Your SlideShare is downloading. ×
ALEMANHA - DE FINAIS DO SÉCULO XIX AO FIM DA 2.ª G. M.A República de WeimarO social-democrata Friedrich Ebert, primeiro pr...
Bismarck, em 1890. Apesar disso, a Democracia Social idealizada por políticos e pensadores como AugustBebel, embora fosse ...
abandonaram seus tronos, em novembro de 1918. Ninguém levantou a voz em defesa da monarquia, quecaíra em descrédito. A Ale...
Partido Nacional-Socialista (NSDAP), tentou um golpe malogrado em Munique (Putsh). A época também foimarcada por tentativa...
A Ditadura NaziPerseguição aos judeus começou logo após a ascensão de Hitler ao poderAo assumir o poder em janeiro de 1933...
Membros da SA instigam a população berlinense contra os judeusA partir de então, não havia instância policial ou estatal c...
A frágil República de Weimar (de 1919 a 1932) não durou o suficiente para que o sistema liberal-democrático fincasse raíze...
A Segunda Guerra MundialAs ruínas do Reichstag, em Berlim, em 1945Ao dar início à sua política expansionista, Hitler previ...
transferiu seu governo para Vichy, no sul da França. Seu regime cooperou com o nazismo. O generalCharles de Gaulle, que se...
numérica, porém, levaram ao fracasso o ataque alemão rumo a Moscou. A contra-ofensiva soviética noduro inverno de 1941/42 ...
As primeiras ordens para o extermínio dos judeus foram dadas em 31 de julho de 1941, mas foi durante aConferência de Wanns...
Paulus entregou-se, com parte das tropas, em 31 de janeiro de 1943. Estalinegrado foi o começo do fimpara Hitler. A notíci...
A ofensiva aérea dos Aliados ganhou grande força a partir do verão de 1943. Bombardeios britânicoscausaram graves danos a ...
região industrial do Ruhr e avançaram depois para o norte, enquanto as tropas americanas rumaram parao sul.A queda de Berl...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Alemanha do fim da 1 gm ao fim da 2 gm

615

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
615
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Alemanha do fim da 1 gm ao fim da 2 gm"

  1. 1. ALEMANHA - DE FINAIS DO SÉCULO XIX AO FIM DA 2.ª G. M.A República de WeimarO social-democrata Friedrich Ebert, primeiro presidente republicanoTransformações e convulsões marcaram as três primeiras décadas do século 20 na Alemanha. Afragilidade da república instituída em 1919 contribuiu para a expansão de movimentos radicais e parafortalecer os nazis.Sob o reinado de Guilherme II, a partir de 1890, a Alemanha procurou recuperar o terreno perdido nacorrida imperialista das grandes potências. A participação do país no movimento colonizador, porém, deu-se em proporções modestas. Suas colónias incluíam Togo, Camarões, o Sudoeste Africano e um conjuntode territórios então denominado África Oriental Alemã.O progresso material da Alemanha, aliado a um grande aumento da população (de 41 milhões, em 1871,para 61 milhões, em 1910), talvez tenha sido o aspecto mais importante nas décadas que precederam aPrimeira Guerra Mundial. O aumento da produção industrial levou a um grande aumento da exportação. Asiderurgia desenvolveu-se a todo vapor, dando origem a firmas poderosas, como a Krupp e a Thyssen. Naindústria química, os fertilizantes aumentavam a produção agrícola e os explosivos reforçavam o campomilitar.Nos meios de transporte, as ferrovias mais do que triplicaram em 40 anos, até somarem 61 milquilómetros em 1910. A interligação ferroviária com outros países colocou a Alemanha no centro da redeeuropeia. A construção de canais melhorou a rede fluvial e houve grande ampliação das linhas marítimas eda marinha mercante. Paralelamente, crescia a rede bancária.Expansão do nacionalismoTudo isso trazia grandes transformações socioeconómicas, que incluíam a conscientização da crescenteclasse trabalhadora - que pudera organizar-se legalmente em sindicatos após o fim da lei anti-socialista de Página 1
