• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Artigo distribuição Linux Fedora
 

Artigo distribuição Linux Fedora

on

  • 4,727 views

Este trabalho apresenta a distribuição Linux Fedora, um projeto patrocinado pela empresa Red Hat e desenvolvido numa parceria conjunta entre os seus engenheiros e a comunidade open source. Será ...

Este trabalho apresenta a distribuição Linux Fedora, um projeto patrocinado pela empresa Red Hat e desenvolvido numa parceria conjunta entre os seus engenheiros e a comunidade open source. Será apresentado um pequeno histórico, a origem do nome Fedora. O artigo mostra as vantagens e desvantagens desta distribuição, seu publico alvo e os objetivos do Projeto Fedora. Aborda, também a instalação e configuração desse sistema.

Statistics

Views

Total Views
4,727
Views on SlideShare
4,727
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
89
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Artigo distribuição Linux Fedora Artigo distribuição Linux Fedora Document Transcript

    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 1/22 Um Estudo Sobre a Distribuição Linux Fedora José do Nascimento Sousa1 , José Anchieta2 , Wilson Dias3 Brasília, DF - Março/2013 Resumo: Este trabalho apresenta a distribuição Linux Fedora, um projeto patrocinado pela empresa Red Hat e desenvolvido numa parceria conjunta entre os seus engenheiros e a comunidade open source. Será apresentado um pequeno histórico, a origem do nome Fedora. O artigo mostra as vantagens e desvantagens desta distribuição, seu publico alvo e os objetivos do Projeto Fedora. Aborda, também a instalação e configuração desse sistema. Palavras-chave: Red Hat. Projeto Fedora. Open Source. Distribuição Fedora. RPM. 1. Introdução Os sistemas operacionais revolucionaram o mundo da tecnologia como vemos hoje. Com eles foi possível a interação de usuários domésticos sem conhecimentos técnicos com os microcomputadores tornado estes um item praticamente indispensável nas empresas e também nas residências. Mas o que seria o sistema operacional? Segundo o definição do site linhadefensiva.org (2013), Um Sistema Operacional é um software especial que gerencia o hardware. O sistema operacional também tem uma interface para que os programadores possam desenvolver programas que serão úteis, como editores de texto, calculadoras ou navegadores web – os chamados “aplicativos”. Nesse trabalho, trataremos sobre a Distribuição Linux Fedora, um sistema operacional bastante usado em todo o mundo. Mostraremos um pequeno estudo sobre essa distribuição. 1 Aluno do curso de Bacharel em Sistemas de Informação, josesousa1@gmail.com 2 Aluno do curso de Bacharel em Sistemas de Informação, Anchietatt@hotmail.com 3 Pós Graduado em Perícia Forense Computacional, professor no curso de BSI da Faculdade Alvorada, professor.wilsondias@gmail.com
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 2/22 2. Tema e Justificativa Esse artigo tem como base, trazer informações sobre a distribuição Linux Fedora, seu histórico, o projeto Fedora, conceitos, tipos de licenças, suas vantagens e dificuldades, seu publico alvo e sua aplicação. Com isso possibilitando o auxilio ao usuário, de forma geral, na escolha da distribuição Linux Fedora para uso tanto em desktops quanto em servidores. 