Your SlideShare is downloading. ×
PLANO DE AULA                           TURMA: M1 14 e 15 anos - DATA: 26/07/2012                                TEMA: SEN...
B) DinâmicaTEMA:       Conhece-Te A Ti Mesmo                                            "BAILE DE MÁSCARAS"lOBJETIVO: Inte...
3. Você costuma se esconder de si mesmo ?4. O que você percebeu de positivo, em si, no exercício ?C) Desenvolvendo o tema:...
a nós mesmos. Ela exige respostas categóricas, por um sim ou um não, que não deixam lugar aalternativas: respostas que são...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Aula M1 (14 e 15 anos) (26/07/12) - Amor

455

Published on

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
455
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Aula M1 (14 e 15 anos) (26/07/12) - Amor"

  1. 1. PLANO DE AULA TURMA: M1 14 e 15 anos - DATA: 26/07/2012 TEMA: SENTIMENTOS - AMOR1. Tópicos Principais O que é o amor? “O amor é de essência divina e todos vós, do primeiro ao último, tendes, no fundo do coração, a centelha desse fogo sagrado”- Fénelon. (Bordéus, 1861)- O Evangelho Segundo o Espiritismo- Cap XI – item 9. Conhece-te a ti mesmo; Tudo posso naquele que me fortalece. Filipenses 4:13; Dinâmica do auto-amor2. Estrutura da Aula A) Introdução ao tema:Iniciar a aula com a pergunta: O que vocês pensaram durante a semana sobre o amor? O que é oamor para vocês? Escutar o que trouxeram e perguntar se alguém pensou no auto-amor.Conversar, sobre a máxima que Jesus nos deixou: “ Vos sois Luz do mundo” e exemplificar com aestória do discípulo Pedro.“O mais genuíno ato de amor a si consiste na laboriosa tarefa de fazer brilhar a luz que há em nós.”(Dufaux, 2006) “Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem seacende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus” (Mateus 5.14-16). Aos cristãos de hoje e de ontem Jesus afirma: - Vós sois o sal da terra e a luz do mundo! (Mt 5:13/16). Quer dizer, os cristãos têm grande importância e valor para a comunidade terrena. Jesus pede aos cristãos: -Que não se tornem “insípidos”(não percam o seu valor moral). - Nem ocultem o seu conhecimento espiritual ”sob o alqueire” ,sob a medida dos interesses materiais. Conclama o Cristo: (Mt. 5:1/16). -“Brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus”. Atendamos ao nosso Divino Mestre!Quando não nos amamos, queremos agradar mais aos outros do que a nós, mendigamos o amoralheio, já que nos julgamos insuficientes ou incapazes de nos fazer bem. (Dufaux, 2006)Exemplo da estória do discípulo Pedro
  2. 2. B) DinâmicaTEMA: Conhece-Te A Ti Mesmo "BAILE DE MÁSCARAS"lOBJETIVO: Integrar o grupo / Auto-analise / Auto- estimaPROCEDIMENTO:O monitor (dirigente) deverá introduzir o objetivo do exercício (ver a si mesmo comautenticidade, conhecer e reconhecer "Quem sou Eu ? "Lembrar que não se trata de uma"simples brincadeira".Abrir o "grupão". Distribuir máscaras ( podem ser de papelãoencontradas em casas de artigospara festas).Colocar música ao fundo (evitar músicas agressivas e/ou carnavalescas, afim de nãodispersar , nem perder a finalidade ).Atividade:O monitor deverá orientar aos jovens durante a atividade.* Leiam a frase "Conhece-te a ti mesmo"*Coloquem as máscaras*Caminhem pela sala - em qualquer sentido ou direção que desejar - com calma - sem falar.* Agora, você acaba de acordara. Espreguice-se bem forte. Sinta-se bem disposto.* Caminhando, olhe bem firme, sem falar, nos olhos dos que passam a sua frente.* Pare. Fique em frente a alguém ( formando pares). Agora: esse é o seu pai, ou sua mãe. Pense:"Como eu me sinto, agora ?" (dar "um tempo" para os jovens)*Continue caminhando. Solte seu corpo. Acompanhe a música. Você está num baile. Dance.Estique seus braços. Ao seu lado, estão seus amigos. "Como estão seus amigos ?". Pense:"Eu estoucom aqueles que verdadeiramente gosto de estar ? Estou sendo eu mesmo, aqui. neste baile, comesta máscara ?*Agora, pare em frente a alguém (pares) você está em frente àquela pessoa que estuda outrabalha com você. Pense: "Este é (Fulano) Como estou me sentindo diante desta pessoa ?"- "Sou verdadeiramente "Eu "no estudo ou trabalho ?"* Continue caminhando. Sinta-se feliz. Solte-se. Acene com as mãos. Cumprimente as pessoas.Pense: "Qual a sensação em usar e ver máscaras ?"*Agora, lentamente, levante a máscara acima de seu rosto, sem tirá-la totalmente. "Comoestou me sentindo ?"- Continue caminhando. Olhe nos olhos das pessoas (sem falar).* Coloque a máscara. Olhe nos olhos dos companheiros, novamente. Pense: "Estou diantedaqueles que amo. Sinto-me melhor com ou sem a máscara ?"*Agora, retire a máscara e continue caminhando. Pare. Respire fundo. Relaxe. Toque seurosto com a ponta dos dedos.Nota: O monitor deverá dividir a turma em rodas (grupos de estudo). Distribuir asperguntas (anexo). Discutir nos grupos. Abrir o "grupão". Ouvir o maior número possível dejovens ( de acordo com o tempo disponível).O monitor deverá fazer o "fechamento", explicando a finalidade, falando sobre o conhecer-se, sua importância, como fazê-lo e como isso contribui para cultivarmos e mantermosnossa auto-estima.Questões Para Ler e Meditar, em Grupo:l. Como você se sentiu atrás da máscara ?2. É mais fácil aproximar-se de alguém usando uma máscara ? Por que ?
