• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt
 

Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt

on

  • 24,280 views

Curso Distúrbios de Aprendizagem e Linguagem no Ambiente Escolar na PUC/Rio/NEAD - Maria Ângela de Oliveira Champion (fonoaudióloga e docente da UFRJ)

Curso Distúrbios de Aprendizagem e Linguagem no Ambiente Escolar na PUC/Rio/NEAD - Maria Ângela de Oliveira Champion (fonoaudióloga e docente da UFRJ)

Statistics

Views

Total Views
24,280
Views on SlideShare
24,248
Embed Views
32

Actions

Likes
9
Downloads
1,183
Comments
0

1 Embed 32

http://www.seucursovirtual.com 32

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt Distúrbios de aprendizagem e linguagem no ambiente escolar.ppt Presentation Transcript

    • Maria Angela de O Champion Barreto Fonoaudióloga [email_address] Parte 1
      • DEFASAGEM ESCOLAR – DISTORÇÃO SÉRIE/IDADE
      • DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM
      • INTERDISCIPLINARIDADE
      • IDENTIFICAR
      • COMPREENDER DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM
      • AUXILIAR
    •  
      • MATEMÁTICA
      • Apenas 9,8% dos alunos do 3º. ano do ensino médio sabem o conteúdo esperado de matemática
      • LÍNGUA PORTUGUESA
      • Apenas 24,5% dos alunos do 3º. ano do ensino médio sabem o conteúdo esperado de língua portuguesa
      42,6% dos alunos da 3ª. série do ensino médio estão acima da idade adequada
      • Ensino fundamental
      • 39,5% dos jovens brasileiros de 16 anos não terminaram o ensino fundamental
      • Ensino médio
      • 55% dos jovens brasileiros de 19 anos não conseguiram concluir o ensino médio
      74% da população brasileira não consegue entender um texto um simples (INAF – Indicador de Alfabetismo Funcional)
      • REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
      • INFÂNCIA SOCIAL E HISTORICAMENTE CONSTRUÍDA
      • TRABALHO INFANTIL NO INÍCIO DA R.I.
      • REVOLUÇÃO FRANCESA
      • DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM
      • MOVIMENTO SOCIALISTA
      • TRABALHO INFANTIL PROIBIDO
      • SURGIMENTO DA ESCOLA COMO LOCAL APROPRIADO PARA A PERMANÊNCIA DA CRIANÇA E PARA SUA SOCIALIZAÇÃO
      • ESCOLA ASSOCIADA À INFÂNCIA
      • PEDAGOGIA - PAIDÓS (GREGO) – CRIANÇA
      • VIDA PROFISSIONAL (TRABALHO) – REFERÊNCIA CHAVE DA VIDA SOCIAL
      • ESTUDAR, FORMAR-SE PARA TRABALHAR – TER UMA PROFISSÃO
      • ASSUMIR UM PAPEL SOCIAL ESPECÍFICO
      • A FORMAÇÃO ESCOLAR VISA FORMAR O INDIVÍDUO PARA QUE ESTE ASSUMA UM PAPEL SOCIAL
      • CURRÍCULOS E CONTEÚDOS ESTANQUES E RÍGIDOS QUE POUCO PRIVILEGIAM A CRIATIVIDADE DOS ALUNOS
      • DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM/LINGUAGEM
      • X
      • DISTÚRBIOS/ TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM/LINGUAGEM
      • DSM – IV
      • (Diagnostic and statistical Manual of Mental Disorders)
      • Dificuldade de Aprendizagem: transtornos de aprendizagem são diagnosticados quando os resultados do indivíduo em testes padronizados e individualmente administrados de leitura, matemática ou expressão escrita estão substancialmente abaixo do esperado para sua idade.
      • CID – 10
      • Classificação Internacional de Doença
      • Capítulo: Transtorno do desenvolvimento das habilidades escolares
      • Transtornos nos quais as modalidades habituais de aprendizado estão alteradas desde as primeiras etapas do desenvolvimento.
      • O comprometimento não é somente a conseqüência da falta de oportunidade de aprendizagem ou de um retardo mental, e não é devido a um traumatismo ou doenças cerebrais.
      • Dificuldades naturais
      • Referem-se aquelas dificuldades experimentadas por todos os indivíduos em alguma matéria e/ ou algum momento de sua vida escolar. São dificuldades transitórias, que tendem a desaparecer a partir de um esforço maior do aprendiz ou de intervenção na sua rede de relações.
      • Fatores causadores: proposta pedagógica, capacitação do professor, padrões de exigência da escola e/ ou dos pais, falta de assiduidade do aluno, conflitos familiares.
      • Dificuldades secundárias
      • Dificuldades secundárias a outros quadros diagnósticos: problema na aprendizagem escolar decorrentes de alterações que atuam primariamente sobre o desenvolvimento humano normal e secundariamente sobre a aprendizagem.
      • Nessa subcategoria estão incluídos os portadores de deficiência mental, sensorial e com quadros neurológicos ou com transtornos emocionais significativos.
      • Inabilidade específica na leitura , na expressão escrita ou na matemática , em indivíduos que apresentam resultados abaixo do esperado para seu nível de desenvolvimento, escolaridade e capacidade intelectual.
      • Se relaciona a alterações específicas do sistema nervoso central ( SNC ).
