• Like
Teoria e prática científica - Capítulo III
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Teoria e prática científica - Capítulo III

  • 5,225 views
Published

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2007. 23ª ed. rev. e atual. p. 99-126. …

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2007. 23ª ed. rev. e atual. p. 99-126.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS – UFSCar
BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA
PROFESSORA DRA. LUCIANA DE SOUZA GRACIOSO
Marcos TeruoOuchi – RA405175
SETEMBRO DE 2011

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
5,225
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
170
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Teoria e Prática científica
    Capítulo III da obra Metodologia do Trabalho Científico de Antônio Joaquim Severino
  • 2. Aproximação do significado da ciência como construção do conhecimento
    O surgimento da ciência
    Pressupostos filosóficos, práticas metodológicas e procedimentos técnicos
    Fundamentos epistemológicos
    Ciências Naturais “versus” Ciências Humanas
    Modalidades e metodologias de pesquisa científica
    Nesta Apresentação
  • 3. O surgimento da ciência
    “A ciência se faz quando o pesquisador aborda os fenômenos aplicando recursos técnicos, seguindo um método e apoiando-se em fundamentos epistomológicos”
  • 4. Método como caminho do conhecimento científico
    Um fenômeno
    CONHECIMENTO
    Recursos Técnicos
    método
    Fundamentos Epistemológicos
  • 5. Pressupostos filosóficos, práticas metodológicas e procedimentos técnicos
  • 6. O método científico
    Método Experimental
    Método Matemático
    Fase Indutiva
    Fase Dedutiva
    Percepção da
    Situação
    Problemática
    Fatos
    Fatos
    Observação dos Fatos
    Hipóteses Mais Gerais
    Hipóteses Universais
    Hipóteses Gerais
    Teorias
    Sistema
    Lei
  • 7. Duas formas de raciocínio
    Procedimentos racionais de argumentação ou de justificação de uma hipótese
    Indução e Dedução
  • 8. Processo de generalização, fundado no pressuposto filosófico do determinismo universal.
    Estabelece uma lei geral a partir da repetição constatada de regularidades em vários casos particulares
    Da observação de reiteradas incidências de uma determinada regularidade, conclui-se pela sua ocorrência em todos os casos possíveis
    Indução
  • 9. Procedimento lógico, raciocínio, pelo qual se pode tirar de uma ou de várias proposições (premissas) uma conclusão que delas decorre por força puramente lógica.
    Dedução
  • 10. Proposição explicativa provisória de relações entre fenômenos, a ser comprovada ou infirmada pela experimentação.
    Se confirmada, transforma-se em lei.
    Hipótese
  • 11. Enunciado de uma relação causal constante entre fenômenos ou elementos de um fenômeno.
    Fórmula geral que sintetiza um conjunto de fatos naturais, expressando uma relação funcional constante entre variáveis.
    Lei Científica
  • 12. Conjunto de concepções, sistematicamente organizadas
    Síntese geral que se propõe a explicar um conjunto de fatos cujos subconjuntos foram explicados pelas leis.
    Teoria
  • 13. Conjunto organizado cujas partes são interdependentes, obedecendo a um único princípio, entendido este como uma lei absolutamente geral, uma proposição fundamental.
    Sistema
  • 14. Fundamentos epistemológicos
  • 15. Ciências Naturais “versus” Ciências Humanas
  • 16. Positivismo
    Segundo Comte, o espírito humano teria passado históricamente por três estágios: o teológico, o me.tafísico e o positivo
    O modelo é a física clássica de Newton
    Paradigma teórico-metodológico nas Ciências Naturais
  • 17. Pluralismo Paradigmático
    Paradigma teórico-metodológico nas Ciências Humanas
  • 18. a sociedade humana e a cultura são como um organismo, cujas partes funcionam para atender às necessidades do conjunto.
    Funcionalismo
  • 19. todo sistema constitui um jogo de oposições, de presenças e ausências, formando uma estrutura interdependentes entre suas partes.
    Estruturalismo
  • 20. Parte da pressuposição de que todo conhecimento fatual funda-se num conhecimento originário da natureza intuitiva, viabilizado pela condição intencional de nossa consciência subjetiva.
    Fenomenologia
  • 21. Propõe que todo conhecimento é necessariamente uma interpretação que o sujeito faz a partir das expressões simbólicas das produções humanas, dos signos culturais.
    Hermenêutica
  • 22. Propõe substituir a economia da razão pela economia do desejo, ou seja, priorizar inclusive na ordem do conhecimento, outras dimensões que não aquelas da lógica racional.
    Arqueogeologia
  • 23. Vê a reciprocidade sujeito/objeto eminentemente como uma interação social que vai se formando ao longo do tempo histórico.
    Dialética
  • 24. Modalidades e metodologias de pesquisa científica
  • 25. Abordagem quantitativa
    Abordagem qualitativa
    Pesquisa quantitativa, pesquisa qualitativa
  • 26. Visa compreender os processos do dia-a-dia em suas diversas modalidades.
    Aplica métodos e técnicas compatíveis com a abordagem qualitativa.
    Pesquisa etnográfica
  • 27. O pesquisador se coloca numa postura de identificação com os pesquisados.
    Compartilha suas vivências.
    Registra descritivamente todos os elementos observados bem como as análises e considerações que fizer.
    Pesquisa participante
  • 28. Nela, além de compreender, visa intervir na situação a fim de modificá-la.
    Pesquisa-ação
  • 29. Concentra-se no estudo de um caso em particular, considerado representativo de um conjunto de casos análogos.
    Estudo de caso
  • 30. Trata-se de compreender criticamente o sentido manifesto ou oculto das comunicações.
    Se dá através de tratamento e análise de informações de um documento.
    Análise de conteúdo
  • 31. Bibliográfica:realiza-se a partir de um registro disponível, decorrente de pesquisa anteriores, em documentos impressos.
    Documental: tem como fonte documentos no sentido amplo.
    Experimental: toma o próprio objeto como fonte e coloca-o em condições técnicas de observação e manipulação experimental. Muito difícil em Ciências Humanas.
    Campo: o objeto/fonte é aboradado em seu meio ambiente próprio.
    Pesquisa bibliográfica, documental, experimental e de campo
  • 32. Exploratória: busca apenas levantar informações sobre um determinado objeto.
    Explicativa: além de registrar e analizar os fenômenos, busca identificar suas causas.
    Pesquisa exploratória, pesquisa explicativa
  • 33. São os procedimentos operacionais que servem de mediação para a realização das pesquisas.
    Necessitam ser compatíveis com os métodos e paradigmas epistemológicos adotados.
    Técnicas e pesquisa
  • 34. SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2007. 23ª ed. rev. e atual. p. 99-126.
    Referências
    UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS – UFSCar
    BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
    DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA
    PROFESSORA DRA. LUCIANA DE SOUZA GRACIOSO
    Marcos TeruoOuchi – RA405175
    SETEMBRO DE 2011