3. Objetivos Mostrar o que é a distribuição Linux Fedora. Relatar os benefícios. Demonstrar a instalação. Demonstrar, por meio dessas informações, o sistema Fedora como uma opção segura tanto para usuário desktop quanto para clientes servidores. 4. A distribuição Linux Fedora 4.1.Pequeno histórico Segundo Morimoto (2009), a primeira distribuição Linux foi desenvolvida no final de 1991 por HJ Lu, a distro era chamada de Boot/Root e era distribuída em um par de disquetes. Ela tinha apenas o mínimo necessário para inicializar o sistema e rodar algumas ferramentas básicas, em modo texto. O Boot/Root foi substituído por distribuições como o MMC Interim Linux com o seu lançamento em maio de 1992, SLS Linux em maio de 1992 e o Yggdrasil em novembro do mesmo ano. O MMC ainda era uma distribuição do modo texto, mas já contava com um conjunto maior de aplicativos e compiladores. O SLS era distribuído na forma de um conjunto de arquivo .zip, usado para gerar os disquetes de instalações pelo MS/DOS. Já o Yggdrasil, foi uma espécie de antecessor do live-CDs, era possível dar boot através do disquete e o sistema rodava a partir de um CD-ROM. Em julho de 1993 foi lançado o Slackware (ainda ativa), assim como quase todas as distribuições atuais, o Slackware começou como um “remaster” de uma distribuição anterior (o SLS Linux), incluindo diversas modificações e melhorias.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 3/22 Ainda segundo Morimoto (2009), em 1994 foi lançada o Red Hat (Figura 1), esta era uma distro Linux desenvolvida com o objetivo de facilitar e tornar o uso do sistema mais transparente, permitindo que ele atingisse um público mais abrangente. Apesar de sua alma comercial, todas as ferramentas desenvolvidas pela equipe Red Hat tinha seu código aberto, isso possibilitaria o surgimento de muitas outras distribuições derivadas do mesmo, há exemplo o Mandrake(França), o Conectiva (Brasil) e o Suse (Alemanha). Figura 1 – Logo Red Hat Fonte: Kar (2013) O Red Hat foi a primeira distribuição a fazer uso de gerenciador de pacotes RPM. Desta forma, cada programa incluído no sistema é empacotado e compactado, e estes podem ser instalados através de um único comando. O sistema guarda informações dos pacotes instalados, permitindo que se possa removê-los completamente. Foi a partir daí que surgiu as ferramentas como yum e o apt-get e repositórios gigantescos que temos hoje. A partir de 2003 a Red Hat mudou seu foco, concentrando seus esforços no público empresarial, desenvolvendo o Red Hat Enterprise Linux (RHEL) e vendendo pacotes com o sistema, suporte e atualizações. A consequência mais marcante da decisão foi a descontinuidade do Red Hat Desktop, que era até então a distribuição Linux com o maior número de usuários. A última versão foi o Red Hat 9 (figura 2). A partir daí, passou a ser desenvolvido o Fedora, combinando os esforços de parte da equipe da Red Hat e vários voluntários que, com a maior abertura, passaram a contribuir com melhorias, documentação e suporte comunitário nos fóruns.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 4/22 Figura 2 – Red Hat 9 Fonte: Morimoto (2009) O Fedora (Figura 3) herdou a maior parte dos usuários do Red Hat Desktop, tornando-se rapidamente uma das distribuições mais usadas. Figura 3 – Fedora 18, rodando o GNOME 4.1.1. Histórico das versões estáveis Logo a baixo está listados todas as versões estáveis da Distribuição Linux Fedora.