CONFIDENCIAL




RESTRUCTURING

Independência S.A.
Apresentação sobre a Análise Preliminar e Desempenho
Financeiro Recente...
CONFIDENCIAL
Notas relevantes
   Esta apresentação foi preparada com base na proposta de prestação de serviços            ...
CONFIDENCIAL
Notas relevantes (cont.)
    Considerando que a KPMG não pode controlar, intervir ou gerenciar o uso das     ...
CONFIDENCIAL
Histórico

                                                                                                  ...
CONFIDENCIAL
Estratégia de crescimento da Empresa

                                                                       ...
CONFIDENCIAL
Dívidas


   De janeiro de 2008 a fevereiro de 2009, a dívida líquida da Empresa aumentou de R$1.045 milhões ...
CONFIDENCIAL
Crise financeira mundial

                                                                                   ...
CONFIDENCIAL
Efeitos da crise no mercado de carne bovina


        Crise
     financeira                                  ...
CONFIDENCIAL
O impacto da crise no Independência

                                                                        ...
CONFIDENCIAL
O impacto da crise no Independência (cont.)

                                                                ...
CONFIDENCIAL
O impacto da crise no Independência (cont.)

                                                                ...
CONFIDENCIAL
O impacto da crise no Independência (cont.)

                                                                ...
CONFIDENCIAL
Análises do fluxo de caixa

                        De outubro a dezembro de 2008 a posição do caixa da Empre...
CONFIDENCIAL
Conclusão


   A combinação dos fatores mencionados previamente:

   (i) estratégia de crescimento agressiva,...
CONFIDENCIAL
Dívida total - 27 de fevereiro de 2009

                                                                     ...
CONFIDENCIAL
Dívida com fornecedores - 27 de fevereiro de 2009




                                           Faixa de val...
Independencia - Apresentacao Para Pecuaristas - Diagnostico Inicial da Kpmg
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Independencia - Apresentacao Para Pecuaristas - Diagnostico Inicial da Kpmg

1,036

Published on

Published in: Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,036
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Independencia - Apresentacao Para Pecuaristas - Diagnostico Inicial da Kpmg"

