NOVA EDIÇÃO                                                                                   INFORMÁTICA                 ...
NOVA EDIÇÃO                                                                                      INFORMÁTICAputador as fer...
NOVA EDIÇÃO                                                                                    INFORMÁTICAdesligar o compu...
NOVA EDIÇÃO                                                                                    INFORMÁTICAComportamento da...
NOVA EDIÇÃO                                                                                    INFORMÁTICA                ...
NOVA EDIÇÃO                                                                                     INFORMÁTICA    /local Hier...
NOVA EDIÇÃO                                                                                             INFORMÁTICA/dev/hd...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Livro 2 linux

536 views
478 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
536
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Livro 2 linux

  1. 1. NOVA EDIÇÃO INFORMÁTICA SISTEMA LINUX sozinho, ele enviou a seguinte mensagem para comp.os.minix:Introdução Você suspira por melhores dias do Minix-1.1, quan- do homens serão homens e escreverão seus pró- O Linux é um clone UNIX de distribuição prios "device drivers" ? Você está sem um bomlivre para PCs baseados em processadores projeto e esta morrendo por colocar as mãos em386/486/Pentium. um S.O. no qual você possa modificar de acordo O Linux é uma implementação independen- com suas necessidades ? Você está achando frus-te da especificação POSIX, com a qual todas as trante quando tudo trabalha em Minix ? Chega deversões do UNIX padrão (true UNIX) estão conven- atravessar noites para obter programas que traba-cionadas. lhem correto ? Então esta mensagem pode ser exa- O Linux foi primeiramente desenvolvido tamente para você.para PCs baseados em 386/486/Pentium, mas atu-almente também roda em computadores Alpha da No dia 5 de outubro de 1991 Linus TorvaldsDEC, Sparcs da SUN, máquinas M68000 (semelhan- anunciou a primeira versão "oficial" do Linux, ver-tes a Atari e Amiga), MIPS e PowerPCs. são 0.02. Desde então muitos programadores têm O Linux foi escrito inteiramente do nada, respondido ao seu chamado, e têm ajudado a fazernão há código proprietário em seu interior. do Linux o Sistema Operacional que é hoje. O Linux está disponível na forma de códigoobjeto, bem como em código fonte. AS DISTRIBUIÇÕES DE LINUX O Linux pode ser livremente distribuído nostermos da GNU General Public License (veja apên- Algumas firmas e organizações de voluntários deci-dice). diram juntar os programas do Linux em “pacotes" O Linux possui todos as características que próprios aos quais elas dão suporte. Esses “paco-você pode esperar de um UNIX moderno, incluindo: tes" são chamados distribuições, dentre as mais famosas e usadas, destacam-se: Debian, RedHat, Multitarefa real Slackware, SuSE, Caldera e Stampede. Memória virtual Biblioteca compartilhada AMBIENTE KDE "Demand loading" Gerenciamento de memória próprio KDE: Na verdade, não é um Window Manager, mas Executáveis "copy-on-write" compartilhados sim um ambiente composto por um Window Mana- Rede TCP/IP (incluindo SLIP/PPP/ISDN) ger: kwm e vários aplicativos como o kfm (file ma- X Windows nager dragn drop), kview (visualizador de gráficos) e o kedit (editor de textos) para citar alguns. Visu- A maioria dos programas rodando em Linux almente parecido com a interface do Windows, massão freeware genéricos para UNIX, muitos proveni- com muitos mais recursos. É bastante popular aquientes do projeto GNU. no Brasil. Muitas pessoas têm executado benchmarksem sistemas Linux rodando em 80486, e tem acha- Ambiente de Trabalhodo o Linux comparável com workstations médias daSun e da Digital. O que é um ambiente de trabalho ? Onde ele fica? O Linux está disponível através da Internet Simplificadamente, podemos