  2. 2. Bismarck, em 1890. Apesar disso, a Democracia Social idealizada por políticos e pensadores como AugustBebel, embora fosse a maior força partidária, com milhões de eleitores filiados, ficou excluída de qualquerparticipação no governo. O Reichstag (Parlamento) não exercia nenhum controle sobre o governo.Um clima de intenso nacionalismo se expandiu, influenciando a política do imperador, que a definiu naseguinte máxima: "Política mundial como missão, potência mundial como objetivo, esquadra como meio".A ênfase dada à Marinha decorria da concorrência com o Reino Unido e da brusca intensificação dosinteresses coloniais germânicos.Em 1900, uma nova lei naval duplicou o poderio marítimo alemão. Não só se aguçava a rivalidadeeconómica entre Inglaterra e Alemanha como também se acirrava o panorama internacional. O ano de1913 foi caracterizado por amplos preparativos militares e o aumento de exércitos. Após um período dedesconfiança internacional geral se definiram os que viriam a ser os principais adversários do primeiroconflito mundial: Alemanha e Áustria, de um lado, contra Inglaterra, França e Rússia, de outro.A Primeira Guerra Mundial Cartão-postal da Primeira Guerra MundialO assassinato de Francisco Fernando, herdeiro do trono austríaco, e de sua esposa, em 28 de junho de1914, desencadeou a Primeira Guerra Mundial. A Alemanha viu-se obrigada a lutar em duas frentes, o queBismarck sempre quis evitar. A rápida derrota da França planejada pelos alemães não aconteceu. Aocontrário: após a derrota da Alemanha na batalha do Marne, a luta estagnou.No oeste, uma guerra de trincheiras culminou em batalhas sem sentido, com enormes perdas humanas emateriais para ambos os lados. Desde o início da guerra, o imperador e os primeiros-ministros foramrelegados a segundo plano, e foram os militares que passaram a dar as cartas. O marechal Paul vonHindenburg estava à frente do alto comando militar alemão, mas “o verdadeiro cabeça” era o general ErichLudendorff.A guerra foi decidida após a entrada dos Estados Unidos, em 1917. Ludendorff, contudo, ignorou que aAlemanha estava completamente exaurida, insistindo até setembro de 1918 numa "paz vitoriosa". Aderrota militar foi acompanhada da derrota política. Sem nenhuma resistência, imperador e príncipes Página 2
  3. 3. abandonaram seus tronos, em novembro de 1918. Ninguém levantou a voz em defesa da monarquia, quecaíra em descrédito. A Alemanha tornou-se república.A República de Weimar Proclamação da República de Weimar em ilustração de Raimo BergtDas cinzas da guerra e do império, surgiu uma república fragilizada, numa era de grandes dificuldadeseconómicas, não só na Alemanha, derrotada, como também no mundo todo. O social-democrata FriedrichEbert foi encarregado de formar o primeiro governo republicano. Tendo-se distanciado das ideiasrevolucionárias do passado, os social-democratas consideravam sua principal tarefa garantir a transiçãoordenada para a nova forma de Estado.As tentativas de introdução do socialismo por forças revolucionárias de esquerda, encabeçadas por nomescomo Karl Liebknecht e Rosa Luxemburgo – que acabaram assassinados – foram reprimidas pela força dasarmas em 1918. Não houve mudanças em relação a propriedade privada, administração ou comando dastropas no país. As forças anti-republicanas mantiveram posições-chave no poder.A eleição de 1919 – a primeira em que mulheres puderam votar – resultou em grande maioria para ademocracia parlamentar. A Constituição, promulgada em agosto daquele ano em Weimar, acentuou aunidade alemã: os estados não tinham soberania. Os três partidos republicanos que detinham a maioria naAssembleia Nacional não foram fortes o suficiente para enfrentar, na década de 20, as tendências que secolocavam contra o Estado democrático: aos radicais de esquerda logo vieram se somar os de direita, queganhavam cada vez mais influência no seio do povo.As dificuldades económicas do pós-guerra e as rigorosas condições impostas pelo Tratado de Versalhes,assinado em 1919, alimentaram um profundo ceticismo em relação à república. Os distúrbios atingiramseu ápice em 1923, quando a inflação assumiu proporções dramáticas (um dólar chegou a valer 4,2 bilhõesde marcos). Franceses e belgas ocuparam a região do rio Ruhr, quando os alemães deixaram de pagar asparcelas da indemnização de guerra. Nesse ambiente conturbado, Adolf Hitler, então chefe do pequeno Página 3
