Software livre por que usar? slide

  • 2,430 views
Uploaded on

Este trabalho apresenta o conceito histórico e o desenvolvimento do Software Livre, bem como as licenças no qual é distribuído, além da diferença entre esse tipo de sistema em relação ao software de …

Este trabalho apresenta o conceito histórico e o desenvolvimento do Software Livre, bem como as licenças no qual é distribuído, além da diferença entre esse tipo de sistema em relação ao software de código aberto, domínio público e também modelos de distribuição. Suas vantagens e dificuldades encontradas na utilização deste software que está sendo disseminado na área da Tecnologia.

More in: Technology
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,430
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
102
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Software Livre: Por que Usar? José do Nascimento Sousa, josesousa1@gmail.com;Diego Pereira de Sousa, diegosousadiego@gmail.com; Curso de Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade Alvorada – Brasília-DF, Junho/2011.
  • 2. Tópicos a ser apresentado• Pequeno Histórico ;• O que é Software Livre (SL);• O que é Open Source (OS);• Software Livre X Código Aberto;• Software Livre X Domínio Público• Conceitos das distribuições de Software;• Licenças frequentemente utilizadas;• Vantagens ;• Dificuldades;• Aplicação do software;• Crescimento do uso do SL no Brasil;• Conclusão.
  • 3. Pequeno Histórico• Anos 50 – 60: Praticamente não existia a hipótese da venda de software. O valor era cobrado na maquina em si.• Anos 60: Desenvolvimento do sistema operacional UNIX pela AT&T.• Anos 80: AT&T restringe a modificação do código fonte. Diversas empresas de TI como HP, IBM e SUN começaram a desenvolver suas próprias versões proprietárias.
  • 4. Pequeno HistóricoAnos 80: Nasce o projeto GNUque mais tarde daria origem aFree Software Foundation(FSF), criado por RichardStallman. Desenvolver umsistema operacional completoa ser distribuído como livre. Richard Stallman
  • 5. Pequeno HistóricoAnos 90: Linus Torvalds,disponibiliza na internet o códigofonte de um núcleo de sistemaoperacional, desenvolvido porele, batizado de Linux; Osoftware livre passou a ser umaalternativa popular paraservidores Web, o ServidorApache tornou-se o servidor Linus TorvaldsWeb mais utilizado.
  • 6. Pequeno Histórico• Anos 90: Netscape disponibilizar seu navegador (hoje conhecido como Mozilla Firefox) como software livre.É Fundada Open Source Initiative.
  • 7. O que é Software Livre?É aquele em que o usuário pode usá-lo, copiá-lo, distribuí-lo, pode ser o original ou com alterações gratuitamenteou com custos. O ponto fundamental para ser livre é terseu código fonte acessível para analises, alterações edistribuição pelos seus usuários.* *Hexsel(2002)
  • 8. O que é Software Livre? Executar Estudar Software Livre Redistribuir AperfeiçoarSoftware pode ser considerado livre se possuir 4 tipos de liberdades, são elas:Liberdade Nº 0 - A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito.Liberdade Nº 1* - A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suasnecessidades.Liberdade Nº 2 - A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar ao seupróximo.Liberdade Nº 3* - A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seus aperfeiçoamentos, demodo que toda a comunidade se beneficie.*Para as liberdade 1 e 3 o acesso ao código fonte é um pré-requisito.
  • 9. O que é Open Source? Termo utilizado pela Open Software Initiative (OSI) para denotar algo semelhante ao software livre. Para uma licença ou software ser considerado como Código Aberto pela Open Source Initiative, eles devem atender aos 10 critérios da Definição de Código Aberto*, que são:• Distribuição livre;• Acesso ao código-fonte;• Permissão para criação de trabalhos derivados;• Integridade do autor do código-fonte;• Não discriminação contra pessoas ou grupos;• Não discriminação contra áreas de atuação;• Distribuição da licença;• Licença não específica a um produto;• Licença não restritiva a outros programas;• Licença neutra em relação à tecnologia. *Comunidade Open Source (2011)
  • 10. Software Livre X Código Aberto Free Software X Open SourceFazem parte do mesmo tema que é a produção e uso de software não proprietário Software livre Código AbertoPode ou não ser monetizado. Pode ou não ser monetizadosoftware livre não diz respeito à Permissão de Trabalhos Derivadosgratuidade, mas sim à liberdade (código pode ser usado em Software(Executar, estudar, redistribuir, aperfeiçoar) proprietário)garantia e perpetuação das liberdades ligadas a questões práticas de produção e negócio.Existe o efeito “contaminação” Não há o efeito “contaminação”
  • 11. Software livre X Domínio público Não há Software Licença Software Livre Domínio Há Publico Não “Contamina” (ex. TCP/IP) “Contamina” (ex. GPL) (ex. BSD)O primeiro, quando utilizado em combinação com licenças típicas (como aslicenças GPL e BSD), garante os direitos autorais do programador/organização.O segundo caso acontece quando o autor do software renuncia à propriedadedo programa e todos os direitos associados, e este se torna bem comum.
