesiva, Marcofilia, Carimbos Nominativos, Carimbos Numéricos, Selo apoiou esta ini- Fixo, As Cartas Seguras, etc.. O arquivo possui, no seu acervo, uma coleção de cartas com marcas ciativa e, devido postais do século XIX, endereçadas, na sua maioria, ao Município de Lagoa ao impacto e pro- e que foram preservadas, podendo ser observadas na Exposição. jeção deste certame, utilizará o Carimbo Comemorativo no dia 7 de Dezembro.” Levar-se-ão a efeito visitas programadas das escolas, organizadas em atividades de parceria com a Biblioteca Municipal, parceria esta que, para além das visitas pretende, a curto prazo, formar um Núcleo de Colecionismo para jovens em moldes inéditos no nosso país. A AFAL desde a primeira hora apoiou esta iniciativa e, devido ao impacto e projeção deste certame, utilizará o Carimbo Comemorativo no dia 7 de Dezembro. Está prevista, também, a edição de um selo alusivo ao evento.
  • 19. Página 19 Ano I, Número 3 Almoço de Natal do Núcleo de Filatelia de Faro ATAF Aproximando-se mais uma época natalícia o Núcleo de Filatelia de Faro ATAF, irá organizar mais um almoço de Natal, para convívio entre os colecionadores e seus familiares, fazendo ainda um ponto de situação das atividades desenvolvidas salientando o que de positivo se passou ao longo do ano de 2013 e perspetivando o ano de 2014, nomeadamente, da mostra filatélica que se realizará em Janeiro na Loja do CTT - Carmo. Será ainda reconhecido um dos colecionadores com o prémio dedicação do ano de 2013, pelo o seu trabalho em prol das atividades do Núcleo de Logótipo do Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF Filatelia de Faro - ATAF e do colecionismo de filatelia. O almoço será no dia 15 de Dezembro em local a marcar, sendo que todos os interessados poderão contatar-nos via email, telefónico ou correio. Mostra Filatélica Real e Virtual No próximo dia 02 de janeiro de 2014 o Núcleo de Filatelia de Faro ATAF, inaugurará mais uma mostra filatélica comemorativa do seu aniversário. Após uma boa colaboração, no ano transato com os CTT, decidimos propor novamente que a mostra filatélica se realizasse na Loja do Carmo (Faro). Este ano a comemoração do aniversário do Núcleo assinala um dos produtos algarvios que na nossa opinião tem vindo ao longo do tempo a perder a sua expressão. Trata-se da amendoeira, sendo que nós decidimos colo- Carimbo comemorativo dos CTT Correios de Portugal car no carimbo um desenho da sua flor. Conforme referido no título esta mostra terá a particularidade de poder ser apreciada na Loja dos CTT do Carmo em Faro, mas também, na internet, pois todas as coleções expostas serão digitalizadas sendo que no dia da abertura serão colocadas online para todos os visitantes do blog “Os Amigos da Filatelia e do Blog “Núcleo de Filatelia de Faro” poderem apreciar as coleções no conforto das suas casas. Para assinalar o evento no dia 07 de Janeiro na Loja do Carmo (CTT), haverá um carimbo comemorativo para obliterar a correspondência apresentada para o efeito. Será ainda solicitado aos CTT a emissão de um selo personalizado sobre a flor de amendoeira. Postal comemorativo que servirá como sobrescrito comemorativo
  • 20. O Mensageiro do Algarve Página 20 Outras Notícias AS MISSÕES LAICAS EXPOSTAS EM FARO “Pedro Vaz Pereira, um estudioso sobre as Missões Laicas, que é simultaneamente a pessoa em Portugal mais saberá sobre este assunto” Decorreu de 8 a 24 de Setembro nas instalações da Biblioteca da Universidade do Algarve (Gambelas) uma exposição sobre “as Missões Laicas em África na 1ª República em Portugal”. Um vasto espólio dedicado ao tema, pertença de Pedro Vaz Pereira, um estudioso sobre as Missões Laicas, que é simultaneamente a pessoa em Portugal mais saberá sobre este assunto. Este espólio, uma pequena parte da sua colecção, distribuiu-se por vinte e quatro quadros, bastante bem distribuídos com uma lógica que para o público, certamente não habituado a este tipo de material, se torna perceptível dado o seu encadeamento, que praticamente contou o que foram e para que serviram as Missões Laicas. Estivemos presentes no dia da sua abertura e do seu encerramento, percorremos todos os quadros, e, aos olhos do visitante, passam sucessivamente documentos que nos mostram únicos do que foi a realidade que os agentes civilizadores, assim se chamavam as pessoas que Algumas das pessoas que assistiram à inauguração seguiram para África numa cissão civilizadora de ensinamentos, passaram para levar a cabo a sua tarefa. Mas vejamos um pouco do que foram os quadros que estiveram expostos. A exposição começa por nos apresentar Abílio Marçal, a pessoa que estruturou e impulsionou as Missões; o Real Colégio das Missões Ultramarinas, criado em 15 de Setembro de 1855 instalado em Cernache de Bonjardim, e que mais tarde com a República, a 8 de Setembro de 1917, através de Decreto foi transformado no Instituto de Missões Coloniais. Seguem-se as Missões Laicas que, como factor de missionação da República é também o marcar da presença portuguesa nas colónias de Angola e de Moçambique, ameaçadas que estavam das potências europeias, mostrandonos pormenores destas missões patrióticas naqueles lugares longínquos, através de correspondência trocada entre os agentes civilizadores e a Casa Um pormenor sobre a explica- -mãe em Cernache de Bonjardim, além de outras ção da do material exposto documentações oficiais.
