Eliaseosprofetasdebaal 130124090032-phpapp01

1,401 views

Published on

1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
1,401
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
43
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Eliaseosprofetasdebaal 130124090032-phpapp01

  1. 1. Elias e osprofetas de Baal1º Trimestre de 20134ª Lição1Pr. Moisés Sampaio de Paula
  2. 2. O confronto entre Elias e os profetas deBaal marcou definitivamente a separaçãoentre a verdadeira e a falsa adoração.Verdade PráticaTexto ÁureoEntão Elias se chegou a todo o povo edisse: Até quando coxeareis entre doispensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o,se é Baal, segui-o. Porém o povolhe nãorespondeu nada (1 Rs 18.21)2Pr. Moisés Sampaio de Paula
  3. 3. Objetivos da Lição• Qual a impotância de se confrontar osfalsos deuses.• Quais são os perigos de dar créditoaos falsos deuses.• A necessidade de confrontar a falsaadoração.3Pr. Moisés Sampaio de Paula
  4. 4. Introdução• Estudaremos como Elias foiusado pelo Senhor paraconfrontar os falsos profetascom seus falsosdeuses, fazendo com que opovo de Deus abandonasse afalsa adoração.Pr. Moisés Sampaio de Paula 4
  5. 5. Esboço da LiçãoI. Confrontando os falsos deusesI. Conhecendo o falso deus BaalII. Identificando a falsa divindade AseráII. Confrontando os falsos profetasI. Profetizavam sob encomendaII. Eram mais numerososIII. Confrontando a falsa adoraçãoI. Em que ela imita a verdadeiraII. No que ela diferencia da verdadeiraIV. Confrontando o sincretismoreligioso estatalI. O perigo do sincretismo religiosoII. A resposta divina ao sincretismo.5Pr. Moisés Sampaio de Paula
  6. 6. Palavra chave: Confrontar• Significa: Pôr frente afrente, comparar, cotejar, confrontar acópia com o original.Defrontar, confirmar.6Pr. Moisés Sampaio de Paula
  7. 7. Confronto• Falsos deuses• Falsos profetas• Falsa adoração• Sincretismo religioso7Pr. Moisés Sampaio de PaulaNão são poucos os falsos profetas que tentamatormentar a vida daqueles que servem a Jesus. Opior é que estes em geral conhecem ossentimentos e as fragilidades espirituais dos queos ouvem, e não perdem a oportunidade delembrá-los de que tem autoridade paradeterminar-lhes a "vontade divina“. A ordem deJesus para nós em relação a estes enganadores é:"Acautelai-vos".
  8. 8. I. Confrontando os falsos deusesPorque todos os deuses dospovos são ídolos, mas oSENHOR fez os céus.(Salmos 96:5)I. Conhecendo o falso deusBaalII. Identificando a falsadivindade Aserá8Pr. Moisés Sampaio de Paula
  9. 9. I. Confrontando os falsos deusesI. Conhecendo o falso deus Baal9Pr. Moisés Sampaio de Paula• É o supremo deus doscananeus, correspondendo aBel, deus dos babilônicos. TantoBaal como Bel se traduzem porproprietário, marido e senhor.O Baal cananeu era chamadoBaal Semain, isto é, Senhor docéu.• Baal era, no tempo de Josué, odeus sol, responsável pelagerminação e crescimento dalavoura, o aumento dosrebanhos e a fecundidade dasfamílias.