  4. 4. Partido Nacional-Socialista (NSDAP), tentou um golpe malogrado em Munique (Putsh). A época também foimarcada por tentativas dos comunistas de tomar o poder.Breve prosperidade antes do fim Gustav Stresemann, chanceler por cem dias em 1923 e ministro das Relações Exterioresaté a morte, em 1929Entre 1924 e 1929 houve um breve período de reconstrução, graças à influência que adquiriu GustavStresemann, um nacionalista contra qualquer tipo de extremismo. Empréstimos externos foram usados namodernização da indústria. Com a ajuda dos EUA, elaborou-se o Plano Dawes para possibilitar que o paísarcasse com suas obrigações de guerra sem se arruinar completamente. A política externa de Stresemannrecuperou para a Alemanha a igualdade de direitos através do Tratado de Locarno (1925) e do ingresso dopaís na Liga das Nações (1926). A arte e as ciências floresceram nos "dourados anos 20".Após a morte do social-democrata Friedrich Ebert, primeiro presidente republicano, foi eleito chefe deEstado, em 1925, o ex-marechal Hindenburg. Candidato da direita, ele seguiu à risca a Constituição,embora não fosse partidário do Estado republicano.O declínio da República de Weimar começou com o colapso da bolsa de Nova York e a crise económicamundial de 1929 – mesmo ano em que morreu Stresemann.A história dos anos seguintes foi marcada pela ascensão, nas eleições de 1930, dos ultranacionalistas(nacional-socialistas) e dos marxistas (comunistas). Em seu radicalismo, ambos aproveitaram-se dodesemprego (que atingia 4,4 milhões de pessoas em 1930) e da miséria geral. Em 1931, a crise levou àquebra dos bancos e, em 1932, a situação se agravou ainda mais: os desempregados somavam 5,6 milhõese o marechal Hindenburg foi reeleito presidente, com Hitler em segundo lugar.Em meio aos tumultos, o chanceler Heinrich Brüning (centro) foi demitido e substituído por Franz vonPapen. O novo governo revogou medidas antes adotadas para conter as formações paramilitares dosnacional-socialistas (nazistas), e Hitler, em troca, passou a tolerá-lo. Em janeiro de 1933, após a demissãode Von Papen, Hindenburg chamou Hitler para constituir o novo governo. Página 4
  5. 5. A Ditadura NaziPerseguição aos judeus começou logo após a ascensão de Hitler ao poderAo assumir o poder em janeiro de 1933, Adolf Hitler começou a montar um sistema ditatorialcaracterizado pela repressão a quem não lhe fosse conveniente, pela perseguição aos judeus e pelaexpansão militar e territorial.A partir de 1930, o movimento nazi de Adolf Hitler cresceu, aproveitando-se do descontentamento popularcom as crises económica e política. O Partido Nacional-Socialista (NSDAP) era antidemocrático, anti-semitae de um nacionalismo exaltado. Com uma pregação pseudo-revolucionária, tornou-se a maior força políticaem 1932. Com a demissão de Franz von Papen, o último chanceler da República de Weimar, o presidenteHindenburg chamou Hitler para constituir o novo governo.Nomeado chanceler do Reich em 30 de janeiro de 1933, Hitler, que considerava o cargo apenas um passopara a tomada do poder absoluto, começou imediatamente a montar um sistema ditatorial. Desfez-serapidamente dos aliados que permitiram sua ascensão, reservando-se plenos poderes. Através de uma leiaprovada pelos partidos burgueses, proibiu todas as agrupações políticas, com exceção do seu NSDAP. OPartido Social Democrata e o Partido Comunista foram dissolvidos, e os demais, forçados à autodissolução.O incêndio do prédio do Reichstag (Parlamento), em 27 de fevereiro de 1933, foi logo atribuído aoscomunistas .Isso serviu de pretexto para a aprovação de leis que revogaram direitos fundamentais doscidadãos, puseram fim à liberdade de imprensa e desmantelaram os sindicatos, principal esteio dosmovimentos sociais contrários ao nacional-socialismo.Repressão e anti-semitismo Página 5