  • 21. Página 21 Ano I, Número 3 E, se nem todas as Missões tiveram representação nesta exposição enumeramolas todas para conhecimento dos nossos leitores: a Missão Cândido dos Reis; a Missão Cinco de Outubro; a Missão Vasco da Gama; a Missão Nuno Álvares; a Missão Duarte Pacheco; a Missão Lusíadas; a Missão Salvador Cor- Pedro Vaz Pereira em conversa com Salomé Horta, Coordenadora de Bibliotecas da UALG, mostra uma reia; a Missão Capelo e Ivens; carta Segura de Castro Marim no último número do Mensageiro do Algarve a Missão Portugal; a Missão Portugal; a Missão Óscar Torres; a Missão 1º de Dezembro e a Missão Diogo Cão, todas estas em Angola. Em Moçambique instalaram-se a Missão Miguel Bombarda; a Missão República; a Missão Camões e a Missão Pátria. Lembremos apenas as precárias condições das suas instalações, que também não foram esquecidas nesta mostra. Para o dia de encerramento, esteve reservado uma profícua palestra que teve lugar não muito longe do local da exposição ali mesmo ao lado, na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da mesma universidade. Um aspecto da palestra sobre as Missões proferida por Pedro Vaz Pereira Em cerca de uma hora, Pedro Vaz Pereira fez uma resenha facilmente perceptível e com um lote de elucidativos e apelativos slides mostrou o que foram as Missões Laicas em África, entrelaçando-os com as palavras que sabiamente ia debitando. Desde Cernache de Bonjardim, local onde foram instruídos e de onde partiram os agentes civilizadores com destino Angola e Moçambique e de onde alguns não voltaram, deixaram aí muito dos ensinamentos aprendidos, desde as artes e os ofícios de sobrevivência até ao conhecimento das letras, com um destaque para o ensinamento aos de novos agentes locais para o preenchimento de vagas onde os europeus não tinham condições naturais para permanecer. “Para o dia de encerramento, esteve reservado uma profícua palestra que teve lugar não muito longe do local da exposição”
  • 22. Página 22 O Mensageiro do Algarve "EBORA 2013" - XXIII Exposição Filatélica Nacional, Bilateral Portugal/Bulgária e Inter-Regional. Realizou-se, de 7 a 22 de Setembro, em Évora a "EBORA 2013" “Évora a "EBORA XXIII Exposição Filatélica Nacional, 2013" - XXIII Exposição Bilateral Portugal/Bulgária e Inter- Filatélica Nacional, Regional. Teve lugar no Palácio do Bilateral Portugal/ Barrocal e contou com a edição de Bulgária e Inter- um inteiro postal e três carimbos e Regional. Teve lugar no avaliaram as participações três jura- Palácio do Barrocal” Palácio do Barrocal dos portugueses e um búlgaro. Os prémios foram distribuídos durante o jantar de palmarés, com a presença de inúmeros expositores. Pelas medalhas alcançadas, damos as felicitações aos concorrentes do Algarve que participaram. Foram os seguintes: Exposição Nacional Classe Literatura: Inauguração da Exposição Francisco de Oliveira Matoso Galveias “Bombeiros na Filatelia Portuguesa” (Pontuação 78) - Prata dourada + Prémio especial Sérgio Miguel Gaspar Pedro Blog “Os amigos da filatelia” - http://osamigosdafilatelia.blogspot.pt/ (Pontuação 68) - Prata Secção de Coleccionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António “Catálogos de Mostras Filatélicas” (Pontuação 60) - Bronze prateado Exposição Inter Regional Classe Aerofilatelia: Bilhete Postal comemorativo da exposição Francisco de Oliveira Matoso Galveias Voo pelo Mundo (Pontuação 62) - Prata Classe Temática: Carimbos comemorativos alusivos à exposição Francisco de Oliveira Matoso Galveias Animais em Vias de Extinção (Pontuação 76) - Prata dourada Classe Juventude: Inês Brito Mata Os animais (Pontuação 55) - Bronze
