50 Anos da Ordem dos Engenheiros

616 views

Published on

A Engenharia e os Engenheiros têm desempenhado, ao longo dos tempos, uma função de estímulo ao progresso, de projeção da inovação, de motor de desenvolvimento da Sociedade e da economia, rompendo barreiras, muitas delas naturais, para fazer avançar a humanidade. Não são agentes únicos da mudança, mas são elementos de primeira linha nesse movimento. Desde cedo, ainda a Engenharia não se teria constituído formal e conceptualmente como tal, já era de engenhos sagazes que dependia a sobrevivência e a conquista do Homem. Os tempos correram, e foi sobretudo com a I Revolução Industrial que se afirmou a indispensabilidade de uma classe que haveria de trazer a grande produção, as comunicações, as máquinas e equipamentos e, a partir daí, multiplicar atividades e especialidades da sua arte sem nunca mais parar até aos dias de hoje. Os selos desta emissão filatélica representam as especialidades de Engenharia formalmente estruturadas na Ordem dos Engenheiros e, historicamente, as que reúnem maior representatividade no País, quer em termos do número de profissionais, quer ao nível das intervenções e realizações na Sociedade. Que melhor modelo para representar a Engenharia se não as formas como ela se expressa? A essência da Engenharia, e também a sua missão mais fundamental, é colocar a natureza à disposição do Homem de forma adequada e segura para que lhe seja aproveitável e lhe proporcione bem-estar. Este conceito evoluiu e hoje está presente em áreas das mais complexas e avançadas tecnologicamente, seja ao nível das telecomunicações, da Informática, dos sistemas de informação, das nanotecnologias, da bioengenharia, das produções e eficiências energéticas, da gestão sustentável do ambiente natural e construído, das estruturas complexas de redes ou de obra, sendo muitas delas verdadeiras «obras de arte». A Engenharia portuguesa tem pontificado em Portugal e no exterior com feitos e obras de reconhecido valor, muitas delas merecedoras de prémios internacionais. É naturalmente uma área que estará apta em permanência para continuar a trabalhar, a estudar, a analisar, a projetar, a conceber e a dar o seu melhor contributo na construção do País e da Sociedade. (Ramos, C. 2012)

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
616
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
374
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

50 Anos da Ordem dos Engenheiros

  1. 1. Emissão Filatélica “50 Anos da Ordem dos Engenheiros”A Engenharia e os Engenheiros têm desempenhado, ao longo dos tempos, umafunção de estímulo ao progresso, de projeção da inovação, de motor dedesenvolvimento da Sociedade e da economia, rompendo barreiras, muitas delasnaturais, para fazer avançar a humanidade. Não são agentes únicos da mudança, massão elementos de primeira linha nesse movimento. Desde cedo, ainda a Engenharianão se teria constituído formal e conceptualmente como tal, já era de engenhossagazes que dependia a sobrevivência e a conquista do Homem. Os tempos correram,e foi sobretudo com a I Revolução Industrial que se afirmou a indispensabilidade deuma classe que haveria de trazer a grande produção, as comunicações, as máquinase equipamentos e, a partir daí, multiplicar atividades e especialidades da sua arte semnunca mais parar até aos dias de hoje. Os selos desta emissão filatélica representamas especialidades de Engenharia formalmente estruturadas na Ordem dosEngenheiros e, historicamente, as que reúnem maior representatividade no País, querem termos do número de profissionais, quer ao nível das intervenções e realizaçõesna Sociedade. Que melhor modelo para representar a Engenharia se não as formascomo ela se expressa? A essência da Engenharia, e também a sua missão maisfundamental, é colocar a natureza à disposição do Homem de forma adequada esegura para que lhe seja aproveitável e lhe proporcione bem-estar. Este conceitoevoluiu e hoje está presente em áreas das mais complexas e avançadastecnologicamente, seja ao nível das telecomunicações, da Informática, dos sistemasde informação, das nanotecnologias, da bioengenharia, das produções e eficiênciasenergéticas, da gestão sustentável do ambiente natural e construído, das estruturascomplexas de redes ou de obra, sendo muitas delas verdadeiras «obras de arte». AEngenharia portuguesa tem pontificado em Portugal e no exterior com feitos e obrasde reconhecido valor, muitas delas merecedoras de prémios internacionais. Énaturalmente uma área que estará apta em permanência para continuar a trabalhar, aestudar, a analisar, a projetar, a conceber e a dar o seu melhor contributo naconstrução do País e da Sociedade. (Ramos, C. 2012)Retirado de: http://www.ctt.pt/femce/category.jspx?shopCode=LOJV&categoryCode=8175&showAll=1
  2. 2. Emissão Filatélica “50 Anos da Ordem dos Engenheiros”Dados TécnicosEmissão: 2012 / 10 / 19Selos: €0,32 – 235 000 / €0,47 – 145 000 / €0,57 – 135 000 / €0,68 – 185 000 / €0,80– 135 000 / €1,00 – 145 000Bloco com um selo: €3,00 – 50 000Design: João MachadoPapel: FSC 110 g/m2Formato: Selos: 80 x 30,6 mm Bloco: 125 x 95 mmPicotagem: Cruz de Cristo 13x13Impressão: offsetImpressor: - Joh. EnschedéFolhas: - Com 25 exemplaresCarimbo de 1.º dia:Carimbo Comemorativo:

×