0
 
  RODOVIA: SC-303   TRECHO:  JOAÇABA / BR 282 - LACERDÓPOLIS -    CAPINZAL.
CAPINZAL LACERDÓPOLIS JOAÇABA SITUAÇÃO
JOAÇABA LACERDÓPOLIS CAPINZAL OURO LOCALIZAÇÃO
<ul><li>BASE RECICLADA DO PAVIMENTO COM  ADIÇÃO DE CIMENTO “IN SITU” </li></ul>REABILITAÇÃO DO PAVIMENTO <ul><li>CAUQ MASS...
PROJETO DA BASE RECICLADA (TRAÇO) RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL. COLETA DE AMOSTRAS IN-SITU E ...
RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO <ul><li>Passos para Elaboração do Projeto (Traço) de Base Reciclada com Cime...
<ul><li>e)  Adicionar a mistura de base reciclada a quantidade de cimento a fim de que atenda a solicitação de resistência...
COLETA AMOSTRA “IN SITU”  PROJETO ( TRAÇO   )
COLETA AMOSTRA “IN SITU”  PROJETO ( TRAÇO   )
Tabela 5.2 e 5.3 Recomendação para definição da composição granulométrica do material reciclado, agregado adicional (event...
PISTA DE CONTROLE
Resistência a compressão simples “Mínima” requerida pelo projeto de pavimento para camada de Base Reciclada Valor adotado ...
Prensa de concreto para verificação da resistência à compressão simples
Características finais do traço
PROJETO ( TRAÇO   ) “ PISTA DE CONTROLE”
PROJETO ( TRAÇO   ) “ PISTA DE CONTROLE”
PROJETO ( TRAÇO   ) “ PISTA DE CONTROLE”
PROJETO ( TRAÇO   ) “ PISTA DE CONTROLE”
PROJETO ( TRAÇO   ) “ PISTA DE CONTROLE”
RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL <ul><li>ETAPAS </li></ul><ul><li>RECICLAGEM </li></ul><ul><li>TR...
RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL ETAPAS RECICLAGEM
RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO <ul><li>Passos para Execução da Base Reciclada do Pavimento com adição de Ci...
RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO RECICLAGEM 1. Reciclagem c)  Reciclagem do pavimento com uso da recicladora;...
RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO RECICLAGEM 1. Reciclagem g)  Ensaios de densidade “in situ” da camada de bas...
Distr i buição da camada de agregado RECICLAGEM
Distr i buição do cimento sobre o agregado RECICLAGEM
CIMENTO Coleta do Agregado e Cimento com bandeja para verificação da taxa AGREGADO RECICLAGEM
Reciclagem do pavimento RECICLAGEM
Coleta de Material e moldagem do Corpo de Prova para verificação da resistência à compressão simples aos 7 dias RECICLAGEM
Compactação da camada reciclada RECICLAGEM
RECICLAGEM Compactação da camada reciclada
RECICLAGEM
Acabamento da camada reciclada RECICLAGEM
RECICLAGEM Acabamento da camada reciclada
RECICLAGEM Furo Densidade “IN SITU”
RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL ETAPAS TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES “TSS”
RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO 2. TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES  ( TSS ) a)  A cancha após liberada pelo l...
Limpeza da superfície da Base Reciclada TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
Pintura RR-2C com 3% SBS TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS ) Pintura RR-2C com 3% SBS
Distribuição do Agregado TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
Rolagem TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL ETAPAS CAUQ (MASSA FINA)
CAUQ (MASSA FINA) SERVIÇOS a)  Limpeza da superfície (vassoura mecânica ou jato de ar); b)  Recomposição da Base (tapa-bur...
CAUQ (MASSA FINA)
CAUQ (MASSA FINA)
CAUQ (MASSA FINA)
CAUQ (MASSA FINA)
CAUQ (MASSA FINA)
CAUQ (MASSA FINA)
CAUQ (MASSA FINA)
RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL ETAPAS CAUQ COM CAP-BORRACHA
CAUQ COM CAP-BORRACHA <ul><li>CUIDADOS NA APLICAÇÃO DA MISTURA BETUMINOSA DE PRODUTO ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA DE ...
CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO (CAP com Borracha) CAUQ COM CAP-BORRACHA
<ul><li>OBSERVAÇÃO </li></ul>OBSERVAÇÃO:  Após a determinação do teor de asfalto da mistura betuminosa com rotarex ou soxh...
CAUQ COM CAP-BORRACHA
CAUQ COM CAP-BORRACHA
CAUQ COM CAP-BORRACHA
CAUQ COM CAP-BORRACHA
CAUQ COM CAP-BORRACHA
EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NA RECICLAGEM OBRA : JOAÇABA - CAPINZAL   QUANTIDADE  EQUIPAMENTOS 01 DISTRIBUIDOR DE AGREGADO  01...
Distribuidor de Agregado EQUIPAMENTOS
Caminhão Distribuidor de Cimento EQUIPAMENTOS
Recicladora EQUIPAMENTOS
EQUIPAMENTOS Recicladora
Tambor Reciclador EQUIPAMENTOS
Caminhão Pipa EQUIPAMENTOS
Rolos Vibratórios Pé de Carneiro EQUIPAMENTOS
Motoniveladora EQUIPAMENTOS
Rolo Vibratório Liso EQUIPAMENTOS
Vassoura Mecânica Rebocável EQUIPAMENTOS
Caminhão Espargidor EQUIPAMENTOS
Rolo de Pneu EQUIPAMENTOS
ESTADO DO PAVIMENTO ANTES DA REABILITAÇÃO  RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL.
ESTADO DO PAVIMENTO
ESTADO DO PAVIMENTO
ESTADO DO PAVIMENTO
ESTADO DO PAVIMENTO
ESTADO DO PAVIMENTO
ESTADO DO PAVIMENTO
ESTADO DO PAVIMENTO
COMPARATIVO DO PAVIMENTO ANTES E DEPOIS DA REABILITAÇÃO  RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL.
ANTES E DEPOIS
ANTES E DEPOIS
ANTES E DEPOIS
COMPARATIVO DE CUSTOS CUSTO DEINFRA (Referência junho/2007) Reciclagem (REC) Projeto Original (PO) R$ 645.906,89 / Km R$ 6...
INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS USINA VOLUMÉTRICA MÓVEL
Deinfra/SC   Eng° José Euclides A. Albuquerque Engevix S/A Eng° Antonio C. Santos Marcus F. Z. Albuquerque ELABORADO POR:
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Dr.eduardo apresentaçao

789

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
789
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Dr.eduardo apresentaçao"

  1. 2. RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA / BR 282 - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL.
  2. 3. CAPINZAL LACERDÓPOLIS JOAÇABA SITUAÇÃO
  3. 4. JOAÇABA LACERDÓPOLIS CAPINZAL OURO LOCALIZAÇÃO
  4. 5. <ul><li>BASE RECICLADA DO PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO “IN SITU” </li></ul>REABILITAÇÃO DO PAVIMENTO <ul><li>CAUQ MASSA FINA (CAMADA PROTETORA DA BASE) </li></ul><ul><li>CAPA EM CAUQ COM CAP-BORRACHA </li></ul><ul><li>TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES “ TSS ” </li></ul>
  5. 6. PROJETO DA BASE RECICLADA (TRAÇO) RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL. COLETA DE AMOSTRAS IN-SITU E ELABORAÇÃO DO TRAÇO DA BASE RECICLADA COM ADIÇÃO DE CIMENTO