  • 23. Página 23 Ano I, Número 3 Amigos da Filatelia Se existem notícias que tenho dificuldade em articular o texto esta que agora escrevo é uma delas, pois é sempre difícil noticiar com alguma isenção quando se defende “causa própria”. Fez no passado dia 7 de Maio, 3 anos que se criou o blog “Os Amigos da Filatelia”, que pretendia ser um blog que noticiava a filatelia nacional e dar a conhecer as atividades filatélicas que se davam principalmente no Algarve, deixando o Blog do Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF para as atividades do supra referido núcleo e para a filatelia relacionada com Faro. Contudo, não imaginávamos que este blog no terceiro ano de existência, nos trouxesse tanto reconhecimento, não só pelo prémio referido na notícia anterior, mas sobretudo pelos muitos contatos de anónimos que temos recebido, para ajuda na organização de coleções, encaminhamento para avaliação de coleções e outras dúvidas. Concretizando, o referido vou elencar alguns dos acontecimentos que decorreram durante o ano de 2013 que nos surpreenderam pela positiva. Em Janeiro de 2013, estando nós a preparar para abrirmos a nossa mostra filatélica comemorativa do 6.º aniversário do NFF - ATAF, que visava ser uma mostra mais intimista sem grande divulgação (nem se quer fizemos nota de imprensa), contudo, fomos confrontados com um contato da “antena 1” para prestarmos um entrevista para o programa “Portugal em Direto” com difusão nacional (http://www.rtp.pt/play/p470/e104754/portugal-emdireto ), acerca da mostra filatélica. Perante, esta situação, considerei que seria interessante que à semelhança que a Secção Filatélica da Associação Académica de Coimbra havia feito em 2011, nomeadamente, concorrer com o blog a uma exposição nacional de filatelia. Porém, em meados de Setembro, somos novamente surpreendidos com um contato de uma jornalista para prestarmos uma entrevista, desta vez para o “Café Portugal”, um site que visa a dar a conhecer atividades culturais, pelo que prestei a entrevista sendo que foi publicada no dia 07 de Outubro (http://www.cafeportugal.net/pages/iniciativa_artigo.aspx?id=6778). Entretanto, e ainda antes da publicação da entrevista fomos informados que o blog havia sido premiado com a medalha de prata na XXIII Exposição Filatélica Nacional de Filatelia com o grau prata. Para terminar, foi com agrado que recebemos notícia que a Federação Portuguesa de Filatelia, decidiu atribuir o prémio “Aníbal Queiroga” ao blog “Os Amigos da Filatelia”. Certo que não dinamizamos o blog ou nosso trabalho à procura de reconhecimento, contudo, não posso deixar de expressar o meu agradecimento a todos os visitantes do Blog e entidades que divulgaram ou distinguiram este blog de filatelia. Medalha da "EBORA 2013" XXIII Exposição Filatélica Nacional, Bilateral Portugal/ Bulgária e Inter-Regional. “entrevista, desta vez para o “Café Portugal”, um site que visa a dar a conhecer atividades culturais” Ofício da FPF informando da atribuição do prémio Aníbal Queiroga 2012
  • 24. O Mensageiro do Algarve Página 24 Dia do Selo em Vila Nova de Gaia Este ano as comemorações do dia do selo couberam Clube de Coleccionadores de Gaia conjuntamente com FPF. As comemorações vão iniciar -se no dia 22 de novembro com a abertura de uma mostra filatélica e lançamento de um selo personalizado. No dia 1 de Dezembro realizará-se um debate denominado “A filatelia em tempos de mudança”, sendo oradores o Presidente da FPF e o Diretor dos CTT para a filatelia. Seguindo-se um almoço convívio com distribuição dos Prémios de Mérito Filatélico e o congresso da Federação Portuguesa de Filatelia - APD. Marcofilia comemorativa portuguesa no 3.º trimestre de 2013 Normas para publicação no “O Mensageiro do Algarve O Mensageiro do Algarve, tem os seguintes objetivos: 1. A divulgação da atividade filatélica ou de colecionismo no Algarve, promovida ou não pelos Agrupamentos signatários; 2. A divulgação da história postal do Algarve; 3. A divulgação de colecionismo relacionado com o Algarve; 4. A divulgação de atividades filatélicas ou de colecionismo ocorridas noutros locais. Saliente-se que “O Mensageiro do Algarve” aceita a colaboração de todos que queiram colaborar no âmbito dos objetivos acima enunciados, contudo, a sua publicação dependerá do deferimento do corpo de redação. As colaborações deverão ser enviados para o email omensageirodoalgarve@gmail.com em documento word formato A4, com margens laterais de 3 cm e superiores e inferiores de 2,5 cm. A letra a utilizar deverá ser arial tamanho 11 com o espaçamento entre linhas de 1,5. No que se refere a estudos ou artigos será aconselhável que os mesmos não ultrapassem as 8 páginas (imagens incluídas).