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 5/22 Tabela 1 – Legenda Fonte: (PROJETOFEDORA.ORG, 2010; WIKPÉDIA, 2012). Cor Legenda Vermelho Versão antiga não mais suportada Amarelo Versão antiga ainda suportada Verde Versão atual Azul Versão futura Tabela 2 – Versões Fedora Fonte: (PROJETOFEDORA.ORG, 2010; WIKPÉDIA, 2012). Versão Data de lançamento Fim do suporte oficial Codinome Descrição Fedora Core 1.0 5 de novembro de 2003 20 de setembro de 2004 "Yarrow" núcleo 2.4.22 Fedora Core 2.0 18 de maio de 2004 11 de abril de 2005 "Tettnang" Linux 2.6.5, gnome 2.6.0, KDE 3.2.2 Fedora Core 3.0 8 de novembro de 2004 16 de janeiro de 2006 "Heidelberg" Linux 2.6.9, gnome 2.8.0, KDE 3.3.0 Fedora Core 4.0 13 de junho de 2005 7 de agosto de 2006 "Stentz" Linux 2.6.11, gnome 2.10.0, KDE 3.4.0, gcc 4.0.0 Fedora Core 5.0 20 de março de 2006 2 de julho de 2007 "Bordeaux" Linux 2.6.15, gnome 2.14,0, KDE 3.5.1, gcc 4.1.0 Fedora Core 6.0 24 de outubro de 2006 7 de dezembro de 2007 "Zod" Linux 2.6.18, gnome 2.16.0, KDE 3.5.4, gcc 4.1.1 Fedora 7.0 31 de maio de 2007 13 de junho de 2008 "Moonshine" Linux 2.6.21, gnome 2.18.0, KDE 3.5.6, Python 2.5 Fedora 8.0 8 de novembro de 2007 7 de janeiro de 2009 "Werewolf" Linux 2.6.23.1, gnome 2.20.1, KDE 3.5.8, Python 2.5.1 Fedora 9.0 13 de maio de 2008 10 de julho de 2009 "Sulphur" Linux 2.6.25, gnome 2.22.0, KDE 4.0.3 e o Python 2.5.1 Fedora 10 25 de novembro de 2008 18 de dezembro de 2009 "Cambridge" Linux 2.6.27.5, gnome 2.24.1, KDE 4.1.2, Python 2.5.2 Fedora 11 9 de junho de 2009 25 de junho de 2010 "Leonidas" Linux 2.6.29.4, gnome 2.26.0, KDE 4.2.2, Python 2.6 Fedora 12 17 de novembro de 2009 2 de dezembro de 2010 "Constantine" Linux 2.6.31.5, gnome 2.28.0, KDE 4.3.2, Python 2.6.2 Fedora 13 10 de junho de 2010 24 de junho de 2011 "Goddard" Linux 2.6.33.3, gnome 2.30.0, KDE 4.4.2, Python 2.6.4 Fedora 14 2 de novembro de 2010 9 de dezembro de 2011 "Laughlin" Linux 2.6.35.6, gnome 2.32.0, KDE 4.5.2, Python 2.7
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 6/22 Fedora 15 24 de maio de 2011 26 de junho de 2012 "Lovelock" Linux 2.6.38.6, gnome- shell 3.0.1, KDE 4.6.2, Python 2.7.1 Fedora 16 8 de novembro de 2011 "Verne" Linux 3.1, gnome-shell 3.2.1, KDE 4.7.2, Python 2.7.2 Fedora 17 29 de maio de 2012 "Beefy Miracle" Linux 3.3.4, gnome-shell 3.4.1, KDE 4.8.3, Phyton 2.7.3 Fedora 18 15 de janeiro de 2013 "Spherical Cow" Linux 3.6.10, gnome- shell 3.6.2, KDE 4.9.4, Phyton 2.7.3 Fedora 19 "Schrödinger's Cat" TBA 4.2. O Fedora Fedora (Figura 4) é um sistema operacional Linux baseada em pacotes RPM, composto de um sólido ambiente gráfico e milhares de aplicativos. Disponível gratuitamente, é possível utilizá-lo e copiá-lo sem qualquer restrição e até mesmo substituir ou rodar simultaneamente a outros sistemas operacionais, como Microsoft Windows ou Mac OS X. Figura 4 – Fedora Fonte: Leal e Fernando (2012) Patrocinado pela Red Hat. Atualmente mantida pelo Projeto Fedora (Fedora Project). Sua instalação é semelhante à versão 9 do Red Hat, isso até a versão Fedora 17 na versão 18 o sistema de instalação foi totalmente reformulado. Depois da instalação o GNOME fica como gestor de desktop padrão, podendo ser mudado para o KDE, WindowMaker, XFCE e etc. Já vem com o browser Mozilla Firefox, com OpenOffice.org e suporte a diversos idiomas, além de uma grande diversidade de programas para servidores e desktops. Novas versões do Fedora são lançadas aproximadamente cada 6 meses (BERGER, 2011; TECHTUDO, 2013).
