Your SlideShare is downloading. ×
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
1º história
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

1º história

853

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
853
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. História a humanidade sob os desígnios de Deus 1Capítulo 1AltaIdade MédiaocidentalConexõesEspera-se uma pesquisa histórica a respeito da influência social exercida pelos movimentos heréticos da Alta Idade Média. As heresias pesquisadas podem ser, entre outras, as citadas na teoria da disciplina: arianismo, monofisismo, iconoclastia e nestorianismo.Exercícios complementares5. aAs Cruzadas e o período clássico do feudalismo são posteriores ao reino franco (b e c); no período do reino franco, não houve centralização política (d); o helenismo (que serviu de inspiração ao renascimento cultural do século XIV) foi desenvolvido durante o Império Macedônico (e).6. dAs três personagens fizeram parte da corte carolíngia, contribuindo para seu refinamento (a). Os missi dominici fiscalizavam o cumprimento das leis chamadas capitulares (b). Embora não fosse destinada a todas as crianças, apenas aos membros da nobreza, a Escola Palatina oferecia instrução àqueles que serviriam a administração régia ou a vida eclesiástica (c).11. cA expressão “vínculo humano” remete ao ato de autoentrega do vassalo ao suserano, ocasião em que ele declara ser “seu homem”. Ao ato de juramento seguia-se a investidura, na qual o vassalo recebia um feudo (terra). Quem dispunha de terras para ceder para usufruto do vassalo tinha mais homens armados à sua disposição.12. aAs manifestações de medo alcançaram igualmente todos os segmentos sociais (b); a tomada da Argélia ocorreu em 1054 (c); a religiosidade não era um traço exclusivo dos clérigos, o medo do fim do mundo era generalizado. Basta recordar as vultosas doações dos laicos aos mosteiros (d); as monarquias nacionais são um fenômeno da época moderna (e).Tarefa proposta1. F – F – F – VI. De acordo com o texto, a sociedade da Europa medieval foi responsável pela criação de estruturas sociais e mentais que contribuíram para a formação da sociedade moderna; entre essas criações, está o espaço urbano.II. Durante a Idade Média europeia foram elaborados diversos avanços tecnológicos relacionados à produção agrícola, como a fabricação de arados de metal, que possibilitaram a ampliação da área agriculturável. III. No texto citado, o historiador Jacques le Goff afirma claramente que considera a Idade Média um
  • 2. período de relevante produção de estruturas sociais e mentais.2. cOs germanos passaram ao império primeiramente com oconsentimento dos imperadores (século III) e depoisinvadiram seus limites (século V).3. V – V – F – F III. A primeira e a segunda leva de invasões levaram o Ocidente à ruralização e à atrofia das relações comerciais. As villae romanas nunca foram autossuficientes, pois eram voltadas para o mercado externo. IV. A Idade Média é a síntese de três matrizes culturais: a greco--romana; a céltico-germânica e a judaico-cristã.4. cApós as invasões do século V, a ruralização da economia,iniciada ainda no Baixo Império Romano, impõe-se de vez. Asdemais alternativas são incongruentes.5. bAs Cruzadas são um movimento do século XI (a); os cincoprimeiro séculos da Idade Média são marcados peloaparecimento de reinos germânicos, mas que são efêmeros.Mesmo a mais ambiciosa e bem-sucedida experiência, a doreino franco, foi comprometida pelo fortalecimento delideranças locais (c); o renascimento comercial é umfenômeno do século XII (d); os reinos germânicos nãodesapareceram do Ocidente medieval (e).6. dOs francos fizeram aliança com a Igreja de Roma e nãocom a Igreja bizantina; as primeiras tentativas pararecuperar a península Ibérica do domínio árabe sãoiniciadas, sem sucesso, pelos visigodos. Apenas no séculoXI, com as Cruzadas, as casas senhoriais da Europa além-Pireneus se envolverão nessa ofensiva.7. cDe acordo com o que se conhece, as disciplinas eramgramática, retórica e dialética.8. aA afirmativa correta está diretamente relacionada aotexto, que fundamenta a fragilização do poder central ea consolidação da descentralização política eadministrativa feudal.