dizer que assim quepor meio de centenas de sites FTP. conseguimos ver alguma coisa na tela do computa- O Linux está sendo usado hoje em dia por dor já estamos utilizando um ambiente de trabalho.centenas e centenas de pessoas pelo mundo. Está Quando esse ambiente possui imagens, ícones esendo usado para desenvolvimento de softwares, desenhos, dizemos que se trata de um ambientenetworking (intra-office e Internet), e como plata- gráfico, ou seja, através de cliques em ícones eforma de usuário final. O Linux tem se tornado uma atalhos, ou através do teclado, podemos solicitar aoalternativa efetiva de custo em relação aos caros computador que a realização de alguma tarefa a-sistemas UNIX existentes. través dos programas que estão instalados na má- quina.Historia do Linux O principal programa instalado no computador é o que chamamos de sistema operacional e sua função O Kernel do Linux foi, originalmente, escrito é realizar a comunicação entre a máquina e o usuá-por Linus Torvalds do Departamento de Ciência da rio.Computação da Universidades de Helsinki, Finlân- Atualmente, os sistemas operacionais tentam im-dia, com a ajuda de vários programadores voluntá- plementar interfaces (o que é mostrado no monitorrios através da Internet. do computador) cada vez mais amigáveis. Isto é Linus Torvalds iniciou cortando (hacking) o possível com a utilização de telas gráficas, compos-kernel como um projeto particular, inspirado em tas por ícones, janelas e botões.seu interesse no Minix, um pequeno sistema UNIXdesenvolvido por Andy Tannenbaum. Ele se limitou Existem vários ambientes gráficos diferentes. Nessea criar, em suas próprias palavras, "um Minix me- treinamento o utilizaremos o ambiente KDE, soft-lhor que o Minix" ("a better Minix than Minix"). E ware livre destinado a fornecer ao usuário do com-depois de algum tempo de trabalho em seu projeto, 20
  2. 2. NOVA EDIÇÃO INFORMÁTICAputador as ferramentas necessárias para que elepossa utilizar os recursos disponíveis. Dentre estes ícones, um é muito importante: o Lixo. Este ícone é utilizado para se remover arqui-KDE - Significa basicamente, K Desktop Enviro- vos e pastas, ou recuperar arquivos e pastas apa-ment. O K não tem função especial, a não ser por gados.ser a letra que vem imediatamente antes de L, deLinux. Tem amplo suporte a temas, além de diver- Painelsos aplicativos escritos especialmente para ele. Ele Geralmente, o painel está localizado na parte deé mais ou menos assim: baixo da tela. A partir dele é possível iniciar pro- gramas e trocar de área de trabalho. O painel é Visão da área de trabalho do ambiente KDE formado de diversas partes. A seguir são apresen- tadas estas partes. Botão K Este botão é muito importante. A partir dele po- dem-se iniciar as diversas aplicações do sistema e também configurar o sistema operacional. Para iniciar um programa basta clicar com o botão direito sobre o botão K, arrastar o mouse para a categoria de programa que se deseja executar e clicar uma vez, com o botão esquerdo, sobre o pro- grama . Barra de ícones Para facilitar o início da execução de aplicações muito utilizadas existe a barra de ícones. Ali são colocados os ícones que disparam as aplicaçõesNota: Uma vez entendido como funciona um ambi- mais comuns do sistema. É possível acrescentarente de trabalho, o usuário pode aprender mais novas aplicações, de acordo com as necessidadesfacilmente qualquer outro tipo de ambiente. de cada usuário. Para executar uma destas aplica- ções basta clicar sobre o ícone correspondente.Como se pode perceber, assim como no Windows, o Botões das áreas de trabalhoKDE possui uma barra onde ficam alojadas o menu Existem quatro botões numerados no seu painel.