Your SlideShare is downloading. ×
0
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Teoria e prática científica - Capítulo III
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Teoria e prática científica - Capítulo III

5,522

Published on

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2007. 23ª ed. rev. e atual. p. 99-126. …

SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2007. 23ª ed. rev. e atual. p. 99-126.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS – UFSCar
BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA
PROFESSORA DRA. LUCIANA DE SOUZA GRACIOSO
Marcos TeruoOuchi – RA405175
SETEMBRO DE 2011

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,522
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
180
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Teoria e Prática científica<br />Capítulo III da obra Metodologia do Trabalho Científico de Antônio Joaquim Severino<br />
  • 2. Aproximação do significado da ciência como construção do conhecimento<br />O surgimento da ciência<br />Pressupostos filosóficos, práticas metodológicas e procedimentos técnicos<br />Fundamentos epistemológicos<br />Ciências Naturais “versus” Ciências Humanas<br />Modalidades e metodologias de pesquisa científica<br />Nesta Apresentação<br />
  • 3. O surgimento da ciência<br />“A ciência se faz quando o pesquisador aborda os fenômenos aplicando recursos técnicos, seguindo um método e apoiando-se em fundamentos epistomológicos”<br />
  • 4. Método como caminho do conhecimento científico<br />Um fenômeno<br />CONHECIMENTO<br />Recursos Técnicos<br />método<br />Fundamentos Epistemológicos<br />
  • 5. Pressupostos filosóficos, práticas metodológicas e procedimentos técnicos<br />
  • 6. O método científico<br />Método Experimental<br />Método Matemático<br />Fase Indutiva<br />Fase Dedutiva<br />Percepção da<br />Situação <br />Problemática<br />Fatos<br />Fatos<br />Observação dos Fatos<br />Hipóteses Mais Gerais<br />Hipóteses Universais<br />Hipóteses Gerais<br />Teorias<br />Sistema<br />Lei<br />
  • 7. Duas formas de raciocínio<br />Procedimentos racionais de argumentação ou de justificação de uma hipótese<br />Indução e Dedução<br />
  • 8. Processo de generalização, fundado no pressuposto filosófico do determinismo universal.<br />Estabelece uma lei geral a partir da repetição constatada de regularidades em vários casos particulares<br />Da observação de reiteradas incidências de uma determinada regularidade, conclui-se pela sua ocorrência em todos os casos possíveis<br />Indução<br />
  • 9. Procedimento lógico, raciocínio, pelo qual se pode tirar de uma ou de várias proposições (premissas) uma conclusão que delas decorre por força puramente lógica.<br />Dedução<br />
  • 10. Proposição explicativa provisória de relações entre fenômenos, a ser comprovada ou infirmada pela experimentação.<br />Se confirmada, transforma-se em lei.<br />Hipótese<br />
  • 11. Enunciado de uma relação causal constante entre fenômenos ou elementos de um fenômeno.<br />Fórmula geral que sintetiza um conjunto de fatos naturais, expressando uma relação funcional constante entre variáveis.<br />Lei Científica<br />
  • 12. Conjunto de concepções, sistematicamente organizadas<br />Síntese geral que se propõe a explicar um conjunto de fatos cujos subconjuntos foram explicados pelas leis.<br />Teoria<br />
  • 13. Conjunto organizado cujas partes são interdependentes, obedecendo a um único princípio, entendido este como uma lei absolutamente geral, uma proposição fundamental.<br />Sistema<br />
  • 14. Fundamentos epistemológicos<br />
  • 15. Ciências Naturais “versus” Ciências Humanas<br />
  • 16. Positivismo<br />Segundo Comte, o espírito humano teria passado históricamente por três estágios: o teológico, o me.tafísico e o positivo<br />O modelo é a física clássica de Newton<br />Paradigma teórico-metodológico nas Ciências Naturais<br />
  • 17. Pluralismo Paradigmático<br />Paradigma teórico-metodológico nas Ciências Humanas<br />
  • 18. a sociedade humana e a cultura são como um organismo, cujas partes funcionam para atender às necessidades do conjunto.<br />Funcionalismo<br />
  • 19. todo sistema constitui um jogo de oposições, de presenças e ausências, formando uma estrutura interdependentes entre suas partes.<br />Estruturalismo<br />
  • 20. Parte da pressuposição de que todo conhecimento fatual funda-se num conhecimento originário da natureza intuitiva, viabilizado pela condição intencional de nossa consciência subjetiva.<br />Fenomenologia<br />
  • 21. Propõe que todo conhecimento é necessariamente uma interpretação que o sujeito faz a partir das expressões simbólicas das produções humanas, dos signos culturais.<br />Hermenêutica<br />
  • 22. Propõe substituir a economia da razão pela economia do desejo, ou seja, priorizar inclusive na ordem do conhecimento, outras dimensões que não aquelas da lógica racional.<br />Arqueogeologia<br />
  • 23. Vê a reciprocidade sujeito/objeto eminentemente como uma interação social que vai se formando ao longo do tempo histórico.<br />Dialética<br />
  • 24. Modalidades e metodologias de pesquisa científica<br />
  • 25. Abordagem quantitativa<br />Abordagem qualitativa<br />Pesquisa quantitativa, pesquisa qualitativa<br />
  • 26. Visa compreender os processos do dia-a-dia em suas diversas modalidades.<br />Aplica métodos e técnicas compatíveis com a abordagem qualitativa.<br />Pesquisa etnográfica<br />
  • 27. O pesquisador se coloca numa postura de identificação com os pesquisados.<br />Compartilha suas vivências.<br />Registra descritivamente todos os elementos observados bem como as análises e considerações que fizer.<br />Pesquisa participante<br />
  • 28. Nela, além de compreender, visa intervir na situação a fim de modificá-la.<br />Pesquisa-ação<br />
  • 29. Concentra-se no estudo de um caso em particular, considerado representativo de um conjunto de casos análogos.<br />Estudo de caso<br />
  • 30. Trata-se de compreender criticamente o sentido manifesto ou oculto das comunicações.<br />Se dá através de tratamento e análise de informações de um documento.<br />Análise de conteúdo<br />
  • 31. Bibliográfica:realiza-se a partir de um registro disponível, decorrente de pesquisa anteriores, em documentos impressos.<br />Documental: tem como fonte documentos no sentido amplo.<br />Experimental: toma o próprio objeto como fonte e coloca-o em condições técnicas de observação e manipulação experimental. Muito difícil em Ciências Humanas.<br />Campo: o objeto/fonte é aboradado em seu meio ambiente próprio.<br />Pesquisa bibliográfica, documental, experimental e de campo<br />
  • 32. Exploratória: busca apenas levantar informações sobre um determinado objeto.<br />Explicativa: além de registrar e analizar os fenômenos, busca identificar suas causas.<br />Pesquisa exploratória, pesquisa explicativa<br />
  • 33. São os procedimentos operacionais que servem de mediação para a realização das pesquisas.<br />Necessitam ser compatíveis com os métodos e paradigmas epistemológicos adotados.<br />Técnicas e pesquisa<br />
  • 34. SEVERINO, A. J. Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Cortez, 2007. 23ª ed. rev. e atual. p. 99-126.<br />Referências<br />UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS – UFSCar<br />BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO<br />DISCIPLINA DE INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA<br />PROFESSORA DRA. LUCIANA DE SOUZA GRACIOSO<br />Marcos TeruoOuchi – RA405175<br />SETEMBRO DE 2011<br />

×