• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
2º química
 

2º química

on

  • 633 views

 

Statistics

Views

Total Views
633
Views on SlideShare
633
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    2º química 2º química Document Transcript

    • química equilíbrio nas reações químicas 1Capítulo 1Equilíbrio químicoConexõesEletrólis daáguaprovenien e e t do aratmos é f rico:2H2O w2H2 + O 22N2 + 6H2 w4NH3 (N provenien e 2 t do aratmos é f rico)4NH3 + 7O2 w4NO 2 + 6H2OSíntes do ácidonítrico: 2NO 2 + 1H2O e wHNO 3 + HNO 2Exercícios complementares9. a)Kc222HCOHOCO = ⋅⋅[][][][]Kpppp pHCOHOCO = ⋅⋅ 222b)Kc22NONOO = ⋅[][][] Kppp 22 pNONOO = 22 ) ⋅( ( () ) 22c)Kc22COHHO = ⋅[][][]KppppCOHHO = 22 ⋅d)Kl AHH= ⋅+ + [] [][] c2 3236 KppH = 2 () 310. a)A equaçãoé: Zn + 2HCl wZnCl + H2 0 2ou naforma iônica: Zn + 2H+ wZn + H2 0 2+b) Não ocorre equilíbrio, pois, nessecaso, há formação de gás hidrogênio, e de acordo com o enunciado o siste aestá aber m to, impedindo que aconteça a reação inversa por causa do escap do gáshidrogênio. ec)Pelaequaçãoiônica:Zn2HZns0aq.20reagen e ( ((0e w t s)) ⋅ H + H aaq.2+g0produtos )()− H 1542Δ H = Σ Hprod.– Σ Hreag.ss ΔH = [(–154)]– [(0)]ss ΔH = –154 kJ11. bKpreq.produtosr ag t s=[][]quantomaioro valordeKeq., maisdeslocadoo equilíbrioestar parao e en e á ladodosprodutos.12. dEquilíbrios homogêneos são aquel sem que reagen e e produtos apres t muma única fase; e t s en a portan to,sãoos equilí riosI IV. b e 21. e
    • Parao equilíbrio, a expr s ão e s deKp será:KppppNONO = ⋅() 2 22 Sabendoquep = 0,8 atm,p = 2 atm p = 1 atm,tere N O2 e NO 2 mos: Kp= ⋅(),1082 s Kp = 0,625 2 22. a)Kc = [CO 2] ∙ [H2O] b)KpppCOHO = ⋅=025, 22 De acordocoma equação,perceb mo que, paracadamolde CO 2 formado,tamb m formado e s é é ummolde H2O. Portanto, asquantidade deCO 2 e H2O formada na decomposiçãodo NaHCO 3 s s sãoiguais. Então:ppCOHO = 22 Substituindonaexpr s ão e s do Kp, temos:pppCOCOHO atm 202505 222 ) (== =, ,s 23. a) Como Keq.produtosreagentes=[][] e a 200 ºC Keq. = 0,68, ou seja, é menor que 1, a concentraçãodosreagen e é maiorquea concentr ãodosprodutos;logo, no equilíbrioa t s aç 200 ºC predomina os reagen e m t s. b) Paraque a concentraçãodos reagen e sej igualà dos pro t s a dutos, temosque terKc H 1; logo, pelatabe a, tem e a u a l a p r t r maispróximadessaconduçãoé 300 ºC. 24. F – F – V – F – V N 2O 4(g)x 2NO 2(g)Kc = 1,0 QppcNONO = 2 ) (== 22 24 1212() c < Kc s preva e e reaçãodiret ) (Q l c a a Tarefa proposta 1. c I (F)A velocidade I. dareaçãodiret a princípioé alt a a. 2. Soma= 26 (02+ 08 + 16)(01)(F)Podeserqualquer tem e a u a. p r t r(04)(F)Podehaver atétrês fases. 3. e No equilíbriocoexist m e todasasespéciesdareaçãoquímica. 4. b Paraqueocorraequilíbrio,o siste a m dever serfechado. á 5. d A velocidadeda reação diret (v ) vai diminuindo ao mesmotem a 1 poque a velocidadeda reação invers (v )vaiaumen a a 2 t ndo,atéseratingidoo equilíbrio,emqueasduasvelocidade seiguala s m.
    • 26. aA velocidade da formação do composto volá l depende da velo ti cidade de decomposição do compostonão volá l.Como temosumequilíbrioquímico, a concentr ãode aldeído(compos ti aç to volá l aumen a áaté atingir o equilíbrio, a partir do qual sua concentração passa a ser ti ) t r constan e. t7. aComo a expr s ão prc e s K produtosr ag t s=[][],tere e en e mos:Kc22HIH ⋅[][][] I= 28. aNo equilíbrio, as velocidadesdas reações diret e indiret são iguais e as concentr a a açõe dos s participan e (reagen e e produtos perm ec m t s t s ) an e constan e t s.9. aComo a expr s ão prc e s K produtosr ag t s=[][],tere e en e mos:2NO 2(g)x 2NO (g)+ O 2(g)10. eNo cálculodeKc não participa sólidos,poissuasconcentrações m sãoconstan e t s.11. eSe a velocidadeforiguala zero,não háocorrênciadereação,portan não háequilíbrio. to12. a)A 225 °C, o valordeKc é muitopequeno;portanto,a concentraçãodosreagentes maiorque é a dosprodutos,predominandoCO e H2O.b)Quandoasconcentrações dosreagen e e produtos t s sãoaproxima damen e t iguais,a constan e c t K é próximade1. I so s ocorrea 825 °C.13. Kppp NHNH1= ⋅= ⋅= =()()() ),(),, 3230204004040,,1 p322 (, 214. F – V – F – VI.