Estudo de usuários: o perfil dos usuários da biblioteca da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

20,719 views

Published on

Trabalho apresentado no ano de 2009 para a disciplina "Gestão de Estoques Informacionais" ministrada pela Profª Maria das Mercês Apóstolo Pereira. A disciplina faz parte do curso de graduação em Biblioteconomia e Ciência da Informação da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo - FESPSP.

Published in: Education
1 Comment
5 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
20,719
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
304
Comments
1
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Estudo de usuários: o perfil dos usuários da biblioteca da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo

  1. 1. Adriano Mendes de OLIVEIRA Fabio MARTINS Héber Terra FERREIRA Thalita Manca PINTO Valdir Assis CASIMIRO
  2. 2. Adriano Mendes de OLIVEIRA Fabio MARTINS Héber Terra FERREIRA Thalita Manca PINTO Valdir Assis CASIMIRO Estudo de Usuários: o perfil do usuário da Biblioteca da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo Trabalho apresentado à disciplina de Gestão de Estoques Informacionais (5º Semestre Noturno), como requisito do Curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação – FESPSP (Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo). Orientadora: Profª. Maria das Mercês Apóstolo SÃO PAULO 2009
  3. 3. 3 O45e Oliveira, Adriano Mendes de Estudo de Usuários: o perfil do usuário da Biblioteca da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo [monografia] / Adriano Mendes de Oliveira et al. – 2009. vi, 75 f. : il. ; 30cm. Orientadora: Profª. Maria das Mercês Apóstolo Trabalho apresentado à disciplina de GEI - Gestão de Estoques Informacionais (5º semestre) do Curso de Biblioteconomia – Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Referência: f. 62 Apêndice – A (questionário): f. 66-64 Anexo: f. 65-77 1. Estudo de usuário. 2. Perfil de usuário. 3. Serviço bibliotecário. 4. Título – Monografia. I. Apóstolo, Maria das Mercês. II. Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo, Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação, GEI - Gestão de Estoques Informacionais. III. Casimiro, Valdir Assis. IV. Ferreira, Héber Terra. V. Martins, Fabio VI. Pinto, Thalita Manca.
  4. 4. RESUMO Esta pesquisa realizada no primeiro semestre de 2009, com 24 usuários da biblioteca de Escola de Sociologia e Política de São Paulo – ESPSP, tem como propósito levantar dados relevantes quanto ao perfil do usuário, bem como a sua percepção referente aos serviços disponibilizados. Foi utilizado como instrumento de pesquisa um questionário (com perguntas fechadas), elaborado pelo grupo de alunos da disciplina de Gestão de Estoques Informacionais, do 5º semestre do Curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação. Os dados obtidos através dos questionários respondidos foram tabulados e representados em ilustrações gráficas neste trabalho. Palavras-chave: Estudo de usuário; Perfil do usuário; Serviço bibliotecário. ABSTRACT This research carried out in the first half of 2009, with 24 users of the library, School of Sociology and Politics of São Paulo - ESPSP, is to raise relevant data on the profile, as well as their perceptions regarding services provided. Was used as a tool to search a questionnaire (with closed questions), prepared by the group of students in the discipline of Management of Informational Inventories of 5th semester of the Course of Librarianship and Information Science. The data obtained from the questionnaires answered, were tabulated and represented in graphical illustrations in this work. Keywords: User studies; user profile; service librarian.
  5. 5. LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 1: Categorias dos usuários 26 Gráfico 1.1: Horário do Curso 27 Gráfico 1.2: Semestre 28 Gráfico 2: Sexo dos usuários 29 Gráfico 3: Grupo etário dos usuários 30 Gráfico 4: Conhecimentos de idiomas 31 Gráfico 4.1: Conhecimentos de idiomas - Estágio 32 Gráfico 5: Horário de frequência dos usuários 33 Gráfico 6: Freqüência mensal na biblioteca 34 Gráfico 7.1.1: Condições gerais do prédio 35 Gráfico 7.1.2: Conteúdo do acervo 36 Gráfico 7.1.3: Equipamentos de informática 37 Gráfico 7.1.4: Ergonomia (acomodação confortável) 38 Gráfico 7.1.5: Guarda de volumes 39 Gráfico 7.1.6: Horário de atendimento 40 Gráfico 7.1.7: Iluminação 41 Gráfico 7.1.8: Lay-out (disposição das estantes) 42 Gráfico 7.1.9: Limpeza 43 Gráfico 7.1.10: Mobiliário 44 Gráfico 7.1.11: Sala de leitura 45 Gráfico 7.1.12: Temperatura ambiente 46 Gráfico 7.2.1: Catálogo on-line 47 Gráfico 7.2.2: Comut 48 Gráfico 7.2.3: Cordialidade no atendimento 49 Gráfico 7.2.4: Empréstimo domiciliar 50 Gráfico 7.2.5: Empréstimo entre bibliotecas 51 Gráfico 7.2.6: Navegação na página da biblioteca na web 52 Gráfico 7.2.7: Orientação à normalização acadêmica 53 Gráfico 7.2.8: Renovação de empréstimo on-line 54 Gráfico 7.2.9: Reserva de empréstimo on-line 55 Gráfico 7.2.10: Reserva de sala de estudos 56 Gráfico 7.2.11: Recuperação da informação catálogo on-line da biblioteca 57 Gráfico 8: Comentários (sugestão de melhoria; críticas; elogios) 58
  6. 6. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO.................................................................................................................... 7 2 OBJETIVOS........................................................................................................................ 8 2.1 Objetivo geral................................................................................................................... 8 2.2 Objetivos específicos ....................................................................................................... 8 3 METODOLOGIA ................................................................................................................. 9 4 ESTUDO DE USUÁRIOS ................................................................................................. 10 5 HISTÓRICO DA FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO 13 5.1 Missão e princípios da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo .......... 14 6 HISTÓRICO DA BIBLIOTECA DA ESP (Escola de Sociologia e Política) ......................... 16 7 A BIBLIOTECA ATUALMENTE......................................................................................... 17 7.1 Política de atualização do acervo ................................................................................... 17 7.2 Formas de acesso ......................................................................................................... 18 7.3 Área física ...................................................................................................................... 18 8 SERVIÇOS OFERECIDOS ............................................................................................... 19 8.1 Empréstimo.................................................................................................................... 19 8.2 Reserva ......................................................................................................................... 19 8.3 Renovação..................................................................................................................... 20 8.4 COMUT (Comutação bibliográfica) ................................................................................ 20 8.6 Orientação para normalização de trabalhos acadêmicos ............................................... 20 8.7 Visitas orientadas e capacitação de usuários................................................................. 21 9 A BIBLIOTECA NA WEB .................................................................................................. 22 10 EQUIPE .......................................................................................................................... 24 11 HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO E LOCALIZAÇÃO .................................................... 25 12 GRÁFICOS E ANÁLISES ............................................................................................... 26 CONCLUSÃO ...................................................................................................................... 60 REFERÊNCIAS ................................................................................................................... 62 APÊNDICE - A (QUESTIONÁRIO) ...................................................................................... 63 ANEXO ................................................................................................................................ 65
  7. 7. 7 1 INTRODUÇÃO O trabalho realizado pelos alunos do 5º semestre noturno do curso de Biblioteconomia e Ciências da Informação tem como objetivo analisar o perfil dos usuários da biblioteca da Escola de Sociologia e Política de São Paulo - ESPSP, possibilitando um maior conhecimento de seu público. O método adotado para tal feito, foi através da confecção de um questionário, principal ferramenta para a obtenção dos dados necessários, por ser de forma gratuita, e de retorno rápido, bastando apenas uma estrutura concisa de questionamentos no sentido de não haver dúvidas por parte do entrevistado. Com base nesse tipo de estudo, o centro de informação tem em mãos uma importante ferramenta que poderá, se aplicado, solucionar sensíveis problemas na infra-estrutura, e em seu serviço de referência, entre outros, obtendo assim a confiança garantida de seu público alvo, podendo melhor atendê-lo. A instituição é pioneira no curso de Sociologia no Brasil, com o surgimento da Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo – ELSPSP. Fundada em 1933, vem desde então, participando ativamente na formação acadêmica de seus estudantes, sendo a biblioteca de extrema importância nesse processo, contribuindo com os materiais e serviços estruturados, na obtenção de resultados de parecer satisfatório.
  8. 8. 8 2 OBJETIVOS Os principais objetivos desta pesquisa realizada pelos alunos do 5º semestre do curso de Biblioteconomia e Ciência da Informação da FESPSP, foram levantar dados sobre a satisfação dos usuários em relação aos serviços prestados na biblioteca da Escola de Sociologia e Política de São Paulo – ESPSP, e identificar o que pode ser melhorado na biblioteca. 2.1 Objetivo geral Através de questionário elaborado, levantar dados sobre o perfil e o grau de satisfação dos usuários que utilizam os serviços prestados pela biblioteca da Escola de Sociologia e Política de São Paulo. 2.2 Objetivos específicos Verificar se o atendimento, a estrutura e os serviços oferecidos, são suficientes para atender as necessidades dos usuários. Identificar os aspectos a serem melhorados na biblioteca.
