Nelida nabais metodologias_de_operacionalizacao_parte_ii_[1]

179
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
179
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Nelida nabais metodologias_de_operacionalizacao_parte_ii_[1]

  1. 1. 1 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)Actividade nº 1:Localizar nos instrumentos propostos pelo MAABE para o Sub-Domínio A2, questõesou itens que vão ao encontro dos factores críticos definidos para cada um dos seusIndicadores.Para a execução deste exercício, utilize a Tabela seguinte, preenchendo a últimacoluna (Nota: algumas células podem ficar vazias por o seu preenchimento exigir outro tipo deinstrumentos).22 a 28 de NovembroNélida Nabais
  2. 2. 2 Instrumentos O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) que ajudam a BE a propostos pelo Questões ou Itens dos Instrumentos propostos Indicadores Factores críticos de sucesso MAABE para cada obter evidências e situar-se face aos factores críticos Indicador  O plano de trabalho da BE inclui actividades de Ex: QA1: Questão 7 – Já participaste em actividades para aprender a formação de utilizadores com turmas/ grupos/ usar a BE…? alunos e com docentes no sentido de promover o valor da BE, motivar para a sua utilização, esclarecer QA1: Questão 7.1 – Se respondeste Sim, achas que depois dessas sobre as formas como está organizada e ensinar a actividades te sentes mais à vontade a usar a BE? utilizar os diferentes serviços. QD1: Questão 9. – Já participou em actividades de formação de utilizadores para o uso da BE, promovidas pelo professor  Questionário aos bibliotecário/equipa da BE? alunos (QA1).A.2.1 Organização de  Alunos e docentes desenvolvem competências para  Questionário aos GO2 – 3. Consulta o catálogo da BE ou de outras bibliotecas. o uso da BE revelando um maior nível de autonomia docentes (QD1).actividades de formação de na sua utilização após as sessões de formação de 4. Localiza livros e outros recursos na biblioteca.utilizadores.  Observação de utilizadores. utilização da BE (O2). QD1: Questão 14. Como classifica as suas competências pessoais para o uso autónomo da BE ou dos seus recursos, com os seus alunos? QA1: Questão 13. – Como classificas as aprendizagens que realizaste através da BE?  A BE produz materiais informativos e/ ou lúdicos de apoio à formação dos utilizadores. 22 a 28 de Novembro Nélida Nabais
  3. 3. 3 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)  A BE procede, em ligação com as estruturas de QD1: Questão 6. – Costuma proceder à integração de competências coordenação educativa e de supervisão pedagógica, da informação na planificação e tratamento das diferentes áreas de ao levantamento nos currículos das competências de conteúdo/unidades de ensino? informação inerentes a cada área disciplinar/área de conteúdo com vista à definição de um currículo de competências transversais adequado a cadaA.2.2 Promoção do ensino nível/ano de escolaridade.  Questionário aosem contexto de docentes (QD1)competências de informação.  A BE promove, com as estruturas de coordenação educativa e supervisão pedagógica e os docentes, a integração de um plano para a literacia da informação no projecto educativo e curricular e nos projectos curriculares dos grupos/turmas.  A BE propõe um modelo de pesquisa de informação QD1: Questão 8.1.1 – O modelo/guião de pesquisa proposto para a a ser usado por toda a escola. escola/agrupamento ou usado pela BE. Instrumentos propostos pelo Questões ou Itens dos Instrumentos propostos que ajudam a BE a Indicadores Factores críticos de sucesso MAABE para cada obter evidências e situar-se face aos factores críticos Indicador  A BE estimula a inserção nas unidades curriculares, ACND e outras actividades, do ensino e treino contextualizado de competências de informação.A.2.2 Promoção do ensino  A BE produz e divulga, em colaboração com osem contexto de docentes, guiões de pesquisa e outros materiais de  Questionário aoscompetências de informação apoio ao trabalho de exploração dos recursos de docentes (QD1)(cont.) informação pelos alunos.  A equipa da BE participa, em cooperação com os docentes, nas actividades de educação/ensino de competências de informação com turmas/ grupos/ alunos. 22 a 28 de Novembro Nélida Nabais