  1. 1. CONFIDENCIAL RESTRUCTURING Independência S.A. Apresentação sobre a Análise Preliminar e Desempenho Financeiro Recente 06 de Maio de 2009 ADVISORY
  2. 2. CONFIDENCIAL Notas relevantes Esta apresentação foi preparada com base na proposta de prestação de serviços Ressaltamos que a KPMG não se responsabiliza pela exatidão das informações profissionais endereçada ao Independência S.A. (“Independência” ou “Empresa”) utilizadas como base para nossa análise, considerando que essas informações foram datada de 2 de abril de 2009, cujo objetivo e o escopo estão incluídos nesta disponibilizadas por domínio público ou pela própria Empresa e que no final deste apresentação e devem ser lidos em conjunto com a proposta mencionada. trabalho, o conteúdo desta apresentação foi discutido com a Administração para assegurar a acuracidade dos dados reportados. Na preparação desta apresentação, utilizamos dados e informações disponibilizados pela Administração da Empresa. O conteúdo de nossa apresentação contemplou informações que nos foram As análises apresentadas nesta apresentação consideram as operações do efetivamente disponibilizadas, refletindo as condições predominantes e o nosso ponto Independência isoladamente e sem relação de caráter operacional, societário ou de de vista independente, no momento, estando de acordo com as circunstâncias da qualquer outra natureza, a não ser os fatos e situações que foram claramente realização dos trabalhos, que não contempla o atendimento a interesses pessoais ou informados pela Administração. específicos. Nesses termos, o resultado da análise que venham a ser realizadas por terceiros poderá ser diferente do resultado de nossas análises, sem que isso As informações apresentadas foram reelaboradas, agrupadas e reclassificadas quando caracterize qualquer deficiência nos trabalhos realizados. necessário, com o suporte da Administração do Independência, para uma melhor exposição das informações. Entretanto, o processamento de dados e informações não Acrescenta-se que, diante de novas oportunidades em que KPMG venha a ter de implica na nossa aceitação ou atestado de que estas informações sejam verdadeiras. realizar novas análises deste mesmo conteúdo, independentemente de tomar Ressaltamos que o escopo de nosso trabalho é diferente daquele de uma auditoria, e conhecimento de fatos ou elementos novos, ela poderá rever a manifestação que vier portanto, não podemos atestar o mesmo nível de segurança. O trabalho descrito nesta a proferir em razão da presente contratação, podendo, inclusive, modificar o seu apresentação não representa uma auditoria de acordo com os padrões geralmente entendimento inicial. aceitos e não deve ser interpretado ou usado como tal. As informações, os números, as opiniões, os memorandos, os comentários, etc., O escopo de nossos serviços não contempla nenhum serviço de auditoria legal e não apresentados pela KPMG, deverão ser analisados pela Empresa, a qual assume total inclui a avaliação ou exame de qualquer dívida do Independência, incluindo qualquer responsabilidade por seus atos ou decisões tomadas com base nessas informações. dívida financeira, fiscal ou trabalhista. Portanto, a KPMG não realizou qualquer exame ou verificação das contingências trabalhistas do Independência, créditos tributários ou Tendo em vista a natureza dos serviços prestados, a KPMG recomenda que quaisquer qualquer outro crédito. Nossos serviços não incluem qualquer análise relacionada com conselhos, recomendações ou informações fornecidas pela KPMG à Empresa, no o impacto de qualquer concessão ou contingência no fluxo de caixa do Independência . âmbito da prestação dos serviços, sejam usados exclusivamente pelo Independência, Nosso acesso à Administração da Empresa inclui seu Presidente, Diretor Financeiro, considerando os objetos que justificam o compromisso da proposta previamente Diretor de Operações, Diretor Comercial e as pessoas encarregadas