  9. 9. 9 3 METODOLOGIA A primeira etapa para a realização deste trabalho feita pelo grupo do 5º semestre noturno de Biblioteconomia e Ciência da Informação, foi a escolha da Escola de Sociologia e Política de São Paulo – ESPSP, devido a sua representatividade no ambiente acadêmico, contribuindo com os principais formadores de opinião da sociedade, sendo sua biblioteca de extrema importância nesse processo. Através dos estudos propostos na matéria de Gestão de Estoques Informacionais - GEI, conheceu-se os principais métodos para coleta de dados em estudos de usuários. Escolheu-se o método “questionário”, por ser de forma gratuita e de rápido retorno, bastando apenas ser bem estruturado, para não suscitar dúvidas nos entrevistados. Como instrumento de pesquisa, foi utilizado um questionário (Apêndice – A) com o total de 31 perguntas fechadas e 1 tópico para comentários – sendo: 7 perguntas fechadas, quanto ao perfil do usuário; 12 perguntas fechadas, referentes à infra-estrutura da biblioteca; 12 perguntas fechadas, sobre serviços/atendimento e 1 tópico (opcional), para comentários dos usuários (sugestões, elogios ou críticas). Foram impressos 24 cópias do questionário e distribuidas para os usuários reponderem durante a 2ª semana do mês de maio de 2009. Após o recebimento dos questionários respondidos, fez-se a tabulação dos dados; foram elaborados os gráficos com as amostragens e suas análises, possibilitando maiores esclarecimentos quanto aos resultados obtidos na pesquisa de estudo de usuários da biblioteca da ESP. Portanto, este trabalho de estudo de usuários teve como ponto principal, detectar o perfil e o grau de satisfação dos usuários da biblioteca da ESP quanto ao atendimento, acervo, infra-estrutura e serviços oferecidos.
  10. 10. 10 4 ESTUDO DE USUÁRIOS O estudo de usuários tornou-se uma importante ferramenta para o bibliotecário na identificação do público e das necessidades que os mesmos têm em relação aos serviços prestados pela biblioteca, sendo o principal recurso para o planejamento bibliotecário, pois com os resultados finais deste estudo, torna-se perceptível as necessidades dos usuários, partindo para uma adequação dos serviços prestados e dos materiais disponibilizados. Segundo Figueiredo (1994), o estudo de usuário é o levantamento das necessidades de informação dos usuários, de sua satisfação, através da investigação. Ela afirma que, estudo de usuário reflete em pesquisar e investigar o que o usuário procura na biblioteca, as necessidades deste e quais os pontos fortes e deficiências da biblioteca na opinião dos usuários para a adequação e melhoria dos serviços prestados. De acordo com Davis (1977) existem dois tipos de estudos de usuários: a. Estudos centrados na biblioteca: a investigação de como as bibliotecas e os centros de informação são utilizados; b. Estudos centrados no usuário: como um grupo particular de usuários obtém a informação necessária para conduzir o seu trabalho. Conforme Line (1967), anteriormente a política de estudo de usuários era inexistente, os profissionais baseavam os seus estudos apenas na quantidade de materiais que a biblioteca possuía e eram feitas apenas descrições dos acervos, em detrimento da análise e avaliação, no que os profissionais e especialistas da área chamavam “levantamento bibliotecário”, (Library Survey). Segundo observou Tobin (1974), a partir de 1960, o termo “estudo de usuário” (User Studies) começou a ser indexado no library literature e a partir dessa década houve mudanças significativas na gestão bibliotecária que começava a dar importância ao usuário, mudando a imagem errônea que a biblioteca teve ao longo dos tempos, como mero depósito de livros e profissionais não amigáveis. Ele observou também que houve várias publicações dedicadas ao assunto e estudos foram desenvolvidos para ao seu aperfeiçoamento. Mas, o principal problema
  11. 11. 11 desses estudos é a não existência de métodos que sejam capazes de apresentar resultados absolutos, e sem conflitos, no decorrer da aplicação. Há diversos métodos de estudos de usuários, ambos apresentam suas vantagens e desvantagens. Os mais utilizados para a coleta de dados são: questionários, entrevista e técnica de Delfos. É o método mais freqüentemente utilizado para a coleta de dados em estudos de usuários. O questionário consiste numa lista de questões a serem propostas pelo pesquisador junto aos informantes para obtenção de dados, escolhidos pelos mais diversos métodos de amostragem (CUNHA, 1982, p. 8). A entrevista é após o questionário, o método mais utilizado para a coleta de dados para estudo de usuários. De acordo com Bingham e Moore, a entrevista pode ser definida como “uma conversação séria, cujas finalidades são: recolher dados, informar e motivar”. É um método importante e de grande potencialidade, pois, segundo Nogueira, “a situação social em que se desenvolve a entrevista é, em si mesma, uma situação social em que entrevistador e entrevistado interagem, isto é, se influencia, um ao outro, não apenas através das palavras que pronunciam, mas também pela inflexão da voz, gestos, expressões fisionômicas, modo de olhar, aparência e demais atrações pessoais e manifestações de comportamento”. (CUNHA, 1982, p. 9 apud BINGHAM, MOORE, 1941, p. 192; NOGUEIRA, 1968, p. 29 e 111). A técnica de Delfos (Delphi technique) é uma técnica para a previsão do futuro, sendo utilizada pela primeira vez em 1966, por Olaf Helmer. Ela tem por objetivos principais: servir como um método de estudo no processo de pensamento sobre o futuro; ser uma maneira de ensinar às pessoas a pensar no futuro numa forma mais complexa do que os meios comumente utilizados; servir de ferramenta ao planejamento, como auxílio de sondagem de prioridades feita por membros de uma organização ou comunidade. (CUNHA, 1982, p. 10).
  12. 12. 12 O estudo de usuários se firmou como importante ferramenta para o planejamento bibliotecário, onde através da utilização de algumas técnicas, possibilita êxito nas buscas de informação para a coleta de dados sobre o usuário e sobre o uso de biblioteca. Portando cabe ao bibliotecário ter suficiente perspicácia para analisar qual o método mais adequado para obtenção dos resultados desejados.
  13. 13. 13 5 HISTÓRICO DA FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO A Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) é uma instituição do terceiro setor que age em duas frentes. Na área acadêmica, em nível de graduação e pós-graduação. Na área de projetos, através de atividades de pesquisa em ciências sociais aplicadas, desenvolvimento e implantação de cursos e serviços que se destinam à gestão pública e privada da informação, educação, saúde, desenvolvimento social e urbano e apoio ao terceiro setor. Núcleo original da FESPSP, a Escola de Sociologia e Política de São Paulo foi fundada em 27 de maio de 1933, em um momento de intensa agitação político-cultural da elite paulista, debruçada sobre um projeto de modernização para a intelectualidade, o empresariado e a sociedade brasileira em geral. Como instituição acadêmica brasileira, abriu caminhos na promoção do ensino, da pesquisa e da divulgação de trabalhos no âmbito das ciências sociais. Na época, para suprir a necessidade da formação de quadros técnicos e capacitados na aplicação das investigações sociais, principalmente urbanas, inspirou-se nos estudos da Universidade de Chicago, o mais influente centro da sociologia norte-americana desde a I Guerra até meados dos anos 50, de onde trouxe muitos de seus primeiros docentes. Em 1940, juntou-se à FESPSP a Faculdade de Biblioteconomia e Documentação, o primeiro curso de nível superior em biblioteconomia no estado de São Paulo. Sua origem era o curso de Biblioteconomia mantido de 1936 a 1939 pelo Departamento de Cultura da Prefeitura de São Paulo. No ano seguinte, a partir do Departamento de Sociologia e Antropologia da Escola de Sociologia e Política, começou a nascer a Escola Pós-Graduada de Ciências Sociais, para desenvolver, naquele momento, estudos nas áreas de pesquisa municipal e etnográfica. Fonte: http://www.fespsp.org.br/
  14. 14. 14 5.1 Missão e princípios da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo MISSÃO INSTITUCIONAL A missão da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo e de suas Unidades Mantidas é produzir, reconstruir e disseminar conhecimentos para formar cidadãos capazes de contribuir significativamente para o processo de desenvolvimento social do País. PRINCÍPIOS DA FESPSP A ação educacional da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo pauta-se pelos seguintes princípios: Valorização do ser humano; Reconhecimento da necessidade de construção de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos; Respeito à autonomia e à liberdade de expressão; Compromisso com a sociedade em que se insere. FINALIDADES DA INSTITUIÇÃO Concorrer, pelo ensino, pela pesquisa, pela extensão e pelo desenvolvimento de projetos sociais, para a formação de pessoal capacitado (profissionais, pesquisadores, educadores) a colaborar eficazmente na administração e no progresso do País. Estimular o desenvolvimento da investigação científica, da pesquisa e da iniciação científica, bem como a consolidação e a disseminação de produções no âmbito da ciência. Comprometer-se com o estudo das ciências que, apesar de denominadas humanas, exatas e biológicas, voltam-se, todas, para o aprimoramento das capacidades humanas e de suas relações com o ambiente. Contribuir para a consciência e o exercício de uma cidadania responsável, participativa e solidária, construtora de uma linha de força da sociedade civil. OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Consolidar-se como instituição de referência na área de ciências humanas e ampliar sua capacidade de envolvimento social e científico. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Atender à comunidade por meio de projetos intra/extramuros que promovam a aprendizagem da vida em comunidade, preparem os alunos para participar ativamente em um projeto de sociedade e permitam colocar em prática o aprendizado, sua pertinência e eficácia.