  • 25. Página 25 Ano I, Número 3 Publicações, comentários e sugestões recebidas Voz Filatélica Margem Sul Recebemos o número 1 da revista filatélica “Voz Filatélica Margem Sul”. Foi com agrado e satisfação que vimos aparecer mais uma revista no meio filatélico português, tão necessitado que está de iniciativas desta natureza. Desfolhámos a revista e nela vimos artigos muito interessantes, de fácil leitura e bastante didácticos, podendo atrair para a filatelia novos amantes, agrupando-se à volta de um clube filatélico, engrandecendo o número de associados e tornando-o um núcleo fundamental da divulgação da filatelia. “A Filatelia na Escola”, “A teologia e a Filatelia”, “História dos Correios”, “A Dádiva de Sangue e a Filatelia”, “26 de Junho dia dos Avós”, “O Mundo das corujas visto através da filatelia”, “A Abelha/Europeia”, “Dia Internacional da Mulher celebrado na Biblioteca Municipal do Barreiro” e “Refazer a colecção em tempo de férias”, são os artigos publicados no nº 1 da Voz Filatélica Margem Sul, publicação que terá a periodicidade semestral e distribuição gratuita aos associados. Está de parabéns o seu director, Eduardo Rocha, extensivo a todos os colaboradores, a quem endereçamos uma longa e profícua vida deste meio de comunicação social. O nosso bem-haja. “Voz Filatélica Margem Sul, publicação que terá a periodicidade semestral e Comentários ao 1.º “O Mensageiro do Algarve Nuno Reis Foi por intermédio de um outro colecionador que me veio "parar" ao mail o 1º número do vosso boletim online. Gostaria de futuro receber sempre no meu mail o vosso boletim, assim como qualquer informação da vossa actividade Filatélica se for possível. Quero aqui deixar os meus parabéns pelo boletim e também as maiores felicidades para todos os vossos projetos filatélicos... Despeço-me com amizade e consideração. Um bem aja para todos vós. Carlos Silvério Fiquei agradavelmente surpreendido pela vossa iniciativa e apenas pretendo prestar-lhes a minha singela homenagem por lançarem uma nova publicação filatélica. Faço votos para que tenham pelo menos, o sucesso esperado. Um abraço de amizade distribuição gratuita aos associados.”