(iniciar no Windows), e que pode variar de diversas Cada botão representa uma área de Trabalho. Istomaneiras no KDE: quer dizer que existem quatro áreas de trabalho onde as aplicações podem ser executadas. O obje- tivo destas áreas é organizar melhor o ambiente de trabalho. Quando se utiliza várias aplicações ao mesmo tempo, a tela se torna muito COMPONENTE DA ÁREA DE TRABALHO confusa, poluída. A idéia é que se distribua as apli- cações pelas diversas áreas de trabalho.Toda pessoa que trabalha com atividades de escri-tório tem uma mesa de trabalho. Lista de tarefasEla é o local onde se colocam os papéis ou os obje- O painel apresenta uma lista de aplicações quetos que permitirão que o trabalho seja realizado. estão ativas no momento. Se a janela da aplicaçãoNo computador também existe uma mesa de traba- estiver aberta e se clicar no botão correspondente alho. Esta mesa é comumente chamada de área de uma aplicação, esta será minimizada. Clicando no-trabalho. Quando um usuário inicia uma sessão, lhe vamente, a aplicação será restaurada.é apresentada a sua área de trabalho. Nesta área Clicando na flecha que se encontra no lado esquer-de trabalho estarão dispostos ícones que represen- do desta lista de tarefas, visualizam-se todas astam diversos componentes do computador, tais aplicações que estão rodando em cada uma dascomo, programas, arquivos, pastas, discos, etc. áreas de trabalho.O usuário pode modificar os componentes da suaárea de trabalho conforme for mais adequado para Cadeadoo desempenho das suas funções. Esta seção apre- Existe um ícone com a forma de um cadeado. Estesenta os componentes principais da área de traba- ícone serve para se bloquear o ambiente de traba-lho. lho. Ao clicar com o botão esquerdo sobre ele, a tela será bloqueada e só será possível voltar a utili-Ícones zar o computador digitando-se a senha correspon-Ícones são pequenos desenhos que representam dente. Isto é utilizado quando se quer sair da frentealgum elemento do computador. do computador, sem encerrar todas as aplicações, ePor exemplo, arquivos, pastas e programas são não se deseja que outro usuário use o computador.representados por ícones. A área de trabalho écomposta por diversos ícones. Clicando sobre o Botão desligaícone, você estará disparando um programa, aces- Existe um botão semelhante à chave de liga/desligasando um texto, ou mesmo lendo um manual. de aparelhos eletrônicos. Este botão não serve para 21
  3. 3. NOVA EDIÇÃO INFORMÁTICAdesligar o computador, mas para encerrar umasessão. Sempre que o usuário terminar as suas Barra de ferramentas, de comandos e de fun-atividades, deve sair da sua sessão para que outro ções (barra de ícones)usuário não possa modificar os seus arquivos. As principais tarefas executadas a partir da barraRelógio de menus, em determinada aplicação, podem serNo canto direito do painel existe um relógio. acessadas a partir de ícones localizados em barras de ícones. As barras de ícones podem ser colocadasSetas em outra posição dentro da janela. Para fazer isto,A seta bem da direita serve para "recolher" o pai- basta clicar com o botão direito sobre a barra enel. As outras duas setas servem para se visualizar utilizar as funções disponíveis.pedaços do painel que não apareçam por falta deespaço na tela. Como movimentar uma janela A barra de título é utilizada para se mover umaJanelas janela na área de trabalho. Para realizar esta fun-Quando uma aplicação é iniciada, ela é apresentada ção, deve-se posicionar o mouse sobre a barra decomo uma janela. Por isso, todas as aplicações têm título, pressionar o botão esquerdo, mantê-lo pres-características visuais comuns. Todas as aplicações sionado, e mover o mouse para a posição em quetêm a mesma "cara". O usuário que controla uma se deseja posicionar a janela. Uma vez na posiçãojanela tem grande facilidade de utilizar qualquer correta, solta-se o botão.aplicação.Como exemplo de aplicação é utilizado, nesta parte CENTRO DE CONTROLE DO KDEdo curso, um editor de textos que pode ser dispa- Não é tão semelhante quanto ao já manjado Painelrado a partir do botão K, em Editores, Editor de de Controle do Windows, mas é também tão intuiti-textos. vo quanto. O motivo, é que o Centro de Controle do KDE possui muitas opções, trataremos aqui