Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
341
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. química equilíbrio nas reações químicas 1Capítulo 1Equilíbrio químicoConexõesEletrólis daáguaprovenien e e t do aratmos é f rico:2H2O w2H2 + O 22N2 + 6H2 w4NH3 (N provenien e 2 t do aratmos é f rico)4NH3 + 7O2 w4NO 2 + 6H2OSíntes do ácidonítrico: 2NO 2 + 1H2O e wHNO 3 + HNO 2Exercícios complementares9. a)Kc222HCOHOCO = ⋅⋅[][][][]Kpppp pHCOHOCO = ⋅⋅ 222b)Kc22NONOO = ⋅[][][] Kppp 22 pNONOO = 22 ) ⋅( ( () ) 22c)Kc22COHHO = ⋅[][][]KppppCOHHO = 22 ⋅d)Kl AHH= ⋅+ + [] [][] c2 3236 KppH = 2 () 310. a)A equaçãoé: Zn + 2HCl wZnCl + H2 0 2ou naforma iônica: Zn + 2H+ wZn + H2 0 2+b) Não ocorre equilíbrio, pois, nessecaso, há formação de gás hidrogênio, e de acordo com o enunciado o siste aestá aber m to, impedindo que aconteça a reação inversa por causa do escap do gáshidrogênio. ec)Pelaequaçãoiônica:Zn2HZns0aq.20reagen e ( ((0e w t s)) ⋅ H + H aaq.2+g0produtos )()− H 1542Δ H = Σ Hprod.– Σ Hreag.ss ΔH = [(–154)]– [(0)]ss ΔH = –154 kJ11. bKpreq.produtosr ag t s=[][]quantomaioro valordeKeq., maisdeslocadoo equilíbrioestar parao e en e á ladodosprodutos.12. dEquilíbrios homogêneos são aquel sem que reagen e e produtos apres t muma única fase; e t s en a portan to,sãoos equilí riosI IV. b e 21. e
  • 2. Parao equilíbrio, a expr s ão e s deKp será:KppppNONO = ⋅() 2 22 Sabendoquep = 0,8 atm,p = 2 atm p = 1 atm,tere N O2 e NO 2 mos: Kp= ⋅(),1082 s Kp = 0,625 2 22. a)Kc = [CO 2] ∙ [H2O] b)KpppCOHO = ⋅=025, 22 De acordocoma equação,perceb mo que, paracadamolde CO 2 formado,tamb m formado e s é é ummolde H2O. Portanto, asquantidade deCO 2 e H2O formada na decomposiçãodo NaHCO 3 s s sãoiguais. Então:ppCOHO = 22 Substituindonaexpr s ão e s do Kp, temos:pppCOCOHO atm 202505 222 ) (== =, ,s 23. a) Como Keq.produtosreagentes=[][] e a 200 ºC Keq. = 0,68, ou seja, é menor que 1, a concentraçãodosreagen e é maiorquea concentr ãodosprodutos;logo, no equilíbrioa t s aç 200 ºC predomina os reagen e m t s. b) Paraque a concentraçãodos reagen e sej igualà dos pro t s a dutos, temosque terKc H 1; logo, pelatabe a, tem e a u a l a p r t r maispróximadessaconduçãoé 300 ºC. 24. F – F – V – F – V N 2O 4(g)x 2NO 2(g)Kc = 1,0 QppcNONO = 2 ) (== 22 24 1212() c < Kc s preva e e reaçãodiret ) (Q l c a a Tarefa proposta 1. c I (F)A velocidade I. dareaçãodiret a princípioé alt a a. 2. Soma= 26 (02+ 08 + 16)(01)(F)Podeserqualquer tem e a u a. p r t r(04)(F)Podehaver atétrês fases. 3. e No equilíbriocoexist m e todasasespéciesdareaçãoquímica. 4. b Paraqueocorraequilíbrio,o siste a m dever serfechado. á 5. d A velocidadeda reação diret (v ) vai diminuindo ao mesmotem a 1 poque a velocidadeda reação invers (v )vaiaumen a a 2 t ndo,atéseratingidoo equilíbrio,emqueasduasvelocidade seiguala s m.
  • 3. 26. aA velocidade da formação do composto volá l depende da velo ti cidade de decomposição do compostonão volá l.Como temosumequilíbrioquímico, a concentr ãode aldeído(compos ti aç to volá l aumen a áaté atingir o equilíbrio, a partir do qual sua concentração passa a ser ti ) t r constan e. t7. aComo a expr s ão prc e s K produtosr ag t s=[][],tere e en e mos:Kc22HIH ⋅[][][] I= 28. aNo equilíbrio, as velocidadesdas reações diret e indiret são iguais e as concentr a a açõe dos s participan e (reagen e e produtos perm ec m t s t s ) an e constan e t s.9. aComo a expr s ão prc e s K produtosr ag t s=[][],tere e en e mos:2NO 2(g)x 2NO (g)+ O 2(g)10. eNo cálculodeKc não participa sólidos,poissuasconcentrações m sãoconstan e t s.11. eSe a velocidadeforiguala zero,não háocorrênciadereação,portan não háequilíbrio. to12. a)A 225 °C, o valordeKc é muitopequeno;portanto,a concentraçãodosreagentes maiorque é a dosprodutos,predominandoCO e H2O.b)Quandoasconcentrações dosreagen e e produtos t s sãoaproxima damen e t iguais,a constan e c t K é próximade1. I so s ocorrea 825 °C.13. Kppp NHNH1= ⋅= ⋅= =()()() ),(),, 3230204004040,,1 p322 (, 214. F – V – F – VI.(F)O valordaconstan e t deequilíbrioindicaa ext s deumareação,não a suavelocidade. en ãoII I (F)O valormuitobaixoda constan e . t de equilíbrio (3,40 · 10–21 ) indica que a ext s en ãoda reação diret é muitope a quena;portanto,predomina N 2 e O 2 no equilíbrio. m15. a)No equilíbrio,asvelocidades dasreações diret e inversa a seiguala portan m, to:v = v s k · [A] = k · [B] s kkBAKBA = =[][] [][] c 1 2 1 2 12 sb)Sendokk = Kc e k = 10k , isolandokk , tere 12 2 1 12 mos:110110 = =kkk s c 12 16. Como Kc242COHCHHO = ⋅⋅[][][][] e sabendo que [CO] = 0,3 mol/L,[H ] = 0,8 mol/L, [CH4] = 0,4 3 2 mol/L,teremos: 567030804 ,,(,),[]=⋅⋅HO 2s [H2O] = 0,067 mol/L 3 17. A expressão Kpparao equilíbrioé: Kppp pCCC= ⋅PP ss Kp= ⋅0301015,,, s Kp= 0,20 de lll 325 18. a) Tempo[A] (10–3 mol · L–1)[B] (10–3 mol · L– 1) 011,6010011,30,320011,00,650010,51,11.00010,21,42.00010,01,62.50010,01,63.00010,01,6
