A EducaçãO Renascentista

27,312 views
27,087 views

Published on

4 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
27,312
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
489
Comments
4
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A EducaçãO Renascentista

  1. 1. A Educação Renascentista<br />
  2. 2. O contexto histórico.<br />A Renascença foi um despertar cultural e ideológico, surge na Itália e se expande pela Europa.<br />Movimento artístico de caráter burguês que anula e despreza a cultura medieval, vista como Período das Trevas consolida uma nova cultura: modernidade<br />
  3. 3. <ul><li>Como resposta às transformações ocorridas no final da Idade Média surgiu o Renascimento. Fatores antes aceitos sem questionamentos passam a ser estudados e criticados.
  4. 4. A prática da usura (empréstimo de dinheiro com juros), fortalecimento da burguesia e comércio deram origem aos Estados Modernos e ao Mercantilismo.</li></li></ul><li>Transformações:<br />Aumento de relações comerciais entre os povos.<br />Surgimento de novas idéias e produtos que se refletiram sobre a sociedade européia da época<br />Surgimento da imprensa, criada no século XV por JohannesGutenberg, grandes passo tecnológico dentro do Renascimento<br />
  5. 5. Novos valores formulados pela burguesia<br />contraposição aos ideais da Idade Média:<br />HUMANISMO: visão de mundo centrada no HOMEM (antropocentrismo).<br />RACIONALISMO: explicação do mundo pelo conhecimento racional.<br />INDIVIDUALISMO: ênfase na individualidade dos homens livres. <br />NACIONALISMO: mundo marcado pelas diferenças regionais entre os Estados<br />
  6. 6. As influências na educação<br />Educação Renascentista<br />▼ ▼<br />▼▼▼ <br />RENASCIMENTO<br />HUMANISMO<br />Retomada da herança<br />Greco-Romana<br />Visão Do mundo <br />ANTROPOCÊNTRICA<br />Valorização da<br />RAZÃO e NATUREZA<br />ESPÍRITO CRÍTICO<br />
  7. 7. ÁREAS DE INTERESSES <br />o mundo subjetivo <br />das emoções <br />a vida real<br /> do passado<br />mundo da <br />natureza física<br />Conseqüências<br /><ul><li>Afastamento do teocentrismo e exaltação do antropocentrismo.
  8. 8. Oposição à escolástica, propondo situar o ideal da nova vida nos propósitos e atividades específicas das disciplinas de humanidades.
  9. 9. Busca de respostas racionais.</li></li></ul><li>Pensamento Pedagógico Renascentista<br />Essa nova mentalidade influenciou a educação tornando-a mais prática, incluindo a cultura do corpo e substituindo processos mecânicos por outros mais agradáveis. <br />As grandes navegações do século XVI e a invenção da imprensa realizada por Gutemberg exerceram grande influência neste pensamento pedagógico. <br />Foi caracterizada pelo elitismo, pelo aristocratismo e pelo individualismo liberal. Atingia principalmente o clero, a nobreza e a burguesia nascente.<br />
  10. 10. Principais educadores renascentistas <br />VITORINO DA FELTRE: <br />“Quero ensinar o jovem a pensar, não a delira. Vinde, crianças, aqui se instrui, não se tortura”<br />Defendia uma educação individualizada, o auto-governo do aluno e a competição;<br />
  11. 11. Erasmo de Roterdã<br />“ Ninguém pode escolher os pais ou a pátria, mas cada um pode moldar sua personalidade pela educação”<br />Holandês, lutou pelo fim da predominância religiosa na educação .Defendeu a leitura dos clássicos e o desenvolvimento do homem integral.<br />
  12. 12. Fraçois Rabelais<br />“Ciência sem consciência é ruína da alma.”<br />Contrário à educação formalista e livresca, defendia o ensino lúdico e programado.<br />Formação integral, críticas ao ensino memorístico e desenvolvimento do senso crítico<br />
  13. 13. Michel de Montaigne <br />acreditava que as crianças devem aprender o que farão quando adultos.<br />Interiorizar-se, duvidar e entrar em contato outros costumes e pontos de vista.<br /> Exercitar a inteligência, fortalecer a alma e desenvolve os músculos<br />
  14. 14. Reforma e contra reforma<br />A Reforma Protestante capitaneada pelo monge católico Martinho Lutero, a partir de 1517 veio dinamizar o processo educacional.<br />Martinho Lutero era um monge católico inconformado com algumas práticas da Igreja, como a venda de indulgências. Sua revolta levou a cristandade a uma cisão definitiva<br />
  15. 15. Lutero<br />“Lutero defendia a educação universal e pública, Propôs jogos, exercícios físicos, música, valorizou os conteúdos literários e recomendava o estudo de história e das matemáticas.<br />Incentivava a alfabetização e leitura da bíblia traduzida por ele.<br />
  16. 16. Reforma e Educação<br />Para Lutero<br /><ul><li>O Estado tem o dever de obrigar seus súditos a enviarem seus filhos à escola
  17. 17. O mundo necessita de homens e mulheres educados</li></ul>(Carta aos Prefeitos e Conselheiros das cidades alemães)<br />“Não há outra ofensa que pese tanto <br />diante de Deus e que mereça maior castigo <br />que o pecado<br />de negligenciar a educação das crianças”.<br />
