curso de computador bom e completo

7,242 views

Published on

Aula de computador

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
7,242
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
264
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • To view this collection of sample slides: Click on the Slide Show button on the Tool Bar at the top of the window -or- Select Slide Show... on the File menu This presentation was created using only the templates included in PowerPoint 3.0. From each family, the template designed for on-screen video was chosen.
  • curso de computador bom e completo

    1. 1. INTRODUÇÃO A MICRO INFORMÁTICA <ul><li>NOÇÕES BÁSICAS DE COMPUTAÇÃO </li></ul>André Borges Milanez Rodrigo Della Vechia Florianópolis, novembro de 1994
    2. 2. <ul><li>O objetivo deste trabalho é fornecer informações básicas a respeito do computador e de suas funções principais a quem não possui a mínima noção de informática. </li></ul>INTRODUÇÃO
    3. 3. O que é um computador? <ul><li>Um computador é uma máquina eletrônica que trata informações, sob forma de fatos, de algarismos, de palavras, de imagens ou até de música. O computador armazena as informações, organiza-as, efetua cálculos com elas e fornece-nos respostas. </li></ul>
    4. 4. A HISTÓRIA DO COMPUTADOR <ul><li>Ábaco, século III, a.c </li></ul><ul><li>Em 1617, Lord Napier desenvolveu a régua de cálculo </li></ul><ul><li>Em 1623, Leibnitz, em velhas fontes chinesas, encontrou o Sistema Binário </li></ul><ul><li>Em 1728, Falcon solucionou o problema de comandar mecanicamente um tear, com tábuas de madeira perfuradas </li></ul>
    5. 5. <ul><li>Em 1805, Jacquard voltou a utilizar a idéia dos cartões perfurados, mas agora com folhas de cartolina </li></ul><ul><li>Em 1883,Charles Babbages projetou os planos da primeira calculadora automática do mundo controlada por programa. </li></ul><ul><li>O processamento de dados inicia-se com Hlllerith, por ocasião do recenseamento canadense </li></ul>A HISTÓRIA DO COMPUTADOR
    6. 6. <ul><li>Em 1941, Conrad Zuze, construiu a primeira calculadora automática do mundo controlada por programa </li></ul><ul><li>Em 1944,o professor Howard Aiken,desenvolveu o Mark I </li></ul><ul><li>Em meados da década de 50, os computadores já eram mil vezes mais velozes do que o primeiro </li></ul><ul><li>Na década de 60,surgiram os protótipos dos computadores atuais. </li></ul>A HISTÓRIA DO COMPUTADOR
    7. 7. OS COMPUTADORES E SUAS GERAÇÕES <ul><li>GERAÇÃO ZERO </li></ul><ul><li>Computadores mecânicos (1642-1945) </li></ul><ul><li>Máquinas de calcular que faziam somente soma e subtrações </li></ul><ul><li>Invenção do MARK I, que usava relés mecânicos e tinha um ciclo de máquina de seis segundos </li></ul>
    8. 8. <ul><li>GERAÇÃO UM </li></ul><ul><li>Computadores de válvula (1945-1955) </li></ul><ul><li>COLOSSUS, 1943, desenvolvido para decodificar as mensagens codificadas por enigma </li></ul><ul><li>ENIAC, 1946, pesava 30 toneladas e marcou o início da era do computador </li></ul><ul><li>IBM 701, 1953, foi o primeiro de uma série de máquinas científicas </li></ul>OS COMPUTADORES E SUAS GERAÇÕES
    9. 9. <ul><li>GERAÇÃO DOIS </li></ul><ul><li>Computadores de transistores 1945 a 1964 </li></ul><ul><li>PDP1, 1960, foi o primeiro mini com 50 unidades vendidas </li></ul><ul><li>IBM-1401, 1961, pequeno computador comercial com enorme sucesso </li></ul><ul><li>CDC-6600, 1964, utilizava múltiplas unidades funcionais </li></ul>OS COMPUTADORES E SUAS GERAÇÕES
    10. 10. <ul><li>GERAÇÃO TRÊS </li></ul><ul><li>Computadores de circuitos integrados 1960 a 1980 </li></ul><ul><li>IBM-360, 1964, era uma máquina micro programada e foi a primeira de toda a família de computadores </li></ul><ul><li>PDP-8, 1965, foi o primeiro mini com grande venda (50 mil unidades) </li></ul><ul><li>PDP-11, 1970, foi um mini de grande sucesso na década de 70 </li></ul>OS COMPUTADORES E SUAS GERAÇÕES