(F)O valordaconstan e t deequilíbrioindicaa ext s deumareação,não a suavelocidade. en ãoII I (F)O valormuitobaixoda constan e . t de equilíbrio (3,40 · 10–21 ) indica que a ext s en ãoda reação diret é muitope a quena;portanto,predomina N 2 e O 2 no equilíbrio. m15. a)No equilíbrio,asvelocidades dasreações diret e inversa a seiguala portan m, to:v = v s k · [A] = k · [B] s kkBAKBA = =[][] [][] c 1 2 1 2 12 sb)Sendokk = Kc e k = 10k , isolandokk , tere 12 2 1 12 mos:110110 = =kkk s c 12 16. Como Kc242COHCHHO = ⋅⋅[][][][] e sabendo que [CO] = 0,3 mol/L,[H ] = 0,8 mol/L, [CH4] = 0,4 3 2 mol/L,teremos: 567030804 ,,(,),[]=⋅⋅HO 2s [H2O] = 0,067 mol/L 3 17. A expressão Kpparao equilíbrioé: Kppp pCCC= ⋅PP ss Kp= ⋅0301015,,, s Kp= 0,20 de lll 325 18. a) Tempo[A] (10–3 mol · L–1)[B] (10–3 mol · L– 1) 011,6010011,30,320011,00,650010,51,11.00010,21,42.00010,01,62.50010,01,63.00010,01,6
    • b)KBAc= = = [][],,,16100016 19. N2(g) + 3H2(g) x 2NH3(g) Início1 mol3mol0Variação– xmol– 3xmol+ 2xmolEquilíbrio(1– x)mol(3– 3x)mol2xmol Como, no equilíbrio,temos 0,08 moldeNH 3, concluímosquex= 0,04. Assim,a composiçãodamistur no equilíbrioé: a N 2 = 1 – 0,04 = 0,96 mol;H2 = 3 – 0,12 = 2,88 mol;NH3 = 0,08 mol 20. N2O4 x 2NO2Início1,50 mol0Variação– xmol+2xmolEquilíbio(1,50– x)mol2xmol Como no equilíbrio a concentração de NO 2 é igual a 0,060 mol/L e o volum é de 2 L, a e quantidade deNO 2 presen e t é: 1 L 0,060 mol 2 L ys y= 0,12 mol Portanto,x= 0,06, e a concentr ãodeN 2O 4 no equilíbrioé: aç [N2O 4] = 1442, = 0,72 mol/LeKc224NONO = = = = ⋅− [][](,),, 230060720005510 2
    • 321. e1NH2COONH 4(s)x 2NH3(g)+ 1CO 2(g)A expr s ão e s do equilíbrioKp é expr s a e s por:Kp = (pNH ) · pCO2 3 2Sendo2 : 1 a proporçãoemmolsdosgases NH 3 e CO 2, aspressõesparciaisdosgasestamb m é serão 2 : 1.A press tota emequilíbrioé iguala p, então:p = 2x+ x s s xp = 3 s p p NH 3 23 = ão l ⋅ s p p CO 2 3 = s K p p p p= pO ⋅ = 23 3 427 2 3 322. dSabendoque40% dosátomossedissociam:2 molI 100% 2nI 40% s nI = 0,8 moldissocia(reag ) 2 2 eI x 2I2(g) (g) Início 2 mol0 Reage/Forma 0,8 mol1,6 molEquilíbrio 1,2 mol1,6 molAs concentraçõe emmol/Lno equilíbrioserão: s[], , , Imol4 L mol/L,[ mol4 L 2 = = 1 2 0 3 1 6 0s s , 4 mol/L I]A expr s ão e s deKc e seuvalorserão:K K c 2 c I= = [ ] [ ] (, ), 2 2 0 4 0 3 s s s Kc = 0,53 I23. a)CO (g) + H2O(g) x CO 2(g) + H2(g) Início 1 mol/L1 mol/L3 mol/L3 mol/LReage e forma +x +x –x –x Equilíbrio 1 + xmol/ L 1 + xmol/L3 – x3 – xDeterminaçãodo Q QK c222cc H CO CO H O = ⋅⋅ = ⋅⋅ = > [ ] [ ] [ ] [ ] 3 3 1 1 9 s paradiminuirQ c no sentido de igualara Kc, temque haverformaçãodos reagen e pois assimaumen ao denomina t s, t dor e diminuio valordeQ c. Portanto,atéatingiro equilíbrio, a rapide da reaçãoé maiorno sentido z deformar maisCO.b)K xxxc 2 22 CO H CO H O = ⋅ ⋅ = − ⋅ − + ⋅ [ ] [ ] [ ] [ ] ()()()(s 4 3 3 1 1+ x)2 31 2 31 2 22 = − + = − + ()()xxxxs2 + 2x= 3 – xs 3x= 1 s x= 13[CO] = [H2O] = 1 13 43 + = mol/Ls [CO 2] = [H2] = 3 13 83 − = mol/L24. a)0,00,2 0,40,60,81,0 Pressãoparcial(atm)COCl CO, Cl Tempo 2 2 b)K p p p llpCO C COC = ⋅ = ⋅ 0 35 0 35 0 65 0 19 , , , , H 22Capítulo 2 Deslocamento deequilíbrio químico Conexões 1. A reaçãoé exotérmica. 2. a)Quando o tuboé aquecido, pelareaçãodiretaserexotérmicae liberarcalor,o equilíbrio é deslocadoparaa esquerda,no sentidodeformaçãodaamônia(NH3).
    • b)Quando o tuboé resfriado,pela reaçãodiret serexoté mica liberar a r e calor,o equilíbrioé deslocadoparaa direita,no sentidodeformaçãodo hidróxidodeamônio(NH+ 4 + OH – ).Exercícios complementares9. A cerve aque estiver a 25 °C produzirá mais espuma, porque a tempera uramais elevada j tfavorece desloca e to o m n no sentidoendotér mico:CO 2(g)exotérmicoendotérmicoeoém oed xtri c nCO 2(aq.)Portanto,maisCO 2(g)seráproduzido,e a geraçãodeespu a m serámaior. 10. a) As tempera urasmais altas favorecemos processos endotér t micos — que absorvem calor.A situaçãoB é queapres t tem e a u a en a p r t r maisalt do queseconcluiqueo sentidoda a, produção da subs ânciaazulé endotér t mico. Podemosconcluir, dessaforma, que a reação absorv calorno sentidodireto. e b) Como Kc = [ ] [ ] produtosreagen e , tere t s mosum menorvalorparaa constan e t quando a concentraçãodereagen e queé rosa— foralta.I so t — s ocorreno siste a m C. 11. a)K AB A B Tc() 2 3 1 23 = ⋅ = ⋅ = [ ] [ ] [ ] s K AB A B Tc () 3 2 1 = ⋅ = ⋅ [ ] [ ] [ ] = 1,5 1 2 b)Pelosgráficos, nota- eque um aumen s tona tem e a u a p r t r favorecea produçãode AB. Como umaumen detem e to p raturaprivilegiao sentidoendotérmico,conclui- equea formaçãodeAB s é endotérmica.12. tO H S H O SO t μ (mol/L) 2 2 2 2 1Como Kc = [ ] [ ] [ ] [ ] H O SO H S O 2222222 ⋅⋅ 3 e o equilíbriofoi deslocadono sentidoda produçãodemaisH2S e O 2 (sentidoendotérmico),seuvalordever diminuir. á