  • 12. Conceitos de distribuição de SoftwaresShareware: É um programa de computador disponibilizado gratuitamente, porém com algum tipo de limitação. Para o usuário utilizar a sua funcionalidade completa ou poder continuar utilizando o programa, deverá pagar. Um shareware está protegido por direitos autorais. Exemplos: Winzip, RealAudio, etc.Software Demo: Qualquer material promocional que é uma fração de um produto maior, lançado com a intenção de dar a oportunidade de o produto ser avaliado por possíveis clientes. O termo é bastante usado nos contextos da música e dos jogos. Exemplo: Jogos FIFA 11 EA Sports disponibilizados para downloads para testes
  • 13. Conceitos de distribuição de SoftwaresAdware: São softwares com uso condicionado a exibição de propagandas e anúncios. Exemplos: Kazaa, Shareazza, etc.Freeware: São softwares de uso gratuito. Não permite modificação, já que o código-fonte não é disponibilizado. Exemplos: ICQ, MSN, etc.Semi-Livre: São softwares onde se permite a cópia, modificação e distribuição para fins não lucrativos. Ex. primeiras versões do Internet Explorer da Microsoft, algumas versões dos browsers da Netscape, e o StarOffice.
  • 14. Conceitos de distribuição de SoftwaresCódigo Aberto: É o termo utilizado pela Open Software Initiative (OSI) para denotar algo semelhante ao software livre. Exemplo: OpenOffice.orgSoftware Livre: o software pode ser utilizado livremente. Seus usuários podem ter acesso ao código-fonte, alterá-lo e distribuí-lo livremente. Exemplo: Sistemas Operacional (GNU/Linux) etc.
  • 15. Conceitos de distribuição de SoftwaresProprietário: É aquele cuja cópia, redistribuição ou modificação são em alguma medida proibidos pelo seu proprietário. Exemplos: Windows, Office, Oracle, etc.Comercial: É o software desenvolvido por uma empresa com o objetivo de lucrar com sua utilização. Exemplo: Adobe Photoshop CS3 (Proprietário)Domínio Público: São softwares sem copyright. Exemplo: TCP/IP
  • 16. Licenças frequentemente utilizadas GPL – Licença Pública Geral GNU Licença BSD A Licença MIT/X11 Licença Apache Licença Mozilla
  • 17. Copyright CopyleftCopyright: Garante a não reprodução sem consentimento.Copyleft: Garante que o software sempre vai ser Livre.
  • 18. GPL – Linceça Pública Geral GNU• É a mais utilizada, sendo adotada pelo Linux.• Ela impede que o software seja integrado em um software proprietário e garante os direitos autorais.• Não permite que as liberdades originais sejam limitadas, nem que sejam impostas restrições que impeçam a distribuição da mesma forma que foram adquiridos.
  • 19. Licença GPL SeSoftware proprietário Não GPL contiver Software livre GPL então Não Remover Distribuir distribuir Código GPL sob GPL
  • 20. Licença BSD• A licença BSD foi inicialmente utilizada nos softwares da Berkeley Software Distribution.• Ela impõe poucas restrições sobre as formas de uso, alterações e redistribuição do software e, por isso, é chamada de copycenter.• O programa pode ser vendido e não precisa incluir o código fonte.
  • 21. Licença BSD SeSoftware proprietário Não BSD contiver Código Aberto BSD então Sem Distribuir Pode Remover distribuir sob BSD Código BSD
  • 22. Licença MIT• Criada pelo Massachusetts Institute of Technology, Licença bem parecida com a BSD.• Porém, seu texto é bem mais explícito ao tratar dos direitos que estão sendo transferidos, afirmando que qualquer pessoa que obtém uma cópia do software e seus arquivos de documentação associados pode lidar com eles sem restrição, incluindo sem limitação nos direitos a usar, copiar, modificar, mesclar, publicar, distribuir, sublicenciar e/ou vender cópias do software.• As condições impostas para tanto são apenas manter o aviso de copyright e uma cópia da licença em todas as cópias ou porções substanciais do software.
  • 23. Licença Apache• Redistribuição do código fonte deve manter o copyright• Redistribuição de Binários devem apresentar o copyright na documentação ou outros materiais• Rigor na utilização de “Apache” ou “Apache Software Foundation”
  • 24. Licença Mozilla• A licença é similar ao copyleft, mas não é tão rígida quanto à distribuição de trabalhos derivados.• Especificamente, o código fonte copiado ou alterado sob a licença Mozilla deve continuar sob esta licença. Porém, este código pode ser combinado em um programa com arquivos proprietários.• Além disso, é possível criar uma versão proprietária de um código sob a licença Mozilla. Por exemplo, o navegador Netscape 6 e 7 são versões proprietárias das versões correspondentes da suíte Mozilla.