  • 3. 29. 1-a; 2-b; 3-c sujeitos à justiça doA corveia era um tributo senhor feudal que detinha medieval; os benefícios e o direito de ban em seus homenagens eram rituais domínios. jurídicos que regulavam e 13. e organizavam a vida social O dízimo equivalia a 10% da medieval; o colonato foi produção em gêneros pagos criado durante o Império à Igreja; a talha era Romano para substituir a tributo em gêneros pago escravidão. pela utilização do manso10. b servil; a mão-morta era oA afirmativa a é falsa tributo pago pela família porque distingue, do servo defunto para erroneamente, a aris- herdar seus bens; a corveia tocracia guerreira dos eram os três dias de senhores feudais. Além trabalho semanal que o disso, o texto que servo era obrigado a precede a questão cumprir no manso senhorial. descreve um juramento 14. d de vassalagem, e não Embora a multiplicação dos relações comerciais; as pactos de vassalagem afirmativas c e d são tenha conduzido à falsas porque, em troca fragmentação política, a de fidelidade e serviço figura do rei não militar, o senhor desapareceu. O monarca era transferia para seu considerado o primus inter vassalo um feudo; a paris, isto é, o primeiro alternativa e está entre os pares. errada porque um vassalo 15. d é sempre um guerreiro, Ao contrário do que afirma a nunca um camponês. sentença, a Igreja católica11. V – F – V procurou justificar aII. As relações servis eram submissão camponesa, até a base da economia porque era ela mesma feudal. grande proprietária de12. O esquema das três terras e seus senhorios ordens, concebido pela funcionavam com mão de Igreja, justificava assim obra servil. Vale lembrar a posição social da também que o alto clero grande massa de provinha da nobreza e que o camponeses. Enquanto à esquema das três ordens elite religiosa e militar foi concebido por clérigos cabiam os serviços no século X. religiosos, intelectuais e 16. a) Regime do colonato; militares, aos servos difusão e intensificação cabia a expiação do dos laços de dependência pecado original por meio pessoal; crise econômica. do trabalho braçal. Os b) A Igreja foi a grande servos estavam guardiã da cultura antiga submetidos a uma pesada e do modelo administrativo carga de tributos paga em adotado por Roma. gêneros (formariage, mão- Conservou igualmente a morta, banalidades, noção de império e adaptou capitação) ou em trabalho certos ritos de origem braçal (corveia). Caso não romana. Garantiu, assim, cumprissem essas certa unidade cultural. obrigações, estavam
  • 4. 17. A grande intérprete da entretanto, explicar a realidade medieval era a ruralização do Ocidente por Igreja católica, que meio da interrupção das detinha o monopólio do relações comerciais dos sagrado e das letras. Por cristãos no Mediterrâneo. O isso, os motivos religiosos impacto da avalanche eram tão frequentes nas bárbara sobre o Ocidente iluminuras, desenhos e foi avassalador: provocou a esculturas da época. fuga das populações para o 18. a campo, destruiu a face Esta questão envolve uma ocidental do Império mistura de debate Romano. Afinal, quando os filosófico, discussão árabes tentaram penetrar sobre o tempo na história na Europa além-Pireneus, foi e um pouco de cálculo a cavalaria bárbara que matemático. Várias deteve os seguidores de tentativas de inserir Maomé, impedindo a fatos históricos numa islamização da Europa. cronologia horária já Exercícios complementares foram feitas e esta é apenas mais uma na lista. 5. A Revolta de Niké foi uma Seguindo a progressão insurreição popular contra matemática lógica, os altos tributos impostos chegamos ao resultado do imperador Justiniano, a desta questão. despeito da pobreza da maioria da população. ACapítulo 2 AltaIdade Médiaoriental rebelião aconteceu em 532. Começou no hipódromo de Conexões Constantinopla, após a A tese de Pirenne não foi intromissão do imperador no rejeitada em bloco. A resultado da disputa entre afirmação de que a os cavalos. A revolta logo primazia dos árabes no se expandiu pela cidade e mar Mediterrâneo, durou uma semana. Foi combinada à ascensão do duramente reprimida pelo poder franco, dinamizou a general Flávio Belisário economia no norte da (conta-se que mais de 30 mil Europa está correta. De pessoas foram mortas). fato, com a dinastia 6. Uma das características carolíngia, a região da marcantes de Bizâncio foi o Austrásia (nordeste da cesaropapismo. Cabia ao França, partes da imperador regulamentar a Alemanha, Bélgica e Países doutrina religiosa e Baixos), irrigada pelos organizar as comunidades rios Reims e Mosela, religiosas, nomeando até tornou-se o centro mesmo os patriarcas do político do Império império, bispos e demais Carolíngio (Aachen), e os autoridades religiosas. O mares do Norte e Báltico, imperador era representado o principal eixo comercial com um halo à volta da da economia medieval no cabeça, como se fosse um Ocidente. Não é possível, ser celestial.