  15. 15. 15 Ajustar-se às transformações representadas pelas conquistas tecnológicas. Estimular parcerias e convênios com instituições nacionais e internacionais, governamentais e/ou não-governamentais, visando à execução de projetos destinados à produção de conhecimentos acadêmicos, científicos, tecnológicos, culturais e artísticos. Manter processos administrativos dinâmicos que permitam uma gestão eficaz e eficiente nos cursos da instituição. Valorizar o corpo docente como agente privilegiado na consecução dos objetivos institucionais. Assumir o corpo discente como centro das ações institucionais. Produzir e promover a divulgação de conhecimentos científicos, culturais e técnicos. Compreender a avaliação institucional contínua como instrumento para a melhoria da qualidade das atividades de ensino, de pesquisa, de extensão e de gerenciamento institucional. Manifesto de Fundação da Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo (abr. 1933). Fonte: http://www.fespsp.org.br/
  16. 16. 16 6 HISTÓRICO DA BIBLIOTECA DA ESP (Escola de Sociologia e Política) A biblioteca da ESP foi fundada em 1933 com a inauguração da Escola Livre de Sociologia de São Paulo, sendo assim a primeira biblioteca especializada em ciências do Brasil. Seu acervo inicial era de obras adquiridas no Brasil e no exterior, e também por doações de intelectuais brasileiros, estrangeiros e várias instituições como a Fundação Rockfeller, Smithsonian Institution American Library Association, Library of Congress, Instituto Nacional do Livro, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, entre outras. Esse conteúdo atualmente faz parte do acervo histórico da FESPSP, localizado no bairro do Pacaembu, Zona Oeste de São Paulo.
  17. 17. 17 7 A BIBLIOTECA ATUALMENTE Atualmente a biblioteca, presta serviços a alunos, docentes, funcionários da instituição, pesquisadores de outras universidades e ex-alunos. Prestigiada pelo fato de possuir um valioso acervo de obras raras e de importância histórica para o curso de Sociologia e Ciências Sociais. O objetivo da biblioteca da ESP é mediar e auxiliar nas pesquisas acadêmico- científicas dos alunos e da instituição; dar suporte as atividades pedagógicas; estimular o gosto pela leitura e pesquisa aos alunos; servir de referência à comunidade FESPSP com acervos variados e pertinentes ao curso; preservar a memória da instituição e produção intelectual dos seus membros. A biblioteca da ESP localiza-se no prédio “casarão” à Rua General Jardim no bairro Vila Buarque. O seu acervo histórico encontra-se na sede da Fundação, no bairo do Pacaembu (consultas às obras podem ser efetuadas somente mediante autorização prévia). A biblioteca dispõe de salas de estudo, computadores e serviços que auxiliam na otimização das pesquisas e nas atividades acadêmicas dos usuários. Utiliza a base de dados Sophia, disponível no endereço eletrônico http://biblioteca.fespsp.org.br/, disponibilizando aos alunos os serviços como renovação, reserva de livros, bibliografia básica, buscas, catálogo on-line, entre outros. O acervo é formado por livros, periódicos com as principais publicações relacionadas ao curso de sociologia, e uma variedade de multi-meios como CDs, DVDs, VHSs, constantemente atualizados. 7.1 Política de atualização do acervo Para o desenvolvimento dos serviços de uma biblioteca, é necessário que se estabeleça uma política de seleção, visando a pertinência do acervo aos usuários e o espaço para obras atualizadas e especializadas que o atendem melhor, em detrimento de obras que já não se enquadram nos critérios estabelecidos pela instituição, na PDC (Programa de Desenvolvimento de Coleções) e tampouco aos requisitos estabelecidos para obras raras, que devem permanecer na instituição.
  18. 18. 18 Sendo assim, a política de desenvolvimento de coleções da biblioteca da ESP visa principalmente: • Crescimento ordenado e racional do acervo na área de atuação da instituição; • Estabelecimento de critérios adequados à formação da coleção e duplicação de títulos; • Incrementar os programas cooperativos; • Estabelecer prioridades para aquisição e descarte de material • Dotar as bibliotecas de respaldo quanto aos critérios adotados para o acervo, dotação orçamentária e serviços. 7.2 Formas de acesso A biblioteca da ESP atende primeiramente aos alunos de Sociologia e Ciências Sociais, porém serve de auxílio aos alunos de outros cursos da FESPSP e a comunidade externa. O empréstimo é realizado somente aos alunos vinculados à instituição. 7.3 Área física Biblioteca da ESP: 160,75m2 Biblioteca Pacaembu (onde se encontram as obras raras de todos os cursos e acervo histórico da instituição): 169,40m2
  19. 19. 19 8 SERVIÇOS OFERECIDOS A biblioteca da ESP oferece aos seus usuários serviços como: • Empréstimo • Reserva • Renovação • Comutação bibliográfica • Empréstimo entre bibliotecas • Orientação para normalização de trabalhos acadêmicos • Visitas orientadas e capacitação de usuários 8.1 Empréstimo Para a realização de empréstimos de materiais permitidos, é necessário a apresentação da carteirinha de identificação da FESPSP (pessoal e intransferível), ou impresso oficial em caso de empréstimo entre bibliotecas. O sistema de empréstimo da biblioteca segue-se assim: • Professores: até 6 itens por 14 dias; • Alunos e funcionários; 3 publicações por 7 dias • Unidades administrativas da FESPSP: Até 6 itens por 30 dias, incluindo materiais restritos 8.2 Reserva As reservas são efetuadas através do catálogo on-line ou pessoalmente. No entanto, o usuário precisa saber das seguintes informações: • As reservas obedecem a ordem cronológica das solicitações; • Não é permitida a reserva de publicações que estejam em seu poder; • O material ficará a disposição do solicitante por 48h.
  20. 20. 20 8.3 Renovação A renovação é feita pelos usuários, com as obras que estão em seu poder, desde que não esteja em débito com a biblioteca. A renovação é feita três vezes, na quarta vez se faz necessário realizar um novo empréstimo para reiniciar as renovações. Os procedimentos seguem-se assim: • Pessoalmente, desde que a obra seja apresentada ao atendente; • Via Web • Por telefone, informando o código de barras, RA e outras informações solicitadas pelo atendente. 8.4 COMUT (Comutação bibliográfica) Comutação bibliográfica Nacional e Internacional, é um serviço prestado aos usuários internos, com taxas pré-estabelecidas pelo IBICT. Esse serviço trata-se de solicitação de artigos, fotocópias de artigos e de periódicos, capítulos de monografias, partes de anais de eventos, teses e dissertações disponíveis em bibliotecas nacionais ou no exterior. 8.5 Empréstimo entre bibliotecas Este serviço possibilita ao usuário, acesso a publicações de outras instituições, mediante carta de solicitação e o usuário retira e devolve o material à biblioteca onde solicitou. 8.6 Orientação para normalização de trabalhos acadêmicos A biblioteca oferece aos alunos orientação à normalização de trabalhos acadêmicos, em especial para a elaboração do trabalho de conclusão de curso (TCC), seguindo as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) às segundas e quartas-feira das 11h às 12h e das 18h às 19h.
  21. 21. 21 Para agendamentos, os interessados devem enviar e-mail para: sharles@fespsp.org.br, fabiana@fespsp.org.br; ou entrar em contato pelo telefone 3123-7800 ramal 806/842. 8.7 Visitas orientadas e capacitação de usuários As visitas orientadas são agendadas no início do ano letivo, com o intuito de apresentar a biblioteca aos novos alunos e orientar quanto as normas e recursos que o recinto oferece, para estes ficarem aptos a utilizarem.
  22. 22. 22 9 A BIBLIOTECA NA WEB O catálogo da biblioteca da ESP inclui a biblioteca central da FESPSP no qual disponibiliza os seguintes serviços e informações: • Apresentação • Catálogo; • Reserva; • EEB (Empréstimo entre bibliotecas); • Renovação • Sugestões • Manual de TCC; • Gerador automático de referências da UFSC; • Modelo de ficha catalográfica;
  23. 23. 23 • Base de Dados. Portal de periódicos Capes, BTTD- Bibliotecas Digital de Teses e Dissertações, CNN- Catálogo Coletivo Nacional de Publicações Seriadas, Scielo, Bibliotecas de teses e Dissertações da USP, Domínio Público- Biblioteca Digital do MEC e Probe. • Dicas • Revistas on-line • Links interessantes • Regulamento da biblioteca • Novas aquisições • Destaques • Serviços oferecidos • Informações Gerais • Fale conosco • Horário e localização
  24. 24. 24 10 EQUIPE Bibliotecária Responsável: Fabiana Carla Cândido Gomes – CRB – 7842 Contato: 3123-7811 - fabiana@fespsp.org.br Assistente de Biblioteca II: Sharles Maurício Mariano Contato: 3123-7800 Ramal. 806 - sharles@fespsp.org.br Colaboradores : Cláudia Costa, Cleiton Barbosa, Fernanda Scachetti, Patrícia Dante, Regiane Assis e Thalita Manca. Contato: biblioteca@fespsp.org.br Fonte: http://biblioteca.fespsp.org.br/
  25. 25. 25 11 HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO E LOCALIZAÇÃO Biblioteca ESP - Ciências Sociais Telefone: 3123-7800 ramal 806/842 Rua General Jardim, 522, Vila Buarque De segunda à sexta feira: das 7h30min às 22h Sábados: das 8h às 14h
  26. 26. 26 12 GRÁFICOS E ANÁLISES CATEGORIA DE USUÁRIO 4% 4% 4% 13% 75% ALUNO-ESP ALUNO - FABCI DOCENTE ESP ALUNO - PÓS-GRADUAÇÃO FUNCIONÁRIO Gráfico 1 Questão1: Categoria de usuário Ao analisar este gráfico, constata-se que os principais usuários são predominantemente alunos da ESP, com o percentual de 75%, pelo fato de a biblioteca estar especialmente voltada para o curso de Sociologia e Política. As outras categorias de usuários da biblioteca perfazem 25%.
