Arte de ensinar
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Arte de ensinar

on

  • 619 views

 

Statistics

Views

Total Views
619
Views on SlideShare
619
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Arte de ensinar Presentation Transcript

  • 1. O que teremos nesse trabalho? ApresentaçãoDança Finalidade do projeto Ensino de física Trabalho Ensino e Arte O sucesso nas aulas
  • 2. Pra início de conversa, gostaria que você pensasse sobre o tipo de dança quevocê mais gosta e convidá-lo a participar da leitura desse texto embalado poressa dança fazendo o link com a disciplina Física. Que tal? Então vamos para o salão, quer dizer, para o texto.
  • 3. Quando falamos em dança nos lembramos dos homens das cavernas, pois os indivíduos já dançavam naquelaépoca. A dança é, então, uma das formas de linguagem corporal mais antiga, no entanto, é muito mais do que “falarcom o corpo”. Ela é uma modalidade de arte que não depende das palavras, embora também possa usá-las, e constróisignificados na vida das pessoas. É também considerada uma das artes mais antigas, e a única que dispensa suafunção, enquanto instrumento de afirmação dos sentimentos e experiências subjetivas do homem. Portanto, essalinguagem, por si só, já constitui um instrumento de interação entre o pensamento humano e o seu meio.
  • 4. E POR QUE NÃO TORNAR AS AULAS DE FÍSICA MAIS AGRADÁVEIS UTILIZANDO A DANÇA? Mas como podemos fazer isso? Em nossa pesquisa, vimos que podemos desenvolver conteúdos físicos ematemáticos assuntos considerados complexos e geralmente de difícil expressão e entendimento para o aluno, mascom o movimento da dança tais conteúdos fazem parte da simplicidade de seu cotidiano, ao demonstrar que osmovimentos do corpo, o ato de caminhar, de interagir com seu meio, está repleto de ações físicas e matemáticas.
  • 5. A simples posição dos corpos em determinadas atividades podem envolver a lei de formação dematrizes. O que na língua portuguesa, que não se dissocia das duas disciplinas as quais se deseja dar mais ênfase, pois é um meio de expressão muito significativo, será trabalhada a forma de o aluno expressar o seu entendimento do assunto envolvido. Quando se dança ocupa-se espaços. E tudo que está em volta se transforma. Mas como trabalharcom os ritmos? De acordo com o nosso olhar, percebemos que nas aulas de dança as a Física está em tudo. Com o rock e o merengue, é possível tomar os dançarinos como exemplo para o movimento das moléculas e partículas. Com o forró, é possível ensinar vetores e com o tango e o frevo, centro de gravidade. “A dança é uma ferramenta a mais. O quadro negro e o retroprojetor são ferramentas para ensinar Física, e por que não à dança?”. A maioria dos alunos tem medo da Física e da Matemática, acha que é uma matéria difícil.
  • 6. VAMOS VER COMO FAZER ISSO? No tango, por exemplo, podemos aprender sobre equilíbrio e centro de gravidade. Os mesmos conceitos se aplicamsempre que andamos. Já o forró pode ser utilizado para ensinar soma de vetores. “Espalhamos pratinhos de papel no chão,de maneira aleatória, e vendamos um casal que deve atravessar o salão. Toda vez que o casal pisar em um pratinho, marcarcom uma caneta, e cada um será um vetor. “Em seguida, calculamos o deslocamento do casal somando os vetores”. Grande parte dos exercícios é voltada para a Física microscópica. Cada dançarino faz o papel de uma molécula, e oprofessor faz analogias com a pressão, a temperatura e o volume. “Num baile de rock, quanto mais uma pessoa semovimenta, mais espaço ela ocupa.” As moléculas se comportam da mesma maneira. “Quando elas têm mais energia oumais temperatura, o volume ocupado é maior”.