  3. 3. 3. Você costuma se esconder de si mesmo ?4. O que você percebeu de positivo, em si, no exercício ?C) Desenvolvendo o tema:Como nos conhecer?No Livro dos Espíritos, pergunta 919: Qual é o meio prático e mais eficaz para se melhorar nesta vida,e resistir aos arrastamentos do mal?- Um sábio da antiguidade disse: Conhece-te a ti mesmo.- Compreendemos toda a sabedoria dessa máxima, porém, a dificuldade está precisamente em seconhecer a si mesmo; qual é o meio de o conseguir?-- Fazei o que eu fazia quando vivi na Terra: no fim de cada dia interrogava a minha consciência, passava emrevista o que havia feito e me perguntava a mim mesmo se não tinha faltado ao cumprimento de algum dever,se ninguém teria tido motivo para se queixar de mim. Foi assim que cheguei a me conhecer e ver o que emmim necessitava de reforma. Aquele que todas as noites lembrasse todas as suas ações do dia, e, seperguntasse o que fez de bem ou de mal, pedindo a Deus e ao seu anjo guardião que o esclarecessem,adquiriria uma grande força para se aperfeiçoar, porque, acreditai-me, Deus o assistirá. Formulai, portanto, asvossas perguntas, indagai o que fizestes e com que fito agistes em determinada circunstância, se fizestesalguma coisa que censuraríeis nos outros, se praticastes uma ação que não ousaríeis confessar. Perguntaiainda isto: Se aprouvesse a Deus chamar-me neste momento, ao entrar no mundo dos Espíritos, onde nada éoculto, teria eu de temer o olhar de alguém? Examinai o que pudésseis ter feito contra Deus, depois contra opróximo e por fim contra vós mesmos. As respostas serão motivo de repouso para vossa consciência ouindicarão um mal que deve ser curado.O conhecimento de si mesmo é portanto a chave do melhoramento individual. Mas, direis, como julgar a simesmo? Não se terá a ilusão do amor-próprio, que atenua as faltas e as torna desculpáveis? O avaro se julgasimplesmente econômico e previdente, o orgulhoso se considera tão somente cheio de dignidade. Tudo isso émuito certo, mas tendes um meio de controle que não vos pode enganar. Quando estais indecisos quanto aovalor de uma de vossas ações, perguntai como a qualificaríeis se tivesse sido praticada por outra pessoa. Se acensurardes em outros, ela não poderia ser mais legítima para vós, porque Deus não usa de duas medidaspara a justiça. Procurai também saber o que pensam os outros e não negligencieis a opinião dos vossosinimigos, porque eles não têm nenhum interesse em disfarçar a verdade e geralmente Deus os colocou aovosso lado como um espelho, para vos advertirem com mais franqueza do que o faria um amigo. Que aqueleque tem a verdadeira vontade de se melhorar explore, portanto, a sua consciência, a fim de arrancar dali asmás tendências como arranca as ervas daninhas do seu jardim; que faça o balanço da sua jornada moral comoo negociante o faz dos seus lucros e perdas, e eu vos asseguro que o primeiro será mais proveitoso que ooutro. Se ele puder dizer que a sua jornada foi boa, pode dormir em paz e esperar sem temor o despertar naoutra vida.Formulai, portanto, perguntas claras e precisas e não temais multiplicá-las: pode-se muito bem consagraralguns minutos à conquista da felicidade eterna. Não trabalhais todos os dias para ajuntar o que vos dêrepouso na velhice? Esse repouso não é o objeto de todos os vossos desejos, o alvo que vos permite sofrer asfadigas e as privações passageiras? Pois bem: o que é esse repouso de alguns dias, perturbado pelasenfermidades do corpo, ao lado daquilo que aguarda o homem de bem? Isto não vale a pena de algunsesforços? Sei que muitos dizem que o presente é positivo e o futuro incerto. Ora, aí está, precisamente, opensamento que fomos encarregados de destruir em vossas mentes, pois desejamos fazer-vos compreenderesse futuro de maneira a que nenhuma dúvida possa restar em vossa alma. Foi por isso que chamamosprimeiro a vossa atenção para os fenômenos da Natureza que vos tocam os sentidos e depois vos demosinstruções que cada um de vós tem o dever de difundir. Foi com esse propósito que ditamos O Livro dosEspíritos.SANTO AGOSTINHOMuitas faltas que cometemos nos passam despercebidas. Se, com efeito, seguindo o conselho deSanto Agostinho, interrogássemos mais freqüentemente a nossa consciência, veríamos quantas vezesfalimos sem disso nos apercebermos, por não perscrutarmos a natureza e o móvel dos nossos atos. Aforma interrogativa tem alguma coisa de mais preciso do que uma máxima que em geral não aplicamos
  4. 4. a nós mesmos. Ela exige respostas categóricas, por um sim ou um não, que não deixam lugar aalternativas: respostas que são outros tantos argumentos pessoais, pela soma das quais podemoscomputar a soma do bem e do mal que existe em nós.D) Encerramento - Um vídeo sobre o amor!!E) Bibliografia:- Escutando os sentimentos/ Ermance Dufaux( espírito): psicografado por Wanderley Soares deOliveira. Belo Horizonte: Dufaux 2006.-Evangelho Segundo o Espiritismo

×