somen-Barra de título te da configuração da área de trabalho.A barra de título de uma janela é a parte da janelamais superior, geralmente azul, que apresenta o Ambiente de Trabalhonome da aplicação que está sendo executada. Cli-cando-se com o botão esquerdo duas vezes sobreesta barra, a janela será recolhida. Permanecendona área de trabalho apenas a barra de títulos. Cli-cando novamente duas vezes sobre a barra, a jane-la será aberta.No lado esquerdo da barra de título existe um bo-tão que permite fechar a aplicação também.Botões do canto superior direitoExistem 3 botões no canto superior direito de umajanela. Estes três botões servem para realizar asfunções de minimização, maximização e fechamen-to.O botão mais da direita, semelhante à letra x, fechaa janela. A aplicação pára de ser executada.O botão do meio, semelhante a um quadrado, ma-ximiza a janela. Maximizar é expandir a janela paraque ela ocupe toda a área de trabalho. Quandouma janela está maximizada, o quadrado é substi- Nesse setor, poderemos configurar diversas op-tuído por dois quadrados sobrepostos. Clicando ções, a saber:novamente neste botão, a janela retornará ao ta-manho original. Barra de TarefasO botão mais da esquerda, semelhante a um ponto, É aquela que, geralmente, se encontra na parteminimiza a janela, isto é, esconde a janela, deixan- inferior do monitor. Bem parecida com a barra dodo apenas o ícone na lista de tarefas. A aplicação Windows e Mac, mantém atalhos para aplicações,continua sendo executada e para que a sua janela lista de janelas abertas, etc.seja vista novamente basta clicar no ícone corres-pondente, da lista de tarefas.Barra de menuCada aplicação serve para uma determinada tarefa. ComportamentoDesta forma, as aplicações apresentam funções Permite programar diversas funções, tais como:diferentes. Estas aplicações, via de regra, apresen- exibir ícones na área de trabalho, mostrar dicas,tarão uma barra de menus e um conjunto de sím- ativar menu suspenso, dentre outras.bolos de ferramentas para que você possa utilizá-la. Esta barra de menu apresenta-se abaixo dabarra de título. 22
  4. 4. NOVA EDIÇÃO INFORMÁTICAComportamento da Janela CoresConfigura a atuação da janela que exibe o progra- Aqui você define a cor predominante.ma, permitindo alterar, por exemplo, a ação doduplo clique do mouse sobre o enfeite superior dajanela, entre enrolar, maximizar, etc. Decorações da Janela Define as decorações da janela (superior)Configuração do MenuO KDE possui uma interessante ferramenta queprocura, no disco rígido, programas que estãoinstalados, conhecida como "kappfinder". Não obs-tante, você pode querer editar diretamente o me- Estilonu, para incluir alguma aplicação que não foi inclu- Estilo (botões, barra de carga (porcentagem), etc.ída por um motivo qualquer. Além disso, esse itempermite que você defina como o menu será exibi-do, com uma série de recursos interessantes. Fontes Define as fontes a serem utilizadas pelo ambiente KDE. Os demais ambientes (como o GNOME, Win- dowMaker, etc., possui ferramentas próprias paraMúltiplos Ambientes de Trabalho. isso, ou utilizam o que o sistema gráfico disponibi-O Linux tem uma característica bastante interes- liza por padrão.sante: permite que, em uma mesma máquina,possa haver diferentes ambientes de trabalho.Desta maneira, você pode manter separados di-versos processos que estiverem em andamento,em janelas separadas. Muito útil para quem, porexemplo, está navegando na internet e ripando um Fundo de Telacd de áudio ao mesmo tempo. Desta maneira, uma É o que conhecemos como "Papel de Parede" ematividade não interfere na outra e você pode optar outros sistemas. Obviamente, a definição dadapor qual das duas você irá se dedicar e qual ficará pelo KDE é mais lógica.a cargo da máquina, sem lhe incomodar. Lançador Rápido HistóricoPainéis Habilita a ação do mouse quando um programaAqui você define a forma e ações do Painel, ou está carregando, além da indicação na barra deKicker, como é mais