Eshte Sos Salvem O Surf Maio11
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Eshte Sos Salvem O Surf Maio11

on

  • 801 views

Apresentação para "Turismo e Mar, 2.000km de Oportunidades" na Escola Superior Hotelaria e Turismo do Estoril sobre oportunidades do Surf

Apresentação para "Turismo e Mar, 2.000km de Oportunidades" na Escola Superior Hotelaria e Turismo do Estoril sobre oportunidades do Surf

Statistics

Views

Total Views
801
Views on SlideShare
799
Embed Views
2

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

2 Embeds 2

http://www.linkedin.com 1
https://www.linkedin.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Eshte Sos Salvem O Surf Maio11 Eshte Sos Salvem O Surf Maio11 Presentation Transcript

  • 31 Maio 2011
  • Conteúdo - O que é o S.O.S. - Ondas em perigo ?!? - E quanto vale uma onda ? - O posicionamento de um destino de surfManuel Valadas Preto 2 31 Maio 2011
  • As ações do S.O.S. são orientadas por princípios bem definidos O S.O.S. “Salvem O Surf” é uma Organização Não Governamental Ambiental, com um perfil técnico muito forte, que tem como objetivo principal resolver problemas que ameacem o surf, mas também desenvolver os desportos de ondas Esforça-se por resolver os problemas de forma construtiva, guiado pela necessidade de aumentar a consciência sobre a importância do surf, e a vontade de maximizar o valor para todas as partes envolvidas • Proteção e preservação das ondas • A criação de Patrimónios Nacionais de Surf e apoio a Reservas Mundiais de Surf • Inclusão dos ambientes de surf nos Estudos de Impacte Ambiental O EÇÃ • Monitorização do Ambiente e controlo da qualidade da Água T • Intervenção em obras costeiras potencialmente prejudiciais ao surf PRO • Preservação do surf em projetos de aproveitamento da energia das ondas • Salvaguardar os acessos às ondas (impedindo a privatização de praias) • Criação de recifes artificiais para a prática do surf ÃO • Promoção e apoio de estudos que promovam o desenvolvimento sustentável do surf LUÇ • Caracterização e monitorização das ondas nacionais EVO • Estudos socio-económicos para um melhor conhecimento do potencial do surf • Preservação da segurança, de surfistas e de banhistas, ao nível de ondas de surfManuel Valadas Preto 3 31 Maio 2011
  • O S.O.S. organizou vários eventos que, com bastante êxito, conseguiram aumentar a consciência para as ondas ameaçadas Medalha Municipal de Defesa da Natureza e Meio Ambiente pelo trabalho do SOS Carcavelos Eventos em Carcavelos e Figueira da Foz, incluindo o logo humano Parceria com a MUSA Apelo para o logo humanoManuel Valadas Preto 4 31 Maio 2011
  • O S.O.S. organizou vários eventos que, com bastante êxito, conseguiram aumentar a consciência para as ondas ameaçadasManuel Valadas Preto 5 31 Maio 2011
  • O ritmo de “1 onda de qualidade perdida por ano” em Portugal foi travado muito fruto das ações do S.O.S. PRINCIPAIS EQUIPA PERDA PERDA ZONA SURF REGIÃO TIPO DE CONSTRUÇÃO ANO QUALIDADES SOS ESTIMADA FINAL Pico de Açores Grande e longa Molhe portuário de pesca 2000 4 100% 100% Rabo de Peixe Direita do Madeira Tubular e longa Paredão para marina 2001 2 100% 40% Lugar de Baixo Direita de Kirra Alentejo Tubular e longa Molhe portuário comercial 2002 1 100% 100% Santo Amaro de Lisboa Tubular e longa Pontão de retenção areias 2003 20 50% 30% Oeiras Picos da Lisboa Múltiplos beach breaks Pontões de retenção areias 2004 6 20% 10% Costa de Caparica Direita Madeira Grande e longa Paredão de proteção costeira 2005 2 50% 50% Jardim do Mar Picos de Carcavelos Lisboa Beach break tubular Pontões de retenção areias 2005 30 30% 0% Esquerda de Madeira Grande e longa Piscina com molhe 2005 2 100% 100% Ponta Delgada Esquerda do Porto Tubular Molhe de proteção costeira 2006 1 100% 100% Cabedelo do Douro Esquerda do Cabedelo da Centro Grande e longa Molhe portuário comercial 2009 12 50% 50% Figueira da Foz Pico de Açores Tubular Molhe portuário comercial 2010 2 100% -% Santa Catarina S. Torpes Alentejo Beach break Molhe portuário comercial 2011 4 50% -% Esquerda de Açores Longa Molhe portuário de pesca 2010 4 100% -% Rabo de PeixeManuel Valadas Preto 6 31 Maio 2011
