Cartilha produzida pelo Internato Rural da UERJ - SEA 2012

2,246 views
2,195 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,246
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
931
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cartilha produzida pelo Internato Rural da UERJ - SEA 2012

  1. 1. Semana de Educação Alimentar—2012 Alimentação e Sustentabilidade: multiplique essa ideia!
  2. 2. Alimentação e Sustentabilidade A Semana de Educação Alimentar (SEA), criada em 1959, é um momento estratégico para abordar o tema alimentação saudável na escola, com atividades que envolvam toda a comunidade escolar. A SEA acontece como momento de mobilização, o que não significa que o tema não possa ser abordado ao longo do ano letivo, pois a escola é um espaço privilegiado para a promoção da saúde e desempenha papel fundamental na formação de valores, hábitos e estilos de vida, entre eles o da alimentação. Este ano o tema proposto para SEA, foi “Alimentação e Sustentabilidade” devido à realiza- ção da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – a RIO +20, que tem por objetivo acompanhar os avanços obtidos nas questões ambientais, após 20 anos de realização da ECO 92, realizada no Rio de Janeiro no ano de 1992 na qual foi lançada a nova concepção sobre desenvolvimento sustentável. Com relação ao tema Alimentação e Sustentabilidade, a Rio+20 discutirá baseada em três eixos: água, desperdício de alimentos e segurança alimentar e nutricional. Proporcionar um ambiente favorável à vivên- cia de saberes e sabores favorece a construção de uma relação sau- dável da criança com o alimento. Semana de Educação Alimentar Bibliografia consultada Brasil. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Segurança ali- mentar e nutricional: trajetória e relatos da construção de uma política nacional / Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. – Brasília, DF : MDS, 86 p., 2008. Caporal,F.R. et al. Segurança Alimentar e Agricultura Sustentável: Uma Perspec- tiva Agroecológica.Ciência & Ambiente, n. 27, 153- 165 p., Jul./Dez., 2003. Cadernos de Educação Ambiental Água para Vida , Água para Todos: Livro das Águas/Andrée de Ridder Vieira - texto; Larissa Costa e Samuel Roiphe Barrêto - coordenação – Brasília: WWF-Brasil, 72 p., 2006. Educação à mesa- Fome Zero. Disponível em: < http://www.educacaoamesa.org.br/main.asp>. Aceso em: 14 de abril de 2012. Paz, V.P. da S. et al. Recursos Hídricos, Agricultura Irrigada e Meio Ambiente. Campina Grande, PB. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, n.3, v.4, p.465-473, 2000. Mesa Brasil SESC Segurança Alimentar e Nutricional. Banco de Alimentos e Co- lheita Urbana: Aproveitamento Integral dos Alimentos. Rio de Janeiro: SESC/ DN, 45 pág., 2003. Banco de Alimentos (Organização Não Governamental). Disponível em: < http://www.bancodealimentos.org.br/>. Acesso em: 30 de março de 2012. CONSEA , set.2008 - Acesso à Água e Segurança Alimentar e Nutricional. O aces- so e os usos da água no contexto da soberania e da segurança alimentar e nutricio- nal. Disponível em: < http://www4.planalto.gov.br/consea/documentos>. Acesso em: 14 de abril de 2012. Burity,V. et al. Direito humano à alimentação adequada no contexto da seguran- ça alimentar e nutricional.Brasília, DF: ABRANDH, 204p., 2010. Atitude sustentável. Disponível em: < http://atitudesustentavel.uol.com.br/blog/2011/08/23/dicas-para-combater-o- desperdicio-de-alimentos/ > . Acesso em: 17 de abril de 2012. Mesa Brasil SESC. Disponível em <www.rc.unesp.br/coleta/PDF/ AproveitamentoAlimentos.pdf>. Acesso em: 17 de abril de 2012.
