Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho

2,971 views
2,689 views

Published on

Um Slide completo para você ministrar em palestras e cursos de Direção Defensiva. Exclusivo a você, colega Téc. em Segurança do Trabalho.

Published in: Automotive
1 Comment
6 Likes
Statistics
Notes
  • Conheça os produtos da Zanel - Equipamentos de proteção individual.

    Acesse:
    http://www.zanel.com.br
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
2,971
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
125
Comments
1
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho

  1. 1. APRESENTAÇÃO • Técnico em Meio Ambiente (finalizando) • Técnico em Segurança do Trabalho - DEDINI Mecânica Vila Rezende - Piracicaba • Professor de Centro de Formação de Condutores (CFC) em 2008/2009 • Instrutor Teórico/Prático, Examinador de Trânsito e Preparador de recursos credenciado pelo Detran desde 2008 • Agente de Trânsito e Guarda Civil 2003/2007
  2. 2. ASSUNTOS ABORDADOS • Estatísticas dos acidentes carros/motos no Brasil; • estatísticas de acidentes aéreos no Brasil; • regras de direção defensiva; • normas de circulação e conduta segundo CTB; • Dicas de SEGURANÇA.
  3. 3. CÓDIGO DE TRÂNSITO A HISTÓRIA DO CTB (CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO): • Primeiro CNT - 28 de janeiro de 1941; • primeiro CTB - 22 de janeiro de 1998; • 341 artigos; • 20 capítulos; • 02 anexos; • 454 resoluções atualmente; • deliberações, portarias...
  4. 4. 1ª PARTE
  5. 5. Você tem medo de voar de avião?
  6. 6. CURIOSIDADE - AVIAÇÃO • O Brasil possui a 2ª maior frota do mundo com quase 10.000 aviões; • 18,2 milhões de passageiros/ano; 1,5 milhões/mês; • 0,76 óbitos (menos que 1) por cada milhão de passageiros; • para cada 1,32 milhão de passageiros de avião, 01 poderá morrer em acidente aéreo, enquanto mais de 265 poderão morrer indo para ou vindo do aeroporto.
  7. 7. ESTATÍSTICAS - PIRACICABA De 2003 a 2013, Piracicaba teve um aumento de 71,41% na sua frota, de 156.474 unidades para 268.223, enquanto que a população cresceu 12% no mesmo período. PIRACICABA - JULHO/2013 População 385.287 Frota 260.357 Carros 60% 157.626 Duas Rodas 20% 53.228 ESTIMATIVA - 2023 População 431.521 Frota 446.277 Carros 267.766 Duas Rodas 89.255 Resumindo: Piracicaba em 2023 terá mais veículos nas ruas que pessoas! Fonte: Jornal de Piracicaba / Denatran / IBGE
  8. 8. ESTATÍSTICAS - FROTA MOTOS EMPLACADAS NO BRASIL 18,442,413 300% 4,611,301 2001 2011 ANO Fonte: Denatran MOTOS EMPLACADAS
  9. 9. ESTATÍSTICAS - MORTES MORTES NO TRÂNSITO - BRASIL 42,425 30,524 39% 2001 2011 ANO MORTES Obs.: São contabilizados apenas as mortes constatadas nos locais dos acidentes. Fonte: Sistema de Informações de Mortalidade (SIM)
  10. 10. ESTATÍSTICAS - MORTES MORTES NO TRÂNSITO – SOMENTE MOTOS 11,268 263,5% 3,100 2011 2001 ANO Fonte: Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) MORTES
  11. 11. ESTATÍSTICAS - CUSTOS INTERNAÇÕES EM HOSPITAIS - 2011 CUSTOS MOTOS R$ 205,000,000.00 47% R$ 96,000,000.00 77,113 OUTROS VEÍCULOS 155,656 0 Fonte: Ministério da Saúde 46%
  12. 12. ESTATÍSTICAS - DPVAT INDENIZAÇÕES PAGAS NOS CASOS DE INVALIDEZ PERMANENTE DE JANEIRO A JUNHO DE 2013: MOTOCICLETAS - 76% AUTOMÓVEIS - 20%
  13. 13. ESTATÍSTICAS - DPVAT INDENIZAÇÕES PAGAS NOS CASOS DE REEMBOLSOS DE DESPESAS MÉDICAS: MOTOCICLETAS - 69% AUTOMÓVEIS - 26%
  14. 14. ESTATÍSTICAS - DPVAT VÍTIMAS DE ACIDENTES ENVOLVENDO MOTOCICLETAS: 75% DOS MOTORISTAS
  15. 15. ESTATÍSTICAS - DPVAT INDENIZAÇÕES PAGAS PARA VÍTIMAS: 18 A 34 ANOS (51%) SEXO MASCULINO (40%)
  16. 16. 2ª PARTE
  17. 17. ACIDENTES DE TRÂNSITO AS CONSEQUÊNCIAS DOS ACIDENTES DE TRÂNSITO • Sofrimento de muitas pessoas, causados por mortes e ferimentos, sequelas físicas e/ou mentais, muitas vezes irreparáveis; prejuízos financeiros, por perda de renda e afastamento do trabalho; • constrangimentos legais, por inquéritos policiais e processos judiciais, que podem exigir o pagamento de indenizações e até mesmo prisão dos responsáveis.