  6. 6. Membros da SA instigam a população berlinense contra os judeusA partir de então, não havia instância policial ou estatal capaz de conter os distúrbios e agressões das SA,as temidas milícias paramilitares do Partido Nacional-Socialista (literalmente, o nome original,Sturmabteilung, significaria Divisão de Assalto). O esquadrão comandado por Heinrich Himmler, a SS (curtopara Schutzstaffel, ou Esquadra de Proteção), começou a sedimentar sua posição especial no aparatorepressivo.Qualquer tentativa de resistência era brutalmente sufocada. O regime perseguia impiedosamente não sóadversários políticos – a começar por comunistas e social-democratas –, como todas as pessoas que nãoeram do seu agrado. Milhares foram presas e, sem qualquer processo judicial, internadas em campos deconcentração construídos da noite para o dia.Mal tomara o poder, o regime começou a pôr em prática seu programa anti-semita. Passo a passo, osjudeus foram despidos dos seus direitos individuais e civis, proibidos de exercer a profissão, limitados emseu direito de ir e vir, expulsos de universidades, agredidos, forçados a entregar ou vender empresas epropriedades. Quem podia, tentava fugir para o exterior para escapar às pilhagens, injustiças e vexações.A perseguição política e a ausência de liberdade de expressão e informação levaram milhares de pessoas aabandonar o país. A emigração forçada de intelectuais, artistas e cientistas de renome representou umaperda irreparável para a vida cultural da Alemanha.Militarização e recuperação económica Sessão no Reichstag em 1938Com a morte do marechal Paul Hindenburg em 1934, Hitler acumulou também a função de presidente. Suapolítica militarista tomava forma e as Forças Armadas passaram a prestar-lhe juramento como der Führer(líder ou guia). Em 1935, foram declaradas extintas as restrições militares do Tratado de Versalhes,introduzindo-se o serviço militar geral e obrigatório no país. Restabeleceu-se assim a soberania militar doReich. Página 6
  7. 7. A frágil República de Weimar (de 1919 a 1932) não durou o suficiente para que o sistema liberal-democrático fincasse raízes na sociedade alemã. O caos durante esse período deixou muitos alemãespropensos à ditadura nacional-socialista. Os violentos conflitos internos, manifestados em sangrentasbatalhas de rua entre adversários políticos, e o desemprego em massa abalaram a confiança do povo noEstado.Hitler, porém, conseguiu dinamizar novamente a economia. O seu regime impôs uma combinaçãoextremada de capitalismo e socialismo estatal, em que tanto os proprietários de grandes empresas comoos operários se subordinavam ao controlo do Estado e ao poder público totalitário. Dois planosquadrienais, iniciados em 1936, davam à economia um aspecto de guerra, com destaque para a produçãode sintéticos. Programas de geração de empregos e a produção de armas levaram à diminuição do exércitode desempregados. O fim da crise económica mundial favoreceu tal política. Os judeus foram sendoexcluídos da vida económica, tendo seus bens confiscados em novembro de 1938.Política externaNo âmbito da política externa, Hitler também conseguiu, inicialmente, impor seus objetivos. A poucaresistência encontrada foi fortalecendo sua posição. Em 1935, a região do Sarre, até então sob aadministração da Liga das Nações, foi reintegrada ao território nacional. Em 1936, as tropas alemãsinvadiram a Renânia, zona desmilitarizada desde 1919. A assinatura de um pacto com o Reino Unido, em1935, permitiu o rearmamento naval do país. Desmoronava, assim, todo o esquema de contenção daAlemanha armado pelos franceses após o fim da Primeira Guerra Mundial.A Guerra Civil espanhola, iniciada em 1936, motivou um confronto entre esquerda e direita. Enquanto ogoverno republicano foi apoiado pela União Soviética, os rebeldes franquistas tiveram ajuda da Itália e daAlemanha. Os dois países aliaram-se em outubro do mesmo ano, no eixo Roma-Berlim. Japão e Alemanha,por outro lado, tinham-se unido no Pacto Anti-Komintern (contra a Internacional Comunista, fundada porVladimir Lenine e pelo Partido Comunista da União Soviética em 1919). Com a adesão da Itália a este, em1937, configurava-se a Tríplice Aliança, que se manteria até a Segunda Guerra.O avanço para a formação do Terceiro Reich prosseguiu: em 1938, a Áustria foi anexada (Anschluss),representando a conquista de um dos primeiros objetivos que Hitler fixara no livro Mein Kampf (MinhaLuta). As potências ocidentais permitiram que ele incorporasse ainda a região dos Sudetas, naChecoslováquia, em 1939 – ano em que começou a Segunda Guerra Mundial. Página 7
