• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Os 5 mitos da mobilidade
 

Os 5 mitos da mobilidade

on

  • 575 views

 

Statistics

Views

Total Views
575
Views on SlideShare
575
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Os 5 mitos da mobilidade Os 5 mitos da mobilidade Presentation Transcript

    • Os 5 mitos da mobilidade
      Nuno Quental
      Campo Aberto – Associação de Defesa do Ambiente
      Vila Nova de Gaia, 20 de Setembro de 2007
    • Mito nº 1
      O metro resolve as principais necessidades de mobilidade
    • Mito nº 1
    • Mito nº 1
      Conclusão
      Globalmente, ao nível regional, precisamos quase tanto de autocarros como antesda construção do Metro do Porto
    • Mito nº 2
      Os autocarros não precisam de circular em canal próprio
    • Mito nº 2
    • Mito nº 2
      Conclusão
      As principais ligações de autocarro deveriam ser realizadas em canal próprio de modo a atingir uma determinada velocidade comercial
    • Mito nº 3
      Todas as ruas são indispensáveisao tráfego automóvel e à sobrevivência do comércio
    • Mito nº 3
    • Mito nº 3
      Cidades exemplares
      Copenhaga: mais de 96000 m2 de zonas pedestres
      Gent: enorme zona pedestre no centro
      Oxford: novas zonas pedestresreduziram tráfego no centro em 20%
    • Mito nº 3
      Conclusão
      A experiência mostra que o encerramento de algumas ruas ao trânsito, feito de forma progressiva, é fundamental para aaumentar a qualidade de vida.
    • Mito nº 4
      A Área Metropolitana do Porto tem um relevo acidentado e por isso não há procura que justifique a construção de pistas para bicicletas
    • Mito nº 4
    • Mito nº 4
      Cidades exemplares
      Ferrara e Berlim: + de 32% das deslocações de bicicleta
      Amsterdão e Basileia: + de 20% das deslocações
      Berna: 15 % das deslocações
      Bilbau: 200 km de ciclovias
      Estrasburgo: 77 km
      Portland: 290 km
      Grande Porto = 5,0
    • Mito nº 4
      Conclusão
      Não há qualquer motivo para se continuarem a ignorar os ciclistas. É necessário construir uma rede regional de ciclovias com urgência.
    • Mito nº 5
      Os semáforos (e as passadeiras?) também são instaladosa pensar nos peões
    • Mito nº 5
    • Mito nº 5
      Conclusão
      A maior parte dos semáforos está orientadopara aumentar a fluidez do tráfego. Mas a sua primeira função deveria ser a de proporcionar condições favoráveis de travessia ao peão.
    • O pai de todos os mitos
      A retórica é suficiente para resolver os problemas de mobilidade
    • Uma cidade no futuro?
    • O pai de todos os mitos
      Conclusão das conclusões
      É preciso começar a agir!
      Chega de desculpas!