dos mencionada da KPMG, e em caráter confidencial, visto que o uso do resultado de tais departamentos de tesouraria e controladoria e outros sub-departamentos financeiros. serviços, inclusive deste documento, em contexto diferente daquele em que os trabalhos são realizados pode ensejar interpretações divergentes e conseqüências Este compromisso não constitui e não deve ser interpretado como uma avaliação adversas. econômico-financeira e nem como prestação de serviços de assessoria jurídica. O escopo do trabalho ora proposto não contempla a obrigação da KPMG de identificar e apontar opções de reestruturação financeira diferentes daqueles apresentados pela Empresa e, portanto, a KPMG não será responsabilizada por eventuais oportunidades que possam não ser identificadas, apresentadas independentemente dos motivos ou razões para tais ocorrências. 1 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  3. 3. CONFIDENCIAL Notas relevantes (cont.) Considerando que a KPMG não pode controlar, intervir ou gerenciar o uso das A KPMG esclarece que a apresentação contempla a descrição de fatos identificados informações verbais ou escritas transmitidas, a Empresa concorda que o uso ou durante a realização dos trabalhos, de acordo com o escopo contratado e limitados à divulgação de qualquer parte do resultado dos serviços contratados, sob qualquer documentação disponibilizada. circunstância ou para qualquer propósito, ocorrerá exclusivamente com base na e em Esclarecemos que não temos qualquer obrigação de atualizar o resultado dos serviços, decorrência da avaliação de conveniência e da oportunidade que o Independência, com tampouco de revisar as suas informações em conseqüência de eventos que ocorram base no entendimento de seus administradores, considere pertinente, e portanto, sob após a data da emissão de sua minuta. Caso alguma atualização seja necessária, uma risco exclusivo e responsabilidade exclusivos da Empresa. nova proposta de trabalho deverá ser acordada. Nesses termos, fica certo e ajustado entre a KPMG e o Independência que o ato da Essa apresentação foi emitida em Inglês e Português. Caso haja qualquer inconsistência entre as versões em Inglês e Português, prevalecerá a versão em última em usar ou revelar qualquer parte do resultado dos serviços contratados Inglês. implicará a automática concordância dela e assunção da obrigação correspondente, por ela, em responder por toda e qualquer conseqüência, dano ou prejuízo resultante de tal uso ou revelação do material, que ela ou a KPMG ou partes com ela relacionadas vierem a suportar. Assim, o Independência concorda em manter a KPMG imune, e caso não seja possível, assume a responsabilidade de indenizar a KPMG (incluindo seus sócios, empregados e agentes) por quaisquer danos, prejuízos e despesas que esta vier a suportar em razão de ações, reclamações, pleitos ou questionamentos de terceiros, relacionados direta ou indiretamente com os serviços contratados, salvo se essas ações, reclamações, pleitos ou questionamentos decorrerem da prática de ação ou omissão dolosa da KPMG, declarada em sentença judicial. No mesmo sentido, a Empresa concorda que, caso a KPMG venha a ser requerida pela Empresa ou em razão de ato do Independência, por qualquer pessoa ou autoridade, a realizar atos de esclarecimento, disponibilização de material e afins, a Empresa reembolsará a KPMG pelos custos que esta tiver com tais atividades e irá remunerar as horas incorridas por seus profissionais, de acordo com as taxas praticadas à época, pela KPMG. Esclarecemos que os trabalhos contemplados nesta apresentação foram executados de acordo com os objetivos, concepção e outros termos e condições contidas nesta apresentação e em nossa proposta de 2 de abril de 2009. A KPMG não se responsabiliza pela utilização por outrem ou para outros propósitos. Caso o Independência ou seus credores autorizados ao recebimento de cópias divulguem os trabalhos, a KPMG ficará isenta de quaisquer responsabilidades oriundas direta ou indiretamente da referida divulgação. 