Apresentação corporativa nov 06 – evolução...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apresentação corporativa nov 06 – evolução...

on

  • 799 views

 

Statistics

Views

Total Views
799
Views on SlideShare
783
Embed Views
16

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

2 Embeds 16

http://ri.mmx.com.br 15
http://mmx.riweb.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apresentação corporativa nov 06 – evolução... Apresentação corporativa nov 06 – evolução... Presentation Transcript

  • APRESENTAÇÃO CORPORATIVANOVEMBRO 2006
  • DISCLAIMEREsta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas aCompanhia que refletem a atual visão e/ou expectativas da Companhia e de sua administração arespeito de seu plano de negócios. Afirmações prospectivas incluem, entre outras, todas asafirmações que denotam previsão, projeção, indicam ou implicam resultados, performance ourealizações futuras, podendo conter palavras como "acreditar", "prever", "esperar", "contemplar","provavelmente resultará" ou outras palavras ou expressões de acepção semelhante. Taisafirmações estão sujeitas a uma série de expressivos riscos, incertezas e premissas. Advertimos quediversos fatores importantes podem fazer com que os resultados reais divirjam de maneira relevantedos planos, objetivos, expectativas, estimativas e intenções expressos nesta apresentação. Emnenhuma hipótese a Companhia ou suas subsidiárias, seus conselheiros, diretores, representantesou empregados serão responsáveis perante quaisquer terceiros (inclusive investidores) por decisõesou atos de investimento ou negócios tomados com base nas informações e afirmações constantesdesta apresentação, e tampouco por danos conseqüentes, indiretos ou semelhantes. A Companhianão tem intenção de fornecer aos eventuais detentores de ações uma revisão das afirmaçõesprospectivas ou análise das diferenças entre as afirmações prospectivas e os resultados reais.Esta apresentação e seu teor constituem informação de propriedade da Companhia, não podendoser reproduzidos ou divulgados no todo ou em parte sem a sua prévia anuência por escrito. Relações com Investidores Rodolfo Landim – Diretor de Relações com Investidores Elizabeth Cruz – Especialista Tel. 55 21 2555-5634 / 5563 ri@mmx.com.br http://www.mmx.com.br/ri
  • PERFIL DA EMPRESA SISTEMAS INTEGRADOS MMX Sistema MMX Amapá Minério de Ferro: 6,5 Mtpa Ferro Gusa: 2,0 Mtpa Semi-Acabados: 0,5 Mtpa Sistema MMX Minas-Rio Minério de Ferro: 26,6 Mtpa Pelotas: 7,0 MtpaSistema MMX Corumbá Minério de Ferro: 4,9 Mtpa Reserva Natural Ferro Gusa: 0,4 Mtpa Engenheiro Eliezer Batista Semi-Acabados: 0,5 Mtpa Os Sistemas Integrados MMX compreendem o desenvolvimento e operação de minas de minério de ferro, usinas de ferro gusa e semi-acabados e planta de pelotização. 1
  • PERFIL DA EMPRESA VISÃO GERAL DA MMXCriada por profissionais da indústria de mineração, liderados por Eike BatistaEquipe experiente de executivosConselho de Administração majoritariamente independenteComitê de Auditoria independenteFoco em minério de ferro, com produtos de alta qualidadeOperações integradas de minério e metálicos com logística independente,organizadas em sistemas auto-suficientesResponsabilidade ambiental, social, ocupacional e saúdeListada no Novo Mercado - BOVESPA 2