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 7/22 Além das versões oficiais, o Fedora possui também uma versão instável, o Rawhide, que serve como um campo de provas para todas as atualizações e mudanças que farão parte da próxima versão. O Rawhide tem como única pretensão oferecer as versões de desenvolvimento dos pacotes, sem nenhuma garantia de estabilidade e nem mesmo de preservação dos dados. Não é impossível, por exemplo, que uma atualização nos módulos dos sistemas de arquivos cause perda de dados por exemplo. Devido a isso, os próprios desenvolvedores brincam dizendo "Rawhide eat children" (Rawride devora criancinhas), levando as reclamações na esportiva. A recomendação geral é que o usuário o use em um segundo PC ou dentro de uma VM, nunca em seu micro principal (MORIMOTO, 2009). O Fedora distribui software absolutamente livre que tem um instalador gráfico completo, vem com ferramentas desktop e de administração fáceis de usar. É também eficiente e esforçado para servi às necessidades de diferentes tipos de usuários (FEDORAPROJECT.ORG, 2010). 4.2.1. Fedora a origem do nome Segundo Vieira (2003) e Tardocchi (2013), o nome Fedora é rapidamente associado à palavra da língua portuguesa “fedor”, porém sua origem é bem distinta. Fedora é na verdade o nome de um clássico chapéu (Figura 5) que surgiu na década de 20, que com o tempo acabou virando um termo popular para uma família de chapéus em muitas cores. Figura 5 – Chapeu Fedora Fonte: Google Imagens
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 8/22 O Fedora foi o favorito de muitos políticos e presidentes. Muitos filmes de Hollywood utilizaram do glamour e carisma deste clássico chapéu. Pode-se verificar que não há uma grande diferença na simbologia das marcas RedHat e Fedora, tendo em vista que o chapeuzinho vermelho que inspira tanto amor e ódio é um Clássico Fedora. 4.3. Projeto Fedora O Fedora Project é um conjunto de projetos patrocinado pela Red Hat , e desenvolvido numa parceria conjunta entre os seus engenheiros e a comunidade open source. O projeto tem como missão liderar o avanço do software livre e de código aberto e de conteúdo como uma comunidade colaborativa. O objetivo do Fedora é ter um rápido progresso do software e conteúdos livres. Foruns públicos. Processos abertos. Inovação rápida. Transparência. Tudo com o objetivo de alcançar o melhor sistema operacional e plataforma que o software livre pode prover (BLACKBRAIN, 2008). O Projeto acredita em capacitar outras pessoas para exercer suas próprias visões de um sistema operacional livre. Qualquer um pode remixar o Fedora em um novo produto com um novo nome. Eles até fornecem as ferramentas no Fedora em si. Na verdade, o Fedora já é o alicerce para derivados como o Red Hat Enterprise Linux, o One Laptop Per Child XO , e a Creative Commons Conteúdo de Live DVDs (FEDORAPROJECT.ORG, 2013; MELO, 2007). 4.3.1. Conselho do Projeto Fedora O Conselho do Projeto Fedora é feito por membros da comunidade Fedora tanto de dentro quanto de fora da Red Hat (cinco eleitos pela comunidade e quatro nomeados pelo Líder do Projeto Fedora). O conselho define a direção geral do Fedora, fortalece os laços entre a Red Hat e a comunidade, e dá mais poder para a comunidade inovar em novos e excitantes caminhos. Mais importante, o Conselho dá a certeza de que o Fedora continuará sempre livre, para todos (FEDORAPROJECT.ORG, 2010).