  6. 7. RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO <ul><li>Passos para Elaboração do Projeto (Traço) de Base Reciclada com Cimento </li></ul><ul><li>a) Coleta de amostra “in situ” para definição do traço da base reciclada (com a recicladora, 10 amostras); </li></ul><ul><li>b) Ensaio de granulometria do material coletado “in situ”; </li></ul><ul><li>c) Verificar se o material após ensaio de granulometria, enquadra-se em alguma faixa granulométrica de base; </li></ul><ul><li>d) Caso não se enquadre adicionar material pétreo (brita ¾, pedrisco ou pó de pedra) para que o material reciclado se enquadre em uma faixa de base; </li></ul><ul><li>Nota: No caso da obra de Joaçaba – Capinzal foi adicionado 15% de agregado para que se efetivasse a correção granulométrica e enquadrasse a base reciclada na Faixa II do DEINFRA/SC; </li></ul>PROJETO ( TRAÇO )
  7. 8. <ul><li>e) Adicionar a mistura de base reciclada a quantidade de cimento a fim de que atenda a solicitação de resistência a compressão simples especificada no projeto de restauração do pavimento </li></ul><ul><li>Nota: No caso da obra Joaçaba – Capinzal o percentual especificado no projeto de restauração do pavimento foi de 2,5 a 4% de cimento para uma resistência mínima aos 7 dias de 2,1 Mpa. Através de ensaios nos corpos de prova rompidos à compressão simples com 2,5%, 3% e 4% de cimento, chegou-se ao percentual de 3% para atendimento da resistência mínima especificada no projeto. </li></ul>RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO PROJETO ( TRAÇO )
  8. 9. COLETA AMOSTRA “IN SITU” PROJETO ( TRAÇO )
  9. 10. COLETA AMOSTRA “IN SITU” PROJETO ( TRAÇO )
  10. 11. Tabela 5.2 e 5.3 Recomendação para definição da composição granulométrica do material reciclado, agregado adicional (eventual) e cimento portland (Norma Internacional). Definição da faixa granulométrica. Peneira de Malha Quadrada Percentagem Passando em Peso ASTM mm 2 ½” 63,5 100 Nº 4 4,8 50 – 100 Nº 40 0,42 15 – 100 Nº 200 0,075 5 - 100 Peneiras % Passante em peso ASTM mm Média 10 Amostras 2,5% cimento 15% agregado 3% cimento 15% agregado 4% cimento 15% agregado Faixa II DEINFRA/SC 50,80 100,0 100,0 100,0 100,0 100 1 ½” 38,10 100,0 100,0 100,0 100,0 90 – 100 25,4 67,7 85,2 85,7 86,7 75 – 90 3/8” 9,52 49,9 67,2 67,9 68,9 40 – 75 Nº 4 4,76 33,7 51,2 51,7 52,7 30 – 60 10 2,00 18,4 32,1 32,6 33,6 20 – 45 40 0,42 9,9 17,0 17,5 18,5 15 – 30 200 0,075 4,1 8,4 8,9 9,9 5 - 15
  11. 12. PISTA DE CONTROLE
  12. 13. Resistência a compressão simples “Mínima” requerida pelo projeto de pavimento para camada de Base Reciclada Valor adotado (3% cimento + 15% agregado) Corpos de Prova 2,5% cimento + 15% agregado (MPa) 3% cimento + 15% agregado (MPa) 4% cimento + 15% agregado (MPa) 1 2,08 2,32 3,73 2 2,01 2,28 3,81 3 2,05 2,36 3,72 4 2,00 2,37 3,79 5 2,04 2,31 3,86 6 1,99 2,35 3,74 7 2,06 2,40 3,70 8 2,08 2,32 3,83 9 1,98 2,30 3,75 Média 2,03 2,33 3,77 Desvio Padrão 0,04 0,04 0,05 Valor Mínimo Aceitável *1,98 *2,28 *3,69
  13. 14. Prensa de concreto para verificação da resistência à compressão simples
  14. 15. Características finais do traço