  • 7. Já para explicar eletricidade, os alunos ficam numa fila de merengue, na qual cada um representaum elétron. “Se travamos uma pessoa, é como aumentar a resistência elétrica, e assim podemos ensinartensão, voltagem, etc.” O mais importante, é a criatividade. “Cada ritmo não é limitado aos seus própriosmovimentos. A maioria deles pode ser adaptada conforme a necessidade.” Diante do exposto, no processo de construção dessa pesquisa, pretendemos demonstrar como aarte pode ajudar o aluno a compreender os diversos campos de atuação da matemática, da física, daprática de leitura e produção textual. Nesse contexto, é necessário explorar a arte como mediadora doconhecimento científico, uma vez que a arte na dança trabalha com os movimentos do corpo criandodiferentes movimentos e abrindo um leque com muitas opções de trabalhar os diversos conteúdos, a partirda reflexão, interação e discussão sobre as múltiplas relações matemáticas e físicas existentes nasdiversas linguagens artísticas.
  • 8. Além do mais, a dança é abordada, enquanto linguagens tradicionalmente reconhecidas por suas dimensõesespaciais, temporais e cinéticas em algumas das muitas relações existentes com a linguagem físico matemática. Ensinar física não é fácil. Aprender é menos ainda, não é o que parece? Algumas experiências são úteis nãosó no processo pedagógico, como também no próprio enriquecimento do professor através da experiência do ensino.Antes de tudo, o professor deve estar aberto a novos métodos de ensino e perceber que ensinar também é umprocesso de aprendizado. E não só da matéria que se está ensinando; ao ensinar, estabelecemos uma relação comaqueles que estão nos ouvindo. O ensino da física em todos os níveis, desde uma simples demonstração do movimento pendular para alunosdo nível básico ao cálculo de uma função, deve sempre expressar sua característica mais fundamental: física é umprocesso de descoberta do mundo natural e de suas propriedades, uma apropriação desse mundo através de umalinguagem que nós podemos compreender. Talvez a parte mais difícil no ensino da física seja a tradução do fenômeno observado em símbolo. Uma coisaé ver o pêndulo oscilar, outra é escrever uma equação que represente a variação da sua posição no tempo. Mas éjustamente aqui que o desafio pode ser transformado em bônus; um dos aspectos mais belos da ciência é ela sercapaz de explicar quantitativamente fenômenos observados. Então, o ensino da física deve, necessariamente,conectar a visualização do fenômeno e sua expressão matemática.
  • 9. Não existe nada mais fascinante no aprendizado da ciência do que vela em ação. E, contrariamente ao que sepossa pensar, não são necessárias grandes verbas para montar uma série de demonstrações efetivas e estimulantes, tantopara o professor como para seus alunos. Enfatizando a dinamicidade e o cênico, buscaremos exemplificar, pelo uso doselementos o quanto existe de espacialidade, de harmonia de formas, de simetria e de movimentos, de utilização deproporções e de muitos conceitos matemáticos em suas produções. Em uma aula de dança através de jogos simbólicos, ouso do corpo como uma orquestra de movimentos expressivos, que evolui em sons, tempos, ritmos e marcações noespaço.
  • 10. REFERÊNCIASANTUNES, Celso. Como identificar em você e em seus alunos as inteligências múltiplas: Petrópolis, Rio deJaneiro: Vozes, 2001.BONJORNO, Regina Azenha. Física Completa: Ensino Médio..., et ol: São Paulo: FTD, 2000.COLL, César; TEBEROSKY, Ana. Aprendendo Arte: Conteúdos Essências para o Ensino Fundamental. SãoPaulo: Ática, 2003.DANTE, Luiz Roberto. Matemática: Livro do Aluno. São Paulo: Ática, 2004.Disponível no site: http://wikipedia.org – acesso em 11/3/2010Disponível no site: www.passosecompassos.com.br – acesso em 12/3/2010Disponível no site: www.tvebrasil.com.br - acesso em 12/3/2010Disponível no site: http://apervieira.sites.uol.com.br/blog/images/surya-namaskar-thumb949154.jpg - acesso em21/3/2010Disponível no site: meninamisteriosa.wordpress.com/2009/08/