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 9/22 4.3.2. Diferença entre "Fedora", "O Projeto Fedora", e "Fedora Core" O Projeto Fedora é uma coleção de sub-projetos. O Fedora Core é o projeto central, que tem como objetivo fornecer uma plataforma com o melhor do software livre e de código aberto. Fedora se refere genericamente ao Projeto Fedora como um todo, e algumas vezes é usado se referindo ao Fedora Core ou um sistema rodando uma coleção de programas do Projeto Fedora (FEDORAROJECT.ORG, 2008). 4.4. Sistemas de pacotes RPM e YUM Semelhante ao sistema de pacotes do Debian, existe o sistema de pacotes RPM. Originalmente desenvolvido para a distribuição Red Hat, hoje é também usado em distribuições como Fedora, CentrOS, entre outras (SIQUEIRA, 2009). 4.4.1. O comando RPM O principal comando de administração de pacotes é o RPM. Sua aplicação é semelhante a do dpkg no sistemas de pacotes Debian, que é instalar pacotes individualmente. Um pacote .rmp pode ser instalado simplesmente invocando o comando rpm –ivh nome_do_pacote.rpm. 4.4.2. O gerenciador YUM O comando yum é semelhante ao comando apt-get do Debian. Ele é capaz de instalar um programa a partir da internet e automaticamente identificar e instalar as dependências desse programa. Para instalar um pacote basta executar o comando yum install pacote. 4.5. Distribuição A versão tradicional do Fedora ocupa um DVD inteiro, mas existem também opções de live-CDs, com o Gnome, KDE, LXDE ou Xfce. A página de download é a: http://fedoraproject.org/pt_BR/get-fedora. A versão em DVD utiliza o Anaconda, que foi completamente reformulado na versão 18 do fedora, é o mesmo instalador usado desde as primeiras versões do Fedora.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 10/22 Os live-CDs também utilizam o Anaconda como instalador. A grande diferença em relação à versão em DVD é que você não tem a opção de escolher quais pacotes serão instalados, com o instalador se limitando a copiar o conjunto de pacotes incluído no CD. Após a instalação com live-CDs, é possível baixar todos os outros pacotes que desejar. 4.6. Vantagens e dificuldades do Fedora De acordo com o site projetofedora.org, as vantagens de se usar o Fedora são muitas, dentre elas podem ser citadas:  Fácil instalação e configuração através do instalador Anaconda e diversas ferramentas gráficas.  Projeto maduro e organizado, com grande representação mundial.  Apoio financeiro de uma das principais empresas de TI do mundo - Red Hat.  Sistema 100% traduzido e revisado para o Português do Brasil.  Suporte através de IRC, listas de discussão e fóruns com a ajuda de mais de 5.000 usuários.  Rápido ciclo de desenvolvimento com lançamento de novas versões a cada 6 meses em média.  Rigidez quanto à filosofia do software e padrões livres.  Distribuição GNU/Linux líder em inovações open source.  Facilidade na instalação e gerência de programas/pacotes (RPM).  Inclui diversos Drives de periféricos atualizados, facilitando a detecção de hardwares mais novos.  Possui diversas interfaces de configuração (Rede, Video, Som, Segurança, Teclado, Samba, Serviços e etc) facilitando a administração e configuração do sistema.  Sistema para gerenciamento de pacotes Yum e atualizador de pacotes PackageKit (a partir do Fedora 9).  Inumeros programas divididos por temas, que podem ser selecionados através do gerenciador de pacotes.  LiveCDs instaláveis com Gnome, KDE, LXDE ou Xfce.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 11/22  A partir da versão 7, inclui o REVISOR, uma ferramenta de facil utilização para que qualquer pessoa possa gerar sua versão LiveCD ou DVD baseado no Fedora.  