  3. 3. Prefeitura Municipal de Duque de Caxias Prefeito: José C. Zito Dos S. Filho Secretaria de Educação Secretária: Raquel Barreto Coordenadoria de Nutrição Educacional Coordenadora: Luciana Marçal Responsável Técnica: Elaine Machado Equipe de Elaboração – Instituto de Nutrição/UERJ Adriana Beraldi Gonçalves Carolina Manhães Moura Reis Érida Santos Cardoso Isabel Nascimento dos Santos Jessica Rodrigues Lopes Lidiane da Silva Pessoa Equipe de Supervisão – Instituto de Nutrição/UERJ Cláudia Valéria Cardim Cláudia Roberta Bocca Santos Amanda da Silva Franco Educador, desejamos que esse material auxilie seu traba- lho! Não se esqueça que você é a chave para o sucesso da Semana de Educação Alimentar! Bom trabalho! Equipe do Internato de Nutrição em Saúde Coletiva - UERJ Esta cartilha foi elaborada com o objetivo de promover, nas uni- dades de ensino do município de Duque de Caxias, a mobilização em torno deste tema. Visa principalmen- te contribuir para o desenvolvimento de ações na Semana de Educação Alimentar (SEA), bem como durante todo o ano letivo. Aqui você encontrará textos sobre alguns dos temas relacio- nados aos eixos acima descritos e algumas sugestões de atividades pa- ra serem desenvolvidas com os alunos, os pais e os profissionais que atuam na escola, sejam eles professores, coordenadores pedagógicos, merendeiras, entre outros. Como esse material pode te ajudar? Principio da Sustentabilidade Ambiental Semana de Educação Alimentar O principio da sustentabilidade am- biental envolve: o incentivo ao consu- mo de alimentos nas formas mais naturais, produzidos localmen- te; a valorização dos alimentos regionais, da produção familiar e da cultura alimen- tar, além de estimular mudanças de hábitos alimentares e valori- zar a produção e o processamento de alimentos com o uso de recursos e tecnolo- gias ambientalmente sustentáveis. Página 3
  4. 4. pode ser o primeiro passo para diminuir o consumo desse re- curso natural, que apesar de indispensá- vel, não é infinito. As escolas têm um papel fundamen- tal na formação de Dentro de nos- sas casas observamos que as torneiras, as descargas, os chuvei- ros e outros equipa- mentos não foram construídos para eco- nomizar água. Mudar hábitos rotineiros consumidores res- ponsáveis, um vez que, o esgotamento do recurso “água” é uma realidade e o uso racional deve ser considerado uma pri- oridade ambiental e social. Água Página 4 Semana de Educação Alimentar Entre os recur- sos naturais, a água é o elemento mais im- portante para subsis- tência das espécies, que dependem de sua disponibilidade para satisfazer suas necessidades. É o recurso mais impor- tante em todos os aspectos da vida. Como todos os outros recursos natu- rais, a água também se encontra ameaça- da pela poluição, contaminação que o ser humano tem pro- vocado, e até pelas alterações climáticas. O manejo adequado da água pode condu- zir a excelentes resul- tados na produção de alimentos, porém, seu mau uso provoca degeneração do meio físico natural. O acesso à água de qualidade é um direito humano básico que necessita ser efetivado para toda a população. A violação desse direito deve ser reparada de forma imediata. Dois fios, que passam pelas extremidades das garrafas, as mantêm presas. Por isso, as arruelas são utilizadas. Quem optar pelo uso dos arames deve colocar as arruelas logo abaixo das gar- rafas, para servirem como “calço”, para que elas não escorre- guem. O barbante e a corda de varal não precisam disso. Nesses casos, basta dar um nó na altura em que a garrafa deverá ficar. Com as garrafas devidamente presas e alinhadas, basta co- locar a terra, a semente e cuidar para que as plantas cresçam sau- dáveis. ANEXOS Página 21 Semana de Educação Alimentar