  • 5. 311. bOs sunitas aceitam, além do Corão, livro sagrado do islão, a Suna, livro com os ensinamentos, ditos e atos do profeta Maomé. É a segunda fonte da lei islâmica após o Corão.12. aSegundo a tradição, Maomé seria descendente do primeiro filho de Abraão, Ismael, enquanto Moisés e Jesus seriam descendentes do filho mais novo, Isaac. Abraão, patriarca do judaísmo, estabeleceu as bases do que hoje é a cidade de Meca e construiu a Caaba, para onde os muçulmanos se voltam ao fazer suas orações; as demais opções afrontam diretamente os princípios do islamismo, o qual prega a jihad, isto é, a conquista de novos fiéis; não permite o culto a imagens e ídolos (herança judaica), a crença em vários deuses (politeísmo) e a negação de uma vida após a morte.Tarefa proposta1. a) A cidade, que era capital do império, situa-se entre os mares Negro e Egeu e entre a Europa e a Ásia, daí sua importância estratégica.b) Enquanto os turcos otomanos tinham orientação religiosa islâmica, os bizantinos eram cristãos ortodoxos.2. bA Revolta de Niké ocorreu em 532, durante o governo de Justiniano.3. bEntre as heresias condenadas pelos concílios de Niceia e da Calcedônia, estavam o arianismo, o nestorianismo e o mono- fisismo.4. a) O imperador Leão III esperava reduzir a influência dos monges, que tinham na venda de imagens de santos uma de suas principais fontes de enriquecimento. A possibili- dade de enriquecimento levava muitos jovens a ingressar na carreira monástica e evitar profissões públicas.b) As heresias eram teorias que contrariavam os dogmas oficiais da Igreja. Entre elas, pode-se destacar o monofisismo, o arianismo e o nestorianismo.5. a) A questão da iconoclastia (movimento contra a veneração de ícones e imagens religiosas) defendida pela Igreja de Bizâncio e condenada pela Igreja de Roma; o cesaropapismo (autoridade do imperador bizantino sobre a Igreja), condenado por Roma; a discordância sobre a natureza do Espírito Santo: para a Igreja bizantina, o Espírito Santo procedia do Pai por meio do Filho e, para a Igreja romana, procedia do Pai e do Filho; a pretensão do papa em se dizer representante de Roma e que culminou com a coroação de Carlos Magno como imperador germânico. Segundo o código jurídico, somente o imperador de Bizâncio, herdeiro legítimo de Roma, poderia atribuir esse título.b) Na época do cisma, os cristãos ortodoxos admitiam a lide- rança do imperador, ao passo que os cristãos ocidentais seguiam a liderança papal em Roma. Além disso, os orto-
  • 6. doxos pregavam e aplicavam os princípios da iconoclastia, e os ocidentais condenavam-na como heresia.6. dO cisma do Oriente, ocorrido em 1054, dividiu a cristandadeem duas religiões, a Igreja católica apostólica romana ea Igreja católica ortodoxa grega.7. aOs territórios que se mantiveram sob domínio bizantinoapós o fim do Império Romano do Ocidente foram a pe-nínsula Balcânica, a Ásia Menor, a Síria, a Palestina e aMe-sopotâmia.8. F – F – V – V – F I. Os turcos não destruíram Constantinopla. A cidade foi rebatizada e, sob domínio turco, continuou ocupando lugar de destaque no comércio e na economia da região. II. A instabilidade política e militar não cessou após o domínio turco, principalmente porque a região dominada era um dos principais entrepostos comerciais entre Ocidente e Oriente. V. O domínio turco não pôs fim à Igreja ortodoxa grega, que ainda existe na atualidade.9. eO Corpo do Direito Civil compilava leis já existentes e eracomplementado por leis recentes, em uso no período emque Justiniano governava. Esse bloco de leiscomplementares era organizado na última parte do códigolegislativo e recebia o nome de Novelas. 