  18. 18. DIREÇÃO DEFENSIVA MAS, O QUE É DIREÇÃO DEFENSIVA? É a forma de dirigir, que permite a você reconhecer antecipadamente as situações de perigo e prever o que pode acontecer com você, com seus acompanhantes, com o seu veículo e com os outros usuários da via.
  19. 19. DIREÇÃO DEFENSIVA COMO FAZER UM TRÂNSITO SEGURO? Dirigindo diariamente de forma que permita a você reconhecer antecipadamente as situações de perigo e prever o que pode acontecer com você, com o seu veículo e com os outros usuários da via. DIRIJA NA DEFENSIVA
  20. 20. CAUSA DOS ACIDENTES A primeira coisa a aprender é que acidente não acontece por acaso, por obra do destino ou por azar. Na grande maioria dos acidentes, o fator humano está SEMPRE presente. Prova disso são o que as estatísticas mostram: 90% dos acidentes são causados por falhas humanas; 4% são causados por falhas mecânicas; 6% são considerados como más condições das vias. EVITÁVEIS e INEVITÁVEIS
  21. 21. CAUSA DOS ACIDENTES Acidentes podem ser causados por 03 razões: Imprudência (falta de atenção) Imperícia (falta de habilidades) Negligência (irresponsabilidade)
  22. 22. ELEMENTOS BÁSICOS Os 05 elementos básicos que o motorista defensivo deve fazer uso: 1. CONHECIMENTO: (leis de trânsito, do veículo, das condições adversas, do próprio motorista, da carga) 2. ATENÇÃO: (aos movimentos, às pessoas, às crianças) 3. PREVISÃO: (dos perigos, das possibilidades) 4. HABILIDADE: (capacidade e técnica para dirigir) 5. DECISÃO: (saber quando e como tomar as providências)
  23. 23. CONDIÇÕES ADVERSAS Os riscos e os perigos a que estamos sujeitos no trânsito estão relacionados sempre com: • VEÍCULO • CONDUTOR • TRÂNSITO • TEMPO • ILUMINAÇÃO
  24. 24. CONDIÇÕES ADVERSAS Quanto mais você enxerga o que acontece à sua volta enquanto dirige, maior a probabilidade de evitar situações de perigo. • Retrovisor interno: Regule de acordo a ver todo o vidro traseiro do seu veículo. • Retrovisores externos: Regule de acordo a ver 1/3 da lateral de seu veículo e o restante perceber os veículos que transitam atrás. Cuidado com os pontos cegos...
  25. 25. MOTOCICLETAS RESOLUÇÃO 453 DE 29/09/2013. Art. 244. Conduzir motocicleta, motoneta e ciclomotor (triciclo/quadriciclo): I - sem usar capacete de segurança com viseira ou óculos de proteção e vestuário de acordo com as normas e especificações aprovadas pelo CONTRAN Infração gravíssima, multa e suspensão do direito de dirigir, recolhimento do documento de habilitação (reciclagem)
  26. 26. MOTOCICLETAS • Motocicletas não possuem airbag nem para-choques; ao frear uma motocicleta, utilize os dois freios, traseiros e dianteiros, pois usando somente um, poderá cair; • utilize SEMPRE a buzina; • ultrapassagens somente pela ESQUERDA; • solicite ao “garupa” que movimente o corpo da mesma maneira que o condutor para garantir a estabilidade nas curvas; • não transite na “contra-mão”; • cuidados nas curvas; • Motos X Empresas
  27. 27. NORMAS DE CIRCULAÇÃO VELOCIDADE O tempo que se ganha utilizando uma velocidade mais elevada não compensa os riscos e o estresse. Por exemplo: 80Km/h 100km/h MÁXIMA PERMITIDA 60 km/h 50km 50km DIFERENÇA: 07 MINUTOS Excesso em até 20% MÉDIA (61• 72 km/h) 37min. 30min Excesso Excesso em mais de 50% em mais de 20% GRAVÍSSIMA até 50% Multa 3x e SUSPENSÃO GRAVE IMEDIATA CNH !!! (73 • 90 km/h) (91 km/h ...)
