Your SlideShare is downloading. ×

Software livre por que usar? slide

2,660

Published on

Este trabalho apresenta o conceito histórico e o desenvolvimento do Software Livre, bem como as licenças no qual é distribuído, além da diferença entre esse tipo de sistema em relação ao software de …

Este trabalho apresenta o conceito histórico e o desenvolvimento do Software Livre, bem como as licenças no qual é distribuído, além da diferença entre esse tipo de sistema em relação ao software de código aberto, domínio público e também modelos de distribuição. Suas vantagens e dificuldades encontradas na utilização deste software que está sendo disseminado na área da Tecnologia.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,660
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
110
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Software Livre: Por que Usar? José do Nascimento Sousa, josesousa1@gmail.com;Diego Pereira de Sousa, diegosousadiego@gmail.com; Curso de Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade Alvorada – Brasília-DF, Junho/2011.
  • 2. Tópicos a ser apresentado• Pequeno Histórico ;• O que é Software Livre (SL);• O que é Open Source (OS);• Software Livre X Código Aberto;• Software Livre X Domínio Público• Conceitos das distribuições de Software;• Licenças frequentemente utilizadas;• Vantagens ;• Dificuldades;• Aplicação do software;• Crescimento do uso do SL no Brasil;• Conclusão.
  • 3. Pequeno Histórico• Anos 50 – 60: Praticamente não existia a hipótese da venda de software. O valor era cobrado na maquina em si.• Anos 60: Desenvolvimento do sistema operacional UNIX pela AT&T.• Anos 80: AT&T restringe a modificação do código fonte. Diversas empresas de TI como HP, IBM e SUN começaram a desenvolver suas próprias versões proprietárias.
  • 4. Pequeno HistóricoAnos 80: Nasce o projeto GNUque mais tarde daria origem aFree Software Foundation(FSF), criado por RichardStallman. Desenvolver umsistema operacional completoa ser distribuído como livre. Richard Stallman
  • 5. Pequeno HistóricoAnos 90: Linus Torvalds,disponibiliza na internet o códigofonte de um núcleo de sistemaoperacional, desenvolvido porele, batizado de Linux; Osoftware livre passou a ser umaalternativa popular paraservidores Web, o ServidorApache tornou-se o servidor Linus TorvaldsWeb mais utilizado.
  • 6. Pequeno Histórico• Anos 90: Netscape disponibilizar seu navegador (hoje conhecido como Mozilla Firefox) como software livre.É Fundada Open Source Initiative.
  • 7. O que é Software Livre?É aquele em que o usuário pode usá-lo, copiá-lo, distribuí-lo, pode ser o original ou com alterações gratuitamenteou com custos. O ponto fundamental para ser livre é terseu código fonte acessível para analises, alterações edistribuição pelos seus usuários.* *Hexsel(2002)
  • 8. O que é Software Livre? Executar Estudar Software Livre Redistribuir AperfeiçoarSoftware pode ser considerado livre se possuir 4 tipos de liberdades, são elas:Liberdade Nº 0 - A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito.Liberdade Nº 1* - A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suasnecessidades.Liberdade Nº 2 - A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seupróximo.Liberdade Nº 3* - A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, demodo que toda a comunidade se beneficie.*Para as liberdade 1 e 3 o acesso ao código fonte é um pré-requisito.
  • 9. O que é Open Source? Termo utilizado pela Open Software Initiative (OSI) para denotar algo semelhante ao software livre. Para uma licença ou software ser considerado como Código Aberto pela Open Source Initiative, eles devem atender aos 10 critérios da Definição de Código Aberto*, que são:• Distribuição livre;• Acesso ao código-fonte;• Permissão para criação de trabalhos derivados;• Integridade do autor do código-fonte;• Não discriminação contra pessoas ou grupos;• Não discriminação contra áreas de atuação;• Distribuição da licença;• Licença não específica a um produto;• Licença não restritiva a outros programas;• Licença neutra em relação à tecnologia. *Comunidade Open Source (2011)
  • 10. Software Livre X Código Aberto Free Software X Open SourceFazem parte do mesmo tema que é a produção e uso de software não proprietário Software livre Código AbertoPode ou não ser monetizado. Pode ou não ser monetizadosoftware livre não diz respeito à Permissão de Trabalhos Derivadosgratuidade, mas sim à liberdade (código pode ser usado em Software(Executar, estudar, redistribuir, aperfeiçoar) proprietário)garantia e perpetuação das liberdades ligadas a questões práticas de produção e negócio.Existe o efeito “contaminação” Não há o efeito “contaminação”
  • 11. Software livre X Domínio público Não há Software Licença Software Livre Domínio Há Publico Não “Contamina” (ex. TCP/IP) “Contamina” (ex. GPL) (ex. BSD)O primeiro, quando utilizado em combinação com licenças típicas (como aslicenças GPL e BSD), garante os direitos autorais do programador/organização.O segundo caso acontece quando o autor do software renuncia à propriedadedo programa e todos os direitos associados, e este se torna bem comum.