      • Etiologia multifatorial e NÃO pode ser consequência de :
      • * falta de oportunidade de aprender;
      • * descontinuidades educacionais;
      • * traumatismos ou doença cerebral adquirida;
      • * comprometimento da inteligência global;
      • * comprometimentos visuais ou auditivos não corrigidos.
      • Dificuldade Escolar
      • Problema pedagógico, de ordem acadêmica
      • Distúrbio de aprendizagem – envolvimento do SNC
      • * Linguagem oral – fonologia,morfologia, semântica, sintaxe,pragmática
      • * Leitura - habilidade no uso das palavras,reconhecimento de letras, compreensão
      • * Escrita – soletrar,ditado e cópia
      • * Matemática – habilidade de cálculos básicos, raciocínio matemático,combinação e relação entre eles
      • Percentual de alunos com dificuldades escolares
      • no Brasil
      • 30 a 40%
      • Primeiros anos escolares
      • Percentual de alunos com
      • distúrbios de aprendizagem
      • no Brasil
      • 5 a 7%
      • Primeiros anos escolares
      • Processo evolutivo e constante
      • que implica uma sequência de modificações
      • observáveis e reais
      • no comportamento do indivíduo (físico e biológico)
      • e no meio que o rodeia (atuante e atuado)
    •  
      • . O INÍCIO DO DESENVOLVIMENTO DE UM INDIVÍDUO É O MEIO SOCIOCULTURAL
      • . O MEIO OFERECE AO INDIVÍDUO SIGNOS EXTERNOS COMPATÍVEIS COM SUA CULTURA E LÍNGUA MATERNA
      • . A BASE ORGÂNICA PRECISA ESTAR EM EXCELÊNCIA PARA RECEBER OS SIGNOS LINGUÍSTICOS E DESTA MANEIRA FORMAR O PENSAMENTO
      • . O DESENVOLVIMENTO SE DÁ EM ESPIRAL, PASSANDO PELO MESMO PONTO A CADA TRANSFORMAÇÃO E AVANÇANDO PARA O NÍVEL SUPERIOR – RECONSTRUÇÃO INTERNA DE UMA OPERAÇÃO EXTERNA = INTERNALIZAÇÃO
    • Início (mãe x bebê): a mãe se dirige à criança atribuindo-lhe turnos. Constrói e atribui significados para o silêncio ou sons que a criança emite, uma vez que coloca conteúdos comunicativos nessas manifestações. Aos poucos a criança vai sendo habilitada a participar de situações linguísticas, assumindo papéis discursivos que se associam a papéis sociais. Por meio do processo de observação e interação a criança aprende a identificar e ser identificada.
    •  
    • Lobos cerebrais
      • esquerdo
      • direito
          • Consciência fonológica
          • Acesso lexical
          • Memória de trabalho
      • FONOLOGIA
      • Aquisição dos padrões de sons da língua
      • Opera em nível cognitivo
      • Propicia o desenvolvimento da consciência fonológica
      • .Capacidade de perceber e manipular os segmentos da fala
      • .Correlação dos aspectos da fala com o código escrito
      • .Indispensável durante a aprendizagem da leitura e da escrita
      • .Canal auditivo – processamento auditivo
      • Síntese silábica
      • /pa/ - /pel/
      • /pro/ - /fe/ - /sso/ - /ra/
      • Segmentação silábica
      • /livro/
      • /fazenda/
      • Síntese fonêmica
      • /f/ - /o/ - /i/
      • /l/ - /a/ - /ç/ - /o/
      • Segmentação fonêmica
      • /nó/
      • /casa/
      • Rima
      • /bolo/ - /mala/ - /rolo/
      • /baleia/ - /sereia/ - /canoa/
      • Aliteração
      • /fada/ - /face/ - /vila/
      • /escola/ - /menino/ - /estrada /
      • Transposição silábica
      • /pata/
      • /dona/
      • Manipulação silábica
      • Adicionar /rrão/ ao final de /maca/
      • Subtrair /da/ do final de /salada/
      • Transposição fonêmica
      • /és/
      • /amor/
      • Manipulação fonêmica
      • Adicionar /r/ no fim de /come/
      • Subtrair /f/ do início de /falta/
      • Segmentação da palavra no fluxo da fala
      • Adquirida na linguagem oral
      • Rima
      • Manipula desde 3 / 4 anos
      • Consciência silábica
      • Adquirida desde 4 / 5 anos
      • Consciência fonêmica
      • Desenvolvida pela alfabetização
      • Conteúdo da linguagem
      • Significado das palavras e das combinações das palavras
      • Envolve os processos de:
          • Compreensão
          • Produção
              • Seleção adequada de palavras
              • Organização de elementos na frase
              • Entonação pertinente
    •  
    • Permanência e consolidação do que é adquirido. Processo não só de recuperação de dados e informações, mas também de construção, influenciado por experiências anteriores e correntes. (Sternberg, 2000).
      • MEMÓRIA DE CURTO PRAZO, OPERACIONAL, DE TRABALHO
      • Arquivamento temporário de informações para a realização de tarefas cognitivas: ler, falar, escrever.
      • MEMÓRIA DE LONGO PRAZO
      • Retenção de informações por um período prolongado de tempo: léxico –mapa semântico – freqüência de uso, familiaridade.
    • O lobo temporal é uma região no cérebro que apresenta um significativo envolvimento com a memória. Ele está localizado abaixo do osso temporal (acima das orelhas), assim chamado porque os cabelos nesta região freqüentemente são os primeiros a ser tornarem brancos com o tempo.