Uma das distribuições Gnu/Linux mais utilizadas em todo globo. As dificuldades seria com relação ao fato que o Fedora é um sistema que não inclui softwares não-livres ou componentes cobertos por patentes, o que deixa de lado o suporte a arquivos AAC, MPEG-4 e até mesmo MP3, sem falar na falta de suporte a flash e DVDs, uma política bem mais estrita do que a adotada no Ubuntu, por exemplo. Essas dificuldades podem ser supridas com pacotes de codecs e programas proprietários disponíveis pelo projeto RPMFusion, aqui será encontrado todos os pacotes que não estão incluso no projeto oficial. Para ativar esses serviços basta habilitar os repositórios Nonfree, inserindo a seguinte linha de código em seu terminal: rpm -Uvh http://download1.rpmfusion.org/nonfree/fedora/rpmfusion-nonfree- release-stable.noarch.rpm (MORIMOTO, 2009; PROJETOFEDORA.ORG, 2010). 4.7. Público alvo. Fedora é uma das distribuições mais usadas em servidores, sobretudo em serviços de hospedagem. O principal motivo é que os pacotes relacionados a servidores recebem mais atenção e são sempre muito melhor testados. Parte deste enfoque tem origem na própria Red Hat, que contribui de maneira ativa com o Fedora, mas prioriza o desenvolvimento das funções relacionadas a servidores, que são posteriormente incluídas no red Hat Enterprise Server, que é a versão comercial, para uso em servidores corporativos (MORIMOTO, 2009). De acordo com Frields (2009), o conselho do Projeto Fedora definiu que o público-alvo da distribuição é alguém que reúne estas 4 características: 1- Está migrando voluntariamente para o Linux; 2- Tem familiaridade com computadores mas não necessariamente é um hacker ou programador; 3- Tem probabilidade de colaborar de alguma maneira quando algo está errado com o Fedora;
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 12/22 4- Quer usar o Fedora para produtividade em geral – com aplicações no desktop ou em um navegador web. O plano é usar a definição para focalizar esforços, ao mesmo tempo em que, espera-se, que não se restrinjam os desenvolvimentos cujo apelo vai além deste público. 4.8. Usam o Fedora Segundo o site projetofedora.org, segue alguns usuários da Distribuição Linux Fedora com destaques em áreas distintas. Brasil Governo Projeto Comunidade Digital (Mais de 31 telecentros de inclusão digital no Estado do Acre e vários servidores); Serpro (Mais de 8.000 estações de trabalho e vários servidores); CECAFA (30 estações de desenvolvimento e 10 servidores); MP-TO (Estações de trabalho e 8 servidores). Universidades e Instituições de Ensino UFCG (12 servidores web/email/bd); Escola Técnica Redentorista (Servidores e 20 estações em Laboratórios); USP; UNICAMP; AREA1FTE; Centro Universitário IPA (Servidores e 30 estações em Laboratórios). Empresas ProOceano (2 servidores); Fundação Parque Tecnológico da Paraíba (5 Servidores); Freta Home Center. Destaques Internacionais NASA Moblin Roadrunner IBM (O supercomputador mais rápido do mundo atualmente).
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 13/22 4.9. Processo de Instalação do Fedora Para este artigo foi usado a versão 18 do Fedora com o Gnome. A tela de boot será exibida duas opções de boot, e mostra um contador de tempo antes do início do boot automático (Figura 6). Para ter acesso ao menu de boot (que inclui a opção de fazer o teste de memória ou inicializar a partir do HD), deverá ser selecionado a opção Troubleshootin e, para ter acesso à linha com os parâmetros de boot do kernel, pressione Tab. Figura 6 – Contador boot automático Após a tela da Figura 6 será exibido uma tela com o usuário padrão (Figura 7), selecione o usuário e tecle “Enter” ou simplesmente click com o mouse sobre o nome do usuário. Figura 7 – seleção de usuário
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 14/22 Na próxima tela a ser exibida (Figura 8), deverá ser escolhido a opção para testar o sistema, executando-o direto do live-CD ou instalar diretamente no HD, nosso caso. Figura 8 – Testar ou instalar o Fedora Após clicado em “Install to Hard Drive” (Figura 8), será aberto a tela de seleção do idioma (Figura 9) para a instalação em curso. Figura 9 – seleção de idioma Selecione o idioma de seu interesse e clique em continuar. Feito isso, abrirá a tela com as opções de configuração de data e hora, idioma para o teclado e o particionamento de seu disco (Figura 10).