  8. 8. A Segunda Guerra MundialAs ruínas do Reichstag, em Berlim, em 1945Ao dar início à sua política expansionista, Hitler previu a guerra desde o início. Com a invasão da Polónia,em1 de setembro de 1939, deflagrou um conflito mundial que se estendeu até 1945.Hitler não se contentou em anexar a Áustria e os Sudetas (em março e setembro de 1938,respetivamente). A sua intenção era dominar a Europa. Depois de desmembrar a Checoslováquia, ordenoua invasão da Polónia, em 1º de setembro de 1939. O Reino Unido e a França declararam guerra àAlemanha dois dias depois, cumprindo o acordo de defesa da Polónia. Começava, assim, a Segunda GuerraMundial, que até 1945 devastou grande parte da Europa.Josef Estaline, que recusava uma aliança com a França e o Reino Unido- assinara um pacto de não-agressãocom a Alemanha em 23 de agosto de 1939. Hitler fez um jogo militar ousado com seus adversários.Sabendo que a vantagem alemã no armamento não se manteria por muito tempo, e que somente umarápida sequência de campanhas militares poderia evitar um fracasso semelhante ao da Primeira GuerraMundial, criou o conceito do blitzkrieg. Danzig (Gdansk), a Prússia Ocidental e algumas regiões quesempre pertenceram à Polónia foram anexadas ao Deutsches Reich após a capitulação daquele país no fimde setembro. Os judeus poloneses foram amontoados em guetos, como o de Varsóvia.Depois da Polónia, a FrançaSuperestimando o poderio militar alemão nesse momento, o Reino Unido e a França permaneceram nadefensiva. Como os adversários não reconhecessem suas anexações no Leste, Hitler iniciou uma campanhaem 10 de maio de 1940, invadindo a França depois de ferir a neutralidade de Holanda, Bélgica eLuxemburgo. Paris foi ocupada pelas tropas alemãs em 14 de junho de 1940.Embora o primeiro-ministro do Reino Unido Winston Churchill propusesse uma união com a França, bemcomo o prosseguimento da resistência francesa no norte da África, a maioria do gabinete francês decidiu-se por um armistício. Este foi assinado em 22 de junho pelo marechal Philippe Pétain, que dias depois Página 8
  9. 9. transferiu seu governo para Vichy, no sul da França. Seu regime cooperou com o nazismo. O generalCharles de Gaulle, que se refugiara em Londres, anunciou a continuidade da resistência.Países e regiões ocupados foram colocados sob comando militar alemão; Luxemburgo e a Alsácia Lorena,anexados. No entanto, falharam tentativas alemãs de preparar um desembarque na Grã-Bretanha e deenfraquecer o adversário através de uma ofensiva aérea. Nesse meio tempo, os Estados Unidos passarama apoiar cada vez mais o Reino Unido.África, Balcãs e GréciaNo fim de 1940, o exército britânico iniciou uma ofensiva contra as forças italianas no norte da África.Hitler atendeu a um pedido de Mussolini, enviando uma esquadra à Sicília e, em fevereiro de 1941, umadivisão à Líbia integrando o Afrika-Korps, sob o comando do marechal Erwin Rommel.Após o fracasso do ataque italiano à Grécia, iniciado em 28 de outubro de 1940, Hitler preparou umaofensiva de apoio, procurando incluir Hungria, Romênia, Bulgária e os países dos Balcãs na Tríplice Aliança,forjada com a Itália e o Japão em 27 de setembro de 1940. As tropas alemãs esbarraram em resistência naJugoslávia e, depois de tomar Belgrado em 17 de abril de 1941, venceram o exército grego. Dez diasdepois, entraram em Atenas.Os preparativos para a campanha contra a União Soviética foram iniciados em julho de 1940. Até meadosde 1941, mais de 3 milhões de soldados alemães haviam avançado na região entre o