Pág.Farol de Sonhos 2006

6,389 views
6,308 views

Published on

página do Mil Folhas de 3 de Novembro de 2006. "Os ilustradores estão a transformar o livro infantil"

Published in: Education, Art & Photos
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
6,389
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pág.Farol de Sonhos 2006

  1. 1. 10 LIVROS INFANTO-JUVENIL PÚBLICO 3 NOVEMBRO 2006 Farol de Sonhos trouxe a Portugal principais especialistas da edição para crianças. Os ilustradores estão a transformar o livro infantil | Rita Pimenta da vida selvagem”. Livros em forma de caracol ou tipo fole, Mais do que criar imagens para com trela, sem palavras, com acompanhar ideias, muito mais pedaços que “saltam” das pá- do que desenhar com propósi- ginas, com texturas diferentes e tos decorativos, os ilustradores escalas que surpreendem ou li- de hoje pensam o livro para lá vros-mapas – foram alguns dos do espaço a preencher da capa exemplos vistos em Cascais. à contracapa. Inventam novos formatos e arriscam aborda- Desenhos por todo gens alternativas. Como as o lado crianças, os livros estão a ficar Para a transformação do papel diferentes. dos ilustradores nas obras para a Leo Pizzol, director da ex- Estas foram algumas das infância, têm contribuído muito posição de Sàrmede (que está conclusões do Farol de Sonhos as exposições internacionais de a decorrer), explicou como toda 2006, 1.º Encontro sobre o Li- ilustração, acreditam os seus or- aquela região italiana se mobi- vro e o Imaginário Infantil, que ganizadores, não apenas porque liza para organizar a mostra, em Outubro reuniu em Cascais os dão a conhecer, mas porque que acontece há 24 anos. A 70 especialistas internacionais e tornam os editores e os leitores quilómetros de Veneza, Sàrme- nacionais da edição de livros mais exigentes. de tem cerca de 3000 habitantes para a infância, autores, ilus- Eis algumas das principais e tornou-se conhecida como “a tradores, designers, bibliote- mostras de ilustração na Euro- vila das fábulas”. Em paralelo, cários e professores. “Cinco pa: o Salão Montreuil de (22 a há sempre um festival de teatro dias de festa à volta dos livros”, 27 de Novembro), a bienal de de rua, muitos concertos e uma sintetizou o ilustrador André Bratislava (Eslováquia, Setem- Letria, um dos organizadores bro e Outubro, anos ímpares), do encontro, que aconteceu a mostra de Sàrmede (Itália, 21 na Biblioteca Municipal de S. de Outubro a 17 de Dezembro), Domingos de Rana e teve como a de Bolonha (Itália, que acom- convidado o ilustrador japonês panha a Feira Internacional do Katsumi Komagata. Livro Infantil) e a Ilustrarte, em série de actividades para adultos Por ali passaram responsá- Portugal (Barreiro, bienal no e crianças. José Manuel Saraiva veis pelas principais mostras final dos anos ímpares). tem trabalhos expostos de ilustração na Europa e, nesta edição, cujo tema é entre outros, a directora da “Lei voci dei tamtam, sto- maior biblioteca do mundo rie dall’ Africa” e até os destinada ao livro infantil restaurantes da vila par- e juvenil (Biblioteca Inter- ticipam, criando ementas nacional para a Infância de inspiradas na mostra. Munique), Barbara Scha- Da Eslováquia, veio rioth. “Os livros que me vão Barbara Brathová, que chegando são cada vez mais dirige a Bienal de Ilus- experimentais e com melhor tração de Bratislava, qualidade. A partir do final dos que começou em 1967 mentando-se novas técnicas e Eduardo Filipe lembraram que anos 80, os ilustradores come- e que já expôs 45 mil aperfeiçoando-se métodos. “A “o livro ilustrado é a primeira çaram a arriscar mais e há li- trabalhos de cinco ilustração entrou no negócio galeria de arte que uma