  • 4. b)KBAc= = = [][],,,16100016 19. N2(g) + 3H2(g) x 2NH3(g) Início1 mol3mol0Variação– xmol– 3xmol+ 2xmolEquilíbrio(1– x)mol(3– 3x)mol2xmol Como, no equilíbrio,temos 0,08 moldeNH 3, concluímosquex= 0,04. Assim,a composiçãodamistur no equilíbrioé: a N 2 = 1 – 0,04 = 0,96 mol;H2 = 3 – 0,12 = 2,88 mol;NH3 = 0,08 mol 20. N2O4 x 2NO2Início1,50 mol0Variação– xmol+2xmolEquilíbio(1,50– x)mol2xmol Como no equilíbrio a concentração de NO 2 é igual a 0,060 mol/L e o volum é de 2 L, a e quantidade deNO 2 presen e t é: 1 L 0,060 mol 2 L ys y= 0,12 mol Portanto,x= 0,06, e a concentr ãodeN 2O 4 no equilíbrioé: aç [N2O 4] = 1442, = 0,72 mol/LeKc224NONO = = = = ⋅− [][](,),, 230060720005510 2
  • 5. 321. e1NH2COONH 4(s)x 2NH3(g)+ 1CO 2(g)A expr s ão e s do equilíbrioKp é expr s a e s por:Kp = (pNH ) · pCO2 3 2Sendo2 : 1 a proporçãoemmolsdosgases NH 3 e CO 2, aspressõesparciaisdosgasestamb m é serão 2 : 1.A press tota emequilíbrioé iguala p, então:p = 2x+ x s s xp = 3 s p p NH 3 23 = ão l ⋅ s p p CO 2 3 = s K p p p p= pO ⋅ = 23 3 427 2 3 322. dSabendoque40% dosátomossedissociam:2 molI 100% 2nI 40% s nI = 0,8 moldissocia(reag ) 2 2 eI x 2I2(g) (g) Início 2 mol0 Reage/Forma 0,8 mol1,6 molEquilíbrio 1,2 mol1,6 molAs concentraçõe emmol/Lno equilíbrioserão: s[], , , Imol4 L mol/L,[ mol4 L 2 = = 1 2 0 3 1 6 0s s , 4 mol/L I]A expr s ão e s deKc e seuvalorserão:K K c 2 c I= = [ ] [ ] (, ), 2 2 0 4 0 3 s s s Kc = 0,53 I23. a)CO (g) + H2O(g) x CO 2(g) + H2(g) Início 1 mol/L1 mol/L3 mol/L3 mol/LReage e forma +x +x –x –x Equilíbrio 1 + xmol/ L 1 + xmol/L3 – x3 – xDeterminaçãodo Q QK c222cc H CO CO H O = ⋅⋅ = ⋅⋅ = > [ ] [ ] [ ] [ ] 3 3 1 1 9 s paradiminuirQ c no sentido de igualara Kc, temque haverformaçãodos reagen e pois assimaumen ao denomina t s, t dor e diminuio valordeQ c. Portanto,atéatingiro equilíbrio, a rapide da reaçãoé maiorno sentido z deformar maisCO.b)K xxxc 2 22 CO H CO H O = ⋅ ⋅ = − ⋅ − + ⋅ [ ] [ ] [ ] [ ] ()()()(s 4 3 3 1 1+ x)2 31 2 31 2 22 = − + = − + ()()xxxxs2 + 2x= 3 – xs 3x= 1 s x= 13[CO] = [H2O] = 1 13 43 + = mol/Ls [CO 2] = [H2] = 3 13 83 − = mol/L24. a)0,00,2 0,40,60,81,0 Pressãoparcial(atm)COCl CO, Cl Tempo 2 2 b)K p p p llpCO C COC = ⋅ = ⋅ 0 35 0 35 0 65 0 19 , , , , H 22Capítulo 2 Deslocamento deequilíbrio químico Conexões 1. A reaçãoé exotérmica. 2. a)Quando o tuboé aquecido, pelareaçãodiretaserexotérmicae liberarcalor,o equilíbrio é deslocadoparaa esquerda,no sentidodeformaçãodaamônia(NH3).
  • 6. b)Quando o tuboé resfriado,pela reaçãodiret serexoté mica liberar a r e calor,o equilíbrioé deslocadoparaa direita,no sentidodeformaçãodo hidróxidodeamônio(NH+ 4 + OH – ).Exercícios complementares9. A cerve aque estiver a 25 °C produzirá mais espuma, porque a tempera uramais elevada j tfavorece desloca e to o m n no sentidoendotér mico:CO 2(g)exotérmicoendotérmicoeoém oed xtri c nCO 2(aq.)Portanto,maisCO 2(g)seráproduzido,e a geraçãodeespu a m serámaior. 10. a) As tempera urasmais altas favorecemos processos endotér t micos — que absorvem calor.A situaçãoB é queapres t tem e a u a en a p r t r maisalt do queseconcluiqueo sentidoda a, produção da subs ânciaazulé endotér t mico. Podemosconcluir, dessaforma, que a reação absorv calorno sentidodireto. e b) Como Kc = [ ] [ ] produtosreagen e , tere t s mosum menorvalorparaa constan e t quando a concentraçãodereagen e queé rosa— foralta.I so t — s ocorreno siste a m C. 11. a)K AB A B Tc() 2 3 1 23 = ⋅ = ⋅ = [ ] [ ] [ ] s K AB A B Tc () 3 2 1 = ⋅ = ⋅ [ ] [ ] [ ] = 1,5 1 2 b)Pelosgráficos, nota- eque um aumen s tona tem e a u a p r t r favorecea produçãode AB. Como umaumen detem e to p raturaprivilegiao sentidoendotérmico,conclui- equea formaçãodeAB s é endotérmica.12. tO H S H O SO t μ (mol/L) 2 2 2 2 1Como Kc = [ ] [ ] [ ] [ ] H O SO H S O 2222222 ⋅⋅ 3 e o equilíbriofoi deslocadono sentidoda produçãodemaisH2S e O 2 (sentidoendotérmico),seuvalordever diminuir. á