  • 26. O Mensageiro do Algarve Página 26 Pedro Vaz Pereira Caro Galveias, Hoje com mais calma estive a ler o vosso boletim e sinceramente gostei mesmo muito. Um número inicial. Um número inicial cheio de informação onde todos se ficam a conhecer e onde se sabe o que foi feito e vai ser feito. Aceite os meus sinceros parabéns, extensivos ao Sr. Sérgio Pedro e a todos que colaboraram neste número. Continuem porque estão a prestar um excelente serviço à filatelia algarvia e nacional. Bento Grossinho Dias Parabéns pela iniciativa. Bem Hajam! Sugeria que num próximo número publicassem informação sobre feiras e mercados que contem habitualmente com bancas dedicadas ao coleccionismo em geral e à filatelia em particular. Muitos são os portugueses que demandam ao Algarve à procura do Sol, e esta informação daria uma verdadeira mais-valia. Abraço. Américo Rebelo Venho por este meio dar-vos os meus parabéns pelo lançamento de mais uma revista relacionada com a filatelia, o que será muito importante para a divulgação da mesma, em especial na zona do Algarve. Feiras, Mercadinhos e outros eventos ligados ao colecionismo de Setembro a Dezembro 2013 Na sequência, da proposta do nosso leitor, Bento Grossinho Dias, aqui deixamos a calendarização das feiras e mercados no qual poderão encontrar material filatélico e/ou de colecionismo. 1.º Sábado (Tavira e Algoz); 1.º Domingo (Fuseta e Portimão); 2.º Sábado (Vila Real de Santo António); 2.º Domingo (Almancil, Faro (junto Teatro Municipal) e Ferragudo); 3.º Sábado (Albufeira); 3.º Domingo (S. Brás de Alportel e Portimão); 4.º Sábado (Monte Gordo); 4.º Domingo (Quelfes).
  • 27. Página 27 Ano I, Número 3 Coleccionismo Cartofilia - Albufeira - Edição Dinternal Recentemente, foi entregue à minha esposa uma caixa com um conjunto de postais que ainda recentemente eram vendidos num estabelecimento comercial de um dos seus familiares. Apesar da cartofilia não ser a minha coleção de eleição, procedi então à organização dos supra referidos postais, retirando um exemplar de cada um para montar numa coleção, com o intuito de aquando se justificar apresentar numa escola, pois esta é uma forma de colecionismo que é Praia do Inatel, Albufeira - 1997 – ALUX 8036 muito apelativa aos jovens, sobretudo, de quando se trata de postais da sua terra. Tive ainda a curiosidade de ver nos sites de referência para a venda de colecionismo quanto estavam a pedir por este postais e que mais existiriam, no entanto, não encontrei, nenhum postal das edições Dinternal, série ALUX. Face ao exposto, aqui vos deixo a imagem de alguns postais de Albufeira alguns de 1997 e outros de 1999. Se algum dos leitores tiver mais informação sobre esta série de postais, informem-nos. Albufeira - 1997 – ALUX 8041 Sérgio Pedro Praia Pescadores ao Anoitecer - 1997 – ALUX 8006 Praia da Oura, Albufeira - 1997 – Praia Pescadores ao Anoitecer - 1997 – Praia Pescadores, Albufeira - 1997 – Tarde de Albufeira - 2002 – ALUX 8068 Praia Pescadores, Albufeira- 1997 – Albufeira - 1997 – ALUX 8033 Praia da Oura - 1999 – ALUX 8058
  • 28. O Mensageiro do Algarve Página 28 Selos colocados em circulação pelos CTT no 3.º trimestre Festas Tradicionais Portuguesas (3.º grupo) - Autoadesivos Emissão: 22/07/2013 Selos N20g A20g E20g Carimbos 1.º dia Missões Católicas em Africa Emissão: 19/08/2013 Selos €0,36 €0,50 €0,70 €0,80 €1,00 €1,70 Carimbos 1.º dia - Cânone de Avicena - 1000 Anos Emissão: 23/08/2013 Selo €1,70 Bloco com 1 selo € 3,30 Carimbos 1.º dia - Prémio de Arquitetura Aga Khan Emissão: 06/09/2013 Selo €0,80 €1,00 Bloco com 1 selo €3,00 Carimbos 1.º dia
  • 29. Ano I, Número 3 - A Arte de Joana Vasconcelos Emissão: 16/09/2013 Selos €0,50 €0,80 Carimbos 1.º dia - Apicultura (Continente) Emissão: 23/09/2013 Selos €0,36 €0,50 €0,70 €0,80 Blocos Com 1 selo €1,70 Com 1 selo €1,90 Carimbos 1.º dia - 900 Anos da Instituição da Ordem de Malta Emissão: 27/09/2013 Selos €0,36 €0,70 €0,80 €1,00 Blocos Com 1 selo €1,95 Carimbos 1.º dia Página 27