Mar Báltico e o MarNegro, bem como na Finlândia. Além dos objetivos militares, Hitler queria aplicar seu programa racial.Convencido da superioridade da raça ariana, ele determinou, a partir de 1941, o extermínio sistemáticodos judeus, a dizimação da população eslava e a aniquilação da liderança comunista. Um plano geral para oLeste, elaborado pela cúpula da SS, previa a expulsão e o traslado de milhões de eslavos e uma gradualgermanização da Europa Oriental.O governo soviético não fez grandes preparativos de guerra, apesar das advertências. Estaline nãoacreditava que Hitler atacasse a Rússia antes de encerrar a campanha na frente ocidental. Em vão, tentounegociar com Hitler, a fim de ganhar tempo para armar o Exército Vermelho e mobilizar de 10 a 12 milhõesde reservistas.A expansão da guerraEm 22 de junho de 1941, a Alemanha e seus aliados europeus atacaram a União Soviética. Hitler calculavaque seria possível debilitar o Exército Vermelho em pouco tempo e depois transferir a maior parte dostanques para as campanhas seguintes. A combatividade do Exército Vermelho e sua superioridade Página 9
  10. 10. numérica, porém, levaram ao fracasso o ataque alemão rumo a Moscou. A contra-ofensiva soviética noduro inverno de 1941/42 causou muitas baixas ao exército alemão. Hitler, que ordenara "não se perderuma polegada" do solo conquistado e que os soldados mostrassem uma "resistência fanática", assumiupessoalmente o comando militar.O ataque à União Soviética levou à formação da "coligação anti-Hitler", que até então fracassara peloconflito de interesses. Em 12 de julho de 1941, o Reino Unido e a União Soviética assinaram um tratado deajuda mútua. No mês seguinte, um ataque conjunto dos dois países ao Irã abriu caminho para o envio dematerial de apoio logístico à União Soviética.O agravamento do conflito entre os Estados Unidos e o Japão fez com que os combates se estendessem.Depois que os japoneses ocuparam o sul da Indochina, o presidente norte-americano Franklin Rooseveltdeterminou um embargo de petróleo que afetou profundamente a economia japonesa. Em 1º dedezembro de 1941, o Japão declarou guerra aos Estados Unidos e ao Reino Unido e, em 7 de dezembro,atacou Pearl Harbor. Estabeleceram-se assim as frentes de guerra: as potências do Eixo, no triânguloBerlim-Roma-Tóquio, e os Aliados, compondo a coalizão anti-Hitler. O Japão e a União Soviética, contudo,mantiveram o acordo de neutralidade assinado em abril de 1941.A luta no PacíficoO Japão conquistou rapidamente terreno no Sudeste Asiático, avançando por Tailândia, Birmânia, Malaia(atual Malásia), Singapura, Hong Kong e boa parte das Filipinas, o que lhe garantiu o acesso a matérias-primas de que necessitava para uma guerra de longa duração.No início de 1942, Alemanha e Japão dividiram as zonas de operação, mas não chegou a haver uma intensacooperação militar entre os dois países. Preferindo subjugar primeiramente a União Soviética, Hitlerrechaçou o plano do comandante da Marinha, almirante Erich Raeder, de atuar em conjunto com o Japão etransferir as ações de guerra alemãs para o Mediterrâneo e o Oriente Médio.O Holocausto Deportação de judeus do gueto de Varsóvia Página 10
  11. 11. As primeiras ordens para o extermínio dos judeus foram dadas em 31 de julho de 1941, mas foi durante aConferência de Wannsee, em 20 de janeiro de 1942, que assumiram forma concreta os planos da "soluçãofinal" (Endlösung): a aniquilação sistemática de todos os judeus nos países sob o domínio nazista.Nos meses seguintes, começou o genocídio dos judeus nos campos de concentração e extermínio deAuschwitz, Treblinka, Belzec, Sobibor, Chelmno e Maidanek. Os que não morreram de doenças esubnutrição durante a rotina de trabalhos forçados foram levados para as câmaras de gás. Fuzilamentosem massa, geralmente executados pelas SS, também foram frequentes, principalmente na EuropaOriental. O genocídio custou a vida de 5,2 milhões a 6 milhões de judeus, a maioria deles poloneses.A guerra marítimaNo mar, os submarinos alemães causavam graves perdas aos inimigos