  4. 4. 4 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)  Os projectos escolares de iniciativa da BE, ou QA1: Questão 13. – Como classificas as aprendizagens que apoiados por ela, incluem actividades de consulta e realizaste através da BE? produção de informação e de intercâmbio e comunicação através das TIC: actividades de pesquisa, utilização de serviços Web, recurso a utilitários, software educativo e outros objectosA.2.3 Promoção do ensino multimédia, manipulação de ferramentas deem contexto de tratamento de dados e de imagem, de apresentação,  Questionário aoscompetências tecnológicas e outros. alunos (QA1).digitais.  A BE organiza e participa em actividades de formação para docentes e alunos no domínio da literacia tecnológica e digital.  A equipa da BE apoia os utilizadores na selecção e QA1: Questão 8. – Sentes-te apoiado pelo professor- utilização de recursos electrónicos e media, de bibliotecário/equipa da BE quando a utilizas? acordo com as suas necessidades. Instrumentos propostos pelo Questões ou Itens dos Instrumentos propostos que ajudam a BE a Indicadores Factores críticos de sucesso MAABE para cada obter evidências e situar-se face aos factores críticos Indicador  A BE colabora na concepção e dinamização deA.2.3 Promoção do ensino actividades de educação para e com os media.em contexto de  A BE produz, em colaboração com os docentes,  Questionário aoscompetências tecnológicas e materiais informativos e de apoio à adequada alunos (QA1).digitais (cont.). utilização da Internet: guiões de pesquisa, grelhas de avaliação de sítios, listas de apontadores, guias de procedimentos, outros.A.2.4 Impacto da BE nas  Os alunos utilizam, de acordo com o seu nível/ano de  Observação de T1: 13. – Manifesta criatividade e proficiência na exploração das escolaridade, linguagens, suportes, modalidades de utilização da BE ferramentas necessárias à produção multimedia.competências tecnológicas, recepção e de produção de informação e formas de (GO2).digitais e de informação dos comunicação variados, entre os quais se destaca o 22 a 28 de Novembro Nélida Nabais
  5. 5. 5 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)alunos. uso de ferramentas e media digitais.  Trabalhos escolares dos  Os alunos incorporam no seu trabalho, de acordo T1: 1. – Utiliza diferentes fontes de informação, impressas ou com o nível/ano de escolaridade que frequentam, as alunos (T1). digitais. diferentes fases do processo de pesquisa e  Questionário aos 2. Selecciona informação relevante de acordo com a tarefa/ tema tratamento de informação: identificam fontes de docentes (QD1). bordado. informação e seleccionam informação, recorrendo  Questionário aos quer a obras de referência e materiais impressos, 9. Organiza o documento de acordo com um índice ordenado de alunos da (QA1). que fazem parte uma introdução, um desenvolvimento e uma quer a motores de pesquisa, directórios, bibliotecas digitais ou outras fontes de informação electrónicas, conclusão. organizam, sintetizam e comunicam a informação 11. Regista as referências dos documentos utilizados numa tratada e avaliam os resultados do trabalho bibliografia. realizado.  Os alunos demonstram, de acordo c/ o seu nível/ano T1: 10. - Recorre sempre que necessário à inclusão de notas, ligações de escolaridade, compreensão sobre os problemas para páginas Web ou anexos, devidamente sinalizados. éticos, legais e de responsabilidade social associados ao acesso, avaliação e uso da informação e das TIC. Instrumentos propostos pelo Questões ou Itens dos Instrumentos propostos que ajudam a BE a Indicadores Factores críticos de sucesso MAABE para cada obter evidências e situar-se face aos factores críticos IndicadorA.2.4 Impacto da BE nas  Os alunos revelam, em cada ano e ao longo de cada  Observação de QA1: Questão 9. À medida que vais realizando mais trabalhos nacompetências tecnológicas, nível/ano de escolaridade, progressos no uso de utilização da BE BE ou utilizando os seus recursos, nas várias disciplinas/áreasdigitais e de informação dos competências tecnológicas, digitais e de informação (GO2). curriculares, achas que os teus trabalhos de pesquisa vão nas diferentes disciplinas e áreas curriculares/áreas  Trabalhos melhorando e fazes progressos?alunos (cont.) de conteúdo. escolares dos alunos (T1).  Questionário aos docentes (QD1). Questionário aos 22 a 28 de Novembro Nélida Nabais