    11. 11. <ul><li>GERAÇÃO QUATRO Computadores com tecnologia VLSI (Very Large Scale of Integration), 1980 em diante </li></ul><ul><li>Surgiram os computadores pessoais </li></ul><ul><li>Circuitos integrados e de larga escala: O CHIP </li></ul><ul><li>Produção do primeiro microprocessador </li></ul><ul><li>Redes de computadores </li></ul><ul><li>Banco de dados </li></ul><ul><li>Microcomputadores </li></ul>OS COMPUTADORES E SUAS GERAÇÕES
    12. 12. UNIDADES DE MEDIDA DE INFORMAÇÃO <ul><li>BIT , é a menor unidade de informação, é um conjunto de dígitos binários </li></ul><ul><li>BYTE, é um conjunto de 8 bits </li></ul><ul><li>Kilobyte (KB), é um conjunto de 1024 bites </li></ul>
    13. 13. <ul><li>Megabyte (MB), é um conjunto de 1024 KB </li></ul><ul><li>Gigabyte (GB), é um conjunto de 1024 MB </li></ul><ul><li>Terabyte (TB), é um conjunto de 1024 GB </li></ul>UNIDADES DE MEDIDA DE INFORMAÇÃO
    14. 14. GLOSSÁRIO Este glossário foi feito para que se tenha um vocabulário básico de termos freqüentemente usados no mundo da computação
    15. 15. GLOSSÁRIO <ul><li>Aplicativo - Programa específico de aplicação em alguma área de atividade </li></ul><ul><li>Arquivo - Um programa. Pode ser também o nome de um comando que tenha o mesmo nome de arquivo </li></ul><ul><li>Backup - Também conhecido como cópia de reserva ou cópia de segurança. Significa uma cópia fiel do conteúdo de um disquete, por meio de um comando específico </li></ul>
    16. 16. GLOSSÁRIO <ul><li>Buffer - uma espécie de memória intermediária usada por computadores e periféfricos </li></ul><ul><li>Caráter - Também usado como caráter ou caractere. Quer dizer qualquer símbolo digitado no computador, letras, números, símbolos,etc </li></ul><ul><li>Comando - A forma com a qual nos comunicamos com o computador </li></ul>
    17. 17. GLOSSÁRIO <ul><li>CPU - O chip de processamento do computador. A caixa do micro onde se encontram as placas eletrônicas, os microprocessadores </li></ul><ul><li>Cursor - O traço luminoso intermitente na tela do computador, que indica onde aparecerá o próximo caractere digitado no teclado </li></ul><ul><li>Default - PADRÃO . O acionador do MS-DOS é o A: </li></ul>
    18. 18. GLOSSÁRIO <ul><li>Diretório - O índice de um disco ou disquete. Ele pode conter subdiretórios </li></ul><ul><li>Disco - Meio de armazenamento de dados no computador, para posterior remoção e ou recuperação . Pode estar na forma de disco flexível de 5 1/4 ou 3 1/2 polegadas ou como disco rígido (winchester) </li></ul><ul><li>Disco de Sistema - Disco ou disquete mestre que contém o sistema principal de um programa </li></ul>
    19. 19. GLOSSÁRIO <ul><li>Disco rígido - Disco de maior capacidade, fixo no computador. winchester </li></ul><ul><li>Dispositivo - Uma determinada parte do equipamento que executa uma função específica </li></ul><ul><li>Editor de texto - Um programa específico, independente ou embutido em outro sistema, usado para aplicações específicas com textos </li></ul>
    20. 20. GLOSSÁRIO <ul><li>Extensão de nome de arquivo - Complemento de nome de arquivo, com geralmente 3 letras após um ponto, depois do nome do arquivo. Indica a especialidade do arquivo </li></ul><ul><li>Formatação - Processo de preparação eletrônica de um disquete virgem, por meio de um comando específico, para uso com seu sistema </li></ul>
    21. 21. GLOSSÁRIO <ul><li>Hardware - Parte eletrônica e mecânica do computador. Equipamento de modo geral </li></ul><ul><li>Memória - Dispositivo específico do equipamento, para armazenar temporariamente os dados criados no computador </li></ul><ul><li>Nome do acionador - Nome do drive sendo usado </li></ul>
    22. 22. GLOSSÁRIO <ul><li>Nome de arquivo - O nome do programa que está sendo usado ou criado. Deve ter no máximo 8 caracteres </li></ul><ul><li>Nome do volume - Também conhecido como rótulo de volume. Indica o nome do disco, gravado eletronicamente, por meio de comandos emitidos no teclado </li></ul><ul><li>Programa - Uma série de instruções executadas pelo computador </li></ul>
    23. 23. GLOSSÁRIO <ul><li>Prompt - O sinal de pronto que o programa exibe junto ao cursor, para que o usuário possa inserir dados </li></ul><ul><li>Sistema operacional - Programas específicos que servem de intermediários e intérpretes entre o computador, programa e o operador. Ex. MS-DOS </li></ul>