    • 21. a)I:4HCl + 1O2(g)x 2H2O (g)+ 2Cl (g) 2(g) 4. aI 1CS2(g)+ 4H2(g)x 1CH4(g)+ 2H2S(g) I: PrincípiodeLeChatelier.b)Em ambosos casos, haverá umdesloca en m to 5. F – F – V – F no sentido da direita, uma vez que, nos I.(F)Diminuição da tem e a u adeslocao p r t r produtos, o volum gasoso é menor que e equilíbrio parao ladoexoté mico, ou sej r a, nosreagen e t s. nesse caso, para o lado dos reagen e t s, aumen andoasquantidade deCO e Cl2. t s22. c I . I(F)Se diminuirmosa quantidadede CO, oA redução de volum causa um desloca e to e m n equilíbrio se deslocano sentido de repor para o lado de menor volum gasoso. No e o CO retirado. casoA, o menorvolum gasosoé obtidocom e IV.(F)No equilíbrio,pode- eexpr s a [CO] s e s r: um desloca en m to para a direita. Mas, no = [Cl ] 2 caso B, ambosos ladosapres t m mesmo en a o volum gasoso,não havendodesloca en e m to. 6. a)No sistema a concentraçãodeCO 2(g) 2, é maior que no sis tem 1, portan a to a23. b reação de solubili aç z ão(terceirareação)O único fator, nesse caso, que alt r a e a estar mais deslocada no sentido de á constan ede equilíbrio é a tem e a u a. A t p r t r formaçãodeíonsCa2+ e HCO 3– . pressão não varia porque os volum s dos e b) A solubilidadede um gás em um líquido doisladosdareaçãosãoiguais. aumen a à me t dida que se diminui a24. e tem e a u a. Ainda, de acordo com o p r t rPelasinformaçõesdo enunciado e análisedos princípio de Le Chatelier,parao equilíbrio gráficos,conclui- - que: se repre en a por: CO 2(g)x CO 2(aq.)+ calor,a s t doXYZH ()()aq.saq. O+ xΔ () < diminuição da tem e a u a desloca o p r t rAnalisandoasalt rn ti a e a v s: equilíbrio para a direita, favorecendo aa)A reaçãodireta exoté mica. é r dissoluçãode CO 2(g) e, consequen e e t t m n e,b) No tem pot , as concentr 1 açõe de X e Z são s tamb m dissoluçãodo CaCO 3(s). é a iguais,masnão constan e t s. 7. bc)O acréscimodeY não deslocaequilíbrio, pois 2C5H6 s C 10H12 sólidotem concentraçãoconstan e. t A constan e c = [][]CHCH1012562= 3 t Kd)Catalisadornão deslocaequilíbrio. A situação da mistur pode ser avaliada, a calcul ando- eo quo s cientedo equilíbrio(Q):Tarefa proposta Q = [][][][]CHCH=dímeromonôm ero101256221. b Mistura1 s Q = 075050 ,(,)= 3 = Kc, portan 2 toUmareaçãoreversív l,emestadode equilíbrio, e mant r á assimindefinidam t desdeque e se- - en e, o siste a m estáemequilíbrio( ). x o siste anão sej pertu bado por fatore m a r s Mistura 2 s Q = 250100 ,(,) = 2,5 < Kc, 2 ext rnos. e portan o siste a to m tendea sedeslocarpara2. Calculando a concentração de amônia no a direita,ele andoo Q até valordeKc ( ). v o w equilíbrio: 8. b Na decomposição do éter, há formação dosKc322NHNH = ⋅[][][] s[]NH3= ⋅− 64104= 8,0 ∙ 10–2 mol∙ produtosgasososCH 4, CO e H2, aumen a t ndo 23 a press tota damistur ão l a. 9. a) O +HO 2(g)2e t r xo é micoendot r 2g2xtri c O 2(aq.) ( ) eoém  é mico( f ) L–1 OxigêniodissolvidoA velocidade média da reação, em relação à Como a dissolução do oxigênio é um amônia,é: processoexoté mico, elaseráfavorecida r média ⋅ΔΔ[]NH32 por tem e a u a mais baixas. Portanto, p r t r s haverámaisoxigênio dissolvidoemáguasavt = 10 °C. b) Como a pressãoatmosf ricaé maior no é lago que está na base da cordilheira, oAssim,o tempo,emminuto,podesercalculadoa equilíbrio seguir: OHO 2(g)21volumegasosoexotérmicoendo ∞ + tt ()g ΔΔ tv=⋅= ⋅⋅= ⋅⋅−− O Om o( q) v será ri c2a. 0 érmico2(aq.)0vol m g so u e a so deslocado para a direita, havendo, nessa região,maisoxigêniodissolvido. 4 [],,,,NH32801020108010201022média 1= −−= 4,0 ∙ 10–1 = 0,4 minuto3. F – V – V – VI. (F) Quando aumen a a concentr ão de t aç reagen e o equi íbrioé deslocadoparao t s, l lado dos produtos, portan too equilíbrio é deslocadoparaa direita.