10. a) As civilizações bizantina e árabe. b) A civilização bizantina combinou características das civilizações oriental, grega e romana. Dos romanos herdou o modelo administrativo e a cultura jurídica; dos gregos herdou a língua falada pela população; dos povos do Oriente assimilou a divinização do governante: o imperador bizantino era representado com um halo à volta da cabeça, como os santos e outros seres celestes do cristianismo. O chefe de Estado era ao mesmo tempo chefe da Igreja (cesaropapismo). A situação geográfica de Bizâncio garantiu-lhe uma atividade comercial intensa até o século XI, época em que, inversamente ao que ocorrera no Ocidente, o Estado se enfraquece com a crescente ameaça turca e perde territórios, enquanto os grandes proprietários fazem sombra ao imperador. A civilização árabe resulta do processo de unificação de tribos semitas, dedicadas ao comércio, por meio de uma nova religião pregada por Maomé no século VII: o islamismo. Após a morte do profeta, prevaleceu uma monarquia teocrática. O chefe do governo, o califa, conjugava os poderes militar, político e religioso. O preceito religioso da jihad impulsionou a expansão árabe, que atingiu a península Ibérica, o Magreb, a Armênia, a Pérsia e a Índia, ativando as relações comerciais e culturais dessas regiões. Senhores
  • 7. de arquitetura bela e 15. O crescimento da portentosa, decorada população árabe, aliado à com arabescos e prática do butim, ao riquíssima azulejaria, os interesse comercial das árabes destacaram-se na elites árabes e ao preceito literatura (Corão, Mil e islâmico da jihad (conquista uma noites) e na difusão de novos fiéis), impulsionou das técnicas e saberes o processo de expansão no das regiões anexadas ao século VII. Além do seu império. Tornaram-se islamismo, a expansão assim uma ponte entre o árabe promoveu a difusão conhecimento antigo e a de técnicas agrícolas, Idade Média, entre o saberes medicinais e Oriente e o Ocidente. gastronômicos, até mesmo11. Soma = 3 (01 + 02) na Europa, através da (04) Maomé apresentou-se península Ibérica. A apenas como profeta e expansão tornou possíveis não como ser dotado de também as relações divindade. comercias entre os (08) A jihad refere-se à centros produtores da Ásia conversão de novas e as cidades da orla pessoas à religião oriental do mar Mediterrâ- islâmica. neo. Alexandria, Damasco e (16) A religião islâmica Bagdá, por exemplo, mescla elementos do estavam ligadas à Rússia, cristianismo e do China e Índia por vias judaísmo, pois nasceu em terrestres ou marítimas. um ambiente social e 16. b cultural muito Os historiadores reconhecem influenciado por essas que poucas vezes a humani- religiões. dade presenciou expansões12. d territoriais tão rápidasA unificação religiosa e como a que ocorreu com o política promovida por Império Islâmico. Parte Maomé deve ser dessa rápida expansão pode compreendida no contexto ser creditada ao poderio da sociedade árabe que dos exércitos imperiais vivia no período em que o islâmicos. profeta iniciou sua 17. V – V – V – F peregrinação religiosa e IV. A maioria islâmica do profética. Iraque é xiita.13. d 18. V – V – V – FEm 622, Maomé fugiu de Meca IV. Não se conhece em direção à cidade de divergência ou rivalidade Yatreb (depois nomeada de entre aqueles que Medina), e esse episódio descenderam de Maomé. ficou conhecido como hégira (emigração). Capítulo 3BaixaIdade Média14. e ConexõesOs movimentos expansionistas do Império O código canônico definiu as Islâmico iniciaram-se no atribuições da Igreja e Oriente Médio e depois reafirmou o pleno poder do dirigiram-se ao pontífice nos assuntos Mediterrâneo ocidental, espirituais, deixando aos chegando até o extremo reis a justiça dos súditos. oeste dessa região, na península Ibérica. Exercícios complementares