    24. 24. GLOSSÁRIO <ul><li>Software - Um ou mais programas </li></ul><ul><li>Subdiretório - Diretório criado pelo usuário </li></ul><ul><li>Winchester - Tipo de disco rígido </li></ul>
    25. 25. <ul><li>Chamamos de Hardware todas as partes do computador que podem ser identificadas visivelmente,ou seja, a parte física do equipamento, composta de circuitos de natureza eletrônica. </li></ul>HARDWARE
    26. 26. <ul><li>Alguns exemplos de hardwares </li></ul><ul><li>Teclado </li></ul><ul><li>Monitor de vídeo </li></ul><ul><li>Impressora </li></ul><ul><li>Mouse </li></ul><ul><li>Scanner </li></ul><ul><li>Data Show </li></ul><ul><li>Plotter </li></ul>HARDWARE
    27. 27. COMPONENTES FUNCIONAIS BÁSICOS DE UM SISTEMA DE COMPUTADOR <ul><li>O computador é formado basicamente por três elementos: </li></ul><ul><li>UNIDADES DE ENTRADA </li></ul><ul><li>UNIDADES DE PROCESSAMENTO </li></ul><ul><li>UNIDADES DE SAÍDA </li></ul>
    28. 28. UNIDADES DE ENTRADA <ul><li>São equipamentos, também chamados PERIFÉRICOS, usados para entrada de dados no microcomputador: </li></ul><ul><li>Mouse : Dispositivo de entrada, que conectado ao microcomputador, movimenta o cursor em qualquer posição da tela, possibilitando a seleção de funções e a criação de desenhos e gráficos </li></ul>
    29. 29. UNIDADES DE ENTRADA <ul><li>Teclado: Dispositivo de entrada de dados mais utilizado no processamento em microcomputadores. Constitui-se num conjunto de teclas alfanuméricas, pontuações e símbolos, além de outras teclas especiais de controle </li></ul>
    30. 30. UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO (CPU) <ul><li>Efetua todo o processamento de dados num computador. Coordena, controla e realiza todas as operações do sistema. É considerada o “cérebro do computador” </li></ul>
    31. 31. UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO (CPU) <ul><li>Unidade Aritmética e Lógica : tem como função realizar o conjunto das operações necessárias para converter os dados iniciais nos resultados finais desejados. </li></ul>
    32. 32. UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO (CPU) <ul><li>Memória Principal: Armazena as instruções interpretadas pela unidade de controle. É o local onde os programas e os dados ficam armazenados para posterior processamento </li></ul>
    33. 33. UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO (CPU) <ul><li>Tipos de Memória Principal: </li></ul><ul><li>RAM (Random Access Memory) - É onde se grava os dados e programas temporariamente até que possam ser acessados pelo microprocessador </li></ul><ul><li>ROM (Read Only Memory) - É a memória para leitura. Não pode ser alterada e já vem gravada de fábrica. Supervisionam e dão suporte ao equipamento </li></ul>
    34. 34. UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO (CPU) <ul><li>Tipos de Memória Principal: </li></ul><ul><li>Memória Auxiliar (ou secundária) - Dispositivo de armazenamento permante (não volátil), preserva instruções e dados até quando o micro é desligado. Exemplos: Disquetes e discos rígidos </li></ul>
    35. 35. UNIDADES DE ENTRADA E SAÍDA <ul><li>São equipamentos ou periféricos utilizados ora para entrada de dados ora pra receberem ou armazenarem informações processadas pelo computador. Podem ser : </li></ul>
    36. 36. UNIDADES DE ENTRADA E SAÍDA <ul><li>DRIVE : Unidade de disco onde são realizados as leituras e gravações dos discos flexíveis, por meio de um cabeçote que se move transversalmente ao longo da superfície do disco e permite que a unidade acesse aleatoriamente os dados nele armazenados </li></ul>
    37. 37. UNIDADES DE ENTRADA E SAÍDA <ul><li>DISCO FLEXÍVEL : Serve para gravar informações e pode ser facilmente transportado. O disquete também conhecido como disco flexível ou Floppy Disk é constituído por um disco magnético coberto por uma capa plástica. Possui os tamanhos de 5 1/4 e 3 1/2. Pode ser de alta ou baixa densidade. </li></ul>
