• Save
Aprendizagem Organizacional
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Aprendizagem Organizacional

on

  • 7,312 views

 

Statistics

Views

Total Views
7,312
Views on SlideShare
7,291
Embed Views
21

Actions

Likes
4
Downloads
0
Comments
0

2 Embeds 21

http://www.slideshare.net 20
http://www.slideee.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Aprendizagem Organizacional Presentation Transcript

  • 1. O Conhecimento e a Aprendizagem Organizacional LFM – PT SGPS /AHC – JUL06
  • 2. “ Na sociedade e nas organizações de hoje, as pessoas trabalham cada vez mais com o conhecimento, mais do que com as competências. Mas o conhecimento transforma-se a si mesmo e torna-se obsoleto muito rapidamente.” “ Os profissionais do conhecimento devem assumir a responsabilidade pelo seu próprio desenvolvimento e colocação no mercado de trabalho” Peter F. Drucker on Asia
  • 3.
    • A Sustentabilidade implica a orientação da gestão e do governo das sociedades para a criação de valor para os stakeholders .
    • Uma rápida adaptação das estratégias e modelos de gestão em consonância com estes desafios é a fonte emergente da criação de valor accionista e de vantagem concorrencial
    Como medir o Crescimento Sustentado? Actualmente, a melhor forma de o efectuar, consiste no seguimento dos critérios do: Dow Jones Sustainability Index Crescimento Sustentado Um dos principais desafios que as empresas enfrentam O gap médio de capitalização bolsista entre as empresas que fazem e as que não fazem parte do DJSI em 2004/05 foi cerca de … 40%
  • 4. Dow Jones Sustainability Index Dimensões Critérios Pesos AMBIENTAL ECONÓMICA SOCIAL • Codes of Conduct ( Ethics ) • Corporate Governance • CRM – Customer Relationship Management • Investor Relations • Risk and Crisis Management • Scorecards / Measurement Systems • Strategic Planning • Industry Related Criteria 4.2 5.4 3 3.6 4.2 4.2 4.2 variable • Codes of Conduct ( Ethics ) • Corporate Governance • CRM – Customer Relationship Management • Investor Relations • Risk and Crisis Management • Scorecards / Measurement Systems • Strategic Planning • Industry Related Criteria 4.2 5.4 3 3.6 4.2 4.2 4.2 variable • Environmental Management • Environmental Performance • Environmental Reporting • Industry Related Criteria 4.8 3.6 1.8 variable • Environmental Management • Environmental Performance • Environmental Reporting • Industry Related Criteria 4.8 3.6 1.8 variable • Corporate Citizenship • Stakeholders Engagement • Labor Practice Indicators • Human Capital Development • Knowledge Management / Organiz . Learning • Social Reporting • Talent Atraction & Retention • Standards for Suppliers • Industry Related Criteria 2.4 3.6 3 3 3 1.8 3 2.4 variable • Corporate Citizenship • Stakeholders Engagement • Labor Practice Indicators • Human Capital Development • Knowledge Management / Organiz . Learning • Social Reporting • Talent Atraction & Retention • Standards for Suppliers • Industry Related Criteria 2.4 3.6 3 3 3 1.8 3 2.4 variable
  • 5.
    • O Conhecimento e o Desenvolvimento de Competências
  • 6. 2º Momento – A avaliação da Chefia 1º Momento – A auto-avaliação 3º Momento – Reunião de feedback 4º Momento – Avaliação Ascendente Momentos de Avaliação de Performance PT Planos de Desenvolvimento Pessoal Mobilidade Formação Evolução na Carreira Avaliação de Objectivos Prémio / Remuneração variável
  • 7. Avaliação
  • 8.  
  • 9. O Conhecimento
  • 10. O Conhecimento
  • 11. INICIATIVA RECONHECER COMPETÊNCIAS O Objectivo PT – até 2010: Fazer do 12º ano de escolaridade, o referencial mínimo de todos os colaboradores do Grupo PT Integrado na :
  • 12.
      • Sistema RVCC – Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências
  • 13.
    • Elementos da Campanha em 2006
    • Cartazes
    • Booklet
    • Newsletter de AH
    • e PT (intranet do Grupo)
    • Corporate TV
    • Revista
    • Call Center eDirecto
    • Envolvimento e completa integração no CAMPUS PT
  • 14.
    • O CAMPUS PT ( www.Campuspt.pt )
  • 15.
    • Objectivos:
      • Desenvolver uma formação contínua partilhada com o objectivo da implementação de uma learning organization ;
      • Desenvolver o espírito de grupo e uma cultura empresarial própria;
      • Utilizar a formação como um instrumento estratégico de gestão de forma a acelerar os processos de mudança;
      • Permitir o desenvolvimento de competências e a aquisição do conhecimento de forma coerente e uniforme no Grupo PT;