  27. 27. 27 HORÁRIO DO CURSO 42% 58% MANHÃ NOITE Gráfico 1.1 Questão 1.1: Horário do curso O gráfico indica que 46% dos usuários são do período da manhã e 42% do périodo noturno. Há portanto, a diferença de apenas 16% na utililização entre os dois períodos.
  28. 28. 28 SEMESTRE 9% 4% 13% 17% 26% 31% 1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 3º SEMESTRE 5º SEMESTRE 7º SEMESTRE DOCENTE / FUNCIONÁRIOS Gráfico 1.2 Questão 1.2: Semestre Neste gráfico, observa-se que a biblioteca é freqüentada pelos alunos de quase todos os semestres. Os alunos que mais freqüentam a biblioteca são do 5º semestre e em seguida vem os do 3º semestre, com diferença de apenas 5%. Em terceiro lugar vem o 7º semestre, e em seguida vem o 2º semestre com diferença de apenas 4%, o 1º semestre vem em último lugar, devido ao fato de estarem se familiarizando com a instituição. Chama a atenção, o fato de o 7º semestre está em terceiro lugar, pois estes alunos deveriam ser os maiores freqüentadores, devido ao fato de estarem realizando seus TCCs. Deve se ressaltar que 4% dos usuários são funcionários ou docentes. Obs.: incoerência de dados referente ao 2º semestre. Haja vista que houve uma incoerência quanto ao 2º semestre aparecer no gráfico acima, já que não é possível haver alunos neste semestre, devido ao fato de esta pesquisa ter sido realizada no primeiro semestre de 2009, e não existir uma turma do 2º semestre nesse período. Porém no levantamento de dados houve alunos que responderam está cursando o 2º semestre, o que corresponde a um dado inverossímil.
  29. 29. 29 SEXO 17% 83% MASCULINO FEMININO Gráfico 2 Questão 2: Sexo Este gráfico mostra que há predominância do sexo feminino entre os usuários da biblioteca com 83% de margem. O sexo masculino é minoria com apenas 17%.
  30. 30. 30 FAIXA ETÁRIA 4% 13% 4% 54% 25% 16 a 25 anos 26 a 35 anos 36 a 45 anos 46 a 55 anos 56 ou mais anos Gráfico 3 Questão 3: Faixa etária Este gráfico demonstra que os usuários que freqüentam a biblioteca são em sua maioria, da faixa etária de 16 a 25 anos, vindo em seguida a faixa etária de 26 a 35 anos. As outras faixas etárias citadas são as que menos freqüentam a biblioteca, sendo que 13% são de 46 a 55 anos, e 4% das faixas etárias de 36 a 45 anos e 56 ou mais.
  31. 31. 31 CONHECIMENTO - IDIOMAS 17% 8% 46% 29% INGLÊS ESPANHOL FRANCÊS NENHUM Gráfico 4 Questão 4: Conhecimento de idiomas O gráfico mostra que os usuários da biblioteca têm em sua maioria conhecimentos da língua inglesa, tendo em vista a importância dessa língua no mercado de trabalho, somando 46%; em seguida, o idioma espanhol com 29%; e a língua francesa com 8%. Os usuários que não possuem conhecimento em nenhum idioma somam 17%.
  32. 32. 32 CONHECIMENTO DE IDIOMAS - ESTÁGIO 10% 5% 35% 50% BÁSICO INTERMEDIÁRIO AVANÇADO PROFICIENTE Gráfico 4.1 Questão 4.1: Conhecimento de idiomas - Estágio Os dados indicam também que o nível predominante de conhecimento de outros idiomas é o intermediário com o equivalente à 50%; em seguida o nível básico com 35%; os usuários com nível avançado 10%; e proficiente 5%.
  33. 33. 33 HORÁRIO DE FREQÜÊNCIA 25% 42% 33% MANHÃ TARDE NOITE Gráfico 5 Questão 5: Horário de freqüência Este gráfico indica que o período da manhã é o horário de maior freqüência à biblioteca, vindo em seguida o período da tarde com uma pequena diferença de 9%; o período da noite é o menos freqüentado dentre os horários representados, com 25% de margem.
  34. 34. 34 FREQÜÊNCIA MENSAL NA BIBLIOTECA 4% 21% 46% 29% 1 VEZ POR SEMANA 2 VEZES POR SEMANA DIARIAMENTE QUINZENALMENTE Gráfico 6 Questão 6: Freqüência mensal na biblioteca Constata-se que a biblioteca é bem utilizada, pois os usuários que freqüentam a biblioteca diariamente somam 46%, enquanto as que utilizam a biblioteca uma ou duas vezes por semana resultaram respectivamente 21 e 29%; os demais usuários que freqüentam a biblioteca quinzenalmente somam 4%; os dados indicam que a biblioteca possui alto fluxo de usuários no decorrer da semana, o que mostra que a freqüência é satisfatória.
  35. 35. 35 7: Qualificação de infra-estrutura, materiais e serviços da Biblioteca. 7.1 Infra-estrutura INFRA-ESTRUTURA: CONDIÇÕES GERAIS DO PRÉDIO 4% 4%0% 17% 38% 37% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.1 Questão 7.1.1: Condições gerais do prédio O gráfico indica que a opinião dos usuários quanto a infra-estrutura do prédio se divide entre “bom” e “regular”, com diferença de apenas 1%; a opção “ótimo”, soma 4%; a opção “ruim”, vem em terceiro lugar com 17%; e a opção “excelente”, apresentou resultado nulo, indicando que o prédio necessita de algumas melhorias para melhor acomodação da biblioteca.
  36. 36. 36 INFRA-ESTRUTURA: CONTEÚDO DO ACERVO 13% 0% 13% 13% 24% 37% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.2 Questão 7.1.2: Conteúdo do acervo O gráfico mostra que 37% dos alunos consideram “bom”, o conteúdo do acervo. Porém, o que chama a atenção neste gráfico é o empate entre as opções “excelente”, “ruim” e “ótimo” com 13% cada, o que significa que há opiniões dispares quanto ao conteúdo do acervo.
  37. 37. 37 INFRA-ESTRUTURA: EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA 0% 8% 13% 54% 25% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.3 Questão 7.1.3: Equipamentos de informática Constata-se que 54% dos usuários consideram os equipamentos “ruins”, enquanto que 25% acham os equipamentos de informática apenas “regular”. Os dados mostram claramente que os equipamentos precisam ser trocados por outros mais modernos e em maior quantidade.
  38. 38. 38 INFRA-ESTRUTURA: ERGONOMIA 4% 21% 25% 4% 17% 29% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.4 Questão 7.1.4: Ergonomia (acomodação confortável) O gráfico indica que 29% dos usuários acham a acomodação apenas “regular”, enquanto 25% acham a acomodação “ruim”, com diferença de apenas 4%. A opção “bom”, fica em terceiro com 17%. Isto significa que a acomodação é insuficiente para a biblioteca, necessitando de maiores espaços para acomodação.
  39. 39. 39 INFRA ESTRUTURA: GUARDA-VOLUMES 21% 0%4% 25% 17% 33% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.5 Questão 7.1.5: Guarda de volumes Os dados mostram certo equilíbrio nos resultados, sendo que 33% responderam “bom”; 25% responderam “regular”; 21% responderam “excelente”; enquanto que a opção “ótimo”, ficou com 17%. No geral a pesquisa indica que o serviço é satisfatório aos alunos sendo passiveis de melhorias.
  40. 40. 40 INFRA-ESTRUTURA: HORÁRIO DE ATENDIMENTO 0%4% 4% 21% 46% 25% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.6 Questão 7.1.6: Horário de atendimento Os dados indicam que 46% dos usuários consideram o horário de atendimento “excelente”; 25% consideram “ótimo”; 21% consideram “bom”. No geral, 92% dos usuários consideram satisfatório o horário de atendimento da biblioteca.