  • Ao diversificar na prevenção pro-ativa do nosso surf, conseguimos reduzir o número de ondas danificadas Temos atualmente a decorrer uma série de ações urgentes diretamente relacionadas com a preservação da qualidade de ondas de alta categoria – S.O.S. S. Torpes, Sines – onda ameaçada pela extensão de um molhe de portoDEFENDER – S.O.S. Rabo de Peixe, Açores – onda ameaçada pela construção de um molhe de porto reativo – Santa Catarina, Açores – onda ameaçada pela construção de um molhe e pela poluição – Despoluição da onda do Molhe Leste em Peniche – onda irmã de Supertubos, e onde se realizaram provas do circuito mundial, ameaçada pela poluição de um ribeiro Adicionalmente, temos uma série de outros projetos que têm o objetivo de aumentar a consciência do surf em Portugal e a importância da preservação das nossas ondas – Apoiar a criação e candidatura de Reservas de Surf – com o apoio do S.O.S. e sob o auspicio daPREVENIR World Surfing Reserves, a Ericeira é a 1ª reserva de surf na Europa e o Cabo Mondego candidato pro-ativo – Plano Estratégico Nacional de Surf – O S.O.S. está a produzir um documento que apoia o posicionamento do surf como de importância estratégia para a economia nacional indicando o que é necessário para desenvolver de forma sustentada este desporto Outros estudos académicos e pesquisas são regularmente propostos por indivíduos com interesse no surf e no ambiente e onde o S.O.S. pode colaborar com o conhecimento diverso a que tem acesso APOIAR – Entender o perfil dos surfistas; relevante para municípios, fornecedores de serviços e empresas de forma a entender o potencial de investimentos, patrocínios e campanhas de marketingdesenvolvi_ – Metodologia para avaliar economicamente ondas de classe mundial de forma a fornecer aos mento políticos locais, comunidades surfistas etc. ferramentas para defender as suas ondas – Tese de mestrado sobre a preservação da qualidade da água em zonas de surf – Artigos em jornais e revistas, participação em conferências etc. Nota: em Fevereiro de 2011Manuel Valadas Preto 7 31 Maio 2011
  • Em Peniche escolheu-se a onda... mas foi por pouco- Desejo político de construir Porto de águas profundas em Peniche - Aposta no surf e desenvolvimento da marca A onda de Supertubos está hoje avaliada num potencial - Consagração das de €100 milhões / ano ondas de Peniche ! Manuel Valadas Preto 8 31 Maio 2011
  • A prática de surf não necessita infraestruturas nem manutenção, apenas respeito pelo trabalho já feito pela natureza Grandes Opções do Plano CMC(2) Natação 5,8% €1,7m Futebol 8,5% €2,5m Carta de Desporto Surf é dos desportos Desporto e Oeiras: mais baratos para Tempos Livres Complexos €11,5 SURF uma autarquia Desportivos 39,2% Carta Desportiva €29,3 milhões Lisboa: Outros e geral €13,6m SURF SURF 46,5% Carta de Desporto Parque Natural de Litoral 12,4% €2,2m Meio Ambiente Sintra Cascais: SURF  cerca de 30.000 (1) praticantes de surf €17,8 milhões Qualidade e €15,6m Zonas Verdes SURF €1.600 (3)  87,6% O SURF é um desporto muito “barato”, que não se paga para praticar, onde as instalações já existem e não necessitam cuidados de manutenção especiais. No entanto, os responsáveis não se podem esquecer que a costa tem um valor incalculável: Se tivessem de ser construídas, as ondas seriam a infraestrutura desportiva mais cara do país(1) Que praticam pelo menos uma vez por semana (2) Investimentos realizados e planeados 2010-14 (3) Recife Artificial S. Pedro Estoril Manuel Valadas Preto 9 31 Maio 2011
  • A oferta de surf de Portugal é única em toda a Europa e é já uma valiosa fonte de receitas • Se Portugal recebesse tantos surfistas turistas internacionais como tem de surfistas nacionais (cerca de 100.000) o país ganharia cerca de € 3.000 milhões / ano • Em média, cada onda danificada ou inutilizada pode custar ao país cerca de €100 milhões / ano (valor potencial) • Ao danificar-se o litoral, está-se a atacar o turismo que vem a Portugal principalmente pela beleza da nossa costaManuel Valadas Preto 10 31 Maio 2011
  • As marcas também já entenderam o valor do surf e utilizam-na mesmo como elemento “prestige”Manuel Valadas Preto 11 31 Maio 2011
  • A onda deixa de ser um turismo barato convertendo-se numa industria que inclui uma variedade de nichos, incluindo o de luxo • Forbes (a revista dos multimilionários) selecionou os 10 destinos de surf mais luxuosos • Bilbao / Mundaka é referido pela sua oferta cultural e gastronómica • O suplemento sobre luxo FT Weekend, escreveu uma página inteira sobre surf em Peniche • Apareceu ao lado de artigos de luxo como relógios de ouro da Dior e veículos da Aston Martin Pelo seu fácil acesso à cultura, e com uma excelente oferta hoteleira e gastronómica, o Estoril tem presença no segmento de surf de luxoManuel Valadas Preto 12 31 Maio 2011