    • 10. a) 3O2(g) 3 volum s e endotérmico exot mico ér g 3vlm e 2O3(g)2volumes ) oue  sO aume nto da temperatura favorece o processo (08) Incorr te a. O aumento da endotérmi co, facilitando a produ çã o de oz ô nio. tem e a u a p r t r favorece o sentidob) O aume nto da press ã o desloca o equilíbrio para o lado endotér mico. (16) Incorre a. Catalisadore não desloca t s m de m e nor volume gasoso, favorecendo a produ çã o equilíbrios. de oz ô nio. 17. b11. a) Pela tabela, nota- e que o aumento da s I.(F)Kc = [ ] [ ] produtosreagen e t s tem e a u a aumen p r t r ta a constan e de t Observamosna tabe al que, com o aumen to equilíbrio pelo desloca e to m n de da tem e a u a, o valor de Kc diminuiu; p r t r equilíbrioparao ladodos produtos,logo portanto, o aumen to da tem e a p r tura a reação diret (formação de etano) é a desloca o equilíbrio no sentido dos endotér mica.Nessecaso, a concentr ão aç reagen e ou sej sentidoendotér t s, a, mico. degásmetanodiminui.b) Catalisador não desloca equilíbrio, apenas CO (g)+ 3H2(g)CH 4(g)+ H2O (g)exo. endo. 4V2V diminui o tempoparaque o equilíbrio sej a I I(F) O aumen I. to de pressão desloca o alcançado, logo a concentração de H2(g) equilíbriono sentidodaformaçãodo CH 4. perm ec an e constan e. O t aumen to de 18. c press ão, nesse caso, não desloca o Experim to Y a 100 °C, sem cata en lisador s equilíbrio porque o núme ro de volu mes gráficoII gasososno ladodos reagen e é igualao t s O aumen to da tem e a u a favorece a p r t r núm ero de volum sgasosos no lado dos e reação endotérmica, acarre a t ndo um produtos. aumen daconcentr ãodeB e diminuindoa to aç12. d concentr ãodeA. açA adição de catalisadorsomen e t fazcom que o Experim to Z a 20 °C, com cata en lisador s equilíbrio sej atingido mais rapidam t a en e, gráficoI não deslocaesse equilíbrio. A adição do cata lisador não provocará13. d variação nas concen trações de A e B, simp e m n e irá diminuir o tem l s e t po para o 4HCl + O 2(g)_ 2H2O (g)+ 2Cl 1 5V 4V2 (g) 2(g) estab l ci e to e e m n do equilíbrio. a direitaa) (F) Aumentando- se a press ã o, desloca-se o equilíbrio para 19. e (sen tido1). Paraequilíbrio:b) (F) Aumen ando- e a concentração de Cl2, t s desloca e o equilíbrio para a esquerda s - 2NO 2(g)x N2(g)+ 2O2(g) ⋅ () (sen tido2). ()c)(F)Catalisadornão deslocao equilíbrio.d) (V) Se a concentração de O 2 diminuir, o A expr s ão e s deKp é: K p p p pN O 2 2 2 NO = 22 equilíbrio se desloca para a esquerda (sen tido2).e) (F) Diminuir a pressão desloca o equilíbrio paraa es querda. A adição de cata lisador não desloca o14. a) Nesse caso, para cada um mol de CO, equilíbrio. forma se3 moldeH2. m- A expr s ãoda velocidadeda reação diret e s a [ ] [H2] [CH4] [CO] Tempo é: v = k ∙ [NO2]2 (admitindoreaçãoele en a ) m t r.b) A adição de catalisador acel r a reação, e a O equilíbrio fornecido é homogêneo, porque mas não alt r a concentração de CO, e a todos os compo nente estão no mes s mo assim: estadofísico. [ ] [CO] Sem catalisadorCom catalisadorTempo 5 c) Como a reação diret é endotér a mica, o aumen to da tem ep ratura desloca o equilíbrioparao ladodosprodutos. 15. a Se a mistur de gases é comprimida, há a aumen tode pressão, portantodesloca e o s - equilíbrioparao ladodemenorvolum e. Analisandoasmistur s:a I.2V = 2V Portanto,não sedesloca. I 4Vreag.x 2Vprod. I. Portanto,desloca eparaa direita. s - II I 2V = 2V . Portanto,não sedesloca. V. Vreag.x 2Vprod. Portanto,desloca eparaa esquerda. s - 16. Soma= 37 (01+ 04 + 32) (02)Incorr t É exoté mica,poisΔ H < 0. e a. r
    • 22 3 NO N +2O 2(g) 2(g) 2(g) V V x s deslocaparao lado de menosvolum nesse e, quandoseaumen a pressão,o equilíbriose t a caso, ladodosreagen e t s.20. Somente e 4. 2 Q c = 0,75A elevação da temperatura desloca o equilíbrio da V. (V) Sendo Q c < Kc, o siste a não está em m reaçãoI no sentidodosreagen e portan t s, to equilíbrio: para o sis tema atingir o diminuindo a formação de reagen e para a t s equilíbrio, o valorde Q c temqueaumen at r, reação I e, consequen e e t a produção I t m n e, ou sej a reação ocorreráno sentido da a, deácidonítrico. formaçãodos produtos(daesquerdaparaA redução da pressão desloca o equilíbrio no a direita atéatingiro equilíbrioquímico. ) sentidodemaiorvolum portan a reaçãoI e, to 24. Recipiente o equilíbrioé atingido porque I: fica deslocadapara o lado dos reagen e t s, a pressãode C no reci ienteIé menorque a p tamb m diminuindo a produção de ácido é pressão de C no equilíbrio; então a nítrico. subs ânciaA serátrans t for ad emB e C até m a21. Fator 1. De acordo com o princípio de Le quea press deC sej p eq.) ão a (C, . Chate lier, quanto mais reagen e fort C(g)A p(C, I) < p(C, eq.) Recipiente I (s) adicionado, maisdeledeveráserconsumido. Recipient I : o equilíbrio será atingido e I Nesse caso, introdu zindo- e mais O 2, o s porqueocorrea reaçãoA(s)+ B(s)+ C (g) então ; desloca e to para a direita — sentido da m n a subst ância A (sólido) irá produzir mais B combus ão seráfavorecido. t — (sólido)e C (gás atéque a press ) ãode C sej aFator 2. De acordo com o princípio de Le p eq.) (C, . Chate lier, quando um produto é retirado, A + B(s)p(C, II) = 0 Recipiente II (s) ele dever ser repos á to. A baixa umidade Recipient I I equilíbrio não será atingido e I: o rela tiv do ar indica pequena pres a ença de porquea press ãode C (p I I deveriadiminuir, ) (C, I ) H2O (v) O equilíbrio, então, tende a produzir . o queé impossíve pornão haver subs ância l a t H2O (v) sofrendo um desloca en , m to para a B (sólida no recipient ) e. direita,queé o sentidodacombus ão.t C(g)A p(C, III) > > > p(C, eq.) Recipiente III (s)22. Kc = [ ] [ ] H O H22 4 4 Recipient IV: o equilíbrio será atingido ea) A adição de H2 farácom que uma part dele e porquea press ãode C no recipien eé maior t sej consumida, deslocando o equilíbrio a que a sua pressãono equilíbrio; C irá reagir paraa direita (reaçãodireta). com B sólido, produzindo a subs ância A tb) A adição de um sólido não alt r a e a (sólida). concentração de nenhumparticipan edo t C(g)B(s)p(C, IV)> p(C, eq.) Recipiente IV siste a em equilíbrio, não havendo, por m - tanto,nenhum desloca en m to. Capítulo 3 Equilíbrios iônicosc) Catalisadore apenas faz m com que o s e equilíbrio sej atin a gido em menos tem po, Conexões sem,contudo,deslocá o.l - Os principaisfatore que podeminfluenciar s23. F – F – V – V – V emumaanálise volum té ricasão: 1. pH dassoluções envolvidas; SO 2(g)+ NO 2(g)NO (g)+ SO 3(g)2V 2V Kc = 85 2. tem e a u a p r t r deanálise; 3. preparodassoluções;I.(F)A variação de pressãonão irá deslocaro 4. escolha do indicador; equilíbrio. 5. equipa en s m to usadosnaanálise;I .(F) Alter I ando- e a tem e a u a, alt r se a s p r t r e a- 6. cuidadosoperacionais. constan e t deequilíbrio. Maiores informações podem ser obtidas noI I [ ] , , NO mol/L= = 0 1 5 0 02 I (V) . artigo da revist Química Nova na Escola, a[] SO = 0,1 5 = 0,02 mol/L2 disponíveisno sitehttp://qnesc.sbq.org.br/ online/qnesc17/a07.pdf(aces soem 30 jun. ⋅ ⋅ = = = ⋅ ⋅ [][][][], , , 2011).IV.(V)Q c 32 2 SO NO SO NO = 6 0 15 5 0 02 0 02 0, ,, 2 5 0 0006 0 0008 34 = =
    • Exercícios complementares 23. a) O cianeto de sódio é um sal que sofre hidrólisebásica, jáque o íon cianeto(CN– )9. c é derivado de um ácido fraco (o sódio éQuantomaioro valordeKb, maisforte a base; é originado de base forte — NaOH — e não portan to, o hidróxido de meti al mônio é a sofre hidrólise Veja: ). base mais forte e Zn(OH) , a base mais 2(aq.) fraca. CN – + H + HCN H+ + OH – Meio básico Fenolftaleína vermelha H2O CN – + H2O HCN + OH –10. d b) O clore tode amônio é um salque sofreSabendo- eque: s hidróliseácida, jáque o íon amônio ()NH 4+ Ácido fracoBase fracaÁcido forteBase forte HCN + H2O H3O + + CN – é derivadode umabasefraca(o clore toé originado de ácido forte — e não sofre HNO 2 + H2O H3O + + NO 2– Ácido forte Base forteÁcido fracoBase fraca hidrólise Veja: ).e quetodoácido forte tem umabaseconjugada NH 4 + OH – NH 4OH H+ + OH – Meio ácido Fenolftaleína incolor H2O fraca,e vice- versa,peloesque a - m anterioro NH 4 + H2O NH 4OH + H+ + + ácidoHNO 2 é maisforte queo ácidoHCN. 24. • NaH3CCOO (sofrehidrólisebásica)11. O limão apresenta características ácidas (pres nçade ácido cítrico). I sodesloca o e s H3CCOO – + H + H3CCOOH H+ + OH – Meio básico H2O equilíbrio da metil mina para a direita, por a H3CCOO – + H2O H3CCOOH + OH – causado consumo dos íons OH – pelosíons H+ vindos do limão. Resul at do: a • K2SO4 concentração da metil mina diminui e, com a Não sofre hidrólise, pois é originado de ela,o cheirodepeixe. dois ele ró tos forte KOH e H2SO 4. A t li s: suasoluçãoaquosaé neutr a.12. dSe acrescen a m sOH – , por efeitodo íon não t r o • NH 4Br (sofrehidróliseácida) comum,tere mo a reação: s NH 4 + OH – NH 4OH H+ + OH – Meio ácido H2O NH 4 + H2OH3O + + OH – x 2H2O H+ + NH 4OH + +que diminuirá a concentr ão de H3O + , aç • Na2CO 3 (sofrehidrólisebásica) deslocando o equilíbrio para a direita, aumen andoa concentraçãodeS2– . t CO 3 + H + HCO 3 H+ + OH – Meio básico H2O CO 3 + H2O21. e HCO 3 + OH – 2– –2 – –De acordo com o enunciado: “[…] quando o pH • NaCN (sofr hidrólise e básica) sanguíneo sobe acima do norma […] é l chamada dealcalos [… ]” e CN – + H + HCN H+ + OH – Meio básico H2O CN – + H2O HCN + OH –Então, alcalos s alt [OH– ] (>10 mol/L) e e a –7 baixa[H+ ] (<10 mol/L) altopH e baixopOH. –7 s Tarefa proposta22. V – F – V – V – F 1. aI (F)Se [H+ ] > 1 ⋅ 10–7 mol/Ls pH < 7 O maiorvalorde Ka indicao ácido maisforte. I. Como todos são monoácidos (apr s t m e en a apenas um hidrogênio ionizáv l a maior e ), concentr ão de H3O + (H ) será o ácido aç + fluorídrico(maiorKa).Se [H+ ] < 1 ⋅ 10–7 mol/Ls pH > 7 2. b Parconjugado Parconjugado HClO4 + H2SO 4 H3SO 4 + ClO4 Ácido Base Ácido Base + – 7V. (F) A [H+ ] aumen a, como pH = –log [H+ ] t so valordepH diminui.
