• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Métodos de Pesquisa e Análise em Design
 

Métodos de Pesquisa e Análise em Design

on

  • 524 views

Como entender as pessoas e suas experiências pode te ajudar a gerar soluções de design? Paulo Fanton, nosso UX Designer aqui na Neue Labs, fala sobre a importância de simular o contexto do ...

Como entender as pessoas e suas experiências pode te ajudar a gerar soluções de design? Paulo Fanton, nosso UX Designer aqui na Neue Labs, fala sobre a importância de simular o contexto do usuário para ter bons insights nessa palestra sobre Métodos de Pesquisa e Análise em Design.

Os slides fazem parte do Neue T, nosso encontro semanal de aprendizagem e socialização de conteúdos, que traz assuntos de dentro e fora das startups e que acontecem toda sexta-feira.

Você pode acompanhar o Neue T ao vivo, sempre às 17h30, pelo nosso canal no Livestream: http://bit.ly/livestreamneue

Todo material é livre para download, cópia e alteração

Statistics

Views

Total Views
524
Views on SlideShare
520
Embed Views
4

Actions

Likes
3
Downloads
15
Comments
0

2 Embeds 4

http://neuelabs.com 3
http://meuportifa.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-ShareAlike LicenseCC Attribution-ShareAlike License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Métodos de Pesquisa e Análise em Design Métodos de Pesquisa e Análise em Design Presentation Transcript

