Os 5 mitos da mobilidade

  • 316 views
Uploaded on

 

More in: Technology , Travel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
316
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Os 5 mitos da mobilidade
    Nuno Quental
    Campo Aberto – Associação de Defesa do Ambiente
    Vila Nova de Gaia, 20 de Setembro de 2007
  • 2. Mito nº 1
    O metro resolve as principais necessidades de mobilidade
  • 3.
  • 4. Mito nº 1
  • 5. Mito nº 1
    Conclusão
    Globalmente, ao nível regional, precisamos quase tanto de autocarros como antesda construção do Metro do Porto
  • 6. Mito nº 2
    Os autocarros não precisam de circular em canal próprio
  • 7.
  • 8. Mito nº 2
  • 9. Mito nº 2
    Conclusão
    As principais ligações de autocarro deveriam ser realizadas em canal próprio de modo a atingir uma determinada velocidade comercial
  • 10. Mito nº 3
    Todas as ruas são indispensáveisao tráfego automóvel e à sobrevivência do comércio
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14. Mito nº 3
  • 15. Mito nº 3
    Cidades exemplares
    Copenhaga: mais de 96000 m2 de zonas pedestres
    Gent: enorme zona pedestre no centro
    Oxford: novas zonas pedestresreduziram tráfego no centro em 20%
  • 16. Mito nº 3
    Conclusão
    A experiência mostra que o encerramento de algumas ruas ao trânsito, feito de forma progressiva, é fundamental para aaumentar a qualidade de vida.
  • 17. Mito nº 4
    A Área Metropolitana do Porto tem um relevo acidentado e por isso não há procura que justifique a construção de pistas para bicicletas
  • 18. Mito nº 4
  • 19.
  • 20.
  • 21. Mito nº 4
    Cidades exemplares
    Ferrara e Berlim: + de 32% das deslocações de bicicleta
    Amsterdão e Basileia: + de 20% das deslocações
    Berna: 15 % das deslocações
    Bilbau: 200 km de ciclovias
    Estrasburgo: 77 km
    Portland: 290 km
    Grande Porto = 5,0
  • 22. Mito nº 4
    Conclusão
    Não há qualquer motivo para se continuarem a ignorar os ciclistas. É necessário construir uma rede regional de ciclovias com urgência.
  • 23. Mito nº 5
    Os semáforos (e as passadeiras?) também são instaladosa pensar nos peões
  • 24. Mito nº 5
  • 25.
  • 26. Mito nº 5
    Conclusão
    A maior parte dos semáforos está orientadopara aumentar a fluidez do tráfego. Mas a sua primeira função deveria ser a de proporcionar condições favoráveis de travessia ao peão.
  • 27. O pai de todos os mitos
    A retórica é suficiente para resolver os problemas de mobilidade
  • 28.
  • 29. Uma cidade no futuro?
  • 30. O pai de todos os mitos
    Conclusão das conclusões
    É preciso começar a agir!
    Chega de desculpas!