    • 3. d Para a intensidade da cor aumen a t r, oa)+ H — N — H + OH – HH H — N — H + H — OH H Base equilíbrio dever ser deslocado para a á Ácido direita, o que serápossíve com a adição de l amônia (NH3), que retiraH+ de acordo com a seguinteequação:NH + H+ 3 x NH 4+ 12. db)H — N — H + Na+ OH – H Na+ NH 2 + H — OH BaseÁcido – Lembrando que, quanto maior o valorde Ka, mais forteserá o ácido e menor o valor de pH, então:c) Na2 CO 3 + H+ — OH – Na+ HCO 3 + Na+ OH – BaseÁcido 2– + – I - D; II - B; III - E; IV - A; V - C > Ka < pH 13. cd)Mg + 6H — O — H [Mg(H O)6 ]2+ BaseÁcido 2+ 2 I.(F)Se pH = 9, a alt concentr ãodeOH – a aç (10 mol/L) –5 provocadesloca en parao m to ladodaminera z çli a ão.4. e I . (F) A solução de NaCl não desloca ICálculodeα: Ka = α 2 · μ equilíbrio.2,5 · 10–4 = α 2 · 0,1 s α2 = 25 · 10–4 s α = 5 · 10–2 s α = 5% 14. eHNO 2 x H+ + NO 2– Como NaOH é baseforte α = 100%, então: s0,1 molHNO 2/L s 0,1 molH+ /L 100% NaOH Na + OH s H O = 100% aq. + aq. – 2 ()()()a a )()() a q[H+ ] 5% 1 mol1 mol[H+ ] = 5 · 10–3 mol/L 0,1 mol/L[OH– ] [OH– ] = 10–1 mol/L5. Pelatabela,temosque o H2SO4 é mais forte Como: pOH = –log [OH– ] s pOH = –log 10–1 s queo HF, então: pOH = 1 Lembrandoque: pH + pOH = 14 s pH + 1 = 14 s Ácido Base Ácido Base H2SO 4 + HF H2F+ + HSO 4 Parconjugado Parconjugado – pH = 136. aO S2– recebe um H+ , por isso é uma base de Brönsted owry e doa par de elé rons, L - t 15. V – V – V – F I.Correto.Kw = [H+ ] · [OH– ] = (1,00 · 10–7 ) = 2 sendo,portan to,base deLewis. 1,00 · 10–14 mol /L 2 27. A adição de substância básica retira H+ do I . Correto. A I formação de maior equilíbrio a partirda seguint equação: H+ + e concentração iônica (1,50 · 10–7 > 1,00 · OH – x H2O 10–7 ) indicaumaautoionizaçãomaisintensadiminuindo sua concentração e deslocando o daágua. equilíbrioparaa direita. II I Correto.Kw = [H+ ] · [OH– ] = (1,50· 10–7 ) = . 28. a 2,25 · 10–14 mol /L 2 2A adição de um íon comum () NH 4+ desloca o IV.Incorre to.Águapura,a 37 °C, continua equilíbrioparaa direita,no sentidodo Na+ . sendoneutr pois:[H+ ] = [OH– ] a,9. a)Pelo gráfico, a 10 °C, a soluçãosaturada 16. Ácido cítricox H+ + citrato– de CO 2 apres t 0,22 g de CO 2 em100 mL en a 0,2 mol/L0,2 mol/L100% deágua,então: [H+ ] 0,2%0,22 g CO 2 100 mL [H+ ] = 4 · 10–4m1.000 mL(1L) pH = –log 4 · 10–4 s –pH = log4 + log10–4m= 2,2 g deCO 2 –pH = 0,6 + (–4) = 3,4 s pH = 3,4Sabendoque: 1 molCO 2 44 g 17. aμ 2,2 g/L Fazendo- ea diluição: sμ = 0,05 mol/L InicialFinalb) Com o aumen to da tem e a u a, a p r t r μ = 10–4 mol/Lμ = x concentração de CO 2 no siste adiminui, m V = 10 mLV = 100 mL deslocando o equilíbrio paraa esquerda. μ1 ⋅ V1 = μf ⋅ Vf s 10–4 ⋅ 10 = μf ⋅ 100 s μf = 10–5 Como consequência, a concentr ão de aç H+ diminui, aumen tandoo pH do meio. 10. b A adição de ácido desloca o equilíbrio químicoparaa direita(LeChatelie ). r mol/L 11. e 8
    • Como NaOH é baseforte,α = 100%. Capítulo 4 Soluções- tampão / ProdutoNaOH wNa+ + OH –1 mol1 mol desolubilidade10–5 mol/LμOH – s μOH – = 10–5 mol/L ConexõesSabendo que: pOH = –log [OH– ] s pOH = –log 10–5 a)Sim. A equaçãodo equilíbriopodeser:pOH = 5 e pH = 9 H2O + H2O doaH+ doaH+ OH – + H3O + Base Base Ácido Ácido b) Sim. Observ que tantono equilíbrio do e18. a)pH = 3 wpOH = 11 (pH+ pOH = 14) ânion bicarbona to como no equilíbrio do[OH– ] = 10–11 mol/L ânion hidrogenossu f t l a o a água seb)pH = 4 s [H+ ] = 10– 4 mol/L comport como ácido ou como base, ac) O leit de magnésia, que apres t pH mais e en a dependendodo meio. alto.d)Não, poisa fenolf a e a incolorempH < 8. t l ín é Exercícios complementares O sucodelaran a, j depH = 4,0, conferiráà 9. a fenolf a eínatonalidadeincolor, já que t l Como o sangue não sofre variações 4 < 8. Mas isso não garant que o suco e acentu a de pH, podemos classificá o ad s l - sej ácido, pois a acidezocorreempH < 7, a comosolução- amp t ão. e o uso da fenolf a e a apenas nos t l ín permi tiu concluir que o pH do suco é 10. d Para formar mossolução- amp t ãocom pH < 7 menorque8. (meio ácido), dever mo ter solução com e s19. d ácido fraco e sal provenien e do mesmo tPeloesque a: m ácidofraco. 123 3 Vermelho IntersecçãoVioletaAmareloVermelho Verde AmareloVerde AmareloAzul3,8 5 5,4 6 7,6 11. dA intersecçãoestáentre5,4 e 6,0. A dissolução do CaCl2 aumen a a t tem e a u a p r t r do ambient logo, a dissolução e;20. d liberacalor:exot mica. érNaH3CCOO: sofre hidrólise do ânion, A dissoluçãodeKCl diminuia tem e a u a p r t r do originandosoluçãobásica. siste a; logo, a dissolução absorve calor: mNH 4Cl: sofre hidrólise do cátion, originando endotér mica. soluçãoácida.NH 4H3CCOO: sofre hidrólise dos dois, 12.a) Pela tabe a, quanto maior a l originando solução neutr a, pois a tem e a u a, menor o coefi iente de p r t r c constan et do ácidoé igualà dabase. solubilidade; logo, curva descenden e s t21. e dissoluçãoexot mica. érA constan e t de ionizaçãoda baseé maiorque a b) A equação é: 2H3C 6H5O 7 + 3Li CO 3 2 w do ácidos pH leve e t básico. m n e 2Li C 6H5O 7 + 3H2O + 3CO 2 322. Soma= 3 (01+ 02) 21. Equação de equilíbrio da dissolução do(04)Incorreto.O CaCO 3 sofrehidrólisebásica, fosfa decálcioe expr s ão to e s do Kps: ⋅ gerandopH > 7.