e às nações que os apoiavam,atacando e afundando navios até mesmo da Marinha Mercante Brasileira. De janeiro a julho de 1942, amarinha de guerra alemã afundou um tal número de navios aliados que, somados, pesariam 2,9 milhões detoneladas. Sobre as águas, porém, as batalhas praticamente terminaram para os alemães após oafundamento do navio de guerra Bismarck, em 27 de maio de 1941. Paralelamente, desde março de 1942aumentaram os ataques aéreos britânicos contra cidades alemãs.A capitulação na ÁfricaA mudança decisiva no cenário de guerra europeu e africano começou no fim de 1942, com a grandeofensiva do general britânico Bernard Montgomery contra Rommel, na África. Em etapas, a batalha foi sedeslocando para o oeste. Tropas americanas e britânicas aterraram no Marrocos e na Argélia, sob ocomando de Dwight Eisenhower. Os Aliados escolheram a região do Mediterrâneo para uma guerra dedesgaste, em grande estilo.Na conferência de Casablanca, em 24 de janeiro de 1943, Roosevelt e Churchill anunciaram como objetivode guerra a "capitulação incondicional" da Alemanha, da Itália e do Japão. Decidiu-se reforçar osbombardeios contra a Alemanha, que passaram a contar com a participação da Força Aérea dos EstadosUnidos. A capitulação do que restou do exército de Rommel e das tropas italianas na África deu-se em 13de maio de 1945.A ofensiva soviéticaNa frente leste, uma grande ofensiva soviética no fim de 1942 acabou cercando o 6º Exército alemão entreos rios Volga e Don. Embora Hitler proibisse tanto a capitulação como a retirada, o marechal Friedrich Página 11
  12. 12. Paulus entregou-se, com parte das tropas, em 31 de janeiro de 1943. Estalinegrado foi o começo do fimpara Hitler. A notícia de que os Aliados haviam desembarcado na Sicília, em 10 de julho de 1943, fez comque ele interrompesse os combates no Cáucaso para concentrar forças na Itália. A partir de então, a UniãoSoviética passou a ditar os acontecimentos na frente leste.Após um último aumento da capacidade destrutiva dos submarinos alemães até março de 1943, osingleses conseguiram decifrar o código alemão de radiocomunicação. As perdas foram tão grandes que ocomandante da marinha de guerra alemã, almirante Karl Dönitz, suspendeu, em maio, o combate aoscomboios aliados no Atlântico.A queda da Itália Prisioneiros de guerra alemães em EstalinegradoO desembarque dos Aliados na Sicília encontrou pouca resistência italiana. Uma moção de desconfiançacontra Mussolini culminou com sua prisão, em 25 de julho de 1943. O governo nomeado pelo rei VictorEmmanuel 3º assinou um armistício com os Aliados, que desembarcaram no sul da Itália em setembro. Astropas alemãs, por sua vez, ocuparam Roma em 10 de setembro e começaram a desarmar as tropasitalianas. Mussolini foi libertado por um comando alemão de pára-quedistas e passou a chefiar umarepública social italiana, fascista e dependente da Alemanha. A grande ofensiva aliada, contudo, só teveinício em 12 de maio de 1944. No mês seguinte, as tropas alemãs deixaram Roma, concentrando-se nonorte.Em 3 de janeiro de 1944, o Exército Vermelho ultrapassou a fronteira soviético-polonesa de 1939. Em 22de junho do mesmo ano, quando se completavam três anos da invasão alemã, Estaline ordenou umagrande ofensiva contra as divisões alemãs concentradas no centro. Como Hitler insistisse em manter alinha da frente, em poucos dias os soviéticos conseguiram rompê-la, desgastando as 38 divisões alemãs.Com isso, os soviéticos chegaram até o leste de Varsóvia e cortaram as vias de abastecimento das tropasalemãs nos países bálticos. Página 12