  • PERFIL DA EMPRESA EQUIPE EXPERIENTE DE EXECUTIVOS Eike Batista Presidente do Conselho e Presidente Executivo Assessores: Flavio Godinho Marcelo Cheniaux 1 1 Rodolfo Landim Diretor Geral e RI22 3 3 4 4 5 5 6 6 7 7 Ricardo Antunes Adriano Vaz Dalton Nosé Joaquim Martino Diretor Paulo Gouvêa Rudolph Ihns Diretor de Diretor de Mineração Diretor Diretor Jurídico Diretor Financeiro Comercial/Logística Administrativo Metálicos Ambiental11 Ex-Presidente da BR Distribuidora (Petrobras) – 26 anos 4 4 Ex-Presidente da CVRD International – 22 anos22 Ex-Diretor de Desenvolvimento de Negócios da CVRD – 4 anos 5 5 Ex Banco Boavista e Brasil Telecom33 Ex-Diretor do Sistema Norte da CVRD – 24 anos 6 6 9 anos trabalhando no Grupo EBX 7 7 Ex-Diretor Financeiro da Unisys Brasil e Unisys AlemanhaComitê de Auditoria Samir Zraick Carlos José da Silva Azevedo Rivadávia Carsalade Herbster Gusmão 3
  • PERFIL DA EMPRESA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Eike Batista – Empreendedor Brasileiro de Mineração Michael Stephen Vitton – Managing Director do Nesbitt Burns (BMO) Eliezer Batista – Ex-Presidente da CVRD (VALE5), ex-Ministro de Minas e EnergiaMembros independentes: Gilberto Sayão – Sócio e Membro do Conselho do Banco Pactual Hans Mende – Diretor e Sócio do Grupo AMCI (Foundation Coal - FCL e Alpha Natural Resources - ANR) José Luiz Alqueres – Presidente da Light S.A. (LIGT3), Presidente do Conselho da Alstom Brasil e Ex- Presidente da Eletrobras (ELET6) Peter Nathanial - Managing Director do Citigroup (C) (Global Risk Oversight, Investments and Country Risk) Raphael de Almeida Magalhães – Ex-Ministro da Previdência Social Samir Zraick – Ex-Diretor Financeiro da CVRD (VALE5), Membro do Conselho da Embraer (EMBR4) Assessor: Amaury Temporal – Diretor da FIRJAN Intl. Business Center, Membro do Conselho da ACRJ 4
  • PERFIL DA EMPRESA ESTRUTURA SOCIETÁRIA 70% 70% 70% 100% MMX MMX MMX MMX Amapá Minas-Rio Corumbá (Mina+Ferrovia+Porto) Metálicos (Mina+Mineroduto+Porto)Cleveland Cliffs propõe adquirir 30% da MMX Amapá por US$ 133 milhões (valorizaçãode aproximadamente 39% em relação ao valor do IPO).A Centennial Asset está negociando com sócios estratégicos a venda de suaparticipação de 30% nos Sistemas MMX Corumbá e MMX Minas-Rio. 5
  • PERFIL DA EMPRESA MMXM3 NO NOVO MERCADO - BOVESPA IPO na BOVESPA – Julho/2006Sucesso na Oferta Pública Maior oferta base conduzida no Brasil até então (Em US$) R$ 1,119 million (US$ 509 milhões) 1.373.000 ações subscritas Free float 32% do capital, 91% estrangeirosListagem na TSX (Toronto Stock Exchange)até o final do ano Capital Social – 3.803.878 ações ordinárias Controlador e FreeFloat Administradores 6
  • PERFIL DA EMPRESA INFORMAÇÕES DA AÇÃO Evolução na Negociação das Ações Programa de Desdobramento das Ações Preço Número de Volume Valor de Data Proporção (R$) Negócios Negociado(3) Mercado (3) Julho (1) 820 112 69,4 3.119 Janeiro de 2007 2 → 1 ação Agosto 815 20 81,6 3.100 Julho de 2007 2 → 1 ação Setembro 815 44 8,6 3.100 Outubro 800 38 10,0 3.043 Janeiro de 2008 10 → 1 ação Novembro (2) 800 42 31,1 3.043(1) Negociação iniciou-se em 24 de julho MMXM3 = cotação unitária, negociação em lote de 100 ações.(2) Até 9 de novembro(3) Em R$ milhõesListagem no Canadá – Toronto Stock Exchange: Auditoria dos recursos e reservas minerais pelo padrão de referência canadense (NI-43.101) em andamento, com divulgação prevista para dezembro de 2006; Divulgação das Demonstrações Financeiras do 3T06 em USGAAP prevista para dezembro; Pedido de aprovação de Programa de Global Depositary Receipts (GDR) – Nível I protocolado com a CVM em outubro de 2006 – proporção de GDR por ação ordinária de 40:1 - valor estimado GDR CAD$10.55 (preços de 9 de nov). 7