    38. 38. UNIDADES DE ENTRADA E SAÍDA <ul><li>Winchester ou disco rígido: é um dispositivo formado por vários discos de alumínio sobrepostos constituindo-se como o maior e mais ágil meio de armazenamento de dados. Possui maior durabilidade, capacidade de armazenamento e velocidade que os discos flexíveis </li></ul>
    39. 39. UNIDADES DE SAÍDA <ul><ul><li>São equipamentos utilizados para receberem as informações processadas pelo microcomputador. Os mais comuns são: o monitor de vídeo e a impressora </li></ul></ul>
    40. 40. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>MONITOR DE VÍDEO: trata-se de um dispositivo de imagem utilizado pelo computador pra exibir dados. Há os tubos de imagem semelhantes aos aparelhos de TV e os que utilizam tela plana (LCD) como os encontrados em micros portáteis </li></ul>
    41. 41. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>MONITOR DE VÍDEO </li></ul><ul><li>Os mais utilizados são os monocromáticos de fósforo verde. Há ainda os de fósforo branco e âmbar </li></ul><ul><li>Além destes temos os monitores coloridos que utilizam o sistema RGB para obtenção das demais cores </li></ul>
    42. 42. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>MONITOR DE VÍDEO </li></ul><ul><li>Nos monitores o que determina a nitidez de uma imagem é sua resolução que pode ser baixa, média ou alta. A resolução identifica a quantidade de pontos por polegada (DPI) que define a nitidez horizontal e vertical das imagens geradas </li></ul>
    43. 43. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>MONITOR DE VÍDEO </li></ul><ul><li>Nos monitores, a resolução corresponde ao número de pixels (pontos) exibidos na tela </li></ul><ul><li>A tela do monitor apresenta, geralmente, 24 linhas e 80 colunas, embora existam outros padrões </li></ul>
    44. 44. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>TIPOS DE MONITORES DE VÍDEO </li></ul><ul><li>EGA - ENHANCED GRAPHICS ADAPTER (640 X 350) </li></ul><ul><li>CGA - COLOR GRAPHICS ADAPTER (640 X 200) </li></ul><ul><li>VGA - VÍDEO GRAPHICS ARRAY (640 X 480) </li></ul><ul><li>SVGA - SUPER VÍDEO GRAPHICS ARRAY (1024 X 768) </li></ul>
    45. 45. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORAS: é o periférico de saída mais usado devido a sua capacidade de passar para o papel as informações advindas da máquina </li></ul>
    46. 46. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORA </li></ul><ul><li>Quanto ao modo que os computadores enviam as informações para as impressoras, podem ser classificadas em seriais e paralelas </li></ul>
    47. 47. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORAS </li></ul><ul><li>SERIAIS: </li></ul><ul><li>recebem um bit de cada vez </li></ul><ul><li>são mais lentas </li></ul><ul><li>utilizam um número reduzido de fios para comunicação </li></ul><ul><li>baixo custo </li></ul>
    48. 48. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORAS </li></ul><ul><li>PARALELAS: </li></ul><ul><li>recebem 8 bits simultaneamente </li></ul><ul><li>são mais rápidas </li></ul><ul><li>utilizam vários fios de conexão </li></ul><ul><li>alto custo </li></ul>
    49. 49. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORA </li></ul><ul><li>Quanto ao tipo de operação, as impressoras podem ser de impacto e não-impacto. As de impacto imprimem as informações realizando algum tipo de contato direto entre o meio de impressão e o papel </li></ul>
    50. 50. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORAS DE IMPACTO </li></ul><ul><li>Cabeça de agulhas: constituída por um cabeçote com agulhas, imprimindo matrizes de pontos </li></ul><ul><li>Banda de correia: constituída por uma correia composta de caracteres que são impressos por um martelo </li></ul>
    51. 51. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORAS DE </li></ul><ul><li>IMPACTO </li></ul><ul><li>Margarida: constituída por disco plástico contendo os caracteres também impressos por um martelo. Semelhante à uma máquina de datilografia </li></ul>