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 15/22 Figura 10 - Sumário de instalação Para configurar a data e hora, basta clicar em “Data e Hora” (Figura 10). Logo abrirá a tela de configuração (Figura 11) onde será possível escolher sua região e cidade e alterar o valor da hora. Feito isso basta clicar em “Finalizado” para retornar a tela “Sumário de Instalação”. Figura 11 – Data e Hora Para configurar o idioma do teclado basta acessar através do menu “Teclado” a tela para configuração (Figura 12), selecione o idioma de sua preferência e clique na setinha para cima, deixando o seu idioma em primeiro lugar. Feito isso clique em “Finalizar” para retornar à tela “Sumário de Instalação”.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 16/22 Figura 12 – Idioma do teclado Feito esse processo, é hora de fazer as configurações de seleção do disco (Figura 13), a ser instalado o fedora. Para isso, basta clicar no menu “Armazenamento” em “Destinação da Instalação” na tela “Sumário de Instalação”(Figura 10). Após a seleção do disco, clique em continuar. Figura 13 – Seleção do HD Após ter clicar em continuar, abrirá a tela de particionamento (Figura 14), nesta parte podemos escolher o particionamento automático do próprio Fedora, com essa opção, o sistema selecionará uma parte livre do disco sem apagar arquivos. Caso queira, poderá particionar da maneira que achar melhor. Feito isso, clique em “Aplicar Alterações” e em seguida em “Encerrar o particionador”. Depois desse processo será direcionado a tela de “Sumário de instalação” (Figura 10), onde
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 17/22 deverá clicar em “Iniciar a Instalação” para começar a instalação do Fedora em seu HD. Pode-se, caso esteja tudo certo, clicar em “Iniciar a Instalação” diretamente da tela de particionamento (Figura 14). Figura 14 - Particionador Agora, será exibido uma tela com a porcentagem do andamento da instalação do sistema e aplicativos padrões do Fedora. Neste ponto poderemos configurar a senha de root (super usuário do sistema), para isso, basta clicar em “Configurar senha root” (Figura 15). Figura 15 – Cadastro senha root Clique em “Finalizar” para retornar a tela de instalação do Sistema Fedora 18 (Figura 16). Quando terminar o processo de instalação o sistema irá pedir que seja acionado o botão “Quit” e que seja reiniciado o sistema.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 18/22 Figura 16 – Instalação e configuração Reiniciado o sistema, o processo de configuração continuará, será aberto o Agente de Configuração (Figura 17) este sistema guiará o usuário para realizar configurações básicas como é o caso da criação do usuário comum ou administrador. Na primeira tela o sistema dar as boas vindas ao sistema Fedora, na tela seguinte será exibido as informações sobre a licença. Na penúltima tela será a criação do usuário para o sistema e na ultima tela será exibido a configurações de servidor de horário remoto “Network Time Protocol”. Feito suas configurações, basta clicar em “Concluir”. O sistema irá solicitar que o usuário faça login, neste ponto o sistema Fedora estará instalado, configurado e pronto para uso. Figura 17 – Agente de configuração
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 19/22 5. Conclusão Através do exposto, podemos concluir que a Distribuição Linux Fedora é uma ótima escolha para quem deseja usar Linux e isso vale tanto para usuário desktop quanto para empresas, não importando o seu tamanho. Além das inúmeras vantagens desta maravilhosa distro, ainda tem o empenho da comunidade mundial de software livre que com parceria com a Red Hat, desenvolvem cada vez mais aplicações totalmente livres, sem falar das constantes atualizações dos softwares existentes. Por fim, cabe ao leitor decidir por si mesmo e fazer seu julgamento sobre o Fedora, um sistema usados por empresas mundialmente conhecida como é o caso da Nasa, IBM e inúmeras outras.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 20/22 6. Referências Bibliográficas BERGER, André Kroetz. Falando um pouco sobre o Fedora Linux. 