  • 12. Conceitos de distribuição de SoftwaresShareware: É um programa de computador disponibilizado gratuitamente, porém com algum tipo de limitação. Para o usuário utilizar a sua funcionalidade completa ou poder continuar utilizando o programa, deverá pagar. Um shareware está protegido por direitos autorais. Exemplos: Winzip, RealAudio, etc.Software Demo: Qualquer material promocional que é uma fração de um produto maior, lançado com a intenção de dar a oportunidade de o produto ser avaliado por possíveis clientes. O termo é bastante usado nos contextos da música e dos jogos. Exemplo: Jogos FIFA 11 EA Sports disponibilizados para downloads para testes
  • 13. Conceitos de distribuição de SoftwaresAdware: São softwares com uso condicionado a exibição de propagandas e anúncios. Exemplos: Kazaa, Shareazza, etc.Freeware: São softwares de uso gratuito. Não permite modificação, já que o código-fonte não é disponibilizado. Exemplos: ICQ, MSN, etc.Semi-Livre: São softwares onde se permite a cópia, modificação e distribuição para fins não lucrativos. Ex. primeiras versões do Internet Explorer da Microsoft, algumas versões dos browsers da Netscape, e o StarOffice.
  • 14. Conceitos de distribuição de SoftwaresCódigo Aberto: É o termo utilizado pela Open Software Initiative (OSI) para denotar algo semelhante ao software livre. Exemplo: OpenOffice.orgSoftware Livre: o software pode ser utilizado livremente. Seus usuários podem ter acesso ao código-fonte, alterá-lo e distribuí-lo livremente. Exemplo: Sistemas Operacional (GNU/Linux) etc.
  • 15. Conceitos de distribuição de SoftwaresProprietário: É aquele cuja cópia, redistribuição ou modificação são em alguma medida proibidos pelo seu proprietário. Exemplos: Windows, Office, Oracle, etc.Comercial: É o software desenvolvido por uma empresa com o objetivo de lucrar com sua utilização. Exemplo: Adobe Photoshop CS3 (Proprietário)Domínio Público: São softwares sem copyright. Exemplo: TCP/IP
  • 16. Licenças frequentemente utilizadas GPL – Licença Pública Geral GNU Licença BSD A Licença MIT/X11 Licença Apache Licença Mozilla
  • 17. Copyright CopyleftCopyright: Garante a não reprodução sem consentimento.Copyleft: Garante que o software sempre vai ser Livre.
  • 18. GPL – Linceça Pública Geral GNU• É a mais utilizada, sendo adotada pelo Linux.• Ela impede que o software seja integrado em um software proprietário e garante os direitos autorais.• Não permite que as liberdades originais sejam limitadas, nem que sejam impostas restrições que impeçam a distribuição da mesma forma que foram adquiridos.
  • 19. Licença GPL SeSoftware proprietário Não GPL contiver Software livre GPL então Não Remover Distribuir distribuir Código GPL sob GPL
  • 20. Licença BSD• A licença BSD foi inicialmente utilizada nos softwares da Berkeley Software Distribution.• Ela impõe poucas restrições sobre as formas de uso, alterações e redistribuição do software e, por isso, é chamada de copycenter.• O programa pode ser vendido e não precisa incluir o código fonte.
  • 21. Licença BSD SeSoftware proprietário Não BSD contiver Código Aberto BSD então Sem Distribuir Pode Remover distribuir sob BSD Código BSD
  • 22. Licença MIT• Criada pelo Massachusetts Institute of Technology, Licença bem parecida com a BSD.• Porém, seu texto é bem mais explícito ao tratar dos direitos que estão sendo transferidos, afirmando que qualquer pessoa que obtém uma cópia do software e seus arquivos de documentação associados pode lidar com eles sem restrição, incluindo sem limitação nos direitos a usar, copiar, modificar, mesclar, publicar, distribuir, sublicenciar e/ou vender cópias do software.• As condições impostas para tanto são apenas manter o aviso de copyright e uma cópia da licença em todas as cópias ou porções substanciais do software.
  • 23. Licença Apache• Redistribuição do código fonte deve manter o copyright• Redistribuição de Binários devem apresentar o copyright na documentação ou outros materiais• Rigor na utilização de “Apache” ou “Apache Software Foundation”
  • 24. Licença Mozilla• A licença é similar ao copyleft, mas não é tão rígida quanto à distribuição de trabalhos derivados.• Especificamente, o código fonte copiado ou alterado sob a licença Mozilla deve continuar sob esta licença. Porém, este código pode ser combinado em um programa com arquivos proprietários.• Além disso, é possível criar uma versão proprietária de um código sob a licença Mozilla. Por exemplo, o navegador Netscape 6 e 7 são versões proprietárias das versões correspondentes da suíte Mozilla.
