Your SlideShare is downloading. ×
Best pratices para desenvolvimento mobile
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Best pratices para desenvolvimento mobile

2,459
views

Published on

Diferenças entre web e mobile, coisas que funcionam num lado e se tornam um desastre no outro e cuidados especiais a ter quando se lida com dispositivos móveis e com ecrãs mais reduzidos. …

Diferenças entre web e mobile, coisas que funcionam num lado e se tornam um desastre no outro e cuidados especiais a ter quando se lida com dispositivos móveis e com ecrãs mais reduzidos.

O panorama actual das implementações de motores de widget. As diferentes resoluções dos terminais, os vários motores de rendering e capacidade de acesso ao hardware para melhor integração com a plataforma. O que evitar a nível de Javascript, HTML e CSS.

Published in: Technology

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,459
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
80
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide























































  • Transcript

    • 1. BEST PRACTICES PARA DESENVOLVIMENTO MOBILE Pedro Cardoso - mobile.sapo.pt 26 de Maio de 2010
    • 2. • Introdução •O que são widgets • Os que se deve fazer
    • 3. TIPOS DE APLICAÇÕES App nativa Widget Webapp
    • 4. APLICAÇÕES MÓVEIS • Programas que correm no telefone • Adaptados a ecrans pequenos, interacção simplificada • Com acesso ao hardware (filesystem, som, 3d, bluetooth, wifi, câmara, acelerómetro, etc) • Integração complexa no dispositivo • Podem funcionar offline e/ou online • Desenvolvidas em linguagens de baixo nível (C, C++, Java, Objective C)
    • 5. MOBILE WEB •A web normal em versão reduzida • Desenvolvimento fácil (HTML, JavaScript, CSS) • Limites no que pode aceder no dispositivo
    • 6. MOBILE WEB - WEBAPPS
    • 7. MOBILE WEB - WEBAPPS • Atalho web como aplicação
    • 8. MOBILE WEB - WEBAPPS • Atalho web como aplicação • Suporte de APIs HTML5
    • 9. MOBILE WEB - WEBAPPS • Atalho web como aplicação • Suporte de APIs HTML5 • Necessário um proxy se necessário aceder a fontes de dados foram do domínio onde app está alojada
    • 10. WIDGETS
    • 11. WIDGETS • Widget híbrido app/web
    • 12. WIDGETS • Widget híbrido app/web • Aplicações construídas em tecnologias web (JavaScript, HTML, CSS)
    • 13. WIDGETS • Widget híbrido app/web • Aplicações construídas em tecnologias web (JavaScript, HTML, CSS) • Corre localmente no dispositivo, mas podem funcionar online e/ou offline
    • 14. WIDGETS • Widget híbrido app/web • Aplicações construídas em tecnologias web (JavaScript, HTML, CSS) • Corre localmente no dispositivo, mas podem funcionar online e/ou offline • Correm num browser especializado, no ecran completo, sem elementos de UI
    • 15. WIDGETS • Widget híbrido app/web • Aplicações construídas em tecnologias web (JavaScript, HTML, CSS) • Corre localmente no dispositivo, mas podem funcionar online e/ou offline • Correm num browser especializado, no ecran completo, sem elementos de UI • Cross-platform
    • 16. PLATAFORMAS • Nokia WRT • TVs • Windows Phone (WM 6.5) • Phonegap • Samsung • Nokia WRT • Opera Widget Manager + Browser • iPhone • Palm webOS (Pre/Pixi) • Android • Dashboard Mac / Windows Sidebar • Blackberry • LiMo • SonyEricsson WebSDK
    • 17. MUNDIAL 2010
    • 18. WIDGETS - VANTAGENS
    • 19. WIDGETS - VANTAGENS • Portabilidade 
    • 20. WIDGETS - VANTAGENS • Portabilidade  • Fácil de desenvolver e testar
    • 21. WIDGETS - VANTAGENS • Portabilidade  • Fácil de desenvolver e testar • Possível aceder a algumas funcionalidades mais avançadas do hardware (GPS, acelerómetro, câmara)
    • 22. WIDGETS - VANTAGENS • Portabilidade  • Fácil de desenvolver e testar • Possível aceder a algumas funcionalidades mais avançadas do hardware (GPS, acelerómetro, câmara) • Menos limitações que web (XHR)
    • 23. WIDGETS - VANTAGENS • Portabilidade  • Fácil de desenvolver e testar • Possível aceder a algumas funcionalidades mais avançadas do hardware (GPS, acelerómetro, câmara) • Menos limitações que web (XHR) • Acesso a outras funcionalidades (softkeys)
    • 24. WIDGETS - VANTAGENS • Portabilidade  • Fácil de desenvolver e testar • Possível aceder a algumas funcionalidades mais avançadas do hardware (GPS, acelerómetro, câmara) • Menos limitações que web (XHR) • Acesso a outras funcionalidades (softkeys) • Resultados aceitáveis
    • 25. WIDGETS - DESVANTAGENS
    • 26. WIDGETS - DESVANTAGENS • Difícil atingir look&feel de app nativa
    • 27. WIDGETS - DESVANTAGENS • Difícil atingir look&feel de app nativa • Integração em menor escala
    • 28. WIDGETS - DESVANTAGENS • Difícil atingir look&feel de app nativa • Integração em menor escala • Plataformas imaturas