  41. 41. 41 INFRA-ESTRUTURA: ILUMINAÇÃO 0%4% 8% 21% 21% 46% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.7 Questão 7.1.7: Iluminação Constata-se que 46% dos usuários consideram a iluminação “boa”; enquanto que, 42% consideram “ótimo/excelente” (com 21% cada). Isto indica que no geral a iluminação do local é satisfatória.
  42. 42. 42 INFRA-ESTRUTURA: LAY-OUT 0% 13% 25% 21% 17% 24% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.8 Questão 7.1.8: Lay-out (disposição das estantes) Os dados mostram um certo equilíbrio nos resultados, sendo que 25% consideram o layout “excelente”; 24% consideram “bom”; 21% consideram “regular”; porém, 13% consideram “ruim”, o que significa que, no geral, o lay-out é satisfatório, carecendo de algumas melhorias.
  43. 43. 43 INFRA-ESTRUTURA: LIMPEZA 0%4% 8% 33% 17% 38% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.9 Questão 7.1.9: Limpeza O gráfico mostra que 38% dos usuários consideram “excelente”; enquanto que, 33% consideram “ótimo” e 17% consideram “boa”. Isto significa que, no geral, a limpeza do local é satisfatória para 88% dos usuários.
  44. 44. 44 INFRA-ESTRUTURA: MOBILIÁRIO 13% 0% 17% 8% 25% 37% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.10 Questão 7.1.10: Mobiliário O gráfico indica que 37% dos usuários consideram o mobiliário “bom; enquanto que, 25% consideram “regular”; os usuários que consideram o mobiliário “ruim”, somam 17%; porém, as opções “excelente/ótimo” somam 21% (sendo 13% e 8% respectivamente). Os resultados mostram que, no geral, o mobiliário é satisfatório para a acomodação geral.
  45. 45. 45 INFRA-ESTRUTURA: SALA DE ESTUDO 8% 13% 25% 8% 21% 25% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.11 Questão 7.1.11: Sala de leitura Constata-se que 50% dos usuários se dividem entre as opções “ruim/regular” (com 25% cada); enquanto que a opção “boa”, soma 21%; porém as opções “ótimo/excelente”, somam 21 % (sendo 8% e 13% respectivamente); isto significa que a sala de leitura não satisfaz totalmente a necessidade dos usuários, sendo insuficiente em estrutura e quantidade para a demanda de alunos, principalmente na época de provas, período que a procura aumenta consideravelmente.
  46. 46. 46 INFRA ESTRUTURA: TEMPERATURA AMBIENTE 13% 0% 17% 21% 24% 25% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.1.12 Questão 7.1.12: Temperatura ambiente De acordo com os dados levantados, há certo equilíbrio nos resultados, tanto nos aspectos positivos quanto nos negativos, sendo que 25% dos usuários consideram a temperatura ambiente “boa”; 24% regular; 21% ótimo; 13%, “excelente”; 17% consideram “ruim”. Constata-se que no resultado geral há necessidades de melhorias, para maior conforto do usuário.
  47. 47. 47 7.2 Serviços/atendimento SERVIÇOS DE ATENDIMENTO : CATÁLOGO ON-LINE 17% 0% 8% 13% 37% 25% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.1 Questão 7.2.1: Catálogo on-line Os gráficos indicam que 37% dos usuários consideram o catálogo “bom”; 25% consideram “ótimo”; 13% consideram “excelente”. Entretanto chama a atenção o percentual de 17% das pessoas que “desconhecem ou não utilizam”. Isto significa que os usuários, em geral, estão satisfeitos. Porém, o catálogo não é muito divulgado, para que esses usuários, que não o utilizam, possam ter acesso a esse serviço.
  48. 48. 48 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: COMUT 0% 17% 8% 4% 71% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.2 Questão 7.2.2: COMUT Constata-se que 71% dos usuários desconhecem ou não utilizam o COMUT; mas, em contrapartida 29% dos usuários a utiliza, sendo que 17% consideram “bom”; 8% consideram “ótimo”; e 4% consideram “excelente”. Isto mostra que o COMUT é pouco divulgado – aliado ao fato de que é preciso pagar uma taxa, o que muitos alunos não aceitam. Este serviço é um ótimo recurso para os alunos do 7º semestre, já que estes necessitam de vários artigos para realizarem seus TCCs.
  49. 49. 49 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: CORDIALIDADE NO ATENDIMENTO 0% 8% 0% 21% 71% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.3 Questão 7.2.3: Cordialidade no atendimento O gráfico indica que 71% dos usuários consideram a cordialidade no atendimento “excelente”; enquanto que, 21% consideram “ótimo”; 8% consideram “bom”. Isto mostra que a equipe, apesar das deficiências da biblioteca, prima pela cordialidade e disposição para orientar e auxiliar o usuário.
  50. 50. 50 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: EMPRÉSTIMO DOMICILIAR 4%0% 17% 41% 25% 13% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.4 Questão 7.2.4: Empréstimo domiciliar O gráfico mostra que 41% dos usuários consideram o empréstimo domiciliar “excelente”,; 25% consideram “bom”; 17% consideram “regular”; 13% consideram “ótimo”; o restante dos usuários que são 4%, desconhecem ou não utilizam o serviço, não havendo usuários que consideram esse serviço “ruim”. Isto indica que o empréstimo domiciliar é satisfatório aos usuários, mantendo-se nos padrões vigentes.
  51. 51. 51 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: EMPRÉSTIMO ENTRE BIBLIOTECAS 0%4% 17% 33% 17% 29% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.5 Questão 7.2.5: Empréstimo entre bibliotecas O gráfico demonstra que 33% dos usuários desconhecem ou não utilizam esse serviço, porém os 29% de usuários que o utilizam, consideram “excelente”; 34% consideram “bom/ótimo” (com 17% cada um); 4% consideram o serviço “bom”, resultando em 67% dos usuários que utilizam o mesmo. Isto nos mostra que o empréstimo entre bibliotecas é pouco divulgado, sendo esse o motivo do expressivo percentual de quem “desconhece ou não utiliza”.
  52. 52. 52 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: NAVEGAÇÃO NA PÁGINA DA BIBLIOTECA NA WEB 4% 13% 25% 17% 17% 24% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.6 Questão 7.2.6: Navegação na página da biblioteca na web O gráfico indica certo equilíbrio nos resultados, sendo que 25% consideram “excelente”; 24% consideram “bom”; 17% consideram “ótimo”; 17% consideram regular. Porém, os usuários que consideram “ruim” e “desconhecem ou não utilizam” somam 17%, (sendo 13% e 4% respectivamente). O serviço de navegação do site da biblioteca é satisfatório para os usuários, porém há algumas deficiências que precisam ser sanadas como, por exemplo, o lay-out da página.
  53. 53. 53 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: ORIENTAÇÃO À NORMALIZAÇÃO ACADÊMICA 13% 0% 6% 19% 43% 19% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.7 Questão 7.2.7: Orientação à normalização acadêmica Constata-se que 43% dos usuários consideram a normalização de trabalhos acadêmicos “excelente”; 38% se dividem entre “ótimo” e “bom” (com 19% cada); 6% consideram “regular”; porém, 13% não a utilizam, tendo em vista que esse serviço é mais requisitado entre os alunos do último semestre, devido a elaboração dos TCCs. Isto mostra que a normalização dos trabalhos acadêmicos é satisfatória para os usuários, e é um diferencial, pois muitas bibliotecas de grande porte não oferecem esse serviço para os usuários.
  54. 54. 54 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: RENOVAÇÃO DE EMPRÉSTIMO ON-LINE 17% 4% 4% 0% 17% 58% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.8 Questão 7.2.8: Renovação de empréstimo on-line O gráfico acima indica que 58% consideram a renovação de empréstimos on- line “excelente”; 17% consideram o serviço “ótimo”; 17% não o utilizam; 8% entre “ruim” e “regular” (com 4% cada). Constata-se que a renovação de empréstimos on- line é satisfatória para os usuários, sendo pouco divulgada, e o link não é posto em destaque no site da biblioteca, o que dificulta a sua localização pelo usuário.
  55. 55. 55 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: RESERVA DE EMPRÉSTIMO ON-LINE 0% 8% 4% 29% 17% 42% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.10 Questão 7.2.9: Reserva de empréstimo on-line De acordo com o gráfico, 42% dos usuários da biblioteca, consideram o serviço de reserva de empréstimo on-line como “excelente”; 29% dos usuários se dividem entre “regular/bom/ótimo” (sendo respectivamente 8%, 4% e 17%); entretanto, 29% desses usuários desconhecem ou não utilizam o serviço, provavelmente pelo fato de o link para a reserva não está em evidência.
  56. 56. 56 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: RESERVA DA SALA DE ESTUDO 0% 9% 9% 48% 17% 17% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.11 Questão 7.2.10: Reserva de sala de estudos Constata-se que 48% dos usuários não utilizam o serviço de reserva de sala de estudos, ou seja, quase a metade dos usuários; entretanto, os que as utilizam, somam 52%, que se dividem em: 17% “excelente”; 17% “ótimo”; 9% “regular”; 9% “bom”. Assim, verifica-se que o serviço de reserva das salas de estudos é pouco divulgado pela biblioteca, mas as pessoas que fazem uso o avaliam, no geral, como satisfatório.