      • Introduzir economias de escala no procurement da formação comum.
  • 16.
    • Conceito do CAMPUS PT:
      • É por excelência o espaço de aprendizagem de todo o colaborador do Grupo PT;
      • Funcionamento e gestão da formação de forma integrada e harmonizada, de forma a oferecer a cada colaborador um percurso formativo compatível com:
        • as suas aspirações profissionais,
        • a estratégia empresarial e corporativa de desenvolvimento de negócios;
        • e o desenvolvimento de competências individuais.
  • 17. O conceito de Campus PT Universidades Politécnicos Entidades Formadoras Institutos de Formação Empresas do Grupo Plataforma Assíncrona Plataforma Síncrona Formadores Aplicação de Gestão Formandos Formação Presencial Campus Virtual Portal de acesso Graus Académicos Avaliação de Diagnóstico Formativa Sumativa Avaliação Validação Formadores Ambiente Web Ambiente Web Validação Recursos & Serviços Portal de acesso Portal de acesso Mestrados MBA’s Pós-Graduações Inovação
  • 18. O enquadramento do e-learning na PT
    • Como parte integrante deste conceito está o e-learning, o qual se equaciona não como um objectivo em si, mas como uma ferramenta essencial para se atingir os objectivos referidos;
    • A forma como enquadramos o e-learning insere-se no modelo de formação do Grupo nas seguintes áreas:
      • Formação Mínima básica
      • Formação Contínua (visa o des. de competências comuns)
      • Formação Específica de Negócio (visa o des. de competências específicas para cada área de negócio)
      • Formação Estratégica (normalmente associada a processos de mudança)
    • O e-learning na PT, em termos de modelo pedagógico, assume o fundamentalmente o formato do blended-learning, para o qual se define:
      • A elaboração de PIP – Planos de Implementação Pedagógicos;
      • Pilotos de Avaliação;
      • Processo de Implementação e massificação.
  • 19. Acesso ao CAMPUS PT virtual
  • 20. Aula Virtual no CAMPUS PT
  • 21. unidade excelência confiança competência responsabilidade social Desenvolvimento de uma CULTURA EMPRESARIAL Programa de Desenvolvimento de Competências de Gestão e Liderança, em formato b-learning
  • 22. Exemplo dos Conteúdos de auto-estudo
  • 23. Estrutura do Skipper ACADEMIA DE GESTÃO Módulos 1- Visão Estratégica 2- Orientação para o Cliente 3- Orientação para o Mercado 7- Gerir Pessoas 8- Desenvolver Equipas 9- Cultivar os Valores 4- Formular e Analisar Problemas 5- Gestão por Objectivos 6- Tomada de Decisão 13- Inovação e Criatividade 11 - Comunicação Interpessoal 10- Comunicação Organizacional 12- Abertura à Mudança 14- Aprendizagem Contínua 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14
  • 24. ACADEMIAS no CAMPUS PT Avaliação . Formandos . Satisfação e . de Eficácia Identificação individual das competências a desenvolver Determinação de necessidades de Formação Objectivos de Formação SKIPPER Gap de Competências Inicial O R I E N T A Ç Ã O 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 Oferta de Formação 2 5 8 12 Percurso formativo Individual
  • 25. Micro-informática
    • Micro-informática – Processo de Certificação ECDL/ICDL
    • (4 exames: certificação – start ou 7 exames: certificação completa )
    • Independente do processo de formação, a certificação ECDL/ICDL assume particular relevância para técnicos não Quadros, na medida em que: valoriza globalmente os Activos Humanos das Empresas, potencia enormemente a sua produtividade e a introdução de novas metodologias de formação associadas ao e/b-learning .
  • 26. Micro-informática
  • 27. Micro-informática
    • Micro-informática - básica subordinada ao Syllabus ECDL/ICDL
    • (7 cursos)
      • Formação de auto-estudo on-line (manuais de auto-estudo livre);
      • Formação b-learning (formação baseada em conteúdos WIT e com um PIP definido);
      • Formação Presencial só para os primeiros 2 cursos do syllabus e para quem ainda não teve qualquer contacto prévio com o PC.
  • 28.
      • SAP PRO UNO – Formação no ERP do Grupo PT gerido pela PT PRO
      • Portal do Colaborador – Formação na utilização do Portal para todos os colaboradores
      • KISS (Siebel) – Formação em CRM para a a TV Cabo numa 1ª fase
      • Higiene e Segurança no Trabalho – Formação obrigatória em fase de massificação
    Outros Programas