    52. 52. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORAS DE NÃO- </li></ul><ul><li>IMPACTO </li></ul><ul><li>Imprime as informações utilizando-se de outros mecanismos como: </li></ul><ul><li>Jato de tinta: ejeta minúsculas gotas de tinta no papel, em pontos variados, de forma a obter os caracteres desejados </li></ul>
    53. 53. UNIDADES DE SAÍDA <ul><li>IMPRESSORAS DE NÃO-IMPACTO </li></ul><ul><li>Térmica: formada por um cabeçote térmico que imprime no papel, quando aquecido </li></ul><ul><li>Laser: constituída por princípios e estruturas de uma máquina de xerox comum. Utiliza o raio laser. Sua impressão é comparável à qualidade tipográfica usada nos livros e de alta qualidade </li></ul>
    54. 54. SOFTWARES <ul><li>É um programa que faz com que o computador seja útil, isto é, faz com que o computador execute tarefas que solucionem determinados problemas. É composto de elementos lógicos que direcionam a ação do Hardware. Os softwares são classificados em Básicos, Aplicativos e Utilitários </li></ul>
    55. 55. SOFTWARE BÀSICO <ul><li>São programas que administram, operam e mantém o funcionamento do microcomputador, ao mesmo tempo em que nos auxiliam a usá-lo. Dentro dos softwares básicos destacam-se: </li></ul>
    56. 56. SISTEMAS OPERACIONAIS <ul><li>É o conjunto de programas que tem a finalidade de tornar o microcomputador operacional, isto é, são programas que gerenciam os recursos do microcomputador e executam tarefas definidas, servindo de ligação entre o microcomputador e o usuário, criando o ambiente necessário dentro do qual os softwares aplicativos são executados. Ex. MS-DOS, OS/2, PICK, DR-DOS </li></ul>
    57. 57. COMPILADOR (TRADUTOR) <ul><li>É um programa especial que tem a finalidade de gerar um código que possa ser compreendido pelo Microcomputador. </li></ul>
    58. 58. INTERPRETADOR <ul><li>Os interpretadores têm a mesma função dos compiladores. A diferença está no fato de que os compiladores transformam todo código fonte em linguagem de máquina numa única vez e os interpretadores executam essa transformação linha por linha do programa fonte toda vez que for executado </li></ul>
    59. 59. SOFTWARE DE APLICAÇÃO <ul><li>São programas desenvolvidos a partir do software básico para realizarem determinada tarefa, como programas comprados de software-houses para serem utilizados. Dentre os aplicativos destacam-se: </li></ul>
    60. 60. <ul><li>É um software criado para gerar, editar, formatar e imprimir documentos usando o micro. Ex.: Carta Certa 3, Word, WordStar, Redator, Fácil, etc </li></ul>PROCESSADOR DE TEXTO
    61. 61. <ul><li>É um programa que simula na tela as tradicionais folhas colunadas dos contadores e analistas financeiros, permitindo ao usuário definir e embutir fórmulas que realizam cálculos. É uma tabela composta de linhas e colunas. Ex.: Lotus 123, SuperCalc, Quattro Pro, Excel, etc </li></ul>PLANILHAS
    62. 62. <ul><li>Recupera, modifica, elimina e inclui dados, ou seja, gerência dados e organiza as informações. Ex.: Dialog, dBase III Plus, FoxPro, Paradox, Database, etc </li></ul>GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS
    63. 63. INTEGRADOS <ul><li>Software que realiza uma variedade de aplicações, como gerenciamento de dados, processamento de textos, desenhos comerciais, telecomunicações, calendário, matriz, gerenciamento de projetos, etc </li></ul>
    64. 64. <ul><li>São programas que têm finalidade de dar apoio à operação do microcomputador. Executam rotinas prontas para tarefas realizadas freqüentemente como: recuperação de arquivos, compactação de arquivos, detectação e eliminação de vírus, entre outras. Ex.: Norton Aplicativos, PC Tools, Norton Anti-vírus </li></ul>UTILITÁRIOS
    65. 65. <ul><li>Surgiram da necessidade de comunicação entre o homem e o computador. São usadas para codificar as instruções que o computador deve executar. Ex.: Cobol, Fortran, Pascal, Basic, Clipper, etc </li></ul>LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO
    66. 66. BIBLIOGRAFIA <ul><li>Introdução a micro-informática e ao MS-DOS, Centro de apoio, Núcleo de Processamento de Dados </li></ul><ul><li>Folha de São Paulo, Caderno de Informática, 10.08.94, pg. 03 </li></ul>

    ×