  • 7. 21. a)I:4HCl + 1O2(g)x 2H2O (g)+ 2Cl (g) 2(g) 4. aI 1CS2(g)+ 4H2(g)x 1CH4(g)+ 2H2S(g) I: PrincípiodeLeChatelier.b)Em ambosos casos, haverá umdesloca en m to 5. F – F – V – F no sentido da direita, uma vez que, nos I.(F)Diminuição da tem e a u adeslocao p r t r produtos, o volum gasoso é menor que e equilíbrio parao ladoexoté mico, ou sej r a, nosreagen e t s. nesse caso, para o lado dos reagen e t s, aumen andoasquantidade deCO e Cl2. t s22. c I . I(F)Se diminuirmosa quantidadede CO, oA redução de volum causa um desloca e to e m n equilíbrio se deslocano sentido de repor para o lado de menor volum gasoso. No e o CO retirado. casoA, o menorvolum gasosoé obtidocom e IV.(F)No equilíbrio,pode- eexpr s a [CO] s e s r: um desloca en m to para a direita. Mas, no = [Cl ] 2 caso B, ambosos ladosapres t m mesmo en a o volum gasoso,não havendodesloca en e m to. 6. a)No sistema a concentraçãodeCO 2(g) 2, é maior que no sis tem 1, portan a to a23. b reação de solubili aç z ão(terceirareação)O único fator, nesse caso, que alt r a e a estar mais deslocada no sentido de á constan ede equilíbrio é a tem e a u a. A t p r t r formaçãodeíonsCa2+ e HCO 3– . pressão não varia porque os volum s dos e b) A solubilidadede um gás em um líquido doisladosdareaçãosãoiguais. aumen a à me t dida que se diminui a24. e tem e a u a. Ainda, de acordo com o p r t rPelasinformaçõesdo enunciado e análisedos princípio de Le Chatelier,parao equilíbrio gráficos,conclui- - que: se repre en a por: CO 2(g)x CO 2(aq.)+ calor,a s t doXYZH ()()aq.saq. O+ xΔ () < diminuição da tem e a u a desloca o p r t rAnalisandoasalt rn ti a e a v s: equilíbrio para a direita, favorecendo aa)A reaçãodireta exoté mica. é r dissoluçãode CO 2(g) e, consequen e e t t m n e,b) No tem pot , as concentr 1 açõe de X e Z são s tamb m dissoluçãodo CaCO 3(s). é a iguais,masnão constan e t s. 7. bc)O acréscimodeY não deslocaequilíbrio, pois 2C5H6 s C 10H12 sólidotem concentraçãoconstan e. t A constan e c = [][]CHCH1012562= 3 t Kd)Catalisadornão deslocaequilíbrio. A situação da mistur pode ser avaliada, a calcul ando- eo quo s cientedo equilíbrio(Q):Tarefa proposta Q = [][][][]CHCH=dímeromonôm ero101256221. b Mistura1 s Q = 075050 ,(,)= 3 = Kc, portan 2 toUmareaçãoreversív l,emestadode equilíbrio, e mant r á assimindefinidam t desdeque e se- - en e, o siste a m estáemequilíbrio( ). x o siste anão sej pertu bado por fatore m a r s Mistura 2 s Q = 250100 ,(,) = 2,5 < Kc, 2 ext rnos. e portan o siste a to m tendea sedeslocarpara2. Calculando a concentração de amônia no a direita,ele andoo Q até valordeKc ( ). v o w equilíbrio: 8. b Na decomposição do éter, há formação dosKc322NHNH = ⋅[][][] s[]NH3= ⋅− 64104= 8,0 ∙ 10–2 mol∙ produtosgasososCH 4, CO e H2, aumen a t ndo 23 a press tota damistur ão l a. 9. a) O +HO 2(g)2e t r xo é micoendot r 2g2xtri c O 2(aq.) ( ) eoém  é mico( f ) L–1 OxigêniodissolvidoA velocidade média da reação, em relação à Como a dissolução do oxigênio é um amônia,é: processoexoté mico, elaseráfavorecida r média ⋅ΔΔ[]NH32 por tem e a u a mais baixas. Portanto, p r t r s haverámaisoxigênio dissolvidoemáguasavt = 10 °C. b) Como a pressãoatmosf ricaé maior no é lago que está na base da cordilheira, oAssim,o tempo,emminuto,podesercalculadoa equilíbrio seguir: OHO 2(g)21volumegasosoexotérmicoendo ∞ + tt ()g ΔΔ tv=⋅= ⋅⋅= ⋅⋅−− O Om o( q) v será ri c2a. 0 érmico2(aq.)0vol m g so u e a so deslocado para a direita, havendo, nessa região,maisoxigêniodissolvido. 4 [],,,,NH32801020108010201022média 1= −−= 4,0 ∙ 10–1 = 0,4 minuto3. F – V – V – VI. (F) Quando aumen a a concentr ão de t aç reagen e o equi íbrioé deslocadoparao t s, l lado dos produtos, portan too equilíbrio é deslocadoparaa direita.
  • 8. 10. a) 3O2(g) 3 volum s e endotérmico exot mico ér g 3vlm e 2O3(g)2volumes ) oue  sO aume nto da temperatura favorece o processo (08) Incorr te a. O aumento da endotérmi co, facilitando a produ çã o de oz ô nio. tem e a u a p r t r favorece o sentidob) O aume nto da press ã o desloca o equilíbrio para o lado endotér mico. (16) Incorre a. Catalisadore não desloca t s m de m e nor volume gasoso, favorecendo a produ çã o equilíbrios. de oz ô nio. 17. b11. a) Pela tabela, nota- e que o aumento da s I.(F)Kc = [ ] [ ] produtosreagen e t s tem e a u a aumen p r t r ta a constan e de t Observamosna tabe al que, com o aumen to equilíbrio pelo desloca e to m n de da tem e a u a, o valor de Kc diminuiu; p r t r equilíbrioparao ladodos produtos,logo portanto, o aumen to da tem e a p r tura a reação diret (formação de etano) é a desloca o equilíbrio no sentido dos endotér mica.Nessecaso, a concentr ão aç reagen e ou sej sentidoendotér t s, a, mico. degásmetanodiminui.b) Catalisador não desloca equilíbrio, apenas CO (g)+ 3H2(g)CH 4(g)+ H2O (g)exo. endo. 4V2V diminui o tempoparaque o equilíbrio sej a I I(F) O aumen I. to de pressão desloca o alcançado, logo a concentração de H2(g) equilíbriono sentidodaformaçãodo CH 4. perm ec an e constan e. O t aumen to de 18. c press ão, nesse caso, não desloca o Experim to Y a 100 °C, sem cata en lisador s equilíbrio porque o núme ro de volu mes gráficoII gasososno