      • MEMÓRIA DE CURTO PRAZO, OPERACIONAL, DE TRABALHO – arquivamento temporário de informações para a realização de tarefas cognitivas: ler, falar, escrever.
      • MEMÓRIA DE LONGO PRAZO – retenção de informações por um período prolongado de tempo: léxico –mapa semântico – freqüência de uso, familiaridade.
      MEMÓRIA
      • ESTRUTURAS CORTICAIS :
      • TÁLAMO
      • TRONCO CEREBRAL
      • FORMAÇÃO RETICULAR
      • TIPOS:
      • FOCALIZADA
      • SUSTENTADA
      • DIVIDIDA
    • TÁLAMO – BUSCA INFORMAÇÃO ARMAZENADA NAS DIVERSAS PARTES DO CÓRTEX FORMAÇÃO RETICULAR Integração das funções sensoriais Ativação do córtex cerebral Conexão com todo o SNC: córtex, tálamo, hipotálamo, sistema límbico, cerebelo, nervos cranianos e medula Controla a atenção seletiva
    • PROCESSAMENTO LINGUÍSTICO Morais, 1994 Identificação das palavras pelo processo de decodificação fonológica Conversão dos sinais gráficos em representações fonológicas Esse processo de conversão grafema/ fonema é realizado lentamente durante a alfabetização A decodificação fonológica deverá estar automatizada no fim do primeiro semestre da primeira série, permitindo que o esforço cognitivo exigido pela leitura esteja direcionado para o seu objetivo final – a compreensão do texto A leitura com ritmo entrecortado, com interrupções, repetições, trocas, omissões e acréscimos dificulta a automatização da decodificação fonológica impedindo o acesso ao significado das palavras e do texto
    • Processamento visual dos sinais gráficos Lent, 2001 Tarefa que implica necessidade de atenção, Alternância entre movimentos oculares sacádicos que realizam varreduras no texto e fixações, Esses movimentos estão sujeitos à influência de variáveis psicolinguísticas (frequência, familiaridade, extensão) das palavras, que tornam mais comuns as imagens visuais de algumas palavras Essas variáveis favorecem o rápido reconhecimento das palavras Também explicam erros de leitura por troca ou omissão nos casos de desatenção pela dificuldade na discriminação de palavras diferentes mas com imagens visuais semelhantes.
      • Modelo Genético
      • (Emília Ferreiro; Luria; Uta Frith)
      • Estratégia Logográfica
      • - Predomínio guestáltico
      • - Correspondência global da palavra escrita com o respectivo significado
      • - Produção instantânea das palavras, apresentadas de acordo com suas características gráficas (traços físicos), sem possibilidade de análise (segmentação fonológica)
      • - Palavras memorizadas como se fossem fotografias. Não há leitura propriamente dita
      • Exemplo: COCA-COLA e BOLA
      • Modelo Genético
      • (Uta Frith)
      • Estratégia Alfabética
      • - Conhecimento do princípio alfabético
      • - Capacidade de segmentar a palavra em fonemas,o que demanda consciência fonológica
      • - Aplicação das regras de conversão fonema-grafema
      • - Escrita de palavras novas e inventadas
      • - Escrita com apoio na oralidade
      • Exemplo de decodificação sequencial: PATO e CAVALO = pode-se ler na ordem das letras, que não provoca alteração
      • Exemplo de decodificação hierárquica: GIRAFA e CAMPO = necessário prever qual o fonema que vem depois para atribuir valor sonoro à letra precedente. Caso contrário pode-se ler: GUIRRAFA , pois normalmente o G possui este som e o R idem.
      • Na escrita, por mais que conheça a regra, se não puder prever o grafema que vem depois ( P ou B ou outra consoante), colocará aleatoriamente M ou N.
      • Modelo Genético
      • (Uta Frith)
      • Estratégia Ortográfica
      • - Interação das atividades de leitura-escrita
      • - Experiência suficiente com a leitura para montar um dicionário visual das palavras (léxico)
      • - Acesso visual direto à palavra
      • - Agiliza a leitura e atinge o significado mais rapidamente
      • - Permite escrita de palavras irregulares
      • - Uso de analogias lexicais ou palavras conhecidas para escrever novas palavras
      • Exemplo: TÁXI e EXERCÍCIO= só é possível ler corretamente se já estiver no léxico. Caso contrário o X pode ser lido com o mesmo som de CAIXA
      • Exemplo: SINTO e CINTO = para se escrever corretamente, os dois já devem fazer parte do léxico
      • Dupla Rota
      • (Ellis & Yong)
      • Rota Fonológica
      • - Processamento fonológico por meio de informações baseadas na estrutura fonológica da língua oral
      • - Decodificação de estímulos gráficos. Para compreender, deve-se ouvir
      • - Leitura de palavras: regra, novas, pseudopalavras, regulares
      • Rota Lexical
      • - Identificação direta da palavra com acesso direto ao significado
      • - Arquivos que armazenam informações acústico/ortográficas, semânticas e fonológicas (léxico de input visual)
      • - Dependem de fixação visual
      • - Leitura de palavras: Frequentes, irregulares
      • ROTA LEXICAL
      • Hemisfério esquerdo
      • Repertório léxico-visual
      • Ativa memória visual
      • Predomínio visual
      • Região têmporo-occipital
      • Caminho do leitor hábil
      • ROTA FONOLÓGICA
      • Hemisfério direito
      • Repertório léxico-fonológico
      • Apropriação do código alfabético
      • Consciência fonológica
      • Correlação grafema-fonema
      • Predomínio auditivo
      • Região têmporo-parietal
      • Rota mais lenta
      • Anitriptilina
      • Dexclorfeniramina
      • Metaciopramida
      • Polivinilpirrolidona
      • Óxidos de alquil fenil bis acil fosfina e misturas fotoiniciadoras
      • Fixe seus olhos no texto abaixo e deixe que a sua  mente leia  corretamente o que está escrito.  E5T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 4P3N45 P4R4 M05TR4R COMO NO554 C4B3Ç4 CONS3GU3 F4Z3R CO1545 1MPR3551ON4ANT35! R3P4R3 N155O! NO COM3ÇO 35T4V4 M310 COMPL1C4DO, M45 N3ST4 L1NH4 SU4 M3NT3 V41 D3C1FR4NDO O CÓD1GO QU453 4UTOM4T1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R P3N54R MU1TO, C3RTO? POD3 F1C4R B3M ORGULHO5O D155O! SU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3! P4R4BÉN5!