2 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  4. 4. CONFIDENCIAL Histórico DRE - Receita líquida (R$ milhões) O Independência S.A. é um dos principais frigoríficos do Brasil. De acordo com o MAPA, Ministério da 2.000 1.939 Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a Empresa foi o 4º maior frigorífico em 2008. % 49.0 1.800 G R: CA 1.600 1.285 1.400 O Independência foi fundado em 1977, na cidade de Santana do Parnaíba, produzindo inicialmente carne seca, 1.200 873 1.000 atendendo principalmente a região norte do Brasil. 800 600 400 Em abril de 2004, o Sr. Roberto Graziano Russo assumiu a Presidência do Independência. 200 - 2006 2007 2008 Em 2008, a Empresa atingiu uma estrutura de 18 plantas, com uma das unidades localizada no Paraguai e as Receita líquida outras em sete diferentes estados do Brasil: São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Minas Fonte: Informações fornecidas pelo Independência Gerais e Goiás. A Empresa é proprietária de 8 plantas, sendo as demais unidades arrendadas. Os principais negócios do Independência são carne bovina e couro (responsáveis por 88,6% e 11,0% da receita DRE - EBITDA como % da Receita Líquida (R$ milhões) bruta em 2008, respectivamente). A receita restante provém de serviços de logística fornecidos a terceiros. 2.000 1.939 200,0% 1.800 180,0% 1.600 160,0% Em 31 de dezembro de 2008, a capacidade instalada do Independência era a seguinte: 1.400 140,0% 1.285 1.200 120,0% − Abate de 11.800 cabeças por dia; 1.000 100,0% 873 800 80,0% 600 60,0% − Desossa de 12.600 cabeças por dia; 400 40,0% 16,1% 16,1% 15,1% 200 20,0% − Processamento de couro de 10.000 peles por dia. 0 0,0% 2006 2007 2008 Receita líquida Margem EBITDA Fonte: Informações fornecidas pelo Independência 3 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  5. 5. CONFIDENCIAL Estratégia de crescimento da Empresa Evolução no consumo brasileiro per capita de carne Desde 2007, em função do forte desempenho da Empresa durante os anos anteriores, a diretoria do bovina (Quilos per capita por ano) Independência estabeleceu uma estratégia de crescimento agressiva para os anos seguintes, alcançando expansão na capacidade de abate de 4.100 cabeças/dia em janeiro de 2007 para 11.800 CAGR (08/00): 2.8% cabeças/dia em dezembro de 2008. 44.8 43.6 42.8 42.2 41.4 36.3 36 35.8 35.2 Esse forte desempenho foi baseado no aumento do consumo doméstico per capita, aliado ao crescimento das vendas no mercado externo durante os anos anteriores, como mostram os gráficos ao lado. Em 2007, o Independência adquiriu uma planta e arrendou três unidades¹. Durante 2008, a Empresa 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008* Observação: (*) Estimado adquiriu outras duas plantas e arrendou adicionais três unidades². Para financiar estas aquisições, a Fonte: USDA Empresa levantou linhas de capital de longo prazo indexadas em dólares americanos, bem como, Evolução na exportação brasileira de carne bovina empréstimos para financiamento de capital de giro (ACC). (Mil toneladas) 3,5% ): 2 Em novembro de 2008, para fazer frente ao aumento nas despesas de capital e necessidades de (08/00 CAG R 1,286 1,225 capital de giro, o Independência captou junto ao BNDES um montante de R$ 250 milhões. 1,086 1,023 925 Adicionalmente, no primeiro trimestre de 2009, estava prevista uma captaçao complementar de R$ 620 200 milhões junto ao BNDES que, no entanto, não ocorreu devido à situação financeira complicada da 430 368 Empresa. 189 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Fonte: MDIC/Secex 1. Aquisição de Goiás Carnes e arrendamento de Juína, Pontes e Lacerda e Confresa. 2. Aquisição de Nova Carne e Guarani e arrendamento de Colider, Nova Xavantina e Itupeva. 4 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  6. 