A Grande Depressao dos anos 30

50,514 views
52,678 views

Published on

A Grande Depressão dos anos 30: causas da crise, características da crise, consequências da crise.

6 Comments
14 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
50,514
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8,319
Actions
Shares
0
Downloads
1,424
Comments
6
Likes
14
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A Grande Depressao dos anos 30

  1. 1. A Grande Depressão dos anos 30
  2. 2. Anos 20: Uma prosperidade enganadora <ul><li>Superprodução : </li></ul><ul><ul><li>Produção agrícola e industrial cresce mais do que o consumo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Acumulação de “ stoks ”; </li></ul></ul><ul><ul><li>Baixa de preços; </li></ul></ul><ul><ul><li>Quebra de lucros para os industriais e agricultores. </li></ul></ul>
  3. 3. Anos 20: Uma prosperidade enganadora <ul><li>Fácil acesso ao crédito : endividamento dos empresários e das famílias; </li></ul><ul><li>Investimento na Bolsa : sobrevalorização das acções ; </li></ul>
  4. 4. O “ crash” da Bolsa de Nova Iorque “ Crash ”
  5. 5. A “Quinta-feira Negra” Cena de Wall Street na “Quinta-feira Negra”
  6. 6. A Grande Depressão <ul><li>Crise no sector bancário : ruína dos accionistas e dificuldades das empresas e agricultores. </li></ul><ul><li>Encerramento de fábricas: industriais têm dificuldade de financiamento bancário para comprar matérias-primas, máquinas e pagar os salários. </li></ul>
  7. 7. A Grande Depressão <ul><li>Desemprego : faz diminuir o consumo. </li></ul><ul><li>Agricultura : deflação dos preços e destruição da produção. </li></ul>
  8. 8. O Desemprego nos EUA (1925–1933)
  9. 9. <ul><li>“ A produção das vides e das árvores deve ser destruída para que se mantenham os preços. Isto é uma abominação que ultrapassa todas as outras. Carregamentos de laranjas são lançados não importa onde. As pessoas vêm de longe para as apanhar, mas não lhes é permitido fazê-lo. […] Homens munidos de mangueiras regam com petróleo os montes de laranjas […]. Queima-se café nas caldeiras. Queima-se milho para aquecimento. Lançam-se batatas ao rio […]. Enterram-se porcos acabados de matar […]. As crianças atingidas pela pelagra (1) morrem porque cada laranja tem de dar lucro. E as autoridades inscrevem na certidão de óbito: “morto por subnutrição”, e tudo isto porque os alimentos apodrecem, tudo isto porque é preciso deixá-los apodrecer.” </li></ul><ul><li>John Steinbeck, As Vinhas da Ira . </li></ul><ul><li>(1) Doença devida à carência de vitaminas. </li></ul>“ Os absurdos da crise”
  10. 10. O “círculo vicioso” da crise Diminuição da procura In Maria Emília Dinis e outros, História Nove, História. 9.º ano / 3.º Ciclo do Ensino Básico , Lisboa Editora, Lisboa, 2004. Falência das empresas Desemprego Diminuição do poder de compra
  11. 11. A dimensão mundial da crise <ul><li>Factores de propagação da crise: </li></ul><ul><ul><li>EUA retiram os capitais investidos na Europa: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>dificuldades financeiras nas empresas europeias; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dificuldade de pagar as indemnizações. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Contracção do comércio mundial: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>países dificultam as importações; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>dificuldade em escoar tanto os produtos transformados como as matérias-primas. </li></ul></ul></ul>
  12. 12. Consequências sociais da crise <ul><li>Movimentação de populações em busca de emprego </li></ul>Família migrante
  13. 13. Consequências sociais da crise <ul><li>Miséria nas cidades e nos campos. </li></ul><ul><li>Descontentamento e revolta entre as populações. </li></ul>
  14. 14. As promessas eleitorais de Roosevelt, 1932 Eu prometo um “ New Deal ”!
  15. 15. O “New Deal” de Roosevelt INVESTIMENTOS DO ESTADO AUMENTO DO RENDIMENTO DAS FAMÍLIAS In Maria Emília Dinis e outros, História Nove, História. 9.º ano / 3.º Ciclo do Ensino Básico , Lisboa Editora, Lisboa, 2004. Medidas sociais (Subsídio de desemprego, salário mínimo, etc.) Obras públicas Mais emprego Aumento da produção industrial Compra de bens de consumo Mais emprego
  16. 16. O Intervencionismo na Europa <ul><li>Na França </li></ul><ul><ul><li>Coligação de partidos de esquerda ganha as eleições de 1936 – Frente Popular </li></ul></ul><ul><ul><li>Intervenção do Estado: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aumentos salariais; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Semana de 40 h de trabalho; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>15 dias de férias pagas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Nacionalização dos caminhos-de-ferro e das fábricas de armamento. </li></ul></ul></ul>
  17. 17. O Intervencionismo na Europa <ul><li>Na Inglaterra </li></ul><ul><ul><li>Crescimento do Partido Trabalhista (apoiado pelos Sindicatos); </li></ul></ul><ul><ul><li>Intervenção do Estado na economia: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Apoio às empresas industriais; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Medidas proteccionistas, como o apelo ao “buy british” </li></ul></ul></ul>
  18. 18. O Intervencionismo na Europa <ul><li>Na Espanha </li></ul><ul><ul><li>Coligação de partidos de esquerda ganha as eleições de 1936 – Frente Popular </li></ul></ul><ul><ul><li>Guerra civil, como estudarás mais à frente… </li></ul></ul>
  19. 19. O Intervencionismo na Europa <ul><li>Na Alemanha </li></ul><ul><ul><li>Divulgação de ideias de extrema direita </li></ul></ul><ul><ul><li>Política nacionalista e racista, como estudaremos mais à frente… </li></ul></ul>
  20. 20. Conceitos <ul><li>Acção – Parte do capital de uma empresa. O valor de uma acção varia, em princípio com os lucros ou prejuízos dessa sociedade. Através da especulação em Bolsa esse valor pode, no entanto, subir ou baixar, independentemente dos lucros da empresa. </li></ul><ul><li>“ Crash ” – Baixa generalizada e muito acentuada da cotação das acções, na Bolsa. </li></ul><ul><li>“ Stock ” – Conjunto de mercadorias disponíveis para consumo. </li></ul><ul><li>Wall Street – Famosa rua de Nova Iorque, onde ficam situados os principais Bancos e a Bolsa (a mais importante e movimentada de todo o mundo). </li></ul><ul><li>“ New Deal ” – Expressão americana utilizada, nos jogos de cartas, para referir uma nova distribuição das cartas, isto é, o começo de um novo jogo. Ao utilizar a expressão, Roosevelt pretendia dar a entender que se ia iniciar um novo período da vida da América. </li></ul>In Maria Emília Dinis e outros, História Nove, História. 9.º ano / 3.º Ciclo do Ensino Básico , Lisboa Editora, Lisboa, 2004.
  21. 21. Dorothea Lange, Rumo a Los Angeles, California. 1937

×