  6. 6. 6 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) alunos da (QA1).  Os alunos aplicam modalidades de trabalho GO1: 5. Trabalha de forma adequada em grupo, ajuda os colegas. diversificadas – individual, a pares ou em grupo – e 6. Partilha ideias e conhecimentos com os outros colegas. realizam tarefas diferenciadas, de acordo com a estruturação espacial e funcional da BE. 7. Assume um comportamento adequado na biblioteca. QA1: Questão 4.5 Sozinho ou com colegas, para fazer trabalhos – TPC ou outros QD1: Questão 7. Na sua prática lectiva, promove a utilização da BE ou dos seus recursos nos trabalhos de pesquisa efectuados pelos seus alunos?  Os alunos estabelecem entre si um ambiente de GO1: 6. Partilha ideias e conhecimentos com os outros colegas. confiança e de respeito mútuo, cumprindo normas  Observação de 7. Assume um comportamento adequado na biblioteca.A.2.5 Impacto da BE no de actuação, de convivência e de trabalho, inerentes utilização da BE 8.Interagem em ambientes em linha, cumpre regras de utilizaçãodesenvolvimento de valores ao sistema de organização e funcionamento da BE. (GO1). e adopta comportamentos de segurança na utilização da Internet.e atitudes indispensáveis à  Questionário aosformação da cidadania e à docentes (QD1).aprendizagem ao longo da  Questionário aosvida.  Os alunos revelam valores de cooperação, GO1: 1. Manifesta autonomia no trabalho. alunos (QA1). autonomia e responsabilidade, conformes a uma 9. Respeita os direitos de autor, identificando a autora das fontes aprendizagem autónoma, activa e colaborativa. de informação utilizadas e recusando o plágio. QA1: Questão 11. Consideras que os trabalhos de pesquisa realizados na BE ou utilizando os seus recursos exigem de ti capacidade de iniciativa, autonomia e cooperação com os teus colegas?  Os alunos demonstram atitudes de curiosidade, T1: 6. Aprofunda, por sua própria iniciativa, a tarefa inicialmente iniciativa, criatividade e reflexão crítica, necessárias a proposta. uma aprendizagem baseada em recursos. 13. Manifesta criatividade e proficiência técnica na exploração das ferramentas necessárias à produção multimédia. 22 a 28 de Novembro Nélida Nabais
  7. 7. 7 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)Actividade nº 2:A partir da análise dos instrumentos que já realizou e da compreensão do tipo deinformações passíveis de ser obtidas através da sua aplicação, seleccione umIndicador do Sub-domínio A2 à sua escolha, e escreva livremente três enunciadosavaliativos que hipoteticamente pudesse formular na Coluna das Evidências dorespectivo Relatório de Avaliação, a partir de dados supostamente recolhidos comaqueles instrumentos.Indicador: A.2.1 Organização das actividades de formação de utilizadoresFactor crítico: Alunos e docentes desenvolvem competências para o uso da BE revelandoum maior nível de autonomia na sua utilização após as sessões de formação de utilizadores. Evidências 1) Foram preenchidas grelhas de observação – Literacias da informação, tecnológica e digital em Outubro, Janeiro e Maio. Da comparação do registo feito para os itens 3 e 4 da referida grelha, nos diferentes momentos, conclui- se que a formação de utilizadores, feita regularmente ao longo do ano lectivo, foi eficaz porque, enquanto em Outubro os utilizadores da BE nunca tinham consultado o catálogo da BE, em Maio a consulta do catálogo da BE ou das Bibliotecas da rede concelhia já se tinha tornado uma rotina, recorrendo-se com frequência ao empréstimo entre Bibliotecas. Por outro lado, também a localização de livros e recursos multimedia na BE era feita com o recurso a pedido de ajuda constante à Equipa da BE; a partir de meados do 2º período, essa localização passou a ser feita pelos utentes, de forma autónoma. 