6. CONFIDENCIAL Dívidas De janeiro de 2008 a fevereiro de 2009, a dívida líquida da Empresa aumentou de R$1.045 milhões para R$3.003 milhões. Os principais eventos em 2008 foram, a emissão de notes no valor de US$ 300 milhões em maio e captações através de novas linhas de ACC e Finame em setembro. A desvalorização da moema brasileira causou um aumento das perdas com variação cambial no montante de R$234 milhões até fevereiro de 2009. Outros fatores responsáveis pelo aumento do endividamento da Empresa foram, a assunção da dívida da Independência Participações S.A. no montante de R$ 253 milhões, como parte da capitalização junto ao BNDES, bem como, o reconhecimento das perdas com derivativos (R$ 270 milhões em 2008). Ajustes adicionais totalizando R$ 505 milhões foram feitos em dezembro de 2008, relacionados à revisão de controles internos, conciliações contábeis e à adoção da lei 11638/07, conforme detalhado no relatório. Evolução da dívida líquida (R$ milhões) 0,5 - (0,5) (1,0) (1,5) (2,0) (2,5) (3,0) (3,5) jan-08 fev-08 mar-08 abr-08 mai-08 jun-08 jul-08 ago-08 set-08 out-08 nov-08 dez-08 jan-09 fev-09 Disponibilidades Empréstimos e financiamentos - curto prazo Empréstimos e financiamentos - longo prazo Dívida líquida Fonte: Informações fornecidas pelo Independência 5 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  7. 7. CONFIDENCIAL Crise financeira mundial Evolução das exportações brasileiras (total exportado) O total de exportações brasileiras em 2008 apresenta um crescimento expressivo quando Preços de FOB, em US$ bilhões comparado ao ano anterior. Contudo, com a crise financeira mundial, as exportações 200 41,4% 41,7% 44,8% 50% 41,3% 40% inverteram essa tendência e caíram mais de 25% em janeiro de 2009, em relação ao mesmo 190 30,8% 26,4% 30% 20,9% 180 17,4% período em 2008. 13,0% 20% 170 5,0% 10% -2,1% 160 -2,9% -6,4% 0% As exportações de carne bovina seguiram uma tendência similar às exportações brasileiras, 150 -10% diminuindo desde outubro passado. As exportações, durante o período de análise, 140 -26,3% -25,1% -20% 130 -30% apresentaram seu pior desempenho desde janeiro de 2009, quando houve uma baixa 163 166 165 167 173 178 184 189 195 198 198 198 194 191 190 120 -40% jan-08 fev-08 mar-08 abr-08 mai-08 jun-08 jul-08 ago-08 set-08 out-08 nov-08 dez-08 jan-09 fev-09 mar-09 acumulada de aproximadamente 54%, em relação a janeiro de 2008. Exportação (acumulada nos últimos 12 meses) %variação em relação ao mês do ano anterior Fonte: MDIC/Secex A queda da demanda internacional levou à baixa de preços de exportação da carne bovina. Evolução nas exportações brasileiras de carne bovina Além disso, a depreciação da moeda brasileira em relação ao dólar não teve o impacto positivo Preços de FOB, em US$ bilhões nas exportações, como esperado pela Empresa. Isso ocorreu em função de países 4,5 100% 4,0 80% importadores como Rússia, bem como, países do Oriente Médio e Ásia, também terem sofrido 56% 49% 3,5 60% 40% 36% significativa desvalorização de suas moedas. Desta maneira, as exportações de carne bovina 3,0 40% 23% 21% 15% 6% 2,5 20% brasileira não apresentaram os ganhos esperados. Como resultado, as perdas com hedge -9% -11% -14% -14% 0% 2,0 -27% -27% cambial na exportação não puderam ser compensadas. 1,5 -20% -54% 1,0 -40% 0,5 -60% 3,6 3,6 3,5 3,6 3,6 3,7 3,8 3,9 4,1 4,1 4,0 4,0 3,8 3,7 3,7 Outra consequência da redução das exportações foi o aumento na oferta no mercado interno, o - -80% jan-08 fev-08 mar-08 abr-08 mai-08 jun-08 jul-08 ago-08 set-08 out-08 nov-08 dez-08 jan-09 fev-09 mar-09 que resultou em uma grande queda de preços nas vendas do mercado interno. Exportação (acumulado nos últimos 12 meses) %variação em relação ao mês do ano anterior Fonte: MDIC/Secex 6 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  8. 