ladodos reagen e é igualao t s O aumen to da tem e a u a favorece a p r t r núm ero de volum sgasosos no lado dos e reação endotérmica, acarre a t ndo um produtos. aumen daconcentr ãodeB e diminuindoa to aç12. d concentr ãodeA. açA adição de catalisadorsomen e t fazcom que o Experim to Z a 20 °C, com cata en lisador s equilíbrio sej atingido mais rapidam t a en e, gráficoI não deslocaesse equilíbrio. A adição do cata lisador não provocará13. d variação nas concen trações de A e B, simp e m n e irá diminuir o tem l s e t po para o 4HCl + O 2(g)_ 2H2O (g)+ 2Cl 1 5V 4V2 (g) 2(g) estab l ci e to e e m n do equilíbrio. a direitaa) (F) Aumentando- se a press ã o, desloca-se o equilíbrio para 19. e (sen tido1). Paraequilíbrio:b) (F) Aumen ando- e a concentração de Cl2, t s desloca e o equilíbrio para a esquerda s - 2NO 2(g)x N2(g)+ 2O2(g) ⋅ () (sen tido2). ()c)(F)Catalisadornão deslocao equilíbrio.d) (V) Se a concentração de O 2 diminuir, o A expr s ão e s deKp é: K p p p pN O 2 2 2 NO = 22 equilíbrio se desloca para a esquerda (sen tido2).e) (F) Diminuir a pressão desloca o equilíbrio paraa es querda. A adição de cata lisador não desloca o14. a) Nesse caso, para cada um mol de CO, equilíbrio. forma se3 moldeH2. m- A expr s ãoda velocidadeda reação diret e s a [ ] [H2] [CH4] [CO] Tempo é: v = k ∙ [NO2]2 (admitindoreaçãoele en a ) m t r.b) A adição de catalisador acel r a reação, e a O equilíbrio fornecido é homogêneo, porque mas não alt r a concentração de CO, e a todos os compo nente estão no mes s mo assim: estadofísico. [ ] [CO] Sem catalisadorCom catalisadorTempo 5 c) Como a reação diret é endotér a mica, o aumen to da tem ep ratura desloca o equilíbrioparao ladodosprodutos. 15. a Se a mistur de gases é comprimida, há a aumen tode pressão, portantodesloca e o s - equilíbrioparao ladodemenorvolum e. Analisandoasmistur s:a I.2V = 2V Portanto,não sedesloca. I 4Vreag.x 2Vprod. I. Portanto,desloca eparaa direita. s - II I 2V = 2V . Portanto,não sedesloca. V. Vreag.x 2Vprod. Portanto,desloca eparaa esquerda. s - 16. Soma= 37 (01+ 04 + 32) (02)Incorr t É exoté mica,poisΔ H < 0. e a. r
  • 9. 22 3 NO N +2O 2(g) 2(g) 2(g) V V x s deslocaparao lado de menosvolum nesse e, quandoseaumen a pressão,o equilíbriose t a caso, ladodosreagen e t s.20. Somente e 4. 2 Q c = 0,75A elevação da temperatura desloca o equilíbrio da V. (V) Sendo Q c < Kc, o siste a não está em m reaçãoI no sentidodosreagen e portan t s, to equilíbrio: para o sis tema atingir o diminuindo a formação de reagen e para a t s equilíbrio, o valorde Q c temqueaumen at r, reação I e, consequen e e t a produção I t m n e, ou sej a reação ocorreráno sentido da a, deácidonítrico. formaçãodos produtos(daesquerdaparaA redução da pressão desloca o equilíbrio no a direita atéatingiro equilíbrioquímico. ) sentidodemaiorvolum portan a reaçãoI e, to 24. Recipiente o equilíbrioé atingido porque I: fica deslocadapara o lado dos reagen e t s, a pressãode C no reci ienteIé menorque a p tamb m diminuindo a produção de ácido é pressão de C no equilíbrio; então a nítrico. subs ânciaA serátrans t for ad emB e C até m a21. Fator 1. De acordo com o princípio de Le quea press deC sej p eq.) ão a (C, . Chate lier, quanto mais reagen e fort C(g)A p(C, I) < p(C, eq.) Recipiente I (s) adicionado, maisdeledeveráserconsumido. Recipient I : o equilíbrio será atingido e I Nesse caso, introdu zindo- e mais O 2, o s porqueocorrea reaçãoA(s)+ B(s)+ C (g) então ; desloca e to para a direita — sentido da m n a subst ância A (sólido) irá produzir mais B combus ão seráfavorecido. t — (sólido)e C (gás atéque a press ) ãode C sej aFator 2. De acordo com o princípio de Le p eq.) (C, . Chate lier, quando um produto é retirado, A + B(s)p(C, II) = 0 Recipiente II (s) ele dever ser repos á to. A baixa umidade Recipient I I equilíbrio não será atingido e I: o rela tiv do ar indica pequena pres a ença de porquea press ãode C (p I I deveriadiminuir, ) (C, I ) H2O (v) O equilíbrio, então, tende a produzir . o queé impossíve pornão haver subs ância l a t H2O (v) sofrendo um desloca en , m to para a B (sólida no recipient ) e. direita,queé o sentidodacombus ão.t C(g)A p(C, III) > > > p(C, eq.) Recipiente III (s)22. Kc = [ ] [ ] H O H22 4 4 Recipient IV: o equilíbrio será atingido ea) A adição de H2 farácom que uma part dele e porquea press ãode C no recipien eé maior t sej consumida, deslocando o equilíbrio a que a sua pressãono equilíbrio; C irá reagir paraa direita (reaçãodireta). com B sólido, produzindo a subs ância A tb) A adição de um sólido não alt r a e a (sólida). concentração de nenhumparticipan edo t C(g)B(s)p(C, IV)> p(C, eq.) Recipiente IV siste a em equilíbrio, não havendo, por m - tanto,nenhum desloca en m to. Capítulo 3 Equilíbrios iônicosc) Catalisadore apenas faz m com que o s e equilíbrio sej atin a gido em menos tem po, Conexões sem,contudo,deslocá o.l - Os principaisfatore que podeminfluenciar s23. F – F – V – V – V emumaanálise volum té ricasão: 1. pH dassoluções envolvidas; SO 2(g)+ NO 2(g)NO (g)+ SO 3(g)2V 2V Kc = 85 2. tem e a u a p r t r deanálise; 3. preparodassoluções;I.