Your SlideShare is downloading. ×
0
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Em Vila Do Conde Pode Ver2
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Em Vila Do Conde Pode Ver2

1,720

Published on

Published in: Technology, Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,720
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Em Vila do Conde pode ver:
  • 2. O Aqueduto Esta obra teve a sua origem no facto das freiras de Santa Clara terem comprado uma nascente, no ano de 1628 em Terroso,.para providenciar os gastos de água do convento. Para resolverem o problema do transporte da água desse local até Vila do Conde mandaram construir o aqueduto. Este foi construído entre 1705 e 1714, tendo demorado apenas nove anos a ser concluído. Sendo a água conduzida em cano sobre os 999 arcos.
  • 3. Mosteiro de Santa Clara Ex-libris de Vila do Conde é uma construção do século XVIII, que veio substituir o convento original. E que se situa num monte donde se debruça sobre o rio Ave.
  • 4. Igreja do Mosteiro de Santa Clara Igreja de estilo Gótico iniciada no ano de 1318. No lado norte da igreja situa-se a Capela dos Fundadores, do século XVI, onde se situam as arcas tumulares de D. Afonso Sanches, D. Teresa Martins e de dois filhos.
  • 5. Igreja Matriz de Vila do Conde A igreja matriz de Vila do Conde começou a ser construída no ano de 1496, por vontade do povo da vila. No entanto só com o apoio de D. Manuel I, tendo o sido concluída em 1518.
  • 6. Igreja de Nosso Senhor dos Navegantes Igreja desenhada pelo arquitecto e sacerdote Manuel Gonçalves e retrata a fé do povo caxineiro.
  • 7. Capela do Socorro A capela foi fundada em 1603, por Gaspar Manuel, que se encontra lá sepultado. O Interior está decorado com belíssimos azulejos do século XVIII.
  • 8. Forte de S. João Baptista Forte construído no tempo da dinastia Filipina. Para defesa do rio Ave. Durante a guerra entre miguelistas e liberais o Governador do forte, Sá Noronha, era apoiante de D. Miguel e impediu o desembarque dos Liberais que acabaram por desembarcar mais a Sul.
  • 9. Alfândega Régia Museu da Construção Naval Criada pelo rei D. João II, por carta de 22 de Fevereiro de 1487. O edifício ao longo do século XVIII, sofreu várias ampliações. Hoje encontra-se lá o Museu da Construção Naval.
  • 10. Igreja de Nossa Senhora da Lapa Templo barroco cujo traçado é atribuido a Nicolau Nasoni. A confraria de Nossa Senhora da Lapa mantém o culto dos Reis Magos, em vésperas de Dia de Reis, a cavalo e vestidos a rigor percorrem as ruas da cidade.
  • 11. Ponte de D. Zameiro Ponte de D.Zameiro de construção medieval, é um testemunho das pontes de pedra desta época, construída pela conjugação dos dinheiros públicos e privados.
  • 12. Ponte sobre o Rio Este Ponte mandada construir, no século XIX, por Fontes Pereira de Melo e foi um importante melhoramento na estrada do vale do Ave.
  • 13. Agora as Lendas:
  • 14. A Lenda de Berengária ''Conta-se que a certa altura da história do Convento de Santa Clara de Vila do Conde havia bastante relaxamento na vida religiosa das monjas. Orgulhosas, recusavam os trabalhos, davam-se a falatórios inconvenientes e eram pouco zelosas em acorrer à reza das horas canónicas.'' ''Mas havia uma excepção, a irmã Berengária. Humilde, cumpridora, imitava os melhores exemplos das passadas Clarissas, não se furtando às tarefas mais humildes, que executava com alegria e sentido fraterno. ‘' ''Aconteceu entretanto que a abadessa morreu e foi preciso eleger a sucessora. Havia muitas interessadas no cargo, que dava autoridade e visibilidade social. Quem não pensava nisso era sem dúvida a solícita Berengária.'' ''Na hora da eleição, cada uma das eleitoras, para que as amigas não acedessem ao abadessado, votou do modo que menos pudesse prestar – na Berengária – pensando assim protelar a decisão, ao entregar o voto a uma incapaz.'' ''Mas, quando a irmã Berengária verificou que tinha sido eleita segundo todas as regras, decidiu aceitar o lugar. Não o tinha pedido, mas não o recusava.'' ''As outras monjas mofavam e recusavam-se a obedecer-lhe: que a votação não fora a sério.'' ''Perante a rebeldia manifestada, a nova abadessa foi firme e ousada: mandou que as suas antecessoras, que ali jaziam sepultadas, viessem prestar-lhe a homenagem de obediência que as freiras vivas recusavam.'' ''Eis então que as antigas abadessas se erguem das sepulturas e ali se mostram em atitude respeitosa.''
  • 15. Lenda de Rio Mau Há muitos anos ouviu-se falar muito do rio negro pois ele tem uma lenda, que as pessoas que queriam fugir à guerra atiravam-se ao rio negro e com a morte dessas pessoas dessas pessoas o rio ficava vermelho por isso chamam-lhe rio mau. Tradição Oral Joaquim Ferreira
  • 16. Pão Doce O Pão Doce de Vila do Conde era tradicionalmente confeccionado, por alturas da Páscoa, nos fornos a lenha das casas agrícolas era oferecido como folar aos afilhados que visitavam os padrinhos em domingo de Páscoa.
  • 17. 6º A Vila do Conde História e Monumentos O seu povoamento é pré-romano, como comprova a existência de castros. Em 1516, foi lhe concedido foral por D. Manuel I. Em 1871 é elevada a sede do concelho. Do património edificado do concelho, destacam-se o convento e igreja de Santa Clara, a igreja do convento de S. Francisco, o mosteiro de S. Simão da Junqueira, do século XI, o aqueduto de Vila do Conde, a igreja Matriz, o edifício da Câmara, do século XVI, a capela da Nossa Senhora da Guia (antigo forte de S. Julião), a igreja de S. Cristóvão de Rio de Mau, a igreja de Azurara, o Castelo de S. João Baptista próximo da Foz do Rio Ave, do século XVII, o castro de Bagunte e o pelourinho de Vila do Conde.

×