  5. 5. ANEXOS Página 20 Semana de Educação Alimentar ANEXO 3 Horta de garrafa PET Para ter uma horta são necessários os seguintes materiais:  garrafas PET de dois litros;  tesoura;  corda de varal;  cordoalha;  barbante ou arame;  arruelas (para quem optar por cordoalhas ou arames);  terra e  muda de planta. A primeira tarefa a ser realizada é o corte das garrafas. To- das elas devem ser cortadas da mesma forma, com uma espécie de janela, que será a abertura por onde a planta irá crescer. A distân- cia entre a parte debaixo da garrafa e a abertura pode ser de “três dedos”; na parte de cima pode ser contado um palmo até o corte, conforme mostrado na galeria acima. Dois furos devem ser feitos na garrafa na região próxima às aberturas, superior e inferior. Será por este espaço que o cordão que segura as garrafas irá passar. O ideal é que todas tenham mar- cações em distâncias equivalentes, para manter a simetria quando forem penduradas na parede. O fundo de todas as garrafas deve ter um furo, que permita a saída do excesso de água na terra. Dicas para reduzir o consumo de água nas residências e nas escolas Página 5 Semana de Educação Alimentar * Consertar vazamentos em torneiras, válvulas de descarga e chuveiros; * Verificar se o relógio que mede o consumo de água está em perfeito es- tado; * Evitar o uso da mangueira! Usar vas- soura, balde e pano úmido para limpar mobilliá- rio, salas, escadas e áreas externas; * Aproveitar a água da máquina de lavar roupas para lavar o quintal, o carro...; * Deixar de molho as louças com sujeira mais pesada; * Remover bem os restos de comida antes de lavar pra- tos e panelas; * Manter a torneira fechada ao ensaboar as louças; * Ser breve ao enxaguar a louça; * Fechar a torneira enquanto estiver escovando os dentes ou fazendo a barba; * Fechar o chuveiro enquanto estiver se ensaboando; * Aproveitar a água de cozimento de hortaliças para o preparo de outros alimentos.
  6. 6. O desperdício é um sério problema a ser resolvido na produção e distribui- ção de alimentos, principalmente nos países subdesenvolvi- dos ou em desenvol- vimento. O cresci- mento da população mundial, mesmo que amparado pelos rápi- dos avanços da tecno- logia, nos faz crer que o desperdício de ali- mentos é uma atitude injustificável. O desperdício pode ser evitado atra- vés da promoção do consumo dos alimen- tos na sua forma inte- gral e pela utilização das partes dos ali- mentos que normal- mente são despreza- das pela maioria das pessoas. Nas cascas e folhas dos alimentos, estão concentradas uma quantidade de vitaminas, sais mine- rais e proteínas. Por- tanto, com o aprovei- tamento destas par- tes, podem ser cria- das novas receitas, favorecendo a varia- ção do cardápio, dei- xando-o mais colori- do e bem nutritivo, além de proporcionar uma boa economia e redução da quantida- de de lixo produzido. Desperdício de alimentos Página 6 Semana de Educação Alimentar Muitas vezes, não se percebe, mas na nossa cozinha há muita coisa indo para o lixo sem necessidade. Uma boa cozinha é aquela na qual nada é des- perdiçado! ANEXOS Página 19 Semana de Educação Alimentar Casa 9 – Complete a frase: a água só deve ser consumida depois de______. Resposta: Depois de filtrada ou fervida. Resposta certa Parabéns Avance 1 casa, caso a resposta esteja erra- da não avance. Casa 10– Você esqueceu a garrafa enchendo de água enquanto estava vendo televisão. Permaneça nesta casa para evitar o desper- dício. Casa 11 – Responda fala sério ou com certeza: As cascas das fru- tas desperdiçadas pela maioria da população apresentam de modo geral, uma quantidade de nutrientes maior que na própria fruta. E aí fala sério ou com certeza? O que você acha? Resposta certa: Com certeza. Você está sabendo tudo. Por isso é tão importante aproveitarmos todo o alimento, assim ficamos mais nutridos, além de contribuir para evitar o desperdício dos alimen- tos. Como você está de parabéns merece avançar 1 casa. Casa 12 – Quais atividades consomem mais água atualmente? Resposta certa: Agricultura, indústrias e em uso domiciliar. Avance 1 casa, caso a resposta esteja errada não avance. Casa 13 – Ultima casa para chegada do vencedor na busca pela alimentação e sustentabilidade, responda de tudo o que você a- prendeu o que você pode fazer para continuar buscando uma alimentação sustentável. Casa 14 – chegada – Parabéns, você venceu o percurso.