  • 8. 5. O crescimento parte dos europeus, depopulacional demandou um toda a bacia mediterrânea.aumento na produção dealimentos que foi obtida Tarefa propostacom o arroteamento. O 1. demprego de novas técnicas O renascimento comercialagrícolas nessas novas do século XII trouxe aáreas de cultivo resultou ampliação da circulaçãona produção de monetária, oexcedentes, que passaram desenvolvimento dasa ser vendidos nas cidades, transações bancárias e orevitalizando assim as empréstimo de dinheiro aatividades comerciais e a juros, condenado pelaárea urbana. Igreja. A usura, um dos6. c sete pecados capitais,O início do movimento tornou-se tema frequentecruzadista ficou marcado dos sermões e de outrospor seu caráter religioso, gêneros da literaturamotivado pela fé. O fim do medieval a partir domovimento ficou marcado século XIII, como o trechopor seus objetivos de A divina comédia, deexpansionistas e Dante Alighieri. As demaiscomerciais. respostas são, portanto,11. Enquanto os reis incongruentes epretendiam deixar de ser o extemporâneas ao texto.primus inter paris e 2. Na Baixa Idade Média, arecuperar o poder Igreja reabilita oexercido antes da trabalho, pois na Altainstauração do feudalismo, Idade Média o entendiaa burguesia, isto é, como uma forma de expiar omercadores e artesãos, pecado da humanidade.pretendiam ver-se livres Entretanto, condena ada interferência dos usura ousenhores feudais na área 4urbana. A proclamação dodireito canônico no séculoXIII favoreceu essesobjetivos. Enxergando naaliança com a burguesiaum meio de neutralizar opoder da nobrezasenhorial, os monarcasconcediam cartas defranquia ou forais àscidades. O documentoisentava as cidades detributos feudais, dava-lhes o direito de ter suaprópria administração, depossuir força militar e dearrecadar impostos embenefício das comunas.12. eUma das principaisconsequências domovimento cruzadista foi aobtenção do controlemarítimo e comercial, por
  • 9. o empréstimo a juros por ultramarinas, iniciada com a entender que o tempo tomada de Ceuta, no norte pertence a Deus e como da África, o que invalida as tal não pode ser alvo de afirmativas I e IV. A comercialização. O lucro afirmativa V é falsa só era bem-vindo se fosse porque o governante do fruto do trabalho reino de Leão não se honesto, e não da venda proclamou imperador da indevida do tempo divino. Espanha unificada3. a) Ao recordar a origem (acontecimento posterior pecaminosa da ao contexto da questão). humanidade, ao recordar 7. b o futuro incerto das A convocação das Cruzadas almas após a morte, a pelo papado foi Igreja orientava o prontamente atendida pela homem medieval a viver cavalaria dos reinos de mais no passado e no França e Inglaterra e futuro do que no resultou em conquistas presente. O desprezo definitivas na península pela vida mundana Ibérica. Ali, os reinos atravessava, em geral, cristãos formados a partir todos os segmentos da reconquista cristã sociais. A disposição em impulsionaram o lutar ou apoiar uma desenvolvimento de guerra santa era instituições públicas que entendida como uma alavancaram a formação oportunidade de abraçar do Estado ainda no século a morte, em particular, o XV. A superação do poder martírio, considerado uma militar dos muçulmanos e o graça divina. reconhecimento dab) A retomada das relações autoridade régia comerciais entre o garantiram condições para Oriente e o Ocidente; o o investimento nas enriquecimento de muitos expedições marítimas que cruzados; a fundação de estenderam o poder desses reinos cristãos no reinos sobre a África, Ásia Oriente e na península e América no período Ibérica. moderno. Tendo em vista o4. a) Muçulmanos. exposto, apenas ab) Fim da hegemonia árabe no alternativa b é correta. mar Mediterrâneo, que 8. a) Jerusalém era impulsionou o considerada um lugar renascimento comercial e santo do cristianismo urbano do Ocidente. pelo fato de o santo5. V – V – F sepulcro de Jesus CristoAs duas narrativas encontrar-se nela. demonstram que a b) A Guerra na Tchetchênia, hostilidade entre cristãos na qual tropas russas e muçulmanos era (formadas por soldados recíproca e resultou em cristãos ortodoxos) atos de extrema violência, combateram a guerrilha o que invalida a afirmação separatista tchetchena, III. As demais estão de religião islâmica, e a corretas. chamada “guerra contra o6. F – V – V – F – F terror”, movida atualmente pelos EUA eCoube a Portugal e depois a seus aliados contra Castela e a Aragão a países muçulmanos liderança das conquistas
