Your SlideShare is downloading. ×
O ilumisnismo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

O ilumisnismo

3,678

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
3,678
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
40
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Da produção de agulhas à fundição de canhões.
  • 2.
    • Depois de Hume, o alemão Kant foi o próximo grande construtor de um sistema filosófico. Mas também a França teve muitos pensadores importantes no século XVIII. Podemos dizer que na primeira metade do século XVIII o centro filosófico da Europa esteve na Inglaterra , em meados do século se deslocou para a França e em fins do século para a Alemanha.
    • Pensadores importantes: Montesquieu, Rousseau, Voltaire entre outros.
  • 3. Sete pontos importantes:
    • A revolta contra as autoridades
    • O racionalismo
    • O pensamento do Iluminismo
    • O otimismo cultural
    • O retorno à natureza
    • O cristianismo humanista
    • Os direitos humanos
  • 4.
    • 1) Revolta contra as autoridades:
    • Muitos filósofos do iluminismo francês tinham visitado a Inglaterra, que em certo ponto era mais liberal que a própria França. A ciência natural inglesa, sobretudo Newton e sua física universal, fascinou esses filósofos franceses. Mas também os filósofos ingleses foram fonte de inspiração para eles, principalmente Locke e sua filosofia política. De volta à sua pátria, a França, eles começaram pouco a pouco a se rebelar contra o velho autoritarismo.
  • 5.
    • Eles achavam que era muito importante permanecerem céticos a todas as verdades herdadas e acreditavam que o próprio indivíduo deveria encontrar respostas às suas perguntas. Nesse ponto, a fonte de inspiração era Descartes.
    • A revolta contra o velho autoritarismo não tardou a se voltar contra o poder da Igreja, do rei e da aristocracia; instituições que no século XVIII eram muito mais poderosas na França que na Inglaterra.
    • 1789: Revolução.
  • 6.
    • 2) Racionalismo: crença inabalável na razão humana.
    • A nova ciência natural deixara claro que tudo na natureza era RACIONAL. Assim, os filósofos iluministas consideravam sua tarefa criar um alicerce para a moral, a ética e a religião que estivesse em sintonia com a razão imutável do homem. E isto levou ao pensamento do Iluminismo propriamente dito.
    • Dizia-se ter chegado o momento de ILUMINAR.
  • 7.
    • 3) Pensamento Iluminista
    • Entre o povo imperavam a incerteza e a superstição. Por isso dedicou-se especial atenção à educação. Não é por acaso que a pedagogia, como ciência, foi fundada na época do Iluminismo.
    • O Sistema Educacional vem da Idade Média e a pedagogia do Iluminismo.
    • Grande Momento do Iluminismo: ENCICLOPÉDIA . Surgida entre 1751 e 1772 em 28 volumes, com contribuições de todos os filósofos. Dizia-se que ali havia de tudo, da produção de agulhas à fundição de canhões.
  • 8.
    • 4) O otimismo cultural:
    • “ Somente quando a razão e o conhecimento se tivessem difundido entre todos nós é que a humanidade faria grandes progressos.”
    • Era apenas uma questão de tempo para que desaparecessem a irracionalidade e a ignorância e surgisse uma humanidade iluminada, esclarecida.
    • Hoje não estamos tão convencidos de que o progresso do conhecimento leva necessariamente a melhores condições de vida. Mas esta crítica já havia sido feita pelos próprios filósofos do iluminismo.
  • 9.
    • 5) Retorno à natureza: De volta à natureza era a palavra de ordem crítica à civilização. Só que para os filósofos do iluminismo, natureza era sinônimo de razão.
    • Jean-Jacques Rousseau dizia que a natureza era boa e que o homem, portanto, era “naturalmente bom”. Todo mal estaria na sociedade civilizada, que afasta o homem de sua natureza. Por isso Rousseau também queria que as crianças vivessem por mais tempo possível em seu “estado natural” de inocência. Podemos dizer que a noção de um valor próprio da infância vem do iluminismo.
  • 10.
    • Até então, a infância tinha sido vista como uma preparação para a vida adulta. Mas somos todos seres humanos, e vivemos nossa vida na Terra também como crianças.
    • 6) Cristianismo humanista: Os filósofos do iluminismo também se preocupam com uma religião natural, que deveria estar em consonância com a razão natural do homem. Muitos lutaram por aquilo que podemos chamar de cristianismo humanista.
  • 11.
    • Também tivemos aqueles que não acreditavam em Deus e professavam o ateísmo. Mas a maioria dos filósofos iluministas achavam irracional imaginar um mundo sem Deus. Para eles o mundo era racional demais para ser encarado de outra forma.
    • Da mesma forma, a crença na imortalidade da alma era vista como algo racional. À semelhança de Descartes, para os filósofos do iluminismo a questão de saber se o homem possuía uma alma imortal também era mais uma questão de razão do que de fé.
  • 12.
    • Muitos também professavam o deísmo: concepção de mundo segundo a qual Deus criou o mundo em tempos há muito passados, mas nunca se revelou a ele desde então. Desse modo, Deus é visto como um ser superior, que só se revela ao homem através da natureza e de suas leis, mas nunca através de uma forma sobrenatural. Tal Deus filosófico, nós o encontramos em Aristóteles; para ele Deus era a causa primeira, o impulsor do universo.
  • 13.
    • 7) Direitos humanos:
    • Os filósofos franceses não se contentaram apenas com as teorias, eles lutaram por aquilo a que chamaram de “direitos naturais” dos cidadãos. Tratava-se sobretudo de uma luta contra a censura, ou seja, pela liberdade de imprensa. No que respeita à religião, à moral e à política, o indivíduo precisava ter assegurado o seu direito à liberdade de pensamento e de expressão de seus pontos de vista. Além disso, lutou-se contra a escravidão e por um tratamento mais humano dos infratores das leis.
  • 14.
    • Princípio da inviolabilidade do indivíduo acabou resultando na “Declaração dos Direitos Universais do Homem e do Cidadão”, promulgada pela Assembléia Nacional Francesa em 1789.
    • Direito da MULHER?!
    • A declaração para todos os cidadãos restringia-se aos homens, ; apesar disso é exatamente durante a Revolução Francesa que surge o primeiro exemplo de um movimento de mulheres.
  • 15.
    • 1787: Condorcet (filósofo iluminista) publica um artigo sobre os direitos da mulher. Nele, o filósofo garante às mulheres o mesmos direitos naturais dos homens. Durante a Revolução Francesa, muitas mulheres participaram ativamente na luta contra a aristocracia; por exemplo, foram elas que lideraram as passeatas que acabaram levando o rei a abandonar seu castelo em Versalhes.
    • Contudo, logo que as coisas se acalmaram, a predominância dos homens foi restabelecida.
  • 16.
    • Olympe de Gouges publicou dois anos após a Revolução a Declaração dos Direitos da Mulher, reivindicando para as mulheres os mesmos direitos dos homens.
    • Foi decapitada em 1793 e as mulheres proibidas de qualquer atividade política.

×