  7. 7. ANEXOS Página 18 Semana de Educação Alimentar Casa 4 – Como podemos evitar o desperdício de alimentos? Sugestões de respostas: Aproveitando as cascas, talos dos alimen- tos, não descartar alimentos que ainda estão bons para serem consumidos. Resposta certa – Parabéns!!!! Avance 3 casas. Caso a resposta es- teja errada não avance. Casa 5 – Você jogou óleo na pia de lavar louça? – Volte 2 casas. Casa 6 - Casa curinga – Recrute um amigo que estava numa casa anterior para lutarem juntos contra o desperdício de água e dos alimentos. Casa 7– Como pode ocorrer a contaminação da água? Sugestões de resposta: Através da contaminação de esgotos e do lixo. Resposta certa Parabéns Avance 1 casa, caso a resposta esteja er- rada não avance. Caso 8 - Dê pelo menos 3 dicas do que você pode fazer para diminuir o desperdício de água. Sugestões de respostas: *Remover bem os restos de comida antes de lavar pratos e pane- las; *Manter a torneira fechada ao ensaboar as louças; *Ser breve ao enxaguar a louça; *Fechar a torneira enquanto estiver esco- vando os dentes ou fazendo a barba; *Fechar o chuveiro enquan- to estiver se ensaboando. Resposta certa: Avance 3 casas, você está no caminho certo!!! Caso a resposta esteja errada não avance. Dicas para o aproveitamento integral dos alimentos Página 7 Semana de Educação Alimentar * Os talos de couve, agrião, beterraba, bróco- lis e salsa, entre outros, contém fibras e vita- minas e podem ser aproveitados em: refoga- dos, feijão, sopa, no preparo de suflês ou em recheio de tortas; * As folhas da cenoura são ricas em vitamina A e podem ser aproveitadas para fazer boli- nhos, sopas ou picadinhos em saladas. *A água do cozimen- to das batatas concentra todas as vitaminas. Aproveite-a, juntando leite em pó e manteiga para fazer purê; * As cascas da batata, depois de higienizadas, podem ser fritas em óleo quente, ou assadas, e servidas como aperiti- vo; * A casca da laranja fresca pode ser usada em pratos doces à base de leite, como arroz doce e cremes ou cristalizada para servir com o café; * A parte branca da melancia pode ser usada para fazer do- ce, que se prepara como o doce de mamão verde; * Com as cascas das frutas (ex: goiaba, abacaxi), pode-se pre- parar sucos batendo-as no liquidificador. Este suco pode substituir ingredientes líquidos no preparo de bolos.
  8. 8. Água Sugestões de atividades 1. Conhecer o site da Universidade da Água: organização não go- vernamental sem fins lucrativos, que tem a missão de promover a proteção, preservação e recuperação da água no planeta. Site: www.uniagua.org.br 2. Oficinas de filtro de água de garrafa pet. 3. Elaborar uma peça de teatro problematizando a questão do uso sustentável da água e estimulando a adoção de hábitos de preserva- ção desse patrimônio. 4. Pesquisar sobre as doenças transmitidas pela água e os cuidados de higiene para prevenção. Sugerimos o site www.cives.ufrj.br/ informação/viagem/proteção. 5. Produzir murais com a seguinte questão: Qual é a sua gota de contribuição? Cada aluno receberá uma gota de papel, na qual re- presentará a sua idéia para melhorar a condição da água em nossa região e no planeta. Podem ser colocadas informações, ações práti- cas, poemas, músicas, desenhos etc. 6. Realizar com os alunos ou sugerir que os alunos realizem com outros grupos um teste para saber quem está economizando água (anexo 1). Realizar uma estimativa dos resultados do teste com os alunos. ANEXOS Página 17 Semana de Educação Alimentar ANEXO 2 Jogo de Percurso água/ desperdício de alimentos Percurso montado com bambolês ou giz com uma partida inicial (em busca da alimentação e sustentabilidade). Para atividade será necessário um da- do e papeis indicando os números das casas 1-14. Exemplo de percurso Casa 1 – Qual o tema da Semana de Educação Alimentar deste ano? Resposta: Alimentação e sustentabilidade. Resposta certa Parabéns Avance 1 casa, caso a resposta esteja erra- da não avance. Casa 2 - Você está em busca da alimentação e sustentabilidade responda o que é água potável? Resposta: Água própria para consumo – Resposta certa: Avance 2 casas, errada permaneça na casa 2. Casa 3 – Você deixou o chuveiro aberto enquanto tomava ba- nho? - Volte para a casa 1.