8. CONFIDENCIAL Efeitos da crise no mercado de carne bovina Crise financeira OPERACIONAL internacional + Custo da Excesso Resultado Queda nos preços arroba do boi de oferta no Queda da operacional em todos permaneceu mercado exportação Queda na negativo os mercados estável interno brasileira demanda + inadimplência no setor FINANCEIRO Crise financeira internacional Aumento nos custos de financiamento: Retração das linhas de crédito no comércio internacional − Em dólares (US$) de 6% a.a. para 12% a.a. Necessidades de capital de giro − Em reais (R$) de 110% do CDI para 170% do CDI Redução na liquidez: Redução nos cronogramas de financiamentos de curto prazo: Falta de linhas de crédito externas − Concentração dos vencimentos para cada mês − Cancelamento dos limites e não-renovação das linhas − Pressão na renegociação de renovações − existentes Aumento na dívida devido à desvalorização cambial Consolidação dos bancos com redução nas linhas e − − Impacto no serviço de dívida e no fluxo operacional limites Cancelamento das operações de financiamento Redução nos limites, devido à desvalorização cambial − (limites em reais e liberações em dólares) 7 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  9. 9. CONFIDENCIAL O impacto da crise no Independência Média de preço de venda da carne bovina e do preço do boi gordo Apesar da crise mundial, o custo da matéria prima não caiu devido ao forte poder de barganha (R$/Quilos) dos fornecedores (produtores de gado). 10 R$ 9,06 R$ 8,84 R$ 8,42 9 R$ 8,15 R$ 7,80 A forte redução no preço de vendas, tanto no mercado interno como no externo, não 8 R$ 8,85 R$ 8,36 R$ 7,90 7 acompanhada por custos mais baixos do gado (ilustrados no gráfico ao lado), resultaram em R$ 6,90 R$ 5,82 R$ 6,53 R$ 5,62 6 R$ 5,25 R$ 5,18 margens negativas para o Independência, observadas em janeiro e fevereiro de 2009. R$ 5,06 5 4 3 2 1 0 Out-08 Nov-08 Dez-08 Jan-09 Fev-09 Boi gordo Mercado interno Mercado externo Fonte: ESALQ / Bloomberg e Informações fornecidas pelo Independência 8 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  10. 10. CONFIDENCIAL O impacto da crise no Independência (cont.) Evolução dos estoques Em dezembro de 2008, em função do resultado de uma decisão estratégica baseada nas R$ milhões dinâmicas de mercado, o Independência interrompeu temporariamente sua produção em 202 176 algumas plantas, concedendo férias coletivas a parte de seus funcionários. Como impacto 151 134 desta decisão estratégica, a Empresa apresentou uma redução significativa nos seus níveis de estoque. 47 Em janeiro de 2009, a Empresa decidiu aumentar sua produção fortemente, com base nos baixos níveis de estoque e na expectativa de um grande aumento nas vendas no curto prazo. out-08 nov-08 dez-08 jan-09 fev-09 De acordo com o Independência, o racional que fundamentou as expectativas de crescimento Estoques das vendas foi baseado em: Fonte: Informações fornecidas pelo Independência (i) historicamente, a exportação tem uma queda durante o último trimestre do ano anterior, retornando aos altos níveis durante o primeiro trimestre do ano, devido à forte demanda de importadores para reestabelecimento dos seus níveis de estoque. (ii) o consumo doméstico costuma diminuir no primeiro trimestre, ocasionando a baixa do preço do gado, aumentando a atratividade das exportações. (iii) as exportações do Independência alcançaram maior crescimento durante os últimos anos, em comparação aos seus concorrentes, e a administração esperava que essa tendência fosse se manter em 2009. 9 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  11. 11. CONFIDENCIAL O impacto da crise no Independência (cont.) Receita bruta - Total O cenário mapeado pelo Independência para 2009 não se realizou. As exportações caíram (R$ milhões) abruptamente, quando comparadas com dezembro de 2008, e a forte concorrência no mercado 300 CM G R: - 9 interno deteriorou os níveis de vendas. . 9% 250 Conforme discutido, os preços nos dois mercados (interno e externo) caíram, sendo que os de 200 exportação mostraram quedas relevantes desde o início de dezembro de 2008. 