  • 25. Vantagens do Software Livre•Custo de aquisição quase zero, custo de •É permitido acesso ao código-fonte.atualização, consertos e remendostambém quase zero. •Oferece liberdade importante para a sociedade.•A segurança, do ponto de vista de vírusetc, é maior. •Encontra-se o produto em permanente construção coletiva.•Proporciona vantagens econômicas. •Permite cooperação e compartilhamento.•É um produto com flexibilidade. •Oferece contribuição à sociedade•Verificam-se organizações virtuais. •...•Possui sistema e aplicativos geralmenteconfiguráveis.
  • 26. Vantagens Do Software Livre Tabela 01 - Comparação de Aplicação de Software Proprietário X Software Livre em Desktops de empresas de médio porte CUSTOSEm empresas de pequeno porteonde foram empregadosSoftwares livres para Desktops, aeconomia chegou a 63%.Na Tabela I mostra os valorespara uma empresa com umparque computacional de 25maquinas. Fonte: Da Silva e Ribeiro (2010). Nota: Dados adaptados pelo autor.
  • 27. Vantagens do Software Livre Tabela 02 - Comparação de Aplicação de Software Proprietário X Software Livre em Servidores em empresas de médio porte com 25 máquinas sendo 1 servidor de CUSTOS aplicativosCom o emprego desoftwares livres emservidores, foi obtida umaeconomia de 68%.Tabela II mostra osnúmeros e valores de umaempresa de médio portecom 25 máquinas, sendouma utilizada para oservidor de aplicativos. Fonte: Da Silva e Ribeiro (2010). Nota: Dados adaptados pelo autor.
  • 28. Dificuldades do Software livre• Falta de garantia do software oriundo de algumas licenças• Dificuldade de adaptação de usuários acostumados em plataformas mais conhecidas.• Alguns Drives não atendem a certos dispositivos do computador.
  • 29. Aplicações do SL• IBM, HP, NEC, CA, Alcatel, Bull, Ericsson, Mitsubhsi, Nokia, Novell, Unilever e Fujitsu.*• •Banco do Brasil, Embrapa, Ministério das Comunicações, Educação e Desenvolvimento Agrário, Marinha e Exército do Brasil, Serpro e Dataprev.** * Fonte: Silva (2009) **Fonte: Portal Brasil (2010).
  • 30. Crescimento do uso do SL nas empresasPesquisa feita pela ISF com1090 empresas brasileiras.Patrocinada por empresascomo Itautec, IBM e Red Hat.* Gráfico: Uso do SL nos PCs da empresa. 06/07.* Fonte: LINUX MAGAZINE online
  • 31. Crescimento do uso do SL nas empresasQuadro 3: Adoção de Software Livre em PCs na empresa em 2006*. Fonte: LINUX MAGAZINE online
  • 32. Crescimento do uso do SL no Brasil5ª Pesquisa Sobre uso das Porcentagem de Empresas de médio eTecnologias da Informação e grande porte que usam Software Livreda Comunicação no Brasil (TICEmpresas 2009), Setor Imobiliário 2009 35%realizada pelo Centro de Empresas Medio Porte 2009 48%Estudos Sobre as Tecnologias Empresas Grande Porte 2009 65%da Informação e daComunicação (CETIC.br).* 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70%mostra o uso de software livre Gráfico: Porcentagem de empresas de médio e grande porte adeptas do SL em 2009nas médias e grandesempresas em 2009.* Fonte: MELO (2010)
  • 33. Conclusão• Conclui-se que o software livre tem grande importância para o mercado de Tecnologia, no tocante ao desenvolvimento e inclusão de pessoas e/ou empresas que se prendem aos softwares proprietários, permitindo assim novos modelos de negócios e principalmente reduz gastos.• O software livre é uma ótima ferramenta para a formação de profissionais na área de TI, uma vez que estes terão oportunidades de ver, analisar, estudar e criar suas próprias versões de software.