      • LEITURA ESCRITA
      • Estratégia fonológica estágio alfabético palavras novas
      • Estratégia lexical estágio ortográfico palavras irregulares de alta freqüência
    • Conjunto de processos de conceituação, lexicalização e formulação Representações semânticas são associadas a representações fonológicas Conversão fonema/ grafema Descoberta da base alfabética de nosso sistema de escrita Aquisição da ortografia e a constituição da memória grafêmica Dificuldades fonológicas atuam sobre o processo de conversão fonema/ grafema, comprometendo o domínio da base alfabética Dificuldades de atenção prejudicam a constituição da memória grafêmica, pois atrapalham a aquisição do sistema ortográfico.
      • Aspectos grafomotores
      • Organização espacial
      • Planejamento do traçado
      • Coordenação motora
      • Produtividade da escrita autônoma
      • Competência comunicativa
      • Manutenção e desenvolvimento de tópico – oral
      • Planejamento e estruturação de relatos - oral
      • Perceber a padronização da grafia
      • Compreender as razões da norma culta
      • Aspecto grafomotor
      • VARIÁVEIS PSICOLONGUÍSTICAS DA PALAVRA
      • Regularidade
      • REGULARES – letras tem valor sonoro estável ( fonema/ grafema)
      • PATO, BOLA...( P, B, T, D, F, V)
      • REGRA - valor sonoro depende de regras
      • CAMPO, GAVETA/ GUITARRA
      • IRREGULARES - valor sonoro é arbitrário ( dependem da competência lexical)
      • SINTO/ CINTO, GELO/ JEITO, EXATO/CASA, TAXA /MANCHA...
      • VARIÁVEIS PSICOLINGUÍSTICAS DAS PALAVRAS
      • FREQUÊNCIA - alta familiaridade
      • baixa
      • EXTENSÃO - maior número de sílabas e fonemas
      • menor
      • Lexicalidade – palavras reais
      • pseudopalavras (inventadas) = gavo; inha = (curtas)
      • (obedecem as regras fonológicas) vacalo, telacocho (longas)
        • OUTRAS VARIÁVEIS
        • TONICIDADE : sábia, sabiá, sabia
        • TIMBRE : o gosto, eu gosto
        • VARIEDADES REGIONAIS : caro/ carro
        • dente/denti
        • ORALIDADE : pastel /pasteu, filho /filhu, menino/ mininu, cerveja/ceveja
        • vamos lá/ vamulá, problema /poblema, ploblema,
        • andando /andano
      • Raciocínio lógico
      • Estabelecer relações entre as informações: explícitas e implícitas
      • Habilidade cognitiva
      • Comparar informações para poder classificá-las e ordená-las
      • Aspectos sócio- afetivos
      • e culturais do leitor
      • Hábito de leitura
      • Textos ao nível da capacidade leitora
      • Adequar o texto ao leitor e não o leitor ao texto
      • Nível da palavra
      • * nível mais simples - podemos trabalhar com palavras compostas,
      • com grafias semelhantes ou integrantes de uma mesma categoria, por exemplo:
      • Unindo as palavras às gravuras correspondentes = guarda-roupa/
      • sorvete/ guarda-chuva/ pirulito
      • * nível mais complexo - atribuir diferentes significados a uma única palavra. Os significados serão diferentes conforme o contexto em que se encontrar a palavra, por exemplo:
      • a palavra SILÊNCIO , se encontrada num hospital , numa escola ou em nossa casa .
      • Nível da Frase e do Parágrafo
      • Neste nível desenvolvemos habilidades lingüísticas para destacar as
      • funções das palavras-chave, gramaticais e fatiamento no sentido global.
      • Podemos oferecer atividades de leitura tais como:
      • • Estabelecer equivalências entre expressões diferentes.
      • • Inferir informações não explícitas nas frases.
      • • Associar enunciados complexos, aparentemente semelhantes, referidos
      • a diferentes fatos.
      • • Estabelecer comparações entre informações referidas a situações que
      • não são explícitas.
      • Nível do Texto completo e complexo
      • As operações de leitura necessárias para a compreensão do texto completo e complexo envolvem as habilidades para inferir, reter e relacionar as informações textuais.