conhecido. Posição, tamanho, tarefas.ocultação, dentre outras opções disponíveis. Protetor de TelaAparência e Temas Muito conhecido também como "screensaver", permite definir o protetor, quando este irá funcio-Como o próprio nome já diz, define qual será a nar, etc."cara" do seu KDE. A possibilidade, que falamos noinício, de transformar a aparência do seu Linux emum Windows, um Macintosh ou mesmo o "seu"KDE, com uma aparência única. Tela de Apresentação É aquela tela que aparece enquanto o KDE está sendo carregado. Também conhecido como "spla- sh". É possível também adicionar novas telas. Ícones Permite definir quais ícones você irá utilizar e, ainda, adicionar novos ícones. 23
  5. 5. NOVA EDIÇÃO INFORMÁTICA esforço conjunto de padronização chamado de Linux File System Standard (LFSSNTD). Essa pa- dronização não é fechada e visa ser uma referência ESTRUTURA DE DIRETÓRIOS para por desenvolvedores e usuários de Linux.Pode instalar, remover programas, criar, remover / - Onde são montados outros diretórios e ondediretórios e arquivos, enfim, tudo que é necessário fica o kernel ou, pelo menos, um link para opara a administração do sistema. diretório boot.O Sistema de Arquivos /bin - Contém comandos essenciais que são usados tanto pelo administrador do sistema comoO sistema de arquivos do Linux se caracteriza por pelos usuários, como por exemplo: cat, cp, date,uma estrutura hierárquica e de proteção dos ar- more etc.quivos.Ele é semelhante a maioria dos sistemas UNIX /dev - Contém uma entrada para cada dispositi-existentes. vo (periférico) do sistema. No Linux, cada hardwa- re tem um device ou arquivo associado. Por exem-A Estrutura de diretórios plo, a primeira IDE é /dev/hda e dentro dela a primeira partição é /dev/hda1, a segundaA estrutura de diretórios do Linux tem um diretório /dev/hda2. O sequencer da placa de som é oraiz e diretórios filhos. /dev/sequencer. /etc - Guarda arquivos e diretórios de configura- ção que são locais ao computador. Não existem arquivos binários nesse diretório. /etc X11 configuração do Xwindow skel esqueleto de configuração do usuário (contém os arquivos que são copiados pa- ra cada usuário quando da criação da sua conta). /home - Diretórios de arquivos dos usuários. /lib - Bibliotecas do sistema, como por exemplo a biblioteca da linguagem C. /mnt - Diretório para montar sistemas de arqui- vos temporariamente. /proc - Sistema de arquivos que mantém infor- mações sobre os processos, memória, CPU e esta- do do sistema. /root - Diretório home do root (opcional), po-Cada nó dessa árvore é um arquivo ou diretório dendo ser /home/root.que contém arquivos. Você pode especificar umarquivo ou diretório pelo caminho completo (abso- /sbin - Binários essenciais do sistema: shut-luto). down, fdisk, reboot, update./ Diretório raiz /tmp - Arquivos temporários. Geralmente, lim-/bin Comandos essenciais pados a cada inicialização do sistema./boot Arquivos de boot/dev Arquivos de dispositivos /usr - Outro sistema de arquivos dentro do sis-/etc Arquivos de configuração do sistema temas de arquivos, compartilhável e somente de/home Arquivos dos usuários do sistema leitura./lib Bibliotecas compartilhadas /usr/mnt Diretório para montar partições temporaria- /X11 X Window System, versão 11 – releasemente 6/proc Informações sobre processos do sistema /bin A maioria dos comandos/root Diretório home do administrador do sistema /dict Lista de dicionários/sbin Arquivos executáveis essenciais ao sistema /doc Documentação de programas/tmp Arquivos temporários /games Jogos e programas educacionais/usr Outra hierarquia secundária /include Arquivos de inclusão usados por/var Dados variáveis programas escritos em CCada diretório guarda arquivos específicos. A or- /info Informação sobre programasganização de diretórios no Linux é resultado de um /lib Bibliotecas dos programas 24