  • 25. Vantagens do Software Livre•Custo de aquisição quase zero, custo de •É permitido acesso ao código-fonte.atualização, consertos e remendostambém quase zero. •Oferece liberdade importante para a sociedade.•A segurança, do ponto de vista de vírusetc, é maior. •Encontra-se o produto em permanente construção coletiva.•Proporciona vantagens econômicas. •Permite cooperação e compartilhamento.•É um produto com flexibilidade. •Oferece contribuição à sociedade•Verificam-se organizações virtuais. •...•Possui sistema e aplicativos geralmenteconfiguráveis.
  • 26. Vantagens Do Software Livre Tabela 01 - Comparação de Aplicação de Software Proprietário X Software Livre em Desktops de empresas de médio porte CUSTOSEm empresas de pequeno porteonde foram empregadosSoftwares livres para Desktops, aeconomia chegou a 63%.Na Tabela I mostra os valorespara uma empresa com umparque computacional de 25maquinas. Fonte: Da Silva e Ribeiro (2010). Nota: Dados adaptados pelo autor.
  • 27. Vantagens do Software Livre Tabela 02 - Comparação de Aplicação de Software Proprietário X Software Livre em Servidores em empresas de médio porte com 25 máquinas sendo 1 servidor de CUSTOS aplicativosCom o emprego desoftwares livres emservidores, foi obtida umaeconomia de 68%.Tabela II mostra osnúmeros e valores de umaempresa de médio portecom 25 máquinas, sendouma utilizada para oservidor de aplicativos. Fonte: Da Silva e Ribeiro (2010). Nota: Dados adaptados pelo autor.
  • 28. Dificuldades do Software livre• Falta de garantia do software oriundo de algumas licenças• Dificuldade de adaptação de usuários acostumados em plataformas mais conhecidas.• Alguns Drives não atendem a certos dispositivos do computador.
  • 29. Aplicações do SL• IBM, HP, NEC, CA, Alcatel, Bull, Ericsson, Mitsubhsi, Nokia, Novell, Unilever e Fujitsu.*• •Banco do Brasil, Embrapa, Ministério das Comunicações, Educação e Desenvolvimento Agrário, Marinha e Exército do Brasil, Serpro e Dataprev.** * Fonte: Silva (2009) **Fonte: Portal Brasil (2010).
  • 30. Crescimento do uso do SL nas empresasPesquisa feita pela ISF com1090 empresas brasileiras.Patrocinada por empresascomo Itautec, IBM e Red Hat.* Gráfico: Uso do SL nos PCs da empresa. 06/07.* Fonte: LINUX MAGAZINE online
  • 31. Crescimento do uso do SL nas empresasQuadro 3: Adoção de Software Livre em PCs na empresa em 2006*. Fonte: LINUX MAGAZINE online
  • 32. Crescimento do uso do SL no Brasil5ª Pesquisa Sobre uso das Porcentagem de Empresas de médio eTecnologias da Informação e grande porte que usam Software Livreda Comunicação no Brasil (TICEmpresas 2009), Setor Imobiliário 2009 35%realizada pelo Centro de Empresas Medio Porte 2009 48%Estudos Sobre as Tecnologias Empresas Grande Porte 2009 65%da Informação e daComunicação (CETIC.br).* 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70%mostra o uso de software livre Gráfico: Porcentagem de empresas de médio e grande porte adeptas do SL em 2009nas médias e grandesempresas em 2009.* Fonte: MELO (2010)
  • 33. Conclusão• Conclui-se que o software livre tem grande importância para o mercado de Tecnologia, no tocante ao desenvolvimento e inclusão de pessoas e/ou empresas que se prendem aos softwares proprietários, permitindo assim novos modelos de negócios e principalmente reduz gastos.• O software livre é uma ótima ferramenta para a formação de profissionais na área de TI, uma vez que estes terão oportunidades de ver, analisar, estudar e criar suas próprias versões de software.