    • Métodos de análise e pesquisa em Design Como entender as pessoas e suas experiências para gerar soluções de design neuelabs
    • Agenda 1. Considerações iniciais 2. Abordagem 3. Métodos de pesquisa e análise
    • Agenda 1. Considerações iniciais 2. Abordagem 3. Métodos de pesquisa e análise
    • Considerações iniciais Os processos apresentados podem ser aplicados em diversas etapas do projeto e de formas variadas, podendo ser adaptados à cada situação. Cada tópico será apresentado com Objetivo e Processo.
    • Agenda 1. Considerações iniciais 2. Abordagem 3. Métodos de pesquisa e análise
    • Abordando estranhos Toda abordagem com usuários deve ser feita respeitando a privacidade do usuário, apresentando o quê será pesquisado e como será feita a pesquisa. Qualquer risco à integridade física ou moral deve ser devidadmente esclarecido antes do teste. Um termo de consentimento deve ser entregue e assinado por todos os participantes. Seja simpático durante todo o processo e tente gerar empatia com os usuários.
    • Agenda 1. Considerações iniciais 2. Abordagem 3. Métodos de pesquisa e análise
    • Ferramentas de empatia Objetivo: Compreender o contexto de usuários com dificuldade na realização de determinadas tarefas. Processo: Selecione o problema ou dificuldade a ser avaliada e busque ferramentas que ajudem a simular o contextos dos usuários. Tempo de execução das tarefas e precisão nas atividades podem ser utilizadas como métricas
    • Ferramentas de empatia
    • Análise de erro Objetivo: Descobrir os erros que podem ocorrer durante o uso do produto e suas origens. Processo: Listagem de diversos problemas criados pelo ambiente ou pelo usuário que podem ocorrer durante o uso. A análise de erros pode ser feita usando como referência cenários, pesquisa empírica ou durante uma simulação de uso do produto.
    • Análise de erro
    • Entrevistar os extremos Objetivo: Descobrir problemas, questões e gerar insights a partir de usuários com perfis muito diferentes. Processo: Selecione usuários que esteja completamente familiarizado ou desfamiliarizado com o produto, faça uma pesquisa qualitativa com cada pessoa. O número de insights gerados durante a pesquisa será maior do que na utilização de usuários medianos. O produto poderá atender os extremos com eficácia.
    • Entrevistar os extremos
    • Cinco “porquês” Objetivo: Encontrar o problema real por trás de uma solicitação de projeto. Ajuda a identificar as reais “dores” do cliente. Processo: Pergunte o porquê cinco vezes consecutivamente para cada resposta que o stakeholder fizer a respeito do projeto/produto.
    • Por quê?
    • Cinco “porquês” Processo: Não precisam ser extamente cinco vezes muito menos consecutivamente, mas é importante ser aplicado de forma a conseguir alcançar o motivo do projeto.
    • Análise histórica Objetivo: Identificar tendências e atividades cíclicas de uso do produto, comportamento do mercado e padrões de consumo. Processo: Compare qualidades e diferenciais de um segmento, indústria ou grupo durante vários estágios ao longo do tempo.
    • Análise histórica
    • Narration Objetivo: Similar com Think Aloud, essa técnica explora as dúvidas e percepções dos usuários durante a utilização do produto/serviço. Processo: Peça ao usuário para descrever em voz alta o que ele está pensando durante o processo de utilização o produto ou durante a execução de uma tarefa específica.
    • Narration
    • Protótipo em papel Objetivo: Prototipação rápida e de baixa fidelidade, serve como guia para concepção de novos produtos e validação da proposta de valor. Processo: Desenhe as telas da interface e seu fluxo de navegação tela por tela, durante a criação das interfaces e das etapas de navegação será possível encontrar pontos de atenção e oportunidades para o produto. Também é possível realizar testes com usuários para validar a ideia do produto.
    • Protótipo em papel
    • Protótipo em papel
    • Inventário pessoal Objetivo: Identificar atividades praticadas pelos usuários, percepções de valor e padrões no comportamento. Processo: Documente objetos que são considerados importantes para os usuários de forma a delinear seu lifestyle.
    • Inventário pessoal
    • Etnografia rápida Objetivo: Compreender de forma produnda o ambiente, hábitos, comunicação e elementos relevantes para o usuário dentro do seu contexto de uso. Processo: Passe o máximo de tempo possível com usuários que tenham grande relevância para o projeto. Visite seu “habitat” e observe atividades específicas.
    • Etnografia rápida
    • Persona Objetivo: Manter o foco no usuário principal durante todas as etapas do projeto e agilizar tomadas de decisão que impactem diretamente o público principal. Processo: Com base em dados (google analytics, entrevistas, pesquisa etnográfica) são criados entre 3 e 7 personas. A persona contempla informações socio-culturais, expectativas, frustrações e comportamento daquele grupo representado. Sempre é eleita a persona principal, para a qual são focados os principais esforços do projeto.
    • Persona
    • Cenários Objetivo: Esse processo ajuda a comunicar e testar a efetividade de uma ideia dentro do seu contexto de uso, sujeito a diversas interferências do ambiente. Processo: Crie um texto ou storyboard rico em detalhes descrevendo o contexto de uso de um produto ou serviço. O cenário pode ser melhor aproveitado se já houverem sido criadas personas
    • Cenário
    • Cenário
    • Encenação /role-playing Objetivo: Compreender as situações e tomadas de decisão dentro de diversos contextos da empresa/produto e desenvolver a empatia da equipe do projeto com os clientes. Também ajuda a levantar questões importantes sobre o produto/serviço. Processo: Identifique os stakholders envolvidos ecossistema do produto e designa um papel para cada membro da equipe. Interprete o papel de um stakeholder em um cenário real ou imaginário
    • Role playing
    • Mapa de rede social Objetivo: Entender o comportamento dos usuários, forma de comunicação em diferentes grupos e a estrutura da relação pessoal/profissional que é estabelecida e suas interações. Processo: Busque por comportamentos diferentes em grupos sociais distintos aos quais o usuário pertença. Mapeie as formas de interação, estrutura hierarquica e referências culturais.
    • Mapa de rede social
    • Um dia na vida /A day in the life Objetivo: Levantar questões e pontos de atenção importantes através da rotina e das circustâncias que o usuário pode experienciar. Processo: Catalogue as atividades e contextos do principal usuário do produto, simule sua rotina e as experiências inerentes de cada contexto. Essa rotina pode ser mantida por semanas enquanto beneficiar a pesquisa.
    • A day in the life
    • Diagrama de afinidades Objetivo: Identificar conexões entre elementos do universo do usuário, desenvolver novas analogias e descobrir novas oportunidades para o produto. Processo: Agrupe elementos (textos ou imagens) de acordo com a relações supostas entre eles. As principais relações são similaridade, dependência, proximidade etc.
    • Diagrama de afinidades
    • Diagrama de afinidades
    • Card sort Objetivo: Encontrar relações entre assuntos, termos e estrutura organizacional das ideias, abrindo margem para identificar o modelo mental dos usuários. Processo: Decida o que vai ser avaliado (software, website, tarefas etc) e se o teste será vertical ou horizontal, aprodundado em alguma feature ou superficial por todo o produto. Escreva as palavras em cartões e dê instruções ao grupo de usuários para organizá-los em grupos.
    • Card sort Processo: Outra maneira de aplicar o card sorting, que varia de acordo com o estágio do projeto, é pedir para os usuários escreverem individualmente uma lista de palavras sobre um tópico específico. Após essa etapa são comparadas as listas e criada uma nova lista de acordo com a relevância, essa lista é separada em grupos de palavras. Ao final cada grupo recebe um título.
    • Card sort
    • Perguntas?
    • Até breve. paulo.fanton@neuelabs.com neuelabs.com neuelabs