Carolingio e feudalismo

12,906
-1

Published on

Aula sobre Império Carolíngio e Feudalismo

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
12,906
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
392
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Carolingio e feudalismo

  1. 1. PERÍODO MEDIEVAL
  2. 2. <ul><li>Características gerais – Alta Idade Média (V – X) </li></ul><ul><li>Formação e apogeu do Feudalismo </li></ul><ul><li>Períodos constantes de invasões e deslocamentos populacionais </li></ul><ul><li>Síntese de elementos do Antigo Império Romano , povos bárbaros e cristianismo </li></ul>
  3. 3. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS
  4. 4. <ul><li>Os povos Bárbaros: </li></ul><ul><li>Povos fora das fronteiras ( sem cultura greco-romana ) </li></ul><ul><li>Germânicos – principal grupo ( suevos , lombardos, teutônicos, francos, godos, visigodos, ostrogodos, vândalos, burgúndios, anglos, saxões...) </li></ul><ul><li>Economia agropastoril </li></ul><ul><li>Ausência de moeda e comércio. </li></ul><ul><li>Ausência de escrita . </li></ul><ul><li>Politeístas. </li></ul><ul><li>Inicialmente sem propriedade privada. </li></ul><ul><li>Poder político  casta de guerreiros. </li></ul><ul><li>direito Consuetudinário ( tradição ) </li></ul><ul><li>COMITATUS ( LAÇOS DE DEPENDÊNCIA ENTRE GUERREIROS ) </li></ul>
  5. 5. <ul><li>A formação do feudalismo, envolveu uma série de elementos estruturais de origem romana: </li></ul><ul><li>as vilas , que eram unidades do mundo rural; </li></ul><ul><li>o colonato trabalho servil que se desenvolveu com a decadência do império romano, substituindo a mão de obra escrava; </li></ul>FORMAÇÃO DO FEUDALISMO
  6. 6. <ul><li>Influência Germânica : </li></ul><ul><li>No comitatus , relação de fidelidade unindo o chefe militar e seus guerreiros </li></ul><ul><li>A economia agropastoril , onde as atividades básicas da economia se baseia no plantio e criação de animais; </li></ul><ul><li>O beneficium , que é a recompensa que os chefes militares davam aos seus soldados após obter alguma conquista. </li></ul>
  7. 7. ELEMENTOS FEUDAIS: ROMANOS GERMÂNICOS CLIENTELA ( DEPENDENCIA ENTRE SERVOS E NOBRES ) COMITATUS (DEPENDÊNCIA ENTRE NOBRE – BASE DA SUSERANIA E VASSALAGEM) COLONATO ( FIXAÇÃO NA TERRA – ORIGEM DA SERVIDÃO) SUBSISTÊNCIA (AUSÊNCIA DE COMÉRCIO E MOEDA ) VILAS ( GRANDES PROPRIEDADES RURAIS – ORIGEM DOS FEUDOS ) ECONOMIA AGROPASTORIL IGREJA DIREITO CONSUETUDINÁRIO (TRADIÇÃO ORAL )
  8. 8. A sistema que predominou na Europa Ocidental durante a Idade Média, em substituição ao escravismo greco-romano, foi chamada de feudalismo e caracterizou o modo de produção do período. O FEUDALISMO
  9. 9. <ul><li>O FEUDALISMO </li></ul><ul><li>Economia : agrícola, auto-suficiente (subsistência), sem comércio e moeda. </li></ul><ul><li>Unidade econômica básica: FEUDO ( benefício ) </li></ul><ul><li>Dividido em: </li></ul><ul><li>MANSO SENHORIAL ( CASTELO + MELHORES TERRAS ) </li></ul><ul><li>MANSO SERVIL – terras arrendadas ( lotes = glebas ou tenências ) </li></ul><ul><li>MANSO COMUNAL – bosques e pastos ( uso comum ) </li></ul>
  10. 11. ECONOMIA FEUDAL
  11. 14. <ul><li>SOCIEDADE: </li></ul><ul><li>CLERO : TERRA + PODER POLÍTICO + PODER IDEOLÓGICO ( SALVAÇÃO ) </li></ul><ul><li>NOBREZA: TERRA + PODER POLÍTICO </li></ul><ul><li>( DEFESA) </li></ul><ul><li>SERVOS: obrigações ( impostos ) e VILÕES: QUASE SERVOS, PORÉM COM MENOS OBRIGAÇÕES. </li></ul><ul><li>Estamental ( posição social definida pelo nascimento ) </li></ul><ul><li>Poder vinculado à posse e extensão da terra. </li></ul><ul><li>Laços de dependência pessoal: </li></ul><ul><li>SUSERANIA E VASSALAGEM ( ENTRE NOBRES ) </li></ul><ul><li>Senhor e servos </li></ul>
  12. 16. <ul><li>Na sociedade feudal, não havia mobilidade social. Cada ordem estava encarregada de exercer sua função: </li></ul><ul><li>Os oratores (os que oram ou rezam – o clero); </li></ul><ul><li>Os bellatores ( os que lutam ou guerreiam – os nobres); </li></ul><ul><li>Os laboratores ( os que labutam ou trabalham – os servos) . </li></ul>