  • 29. Pilotos em finais de 2005 e Janeiro de 2006 Finanças para Executivos não Financeiros Implementação do SGQ – ISSO 9001
  • 30.
      • Gestão prospectiva – Novos Mundos – (formação b-learning complementar do Skipper)
      • PMP (Project Mgmt Prof) (formação b-learning para certificação PMI)
      • Formação de formadores em formato blended learning para atribuição do CAP
      • Marketing de Serviços – LO em desenvolvimento
      • Avaliação Económica e Financeira de Projectos – LO em desenvolvimento
      • 9 Learning Objects em desenvolvimento sobre tecnologias e serviços PT que são:
        • Telecomunicações para não especialistas
        • VoIP
        • Int. ao IP
        • 3G
        • Wifi e WiMax
        • Plataformas de triple play
        • Int. ao Ethernet
        • Convergência de Redes
        • VPN/Ethernet
    Outros Programas
  • 31.
      • Novas bases de implementação e ligação com o sistema de avaliação de competências
        • Toda a oferta de formação do Grupo PT é disponibilizada em Catálogo único suportado em SAP PRO UNO podendo ser consultado por todos os DRH/Responsáveis de Formação.
        • Áreas de Formação contempladas:
            • Comercial e Marketing
            • Comportamental
            • Gestão
            • Idiomas
            • Sistemas de Informação
            • Tecnológica
            • Formação Geral
            • Formação de Natureza Académica
        • Mais de 250 acções de formação constituem a oferta global em 2006.
    Políticas de Formação
  • 32.
      • Sistema da avaliação da Formação
        • Avaliação dos nível de conhecimentos
        • Avaliação de satisfação
        • Avaliação de eficácia e de impacto
        • Avaliação específica ao e/b-learning
          • Análise de viabilidade (técnica e financeira) prévia
          • Avaliação e normalização de Conteúdos
          • Análise comparativa entre a formação presencial tradicional e a formação e/b-learning.
    Políticas de Formação associadas ao e-learning
  • 33. Resultados de toda esta estratégia
    • Indicadores de formação do Grupo PT
    Taxa de Cobertura (2005): é de 80% com uma duração média por colaborador de cerca de 25h Vol. Formação (03-05): cresceu 73% atingindo mais de 330 mil horas x aluno
  • 34.
    • Massificação em 2006 e alguns casos associados à Formação específica de Negócios
  • 35. No 2º Semestre de 2005 deu-se a migração do Formare para uma Nova Plataforma do “ Campus PT” Criada a ligação Campus PT/ SAP RH e entrada do Suporte a Utilizadores no Serviço a Clientes da PT PRO PT Comunicações TMN PT Contact PT PRO Esta migração está a ser acompanhada por uma massificação do E-learning no Grupo PT: PTM PT Corporate
  • 36.
    • Sistema de Gestão da Qualidade
    • Processos RH
    PT PRO
    • Procedimento de Atendimento
    PT Corporate
    • Postos Públicos/ Tipos de Telefone
    PT Contact
    • Informação Mensal de Produtos – Lojas Tmn
    • (3 Edições)
    Tmn
    • Saúde e Segurança no Trabalho
    • Processo de Compra (3 Edições)
    • Tratamento de Reclamações (2 Edições)
    • Elaboração de Contratos
    • Acessos Telefónicos
    PT Comunicações Qualidade - Cursos - Procedimentos - Cursos - Produtos e Serviços - Cursos - Empresa/Área
  • 37.
    • A maioria dos Conteúdos usados são de Produção Interna
    X X X X PT PRO X PT Corporate X PT Contact X Tmn X X X X PT Comunicações Formatos Flash/HTML Power Point com Som Power Point sem Som Documentos Word
  • 38. Exemplo de um Curso lançado da PT Comunicações
    • Visionamento dos Conteúdos na Plataforma pelos participantes
  • 39. 100 5 9 PT Corporate 620 - - PTM 400 1129 1879 PT PRO TOTAL PT Contact TMN PTC Empresa Cursos do 1º Semestre de 2006 Já Terminados 3325 18 600 846 Total de Participações 1908 16 281 498 Colaboradores Formados 9520 600 300 7500 Participantes Cursos a decorrer ou confirmados
  • 40.
    • Aprendizagem Organizacional
  • 41.  
  • 42. Síntese da Comunicação do David Garvin O conceito e a importância das Learning Organizations “ A rapidez a que cada um ou cada organização aprende pode muito bem ser a única vantagem competitiva sustentável “ “ A formação e a aprendizagem não são algo que se faça só porque é divertido ou porque é obrigatório, mas sim por queremos que tenham implicações na produtividade, na performance e nos resultados.” “ Mesmo que estejamos em posição de desvantagem, poderemos ultrapassar os nossos concorrentes e mantermo-nos na liderança graça ao poder da Formação e da Aprendizagem Organizacional.” “ Este é o racional. Este é o argumento económico que nos deve mover quanto ao objectivo da formação organizacional. São razões claras de desenvolvi-mento do negócio e não apenas porque a formação seja intelectualmente estimulante, obrigatória ou até uma forma de incentivar a força de trabalho. ”