  15. 16. PROJETO ( TRAÇO ) “ PISTA DE CONTROLE”
  16. 17. PROJETO ( TRAÇO ) “ PISTA DE CONTROLE”
  17. 18. PROJETO ( TRAÇO ) “ PISTA DE CONTROLE”
  18. 19. PROJETO ( TRAÇO ) “ PISTA DE CONTROLE”
  19. 20. PROJETO ( TRAÇO ) “ PISTA DE CONTROLE”
  20. 21. RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL <ul><li>ETAPAS </li></ul><ul><li>RECICLAGEM </li></ul><ul><li>TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES </li></ul><ul><li>CAUQ (MASSA FINA) </li></ul><ul><li>CAUQ COM CAP-BORRACHA </li></ul>
  21. 22. RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL ETAPAS RECICLAGEM
  22. 23. RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO <ul><li>Passos para Execução da Base Reciclada do Pavimento com adição de Cimento “ In Situ ” </li></ul><ul><li>1. Reciclagem </li></ul><ul><li>a) Distribuição da camada de agregado sobre a pista com uso de um distribuidor de agregado. </li></ul><ul><li>Nota: Para o caso da obra Joaçaba – Capinzal o percentual de 15% de agregado, definido para correção granulométrica da base reciclada, aproximadamente (50 à 60) kg/m²; </li></ul><ul><li>b) Distribuição do cimento sobre o agregado, com uso de um caminhão com barra distribuidora. </li></ul><ul><li>Nota: Para o caso da obra Joaçaba – Capinzal foi utilizado um caminhão com barra distribuidora de cimento, onde o controle da quantidade de cimento era efetuado com uso de bandeja. Para os 3% de cimento definido no projeto de base reciclado eram necessários 13 Kg/m² de cimento; </li></ul>RECICLAGEM
  23. 24. RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO RECICLAGEM 1. Reciclagem c) Reciclagem do pavimento com uso da recicladora; Nota: Para o caso da obra Joaçaba – Capinzal a espessura definida no projeto de pavimento foi de 20cm de camada reciclada (8cm de capa asfáltica + 12cm de base de brita graduada) existente; d) Coleta de amostras para compactação dos corpos de prova; e) Compactação da camada reciclada com uso de rolos compactadores vibratórios (pé de carneiro, liso e pneu) autopropelidos. Nota: Para o caso da obra Joaçaba – Capinzal foram usados 3 rolos compactadores vibratórios autopropelidos tipo pé de carneiro; f) Acabamento da camada reciclada. Nota: Para o caso da obra Joaçaba – Capinzal foi usado motoniveladora, rolo de pneu autopropelido, rolo liso vibratório autopropelido;
  24. 25. RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO RECICLAGEM 1. Reciclagem g) Ensaios de densidade “in situ” da camada de base reciclada. Nota: Para o caso da obra Joaçaba – Capinzal a densidade “in situ” foi executada com frasco de areia; h) Liberação topográfica da cancha reciclada. Nota: Para o caso da obra Joaçaba – Capinzal a cancha foi liberada através de nivelamento do eixo e bordos a cada 10m; Obs: A cancha reciclada no caso da obra Joaçaba – Capinzal, só era liberada no mínimo 3 dias após sua execução.