  10. 10. I. Confrontando os falsos deuses• O culto a Baal era caracterizadoespecialmente pelalicenciosidade dos seus ritos.Regado aorgias, bacanais, adultério, lesbianismo, homossexualismo, pedofilia e incesto e muito vinho• Seg. alguns, Baal é chefe sobresessenta e seis legiões dedemônios.Pr. Moisés Sampaio de Paula 10I. Conhecendo o falso deus Baal
  11. 11. Baalísmo• A religião gerou numerosos sacerdotes esacerdotisas com suascerimônias, incluindo a queima deincenso e oferecendo sacrifíciosqueimados, ocasionalmente, consistindode vítimas humanas.• Os sacerdotes oficiantes dançaram aoredor dos altares, cantandofreneticamente e cortando-se com facaspara inspirar a atenção e a compaixão dodeus. Alguns jovens consagrados a Baaleram emasculados para servirem atravésda sodomia.• A Bíblia liga Baal como Belzebu, um dosanjos caídos de Satanás.11Pr. Moisés Sampaio de Paula
  12. 12. Malefícios do Baalismo para Israel• A assimilação do baalismo pelos israelitasresultou de uma série de fatores, dentre eles:1. o casamento misto com os cananeus, em suaexpressão mais grave do rei Acabe comJezabel;2. a participação em festas pagãs, e quefomentavam pecados sexuais; e3. as flexibilizações das religiões cananeias, emoposição às exigências da fé judaica.Pr. Moisés Sampaio de Paula 12
  13. 13. I. Confrontando os falsos deuses• Os cananeus adoravam Aserá(Asterath, Astorate, Asterote,Astarte, Aserá, Baalat) comodeusa da fertilidade, talvezmesmo como deusa dasexualidade. Era consideradaesposa de El, o deus supremoda mitologia Cananéia.132. Identificando a falsa divindade AseráPr. Moisés Sampaio de Paula
  14. 14. • Os misteriosos postes-ídolosassociados aos ritos de adoraçãoda deusa eram aparentementetroncos de árvores sem galhos.• A função exata desses postes-ídolos estava ligada àprostituição masculina efeminina14Pr. Moisés Sampaio de PaulaI. Confrontando os falsos deuses2. Identificando a falsa divindade Aserá
  15. 15. Obelisco – (poste ídolo)• A origem dos obeliscos que vemos em muitascidades do mundo na verdade é esta, o poste-ídolo, geralmente como símbolo defertilidade. No Japão, onde se realiza todos osanos o Honen-sai Matsuri, uma espécie de“festival da fertilidade”, tendo como principalatração um poste-ídolo bem esculpido edefinido na forma de um órgão masculino,uma homenagem ao deus “Owasegata”.• A palavra ‘obelisco’ significa literalmente"poste/pau de Baal", ou órgão dereprodução de Baal.”15Pr. Moisés Sampaio de Paula
  16. 16. Pr. Moisés Sampaio de Paula 16• Ezequiel 36:25 - Então aspergirei água pura sobrevós, e ficareis purificados; de todas as vossasimundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei.• Os profetas estavam conscientes que não sepodia admitir tal fato entre o povo de Deus, porisso levantaram suas vozes contra as divindadespagãs.
  17. 17. CONFRONTANDO OS ÍDOLOSMODERNOS• Precisamos tomar o partido de Deus, não o dos homens. Como opovo de Israel, não podemos ficar coxeando entre doispensamentos, divididos, a fim de sermos politicamente corretos. p.3.15,16).• Profetas comprometidos - com a verdade de Deus é a maiorcarência nos dias atuais. Homens e mulheres de princípios, quenão se vendam por dinheiro ou posição. O instrumento dosprofetas do Senhor é a Sua palavra, eles sabem que precisamprestar contas Àquele que é O Senhor, não um senhor.• Palavra e Oração - os profetas de Deus sabem que é por meiodestes que o Senhor intervém.• Vidas consagradas inteiramente a Deus - os profetas do Senhornão temem os falsos profetas e muito menos aos deuses. Ébastante comum hoje os evangélicos ajustarem a Bíblia aos seusinteresses.Pr. Moisés Sampaio de Paula 17