  13. 17. <ul><li>Obrigações servis: </li></ul><ul><li>Corvéia = Consistia em trabalhar cerca de 3 dias por semana no manso senhorial. </li></ul><ul><li>Talha = Imposto que correspondia a uma parte de tudo o que os servos produziam no manso servil. </li></ul><ul><li>Banalidades = taxas pagas pelo uso das instalações do feudo, tais como celeiro, moinho, forno. </li></ul><ul><li>Tostão de Pedro (Dízimo) : pagamento feito para a Igreja, correspondente à décima parte da produção agrícola, utilizado para a manutenção da capela local. Entretanto, muitas vezes era recolhido e embolsado pelo senhor </li></ul>
  14. 18. <ul><li>Política : descentralizada. </li></ul><ul><li>Ideologia: </li></ul><ul><li>TEOCENTRISMO </li></ul><ul><li>IGREJA – MAIOR INSTITUIÇÃO ( ATUANTE EM TODOS OS SETORES ) </li></ul><ul><li>CONFORMISMO , CONTINUISMO </li></ul><ul><li>ÉTICA PATERNALISTA CRISTÃ </li></ul>
  15. 19. SUSERANIA E VASSALAGEM Entre suseranos e vassalos estabelecia-se um “contrato” baseado em ritual em que tinha início com a transmissão do feudo e compreendia dois atos solenes: - Homenagem :- Juramento solene de fidelidade do vassalo perante seu suserano. - Investidura:- entrega do feudo feita pelo suserano ao vassalo .
  16. 21. DIREITOS E DEVERES SUSERANO VASSALO Oferecer proteção militar e prestar assistência judiciária aos seus vassalos; receber de volta o feudo, caso o vassalo morresse sem deixar herdeiros; proibir casamento entre seus vassalos e pessoas que não lhe são fiéis. Prestar serviço militar, libertar o suserano, caso ele fosse aprisionado;comparecer ao tribunal presidido pelo suserano toda vez que fosse convocado.
  17. 22. <ul><li>O IMPÉRIO CAROLÍNGIO OU REINO CRISTÃO DOS FRANCOS </li></ul><ul><li>ATUAL FRANÇA </li></ul><ul><li>ÚNICO REINO BÁRBARO RELATIVAMENTE DURADOURO. </li></ul><ul><li>DINASTIA MEROVÍNGEA: </li></ul><ul><li>CLÓVIS ( 496) – CONVERSÃO AO CRISTIANISMO. </li></ul><ul><li>CONQUISTA DA GÁLIA </li></ul><ul><li>RURALIZAÇÃO </li></ul><ul><li>DISTRIBUIÇÃO DE TERRAS ENTRE CLERO E NOBREZA </li></ul><ul><li>- FRAGMENTAÇÃO DO PODER. </li></ul><ul><li>ÚLTIMOS REISDA DINASTIA MEROVÍNGIA : REIS INDOLENTES ( INCOMPETÊNCIA ADMINISTRATIVA) </li></ul><ul><li>PODER DE FATO: MORDOMOS DO PAÇO OU DO PALÁCIO ( ESPÉCIE DE “PREFEITOS” OU PRIMEIRO MINISTRO ) </li></ul><ul><li>CARLOS MARTEL (732) – BLOQUEIO AOS ÁRABES NA FRANÇA ( BATALHA DE POITIERS) </li></ul>
  18. 24. <ul><li>DINASTIA CAROLÍNGEA </li></ul><ul><li>PEPINO , O BREVE ( 751- 768) </li></ul><ul><li>EXPULSÃO DOS LOMBARDOS DA PENÍNSULA ITÁLICA. </li></ul><ul><li>DOAÇÃO PARA IGREJA ( PATRIMÔNIO DE SÃO PEDRO ) </li></ul><ul><li>APOIO DA IGREJA </li></ul>
  19. 25. <ul><li>CARLOS MAGNO (768-814) </li></ul><ul><li>Auge </li></ul><ul><li>Guerras de conquistas </li></ul><ul><li>Doações para nobres ( laços de dependência) </li></ul><ul><li>Centralização relativa </li></ul><ul><li>Apoio da Igreja ( expansão do cristianismo ) </li></ul><ul><li>tentativa de reconstruir o Império Romano do Ocidente </li></ul><ul><li>Divisão imperial em 300 partes ( condados, ducados e marcas ) </li></ul><ul><li>Missi dominici – funcionários imperiais ( burocracia) </li></ul><ul><li>Capitulares – Leis imperiais. </li></ul><ul><li>Renascimento carolíngeo – preservação de obras clássicas em escolas eclesiásticas. </li></ul>
  20. 26. <ul><li>Luís, o Piedoso (814-841) </li></ul><ul><li>Enfraquecimento </li></ul><ul><li>Agravamento da descentralização política </li></ul><ul><li>- disputas pela sucessão após morte de Luís, o Piedoso. </li></ul><ul><li>Tratado de Verdun (843) </li></ul><ul><li>Divisão do império </li></ul><ul><li>OCIDENTE – CARLOS , O CALVO ( ATUAL FRANÇA ) </li></ul><ul><li>CENTRO – LOTÁRIO ( ATUAIS ITÁLIA E SUIÇA ) </li></ul><ul><li>ORIENTE – LUÍS , O GERMÂNICO ( ATUAL ALEMANHA) </li></ul>
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×