      • O leitor poderá ampliar as suas habilidades de compreensão da
      • leitura experimentando diferentes formas para trabalhar com os
      • textos. Por exemplo:
      • Técnica Cloze
      • Diz respeito às relações parte/todo.
      • Oferecemos um texto completo ao leitor e em seguida o mesmo texto
      • com lacunas, para que ele as preencha conservando o sentido do texto, ainda que não utilize as mesmas palavras.
      • As chaves de respostas serão semânticas, sintáticas ou fonológica, conforme a intenção da atividade de leitura. Assim podemos omitir, em intervalos regulares, substantivos, verbos, adjetivos, advérbios ou letras e sílabas em palavras.
      • Mapas conceituais - diz respeito a identificar e destacar as palavras- chave
      • dos diferentes segmentos da frase e do texto, de tal forma que correlacionando-as seja possível recuperar o texto completo.
      • Leitura compartilhada - trata-se de uma leitura interativa, um diálogo entre dois leitores de um mesmo texto.
      • Os comentários de um facilitarão ao outro, recursos para encontrar, destacar e correlacionar os diferentes fatos daquele texto, entre si ou com informações de outros textos já lidos.
      • Um bom leitor é aquele que lê com profunda compreensão, o que é demonstrado por meio de habilidades como a de abstrair, aplicar ou generalizar as informações de um texto.
      • • habilidades de decodificação;
      • • habilidades de linguagem;
      • • fatores lexicais;
      • • capacidade de fazer inferências;
      • • domínio do conhecimento;
      • • fatores sociais.
      • Caccamise; Snyder
      • LEITURA
      • Capacidade cognitiva que transforma uma representação gráfica em representação fonológica.
      • Decodificação
      • ESCRITA
      • Capacidade cognitiva que transforma a representação fonológica em representação gráfica.
      • Codificação
    •  
      • DISLEXIA
      • Transtorno de linguagem de origem neurobiológica . É caracterizada por uma dificuldade específica para aquisição da leitura bem como para reconhecer palavras, soletrar e decodificar palavras.
      • DSM-IV: Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos mentais:
      • Transtornos de aprendizagem que incluem transtorno da leitura, transtorno de matemática e transtorno da expressão escrita.
      • CID-10: Classificação Internacional das Doenças – OMS:
      • Transtornos específicos do desenvolvimento das habilidades escolares abrangendo transtornos da leitura e outros.
      • DISLEXIA
      • Podemos dizer que a dislexia é: um transtorno ESPECÍFICO de leitura; um funcionamento peculiar do cérebro para o processamento da linguagem; um déficit lingüístico, mais especificamente uma falta de habilidade no nível fonológico; uma dificuldade específica para aprendizagem da leitura bem como para reconhecer, soletrar e decodificar palavras. Podemos também excluir a presença de dificuldades visuais, auditivas, problemas emocionais, distúrbios neurológicos ou dificuldades socioeconômicas como origem do transtorno.
      • ( Mousinho)
    • Maior ativação da parte Posterior do cérebro Sub-ativação da região posterior do cérebro e super- estimulação na região anterior
    •  
    •  
    •  
      • Dislexia Fonológica
      • Aglutinações de palavras
      • Leitura lenta, silabada
      • Sequência das linhas
      • Pontuação = entonação, compreensão
      • Deciframento parcial da palavra, envocando outra similar fonologicamente (plástico / prático)
      • Erros derivativos (comeriam /comiam)
      • Tenta ler palavras por analogia (utilize moeda / última moda)
      • Confundem letras visualmente semelhantes (tio /fio)
      • Inversões(perto / preto)
      • Lêem palavras longas e novas como familiares (espadaúdo / espada)
      • Omissões, acréscimos, substituições
      • Junção de palavras
      • Dislexia Lexical (superficial)
      • Dificuldade na formação do léxico visual
      • Dificuldade na ortografia
      • Dificuldade em palavras homófonas (concerto / conserto
      • Dificuldade em palavras homógrafas (manga, colher, ...)
      • Dificuldades em grupos consonantais, prefixos, sufixos
      • Dislexia Mista
      • Combina as duas formas de dificuldades: fonológica
      • lexical (ortográfica)
    • NÍVEL FONOLÓGICO AUTOMATIZADO FUNÇÕES SUPERIORES LIBERADAS
      • ORAL
      • Com dificuldade no processo da leitura e na compreensão
      • Silabação
      • Aglutinação
      • Pontuação
      • lentidão
      • SILENCIOSA
      • Com dificuldade de compreensão
      • Reauditorização
      • Lentidão
      • Texto ouvido
      • Boa compreensão
      • Alteração na planificação da linguagem escrita, que causa transtornos na aprendizagem da ortografia, gramática e redação.