  28. 28. NORMAS DE CIRCULAÇÃO Algumas condições climáticas e naturais afetam as condições de segurança do trânsito. Sob estas condições adote atitudes que garantam a sua segurança e a dos demais usuários da via. 1 - CHUVA • O pior momento da chuva é o início dela... • Ascenda a luz baixa, aumente a distância do veículo à sua frente e diminua a velocidade... • Evite pisar no freio bruscamente (aquaplanagem)... • Em caso de chuva de granizo, aguarde em um local seguro (não no acostamento, em lotes lindeiros).
  29. 29. NORMAS DE CIRCULAÇÃO 2 - AQUAPLANAGEM Com água na pista, pode ocorrer a aquaplanagem, que é a perda da aderência do pneu com o solo. É quando o veículo flutua na água e você perde totalmente o controle sobre ele. • O estado de conservação dos pneus e a profundidade de seus sulcos são igualmente importantes para evitar a perda de aderência; • quando o veículo estiver sobre poças de água, não é recomendável a utilização dos freios. Segure a direção com força para manter o controle de seu veículo.
  30. 30. NORMAS DE CIRCULAÇÃO • • • • 3 - NEBLINA OU CERRAÇÃO Ascenda imediatamente o farol baixo... não use farol alto, pois ele reflete as partículas de água e reduz ainda mais a visibilidade; aumente a distância do veículo a sua frente; cuidado em cruzamentos: se possível, pare, olhe e escute; caso decida não seguir viagem, estacione em um local seguro. (não no acostamento, em lotes lindeiros).
  31. 31. NORMAS DE CIRCULAÇÃO CURVAS – FORÇA CENTRÍFUGA É a força que nos “joga” para fora da curva e exige um certo esforço para não deixar o veículo sair da trajetória. • Diminua a velocidade, com antecedência, usando o freio e, se necessário, reduza a marcha, antes de entrar na curva e de iniciar o movimento do volante; • comece a fazer a curva com movimentos suaves e contínuos no volante movimentando o menos que puder, acelerando gradativamente e respeitando a velocidade máxima permitida. À medida que a curva for terminando, retorne o volante à posição inicial, também com movimentos suaves;
  32. 32. NORMAS DE CIRCULAÇÃO CONDIÇÃO DE LUZ A falta ou o excesso de luminosidade podem aumentar os riscos no trânsito. Ver e ser visto é uma regra básica para a direção segura. Confira como agir: FAROL ALTO OU FAROL BAIXO • Ao passar por túneis, é obrigatório o uso do farol baixo; • nunca olhe diretamente no farol alto que vem a sua frente, muito menos revide com seu farol alto. Desvie o olhar ao bordo da pista; (ofuscamento) • recomenda-se o uso de luz baixa mesmo durante o dia nas rodovias, porém, veículos como motocicletas, ciclomotores e ônibus são obrigatórios o seu uso, passíveis de multa; • nunca avise outros motoristas com piscadas no farol sobre blitzes;
  33. 33. NORMAS DE CIRCULAÇÃO DISTÂNCIA DE SEGURANÇA - 1 Em vias com tráfego denso e com baixa velocidade mantenha a atenção ao dirigir, observando atentamente o movimento de veículos, pedestres e ciclistas. Estas situações ocorrem em horários pré-estabelecidos, conhecidos como “horários de pico”, que são os horários de entrada e saída de trabalhadores e acesso a escolas, etc. Mantenha uma distância segura do veículo da frente. a) Distância de seguimento b) Distância de reação c) Distância de frenagem d) Distância de parada O QUE FREIA O CARRO?
  34. 34. NORMAS DE CIRCULAÇÃO DISTÂNCIA DE SEGURANÇA - 2 Existe uma regra simples chamada regra dos 02 segundos, que pode ajudar você a manter a distância segura do veículo da frente: O tempo de reação de frenagem numa pessoas normal é de 3/4 de segundo, ou 0,75 segundos. Um veículo a 80km/h percorre 22mt em apenas 01 segundo??? ATENÇÃO na chuva e com veículos maiores à frente.
  35. 35. NORMAS DE CIRCULAÇÃO ULTRAPASSAGENS Onde há sinalização proibindo a ultrapassagem, não ultrapasse. A sinalização é a representação da lei e foi implantada por pessoal técnico que já calculou que naquele trecho não é possível a ultrapassagem, porque há perigo de acidente. Aguarde uma condição permitida e segura para fazer a ultrapassagem. DICAS: • Não ultrapasse em faixas contínuas, descidas, lombadas, curvas, pontes, acosta mento e túneis; • não dificulte a ultrapassagem, mantendo a velocidade do seu veículo ou até mesmo reduzindo-a ligeiramente; • sinalize sua mudança de direção (seta, farol).