(F)A variação de pressãonão irá deslocaro 4. escolha do indicador; equilíbrio. 5. equipa en s m to usadosnaanálise;I .(F) Alter I ando- e a tem e a u a, alt r se a s p r t r e a- 6. cuidadosoperacionais. constan e t deequilíbrio. Maiores informações podem ser obtidas noI I [ ] , , NO mol/L= = 0 1 5 0 02 I (V) . artigo da revist Química Nova na Escola, a[] SO = 0,1 5 = 0,02 mol/L2 disponíveisno sitehttp://qnesc.sbq.org.br/ online/qnesc17/a07.pdf(aces soem 30 jun. ⋅ ⋅ = = = ⋅ ⋅ [][][][], , , 2011).IV.(V)Q c 32 2 SO NO SO NO = 6 0 15 5 0 02 0 02 0, ,, 2 5 0 0006 0 0008 34 = =
  • 10. Exercícios complementares 23. a) O cianeto de sódio é um sal que sofre hidrólisebásica, jáque o íon cianeto(CN– )9. c é derivado de um ácido fraco (o sódio éQuantomaioro valordeKb, maisforte a base; é originado de base forte — NaOH — e não portan to, o hidróxido de meti al mônio é a sofre hidrólise Veja: ). base mais forte e Zn(OH) , a base mais 2(aq.) fraca. CN – + H + HCN H+ + OH – Meio básico Fenolftaleína vermelha H2O CN – + H2O HCN + OH –10. d b) O clore tode amônio é um salque sofreSabendo- eque: s hidróliseácida, jáque o íon amônio ()NH 4+ Ácido fracoBase fracaÁcido forteBase forte HCN + H2O H3O + + CN – é derivadode umabasefraca(o clore toé originado de ácido forte — e não sofre HNO 2 + H2O H3O + + NO 2– Ácido forte Base forteÁcido fracoBase fraca hidrólise Veja: ).e quetodoácido forte tem umabaseconjugada NH 4 + OH – NH 4OH H+ + OH – Meio ácido Fenolftaleína incolor H2O fraca,e vice- versa,peloesque a - m anterioro NH 4 + H2O NH 4OH + H+ + + ácidoHNO 2 é maisforte queo ácidoHCN. 24. • NaH3CCOO (sofrehidrólisebásica)11. O limão apresenta características ácidas (pres nçade ácido cítrico). I sodesloca o e s H3CCOO – + H + H3CCOOH H+ + OH – Meio básico H2O equilíbrio da metil mina para a direita, por a H3CCOO – + H2O H3CCOOH + OH – causado consumo dos íons OH – pelosíons H+ vindos do limão. Resul at do: a • K2SO4 concentração da metil mina diminui e, com a Não sofre hidrólise, pois é originado de ela,o cheirodepeixe. dois ele ró tos forte KOH e H2SO 4. A t li s: suasoluçãoaquosaé neutr a.12. dSe acrescen a m sOH – , por efeitodo íon não t r o • NH 4Br (sofrehidróliseácida) comum,tere mo a reação: s NH 4 + OH – NH 4OH H+ + OH – Meio ácido H2O NH 4 + H2OH3O + + OH – x 2H2O H+ + NH 4OH + +que diminuirá a concentr ão de H3O + , aç • Na2CO 3 (sofrehidrólisebásica) deslocando o equilíbrio para a direita, aumen andoa concentraçãodeS2– . t CO 3 + H + HCO 3 H+ + OH – Meio básico H2O CO 3 + H2O21. e HCO 3 + OH – 2– –2 – –De acordo com o enunciado: “[…] quando o pH • NaCN (sofr hidrólise e básica) sanguíneo sobe acima do norma […] é l chamada dealcalos [… ]” e CN – + H + HCN H+ + OH – Meio básico H2O CN – + H2O HCN + OH –Então, alcalos s alt [OH– ] (>10 mol/L) e e a –7 baixa[H+ ] (<10 mol/L) altopH e baixopOH. –7 s Tarefa proposta22. V – F – V – V – F 1. aI (F)Se [H+ ] > 1 ⋅ 10–7 mol/Ls pH < 7 O maiorvalorde Ka indicao ácido maisforte. I. Como todos são monoácidos (apr s t m e en a apenas um hidrogênio ionizáv l a maior e ), concentr ão de H3O + (H ) será o ácido aç + fluorídrico(maiorKa).Se [H+ ] < 1 ⋅ 10–7 mol/Ls pH > 7 2. b Parconjugado Parconjugado HClO4 + H2SO 4 H3SO 4 + ClO4 Ácido Base Ácido Base + – 7V. (F) A [H+ ] aumen a, como pH = –log [H+ ] t so valordepH diminui.
  • 11. 3. d Para a intensidade da cor aumen a t r, oa)+ H — N — H + OH – HH H — N — H + H — OH H Base equilíbrio dever ser deslocado para a á Ácido direita, o que serápossíve com a adição de l amônia (NH3), que retiraH+ de acordo com a seguinteequação:NH + H+ 3 x NH 4+ 12. db)H — N — H + Na+ OH – H Na+ NH 2 + H — OH BaseÁcido – Lembrando que, quanto maior o valorde Ka, mais forteserá o ácido e menor o valor de pH, então:c) Na2 CO 3 + H+ — OH – Na+ HCO 3 + Na+ OH – BaseÁcido 2– + – I - D; II - B; III - E; IV - A; V - C > Ka < pH 13. cd)Mg + 6H — O — H [Mg(H O)6 ]2+ BaseÁcido 2+ 2 I.