150 277,8 233,3 A queda do faturamento nas exportações, já mencionada, está relacionada principalmente a dois 211,7 100 183,0 164,1 fatores: (i) a redução dos níveis do estoque pelos clientes; e (ii) ao comportamento do mercado 50 externo diferente daquele esperado pela Empresa, que reduziu o consumo e mudou os padrões 0 de compra. out-08 nov-08 dez-08 jan-09 fev-09 Fonte: Informações fornecidas pelo Independência bruta Receita A forte concorrência no mercado interno se baseou no reposicionamento dos exportadores, que Detalhamento da receita bruta - Mercado interno e externo tentaram compensar as quedas nas exportações. (R$ milhões) Devido à manutenção do custo da matéria-prima e à queda dos preços de venda descritos 277,8 233,3 211,7 164,1 183,0 100% anteriormente, o Independência sofreu uma redução significativa em sua margem EBITDA, de 14,2% em relação à receita líquida em dezembro de 2008, para -31,0% em fevereiro de 2009. 41% 42% 44% 50% 75% 52% Adicionalmente, devido a problemas econômico-financeiros de alguns clientes nos mercados 50% externo e interno, os níveis de inadimplência aumentaram significativamente. A Empresa informa que em janeiro e fevereiro de 2009, houve aumento de inadimplência, devolução de produtos, 59% 58% 56% 50% 25% 48% bem como, negociação de prazos de pagamento e descontos a clientes, principalmente no mercado externo. 0% out-08 nov-08 dez-08 jan-09 fev-09 Mercado interno Mercado externo Fonte: Informações fornecidas pelo Independência 10 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  12. 12. CONFIDENCIAL O impacto da crise no Independência (cont.) Contas a receber X Receita bruta Devido aos fatores mencionados anteriormente, as necessidades de capital de giro da Empresa (R$ milhões) 278 sofreram um aumento significativo em um curto período de tempo. A falta de linhas de capital de 233 giro no mercado fizeram com que a Empresa utilizasse seu próprio caixa para fazer frente à situação. 212 183 164 Devido à desvalorização significativa da moeda brasileira e à exposição financeira da Empresa em moeda estrangeira e em derivativos, o Independência não apenas consumiu uma grande parte de 209 191 177 seu caixa restante, como também, não pagou parte de seus empréstimos e financiamentos, 108 107 piorando sua situação econômico-financeira. out-08 nov-08 dez-08 jan-09 fev-09 Contas a receber Receita bruta Fonte: Informações fornecidas pelo Independência EBITDA como % da Receita Líquida (R$ milhões) 246.971 250.000 200,0% 203.564 150,0% 200.000 186.091 155.498 100,0% 150.000 127.809 50,0% 16,3% 15,6% 14,2% 100.000 0,0% -31,0% -39,8% 50.000 -50,0% - -100,0% out-08 nov-08 dez-08 jan-09 fev-09 Receita líquida % Receita líquida Fonte: Informações fornecidas pelo Independência 11 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  13. 13. CONFIDENCIAL Análises do fluxo de caixa De outubro a dezembro de 2008 a posição do caixa da Empresa se manteve estável. Apesar de acumular resultados negativos no último trimestre de 2008, o aporte de capital junto ao BNDES manteve o caixa da Empresa inalterado. Fluxo de caixa - de 31 de setembro de 2008 a 31 de dezembro de 2008 R$ milhões 60 8 3 131 250 130 493 494 73 37 - - - - - Saldo inicial Lucro líquido Variações no Investimentos Variações em BNDES Capital Empresas Outras Leasing/Compra Saldo Final ajustado capital de giro empréstimos e controladas variações das unidades financiamentos Juína, Confresa, Observação: (1) Pagamentos adiantados relacionados aos contratos de arrendamento/compra das unidades de Juína, Confresa e Pontes e Lacerda. Pontes e1 Fonte: Informações fornecidas pela Independência Lacerda A Empresa também apresentou resultados negativos em janeiro e fevereiro de 2009, bem como, necessidade de capital de giro. Estes fatores, somados à amortização de alguns financiamentos e empréstimos, resultou em um fluxo de caixa negativo para o período, de aproximadamente R$461 milhões. Fluxo de caixa - de 31 de dezembro de 2008 a fevereiro de 2009 R$ milhões 168 154 494 21 32 1 12 73 33 - - - - Saldo inicial Lucro líquido Variações no Investimentos Variações em Empresas Outras variações Leasing/Compra Saldo Final ajustado capital de giro empréstimos e controladas das unidades financiamentos Juína, Confresa, 1 Pontes e Lacerda Observação: (1) Pagamentos adiantados relacionados aos contratos de arrendamento/compra das unidades de Juína, Confresa e Pontes e Lacerda. Fonte: Informações fornecidas pelo Independência 12 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  14. 