  57. 57. 57 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO: RECUPERAÇÃO DAD INFORMAÇÃO EM CATÁLOGO ON-LINE DA BIBLIOTECA 0% 8% 29% 21% 13% 29% RUIM REGULAR BOM ÓTIMO EXCELENTE DESCONHECE / NÃO UTILIZA Gráfico 7.2.12 Questão 7.2.11: Recuperação da informação catálogo on-line da biblioteca O gráfico indica que 29% dos usuários desconhecem ou não utilizam o serviço; 29% dos que utilizam o consideram “bom”; 13% consideram “excelente”; 8% consideram “regular”. Constata-se que quem utiliza tem uma boa percepção do serviço. Porém, o que dificulta maior quantidade de acesso ao catálogo on-line é a falta de evidência do seu link.
  58. 58. 58 DADOS NÃO OBSERVADOS 3% 6% 3% 3% 6% 36% 10% 3% 30% Não respondido Sala de estudos acervo Informática Empréstimo Equipamentos Atendimento Campanha de uso dos livros Infra estrutura em geral Gráfico 8 Questão 8: Quantidade de usuários que fizeram comentários (sugestão de melhoria; críticas; elogios) De acordo com o levantamento realizado, dos 24 questionários, apenas 18 apresentaram sugestões de melhorias, mencionando itens como: Sala de estudos, acervo, informática, empréstimo, equipamentos, atendimento, campanha de uso dos livros e silêncio no ambiente. Conforme ilustrado no gráfico as ressalvas feitas pelos usuários correspondem a: acervo 30%; sala de informática 10%; empréstimo 6%; atendimento 6%; equipamentos 3%; e sala de estudos 3%. Também foram mencionados tópicos não abordados como campanha de uso dos livros; um questionário mencionou a infra-estrutura em geral, e frisou a questão sobre o silêncio no ambiente. Os únicos elogios foram para o “atendimento”, com dois questionários que mencionaram esse item, elogiando a cordialidade que é o ponto forte do local. Há de lembrar que, 36% não mencionaram nada na sugestão de melhorias. De um modo geral conclui-se que a reclamação quanto ao acervo foi elevado, indicando que a bibliografia básica tem que ser revista e suficiente para os alunos, o acervo em geral tem que ter mais títulos disponíveis e a sala de informática precisa de equipamentos modernos e em quantidade suficiente para os alunos, maior conscientização dos usuários em relação ao uso da sala de estudos, mantendo o silêncio no ambiente, e por fim, os usuários sugeriram mudanças no empréstimo,
  59. 59. 59 como o aumento da quantidade de livros a serem emprestados, de três exemplares a cinco exemplares, porém o que pode ser feito nessa questão é liberar cinco exemplares para os alunos do último semestre, em caráter excepcional, em virtude dos TCCs e pesquisas específicas que necessitem analisar mais obras simultaneamente.
  60. 60. 60 CONCLUSÃO De acordo com as informações obtidas nesse cenário observou-se que as pesquisas demonstram que o perfil do usuário da biblioteca da ESP é essencialmente alunos do curso de Sociologia, tendo em vista que o acervo se destina aos alunos desse curso. A maioria está na faixa etária de 16 a 25 anos, do sexo feminino e do 5º semestre. Grande parte desses alunos estudam no período matutino e freqüentam a biblioteca no mesmo período; cursam o inglês como segundo idioma e estão no nível intermediário. Quanto à infra-estrutura, os dados levantados demonstraram que a opção “regular” e “bom” predominou na maior parte das questões, indicando que os serviços são satisfatórios. Há de ressaltar que o item “informática” apresentou resultado insatisfatório, com 54% de usuários considerando o serviço “ruim”, e as sugestões apresentadas ressaltaram a necessidade de compras de maquinário moderno e em quantidade suficiente para a demanda de alunos. O ponto forte da biblioteca é no tocante à infra-estrutura e o atendimento, com 46% de usuários que consideram o horário, “excelente”. Outro aspecto importante a ser levantado neste estudo é quanto ao conteúdo do acervo, que no gráfico apresentou resultados dispares, indicando que 13% dos usuários consideraram o acervo “ruim”, porém 13% consideravam o acervo “excelente” e “ótimo”, sendo que a maior parte das sugestões apresentadas mencionaram o acervo nos comentários, sugerindo melhorias como o aumento de títulos e bibliografia básica. Na questão do atendimento, verificou-se que a opção “excelente” predominou em questões como cordialidade, empréstimo entre bibliotecas, normalização acadêmica e em serviços oferecidos pelo site da biblioteca (renovação, reserva, navegação e recuperação da informação na base de dados). Foi mencionado em duas sugestões a falta de silêncio nas salas de estudos, o que atrapalha a concentração dos demais usuários na realização de suas tarefas. O ponto forte da biblioteca no contexto geral foi o atendimento e os serviços do site, que apesar da pouca divulgação, foi considerada pela maioria como “excelente”
  61. 61. 61 A proposta desse trabalho de pesquisa foi avaliar a eficácia dos serviços oferecidos pela biblioteca ESP, do ponto de vista da satisfação dos usuários. Com base nesses dados, a equipe administrativa da biblioteca poderá averiguar e realizar eventuais adequações necessárias para a melhoria das condições gerais desse centro de informação, cooperando ainda mais com a formação acadêmica dos seus usuários.
  62. 62. 62 REFERÊNCIAS CUNHA, Murilo Bastos da. Metodologias para estudo dos usuários de informação científica e tecnológica. IN: Rev. Bibliotec. Brasilia, v. 10, nº2, jul/dez. 1982 DAVIS, R. A. & BAILEY, C. A. Bibliography of use studies. Philadelphia, Drexel Institute of Technology, 1974. 98p ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO: Política de Desenvolvimento de Coleções das Bibliotecas. Disponível em: http://biblioteca.fespsp.org.br/. Acessado em: 12 jun. 2009 FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO. Disponível em: < Fonte: http://www.fespsp.org.br/>. Acessado em: 12 jun. 2009 FIGUEIREDO, N. M. Tópicos modernos em Biblioteconomia. Brasília, Associação dos Bibliotecários do Distrito Federal, 1977. p. 29, 39 e 40-41. KANTOR, Iris; MACIEL, Débora A.; SIMÕES, Júlio Assis (Org.). A Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo: anos de formação 1933 - 1953. São Paulo: Escuta, 2000. LINE, M. B. Library survey. London, Clive Bingley, 1967, p. 7 e 8 NORONHA, Daisy Pires; PAULINO, Evanda Verri; APÓSTOLO, Maria das Mercês (Org.). Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação: retrato de uma escola (1940 – 2000). São Paulo: FESPSP, 2000. TOBIN, J. C. "A study of library use studies". Information Storage and Retrieval,10 (3-4): 101-113, 1974;
  63. 63. 63 APÊNDICE - A (QUESTIONÁRIO) Prezado Usuário: Solicitamos a sua colaboração para avaliar os serviços prestados pela Biblioteca ESP. Este questionário visa identificar o perfil do usuário bem como a sua opinião referente aos serviços oferecidos pela biblioteca. QUESTIONÁRIO Por favor, assinale com um “X” as alternativas dos itens abaixo relacionados (se pertinente, pode-se assinalar mais de uma alternativa em algumas questões). 1 A que categoria de usuário Período Semestre você pertence? Manhã Noite 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7º 8º Aluno ADM Aluno ESP Aluno FaBCI Aluno Pós-Graduação Docente ADM Docente ESP Docente FaBCI Docente Pós-Graduação Funcionário da FESPSP 2 Sexo: Masculino Feminino 3 Em que grupo etário você se enquadra? De 16 aos 25 anos De 46 aos 55 anos De 26 aos 35 anos 56 anos ou mais De 36 aos 45 anos 4 Você possui conhecimentos em outro(s) idioma(s)? Sim Não 4.1 Se possui conhecimentos em outro(s) idioma(s), por favor, assinale a(s) alternativa(s) correspondente(s). Qual(is) idioma(s) e em que estágio você se enquadra? Alemão: proficiente avançado intermediário básico Espanhol: proficiente avançado intermediário básico Francês: proficiente avançado intermediário básico Inglês: proficiente avançado intermediário básico Italiano: proficiente avançado intermediário básico _______________: proficiente avançado intermediário básico 5 Qual o horário que você costuma frequentar a biblioteca? Manhã Tarde Noite Não frequenta 6 Qual a alternativa que melhor indica a sua frequência mensal na biblioteca? mensalmente 2 vezes por semana quinzenalmente Todos os dias semanalmente