  18. 18. II. Confrontando os falsos profetas• Acautelai-vos, porém, dos falsosprofetas, que vêm até vósvestidos comoovelhas, mas, interiormente, sãolobos devoradores. (Mateus 7:15)I. Profetizavam sobencomendaII. Eram mais numerosos18Pr. Moisés Sampaio de Paula
  19. 19. II. Confrontando os falsos profetas• Nenhum sistema éprofético, nenhum profetapertence ao sistema.• Os profetas de Baal (400) e deAserá (450) profetizavam oque o rei queria ouvir, poisfaziam parte do sistemaestatal de governo.191. Profetizavam sob encomendaPr. Moisés Sampaio de Paula
  20. 20. O que significa o termo PROFETA?• O termo grego para "profeta" é prophetes. Trata-se deum substantivo composto da raiz phe(dizer, proclamar), do prefixo pro (antes, de antemão).• Embora possa ter o sentido de "aquele que prediz", naliteratura antiga a combinação do prefixo pro com osverbos para "falar" não possui a idéia de indicar ofuturo.Pr. Moisés Sampaio de Paula 20• Dessa forma, profeta pode significar"o que proclama abertamente", "oque proclama em alta voz", "o quedeclara abertamente", "o quedenuncia abertamente" etc
  21. 21. ProfetasNenhum homem deDeus, nem tampoucoa igreja, podem ficarcomprometidos comqualquer esquemareligioso ou politico.Se assim ofizerem, perdem suasvozes proféticasPr. Moisés Sampaio de Paula 21
  22. 22. II. Confrontando os falsos profetas222. Eram mais numerososPr. Moisés Sampaio de PaulaNo falso culto• Não havia verdade• Não havia qualidade• Mas apenas quantidade
  23. 23. III. Confrontando a falsa adoração• A adoração vai muito alemdo culto semanal. Ela é umestilo de vida, é fruto dasinceridade do coraçãoI. Em que ela imita averdadeiraII. No que ela diferencia daverdadeira23Pr. Moisés Sampaio de Paula
  24. 24. III. Confrontando a falsa adoração• Baal possuía rituais que tinham certasemelhança com o ritual hebreu. Usavamaltar, havia música, danças e tambémhavia sacrifícios. Elias, porém, sabia queaquela religião falsa, apesar de suascrenças e rituais, jamais conseguiriaproduzir fogo (1 Rs 18.24).241. Em que ela imita a verdadeiraPr. Moisés Sampaio de PaulaO teste seria, portanto, aprodução de fogo!
  25. 25. • Encontramos ainda hoje dezenas de religiões eseitas tentando produzir fogo santo e nãologram qualquer êxito.• Somente o verdadeiro culto a Deus faz descerfogo do céu (1 Rs 18.38)Pr. Moisés Sampaio de Paula 25III. Confrontando a falsa adoração1. Em que ela imita a verdadeira
  26. 26. III. Confrontando a falsa adoração• texto262. No que ela diferencia da verdadeiraPr. Moisés Sampaio de PaulaCaracterísticas da ADORAÇÃOVERDADEIRA FALSAProduz verdade Produz mentiraProduz sinceridade Produz dissimulaçãoProduz sentimento nobre Produz egoísmoProduz arrependimento Produz espetáculoProduz bom caráter Produz mau caráterProduz entrega e voluntariedade Produz avareza e ganância
  27. 27. • Firma-se na revelação de Deus na história (1 Rs 18.36).Abraão, Isaque e Jacó, foram pessoas reais assim comoforam reais as ações de Deus em suas vidas.• Distingue-se também pela participação do adorador noculto. Elias disse: "E que eu sou teu servo" (1 Rs 18.36). ABíblia diz que Deus procura adoradores (Jo 4.24). Israelhavia sido uma nação escolhida pelo Senhor (Êx 19.5). Eliasinvocou, como servo pertencente a esse povo, os direitosda aliança.• Diferencia-se pela Palavra de Deus, que é o instrumentousado para concretizar os planos e propósitos de Deus (1 Rs18.36).Pr. Moisés Sampaio de Paula 27III. Confrontando a falsa adoração2. No que ela diferencia da verdadeira
  28. 28. IV. Confrontando o sincretismoreligioso estatal• A adoração verdadeira havia se misturadocom a falsa e o resultado não podia ser maisdesastroso. Esse problema da "mistura" doculto hebreu com outras crenças foi umaameaça bem presente ao longo da história deIsrael (Êx 12.38; Ne 13.3).I. O perigo do sincretismoreligiosoII. A resposta divina aosincretismo.28Pr. Moisés Sampaio de Paula