  6. 6. NOVA EDIÇÃO INFORMÁTICA /local Hierarquia local (para programas ex- este disquete em uma máquina que roda Windows, tras) deve utilizar a opção DOS. /man Manuais online dos programas Existem dois tipos de formatação, uma que apenas /sbin Programas para o administrador, não apaga o conteúdo atual do disquete e outra que essenciais ao sistema altera realmente a disposição das trilhas magnéti- /share Dados independentes de arquitetura cas. A primeira é mais rápida, mas a segunda deve /src Código fonte de programas (onde fica o ser executada quando o disquete apresenta uma fonte do kernel) formatação anterior incompatível com a que se deseja. Por último, pode-se dar um rótulo ao dis- var - Contém arquivos de dados variáveis. Isso quete.inclue os diretórios de spool, dados administrativos É importante saber que, uma vez formatado, não ée de logging e arquivos temporários e transientes. possível recuperar os dados anteriores de um dis-O /var foi criado para ser possível montar o /usr quete.somente de leitura. /var dd - Copia discos /catman Páginas de manuais formatadas fdformat - Formata um disco /lib Informação de estado dos programas /lock Arquivos de lock /log Arquivos e diretórios de logging Formatando Discos /named Arquivos de DNS /nis Banco de dados de NIS (Network Infor- ●Comando fdformat para a formatação física de um diske- mation Service) te. ●Comando mkfs -t <tipo> para a formatação lógica. /run Arquivos relevantes para processos que ●Comando mformat como alternativa para disketes. estão sendo executados ●Esses comandos estão em /sbin ou em /usr/sbin /spool Diretórios e arquivos em fila para pos- terior uso Para formatar disquetes para serem usados no GNU/Linux /tmp Arquivos temporários. Usado para use o comando: manter o /tmp pequeno `mkfs.ext2 [_-c_] [_/dev/fd0_]Uma instalação organizada em partições do Linuxem um HD de 850 Mbytes seria: Em alguns sistemas você deve usar `mke2fs no lugar de `mkfs.ext2. A opção `-c faz com que o `mkfs.ext2 50 MBytes para o diretório raiz (/) procure por blocos danificados no disquete e `/dev/fd0 500 MBytes para o diretório /usr especifica a primeira unidade de disquetes para ser forma- 50 MBytes de memória virtual (swap) tada (equivalente a `A: no DOS). Mude para `/dev/fd1 150 MBytes para o diretório dos usuários para formatar um disquete da segunda unidade. (/home) 50 MBytes para o diretório /tmp OBS: Este comando cria um sistema de arquivos 50 MBytes for /var _ext2_ no disquete que é nativo do `GNU/Linux e permite usar características como permissões de acesso e outras. Isto também faz com que o disquete NÃO possa ser lidoLembre-se do ditado: pelo `DOS/Windows. Para formatar um disquete no `G-"Se guardo todos os ovos em uma cesta são e ela NU/Linux usando o _FAT12_ (compatível com ocair, perco todos os meus ovos. Agora se os sepa- DOS/Windows) veja próxima seção.ro em várias cestas, a probabilidade de perdertodos é menor." Exemplo: `mkfs.ext2 -c /dev/fd0Por isso, tente separar seus diretórios em partiçõesdiferentes. Pontos de MontagemFORMATAÇÃO E CÓPIA DE DISCOS O `GNU/Linux acessa as partições existente em seus discos rígidos e disquetes através de diretórios. Os diretó-Como formatar um disquete rios que são usados para acessar (montar) partições são chamados de _Pontos de Montagem. Para detalhes sobreTodo o disquete precisa ser formatado antes de montagem de partições, veja Seção 4.5, `Montandousar. Hoje em dia, os disquetes já vêm formatados (acessando) uma partição de disco.de fábrica. No entanto, em algumas situações, tem- No `DOS cada letra de unidade (C:, D:, E:) identificase que reformatá-los. uma partição de disco, no `GNU/Linux os pontos de mon-Isto ocorre quando possuem uma formatação para tagem fazem parte da grande estrutura do sistema de arquivos raiz.outro tipo de computador.Para se formatar um disquete deve-se selecionar a Identificação de discos e partições em sistemas Linuxopção Formatador de disquetes. Deve-se escolher a No `GNU/Linux, os dispositivos existentes em seuunidade de disquete onde se encontra o disquete. computador (como discos rígidos, disquetes, tela, portasAtualmente se utiliza disquetes de 3,5 polegadas e de impressora, modem, etc) são identificados por um ar-quando existe apenas uma unidade de disquete, quivo referente a este dispositivo no diretório `/dev.esta é a unidade A:.A densidade deve ser escolhida de acordo com o A identificação de discos rígidos no `GNU/Linux é feitarótulo do disquete e o sistema de arquivos de acor- da seguinte forma:do com o uso de disquete. Se o usuário deseja ler 25