  25. 26. Distr i buição da camada de agregado RECICLAGEM
  26. 27. Distr i buição do cimento sobre o agregado RECICLAGEM
  27. 28. CIMENTO Coleta do Agregado e Cimento com bandeja para verificação da taxa AGREGADO RECICLAGEM
  28. 29. Reciclagem do pavimento RECICLAGEM
  29. 30. Coleta de Material e moldagem do Corpo de Prova para verificação da resistência à compressão simples aos 7 dias RECICLAGEM
  30. 31. Compactação da camada reciclada RECICLAGEM
  31. 32. RECICLAGEM Compactação da camada reciclada
  32. 33. RECICLAGEM
  33. 34. Acabamento da camada reciclada RECICLAGEM
  34. 35. RECICLAGEM Acabamento da camada reciclada
  35. 36. RECICLAGEM Furo Densidade “IN SITU”
  36. 37. RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL ETAPAS TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES “TSS”
  37. 38. RECICLAGEM DE PAVIMENTO COM ADIÇÃO DE CIMENTO 2. TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS ) a) A cancha após liberada pelo laboratório e topografia era varrida com uso de vassoura mecânica; b) Pintura da cancha através de caminhão espargidor (burro preto) com uso de emulsão polimerizada RR-2C (3% SBS); c) Distribuição do agregado com uso de distribuidor autopropelido; d) Rolagem da cancha com uso de rolo de pneu e liso. Nota: Para o caso da obra Joaçaba – Capinzal a taxa de emulsão utilizada definida no projeto do TSS é de 1,25 Kg/m² e 8Kg/m² de agregado. TATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
  38. 39. Limpeza da superfície da Base Reciclada TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
  39. 40. Pintura RR-2C com 3% SBS TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
  40. 41. TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS ) Pintura RR-2C com 3% SBS
  41. 42. Distribuição do Agregado TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
  42. 43. Rolagem TRATAMENTO SUPERFICIAL SIMPLES ( TSS )
  43. 44. RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL ETAPAS CAUQ (MASSA FINA)
  44. 45. CAUQ (MASSA FINA) SERVIÇOS a) Limpeza da superfície (vassoura mecânica ou jato de ar); b) Recomposição da Base (tapa-buraco); c) Pintura de ligação (taxa de 0,5 l/m² RR2C); d) Distribuição do CAUQ (Massa Fina); e) Compactação. Nota: Camada de CAUQ (Massa Fina) para proteção da Base Reciclada. CAUQ (Massa Fina), faixa “F” DEINFRA/SC. CAUQ (MASSA FINA)
  45. 46. CAUQ (MASSA FINA)
  46. 47. CAUQ (MASSA FINA)
  47. 48. CAUQ (MASSA FINA)
  48. 49. CAUQ (MASSA FINA)
  49. 50. CAUQ (MASSA FINA)
  50. 51. CAUQ (MASSA FINA)
  51. 52. CAUQ (MASSA FINA)
  52. 53. RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL ETAPAS CAUQ COM CAP-BORRACHA
  53. 54. CAUQ COM CAP-BORRACHA <ul><li>CUIDADOS NA APLICAÇÃO DA MISTURA BETUMINOSA DE PRODUTO ASFÁLTICO MODIFICADO COM BORRACHA DE PNEUS </li></ul><ul><li>O Ligante não deverá ser aquecido acima de 180° C, com o objetivo de minimizar qualquer aumento de consistência que possa ocorrer. </li></ul><ul><li>O aquecimento deverá ser efetuado até obter-se a consistência adequada à sua aplicação, sendo a temperatura ideal entre 165° C e 175° C, devendo ser descarregado em tanques isentos de lastro de outros produtos. </li></ul><ul><li>Recomenda-se durante o armazenamento até 5 dias que a temperatura seja mantida em torno 165° C e que haja agitação e circulação do produto por 2(duas) horas a cada período de 12 horas. Não deve ser feita agitação e circulação do produto