  9. 9. ANEXOS Página 16 Semana de Educação Alimentar Se marcou mais letra a Você sabe quanto a água é importante e tenta contribuir para que ela não falte. Continue assim e fale com seus amigos sobre isso. Se todos ajudarem, teremos um mundo com suas cachoeiras, rios, lagos e geleiras preservados. Se marcou mais letra b Fique mais esperto! Você não está pensando no futuro do planeta. Brinque com água só quando estiver na praia ou na piscina. Evite desperdício e procure se informar mais sobre o assunto. Todo mundo tem de ajudar. O risco de nossas reservas de água acaba- rem não é brincadeira! “Educação não transfor- ma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo.” Paulo Freire Página 9 Semana de Educação Alimentar Desperdício de Alimentos * Oficina culinária com receitas de alimentos aproveitados integralmente. Acesse: www.rc.unesp.br/coleta/PDF/ AproveitamentoAlimentos.pdf * Realização de estudo no refeitório do colégio com os próprios alunos sobre desperdício da merenda * Pesquisa sobre a importância do a- proveitamento integral dos alimentos. Divulgação da SEA Criação de blog sobre a sema- na, estimular a divulgação da semana pelos alunos através da construção de murais, maquetes, anúncio na rádio escolar, jornal interno dos alunos, montagem de teatro, música, dese- nhos, grafite, jogo de percurso água/ desperdício de alimentos (anexo 2) encenação e elaboração de feira de alimentação e sustentabilidade com todas as atividades desenvolvidas pelos alunos.
  10. 10. Ah! E não podemos esquecer de higienizar bem os alimentos antes de consumi-los. Página 10 Semana de Educação Alimentar As frutas, legumes e verduras que forem consumidos crus e/ou com casca recomendam-se: * Lavar em água corrente, esfregando bem toda a superfície das frutas, verduras e legumes retirando toda sujeira. As folhas devem ser lavadas uma por uma; * Colocar em um recipiente 1 colher de sopa de água sanitária sem perfume, e 1 litro de água limpa. Misturar bem; * Colocar as frutas, verduras ou legumes de molho nesta mistura de modo que fiquem totalmente mergulhadas, durante 15 minutos. Após esse tempo, enxaguar bem em água corrente para retirar o cheiro da água sanitária. Depois disso, estará pronto e seguro para consumo. Lave bem as mãos, com água e sabão, toda vez que for preparar ou manusear algum alimento. ANEXOS Página 15 Semana de Educação Alimentar ANEXO 1 Faça o teste e veja se você tem colaborado para salvar o planeta Revista Recreio – Ano 8 – Nº 367 – Editora Abril 1) Na hora do banho, você: (a) Canta e se distrai. (b) Fecha o chuveiro para se ensaboar. 2) O que faz para lavar o seu cachorro? (a) Tenta não demorar. (b) Põe uma roupa de banho e faz bagunça com ele. 3) Quando escova os dentes, você: (a) Deixa a torneira aberta. (b) Abre a torneira, só quando precisa. 4) O que faz se vê uma torneira pingando? (a) Não se preocupa. (b) Avisa logo um adulto para consertá-la. 5) Depois de usar o banheiro, é melhor: (a) Usar a descarga uma só vez. (b) Dar descarga várias vezes. 6) Você costuma regar as plantas: (a) Com um regador. (b) Com o esguicho, para molhar bem a terra.