  29. 29. IV. Confrontando o sincretismoreligioso estatal• O sincretismo religioso foi umaameaça, ainda o é e sempre oserá. A fé bíblica não pode semisturar com outras crenças!291. O perigo do sincretismo religiosoPr. Moisés Sampaio de Paula
  30. 30. O que significa SINCRESTISMO• SIGNIFICADO• Sincretismo é uma fusão dedoutrinas de diversas origens,seja na esfera das crençasreligiosas, seja nas filosóficas.30Pr. Moisés Sampaio de PaulaA palavra é de origem grega:krasis= mesclarsyn = comsynkrasis
  31. 31. Sincretismo – Como acontecePr. Moisés Sampaio de Paula 31SincretismoReligiososprodutos culturais dastradicões coincidentesProcessoespontâneo, consequentedos intercambiosculturais realizados entreos diversos povosEm outros casos se deve auma intervenção
  32. 32. A origem histórica do sincretismoreligioso• Após a queda de cada império mundial, um novoimpério se levantava. O centro de cada novoimpério possuía sua própria cultura, costumes ereligiões. Com vistas a não perder suas própriascaracterísticas e manter a coesão política e social,seus líderes sempre apelaram para oSINCRETISMO RELIGIOSO.• Assíria, Babilônia, Medo-Persa, Grego e Romano.As mesmas divindades são incoporadas pelosnovos impérios emergentes, só que, com outrosnomes.32Pr. Moisés Sampaio de Paula
  33. 33. SINCRETISMO RELIGIOSO:em meio aos impérios mundiaisBabilônia Egito Grécia Roma• Deus sol Osiris Zeus Júpiter• Lua (Rainha do céu) Izis Afrodite Vênus• Filho do Sol Horus Eros Cupido33Pr. Moisés Sampaio de Paula
  34. 34. O sincretismo pelos impérios34Pr. Moisés Sampaio de Paula
  35. 35. Sincretismo no Brasil• os seguintes elementos formando o pano defundo da religião de nosso povo:1) rudimentos da pajelança indígena;2) superstições provenientes do catolicismoromano, trazido para a Ilha de Vera Cruz peloscolonizadores europeus;3) uma forte corrente kardecista (também trazidapelos europeus);4) o extremo misticismo dos cultos afro;5) a busca da paz interior embutida nosensinamentos das seitas orientais; e6) o protestantismo e sua conclamação peloretorno às Escrituras.35Pr. Moisés Sampaio de Paula
  36. 36. Sincretismo no Brasil36Pr. Moisés Sampaio de Paula
  37. 37. Sincretismo no Brasil• Ogum– Santo Antônio;• Oxóssi – São Sebastião;• Xangô – São Jerônimo;• Iemanjá –Sª dos Navegantes; Sª Aparecida• Oxum – Nossa Senhora da Conceição;• Iansã – Santa Bárbara;• Omolu – São Lázaro.37Pr. Moisés Sampaio de Paula
  38. 38. Existe sicretismo nomeio das igrejasevangélicas?Pr. Moisés Sampaio de Paula 38
  39. 39. • Pingar “oleo ungido na frente da casa, comércio”visando proteção.• Regreção espiritual,• “cura interior” - técnica híbrida proveniente de ummistura de textos bíblicos mal interpretados, psicologiae hipnose• “confissão positiva” para a resolução dos problemasde quaisquer ordens.• Amor às riquezas - igrejas inteiras que estão abrindomão da palavra, e do Senhor, e se prostrando peranteoutros deuses. Mas ninguém pode servir a Deus e aMamom (Mt. 6.24)Pr. Moisés Sampaio de Paula 39Sincretismo nas Igrejas Evangélicas
  40. 40. Sincretismo nas Igrejas Evangélicas• Passar pelo sal grosso para fins dedescarrego,• Adquirir uma série de patuás “gospel”,• Colocar copo d’água sobre o rádio outelevisão,• Um pouquinho da terra trazida de Israel• Alguns mililitros de água do Rio Jordão,• Os pedidos de oração devem serqueimados no Monte Sinai.• Liturgia engessante e fria.• Ovelhas que vivem “visitando” outrasigrejas. Ora estão aqui, ora ali. Recebendoum ensino de uma maneira e de outra.Que não tem uma referencia pastoral. Sãomuito suscetíveis ao sincretismo religioso.40Pr. Moisés Sampaio de PaulaComisso, o sacrifíciode Cristo échutado paraescanteio, relegado a segundoplano.