a temperatura inferiores a 165° C. </li></ul><ul><li>Em períodos superiores a 5 dias e recomendável deixar estocado a temperaturas mais baixas, em torno de 100° C a 120° C. Para períodos mais prolongados, superiores a 10 dias, o ideal é estocar a temperatura ambiente. </li></ul><ul><li>A temperatura durante o armazenamento deverá ser uniforme e a distribuição de calor ocorre de forma homogênea através da utilização da bomba de recirculação e dos agitadores mecânicos. </li></ul><ul><li>A forma de aquecimento dos tanques de armazenamento deve ser por serpentinas contendo óleo térmico. </li></ul><ul><li>A mistura betuminosa não deve ser aplicada em dias de chuva, em superfícies molhadas e em temperaturas ambientes inferiores a 10° C. A temperatura mínima de compactação da mistura betuminosa na pista não deverá ser inferior a 150° C. </li></ul>
  54. 55. CARACTERÍSTICAS DO PRODUTO (CAP com Borracha) CAUQ COM CAP-BORRACHA
  55. 56. <ul><li>OBSERVAÇÃO </li></ul>OBSERVAÇÃO: Após a determinação do teor de asfalto da mistura betuminosa com rotarex ou soxhlet, o resultado encontrado deverá ser multiplicado por um fator de 1,07, correspondente a presença de partes insolúveis de pó de pneus nos filtros do equipamento. CAUQ COM CAP-BORRACHA
  56. 57. CAUQ COM CAP-BORRACHA
  57. 58. CAUQ COM CAP-BORRACHA
  58. 59. CAUQ COM CAP-BORRACHA
  59. 60. CAUQ COM CAP-BORRACHA
  60. 61. CAUQ COM CAP-BORRACHA
  61. 62. EQUIPAMENTOS UTILIZADOS NA RECICLAGEM OBRA : JOAÇABA - CAPINZAL QUANTIDADE EQUIPAMENTOS 01 DISTRIBUIDOR DE AGREGADO 01 CAMINHÃO DISTRIBUIDOR DE CIMENTO 01 RECICLADORA 03 CAMINHÃO PIPA 03 ROLO VIBRATÓRIO PÉ DE CARNEIRO 01 MOTONIVELADORA 01 ROLO VIBRATÓRIO LISO 01 VASSOURA MECÂNICA REBOCAVEL 01 CAMINHÃO ESPARGIDOR (BURRO PRETO) 01 ROLO DE PNEUS EQUIPAMENTOS
  62. 63. Distribuidor de Agregado EQUIPAMENTOS
  63. 64. Caminhão Distribuidor de Cimento EQUIPAMENTOS
  64. 65. Recicladora EQUIPAMENTOS
  65. 66. EQUIPAMENTOS Recicladora
  66. 67. Tambor Reciclador EQUIPAMENTOS
  67. 68. Caminhão Pipa EQUIPAMENTOS
  68. 69. Rolos Vibratórios Pé de Carneiro EQUIPAMENTOS
  69. 70. Motoniveladora EQUIPAMENTOS
  70. 71. Rolo Vibratório Liso EQUIPAMENTOS
  71. 72. Vassoura Mecânica Rebocável EQUIPAMENTOS
  72. 73. Caminhão Espargidor EQUIPAMENTOS
  73. 74. Rolo de Pneu EQUIPAMENTOS
  74. 75. ESTADO DO PAVIMENTO ANTES DA REABILITAÇÃO RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL.
  75. 76. ESTADO DO PAVIMENTO
  76. 77. ESTADO DO PAVIMENTO
  77. 78. ESTADO DO PAVIMENTO
  78. 79. ESTADO DO PAVIMENTO
  79. 80. ESTADO DO PAVIMENTO
  80. 81. ESTADO DO PAVIMENTO
  81. 82. ESTADO DO PAVIMENTO
  82. 83. COMPARATIVO DO PAVIMENTO ANTES E DEPOIS DA REABILITAÇÃO RODOVIA: SC-303 TRECHO: JOAÇABA - LACERDÓPOLIS - CAPINZAL.
  83. 84. ANTES E DEPOIS
  84. 85. ANTES E DEPOIS
  85. 86. ANTES E DEPOIS
  86. 87. COMPARATIVO DE CUSTOS CUSTO DEINFRA (Referência junho/2007) Reciclagem (REC) Projeto Original (PO) R$ 645.906,89 / Km R$ 681.820,21 / Km PO = 5,56% a mais da REC PROPOSTA CONSTRUTORA (Referência junho/2007) Reciclagem (REC) Projeto Original (PO) R$ 488.520,45 / Km R$ 501.150,77 / Km PO = 2,59% a mais da REC
  87. 88. INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS USINA VOLUMÉTRICA MÓVEL
  88. 89. Deinfra/SC Eng° José Euclides A. Albuquerque Engevix S/A Eng° Antonio C. Santos Marcus F. Z. Albuquerque ELABORADO POR:
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×