  36. 36. NORMAS DE CIRCULAÇÃO SEMÁFOROS Nos cruzamentos com semáforos, você deve observar apenas o foco de luz que controla o tráfego da via em que você está e aguardar o sinal verde antes de movimentar seu veículo, mesmo que outros veículos, ao seu lado, se movimentem. O pedestre tem prioridade na travessia da faixa mesmo que o sinal de semáforo esteja aberto para os carros, portanto, aguarde o pedestre concluir a travessia da faixa para seguir com segurança (art. 70 do CTB);
  37. 37. NORMAS DE CIRCULAÇÃO FAIXA DE PEDESTRES Criada para facilitar a travessia de vias e dar mais segurança ao pedestre, a faixa é ignorada no dia-a-dia. Em algumas cidades do Brasil, como Porto Alegre, Brasília e Vitória, existe um novo sinal que o pedestre pode fazer indicando que ele deseja atravessar na faixa de segurança onde não existe sinaleira: a pessoa deve esticar o braço com a palma da mão voltada para os carros, esperar os veículos pararem e atravessar na faixa.
  38. 38. 3ª PARTE
  39. 39. DICAS DE SEGURANÇA • Num cruzamento, sem sinalização, a preferência é sempre de quem vem da direita; • numa rotatória, a preferência é de quem está circulando por ela; • estacione sempre de ré (para que serve a marcha à ré?); • antes de colocar seu veículo em movimento verifique as condições básicas como estepe, água do radiador, combustível, faróis, documentação, extintor, et c.; • numa rodovia, para fazer uma conversão à esquerda ou um retorno aguarde no acostamento;
  40. 40. DICAS DE SEGURANÇA • reduza a velocidade quando for ultrapassar um veículo de transporte coletivo (ônibus) que esteja parado efetuando o embarque ou desembarque de passageiros; • quando for descer, cuidado ao abrir a porta, nem a deixe aberta. O embarque e o desembarque devem ocorrer sempre do lado da calçada, exceto no caso do condutor; • mantenha a posição correta de suas mãos no volante (cuidado com airbags – posição 13h50); • mantenha sempre sacos de lixo dentro do veículo. Não jogue lixo na via, nos terrenos baldios ou na vegetação à margem das rodovias; • Cuidado ao desviar de buracos, animais ou objetos na pista em alta velocidade.
  41. 41. DICAS DE SEGURANÇA FATORES QUE REDUZEM A CONCENTRAÇÃO, APESAR DE MUITOS NÃO PERCEBEREM ISSO: • Usar o telefone celular ao dirigir, mesmo que seja viva-voz; • assistir televisão (DVD) a bordo ao dirigir; (GPS é autorizado) • ouvir aparelho de som em volume que não permita ouvir os sons do seu próprio veículo e dos demais; • transportar animais soltos e desacompanhados no interior do veículo; • transportar, no interior do veículo, objetos que possam se deslocar durante o percurso.
  42. 42. DICAS DE SEGURANÇA ACOSTUME-SE A OLHAR SEMPRE E ALTERNADAMENTE OS SEGUINTES ITENS: • A movimentação de outros veículos à sua frente, à sua traseira ou nas laterais; • a movimentação dos pedestres, em especial nas proximidades dos cruzamentos; • as informações no painel do veículo, como velocidade, combustível, sinais luminosos;
  43. 43. A BÍBLIA E O TRÂNSITO Naum, Cap. 2, Vers. 4 “Os carros correrão furiosamente nas ruas, colidirão um contra o outro nos largos caminhos; o seu aspecto será como o de tochas, correrão como relâmpagos.“ I Pedro, Cap. 2, Vers. 13,14 e 15 “13 - Por causa do Senhor, sujeitem-se a toda autoridade constituída entre os homens; seja ao rei, como autoridade suprema, 14 - seja aos governantes, como por ele enviados para punir os que praticam o mal e honrar os que praticam o bem. 15 - Pois é da vontade de Deus que, praticando o bem, vocês silenciem a ignorância dos insensatos.“
  44. 44. BOM TRABALHO A TODOS! Obrigado... Perguntas?!

×