2) O questionário QA1 foi aplicado a um grupo de alunos em Novembro, Março e Junho. À questão 9. À medida que vais realizando mais trabalhos na BE ou utilizando os seus recursos, nas várias disciplinas, achas que os teus trabalhos de pesquisa vão melhorando e fazes progressos? Os resultados foram os seguintes: 1ª sondagem – Sim 25%, Não 75%; 2ª sondagem – Sim 45%, Não 55%; 3ª sondagem – Sim 75%, Não 25%. No que diz respeito à questão 13. – Como classificas as aprendizagens que realizaste através da BE?, em Novembro 85% dos inquiridos responderam Médias e 15% Fracas,para o item 13.1; 76% responderam Fracas, para os itens 13.2 e 13.3 e 24% responderam Médias. Analisados os resultados, em Março, 78% responderam Boas e 15% Médias e 7% Fracas ao item 13.1; no que diz respeito ao item 13.2, 60% dos alunos responderam Médias e 40% Fracas; para o item 13.3. 46%Médias e 64% Fracas. Em Junho, os resultados voltaram a alterar-se: 13.1 – 87% Boas, 13% Médias; 13.2. – 30% Boas, 42% Médias e 28% Fracas; 13.3. – 15% Boas, 50% Médias e 35% Fracas. Houve portanto uma melhoria significativa das aprendizagens na22 a 28 de NovembroNélida Nabais
  8. 8. 8 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) área das literacias da informação, tecnológica e digital como consequência da formação de utilizadores levada a cabo na BE, pela equipa da BE. 3) O questionário QD1 foi aplicado aos Coordenadores de Departamento e aos Delegados dos diferentes Grupos de Docência da escola em Novembro e Maio. No que diz respeito à questão 14. – Como classifica as suas competências pessoais para o uso autónomo da BE ou dos seus recursos, com oseus alunos?, em Novembro 10% referiram Boas, 65% dos inquiridos responderam Médias e 25% Fracas,para o item 14.1; 66% responderam Fracas, para os itens 14.2 e 14.3 e 34% responderam Médias. Analisados os resultados, em Maio, as respostas dos docentes mostraram uma melhorianas suas competências: 14.1 – 57% Boas,38% Médias e 5% Fracas; 14.2. – 34% Boas, 56% Médias e 10% Fracas; 14.3. – 41% Boas, 32% Médias e 27% Fracas. Conclui-se, portanto que houve uma aquisição de competências para o uso da BE, revelando os utilizadores (alunos e docentes) um maior nível de autonomia, o que mostra o impacto e a utilidade que a formação pode ter sobre o uso dos recursos da BE. Destes resultados, podemos inferir também que estes docentes passaram a utilizar mais a BE e os seus recursos, adquirindo uma maior autonomia, o que lhes permite, certamente, diversificar as estratégias de aprendizagem, passando a estar, alunos e professores, mais motivados e capazes de “construir” conhecimento.22 a 28 de NovembroNélida Nabais
  9. 9. 9 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)Actividade nº 3:Imagine que uma destas ideias do Sub-domínio A2, sobre o qual temos vindo aconcentrar o nosso olhar, a título exemplificativo, se enquadra naquilo que deve sera aposta futura de melhoria da sua biblioteca num determinado tópico.Identifique-a e procure operacionalizá-la de um modo mais efectivo, de modo a quese possa constituir como uma verdadeira proposta de melhoria.Lembramos, contudo, que, integrando o relatório de auto-avaliação, esta enunciaçãode propostas deve ser feita de forma sintética, de modo a não sobrecarregar oRelatório. Tente, por isso, ser o mais objectivo possível.Indicador: A.2.2 Promoção do ensino em contexto de competências deinformaçãoFactor crítico de sucesso: A BE promove, com as estruturas de coordenaçãoeducativa e supervisão pedagógica e os docentes, a integração de um plano para aliteracia da informação no Projecto Educativo, Projecto Curricular de Escola e nosprojectos curriculares dos grupos/turmas.Acção de melhoria:Embora O Projecto Curricular de Escola defina competências, apresente modelo deoperacionalização transversal dessas competências e exemplos de boas práticas parao indicador A.2.2, estas orientações ainda não fazem parte da prática lectiva correntena escol O Projecto Curricular de Escola Competências Operacionalização Transversal Boas Práticas DocentesPesquisar, seleccionar  Pesquisar, seleccionar, organizar e  Organizar o ensino prevendo a pesquisa, selecção ee organizar interpretar informação