Your SlideShare is downloading. ×
Pronominalização
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Pronominalização

22,923

Published on

Regras de pronominalização

Regras de pronominalização

Published in: Spiritual, Technology
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
22,923
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
408
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Escola Secundária Gabriel Pereira Português B Docente: Manuel Correia Dias Pronomes Pessoais e Pronominalização Os pronomes pessoais caracterizam-se: 1º) por denotarem as três pessoas gramaticais, isto é, por terem a capacidade de indicar no colóquio: a) quem fala = 1ª pessoa: eu (singular), nós (plural); b) com quem se fala = 2ª pessoa: tu (singular), vós (plural); c) de quem se fala = 3ª pessoa: ele (singular), eles (plural); 2º) por poderem representar, quando na 3ª pessoa, uma forma nominal anteriormente expressa: a) Melhora o teu comportamento para que ele te melhore a ti. 3º) por variarem de forma, segundo: a) a função que desempenham na oração; b) a acentuação que nela recebem. Formas dos Pronomes Pessoais Quanto à função, as formas do pronome pessoal podem ser rectas ou oblíquas. Rectas, quando funcionam como sujeito da oração; oblíquas, quando nela se empregam fundamentalmente como objecto (directo ou indirecto). Quanto à acentuação, distinguem-se nos pronomes pessoais as formas tónicas das átonas. O quadro abaixo mostra claramente a correspondência entre essas formas: Pronomes Pessoais Oblíquos não Reflexivos Pronomes Pessoais Rectos Átonos Tónicos eu me mim, comigo 1ª pessoa Singular tu te ti, contigo 2ª pessoa ele, ela o, a, lhe ele, ela 3ª pessoa nós nos nós, connosco 1ª pessoa Plural vós vos vós, convosco 2ª pessoa eles, elas os, as, lhes eles, elas 3ª pessoa Formas o, lo e no do pronome oblíquo. Quando o pronome oblíquo da 3ª pessoa, que funciona como objecto directo, vem antes do verbo, apresenta-se sempre com as formas o, a, os, as. Assim: a) Eu não o vi; b) tu é que as viste. Quando, porém, está colocado depois do verbo e se liga a este por hífen (pronome enclítico), a sua forma depende da terminação do verbo: 1º) Se a forma verbal terminar em vogal ou ditongo oral, emprega-se o, a, os, as. Louvo-o; Louvava-a; Louvei-os; Louvou-as. 2º) Se a forma verbal terminar em –r, -s ou –z, suprimem-se estas consoantes e o pronome assume as modalidades lo, la, los, las, como nestes exemplos: Vê-lo; Encontramo-la; Vendê-las. O mesmo se dá quando ele vem posposto ao designativo eis ou aos pronomes nos e vos.: Ei-lo sorridente; O nome não vo-lo direi. 3º) Se a forma verbal terminar em ditongo nasal, o pronome assume as modalidades no, na, nos, nas. Dão-no; Põe-na; Tem-nos; Trouxeram-nas. O Futuro do Indicativo e o Condicional No Futuro do Indicativo e no Condicional o pronome oblíquo não pode ser enclítico, isto é, não pode vir depois do verbo. Dá-se, então, a mesóclise do pronome, ou seja, a sua colocação no interior do verbo: Vendê-lo-ei; Vendê-lo-emos, Vendê-lo-ia; Vendê-lo-íamos.

×