  11. 11. Página 14 Semana de Educação Alimentar 7. Pesquisar a formação do hábito alimentar do brasileiro: a mistura do índio, do negro, do português e dos imigrantes; 8. Pesquisar a variedade de alimentos nas diferentes regiões brasileiras. Uma boa fonte de leitura é o exemplar “Alimentação e Cultura” do Projeto Com Gosto de Saúde, disponível no site www.rio.rj.gov.br/web/smsdc; 9. Estimular o plantio de sementes entre os alunos menores, fazendo sementeiras que podem ser montadas em recipientes de qualquer material resistente à umidade, como vasos de cerâmica ou de plástico, latas, pneus cortados, garrafas pet. Segurança Alimentar e Nutricional “ Mais do que a aquisição de informação técnica, para a- prender é preciso fazer. (Paulo Freire) “ Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) e Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) Página 11 Semana de Educação Alimentar Segurança Alimentar e Nutricio- nal refere-se à forma como uma sociedade organizada, por meio de políticas públicas, de responsabilidade do Estado e da socie- dade como um todo, pode e deve garantir o Direito Humano à Alimentação Adequa- da (DHAA) a todos os cidadãos. O direi- to à alimentação é parte dos direitos fundamentais da hu- manidade, que foram definidos por um pacto mundial, do qual o Brasil faz par- te. Esses direitos refe- rem-se a um conjunto de condições necessá- rias e essenciais para que todos os seres humanos, de forma igualitária e sem ne- nhum tipo de discri- minação, existam, desenvolvam suas capacidades e partici- pem plenamente e dignamente da vida em sociedade. O exercício do DHAA permite o alcance, de forma digna, do estado de segurança alimentar e nu- tricional e da liberdade para exercer outros direitos fundamentais. Portanto, uma das estratégias funda- mentais para a promoção da saúde, da nutrição e para assegurar a SAN e o DHAA é a promoção da alimentação sau- dável durante todo o curso da vida.
  12. 12. Segurança Alimentar e Nutricional Página 12 Semana de Educação Alimentar 1. Horta A) Nas escolas onde existem horta/ pomar, trabalhar com as crianças na plantação das hortaliças de rápi- do crescimento, mostrar seu uso na alimentação diária, suas proprieda- des (de acordo com a faixa etária, vai se aumentando o grau de informa-ção) e identificar e confec- cionar receitas onde esses alimentos estão presentes; B) Identificar e entrevistar pessoas da comunidade que culti- vam hortas Domésticas; C) Realizar uma feira na escola, aberta à comunidade, com ex- posição dos alimentos produzidos por agricultores locais; D) Consultar o site www.rebrae.com.br para conhecer o projeto “Educando com a Horta Escolar”, desenvolvido pelo FNDE para as escolas públicas do país”; E) Construção de horta de garrafa pet (anexo 3) ou pneu. Segurança Alimentar e Nutricional Página 13 Semana de Educação Alimentar 2. Construção do mapa de gêneros de hortifruti da região; 3. Construir com os alunos um mapa da região onde se lo- caliza a escola, identificando o “caminho da comida na região”. Pesquisar as redes locais de alimentos da seguinte maneira: pro- dução, aquisição, consumo e doação de alimentos. Visitas propostas: supermercados, restaurantes locais, pensões caseiras, feiras livres, barracas de frutas, legumes e ver- duras, colônia de pescadores etc; 4. Visitar uma feira livre para conhecer as diversas frutas, legumes e verduras. Conversar com o feirante sobre sua rotina de trabalho, aquisição dos ali-mentos, preços, safra. O professor pode promover outras visitas temáticas: super mercados, lojas de hortifruti, sítios de produtos orgânicos; 5. Discutir os conceitos de segurança alimentar e nutricional e de direito humano à alimentação adequada face à atual situa- ção de produção de alimentos no Brasil; 6. Realizar uma pesquisa histórica sobre a origem dos ali- mentos consumidos no Brasil, identificando aqueles que são genuinamente brasileiros;

×