  64. 64. 64 7 Conforme sua opinião, como você qualifica a infra-estrutura, materiais e serviços da Biblioteca. Assinale com um “X” nas colunas de 5 à 0, onde: 5 = Excelente 4 = Ótimo 3 = Bom 2 = Regular 1 = Ruim 0 = Desconhece/ Não utiliza 7.1 Infra-estrutura 5 4 3 2 1 0 7.1.1 Condições gerais do prédio 7.1.2 Conteúdo do acervo 7.1.3 Equipamentos de informática 7.1.4 Ergonomia (acomodação confortável) 7.1.5 Guarda de volumes 7.1.6 Horário de atendimento 7.1.7 Iluminação 7.1.8 Lay-out (disposição das estantes) 7.1.9 Limpeza 7.1.10 Mobiliário 7.1.11 Sala de leitura 7.1.12 Temperatura ambiente 7.2 Serviços/atendimento 5 4 3 2 1 0 7.2.1 Catálogo on-line 7.2.2 COMUT 7.2.3 Cordialidade no atendimento 7.2.4 Empréstimo domiciliar 7.2.5 Empréstimo entre bibliotecas 7.2.6 Navegação na página da Biblioteca 7.2.7 Orientação à normalização acadêmica 7.2.8 Renovação de empréstimo on-line 7.2.9 Reserva de empréstimo on-line 7.2.10 Reserva de sala de estudos 7.2.11 Recuperação da informação catálogo on-line da biblioteca 8 Se desejar, acrescente o seu comentário: Sugestão de melhoria, crítica ou elogio referente à Biblioteca
  65. 65. 65 ANEXO FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO Política de Desenvolvimento de Coleções das Bibliotecas Atualmente, com duas unidades, localizadas na Escola de Sociologia e Política à rua General Jardim 522, e na Faculdade de Biblioteconomia e Ciência da Informação e Escola Pós-Graduada da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo à rua Cesário Motta Júnior 262, as bibliotecas FESPSP têm por objetivos: - dar suporte as atividades pedagógicas; - prestar assistência a pesquisas e projetos desenvolvidos pela Instituição; - colaborar com o desenvolvimento intelectual da comunidade acadêmica; - organizar e preservar a memória da Instituição, bem como a produção intelectual de seus congregados. A implantação de políticas de seleção e aquisição devem ser elaboradas como uma das formas de planejamento orçamentário e busca da manutenção de qualidade do acervo. Sabemos que, até pouco tempo, as bibliotecas da FESPSP adquiriam seus materiais sem uma política de planejamento orçamentário organizada, ou seja, sem pensar no custo benefício das obras adequadas, e sem uma política de seleção, aquisição e descarte que lhe desse instrumentos para ter uma dotação orçamentária e que possibilitasse aquisição de materiais de maneira clara, objetiva e sem desperdícios, afinada com os interesses da instituição, que deve ter uma Política de Desenvolvimento de Coleção e que possa ser incorporada como filosofia e metodologia no trabalho da equipe de profissionais das bibliotecas FESPSP. Esta Política de Desenvolvimento de Coleção contará das seguintes etapas: 1 POLÍTICA DE SELEÇÃO 2 RESPONSABILIDADE PELA SELEÇÃO 3 PRIORIDADES DE AQUISIÇÃO 4 DOAÇÕES 5 DESBASTAMENTO DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO E ESPECIAL
  66. 66. 66 6 REPOSIÇÃO DE MATERIAL 7 AVALIAÇÃO DA COLEÇÃO 8 CENSURA 9 DIVISÃO DE COLEÇÕES ENTRE AS BIBLIOTECAS DA FESPSP 10 REVISÃO DA POLÍTICA DE SELEÇÃO 1 POLÍTICA DE SELEÇÃO É essencial que se estabeleça uma política de seleção para evitar que a coleção se transforme em um agrupamento desajustado de documentos, e, para tanto, cabe os bibliotecários definir critérios e responsabilidades para organização destes documentos. Um dos critérios é a política de seleção que tem como objetivos: a) permitir o crescimento racional e equilibrado do acervo nas áreas de atuação da instituição; b) identificar os elementos adequados a formação da coleção; c) determinar critérios para duplicação de títulos; d) incrementar os programas cooperativos; e) estabelecer prioridades de aquisição de material; f) traçar diretrizes para o descarte de material. A formação do acervo deve ser constituída através de uma política de aquisição que, de acordo com seus recursos orçamentários, deverá adquirir diferentes tipos de materiais, tais como: Obras de Referência, Bibliografias, Índices, Catálogos, Livros, Periódicos, Trabalhos Acadêmicos, Folhetos, Mapas, Jornais, Vídeos, CD’s e outros. Estes materiais devem atender às seguintes finalidades: suprir os programas de ensino dos cursos de Graduação e Pós-Graduação da FESPSP; dar apoio aos programas de pesquisa e extensão da Instituição; atender o pessoal dos serviços administrativos no exercício de suas atividades; fornecer obras de informação que elevem o nível de conhecimento geral e específico de seus congregados; resguardar materiais importantes que resgatem a história da Instituição, incluindo- os
  67. 67. 67 documentos oficiais e publicações da própria Instituição, bem como materiais sobre a mesma. 1.1 Critérios de Seleção A primeira grande subdivisão para estabelecer o critério de seleção é o assunto, ou seja, a temática do acervo, e, é imprescindível, que os critérios observem atentamente, assunto, cliente, documento e preço. Quanto à formação de acervo, o material bibliográfico e audiovisual deve ser rigorosamente selecionado, observando os seguintes critérios: - adequação do material aos objetivos e níveis educacionais da Instituição; - autoridade do autor e/ou editor; - edição atualizada; - qualidade técnica; - escassez de material sobre o assunto nas coleções das Biblioteca; - aparecimento do título em bibliografias, catálogos de editores, e índices; - preço acessível; - língua acessível; - número de usuários potenciais que poderão utilizar o material; - reputação do publicador ou produtor; - condições físicas do material; - trabalhos acadêmicos; 1.2 Fontes para Seleção Apesar de a seleção qualitativa ser de responsabilidade do corpo docente, a descoberta de novos materiais constituem preocupação das Bibliotecas. Serão utilizadas diversas fontes de informação, dentre as quais: - bibliografias especializadas; - catálogos, listas e propagandas diversas de editores e livreiros; - guias de literatura gerais e especializadas; - opinião dos usuários;
  68. 68. 68 - outros que completem as já mencionadas. 2 RESPONSABILIDADE PELA SELEÇÃO Estabelecida a parceria bibliotecário e corpo docente, cabe ao conjunto a responsabilidade pela seleção do material. Espera-se que os professores contribuam decisivamente para a formação de coleção de boa qualidade, visto que estes são conhecedores da literatura, nas suas respectivas áreas e, podem assim, selecionar criteriosamente o material a ser adquirido. Quanto à seleção quantitativa as Bibliotecas estabelecem os seguintes critérios: • Literatura básica (nacional ou importado) Material bibliográfico básico e indispensável para o desenvolvimento da disciplina e considerado de leitura obrigatória. a) Nacional Serão adquiridos em processo contínuo, visando atender as recomendações do MEC, referentes à bibliografia básica e complementar, sendo que o número de exemplares será calculado na base de 01 (um) exemplar para cada 15 (quinze) alunos. O número de alunos deverá ser discriminado no formulário de solicitação de material bibliográfico. b) Importado Os livros importados serão adquiridos quando não existir uma adequada tradução em português. Nesse caso o livro-básico não será adquirido na mesma proporção do livrobásico nacional. Será adquirido apenas um exemplar de cada título. Tal restrição faz-se necessária em virtude do pequeno número de usuários que têm acesso a documentos escritos em outros idiomas. Os casos especiais (literatura básica nacional e importados) serão estudados pela Comissão de Bibliotecas.
  69. 69. 69 • Literatura complementar e/ou atualização Compõe-se de livros nacionais ou importados necessários à complementação e atualização de bibliografia, seja em nível de pesquisa e/ou conteúdo programático das disciplinas ministradas na Instituição, bem como para o desenvolvimento de atividades administrativas. Será adquirido somente 01 (um) exemplar desse material, exceto nos casos em que haja demanda, ou por solicitação expressa efetuada pelos solicitantes que justifiquem a necessidade de um número maior de exemplares. Todos os usuários internos (docente, discente ou funcionário) poderão solicitar a aquisição desse material. • Coleção de referência Será dada atenção especial à aquisição de material de referência. Os tipos de materiais incluídos serão enciclopédias e dicionários gerais e especializados, estatísticas, atlas, guias, catálogos manuais, catálogos de teses e sumários de periódicos. Será de competência das Bibliotecas a seleção desses materiais, consultando especialistas no assunto/área. • Periódicos A cada 05 (cinco) anos, as Bibliotecas realizarão uma avaliação da coleção de periódicos correntes, com o objetivo de colher subsídios para tomada de decisões para a compra dos mesmos. Para isso, a listagem dos títulos atualmente adquiridos será enviada para análise pelos docentes, no sentido de se realizar: - cancelamento de títulos que já não atendem as suas necessidades; - inclusão de novos títulos necessários para o desenvolvimento do conteúdo programático e/ou atualização; - manutenção dos títulos já adquiridos.