  18. 18. <ul><li>Suas idéias levaram o </li></ul>Cristianismo ocidental a <br />dividir-se.<br /><ul><li>Foi um dos responsáveis pela </li></ul>formulação do sistema de <br />ensino público.<br />Defendeu <br />o conceito de <br />Educação útil<br />Martinho<br /> LUTERO<br />(1483-1546)<br />A maior força de uma cidade <br />é ter muitos <br />cidadãos instruídos.<br />Preparação para o trabalho.<br />
  19. 19. Educação luterana<br /><ul><li>Família:fator importante, tanto quanto a escola, no processo educativo
  20. 20. Educação universal destinada a todos:obrigação do Estado
  21. 21. Ensino profissional e intelectual:preparação para o trabalho
  22. 22. Instrução:veículo de estabilidade espiritual</li></ul>Bíblia:<br />Base do processo de aprendizagem<br />
  23. 23. A contra reforma Católica<br />A contra- reforma ou reforma católica foi a reação da igreja católica à campanha da Reforma Protestante e seu crescimento vertiginoso, cristalizou-se de várias maneiras:<br />Em 1546 tem inicio o concilio de trento que traz profundas mudanças a organização católica. Dentre as medidas do concílio está:<br />
  24. 24. a Inquisição foi restabelecida, <br />criou-se uma lista de livros proibidos aos fiéis, o INDEX<br />Para ser um sacerdote era necessário curso de formação, fundação de seminários<br />A catequização de habitantes de novas terras, O concílio também emitiu decretos disciplinares, <br />A venda de indulgências foi proibida <br />
  25. 25. A Cia de Jesus<br />Criada por Inácio de Loiola em 1534 com aspectos militares e reconhecida pelo Papa Paulo II, a Companhia de Jesus tinha como principais objetivos a confissão, o ensino e a pregação. <br />Seus membros devem total lealdade ao Papa e obedecem a uma preparação muito rigorosa que inclui os votos de pobreza, obediência e castidade.A Companhia de Jesus tornou-se o braço forte da contra-reforma e foi a principal responsável em disseminar o cristianismo nas colônias.<br />
  26. 26. Ideal educacional<br />O método de ensino intitulado RatioStudiorium, elaborado pelos jesuítas no final do século XVI expandiu-se rapidamente por toda a Europa e regiões do Novo Mundo em fase de ocupação. Ele constava das regras e grade de ensino que todas as unidades educacionais dos jesuítas deveriam obedecer em qualquer parte do planeta em que estivessem situadas.<br />O objetivo era unificar a educação católica, ministrando todos um mesmo conteúdo, da mesma maneira. Somente eram admitidas modificações em casos excepcionais.<br />Essa regulamentação foi dividida em duas partes: <br />Studiainferiora e Studia superiora.<br />
  27. 27. Studiainferiora<br />Letras Humanas composta de gramática, humanidades e retórica, que era o grau médio e durava três anos. <br />Filosofia e Ciências durava três anos e compunha-se de: lógica, introdução às ciências, cosmologia, psicologia, física aristotélica, metafísica e moral, cujo objetivo era formar filósofos.<br />Tecnologia e Ciências Sagradas era a culminância dos estudos e objetivava a formação de padres.<br />Studia superiora<br />
  28. 28. O estímulo à competição era fomentado entre indivíduos e classes.<br />Montavam peças de teatro com textos clássicos e litúrgicos, desde diálogos até comédias e tragédias.<br />Tinham colégios com internato e externato, com muito estudo e atividades recreativas. <br />As férias eram bem curtas para que os alunos não tivessem a mínima oportunidade de desviar-se dos ensinamentos recebidos. <br />Os que mais se destacavam na emulação eram premiados.<br />Os indisciplinados recebiam castigo físico, ministrados por ‘corretor’ fora dos quadros da instituição.<br />
  29. 29. Referencias<br />A Educação No Renascimento publicado 22/08/2008 por Márcia Regina Cabral em: http://www.webartigos.com/articles/8796/1/A-Educacao-No-Renascimento/pagina1.html#ixzz15wSP0jvg<br />A educação no renascimento a reforma protestante, a contra-reforma católica e a educação. Por Carlos Eurico Augusto Germe em http://livrepensar.wordpress.com/2008/07/07/a-educacao-no-renascimento/<br />ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. História da educação e da pedagogia. São Paulo: Moderna, 2006.<br />FERRARI, Pedro. RatioStudiorum. IN: Revista Espaço da Sophia - Nº 09 – Dezembro/2007 – Mensal – Ano I<br />
  30. 30. Referencias<br />FRIANCISCO FILHO, Geraldo. Historia geral da educação. Campinas SP: Editora Alínea, 2006.<br />MANACORDA Mario A. História da Educação - da antigüidade aos nossos dias. 7ª edição, São Paulo, Cortez, 1996.<br />RIBEIRO, Maira Luiza S. História da Educação Brasileira: a organização escolar. 12. Ed. São Paulo: Cortez, 1992.<br />ROSANA, Andréa Gonçalves E OUTROS, Luzes e sombras sobre a colônia: educação e casamento na São Paulo do século XVIII. São Paulo, editora Humanistas. 1998.<br />
  31. 31. Montageme Apresentação:<br /> Nila Michele Bastos Santos<br />Historiadora, Psicopedagoga, <br />Professora da Rede Municipal e Privada de São Luis –Ma. Professora Da Faculdade Santa Fé .<br />Email: nilamichele@yahoo.com.br<br />

×