  • 10. identificados como planejamento e propícias membros do “eixo do mal”. às epidemias e incêndios,9. b constituindo-se em novosComposta por mercadores centros de trocas ee artesãos, a burguesia realização de atividadesmedieval aliou-se ao poder comerciais.régio. Primeiramente, para 13. V –V – V – Fenfrentar os senhores IV. A crise do século XIVfeudais, cujo interesse ajudou a projetar oera manter a cobrança de poder régio e a fazertaxas que oneravam os frente ao poder feudal,custos das relações pois as alternativas decomerciais. Segundo, para resposta à crise foramamenizar o impacto do dadas pela realeza,discurso da Igreja que sobretudo ibérica, queassociava o mercador ao patrocinou a expansãousurário, excluindo-o de marítima, que dinamizou oser alvo da graça de Deus comércio na Europa, aopor cometer um pecado trazer metais preciosos,capital. especiarias e matérias-10. c primas usadas nasDurante o crescimento manufaturas. Apopulacional, urbano e combinação dessescomercial da Baixa Idade elementos fortaleceu aMédia, surgiram os área urbana, atraindoartesãos e comerciantes, cada vez mais aque lucravam com a população rural.fabricação e venda de 14. cmercadorias e o em- Durante o renascimentopréstimo de dinheiro. comercial e urbano, as11. F – F – V – V feiras se estabeleceram, I. O renascimento urbano em âmbito continental, é um fenômeno da Baixa como locais de referência Idade Média. Iniciou-se no para a realização de século XII a partir da trocas comerciais. produção dos excedentes 15. d agrícolas e dinamizou as A alternativa a é incorreta relações comerciais na porque define as Europa, em particular na transformações península Itálica. econômicas como algo II. As comunas italianas, externo ao regime feudal, formadas por quando, na verdade, são mercadores e artesãos, resultado da produção de deram origem a excedentes no repúblicas que lutaram 5 pela manutenção de sua autonomia, dificultando a consolidação do poder monárquico.12. Durante a Idade Média ea retração do comércio, ascidades passaram a ter umpapel secundário. Estasrecuperam sua importânciacom a reabertura do marMediterrâneo. As novascidades surgemdesorganizadas, sem
  • 11. campo; a alternativa b é exercia sobre a sociedade incorreta, pois a Liga feudal, seu poder político Hanseática foi criada no e sua influência sobre a século XIII; o economia. renascimento comercial é 18. No século XI, o rei era um fenômeno do século apenas o primeiro entre os XII; as invasões bárbaras cavaleiros do reino, dividia provocaram a ruralização o poder de julgar e punir da Europa e não o com outros senhores desenvolvimento urbano. feudais. No século XII, o16. c surgimento de outroAs corporações de ofício segmento social com eram associações interesses contrários aos compostas por homens de da nobreza favoreceu a um mesmo ofício que reabilitação da figura controlavam a produção e régia. A proteção que o rei o comércio de produtos concedeu às comunas, artesanais. Definiam o garantindo-lhe liberdade preço dos produtos, administrativa e isenção de controlando a impostos, rendeu-lhe uma concorrência. Forneciam o aliança política importante. aprendizado do ofício e o O investimento régio na título de mestre àqueles criação das universidades que soubessem nas cidades permitiu, desempenhá-lo igualmente, a formação de adequadamente. Essas quadros profissionais que atribuições eram definidas