(F)Se pH = 9, a alt concentr ãodeOH – a aç (10 mol/L) –5 provocadesloca en parao m to ladodaminera z çli a ão.4. e I . (F) A solução de NaCl não desloca ICálculodeα: Ka = α 2 · μ equilíbrio.2,5 · 10–4 = α 2 · 0,1 s α2 = 25 · 10–4 s α = 5 · 10–2 s α = 5% 14. eHNO 2 x H+ + NO 2– Como NaOH é baseforte α = 100%, então: s0,1 molHNO 2/L s 0,1 molH+ /L 100% NaOH Na + OH s H O = 100% aq. + aq. – 2 ()()()a a )()() a q[H+ ] 5% 1 mol1 mol[H+ ] = 5 · 10–3 mol/L 0,1 mol/L[OH– ] [OH– ] = 10–1 mol/L5. Pelatabela,temosque o H2SO4 é mais forte Como: pOH = –log [OH– ] s pOH = –log 10–1 s queo HF, então: pOH = 1 Lembrandoque: pH + pOH = 14 s pH + 1 = 14 s Ácido Base Ácido Base H2SO 4 + HF H2F+ + HSO 4 Parconjugado Parconjugado – pH = 136. aO S2– recebe um H+ , por isso é uma base de Brönsted owry e doa par de elé rons, L - t 15. V – V – V – F I.Correto.Kw = [H+ ] · [OH– ] = (1,00 · 10–7 ) = 2 sendo,portan to,base deLewis. 1,00 · 10–14 mol /L 2 27. A adição de substância básica retira H+ do I . Correto. A I formação de maior equilíbrio a partirda seguint equação: H+ + e concentração iônica (1,50 · 10–7 > 1,00 · OH – x H2O 10–7 ) indicaumaautoionizaçãomaisintensadiminuindo sua concentração e deslocando o daágua. equilíbrioparaa direita. II I Correto.Kw = [H+ ] · [OH– ] = (1,50· 10–7 ) = . 28. a 2,25 · 10–14 mol /L 2 2A adição de um íon comum () NH 4+ desloca o IV.Incorre to.Águapura,a 37 °C, continua equilíbrioparaa direita,no sentidodo Na+ . sendoneutr pois:[H+ ] = [OH– ] a,9. a)Pelo gráfico, a 10 °C, a soluçãosaturada 16. Ácido cítricox H+ + citrato– de CO 2 apres t 0,22 g de CO 2 em100 mL en a 0,2 mol/L0,2 mol/L100% deágua,então: [H+ ] 0,2%0,22 g CO 2 100 mL [H+ ] = 4 · 10–4m1.000 mL(1L) pH = –log 4 · 10–4 s –pH = log4 + log10–4m= 2,2 g deCO 2 –pH = 0,6 + (–4) = 3,4 s pH = 3,4Sabendoque: 1 molCO 2 44 g 17. aμ 2,2 g/L Fazendo- ea diluição: sμ = 0,05 mol/L InicialFinalb) Com o aumen to da tem e a u a, a p r t r μ = 10–4 mol/Lμ = x concentração de CO 2 no siste adiminui, m V = 10 mLV = 100 mL deslocando o equilíbrio paraa esquerda. μ1 ⋅ V1 = μf ⋅ Vf s 10–4 ⋅ 10 = μf ⋅ 100 s μf = 10–5 Como consequência, a concentr ão de aç H+ diminui, aumen tandoo pH do meio. 10. b A adição de ácido desloca o equilíbrio químicoparaa direita(LeChatelie ). r mol/L 11. e 8
  • 12. Como NaOH é baseforte,α = 100%. Capítulo 4 Soluções- tampão / ProdutoNaOH wNa+ + OH –1 mol1 mol desolubilidade10–5 mol/LμOH – s μOH – = 10–5 mol/L ConexõesSabendo que: pOH = –log [OH– ] s pOH = –log 10–5 a)Sim. A equaçãodo equilíbriopodeser:pOH = 5 e pH = 9 H2O + H2O doaH+ doaH+ OH – + H3O + Base Base Ácido Ácido b) Sim. Observ que tantono equilíbrio do e18. a)pH = 3 wpOH = 11 (pH+ pOH = 14) ânion bicarbona to como no equilíbrio do[OH– ] = 10–11 mol/L ânion hidrogenossu f t l a o a água seb)pH = 4 s [H+ ] = 10– 4 mol/L comport como ácido ou como base, ac) O leit de magnésia, que apres t pH mais e en a dependendodo meio. alto.d)Não, poisa fenolf a e a incolorempH < 8. t l ín é Exercícios complementares O sucodelaran a, j depH = 4,0, conferiráà 9. a fenolf a eínatonalidadeincolor, já que t l Como o sangue não sofre variações 4 < 8. Mas isso não garant que o suco e acentu a de pH, podemos classificá o ad s l - sej ácido, pois a acidezocorreempH < 7, a comosolução- amp t ão. e o uso da fenolf a e a apenas nos t l ín permi tiu concluir que o pH do suco é 10. d Para formar mossolução- amp t ãocom pH < 7 menorque8. (meio ácido), dever mo ter solução com e s19. d ácido fraco e sal provenien e do mesmo tPeloesque a: m ácidofraco. 123 3 Vermelho IntersecçãoVioletaAmareloVermelho Verde AmareloVerde AmareloAzul3,8 5 5,4 6 7,6 11. dA intersecçãoestáentre5,4 e 6,0. A dissolução do CaCl2 aumen a a t tem e a u a p r t r do ambient logo, a dissolução e;20. d liberacalor:exot mica. érNaH3CCOO: sofre hidrólise do ânion, A dissoluçãodeKCl diminuia tem e a u a p r t r do originandosoluçãobásica. siste a; logo, a dissolução absorve calor: mNH 4Cl: sofre hidrólise do cátion, originando endotér mica. soluçãoácida.NH 4H3CCOO: sofre hidrólise dos dois, 12.a) Pela tabe a, quanto maior a l originando solução neutr a, pois a tem e a u a, menor o coefi iente de p r t r c constan et do ácidoé igualà dabase. solubilidade; logo, curva descenden e s t21. e dissoluçãoexot mica. érA constan e t de ionizaçãoda baseé maiorque a b) A equação é: 2H3C 6H5O 7 + 3Li CO 3 2 w do ácidos pH leve e t básico. m n e 2Li C 6H5O 7 + 3H2O + 3CO 2 322. Soma= 3 (01+ 02) 21. Equação de equilíbrio da dissolução do(04)Incorreto.O CaCO 3 sofrehidrólisebásica, fosfa decálcioe expr s ão to e s do Kps: ⋅ gerandopH > 7.