  • 30. O Mensageiro do Algarve Página 30 Outros Produtos Postais Plano Filatélico de Portugal - 2014 (provisório) Auto retrato de Maria Keil Vulto da História e da Cultura Centenários de nascimento: João Hogan; Joaquim Namorado; António Dacosta,; Sebastião e Silva, Maria Keil. Evocações: Florbela Espanca: 120 anos; D. Frei Bartolomeu dos Mártires: 500 anos do nascimento; D. Frei Bartolomeu dos Mártires Andreas Vesalius Datas da História (7 emissões) 40 Anos do 25 de Abril (com Livro associado); 150 Anos do Instituto de Geofísico de Coimbra; 400 Anos da Publicação da “Peregrinação” de Fernão Mendes Pinto; 500 Anos da Embaixada ao Papa Leão X de D. Manuel; 500 Anos do Nascimento de Andreas Vesalius (Emissão conjunta Bélgica); 8 Séculos da Língua Portuguesa, evocando o 1.º Testamento de D. Afonso II, em 1214; 800 Anos do Notariado em Portugal. Temáticas (5 emissões) A Rota das Catedrais 3ª e última série; Jardins e Miradouros de Portugal; Tapeçarias de Portalegre 1ª Série; As Coleções do Instituto de Investigação Científica e Tropical (nome Miradouro de S. Pedro de Alcântara provisório); Grandes Prémios de Arquitetura Portugueses – Ribeiro Telles, Siza Vieira, Souto de Moura; Miradouros da Serra do Cume
  • 31. Ano I, Número 3 Projeção Internacional Campeonato do Mundo de Futebol (Brasil). Ano Internacional da Cristalografia. Patrimónios Portugueses Mundiais da UNESCO: Elvas (Cidade fronteiriça e fortificações, consideradas a maior fortaleza de baluarte do mundo) Universidade de Coimbra (Alta e Sofia) Açores Aviões que os Açores Conhecem Página 31 Logótipo “Ano Internacional Cristalografia” Madeira 500 Anos da Diocese do Funchal Protocoladas Europa (Tema: Instrumentos Musicais tradicionais/nacionais) Correio Escolar (Protocolo com o Plano Nacional de Leitura Ministério da Educação e Ciência) Logótipo “500 Anos Diocese do Funchal” Etiquetas Automáticas (ATM) 1ª Emissão: - Ano Europeu do Cérebro (UNESCO) 2ª Emissão: - Ano Europeu da Reconciliação do Trabalho com a Vida Familiar (UNESCO) Logótipo “Ano Internacional do Cérebro” Meu Álbum de Selos - 2013 Este ano na sequência de anos anteriores os CTT lançaram mais um álbum dedicados aos colecionadores mais novos. No “O meu Álbum de Selos - 2013”, os CTT, colocaram 40 selos referentes a 10 emissões do ano de 2013. As autoras do livro forma Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada que de uma forma criativa relatam a história de cada um dos selos constantes nas emissões. Refira-se ainda que o livro contem um CD-ROM interativo e várias hiperligações para que o lazer não se fique somente pela leitura do livro. Capa do livro
  • 32. Boletim das Agremiações Filatélicas e de Coleccionismo do Algarve Divulgando a filatelia e o coleccionismo do Algarve. Participa nos nossos Blog’s, Páginas Web e/ou Página de Facebook Blog’s: http://omensageirodoalgarve.blogspot.pt/ http://osamigosdafilatelia.blogspot.pt/ http://nucleofilateliafaro.blogspot.pt/ Página Web http://selos.org/assoc.php Página de Facebook https://pt-pt.facebook.com/pages/Sec%C3%A7%C3%A3o-de-Coleccionismo-dos-BV-deVRSA/334989464180 Revista online: http://www.slideshare.net/mensageiro2013 http://issuu.com/mensageiro_algarve/docs Endereços das Agremiações: Email: AFAL - Associação Filatélica Alentejo Algarve Avenida 25 de Abril, Bloco 2, r/c 8500-610 Portimão omensageirodoalgarve@gmail.com Núcleo de Filatelia de Faro - ATAF Beco do Arco 8000 Faro Colaboraram neste número: Núcleo Infanto Juvenil “Os Amiguinhos dos Selos” Escola EB 2/3 Poeta Emiliano da Costa - Estoi Rua Prof. Amilcar Quaresma - Estoi 8005-479 FARO Secção Filatélica do Lions Clube de Portimão Auditório Municipal Rua Miguel Bombarda 8500-299 Portimão Secção de Colecionismo da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António Rua Francisco Sá Carneiro S/N 8900-307 Vila Real de Santo António Entidades responsáveis pelo boletim António Borralho Francisco Galveias Sérgio Pedro Paginação e Montagem: Sérgio Pedro Design: Susana Andrade Os artigos publicados são da inteira responsabilidade dos seus autores.