  • 34. Referencias Bibliograficas• ALMEIDA, Rubens Queiroz de. Por que usar software livre? Artigo publicado originalmente na primeira edição da Revista do Linux. Data de Publicação: 16 de Janeiro de 2000 Disponíveis em: <http://www.dicas- .com.br/arquivo/por_que_usar_software_livre.php >. Acesso em: 30 de março de 2011.•• CAMPOS, Augusto. O que é software livre. BR-Linux. Florianópolis, março de 2006. Disponível em <http://br- linux.org/linux/faq-softwarelivre>. Acesso em: 03 de Abril de 2011.•• CARVALHO, Alexandre. Na Trilha do Free Software. Diponível em:• <www.timaster.com.br/revista/materias/main_materia.asp?codigo=609>• Acesso em: 04 de junho de 2001•• Da SILVA, Alberto. RIBEIRO, Thiago. Migração do software Proprietário para o software livre em órgãos públicos e empresas privadas. Engenharia de Computação em Revista, 2010. Instituto de Estudos Superiores da Amazônia, Av. Governador José Malcher 1148, Belém Pará. Disponível em: < http://www3.iesam-pa.edu.br/ojs/index.php/computacao/article/view/475/425 >. Acesso em: 03 de abril de 2011.•• FILHO, Sergio Salles. Stefanuto, Giancarlo Nuti. Lucca, José Eduardo De. Alves , Angela Maria. O impacto Software Livre e de Código Aberto (SL/CA) nas Condições de Apropriabilidade na Indústria de Software Brasileira. Tema: Propiedad industrial e intelectual; Información en C&T. XI Seminário Latino-Iberoamwricano de Gestion Tecnológica ALTEC 2005. Dispocnível em: < http://www.softex.br/portal/softexweb/uploadDocuments/_observatorio/altec_apropriabilidade_sl.pdf >. Acesso em: 16 de maio de 2011•• GARCIA, Mauro Neves. Santos, Silvana Mara Braga dos. Pereira, Raquel da Silva. Rossi, George Bedineli. Software livre em relação ao software proprietário: aspectos favoráveis e desfavoráveis percebidos por especialistas. Free software in connection with the proprietary software: favorable and unfavorable aspects perceived by experts. Data de aprovação: 06/12/2010. Disponível em: <http://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_gestao/article/view/1061/847>. Acesso em: 09 de abril de 2011.•
  • 35. Referencias Bibliograficas• HEXSEL, Robert A. Propostas de ações de Governo para incentivar o uso de software livre. Relatório Técnico do Departamento de Informática da UFPR, n. 004/2002, Curitiba, outubro, 2002. Disponível em: <http://www.inf.ufpr.br/info/techrep/RT_DINF004_2002.pdf>. Acesso em: 18 de abril de 2011.• Linux Magazine Online. PCs com Software Livre cresceram 5,4% no Brasil. Publicado em 12/02/2008 às 18:34. Disponível em: <http://www.linuxmagazine.com.br/lm/noticia/tendencias_2007_02.>. Acesso em 22 de junho de 2011.• LUZ, Carlos Candido Farias. Projeto de Migração para Software livre em Micro e Pequenas Empresas. Caso Cor de Rosa Moda Feminina. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis-sc. 2007/01. Disponível em: <http://projetos.inf.ufsc.br/arquivos_projetos/projeto_445/Relatorio%20Final.pdf>. Acesso em: 15 de abril de 2011•• MELO, Clayton. Uso de software livre cresce em médias e grandes companhias. Publicado em: 04 de maio de 2010 - 17h47. Disponível em: <http://computerworld.uol.com.br/gestao/2010/05/04/cresce-adocao-de-software-livre-em-medias-e-grandes-companhias/>. Acesso em: 24/06/2011.• Open Source Initiative. The Open Source Definition (Annotated) Version 1.9. Dipnível em < http://www.opensource.org/docs/definition.php >. Acesso em: 01 de julho de 2011.• Portal Brasil. Software Livre. Casos de Sucessos. Portal Brasil, 03 de setembro de 2010. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/sobre/ciencia-e- tecnologia/software-livre/software-livre-casos-de-sucesso>. Acesso em: 22 de maio de 2011.•• Portal DGol. Software livre. Portal DGoL, 23 de abril de 2005. Disponível em: <http://www.inf.ufpr.br/roberto/etc_entrDGol.html>. Acesso em: 01 de maio de 2011.•• SABINO,Vanessa. KON, Fabio. Licenças de Software Livre História e Características. Relatório Técnico RT-MAC-IME-USP 2009-01. Centro de Competência em Software Livre Departamento de Ciência da Computação. Instituto de Matemática e Estatística. Universidade de São Paulo, Março de 2009. Disponível em: <http://ccsl.ime.usp.br/files/relatorio-licencas.pdf>. Acessado em: 15 de maio de 2011.•• SOUZA, A. L. Software Livre: Como, Quando e Onde. Licenciatura em Computação-01. FAZU em Revista, Uberaba, n.1, p.49-57, 2004. Disponível em: <http://www.fazu.br/ojs/index.php/fazuemrevista/article/view/125/119>. Acessado em: 03 de abril de 2011.•• SILVA, Francisco José da Silva a. Software Livre: Conceitos, História e Impactos. Grupo de Engenharia de Sistemas e Mobilidade. Laboratório de
  • 36. FIM

×