  • A importância das ondas nas economias locais são objecto de estudo de entidades conceituadas… •A Oregon State University, junto com a “Save the Waves”, está a desenvolver um estudo do impacto económico do surf e a sua utilização como uma ferramenta de marketing da região •As regiões de Mundaka em Espanha e a Costa Rica foram os destinos escolhidos para o estudo •No caso de Mundaka, está a avaliar-se o impacto negativo na economia local causado pela desaparição temporária da famosa onda (devido à negligência na limpeza da sua costa)Manuel Valadas Preto 13 31 Maio 2011
  • … e Santa Cruz, na Califórnia estima o valor da sua industria do surf em cerca de 100milhões US$ •A California State University, estimou em cerca de 8,4 milhões de US$ anuais o valor económico neto de Pleasure Point, um dos seus surf spots •O método utilizado foi o do Travel Cost Modeling (TCM) que é regularmente utilizado para calcular o valor monetário de destinos turísticos com base no numero de visitantes e no valor dispensado na economia local •Como referencia, o Pleasure Point é visitado por uma média de cerca de 400 surfistas diários •O surf é responsável por cerca de 100milhões US$ anuais enquanto o turismo no seu total traz 540milhões US$. No entanto, sem o surf, o turismo no seu todo perderia o seu significado •Santa Cruz envolveu-se num processo legal com a vizinha Huntington Beach para defender a designação de “Surf City”Manuel Valadas Preto 14 31 Maio 2011
  • Cascais, Peniche e Ericeira (Mafra) são quem mais aposta no surf, mas cada qual no seu segmento próprio • Berço do surf nacional •Praia urbana • Líder em competência técnica (RecifeCascais •Berço do surf e de Artificial de S. Pedro Estoril) campeões • Praia com uma das maiores densidade de •Surf lúdico surfistas no mundo (Carcavelos que pode receber até 2.000 / dia, 500 ao mesmo tempo !) • Organiza a competição de surf mais •Turismo importante do paísPeniche internacional de surf (surf camps) • 1° Centro de Alto Rendimento de surf •Grandes • Região pode receber até 20.000 campeonatos surfistas / dia dos quais cerca de metade serão estrangeiros... • ...muito relevante para a economia •Praias sub-urbanas • Leva a questão ambiental muito a sério:Ericeira •Ambiente (1a • 2ª Reserva Mundial de Surf do mundo ! Reserva Mundial • Casa do único surfista Português presente de Surf) no circuito mundial •Surf técnico • Sede de várias marcas de surf (Quiksilver, Billabong, Ericeira Surf Shop etc) Não esquecendo: Açores, Figueira da Foz, Nazaré, Sagres... Manuel Valadas Preto 15 31 Maio 2011
  • http://salvemosurf.org/ salvemosurf@gmail.comRua da Feitoria, Pavilhão Desportivo dos Lombos, Espaço 19, 2775 – 568 Carcavelos, PORTUGAL +351 914 152 581 / +351 917 075398Manuel Valadas Preto mecenato_sos@gmail.com
  • No centro do S.O.S. está uma forte equipa, com competências diversas, do Desporto às Ciências e Negócios, educados nas melhores ondas e escolas Equipa Central Pedro Adão e Silva é Doutorado emAcademia Pedro Bicudo é o Presidente do Ciências Sociais e Políticas e é S.O.S., e o responsável pela Economia professor de Políticas Públicas. É Engenharia Costeira e Reservas uma figura pública, comentador de de Surf. É Doutorado em Física TV e rádio e colunista no jornal Teórica. Liderou o 1º projeto de um Expresso e revista Surf Portugal recife de surf na Europa João de Macedo, além de dominar as maiores ondas do planeta, é Ana Horta é elemento da Equipa de Economista e embaixador das Ambiente e a responsável do S.O.S.Ambiente Reservas Mundiais de Surf “Save the como ONGA. É Doutorada em Waves” em S.Francisco. Tem um Ambiente Lóbi Mestrado em Gestão Desportiva Rita Marteleira é a elemento ativa do Pedro “Pecas” Monteiro fundou o S.O.S. e membro da Equipa SOS e é responsável pelos Eventos Ambiental. Está a completar um e Desporto. É o nosso campeão de Mestrado em Engenharia Ambiental surf, treinador e uma respeitada figura no mundo do surf Manuel Valadas Preto é oEmpresas Desporto responsável pelo Mecenato e Guilherme Garcia “Gui” leva a Relação com Empresas. Relação com a Imprensa e também Consulta para multinacionais e start- a página internet. Co-fundou o ups e tem um MBA da London S.O.S. Além de instrutor de surf, Gui Business School escreve novelas e em blogs de surf O S.O.S. é único uma vez que a sua equipa técnica encontra-se na vanguarda de estudos de engenharia costeira, recifes artificiais e economia do surf e consegue, assim, resolver problemas relacionados com a preservação das ondas a partir de uma fase inicial, propondo diretamente soluções amigas do surf aos governos locais e nacionais, à população e aos promotores de obras costeiras A equipa do S.O.S. é dinâmica e inclui uma rede de colaboradores voluntários peritos em áreas relevantes Manuel Valadas Preto 17 31 Maio 2011