  41. 41. IV. Confrontando o sincretismoreligioso estatal• O profeta de Tisbe deu instrução aopovo: "Lançai mão dos profetas deBaal, que nenhum deles escape. Elançaram mão deles; e Elias os fezdescer ao ribeiro de Quisom e ali osmatou" (1 Rs 18.40). Parece umadecisão muito radical, mas não foi.412. A resposta divina ao sincretismo.Pr. Moisés Sampaio de Paula• Devemos evitarenergicamente o misturareligiosa, o remédio paraextirpar o mal precisava sertomado.
  42. 42. SubsídiosPr. Moisés Sampaio de Paula 42
  43. 43. Monte Carmelo• Monte Carmelo éuma montanha de 525,4 mna costa de Israel com vistapara o Mar Mediterrâneo. Oseu nome (Karmel) significa"jardim" ou "campo fértil". Agrande cidade israelitade Haifa localiza-separcialmente sobre o MonteCarmelo, além de algumasoutras cidadesmenores, como Nesher eTirat Hakarmel.Pr. Moisés Sampaio de Paula 43
  44. 44. Monte Carmeloo monte Carmelo servia como umamuralha natural entre o marMediterrâneo e a grande planície (oVale de Jezreel) de onde hoje ficaIsrael, importante para a defesa doterritório. Frequentemente, o monte eseus arredores são citados na Bíbliacomo exemplo de beleza e fertilidade.“Florescerá abundantemente, jubilaráde alegria e exultará; deu-se-lhes aglória do Líbano, o esplendor doCarmelo e de Sarom; eles verão aglória do Senhor, o esplendor do nossoDeus.” (Isaías 35. 2). Até mesmo osábio Salomão o usou como símboloquando queria representar algo belo:“A tua cabeça é como o monteCarmelo, a tua cabeleira, como apúrpura” (Cântico 7. 5).Pr. Moisés Sampaio de Paula 44
  45. 45. Conclusão• O desafio do profeta Elias serviu para:1. Demonstrar quem de fato era o Deus verdadeiroe, portanto, merecedor de toda adoração.2. Foi decisivo para fazer retroceder o coração do povo atéentão dividido.3. Mostrou que o pecado deve ser tratado como pecado eque a decisão de extirpá-lo deve ser tomada com firmeza.45Pr. Moisés Sampaio de PaulaA luta contra a falsa adoração continua ainda hoje por partedos que desejam ser fiéis a Deus. Não há como negar que aonosso redor ecoam ainda os dons advindos de vários cultosfalsos, alguns deles travestidos da piedade cristã. Assim comoElias, uma igreja triunfante deve levantar a sua voz a fim de quea verdadeira adoração prevaleça.
  46. 46. ContatoPr. Moisés SampaioÉ pastor auxiliar na Assembléia de Deus em RioBranco, Acre, Brasil.• Site: www.moisessampaio.com• Face: www.facebook.com/prmoisessampaio• Blog: http://prmoisessampaio.blogspot.com.br• E-mail: prmoisessampaio@gmail.com• Fone: (68)9971-3335Pr. Moisés Sampaio de Paula 46

×