  • 43. Síntese da Comunicação do David Garvin O Conceito e a importância das Learning Organizations
      • Criar, Adquirir, interpretar, transferir e reter o conhecimento
      • Propositadamente mudar comportamentos para reflectir o novo conhecimento no próprio contexto Empresarial.
  • 44. Síntese da Comunicação do David Garvin As 6 tarefas críticas e instrumentos associados. 1- Recolher informações de mercado; 2- Aprender a partir das melhores práticas; 3- Aprender da experiência própria e do histórico ; 4- Experimentar novas abordagens e situações ; 5 -Transferir e disseminar o conhecimento por toda a organização; 6- Enc orajar a resolução sistemática de problemas.
  • 45. Síntese da Comunicação do David Garvin As 6 tarefas críticas e instrumentos associados. “ If you are really serious about building a learning organization… there’s no easy way. You have to really move simultaneously on all these fronts.”
  • 46.
    • Como mudar o Grupo PT e começar a torná-lo numa
    • Learning Organization
  • 47. Como mudar o Grupo PT e torná-lo numa LO 1- Recolher informações de mercado ; 2- Aprender a partir das melhores práticas ; 3- Aprender da experiência própria e do histórico ; 4- Experimentar novas abordagens e situações ; 5- Transferir e disseminar o conhecimento por toda a organização ; 6- Enc orajar a resolução sistemática de problemas . Função crítica para os Negócios Processos / Produtos / Negócios Aprender EDA Informação Conhecimento
  • 48. Como mudar o Grupo PT e torná-lo numa LO
    • O EDA não é mais que a implementação de um Espaço virtual que possibilita:
      • A troca e partilha de informação e conhecimento entre colaboradores;
      • O repositório de conteúdos, informações e conhecimentos decorrentes das 6 tarefas críticas enunciadas
      • Integra ferramentas síncronas e assíncronas de comunicação;
      • Gere as diferentes tarefas e o envolvimento dos diversos colaboradores nelas;
    EDA
    • O EDA é uma metodologia de aprendizagem conjunta tendo como grande objectivo a melhoria de performance dos negócios
    • O EDA envolve colaboradores chaves para a implementação de processos de inovação e desenvolvimento estratégico
  • 49. Metodologia para implementar os EDA Agentes e interacções nos EDA EDA Corporate Intelligence CE Conhecimento Organizacional Processos e Rotinas Existentes Fontes de informação externa / Sábio KMS – Knowledge Management Systems Projecto Conhecer Novos Processos e Rotinas a implementar Divulgação, Disseminação e formação Acompanhamento e validação da aculturação Decisão de implementação Processo
  • 50. Metodologia para implementar os EDA Agentes e interacções nos EDA EDA Animador Comunicação Assíncrona Repositório de Conhecimento Coordenador Participante Participante Comunicação Síncrona Gestão de Interacções e Actividades Sessões Presenciais CAMPUS PT
  • 51. Metodologia para implementar os EDA
    • - Funcionamento dos EDA :
      • Duração: Cerca de 3 meses ;
      • Nº de participantes: 20 – 40 ;
      • Envolvimento dos participantes: cerca de 30 minutos/dia ;
      • Sessões síncronas: pelo menos 1 de cerca de 1 hora por semana ;
      • Sessões presenciais: de 2-3 horas em cada 3 semanas ;
      • Avaliação / Validação:
        • De impacto, de viabilidade e sustentabilidade em função das melhorias de performance ;
        • Participação e envolvimento de cada participante ;
        • Processo de aprendizagem conjunta .
  • 52. - Pilotos de EDA em 2006:
      • Engenharia Organizacional na TMN
      • (Integrado num curso coordenado pelo IST/ INESC)
    - Pilotos dos CoP (Comunidade informal) finais de 2006:
      • Novos estilos de Liderança e Gestão
    - Pilotos dos CoP (Comunidade formal) desde 2004:
      • Espaço de Informação partilhada de Responsáveis de Formação
      • (Espaço de partilha de informação relacionada com a formação corporativa do Grupo PT)
  • 53.
    • “ If at first, the idea is not absurd, then there is no hope for it ”
    • “ Se de início, a ideia não for absurda, então não existe esperança para ela ”
    • Albert Einstein