(08)Incorreto.As soluçõesde ácido sulf rico ú apres t m en a Ca PO Ca PO (s)aq. 2+ aq. 3 3 42 4 3 2 ()()()x + − Kps3CaPO=[] [] H= 2 SO + 42– ⋅ , poisH SO 1SO 2 4 42– x + 2H+ . + − [][]23 4 2(16) Incorr to. A redução da acidez provoca e Parahaverprecipitação:[] [] Ca PO 3 ps2 3 4 2 + − ⋅> aumen no pH. to23. cCaso I a urina deveseralca s linizad portan a, to K deve e escolherum salque sofrahidrólise s - Como [Ca ] = 2 · 10–3 mol/L, a [] PO3 4− para 2+ básica (sal derivado de base forte e ácido haverprecipitaçãodever sersuperiora: á ⋅= ⋅⋅ fraco) melhore opções:NaHCO 3 e Na2CO 3 s sCaso I s a urina deveser acidificada, portan I to [] [] ()[] Ca PO PO 3 3 2 3 4 2 25 33 4 2 1102 1011+ − − − − deve e escolherum salque sofrahidrólise s - ácida (sal derivado de ácido forte e base fraca s NH 4Cl ) ⋅ = ⋅ s 025−s24. dI.PerdadeCO 2 s desloca e to m n paraa esquerdas diminui[H+ ] s pH aumen a. t I . Aument [CO 2] I a s deslocamento para a direita aumen a + ] s pH diminui. s t [H I I NaHCO 3 sofre hidrólise básica I. s pH aumen a t
    • [] PO3 4− H 0,35 ∙ 10–8 mol/Ls s [] [] , POPO 3 3 4 2 25 9 42 16 1 10 8 10 0 125 10 − −− − − = ⋅ Assim, acima dessa concentração ocorrerá precipitação. 9 ⋅= ⋅
    • 22. d Tampãoácido s ácido fraco + salcom ânion deA substância mais indicada será aquel que a ácidofraco formao compostomenossol v l,ou sej o ú e a, Tampãobásico s basefraca+ salcom cátion de PbCrO4, porquepossuio menorvalorde Kps . basefraca Das alt rn ti a o sal que produzirá o e a v s, Nessecaso: NH 4Cl + NH 4OH PbCrO4 é o K2CrO4. 2. e23. A equaçãodo equilíbrioé: A adição de íons bicarbonatoe o aumentodeAgCl + 2NH3(aq.)x[Ag(NH)]C (s) 3aq.aq.2() )+−+l ( CO 2 desloca m o equilíbrio segundo LeConsiderando o consumo de 0,3 mol/L de NH 3 Chate lier. para a formação de 1,5 · 10–1 mol/L do íon 3. a)HCN x H+ + CN – compl xo, a solubilidade do AgCl é e Início: 0,25 — — pratica en ea mes a solubilidade quando m t m Proporção:–x +x +x [NH3] = 3 mol/L. Equilíbrio: (0,25– x)+x +xEntão, tere mos: [Ag(NH ) ]+ = [Cl ] = 1,5 · 10–1 3 2 – Como pH = 5,0 w x = [H+ ] = [CN– ] = 10–5 e mol/L [HCN] = 0,25 mol/LNa solução aquosa de AgCl, satur a, com ad Assim: corpodefundo,semNH 3, o equilíbrioserá:AgCAgCaq.aq.ll,()()+−− + ⋅1310 1310 ,⋅− x 5 5 KaHCNHCN0,25= ⋅= ⋅= +−−−− [][][]() (),1010100255510 Ka = 4 · 10 s –10Como Kps= [Ag ] ∙ [Cl ] = (1,3 · 10–5 )∙ (1,3 · 10–5 )= + – 1,69 · 10–10 e lembr ando que os equilíbrios b)Com a adiçãodeNaCN, temos: sãosimul â eos: t n [HCN] H 0,25 mol/LKps= [Ag ] ∙ [Cl ] s 1,69 · 10–10 = [Ag ] ∙ (1,5 · 10–1 )s + – + [CN– ] H 0,35 mol/Ls Ag+ = 1,13 · 10–9 mol/L Assim:24. a)Cálculodaconcentraçãodeíon Hg2+ : KaHCNHCNH0,25= ⋅⋅= ⋅+ − − + [][][][][,]() 410035 ssA equação é: HgSHgSmo saq.2+aq.2() ) x+ −xll/d mo / (( ) m l dm x 33 s 10A expr s ão e s do Kpsé: Kps= [Hg2+ ] · [S2– ] s 9 ∙ 10–52 = s [H+ ] = 41002528610 ⋅⋅⋅−− (,)() x∙ xs s x= ⋅− 910 1010 ,0,35H mol/L 52x= 3 ∙ 10–26 mol/dm 3 Aplicandoo logaritmoe multiplicandoporComo 1 molde íons Hg2+ corres pondea 6 ∙ 1023 (–1): íons, tere mos: –log [H+ ] = –log 2,86 – log 10–10 s pH = –3 ∙ 10–26 ∙ 6 ∙ 1023 íons1 dm 3 0,46 + 10 s pH = 9,541 íon x 4. ax= 55,5 dm 3 As soluções amp t - ão têm como finalidadeO volum de água necess rio para encontra e á r mant r pH do meio constan e,mes e o t mocom a umíon é 55 dm . 3 adiçãodepequenasquantidade de ácidosou sb) A solubilidadedo HgS, em água, é iguala 3 ∙ bases. 10–26 mol/dm. 3Cálculo da quantidade de mat ria que se é 5. a dissolv no volum de água exist t na e e en e H3CCOOH (aq.)x H+ (aq.)+ HCCOO 3(aq.)– Terra: NaHCCOO +3(s)–HO 2 2 (aq.)+ + HCCOO 3(aq.)– →22Na3 ∙ 10–26 moldeHgS 1 dm 3 A adição de aceta to de sódio aumen a a tx1,4 ∙ 1021 dm 3 concentr ão de H3CCOO – , deslocando o açx= 4,2 ∙ 10–5 moldeHgS equilíbrio do ácido acético paraa es querda,Esse volum de água é insuficient para e e diminuindo a concentr ão de íons H+ e aç solubili a 1 moldeHgS. z r aumen at ndoo pH dasolução.Sabemos que:3 ∙ 10–26 moldeHgS 1 dm 3 6. F – V – V – V1 moldeHgS V I. (F) Os dois ácidos possue somen eum m tV = 3,33 ∙ 1025 dm 3 hidrogênio ionizáv l e, por possuíre a e mO volum de água necess rio paradissolv r1 e á e mes aconcentr ão e o mes m aç mo volum a e moldeHgS seriamaiordo queo disponíve l ser neutr li a a z do, irão consumir a mes a m naTerra. quantidade deNaOH na titu aç l ão. 7. dTarefa proposta I.(F)Ácido acéticoé umácido fraco(α < 5%) e, portanto,emsoluçãoaquosa0,10 mol/1. d L, encontra e pouco ionizado e terá pH s -As soluções am ão t - p sãofornecidaspor: maiorque1.
    • I . (V) Após a adição das primeira I s II I (V)O pontode equiva ênciana titu aç . l l ãoquantidade s de base, o ácido já se de um ácido fraco por uma base fort eencontra parcial e t neutr li a m n e a z do, e a ocorre em pH acima de 7, por causa dasolução resu tant é um tam ão, que l e p hidrólisedo âniondeácido fraco.deixará de existir quando ocorrer o 10“salto” depH.