(08)Incorreto.As soluçõesde ácido sulf rico ú apres t m en a Ca PO Ca PO (s)aq. 2+ aq. 3 3 42 4 3 2 ()()()x + − Kps3CaPO=[] [] H= 2 SO + 42– ⋅ , poisH SO 1SO 2 4 42– x + 2H+ . + − [][]23 4 2(16) Incorr to. A redução da acidez provoca e Parahaverprecipitação:[] [] Ca PO 3 ps2 3 4 2 + − ⋅> aumen no pH. to23. cCaso I a urina deveseralca s linizad portan a, to K deve e escolherum salque sofrahidrólise s - Como [Ca ] = 2 · 10–3 mol/L, a [] PO3 4− para 2+ básica (sal derivado de base forte e ácido haverprecipitaçãodever sersuperiora: á ⋅= ⋅⋅ fraco) melhore opções:NaHCO 3 e Na2CO 3 s sCaso I s a urina deveser acidificada, portan I to [] [] ()[] Ca PO PO 3 3 2 3 4 2 25 33 4 2 1102 1011+ − − − − deve e escolherum salque sofrahidrólise s - ácida (sal derivado de ácido forte e base fraca s NH 4Cl ) ⋅ = ⋅ s 025−s24. dI.PerdadeCO 2 s desloca e to m n paraa esquerdas diminui[H+ ] s pH aumen a. t I . Aument [CO 2] I a s deslocamento para a direita aumen a + ] s pH diminui. s t [H I I NaHCO 3 sofre hidrólise básica I. s pH aumen a t
  • 13. [] PO3 4− H 0,35 ∙ 10–8 mol/Ls s [] [] , POPO 3 3 4 2 25 9 42 16 1 10 8 10 0 125 10 − −− − − = ⋅ Assim, acima dessa concentração ocorrerá precipitação. 9 ⋅= ⋅
  • 14. 22. d Tampãoácido s ácido fraco + salcom ânion deA substância mais indicada será aquel que a ácidofraco formao compostomenossol v l,ou sej o ú e a, Tampãobásico s basefraca+ salcom cátion de PbCrO4, porquepossuio menorvalorde Kps . basefraca Das alt rn ti a o sal que produzirá o e a v s, Nessecaso: NH 4Cl + NH 4OH PbCrO4 é o K2CrO4. 2. e23. A equaçãodo equilíbrioé: A adição de íons bicarbonatoe o aumentodeAgCl + 2NH3(aq.)x[Ag(NH)]C (s) 3aq.aq.2() )+−+l ( CO 2 desloca m o equilíbrio segundo LeConsiderando o consumo de 0,3 mol/L de NH 3 Chate lier. para a formação de 1,5 · 10–1 mol/L do íon 3. a)HCN x H+ + CN – compl xo, a solubilidade do AgCl é e Início: 0,25 — — pratica en ea mes a solubilidade quando m t m Proporção:–x +x +x [NH3] = 3 mol/L. Equilíbrio: (0,25– x)+x +xEntão, tere mos: [Ag(NH ) ]+ = [Cl ] = 1,5 · 10–1 3 2 – Como pH = 5,0 w x = [H+ ] = [CN– ] = 10–5 e mol/L [HCN] = 0,25 mol/LNa solução aquosa de AgCl, satur a, com ad Assim: corpodefundo,semNH 3, o equilíbrioserá:AgCAgCaq.aq.ll,()()+−− + ⋅1310 1310 ,⋅− x 5 5 KaHCNHCN0,25= ⋅= ⋅= +−−−− [][][]() (),1010100255510 Ka = 4 · 10 s –10Como Kps= [Ag ] ∙ [Cl ] = (1,3 · 10–5 )∙ (1,3 · 10–5 )= + – 1,69 · 10–10 e lembr ando que os equilíbrios b)Com a adiçãodeNaCN, temos: sãosimul â eos: t n [HCN] H 0,25 mol/LKps= [Ag ] ∙ [Cl ] s 1,69 · 10–10 = [Ag ] ∙ (1,5 · 10–1 )s + – + [CN– ] H 0,35 mol/Ls Ag+ = 1,13 · 10–9 mol/L Assim:24. a)Cálculodaconcentraçãodeíon Hg2+ : KaHCNHCNH0,25= ⋅⋅= ⋅+ − − + [][][][][,]() 410035 ssA equação é: HgSHgSmo saq.2+aq.2() ) x+ −xll/d mo / (( ) m l dm x 33 s 10A expr s ão e s do Kpsé: Kps= [Hg2+ ] · [S2– ] s 9 ∙ 10–52 = s [H+ ] = 41002528610 ⋅⋅⋅−− (,)() x∙ xs s x= ⋅− 910 1010 ,0,35H mol/L 52x= 3 ∙ 10–26 mol/dm 3 Aplicandoo logaritmoe multiplicandoporComo 1 molde íons Hg2+ corres pondea 6 ∙ 1023 (–1): íons, tere mos: –log [H+ ] = –log 2,86 – log 10–10 s pH = –3 ∙ 10–26 ∙ 6 ∙ 1023 íons1 dm 3 0,46 + 10 s pH = 9,541 íon x 4. ax= 55,5 dm 3 As soluções amp t - ão têm como finalidadeO volum de água necess rio para encontra e á r mant r pH do meio constan e,mes e o t mocom a umíon é 55 dm . 3 adiçãodepequenasquantidade de ácidosou sb) A solubilidadedo HgS, em água, é iguala 3 ∙ bases. 10–26 mol/dm. 3Cálculo da quantidade de mat ria que se é 5. a dissolv no volum de água exist t na e e en e H3CCOOH (aq.)x H+ (aq.)+ HCCOO 3(aq.)– Terra: NaHCCOO +3(s)–HO 2 2 (aq.)+ + HCCOO 3(aq.)– →22Na3 ∙ 10–26 moldeHgS 1 dm 3 A adição de aceta to de sódio aumen a a tx1,4 ∙ 1021 dm 3 concentr ão de H3CCOO – , deslocando o açx= 4,2 ∙ 10–5 moldeHgS equilíbrio do ácido acético paraa es querda,Esse volum de água é insuficient para e e diminuindo a concentr ão de íons H+ e aç solubili a 1 moldeHgS. z r aumen at ndoo pH dasolução.Sabemos que:3 ∙ 10–26 moldeHgS 1 dm 3 6. F – V – V – V1 moldeHgS V I. (F) Os dois ácidos possue somen eum m tV = 3,33 ∙ 1025 dm 3 hidrogênio ionizáv l e, por possuíre a e mO volum de água necess rio paradissolv r1 e á e mes aconcentr ão e o mes m aç mo volum a e moldeHgS seriamaiordo queo disponíve l ser neutr li a a z do, irão consumir a mes a m naTerra. quantidade deNaOH na titu aç l ão. 7. dTarefa proposta I.(F)Ácido acéticoé umácido fraco(α < 5%) e, portanto,emsoluçãoaquosa0,10 mol/1. d L, encontra e pouco ionizado e terá pH s -As soluções am ão t - p sãofornecidaspor: maiorque1.
  • 15. I . (V) Após a adição das primeira I s II I (V)O pontode equiva ênciana titu aç . l l ãoquantidade s de base, o ácido já se de um ácido fraco por uma base fort eencontra parcial e t neutr li a m n e a z do, e a ocorre em pH acima de 7, por causa dasolução resu tant é um tam ão, que l e p hidrólisedo âniondeácido fraco.deixará de existir quando ocorrer o 10“salto” depH.