14. CONFIDENCIAL Conclusão A combinação dos fatores mencionados previamente: (i) estratégia de crescimento agressiva, em 2007 e 2008, levando a altos níveis de alavancagem; (ii) dívidas indexadas predominantemente em dólares americanos, bem como, exposição em contratos de hedge cambial, em um cenário de desvalorização significativa da moeda brasileira; e (iii) perdas operacionais significativas como resultado dos elevados preços da matéria-prima, e expansão da produção em momento de preços deprimidos (janeiro e fevereiro de 2009), diferentemente do histórico esperado, no contexto da crise financeira mundial e do seu impacto direto no Independência, causaram um aumento significativo nas suas dívidas e em seus níveis de liquidez, levando a Empresa à sua atual situação financeira. 13 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  15. 15. CONFIDENCIAL Dívida total - 27 de fevereiro de 2009 Detalhamento do total da dívida - % Dívida total Impostos e R$'000 Saldo % Ativos fixos (plantas) encargos sociais Outros 3% Rescisões Bancos 1.814.481 53% 1% Fornecedores trabalhistas 2% Notes 1.230.269 36% 1% Pecuaristas 172.422 5% Pecuaristas Outros Fornecedores 70.109 2% 5% Ativos fixos (plantas) 48.255 1% Impostos e encargos sociais 88.049 3% Bancos Rescisões trabalhistas 26.900 1% 52% Notes Total 3.450.485 100% 36% Fonte: Informações fornecidas pelo Independência Fonte: Informações fornecidas pelo Independência Posição da dívida total O saldo da dívida bancária é composto por 38 bancos. O total, incluindo notes, é de R$ 3.045 milhões. O saldo da dívida com fornecedores em 27 de fevereiro de 2009 é composto por 3.727 fornecedores. Este saldo inclui todas as dívidas com os fornecedores até a data do pedido de recuperação judicial (saldos vencidos e a vencer). As dívidas relacionadas a ativos fixos consistem de saldos em aberto relacionados à aquisição de cinco plantas: Rolim de Moura (RO), Colorado do Oeste (RO), Paraíso do Tocantins (TO), Santos (SP) e Guarani (Paraguai). Dívidas tributárias são divididas entre parcelamentos de impostos e impostos atrasados. O Funrural é o responsável pela maior parte da dívida tributária, representando 91,4% do total. As rescisões contratuais são provisões relativas às demissões de funcionários realizadas em abril e maio de 2009. 14 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.
  16. 16. CONFIDENCIAL Dívida com fornecedores - 27 de fevereiro de 2009 Faixa de valor R$'000 Quantidade Saldo % % Acum Qtd % % Acum Maior que R$ 1,000,000 60.593 25% 25% 29 1% 1% De R$ 500,000 para R$ 1,000,000 25.949 11% 36% 37 1% 2% De R$ 100,000 para R$ 500,000 96.217 40% 75% 477 13% 15% De R$ 50,000 para R$ 100,000 29.278 12% 87% 405 11% 25% De R$ 25,000 para R$ 50,000 16.775 7% 94% 454 12% 38% De R$ 10,000 para R$ 25,000 9.879 4% 98% 551 15% 52% De R$ 5,000 para R$ 10,000 1.857 1% 99% 261 7% 59% De R$ 1,000 para R$ 5,000 1.645 1% 100% 653 18% 77% Menor que R$ 1,000 336 0% 100% 860 23% 100% Total 242.531 100% - 3.727 100% - Fonte: Informações fornecidas pelo Independência 15 © 2009 KPMG Corporate Finance Ltda., uma sociedade limitada brasileira, e membro da rede KPMG de firmas independentes e afiliadas à KPMG Internacional, uma cooperativa suíça. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. KDMS 61765 KPMG e o logotipo da KPMG são marcas comerciais registradas pela KPMG International, uma cooperativa suíça.

×