• Like

Carta pais jorge

  • 587 views
Uploaded on

 

More in: News & Politics
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
587
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. SECRETÁRIO DE ESTADO DO TESOURO Gabinete do Secretário de Estado do Tesouro Av. Infante D. Henrique, 1, 1149-009 Lisboa, PORTUGAL TEL + 351 21 881 68 00 FAX + 351 21 881 72 09 EMAIL gsef@mf.gov.pt www.portugal.gov.pt Declaração do Secretário de Estado do Tesouro, Joaquim Pais Jorge Apresentei hoje o meu pedido de demissão à senhora Ministra de Estado e das Finanças. Aceitei o convite que me foi dirigido pela senhora Ministra de Estado e das Finanças no passado dia 1 de Julho com muito orgulho. A situação que o país atravessa é dificílima e senti uma enorme honra em poder ajudar. Sabia desde o primeiro momento que as dificuldades seriam imensas. A função de Secretário de Estado do Tesouro num país que vive debaixo de um programa de assistência financeira é especialmente complexa. Preparar o regresso pleno aos mercados, executar o programa de privatizações ou tutelar o Sector Empresarial do Estado, só para citar alguns exemplos, são tarefas de enorme dificuldade, especialmente tendo em conta a situação financeira do país que já referi. Apesar das dificuldades que conheço bem, entendi que deveria responder afirmativamente à solicitação que a senhora Ministra de Estado e das Finanças me endereçou. O facto de uma pessoa excecional, como é a senhora Ministra de Estado e das Finanças, considerar que eu poderia ser útil bastou-me para tomar essa decisão. Trabalhei incessantemente e com enorme orgulho no mês que passou na função de Secretário de Estado do Tesouro. Perante a grandeza destes desafios, nunca pensei que os maiores obstáculos emergissem do domínio estritamente pessoal. Enganei-me. As notícias vindas a público nos últimos dias, em que uma apresentação com mais de oito anos foi falseada para que incluísse o meu nome, revelam um nível de atuação política que considero intolerável. A minha disponibilidade para servir o país sempre foi total. Não tenho, no entanto, grande tolerância para a baixeza que foi evidenciada. Entendo que todos temos que dar o nosso melhor para ultrapassar as dificuldades enormes que atravessamos. No entanto, considero que não tenho que me sujeitar a este tipo de tratamento mediático de que fui alvo nos últimos dias. Foram exploradas e distorcidas declarações que fiz sempre de boa-fé. É este lado podre da política, de que os Portugueses tantas vezes se queixam, que expulsa aqueles que querem colocar o seu saber e a sua experiência ao serviço do País. Tomei esta difícil decisão porque nunca permitirei que controvérsias criadas sobre o meu percurso profissional, que não escondi, possam ser usadas como arma de arremesso político contra o Governo. Saio do Governo porque temos problemas muito sérios associados à emergência económica e financeira em que fomos envolvidos e que urge resolver. Não posso permitir que o debate público se afaste dos problemas centrais e daquilo que é essencial para a vida de todos nós. Saio sem qualquer arrependimento e de consciência limpa. Nenhuma manobra de baixa política poderia mudar a minha disposição de serviço à causa pública, nem de dedicação a Portugal. Retiro-me, no entanto, esperando muito sinceramente que a minha saída permita que todos se recentrem naquilo que é verdadeiramente importante. Reitero o agradecimento pela confiança que em mim foi depositada. Lisboa, 7 de agosto de 2013 Joaquim Pais Jorge