19/02/2011. Disponível em: < http://www.blogdotux.com.br/2011/02/19/falando-um-pouco-sobre- o-linux-fedora/ >. Acessado em: 29 de março de 2013. BLECKBRAIN. Fedora Linux. 26/11/2008. Disponível em: < http://adrenaline.uol.com.br/forum/area-linux-e-open-source/219036-topico-oficial- fedora-linux.html >. Acessado em: 28 de março de 2013. Fedoraproject.org. Board. 26/03/2013. Disponível em: < http://fedoraproject.org/wiki/Board >. Acessado em: 29 de março de 2013. Fedoraproject.org. Overview/pt-br. 23/05/2010. Disponível em: < https://fedoraproject.org/wiki/Overview/pt-br?rd=Pt_BR/Overview >. Acessado em: 20 de março de 2013. Fedoraproject.org. Pt BR/FAQ. 02/05/2008. Disponível em: < http://fedoraproject.org/wiki/Pt_BR/FAQ>. Acessado em: 28 de março de 2013. Fedoraproject.org. Sobre o Fedora. Respostas para a suas perguntas sobre o Fedora. 2012. Disponível em: < https://fedoraproject.org/pt_BR/about-fedora>. Acessado em: 21 de março de 2013. FERNANDO, Thiago. Fedora 16: pós instalação. 26/01/2012. Disponível em: < http://www.vivaolinux.com.br/dica/Fedora-16-pos-instalacao>. Acessado em: 31 de março de 2013. FRIELDS, Paul W.. Fedora's target audience. 27/10/2009. Disponível em: < http://lwn.net/Articles/358865/ >. Acessado em: 27 de março de 2013. KAR, Saroj. Red Hat Outlines Plans for Big Data and Open Hybrid Clouds. 27/02/2013. Disponível em: < http://cloudtimes.org/2013/02/27/red-hat-big-data- open-hybrid-clouds/>. Acessado em: 31 de março de 2013. LEAL, Eduardo. Fedora 16 Verne: a nova versão de um dos sistemas Linux mais populares!. 14/02/2012. Disponível em: < http://nosgeeks.com.br/fedora-16-verne-a-
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 21/22 nova-versao-de-um-dos-sistemas-linux-mais-populares/>. Acessado em 31 de Março de 2013. Linhadefensiva.org. Dicionário. 2010. Disponível em: < http://www.linhadefensiva.org/dicionario/#software>. Acessado em: 27 de março de 2013. MELO, Ednei Pacheco.Os Sistemas GNULinux. 2007. Disponível em: <http://www.apostilando.com/download_final.php?cod=3183> acesso em: 20 de março de 2013. MORIMOTO, Carlos E.. Fedora. 06/01/2009. Disponível em: <http://www.hardware.com.br/press/cd/#fedora>. Acessado em 13 de março de 2013. MORIMOTO, Carlos E.. Linux, Guia Prático. 06/01/2009. Disponível em: < http://www.hardware.com.br/livros/linux/familia-red-hat.html>. Acessado em 13 de março de 2013. MORIMOTO, Carlos E.. Uma introdução ao Fedora. 16/03/2009. Disponível em: <http://www.hardware.com.br/press/cd/#fedora>. Acessado em 13 de março de 2013. Projetofedora.org. Fedora. 21/03/2010. Disponível em: < http://projetofedora.org/wiki/index.php?title=Fedora>. Acessado em: 21 de março de 2013. Projetofedora.org. Por que usar Fedora?. 2013. Disponível em: < http://www.projetofedora.org/por_que_usar_fedora>. Acessado em: 21 de março de 2013. Projetofedora.org. Quem usa Fedora?. 2013. Disponível em: < http://www.projetofedora.org/quem_usa_fedora>. Acessado em: 20 de março de 2013.
    • Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação 22/22 Projetofedora.org. RPMFusion. 26/03/2010. Disponível em: < http://projetofedora.org/wiki/index.php?title=RPMFusion>. Acessado em: 20 de março de 2013. SIQUEIRA, Luciano Antonio. Certificação LPI-1. São Paulo: Linux New Media do Brasil Editora Ltda, 2009. Tardocchi, Carlos. DECRYPT. Curso de Linux. 02/2013. Disponível em: < http://tardocchi.files.wordpress.com/2013/02/distribuic3a7c3b5es-linux.pdf >. Acessado em: 27 de março de 2013. Techtudo. Tenha um sistema operacional completo e sem custo com Fedora. 22/01/2013. Disponível em: < http://www.techtudo.com.br/tudo-sobre/s/fedora.html >. Acessado em: 30 de março de 2013. VIEIRA, Thiago. A Origem do Nome Fedora. 29/02/2003. Disponível em: < http://www.vivaolinux.com.br/artigo/A-origem-do-nome-Fedora>. Acessado em: 28 de março de 2013. WIKIPEDIA. Fedora Linux. 21/03/2013. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Fedora_Linux >. Acessado em: 27 de março de 2013.