  70. 70. 70 Para esta análise deverão ser observados os seguintes critérios: A) Inclusão • Títulos publicados na área e sem que haja equivalente disponível nas Bibliotecas; • Quando houver necessidade de novo título em decorrência de alteração de currículo; • Quando houver a implantação de novos cursos; • Títulos necessários ao desenvolvimento de pesquisa, desde que esteja vinculada à FESPSP; • Outros casos, com aprovação da Comissão de Bibliotecas. B) Cancelamento • Quando um novo título é mais abrangente do que o já existente nos acervos das Bibliotecas; • Quando não mais existir interesse da Comunidade Acadêmica pelo título, por motivos devidamente justificados; • Outros. Obs.: No caso de cancelamento e/ou inclusão de títulos deverá ser enviado a Biblioteca ofício pelo solicitante, devidamente fundamentado. Todos os títulos indicados para compra serão renovados automaticamente até a próxima avaliação da coleção. Durante o quinquênio existe a possibilidade de inclusão e/ou cancelamento de títulos, desde que se enquadrem nos critérios já mencionados e que sejam aprovados pela Comissão de Bibliotecas. • Cds, fitas, slides, mapas e outros materiais não-convencionais Serão adquiridos materiais não convencionais, quando comprovada a necessidade destes para o desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão.
  71. 71. 71 • Jornais e revista de caráter informativo As Bibliotecas adquirirão jornais de informação gerais (locais, estaduais e nacionais) e revistas de caráter informativo de âmbito nacional. 3 PRIORIDADE DE AQUISIÇÃO Devido às restrições orçamentárias e à grande quantidade de documentos produzidos, torna-se impossível para qualquer biblioteca universitária adquirir todo o material bibliográfico disponível no mercado editorial. Sendo assim, as Bibliotecas estabele ceram as seguintes prioridades para aquisição de material bibliográfico: a) periódicos de referência (Base de Dados, Bibliografias, etc.) b) assinatura de periódicos cujos títulos já fazem parte da lista básica, conforme indicação dos docentes; c) obras que sejam de interesse para cursos de graduação e pós-graduação; d) obras para cursos em fase de reconhecimento, credenciamento recredenciamento, ou implantação; e) implantação de novos cursos; f) desenvolvimento de pesquisas vinculadas à FESPSP; g) Materiais para dar suporte técnico a outros setores da instituição. Os casos não previstos serão submetidos à apreciação da Comissão de Biblioteca. 4 DOAÇÕES Para aceitação de doações, é necessário por parte do doador, o preenchimento do formulário para doação de materiais (anexoI). O doador receberá uma cópia da Política de Desenvolvimento de Coleções. Os materiais recebidos como doações serão submetidos aos mesmos critérios do material comprado. Não serão adicionados novos títulos e/ou volumes ao acervo somente porque foram recebidos de forma gratuita.
  72. 72. 72 Quanto às doações recebidas, a Biblioteca, poderá dispor das mesmas, da seguinte maneira: - incorporá-las ao acervo; - doá-las e/ou permutá-las com outras instituições; - descartá-las. Para seleção das obras doadas, serão consultados os especialistas no assunto obedecendo aos critérios abaixo. a) Livros - Autoridade do autor, editor e do próprio tradutor, se for o caso; - Relevância do conteúdo para a comunidade universitária; - Indicação do título em bibliografias e abstracts; - Condições físicas do material; - Língua em que está impresso. b) Periódicos - No caso da existência do título, serão aceitos para completar falhas e/ou coleção; - no caso de não existência do título, serão aceitos somente aqueles cujo conteúdo sejam adequados aos interesses da comunidade universitária; - indexação do título em índices e abstracts; - citação do título em bibliografias. c) Materiais não convencionais - Para incorporação ao acervo serão obedecidos os mesmos critérios da aquisição deste tipo de material por compra. 5 DESBASTAMENTO DE MATERIAL BIBLIOGRÁFICO E ESPECIAL Desbastamento é o processo pelo qual se retiram do acervo ativo títulos e/ou exemplares, parte de coleções, quer para remanejamento ou para descarte. Deve
  73. 73. 73 ser um processo contínuo e sistemático, para manter a qualidade da coleção. O desbastamento da coleção deverá ser feito no máximo a cada 05 (cinco) anos. • Remanejamento É a armazenagem em depósito das Bibliotecas do material bibliográfico retirado do acervo ativo, com o objetivo de abrir espaços para materiais novos. Este material ficará organizado e à disposição da comunidade quando solicitado. Critérios para se remanejar material bibliográfico: - títulos históricos e não utilizados durante os últimos 10 (dez) anos; - coleção de periódicos correntes, anteriores aos últimos 10 (dez) anos; - coleções de periódicos de compra encerrada e que tenham possibilidade de serem reativados; - coleções de periódicos de valor histórico. • Descarte Chamamos descarte, o processo mediante o qual o material bibliográfico, após ser avaliado, é retirado da coleção ativa, seja para ser doado a outras Instituições ou ainda eliminado do acervo, possibilitando a economia de espaço. As Bibliotecas adotarão para descarte de livros os seguintes critérios: a) inadequação: obras cujos conteúdos não interessam à instituição, as incorporadas ao acervo anteriormente sem uma seleção prévia e/ou escritas em línguas pouco acessíveis; b) desatualização: este critério se aplica principalmente às obras cujos conteúdos já foram superados por novas edições. Entretanto, para aplicação deste critério, deve-se levar em consideração, principalmente, a área de conhecimento a que se refere a obra; c) condições Físicas (sujas, infectadas, deterioradas ou rasgadas). Após análise do
  74. 74. 74 conteúdo e relevância da obra, esta deverá ser recuperada se for considerada de valor e não disponível no mercado para substituição. Havendo possibilidade de substituição com seu custo inferior a da recuperação do material, será feita a aquisição e o material descartado; d) duplicatas: número excessivo de cópias de um mesmo título em relação à demanda. Para o descarte de periódicos, as Bibliotecas adotarão os seguintes critérios: a) coleções não correntes que não apresentem demanda; b) periódicos de divulgação geral e/ou de interesse temporário; c) periódicos recebidos em duplicata; d) coleções de periódicos de caráter não científico. OBS.: os critérios para descarte de trabalhos acadêmicos seguirão os mesmos critérios referentes a descarte de livros. 6 REPOSIÇÃO DE MATERIAL Os materiais desaparecidos não serão repostos automaticamente. A reposição deverá ser baseada nos seguintes critérios: a) demanda do título; b) número de exemplares existentes; c) importância e valor do título; d) existência de outro título mais recente e melhor no assunto. 7 AVALIAÇÃO DA COLEÇÃO A avaliação sistemática da coleção deve ser entendida como o processo utilizado para se determinar o valor e a adequação da coleção, em função dos objetivos das Bibliotecas e da própria FESPSP, possibilitando traçar diretrizes quanto à aquisição, à acessibilidade e ao descarte.
  75. 75. 75 A biblioteca deverá proceder à avaliação do seu acervo uma vez a cada 05 (cinco) anos, sendo empregados métodos quantitativos e qualitativos, cujos resultados serão comparados e analisados, assegurando o alcance dos objetivos da avaliação da coleção. Na avaliação do acervo das Bibliotecas da FESPSP, serão utilizados os seguintes critérios: • Distribuição percentual do acervo por área Com duas bibliotecas, faz-se necessária a divisão de recursos entre as mesmas, através de estatísticas serão estabelecidos percentuais de materiais existentes nas áreas de atuação da FESPSP e comparados com os cursos oferecidos e pesquisas desenvolvidas. A análise das estatísticas de uso do material permitirá a determinação dos títulos que requerem múltiplas cópias e daqueles cuja duplicação é desnecessária. Por outro lado, se for comprovada a sub-utilização dos recursos bibliográficos em alguma área, a Biblioteca deverá investigar as causas do problema, tais como: falta de qualidade do material existente, desatualização, ausência de interesse, inexistência dessa área de estudo na FESPSP, desconhecimento da existência da obra, etc. A análise dos resultados demonstrará quais os cursos que deverão ter sua coleção implementada (seja em exemplares, títulos, material em português, etc.) e quais áreas de pesquisa desprovidas de material bibliográfico e especial que carecem de providências. • Sugestões dos Usuários A sugestão do usuário é um parâmetro seguro para se avaliar as coleções e, consequentemente, através da mesma poder-se-á: - verificar se a coleção satisfaz aos usuários; - determinar os tipos e níveis de necessidade em relação às coleções; - verificar as mudanças de interesse por parte da comunidade universitária.
  76. 76. 76 • Comparação das Coleções com Listas, Catálogos e Bibliografias Recomendadas e/ou Adotadas A utilização deste método consiste na comparação do acervo com listas, bibliografias recomendadas e/ou adotadas, para verificar itens não existentes na Biblioteca e que devam ser adquiridos. As Bibliotecas utilizarão este método para avaliar as coleções de referência e poderão, com o auxílio da Comissão de Bibliotecas, realizá-la também para avaliação de outras áreas do conhecimento humano. As listas de bibliografias básicas para cursos de nível superior indicadas pelo MEC serão o principal índice utilizado para este fim. 8 CENSURA Serão resguardados os direitos dos usuários das Bibliotecas de escolherem livremente suas leituras, de acordo com seus interesses e necessidades de informação, não permitindo desta forma que a seleção sofra qualquer tipo de censura. 9 DIVISÃO DE COLEÇÕES • Materiais proporcionalmente pertinentes aos cursos oferecidos pela FESPSP Cada Biblioteca abrigará os títulos pertinentes aos cursos aplicados em seus devidos locais. • Documentos de interesse comum às bibliotecas da FESPSP Os materiais permanecerão na Biblioteca do curso que solicitou e será efetuada a aquisição para a outra Biblioteca, se for necessário.

×