organizaram o direito régio, pelos interessados em auxiliando o rei a ajuntamentos concentrar novamente em (assembleias) suas mãos o direito de configurando, portanto, um julgar e punir. cartel. A alternativa a refere-se a Capítulo 4A culturado Ocidente medieval e estabelecimentos de ensino; as alternativas b e acrise do século XIV e referem-se a Conexões organizações religiosas, e Os cátaros fundaram uma a alternativa d é Igreja, com clero próprio, disparatada porque os os perfectae (perfeitos), senhores feudais não ao passo que os estavam organizados em franciscanos nunca associações profissionais. desafiaram abertamente as17. a) As revoltas urbanas na autoridades religiosas. Por Idade Média, contrárias isso, apesar de ao poder feudal. revolucionarem as práticasb) O dinamismo das atividades espirituais de seu tempo e comerciais e as lançarem luz sobre outros pretensões da emergente valores, eles foram burguesia chocavam-se acatados no seio da Igreja com as estruturas católica. Tudo fizeram feudais que tendo como base os textos obstaculizavam a bíblicos, tornando autonomia das cidades e impossível a reação papal. o desenvolvimento das atividades mercantis. Exercícios complementaresc) A ascensão das cidades ameaçava a hegemonia 5. d que a Igreja medieval
  • 12. A universidade fundada na 1. V – V – V – Vcidade de Bolonha, no ano I. Os povos que invadiramde 1119, é a primeira de o Império Romano eque se tem história. iniciaram a formação dos6. Escrita pelo próprio reinos bárbaros naFrancisco, a regra era Europa, de modo geral,mais rigorosa que a de São não conheciam aBento, ao impedir a comunicação escrita.propriedade de qualquer II. A escolástica foi umabem material. Previa ainda das correntes deque os franciscanos se pensamento existentes nodedicassem ao trabalho período medieval.manual, podendo mendigar III. O teocentrismocomo os pobres para medieval também se fezobterem alimento; proibia presente na arquitetura.qualquer reação às IV. Os exemplos dahostilidades da população literatura medievale restringia o uso de uma citados na teoria domontaria a casos de capítulo comprovam que oextrema necessidade, heroísmo da cavalaria e oporque os frades deveriam amor foram temasandar a pé, tal como os literários do período.apóstolos. 2. Soma = 59 (01 + 02 + 08 + 1611. F – V – V – V – V + 32) I. Com a diminuição da ( 04) O renascimento oferta de mão de obra, o urbano propiciou o custo dos salários desenvolvimento aumentou. intelectual e artístico12. O preço elevado dos da Idade Média, atéalimentos, a cobrança de mesmo favorecendo aaltas taxas pelo senhorio criação de universidades.e o vazio de poder abalado 6com a Guerra dos CemAnos propiciaram um climade revolta no seio docampesinato. Em 1358, apósuma reunião de campo-neses em uma aldeia nosarredores de Paris, umgrupo de homens armadosinvadiu a propriedade dosenhor local, matando suafamília e incendiando suapropriedade. A violênciaalastrou-se por outrasvilas e aldeias do reino.Em vários lugares, oscamponeses pilharam equeimaram senhorioslaicos e eclesiásticos. Arevolta, conhecida comoJacquerie, por causa donome de seu líder, foi, noentanto, esmagada pelanobreza.Tarefa proposta
  • 13. 3. F – V – F – F – VI. Dante e Boccaccio foram dois expoentes da literatura do fim da Idade Média.III. As canções trovadorescas procuravam, ao contrário, exaltar a mulher.IV. Gótico e românico são estilos medievais, rococó é considerado a variação profana do estilo barroco. Remete, portanto, ao período moderno.4. V – F – V – V – FII. O estilo gótico é posterior à colonização dos germanos e godos na Europa ocidental.V. Houve uma grande mudança de estilo entre o românico e o gótico. Tais diferenças podem ser facilmente observadas nas imagens ilustrativas da teoria do capítulo.5. A recuperação de terras sob domínio muçulmano, na península Ibérica