    • 8. d b)Kps = [Ca ] · [F ]2 s 1,5 · 10–10 = [Ca ] · (5 · 2+ – 2+Não haveráprecipitação,pois, de acordo com a 10–5 ) ss 1,5 · 10–10 = [Ca ] · 25 · 10–10 s [Ca ] 2 2+ 2+ tabe a, solubi idade l a l do Li2CO 3 aumen a t com 1010 ⋅⋅−− a diminuiçãodatem e a u a. p r t r9. b = 15102510 , ss[Ca2+ ] = 0,06 s [Ca2+ ] = 6Como há umresfria e tona solução, a reação m n é endotér mica, e a solubilidade do NH4Cl aumen a t como aumen datem e to p ratura. · 10–2 mol/L10. a 17. dSoment a tem e a u a alt r o valor da e p r t r e a AgCAgCmol/LsHOaq.+aq. llS ) ()(2 constan e t deequilí rio. b ( ( q+a. Lmol/Lmol/LSS ())). q −11. cAgCl Kps= [Ag ] · [Cl ] + –Kps= [Ag ] ∙ [Cl ] s 1,5 ∙ 10–10 = [Ag ] ∙ 10–2 + – + s Kps= S · Ss [Ag ] = 1,5 ∙ 10–8 + Kps= S2 s SK=()psAg2CrO4Kps= [Ag ]2 ∙ []CrO42− s 1,0 ∙ 10–12 = [Ag ]2 ∙ 10–2 + + s 18. Soma= 11 (01+ 02 + 08)s [Ag ] = 1,0 ∙ 10–5 + AgCAgCsHOaq.+aq. ll ()(( ( ( +a. ( () ) ) ) ) 2 q −AgI A adição de HCl ao equilíbrio aumen a a tKps= [Ag ] ∙ [ – ] s 8,0 ∙ 10–17 = [Ag ] ∙ 10–2 + I + s concentração molar do Cl– deslocando os [Ag ] = 8,0 ∙ 10–15 + equilíbrio para a esquerda, precipitando AgCl .(s)AgBr (04) (F) O único fator que alt r a e aKps= [Ag ] ∙ [Br ] s 7,0 ∙ 10–13 = [Ag ] ∙ 10–2 s [Ag ] = + – + + constan edo produtode solubilidadeé t 7,0 ∙ 10–11 a tem e a u a. p r t rPortanto,a ordemde precipitaçãoserádo que (16)(F)A adiçãode HCl(aq.)alt r o pH do e a precisa da menor quantidadede Ag+ para o meio e a concentração de AgCl, pois o queprecisa demaiorquantidade: equílibrio é deslocado pelaação do íonAg AgBr, AgCl, Ag2CrO4 I, comum.12. a)BaCO3(aq.)+ CaSO4(aq.)wBaSO4(s)+ CaCO 3(s) 19. A partir das concentraçõesna soluçãob)Kps= [Ba ] ∙ [CO32– ] = (5,0 ∙ 10–5 ) = 2,5 ∙ 10–9 2+ 2 sobrenadan e, t vamos deter minar os produtos iônicos:13. a)BaSOBaSOaq.aq.aq.4242()()() +− + x AgCl: [Ag ] · [Cl ] = 1,0 · 10–3 · 1,6 · 10–7 = 1,6 · + – 10–10 = Kps(soluçãosatur a ad ) BaSO= ⋅+ − [][] Ag2SO 4: [Ag ]2 · []SO42− = (1,0 · 10–3 ) · 1,0 · 10–1 + 2b)Kps 242 = = 1,0 · 10–6 · 1,0 · 10–1 = 1,0 · 10–7 < Kps (soluçãoinsaturad ) a Portanto,o precipitadoformadoé deAgCl.c)BaSO4(s)x Baaq.()2+ + SO aq.42()− 20. b HgSHgSsHOaq.+aq.2()()() ) ) ) ((( a. 22+ − xxx q1,0 · 10–5 mol/L1,0 · 10–5 mol/L1,0 · 10–5 mol/LKps= (1,0 · 10–5 )· (1,0 · 10–5 )= 1,0 · 10–10 Kps= [Hg2+ ] ∙ [S2– ] s 10–54 = x2 x= 10–27 mol/L )14. a)MgOHMgOHsaq.aq.( + + −22 2()()(xSSS2 ) 1 molHg2+ 1024 íons 10–27 mol/LxKps= [Mg ] · [OH– ]2 s S · (2S) = 4 · 10–12 s 2+ 2 x= 10–3 íons/L 10–3 íons1 Ls 4S3 = 4 · 10–12 s S3 = 10–12 s S = 10–4 mol/L 1 íon yb)Mg(OH) + 2HCl x MgCl + 2H2O 2 2 y=− 110 = 103 ou 1.000 L 315. b 11AgCAgCsHOaq.+aq. ll )() ) ) ) qH 2 ()( ( ( ( +a. −Kps= [Ag ] · [Cl ] + –1,8 · 10–10 = [Ag ] · 0,1 +[],, Ag+ − − − = ⋅= ⋅18101018101019mol/L Observação: Não é necess rio somar a á quantidadede Cl– dissolvido do AgCl com a quantidade de Cl– adicionado pelo NaCl, poisesta despr zí e é e v l. 16. a)CaFCaF 2 ( ()+− saq.aq.22 () ) x + Kps= [Ca ] · [F ]2 = 1,5 · 10–10 2+ – [Ca ] · [F ]2 = 2 · 10–4 · (5 · 10–5 ) = 2 · 10–4 · 2+ – 2 25 · 10–10 = = 5 · 10–13 < Kps Portanto,não ocorrerá precipitação.
    • 21. a)BaSOBaSOsaq.aq.4242()()() +− + SSS xKps = [Ba ] · []SO42− = 1,6 · 10–9 s S2 = 1,6 · 10–9 2+ ss S = 4 · 10–5 mol/L
    • Assim: [Ba 2+ ] = 4 · 10 –5 mol/Lb) A adiçã o de K 2 SO 4 desloca o equilíbrio de dissolu çã o do BaSO 4 para a esquerda, di minuin do a concentração de íons Ba 2+ , prejudiciais à saú de.22. d[Pb ] · [ – ]2 = Kps soluçãosatur a. 2+ I : ad[Pb ] · [ – ]2 > Kps ocorrerá 2+ I : precipitação(sist m heterogên e a eo).[Pb ] · [ – ]2 < Kps soluçãoinsatur a. 2+ I : ad23. dMg(OH) x Mg 2(s) aq.()2+ + 2OHaq.()–10–4 mol/L10–4 mol/L2 · 10–4 mol/LKps= [Mg ] · [OH– ]2 s Kps= 10–4 · (2· 10–4 ) s 2+ 2s Kps= 10–4 · 4 · 10–8 = 4 · 10–12 24. d Soluçãosaturadado CaSO4:CaSOCaSOsaq.aq.4242()()() +− + xxx x Kps= [Ca ] · []SO42− 2+ 1,0 · 10–4 = x· x x= 1,0 · 10–2 mol/Ls []SO42− = 1,0 · 10–2 mol/L NumasoluçãosaturadadePbSO4, temos: PbSOPbSOsaq.aq.4242()()()+− + e dispomosde[]SO42− = 1,0 · 10–2 mol/L x Como Kps= [Pb ] · []SO42− 2+ 1,0 · 10–8 = [Pb ] · 1,0 · 10–2 2+ [Pb ] = 10101010 ,,⋅⋅−− = 1,0 ∙ 10–6 mol/L 2+ 82 Assim,tere mos umasoluçãosatur a ad dePbSO4 no vinho, quando: [Pb ] = 1,0 · 10–6 mol/L 2+12