      • Aspectos grafomotores = preensão,pressão,postura
      • Aquisição do sistema ortográfico
      • Desenvolvimento da escrita autônoma
      • Cópia = hábil / semi-servil / servil (sílaba por sílaba)
      • * Omissão, acréscimo,aglutinação de letras e palavras
      • * Ordenação das palavras
      • * Distância regular entre as palavras
      • * Reauditorização – repete e às vezes escreve como está falando
      • Ditado
      • * Falhas na correspondência fonema/ grafema (auditivo)
      • * Falhas de discriminação (auditivo e visual)
      • * Falhas na aquisição do sistema ortográfico
      • * Reauditorização (vocaliza,repete)
      • * Necessidade de repetição
      • Produção textual = vocabulário,uso de maiúscula,pontuação, acentuação
      • organização espacial do texto
      • Representações múltiplas (vassoura / vasura; casa / cassa)
      • Apoio na oralidade (vassoura / vassora; vestiu / vis tiu)
      • Omissão de letras (quando /cundo)
      • Junção/ separação (acordou / a cordou; tá chovendo / taju zendo)
      • Fonemas surdos e sonoros ( viu / fiu; sala/ zala; fila / vila)
      • Letras parecidas (menina / nenina)
      • Generalização de regras (papel /papeu)
      • Transtorno funcional na execução da escrita, que afeta a forma, a inteligibilidade, o ritmo ou o significado da mesma, sem alterações intelectuais, sensoriais, neurológicas, motoras ou afetivas que a justifiquem
      • Planejamento linguístico
      • Recuperação visual
      • Planejamento motor
      • Na Escrita
      • Incoordenação de movimentos
      • Repasses, rasuras
      • Alterações direcionais das letras
      • Ângulos nas letras
      • Traçado muito leve ou muito forte
      • Mau uso do espaço gráfico
      • Dificuldade de cópia do quadro para o caderno
      • Caderno sujo, páginas amassadas
      • Omissões, agregações, confusão entre letras,sílabas,palavras
      • Lentidão
      • Rapidez (TDAH)
      • Na Pessoa
      • Mau conhecimento do próprio corpo
      • Lateralidade mal definida
      • Alteração na organização espacial
      • Alteração de equilíbrio, tônus muscular e postura
      • Comportamento irriquieto e instável
      • Alteração na motricidade fina
      • Dificuldades metalinguísticas
      • Possíveis problemas emocionais
      • Disgrafia motora
      • Alteração na qualidade e na inteligibilidade da escrita
      • Disgrafia disléxica
      • Alteração no conteúdo da escrita: aglutinações (derrepente)
      • assimilações (pobre / probre)
      • substituições (faca / vaca)
      • Disgrafia ideomotora
      • Dificuldade na elaboração dos movimentos gráficos, o que provoca erros direcionais na movimentação das letras
      • Disgrafia Ideográfica
      • Esquecimento da imagem gráfica, apresentando dificuldade de escrever a letra
      • Desordem específica que afeta a habilidade em compreender e manipular números para executar operações matemáticas ou aritméticas.
      • Dificuldade na percepção, memória, abstração,leitura, funcionamento motor.
      • Envolve atividades combinadas dos dois hemisférios cerebrais.
      • 5 a 6% da população.
      • Região
      • Hemisfério Direito
      • H. dominante da linguagem
      • Áreas de associação do H. dominante
      • Lobos frontais
      • Capacidade
      • Organização viso-espacial
      • Habilidades linguísticas
      • Leitura e compreensão de compreensão de problemas verbais, compreensão de conceitos e procedimentos matemáticos
      • Cálculos mentais rápidos, conceituação abstrata, habilidade de solução de problemas, execução oral e escrita
      • Região
      • Lobos parietais
      • Lobo parietal esquerdo
      • Lobos temporais
      • Capacidade
      • Funções motoras,uso de sensações táteis
      • Habilidades de sequenciação
      • Memória de séries, sub-vocalização durante a solução de problemas
    • Verbal *Desordem lexical-sintática da representação verbal de números *não consegue representar números Arábico *Dificuldades de leitura, escrita e comparação de números arábicos *Não consegue representar números de vários dígitos Invasivo * Falta dos conceitos semânticos primários de números e numerosidade *Dificuldade com representações Arábicas verbais e habilidades Computacionais associadas
      • Proposta de abordagem psicomotora
      • Esquema corporal
      • Lateralidade
      • Estruturação espacial
      • Orientação temporal
      • Pré-escrita
      • Noções básicas para a aprendizagem da matemática
      • Linguagem matemática
      • Percepção visual
      • Números ordinais e cardinais
      • Reconhecimento de figuras geométricas
      • Reconhecimento e reprodução de números
      • Solução de problemas aritméticos
      • Afeta a produção e/ ou a representação mental dos sons da fala de determinada língua.
      • Provoca impacto na articulação e no conhecimento internalizado de uma língua.