    • 29. WIDGETS - DESVANTAGENS • Difícil atingir look&feel de app nativa • Integração em menor escala • Plataformas imaturas • Discrepâncias nas implementações
    • 30. WIDGETS - DESVANTAGENS • Difícil atingir look&feel de app nativa • Integração em menor escala • Plataformas imaturas • Discrepâncias nas implementações • Performance
    • 31. WIDGETS - DESVANTAGENS • Difícil atingir look&feel de app nativa • Integração em menor escala • Plataformas imaturas • Discrepâncias nas implementações • Performance • Impossibilidade de alguns tipos de apps
    • 32. ESTRATÉGIAS PARA LIDAR COM LIMITAÇÕES
    • 33. ESTRATÉGIAS PARA LIDAR COM LIMITAÇÕES • Menor denominador comum
    • 34. ESTRATÉGIAS PARA LIDAR COM LIMITAÇÕES • Menor denominador comum • Adaptação progressiva
    • 35. ESTRATÉGIAS PARA LIDAR COM LIMITAÇÕES • Menor denominador comum • Adaptação progressiva • Particularizar casos consoante plataforma
    • 36. COMPILAÇÃO • Maioria dos casos, ZIP com o conteúdo e um ficheiro de configuração. • make, ant, shell scripts, batch files, etc • zip -r foo.wgt src/* • zip -r foo.wgz src/ • palm-package src • cp -R src dist/foo.wdgt • Código acessível: JavaScript Minifiers + obfuscators
    • 37. DESAFIOS • Conectividade à internet • Memória • Persistência de dados • Capacidade de CPU • Tamanhos de ecran muito • Browsers limitados (IE, diferentes (pixels, DPIs) Netfront, Blackberry, Webkits) • Com/sem touch • Plataformas heterogéneas • Com/sem cursor
    • 38. HTML5 • Nãosuportado na maioria dos casos ou apenas parcialmente suportado. • Storage • Geo-location
    • 39. CSS3 • Media queries • Animações CSS • text-shadow • SVG/VML • border-image • background gradients • border-radius • <canvas>
    • 40. O QUE FAZER?
    • 41. RESUMIDAMENTE... • Hierarquia HTML o mais • Fazer o processamento pesado simples possível no servidor • Regras CSS simples • Feeds pequenos • JavaScript simples • Usar JSON • Evitar frameworks pesadas • Manter cache da informação • Evitar iframes • Persistência • Usar tabelas se fizer sentido
    • 42. HTML SIMPLES • Estruturas complexas ou longas • Deep nesting • Reduzir o número de elementos • Reduzir profundidade do DOM • Não usar estruturas complexas para efeitos simples • Cantos redondos • <em> ou <span> em vez de <b><i>...</i><b>
    • 43. CSS SIMPLES • Regras de CSS complexas ou • Simplificar CSS pouco eficientes • Usar <table> se necessário • Processamento direita para a esquerda • Regras direcionadas #menu .item a { ... } • #especifica div.menos-especifica ‣ Todos os <a> .ainda-menos .ainda-menos div ‣ Todos os <a> dentro de .item div ‣ Todos os .item dentro de #menu
    • 44. JAVASCRIPT SIMPLES • Literais em vez de operador • Seleccionar elementos “new” (var arr = [], obj = {}) • Iterar sobre o DOM • Simplificar tratamento de • Estruturas de dados grandes eventos • Seleccionar elementos por • Evitar frameworks, ID ou tagName e guardar em implementar subconjunto de memória referência se funcionalidades necessárias necessário reutilizar • Juntar manipulações ao DOM • Evitar loops desnecessários • Pedidos AJAX pequenos
    • 45. PERFORMANCE
    • 46. PERFORMANCE • Fingir!
    • 47. PERFORMANCE • Fingir! • Mudar estado de links activos
    • 48. PERFORMANCE • Fingir! • Mudar estado de links activos • Indicador de acesso à rede/processamento
    • 49. PERFORMANCE • Fingir! • Mudar estado de links activos • Indicador de acesso à rede/processamento • Especificar background/width/height nas imagens (placeholder)
    • 50. CSS SPRITES • Depende...
    • 51. OPTIMIZAÇÃO DE IMAGENS
    • 52. OPTIMIZAÇÃO DE IMAGENS • Evitar alpha-channel
    • 53. OPTIMIZAÇÃO DE IMAGENS • Evitar alpha-channel • Usar PNGs com palette, não RGB
    • 54. OPTIMIZAÇÃO DE IMAGENS • Evitar alpha-channel • Usar PNGs com palette, não RGB • Limpar PNGs: usar pngcrush
    • 55. OPTIMIZAÇÃO DE IMAGENS • Evitar alpha-channel • Usar PNGs com palette, não RGB • Limpar PNGs: usar pngcrush • Usar imagens com tamanho adequado
    • 56. NOKIA WRT (S60 5TH) • Lento com muitos gráficos • Webkit antigo • Bugs, diferenças entre modelos • Updates apagam preferências da app • Sistema de storage simples, apenas para dados pequenos
    • 57. WINDOWS PHONE • IE6 com suporte de PNG • Storage limitado • Sem posicionamento fixo • Lento
    • 58. PALM PRE • Rápido • API muito rica • Webkit relativamente recente • Não são widgets, mas aplicam-se os mesmos conceitos
    • 59. JAVASCRIPT LIBRARIES • LibSAPO.js • Emile.js http://softwarelivre.sapo.pt/ http://github.com/madrobby/emile libsapojs • baseJS • jQuery http://paularmstrongdesigns.com/ http://jquery.com/ projects/basejs/ • Prototype • iUI http://prototypejs.org/ http://code.google.com/p/iui/ • JQTouch • xui http://www.jqtouch.com/ http://xuijs.com/
    • 60. OBRIGADO pedro.cardoso@co.sapo.pt @pcardoso