criança vros que são verdadeiras obras mil ilustradores de dos livros e isso é bom”, diz a visita”, lema que os norteia na de arte”, disse a bibliotecária cem países. Nestas directora, “mas é importante preparação das exposições que alemã ao Mil Folhas, depois de exposições, há sem- que existam iniciativas não organizam no Barreiro. “O livro apresentar uma comunicação pre a oportunidade comerciais centradas na ilustra- infantil ilustrado é um múltiplo sobre a evolução da ilustração de se participar em ção como trabalho artístico para de arte com a grande vantagem nos últimos 150 anos. “workshops”, experi- crianças, porque é também im- de ser democrático”, disseram, O conceito de livro “como portante que elas cresçam com a convidando os participantes jogo e desafio” começa a tor- possibilidade de fruição estética para a exposição dos traba- nar-se prática comum numa diversificada e de qualidade”. À lhos de Beatrice Alemagna, Um tesouro em Munique geração de ilustradores mais semelhança de Sàrmede, Bratis- que amanhã se inaugura no jovens, que criam obras em lava ganha, pelo menos durante Auditório Municipal Augusto que assinam também o texto. Num castelo junto a um lago, há uma bi- livros” dez mil títulos de todo o mundo. dois meses, o nome de “cidade Cabrita (Barreiro), às 18h, com Barbara Scharioth acredita blioteca com 540 mil livros para crianças e “São todos catalogados, sem excepção, não dos ilustradores”. a presença da ilustradora. que o investimento nessas jovens. É a Biblioteca Internacional para a há ‘julgamentos’ sobre texto ou ilustração”, Para Sylvie Vassalo, directora Embora centrando o encontro novas abordagens se deve “às Infância de Munique. “Um tesouro para a ficam guardados para a posteridade. Obras do Centro de Promoção do Livro na ilustração, os organizadores academias e universidades já eternidade”, diz Barbara Scharioth, a direc- portuguesas não estão lá muitas e de alguns Infantil (que organiza o Salão de do Farol de Sonhos optaram por olharem para os trabalhos dos tora, que explica que as obras estão numa países africanos ainda menos. Montreuil e do concurso Figures “dar voz à palavra” logo na aber- ilustradores como formas de espécie de “bunker”, que “as protege até de Para quem quiser enviar livros infantis Futur, para jovens ilustradores), tura dos trabalhos, convidando arte livre que conjugam texto e uma ameaça nuclear” – mas acessíveis aos ou juvenis para Munique, aqui fica o en- ficou a tarefa de mostrar como a comissária do Plano Nacional imagem”. João Paulo Cotrim, leitores. “Faz lembrar as caves de Hogwarts dereço: Internationale Jugendbibliothek, um salão pode promover os de Leitura e escritora, Isabel Al- jornalista e escritor, mostraria [Harry Potter], os miúdos adoram lá estar.” Schloss Blutenburg, D-81247 Munich. A livros ilustrados, encarando-os çada, que falou na leitura como alguns exemplos destes novos Instalada no castelo de Blutenberg, a biblioteca apoia despesas para o transpor- também como produto comer- “competência essencial e factor álbuns — que não estão “pre- biblioteca foi criada em 1949 por Jella La- te, em função do volume de obras a enviar. cial, que deve ser bom, mas pre- de cidadania”, não se cansando sos ao estilo nem ao formato” pmann, como “forma de relançar cultural- Informações no “site”: www.ijb.de ou pe- cisa de “consumidores”. de repetir o “slogan” do plano: — numa conferência a que mente a Alemanha do pós-Segunda Guerra didas através do “e-mail”: bib@ijb.de. Um A representar a Ilustrarte, “Ler mais.” Onde quer que se daria o sugestivo título “Casos Mundial”. Por ano, chegam ao “castelo dos tesouro sempre a crescer. R.P. os comissários Ju Godinho e esteja. •

×