  • 16. 8. d b)Kps = [Ca ] · [F ]2 s 1,5 · 10–10 = [Ca ] · (5 · 2+ – 2+Não haveráprecipitação,pois, de acordo com a 10–5 ) ss 1,5 · 10–10 = [Ca ] · 25 · 10–10 s [Ca ] 2 2+ 2+ tabe a, solubi idade l a l do Li2CO 3 aumen a t com 1010 ⋅⋅−− a diminuiçãodatem e a u a. p r t r9. b = 15102510 , ss[Ca2+ ] = 0,06 s [Ca2+ ] = 6Como há umresfria e tona solução, a reação m n é endotér mica, e a solubilidade do NH4Cl aumen a t como aumen datem e to p ratura. · 10–2 mol/L10. a 17. dSoment a tem e a u a alt r o valor da e p r t r e a AgCAgCmol/LsHOaq.+aq. llS ) ()(2 constan e t deequilí rio. b ( ( q+a. Lmol/Lmol/LSS ())). q −11. cAgCl Kps= [Ag ] · [Cl ] + –Kps= [Ag ] ∙ [Cl ] s 1,5 ∙ 10–10 = [Ag ] ∙ 10–2 + – + s Kps= S · Ss [Ag ] = 1,5 ∙ 10–8 + Kps= S2 s SK=()psAg2CrO4Kps= [Ag ]2 ∙ []CrO42− s 1,0 ∙ 10–12 = [Ag ]2 ∙ 10–2 + + s 18. Soma= 11 (01+ 02 + 08)s [Ag ] = 1,0 ∙ 10–5 + AgCAgCsHOaq.+aq. ll ()(( ( ( +a. ( () ) ) ) ) 2 q −AgI A adição de HCl ao equilíbrio aumen a a tKps= [Ag ] ∙ [ – ] s 8,0 ∙ 10–17 = [Ag ] ∙ 10–2 + I + s concentração molar do Cl– deslocando os [Ag ] = 8,0 ∙ 10–15 + equilíbrio para a esquerda, precipitando AgCl .(s)AgBr (04) (F) O único fator que alt r a e aKps= [Ag ] ∙ [Br ] s 7,0 ∙ 10–13 = [Ag ] ∙ 10–2 s [Ag ] = + – + + constan edo produtode solubilidadeé t 7,0 ∙ 10–11 a tem e a u a. p r t rPortanto,a ordemde precipitaçãoserádo que (16)(F)A adiçãode HCl(aq.)alt r o pH do e a precisa da menor quantidadede Ag+ para o meio e a concentração de AgCl, pois o queprecisa demaiorquantidade: equílibrio é deslocado pelaação do íonAg AgBr, AgCl, Ag2CrO4 I, comum.12. a)BaCO3(aq.)+ CaSO4(aq.)wBaSO4(s)+ CaCO 3(s) 19. A partir das concentraçõesna soluçãob)Kps= [Ba ] ∙ [CO32– ] = (5,0 ∙ 10–5 ) = 2,5 ∙ 10–9 2+ 2 sobrenadan e, t vamos deter minar os produtos iônicos:13. a)BaSOBaSOaq.aq.aq.4242()()() +− + x AgCl: [Ag ] · [Cl ] = 1,0 · 10–3 · 1,6 · 10–7 = 1,6 · + – 10–10 = Kps(soluçãosatur a ad ) BaSO= ⋅+ − [][] Ag2SO 4: [Ag ]2 · []SO42− = (1,0 · 10–3 ) · 1,0 · 10–1 + 2b)Kps 242 = = 1,0 · 10–6 · 1,0 · 10–1 = 1,0 · 10–7 < Kps (soluçãoinsaturad ) a Portanto,o precipitadoformadoé deAgCl.c)BaSO4(s)x Baaq.()2+ + SO aq.42()− 20. b HgSHgSsHOaq.+aq.2()()() ) ) ) ((( a. 22+ − xxx q1,0 · 10–5 mol/L1,0 · 10–5 mol/L1,0 · 10–5 mol/LKps= (1,0 · 10–5 )· (1,0 · 10–5 )= 1,0 · 10–10 Kps= [Hg2+ ] ∙ [S2– ] s 10–54 = x2 x= 10–27 mol/L )14. a)MgOHMgOHsaq.aq.( + + −22 2()()(xSSS2 ) 1 molHg2+ 1024 íons 10–27 mol/LxKps= [Mg ] · [OH– ]2 s S · (2S) = 4 · 10–12 s 2+ 2 x= 10–3 íons/L 10–3 íons1 Ls 4S3 = 4 · 10–12 s S3 = 10–12 s S = 10–4 mol/L 1 íon yb)Mg(OH) + 2HCl x MgCl + 2H2O 2 2 y=− 110 = 103 ou 1.000 L 315. b 11AgCAgCsHOaq.+aq. ll )() ) ) ) qH 2 ()( ( ( ( +a. −Kps= [Ag ] · [Cl ] + –1,8 · 10–10 = [Ag ] · 0,1 +[],, Ag+ − − − = ⋅= ⋅18101018101019mol/L Observação: Não é necess rio somar a á quantidadede Cl– dissolvido do AgCl com a quantidade de Cl– adicionado pelo NaCl, poisesta despr zí e é e v l. 16. a)CaFCaF 2 ( ()+− saq.aq.22 () ) x + Kps= [Ca ] · [F ]2 = 1,5 · 10–10 2+ – [Ca ] · [F ]2 = 2 · 10–4 · (5 · 10–5 ) = 2 · 10–4 · 2+ – 2 25 · 10–10 = = 5 · 10–13 < Kps Portanto,não ocorrerá precipitação.
  • 17. 21. a)BaSOBaSOsaq.aq.4242()()() +− + SSS xKps = [Ba ] · []SO42− = 1,6 · 10–9 s S2 = 1,6 · 10–9 2+ ss S = 4 · 10–5 mol/L
  • 18. Assim: [Ba 2+ ] = 4 · 10 –5 mol/Lb) A adiçã o de K 2 SO 4 desloca o equilíbrio de dissolu çã o do BaSO 4 para a esquerda, di minuin do a concentração de íons Ba 2+ , prejudiciais à saú de.22. d[Pb ] · [ – ]2 = Kps soluçãosatur a. 2+ I : ad[Pb ] · [ – ]2 > Kps ocorrerá 2+ I : precipitação(sist m heterogên e a eo).[Pb ] · [ – ]2 < Kps soluçãoinsatur a. 2+ I : ad23. dMg(OH) x Mg 2(s) aq.()2+ + 2OHaq.()–10–4 mol/L10–4 mol/L2 · 10–4 mol/LKps= [Mg ] · [OH– ]2 s Kps= 10–4 · (2· 10–4 ) s 2+ 2s Kps= 10–4 · 4 · 10–8 = 4 · 10–12 24. d Soluçãosaturadado CaSO4:CaSOCaSOsaq.aq.4242()()() +− + xxx x Kps= [Ca ] · []SO42− 2+ 1,0 · 10–4 = x· x x= 1,0 · 10–2 mol/Ls []SO42− = 1,0 · 10–2 mol/L NumasoluçãosaturadadePbSO4, temos: PbSOPbSOsaq.aq.4242()()()+− + e dispomosde[]SO42− = 1,0 · 10–2 mol/L x Como Kps= [Pb ] · []SO42− 2+ 1,0 · 10–8 = [Pb ] · 1,0 · 10–2 2+ [Pb ] = 10101010 ,,⋅⋅−− = 1,0 ∙ 10–6 mol/L 2+ 82 Assim,tere mos umasoluçãosatur a ad dePbSO4 no vinho, quando: [Pb ] = 1,0 · 10–6 mol/L 2+12