      • Alterações na fala caracterizadas por substituições, omissões, inserções ou transposições de sons no sistema fonológico
      • ALTERAÇÕES NA PRODUÇÃO DA FALA
      • Inventário fonético
      • Sistema fonológico
      • Regras fonológicas
      • Fonológico – organização e classificação dos sons da fala, incluindo o aspecto cognitivo
      • Fonético – produção articulatória
      Prof. Maria Angela de Oliveira Champion Barreto
      • Componente fonético
      • Componente fonêmico
      • A alteração fonética reflete na inabilidade para articular os sons da fala
      • Dificuldade de comunicação envolvendo o componente motor
      • A alteração fonêmica afeta o modo pelo qual a informação sonora é armazenada e representada no léxico mental
      • Dificuldade de comunicação de base linguística ou cognitiva
      • Processo fonológico Idade prevista para eliminação
      • Redução de sílaba 2 anos e 6 meses
      • Tartaruga/ taúga
      • Harmonia consonantal 2 anos e 6 meses
      • Sapato/ papato
      • Plosivação de fricativa 2 anos e 6 meses
      • Vovô/bobô; sapo/ tapo
      • Posteriorização para velar 3 anos e 6 meses
      • Tatu/ cacu; doce/ goce
      • Posteriorização para palatal 4 anos e 6 meses
      • Sapo/ xapo; zero/ jero
      • Frontalização de velares 3 anos
      • Caiu/ taiu
      • Frontalização de palatal 4 anos e 6 meses
      • Chave/ save
      • Simplificação de líquida 3 anos e 6 meses
      • Bolo /boio
      • Simplificação de EC 7 anos
      • Preto/ peto
      • Simplificação da consoante final 7 anos
      • Comer/ comê
      • Transtorno comportamental caracterizado pela tríade sintomatológica: déficit de atenção, hiperatividade e impulsividade
      • Presença de desatenção e/ ou hiperatividade e impulsividade em níveis inadequados para idade e escolaridade
      • Comprometimento funcional
      • Não justificável por outras patologias
      • Desatenção
      • Não presta atenção em detalhes – erros por descuido em deveres e tarefas
      • Dificuldade em manter a concentração em tarefas ou atividades lúdicas
      • Parece não ouvir quando chamado
      • Não segue instruções e não termina tarefas escolares, domésticas e profissionais
      • Perde coisas necessárias
      • Distraível por estímulos esternos
      • Hiperatividade/impulsividade
      • Se remexe muito na cadeira ou mexe pés e mãos
      • Levanta-se muito da cadeira em sala de aula ou em outras situações
      • Corre ou pula e trepa em demasia
      • Fala em demasia
      • Respostas precipitadas a perguntas
      • Dificuldade em aguardar a vez
      • Interrompe ou se intromete em assuntos alheios
      • É o processo de utilização da informação auditiva que acontece no sistema auditivo periférico e central, que depende da capacidade inata e da experiência acústica do indivíduo no meio ambiente.
      • Cavadas, 1998
      • Detecção, análise e interpretação de eventos sonoros.
      • Habilidades:
      • Figura-fundo – atenção seletiva/ atenção dividida
      • Ordenação temporal - memória de sequência
      • Fechamento - perceber o todo com uma parte fora
      • Aspectos temporais - frequência, duração
      • - som surdo/ sonoro
      • - entonação, acentuação
      • - prosódia
      • Quando suspeitar
        Atenção prejudicada Dificuldade em escutar em ambiente ruidoso Dificuldade de compreender em ambiente ruidoso Agitados, hiperativos ou muito quietos Fala muito ãh? o quê?   Prejuízo de memória sequencial auditiva e localização sonora Problemas de fala : /l/ e /r/, /s/ e /ch/ Alterações de escrita e leitura Dificuldades na percepção auditiva Historia de otites de repetição
      • Sugestões de atividades
      • Localização sonora
      • Sugestões de atividades
      • Memória em sequência
      Sons não verbais Sons verbais Repetição acrescentando mais um ítem Ex: fui a feira e comprei mamão Fui a feira e comprei mamão e laranja ...
    • Retirar letra de música CD de histórias para a criança repetir ou apontar figuras relacionadas
      • Relacionada a uma desorganização no processamento cerebral das informações recebidas pelo sistema visual. É caracterizada por sensibilidade a certos comprimentos de onda de luz, que provoca distorções no processamento pós-retiniano, com os impulsos elétricos chegando ao córtex cerebral em momentos distintos, causando menor qualidade da interpretação visual.
      • 80% das informações que recebemos do ambiente é pela via visual
      • Em cada instante, apenas 1% do que vemos está focado. O restante é representação memorizada
    • Leitura movimentos sacádicos dos olhos visão maturidade Características Do texto fadiga iluminação postura
      • Sintomas físicos
      • tontura, cansaço, cefaléia, dores no estômago, enjôo
      • Dificuldades acadêmicas
      • leitura, caligrafia, ortografia,matemática,gráficos, mapas,quadro-negro
      • Dificuldades gerais
      • Computador,esportes com bola,escadas (rolante), dirigir (carona)
      • Os estímulos ambientais podem exigir processamento que excede a capacidade cerebral. A utilização de filtros melhoram a entrada (informação) – fotossensibilidade.
    • DIFICULDADES Mais encontradas na ESCOLA
      • Falar tardiamente – nenhuma palavra até os 18 meses
      • Não colocar 2 palavras juntas até os 2 anos
      • Ausência de desempenho imitativo e simbólico aos 2 anos
      • Dificuldade para pronunciar alguns fonemas
      • Demorar a incorporar palavras novas ao seu vocabulário
      • Dificuldade para recitar rimas
      • Dificuldade para aprender cores, formas, números e escrita do nome
      • Dificuldade para seguir ordens e seguir rotinas
      • Dificuldade na habilidade motora fina
      • Dificuldade de contar ou recontar uma história na seqüência certa
      • Dificuldade para lembrar nomes e símbolos
      • Não formação de sentenças aos 3 anos
      • Discurso incompreensível aos 3 anos
      • Dificuldade em aprender o alfabeto
      • Dificuldade no planejamento motor de letras e números
      • Dificuldade para separar e seqüenciar sons (ex: p - a – t - o Dificuldade com rimas (habilidades auditivas)
      • Dificuldade em discriminar fonemas homorgânicos (p-b, t-d, f-v, k-g, x-j, s-z)
      • Dificuldade em seqüência e memória de palavras
      • Dificuldade para aprender a ler, escrever e soletrar
      • Dificuldade em orientação temporal (ontem – hoje – amanhã, dias da semana, meses do ano)
      • Dificuldade em orientação espacial (direita – esquerda, embaixo, em cima...)