  13. 13. A ofensiva aérea dos Aliados ganhou grande força a partir do verão de 1943. Bombardeios britânicoscausaram graves danos a cidades alemãs, entre as quais Hamburgo e Berlim. No ano seguinte, o alvo foramas refinarias, o que levou a uma queda fatal da produção de combustível.O desembarque na NormandiaApós meses de preparativos, o grande desembarque na costa da Normandia teve início na madrugada de 6de junho de 1944. Apesar da resistência dos alemães, os Aliados conseguiram romper sua linha de defesa.Tropas americanas e da resistência francesa tomaram Paris em 25 de agosto. Dias antes, os Aliadostambém haviam desembarcado na costa mediterrânea. De Gaulle assumiu o governo da França.Em 20 de julho de 1944, o alemão Claus Schenk, conde de Stauffenberg, perpetrou um atentado contraHitler, em nome do movimento de resistência do qual faziam parte vários oficiais. Hitler saiu apenaslevemente ferido da explosão de uma bomba em seu quartel-general na Prússia Oriental. A represália nãose fez esperar: mais de 4 mil pessoas, membros e simpatizantes da resistência, foram executadas nosmeses seguintes.Embora o desmoronamento do Terceiro Reich fosse incontestável, Hitler ordenou, em 25 de setembro de1944 ,que todos os homens alemães de 16 a 60 anos fossem convocados para o exército, pouco depois deseu ministro da Propaganda, Josef Goebbels, tornar a proclamar a "guerra total". A inversão da situação fezcom que pequenos países que haviam se aliado à Alemanha, como a Roménia, abandonassem a guerra oumudassem de frente.O fim da guerra na EuropaEnquanto a ofensiva nas Ardenas consumiu as últimas reservas alemãs na frente ocidental, um novoataque soviético acabou com o que restava das tropas alemãs no leste. O Exército Vermelho tomouVarsóvia em 17 de janeiro de 1945 e logo depois isolou a Prússia Oriental do resto do Reich. Em 30 dejaneiro, as tropas soviéticas atingiram o rio Oder, na atual fronteira entre a Polónia e a Alemanha. Nosmeses seguintes, os alemães caíram em Silésia, Prússia Ocidental, Pomerânia Oriental, Königsberg e Danzig(Gdansk).A ofensiva dos aliados ocidentais não avançou com tanta rapidez. Vindos da Holanda, os norte-americanosentraram na Alemanha em 23 de fevereiro, chegando a Colónia em 7 de março de 1945. No mesmo dia,tomaram a ponte de Remagen, sobre o Reno, a única que não fora destruída. Os ingleses dirigiram-se à Página 13
  14. 14. região industrial do Ruhr e avançaram depois para o norte, enquanto as tropas americanas rumaram parao sul.A queda de Berlim e a capitulaçãoMunique caiu em 30 de abril, restando ao Exército Vermelho a conquista de Berlim, Praga e Viena. Ocomandante de Berlim capitulou em 2 de maio de 1945. Hitler se suicidou dias antes na capital alemã, em30 de abril, num bunker. Nomeou o almirante Karl Dönitz seu sucessor como chefe de Estado. Dönitzordenou que o chefe do Estado-Maior, general Alfred Jodl, assinasse a capitulação incondicional em 7 demaio de 1945, no quartel-general dos Aliados, em Reims. A rendição entraria em vigor no dia seguinte, 8de maio, data que marca, oficialmente, o fim da Segunda Guerra Mundial na Europa. Dois dias depois, ocomandante da Wehrmacht, marechal Wilhelm Keitel, assinava a capitulação também no quartel-generalsoviético, em Berlim. Em 5 de junho de 1945, os quatro comandantes-em-chefe dos Aliados anunciaramter assumido o controle em toda a Alemanha.No Pacífico, a guerra se estendeu até 2 de setembro de 1945, quando o Japão assinou sua capitulação.Para pôr fim ao conflito, os norte-americanos apelaram a bombas nucleares. Atiraram as primeiras bombasatómicas sobre Hiroxima, em 6 de agosto de 1945, e Nagasaki, em 9 de agosto.O balançoA Segunda Guerra Mundial deixou um saldo de pelo menos 30 milhões de mortos – algumas estimativascalculam o número em mais de 55 milhões. Só na União Soviética, morreram cerca de 20 milhões. OHolocausto custou a vida de 5,2 milhões a 6 milhões de judeus. Na Alemanha, morreram 5,25 milhões; naPolónia, 4,5 milhões; no Japão 1,8 milhão, e na Jugoslávia, 1,7 milhão de pessoas.Ao fim da Segunda Guerra, a Alemanha, a Itália e o Japão deixaram de ser grandes potências. Os EstadosUnidos e a nova superpotência União Soviética haviam definido a guerra na Europa, que dividiram de fatoem duas zonas, conforme seu poderio e sua esfera de influência. No Leste Asiático, os EUA dominaraminicialmente, enquanto a Grã-Bretanha e a França, embora também vencedores, entraram em declínio.Fonte:Retirado e adaptado do site - http://www.dw-world.de/ Página 14

×