de forma crítica em tratamento da informação.informação para a função de questões, necessidades ou  Promover intencionalmente, na sala de aula e fora dela,transformar em actividades dirigidas à pesquisa, selecção, organização e problemas a resolver e respectivos interpretação da informação.conhecimento contextos;  Organizar o ensino prevendo a utilização de fontes demobilizável  Rentabilizar as tecnologias da informação informação diversas e das tecnologias de informação. e comunicação nas tarefas de construção  Promover actividades integradoras de conhecimentos, de conhecimento; nomeadamente a realização de projectos.  Comunicar o conhecimento resultante da interpretação da informação, utilizando formas diversificadas;  Auto-avaliar as aprendizagens, confrontando o conhecimento produzido com os objectivos visados e com a perspectiva de outros.Assim, no relatório de auto-avaliação da BE, elaborado no final do ano lectivo 2009-2010 foram apresentadas as seguintes acções de melhoria:22 a 28 de NovembroNélida Nabais
  10. 10. 10 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)  introduzir uma política orientada para o ensino sistemático e em contexto curricular de competências de informação;  planear antecipadamente com os docentes o trabalho de pesquisa a realizar na BE;  reforçar a articulação da BE com as áreas de projecto que fomentem a utilização das TIC;  inscrever no guia de utilizador da BE um conjunto de orientações para o uso responsável dos recursos de informação;  adoptar um modelo de pesquisa uniforme para toda a escola;  produzir guiões e outros materiais de apoio à pesquisa e utilização da informação pelos alunos;  envolver os alunos na vida da BE criando um grupo de monitores ou “amigos” da biblioteca.Tendo em conta as leituras realizadas no âmbito desta formação, vou tentar“concretizar” estas acções de melhoria propostas pela Professora Bibliotecária no anolectivo anterior:  introduzir uma política orientada para o ensino sistemático e em contexto curricular de competências de informação, através de calendarização de reuniões com Coordenadores de Departamento e Delegados de Grupo de Docência com vista à elaboração de documento a introduzir no Projecto Educativo e/ou no Projecto Curricular de Escola, após apresentação em Conselho Pedagógico;  planear antecipadamente com os docentes o trabalho de pesquisa a realizar na BE, mediante o preenchimento conjunto (equipa da BE/docente(s) envolvidos) de uma ficha de registo de projectos, actividades e recursos a utilizar;  reforçar a articulação da BE com as áreas de projecto que fomentem a utilização das TIC, agendando reuniões de trabalho com os Coordenadores desta área para discussão de metodologias e instrumentos a utilizar;  inscrever no guia de utilizador da BE um conjunto de orientações para o uso responsável dos recursos de informação e divulgação dessas orientações no blogue da BE;  adoptar um modelo de pesquisa uniforme para toda a escola, preparado em conjunto com as estruturas de orientação, colocado na plataforma moodle na disciplina da BE;  produzir guiões e outros materiais de apoio à pesquisa e utilização da informação pelos alunos, em conjunto com os professores colaboradores da BE pertencentes a diferentes grupos de docência;  envolver os alunos na vida da BE criando um grupo de monitores ou “amigos” da biblioteca – estratégia alterada: criação do clube de jornalismo da BE, em que um grupo de alunos voluntários se disponibilizam para realizar as diferentes tarefas ìnerentes à criação do jornal escolar conforme as suas22 a 28 de NovembroNélida Nabais
  11. 11. 11 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II) competências e campos de interesse, em estreita colaboração com os professores e alunos do curso de Design Gráfico e docentes de Português,colaboradores da BE; e  articulação, em conversas informais diárias, com a equipa PTE para a disponibilização e manutenção do equipamento e software adequado e necessário à implementação destas acções.22 a 28 de NovembroNélida Nabais
  12. 12. 12 O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Parte II)22 a 28 de NovembroNélida Nabais

×