e no Oriente Médio, aqueceram as relações comerciais entre o Oriente e o Ocidente, fomentando o desenvolvimento dos espaços de troca como as cidades. A necessidade de organizar a administração urbana e régia, combinada à ambição de muitos burgueses de verem seus filhos trabalhando para a realeza ou ingressando em ordens religiosas, impulsionou a formação das universidades.6. eFrei Tomás de Aquino elaborou uma síntese entre o cristianismo e o pensamento do filósofo grego Aristóteles, na qual se empenhou em demonstrar racionalmente a existência de Deus e os funda- mentos lógicos da fé cristã. Ele defendia o uso da razão como um instrumento para aperfeiçoar e fé e não sua inimiga.7. A expressão remete ao pensamento de Santo Tomás de Aquino, o principal expoente da escolástica medieval. Para Santo Tomás, a razão era também a chave da busca do conhecimento quando o assunto era religião. Defendia a ideia de que Deus era um ser racional que poderia ser compreendido pelo homem, ainda que de modo imperfeito.8. eAs ideias de Roger Bacon expressam um dos princípios humanistas que viriam a nortear o pensamento no início da época moderna: o homem era a obra mais perfeita da criação divina.9. a) A palavra vem do grego hairesis e quer dizer “escolha”. Portanto, heresia era toda aquela doutrina contrária aos dogmas definidos pela ortodoxia romana ou bizantina.b) A igreja combatia as heresias por meio da pregação, quer dizer, fazendo uso da palavra; por meio da punição, isto é, excomungando o fiel, e por meio da perseguição e repressão, ou seja, fazendo uso da Inquisição.
  • 14. 10. a) A prática de emprestar dinheiro com a cobrança de juros.b) Porque a Igreja católica considerava o tempo como tendo sido criado por Deus; consequentemente, seu uso para a obtenção de lucro era considerado imoral. c) O desenvolvimento do capitalismo na Baixa Idade Média, levando a uma crescente circulação da moeda, provocou uma expansão das práticas usurárias, pois se tornou frequente recorrer a empréstimos para realizar alguma atividade lucrativa. 11. b As demais alternativas são incongruentes: extemporânea à questão (a); o poder real se beneficia da crise porque se apodera das terras abandonadas (c); o renascimento comercial e urbano do século XII foi um tempo de prosperidade e não de crise (d). 12. b O conteúdo do texto citado e o período em que foi escrito só permitem identificar a peste negra como a responsável pela sobrevivência das pessoas. 13. e As demais alternativas são extemporâneas ao século de que trata a questão. 14. a) Foi por meio de atividades comerciais dos italianos na Ásia que a peste chegou até a Europa, trazida em navios mercantes que carregavam ratos, que traziam a pulga infectada. b) Dizimou um terço da população europeia. 15. Soma = 26 (02 + 08 + 16) (01) A Baixa Idade Média não surgiu após a queda de Roma, além de ter sido marcada por um notável florescimento da cultura intelectual. (04) As Cruzadas ampliaram o espaço de devoção oficial ao cristianismo, permitindo até mesmo a fundação de reinos cristãos no Oriente. (32) A aliança entre o rei e os mercadores foram fundamentais para a consolidação das monarquias feudais. 16. a) Revoltas como a Jacquerie, na França, estavam vinculadas à intensa exploração imposta sobre os servos camponeses por meio das obrigações servis (talha, corveia e banalidades). b) A fome. 17. b A origem da Guerra dos Cem Anos está relacionada à disputa de territórios entre Inglaterra e França no continente europeu. 18. c As demais alternativas estão incorretas porque a tomada de Orléans ocorreu em 1429 e o fim da
  • 15. guerra ocorreu em 1453, na Batalha de Castillon (a e e). Joana d’Arc já havia sido queimada como herege pelos ingleses; Joana d’Arc foi entregue aos ingleses pelos borguinhões (b); Joana d’Arc era camponesa e não aristocrata (d).7

×