  7. 7. NOVA EDIÇÃO INFORMÁTICA/dev/hda1 Para gerar a imagem de um disco, seja disquete,| | || Zip-Disk, CD-ROM, HD, etc, basta utilizar o coman-| | ||_Número que identifica o número da partição no do dd. Veja abaixo a sintaxe correta: disco rígido.| || [usuario@localhost /]$ dd if=dispositivo_entrada| | |_Letra que identifica o disco rígido (a=primeiro, of=arquivo_saida b=segundo, etc...).| | BROWSER MOZILLA 1.2| |_Sigla que identifica o tipo do disco rígido (hd=ide, sd=SCSI, xd=XT).| Browser é o navegador a qual se usa para navegar|_Diretório onde são armazenados os dispositivos existen- na internet, existem vários. Como exemplo citamos tes no sistema. o Internet Explorer, o Netscape, Msn Explorer entre outros. Abaixo algumas identificações de discos e partições emsistemas Linux: O navegador da Internet * _/dev/fd0_ - `Primeira unidade de disquetes. Para podermos navegar ou passear pelas páginas da Internet é necessário utilizar um programa de * _/dev/fd1_ - `Segunda unidade de disquetes. computador denominado navegador. Normalmente nós solicitamos ao computador para utilizar um * _/dev/hda_ - `Primeiro disco rígido na primeira con- navegador através de clique (pressionamento datroladora IDE do micro (primary master). tecla do mouse) em ícones (pequenas imagens) que ficam localizadas na área de trabalho inicial * _/dev/hda1_ - `Primeira partição do primeiro disco (primeira tela que é exibida ao ligarmos o compu-rígido IDE. tador). Através de um programa navegador é pos- sível visitar páginas localizadas em muitos lugares * _/dev/hdb_ - `Segundo disco rígido na primeira do mundo.controladora IDE do micro (primary slave). Nota: O Mozilla é apenas uma das muitas opções * _/dev/hdb1_ - `Primeira partição do segundo disco de programas para navegar na Internet. Galeon,rígido IDE. Netscape, Konqueror são algumas de outras alter- nativas. O uso de todos eles é muito parecido. * _/dev/sda_ - `Primeiro disco rígido na primeira con-troladora SCSI. * _/dev/sda1_ - `Primeira partição do primeiro discorígido SCSI. * _/dev/sdb_ - `Segundo disco rígido na primeira con-troladora SCSI. * _/dev/sdb1_ - `Primeira partição do segundo discorígido SCSI. * _/dev/sr0_ - `Primeiro CD-ROM SCSI. * _/dev/sr1_ - `Segundo CD-ROM SCSI. * _/dev/xda_ - `Primeiro disco rígido XT. * _/dev/xdb_ - `Segundo disco rígido XT. As letras de identificação de discos rígidos podem iralém de `hdb, em meu micro, por exemplo, a unidade de 1. Barra de endereços: neste lugar digitamos oCD-ROM está localizada em `/dev/hdg (Primeiro disco - endereço das páginas que desejamos verquarta controladora IDE). É importante entender como os discos e partições são 2. Área de visualização: local onde aparecem asidentificados no sistema, pois será necessário usar os páginas da Internet. É a principal área da telaparâmetros corretos para monta-los. 3. Barra de status: mostra informações sobre aGerando a imagem de um disco conexão e localização dos sítios.Para gerar a imagem de um disco, seja disquete, Está localizada no rodapé da página.Zip-Disk, CD-ROM, HD, etc, basta utilizar o coman-do dd. Veja abaixo a sintaxe correta: Ao iniciar o navegador Mozilla, a página a ser car-[usuario@localhost /]$ dd if=dispositivo_entrada regada será o endereço que for determinado porof=arquivo_saida você, no próprio navegador, como sendo a sua página inicial. Em nosso caso estaremos utilizandoGerando a imagem de um disco como página inicial o sítio da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca da Presidência da Repúbli- ca. 26

×