      • Dificuldade na execução da letra cursiva
      • Dificuldade na preensão do lápis
      • Dificuldade de copiar do quadro
      • Nível de leitura abaixo do esperado para sua série
      • Dificuldade na sequenciação de letras em palavras
      • Dificuldade em soletração de palavras
      • Não gostar de ler em voz alta diante da turma
      • Dificuldade com enunciados de problemas matemáticos
      • Dificuldade na expressão através da escrita
      • Dificuldade na elaboração de textos escritos
      • Dificuldade na organização da escrita
      • Podem ter dificuldade na compreensão de textos
      • Podem ter dificuldade em aprender outros idiomas
      • Dificuldade na compreensão de piadas, provérbios e gírias
      • Presença de omissões, trocas e aglutinações de grafemas
      • Dificuldade de planejar e organizar (tempo) tarefas
      • Dificuldade em conseguir terminar as tarefas dentro do tempo
      • Dificuldade na compreensão da linguagem não verbal
      • Dificuldade em memorizar a tabuada
      • Dificuldade com figuras geométricas
      • Dificuldade com mapas
      • Leitura vagarosa e com muitos erros
      • Permanência da dificuldade em soletrar palavras mais complexas
      • Dificuldade em planejar e fazer redações
      • Dificuldade para reproduzir histórias
      • Dificuldade nas habilidades de memória
      • Dificuldade de entender conceitos abstratos
      • Dificuldade de prestar atenção em detalhes ou, ao contrário, atenção demasiada a pequenos detalhes
      • Vocabulário empobrecido
      • Criação de subterfúgios para esconder sua dificuldade
      • Permanência da dificuldade em escrever em letra cursiva
      • Dificuldade em planejamento e organização
      • Dificuldade com horários (adiantam-se, chegam tarde ou esquecem)
      • Falta do hábito de leitura
      • Características Gerais Associadas
      • A emissão oral é comparativamente muito melhor que a escrita
      • Atenção limitada e dificuldade em manter-se na tarefa
      • Palavras de baixa freqüência
      • Palavras com R, L, NH, LH, PLURAL, AM/ÃO
      • Apoio na oralidade
      • Paragrafação
      • Pontuação
      • Adequação de linguagem- fala coloquial/ fala acadêmica e escrita
      • Coerência e coesão
      • Repetição de termos
      • Tempo verbal
      • Concordância
      • Uso de letra maiúscula
      • Acentuação
      • Pouca variação no uso de marcadores lingüísticos – artigos, adjetivos, advérbios, conjunções, preposições, pronomes...
      • Fonemas com múltiplas possibilidades de representação gráfica
      • Organização espacial do texto
      • Conhecer o sistema alfabético e fonológico
      • 25 letras para representar a escrita – variedade de sons
      • Recitar as vogais / recitar as consoantes
      • Jogos – forca
      • soletrando e vice versa
      • fonoletrando e vice versa – C.f.
      • Compreensão: reconhecimento prévio do texto – leitura de título e subtítulo
      • Palavras chaves
      • Distratores
      • Ensinar revisão de texto – dar um tempo entre escrita e reescrita – distanciamento necessário para o aluno refletir sobre sua produção
      • Pontuação – teatralizar a prosódia
      • Intervalos freqüentes – alternar matérias
      • Pedir para o aluno escrever as respostas que deu oralmente
      • Pedir ao aluno para criar perguntas para determinadas respostas
      • Rimas e associações
      • Entrada visual simultânea à mensagem auditiva – memorização
      • Vocabulário chave
      • Aspectos relevantes – informações essenciais
      • Mensagem controlada em complexidade e extensão
      • Monitorar a compreensão – perguntas relativas a matéria feitas periodicamente
      • Leitura compartilhada
    • Obrigada Maria Angela Champion Barreto
      • Saúde – Conferência Internacional de Saúde (Declaração de Alma-Ata, Cazaquistão, 1978):
      • Estado de completo bem estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doenças.
      • (OMS – UNICEF)
      • Segundo Andrade(1996) – a comunicação humana (falar, ouvir, ler, escrever) é determinante para autoconfiança, felicidade e segurança, sendo fundamental para a saúde do indivíduo .
      • Habilidades comunicativas efetivas e eficientes compõem o ponto central para o desenvolvimento do indivíduo e sua inserção na sociedade.
      • Alterações no processo de desenvolvimento da comunicação afetam a inserção social da criança e do adolescente, seu aprendizado escolar e, em indivíduos adultos, sua integração na vida profissional.
      • Pesquisas recentes, como a desenvolvida por Gombert (2003), têm demonstrado
      • que os diferentes tipos de dislexia (fonológica, visual ou mista) são conseqüência de
      • uma única deficiência: a fonológica. O que determina o tipo de dislexia são fatores,
      • como, a gravidade do déficit, a natureza do sistema ortográfico, as experiências de
      • leitura e a eficiência da abordagem pedagógica
      • Conceitos mais recentes de dislexia têm, inclusive, assumido esta visão, como o de
      • Lyon; Shaywitz; Shaywitz, 2003:gógica.
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •  
    •