  • 34. Referencias Bibliograficas• ALMEIDA, Rubens Queiroz de. Por que usar software livre? Artigo publicado originalmente na primeira edição da Revista do Linux. Data de Publicação: 16 de Janeiro de 2000 Disponíveis em: <http://www.dicas- .com.br/arquivo/por_que_usar_software_livre.php >. Acesso em: 30 de março de 2011.•• CAMPOS, Augusto. O que é software livre. BR-Linux. Florianópolis, março de 2006. Disponível em <http://br- linux.org/linux/faq-softwarelivre>. Acesso em: 03 de Abril de 2011.•• CARVALHO, Alexandre. Na Trilha do Free Software. Diponível em:• <www.timaster.com.br/revista/materias/main_materia.asp?codigo=609>• Acesso em: 04 de junho de 2001•• Da SILVA, Alberto. RIBEIRO, Thiago. Migração do software Proprietário para o software livre em órgãos públicos e empresas privadas. Engenharia de Computação em Revista, 2010. Instituto de Estudos Superiores da Amazônia, Av. Governador José Malcher 1148, Belém Pará. Disponível em: < http://www3.iesam-pa.edu.br/ojs/index.php/computacao/article/view/475/425 >. Acesso em: 03 de abril de 2011.•• FILHO, Sergio Salles. Stefanuto, Giancarlo Nuti. Lucca, José Eduardo De. Alves , Angela Maria. O impacto Software Livre e de Código Aberto (SL/CA) nas Condições de Apropriabilidade na Indústria de Software Brasileira. Tema: Propiedad industrial e intelectual; Información en C&T. XI Seminário Latino-Iberoamwricano de Gestion Tecnológica ALTEC 2005. Dispocnível em: < http://www.softex.br/portal/softexweb/uploadDocuments/_observatorio/altec_apropriabilidade_sl.pdf >. Acesso em: 16 de maio de 2011•• GARCIA, Mauro Neves. Santos, Silvana Mara Braga dos. Pereira, Raquel da Silva. Rossi, George Bedineli. Software livre em relação ao software proprietário: aspectos favoráveis e desfavoráveis percebidos por especialistas. Free software in connection with the proprietary software: favorable and unfavorable aspects perceived by experts. Data de aprovação: 06/12/2010. Disponível em: <http://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_gestao/article/view/1061/847>. Acesso em: 09 de abril de 2011.•
  • 35. Referencias Bibliograficas• HEXSEL, Robert A. Propostas de ações de Governo para incentivar o uso de software livre. Relatório Técnico do Departamento de Informática da UFPR, n. 004/2002, Curitiba, outubro, 2002. Disponível em: <http://www.inf.ufpr.br/info/techrep/RT_DINF004_2002.pdf>. Acesso em: 18 de abril de 2011.• Linux Magazine Online. PCs com Software Livre cresceram 5,4% no Brasil. Publicado em 12/02/2008 às 18:34. Disponível em: <http://www.linuxmagazine.com.br/lm/noticia/tendencias_2007_02.>. Acesso em 22 de junho de 2011.• LUZ, Carlos Candido Farias. Projeto de Migração para Software livre em Micro e Pequenas Empresas. Caso Cor de Rosa Moda Feminina. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis-sc. 2007/01. Disponível em: <http://projetos.inf.ufsc.br/arquivos_projetos/projeto_445/Relatorio%20Final.pdf>. Acesso em: 15 de abril de 2011•• MELO, Clayton. Uso de software livre cresce em médias e grandes companhias. Publicado em: 04 de maio de 2010 - 17h47. Disponível em: <http://computerworld.uol.com.br/gestao/2010/05/04/cresce-adocao-de-software-livre-em-medias-e-grandes-companhias/>. Acesso em: 24/06/2011.• Open Source Initiative. The Open Source Definition (Annotated) Version 1.9. Dipnível em < http://www.opensource.org/docs/definition.php >. Acesso em: 01 de julho de 2011.• Portal Brasil. Software Livre. Casos de Sucessos. Portal Brasil, 03 de setembro de 2010. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/sobre/ciencia-e- tecnologia/software-livre/software-livre-casos-de-sucesso>. Acesso em: 22 de maio de 2011.•• Portal DGol. Software livre. Portal DGoL, 23 de abril de 2005. Disponível em: <http://www.inf.ufpr.br/roberto/etc_entrDGol.html>. Acesso em: 01 de maio de 2011.•• SABINO,Vanessa. KON, Fabio. Licenças de Software Livre História e Características. Relatório Técnico RT-MAC-IME-USP 2009-01. Centro de Competência em Software Livre Departamento de Ciência da Computação. Instituto de Matemática e Estatística. Universidade de São Paulo, Março de 2009. Disponível em: <http://ccsl.ime.usp.br/files/relatorio-licencas.pdf>. Acessado em: 15 de maio de 2011.•• SOUZA, A. L. Software Livre: Como, Quando e Onde. Licenciatura em Computação-01. FAZU em Revista, Uberaba, n.1, p.49-57, 2004. Disponível em: <http://www.fazu.br/ojs/index.php/fazuemrevista/article/view/125/119>. Acessado em: 03 de abril de 2011.•• SILVA, Francisco José da Silva a. Software Livre: Conceitos, História e Impactos. Grupo de Engenharia de Sistemas e Mobilidade. Laboratório de
  • 36. FIM