  • STATUS OPERACIONAL CRONOGRAMA DE PROJETOS MMXProjetos de Alto Valor Agregado Integrados Verticalmente 37 31 19 Produção de minério de ferro (Mt) 9 Produção de Ferro Gusa (Mt) 4 1,5 1,5 1,0 Produção de Semi-Acabados (Mt) 0,7 0,1 1,3 0,5 1,0 1 0,2 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Engenharia Concessão Início da Início Planta Início Início Aquisição de ativos e início da Ferrovia no Mina do de Semi- Pelotizadora Sistema campanha Amapá Acabados Sistema Amapá Minas -Rio Minas-Rio de sondagem Corumbá Início da Início Ferro Início planta Início Planta de Mina de Gusa de Ferro Semi- Corumbá Corumbá Gusa Amapá Acabados Amapá 8
  • STATUS OPERACIONAL EVOLUÇÃO NOS SISTEMAS MMXProgresso na obtenção de Licenças Ambientais: Sistema MMX Corumbá: - Mina já operando com Licença Ambiental Federal; - Licença de Instalação da planta de gusa obtida, construção de alto fornos iniciada em setembro Sistema MMX Amapá: - Licença de Instalação da mina obtida, serviços de nivelamento e barragem com término previsto para dezembro de 2006, contratação de 100% dos principais equipamentos para a operação com datas firmes de entrega; - Licença de Operação da ferrovia obtida, reforma de equipamentos e via permanente em curso; - Porto de Santana – obtenção de Licença Ambiental preliminar, início da construção previsto para o 1T07. Sistema MMX Minas-Rio: Mineroduto: - Estudo de impacto ambiental em processo de aprovação pelo IBAMA, Licença Ambiental preliminar prevista para o 1T07; - Detalhamento topográfico pronto, conclusão do direito de passagem previsto para meados de 2007. 9
  • STATUS OPERACIONAL CRONOGRAMA DE LICENÇAS AMBIENTAIS Sistemas MMXCorumbáMina e beneficiamentoUsina de ferro gusaUsina de semi-acabadosAmapáMina e beneficiamentoPortoUsina de ferro gusaUsina de semi-acabadosMinas-RioMina e beneficiamentoMinerodutoPortoPelotizadora 2005 1T 2T 3T T4 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 3T 4T 1T 2T 2006 2007 2008 2009 2010 LICENÇA OBTIDA Licença Prévia – aprova o estudo do projeto LICENÇA PROGRAMADA Licença de Instalação – autoriza obras de infra-estrutura Início de Operação 10
  • STATUS OPERACIONAL CRONOGRAMA DE DESEMBOLSO DE CAPEX CAPEX – Por Sistema (US$ milhões) CAPEX – Por Atividade (US$ milhões) 2006 2007 2008 2009 - 2013 Total (*) 2.377Corumbá 88 93 23 - 220 Mina 42 13 - - 72 Semi-acabados 46 80 23 - 148Amapá 87 294 382 153 915 1.225 Mina 60 54 38 - 152 995 828 Logística 21 59 40 - 120 Semi-acabados 5 181 304 153 643 543 330 283 297Minas-Rio 134 772 1.133 427 2.466 254 54 Mina 100 282 348 241 971 Logística 31 420 569 42 1.062 2006 2007 2008 2009 - 2013 Total (*) Pelotizadora 3 70 216 144 433 Mina & logística Semi-acabadosTotal 308 1.158 1.538 580 3.602 (*) inclui valores de 2005 Até setembro de 2006 o total realizado alcançou US$ 64,5 milhões. Cronograma de desembolso em revisão, postergação de pagamentos para 2007 (cerca de US$ 129 milhões). 11
  • STATUS OPERACIONAL FINANCIAMENTOSFinanciamentos em andamento para a execução do Plano de Negócios US$ milhões Projeto Investimentos Financiamento Financiadores Status (1) Status Prazo Mina 2.378 1.744 ABC/Unibanco/ Corumbá 72 26 Itaú BBA/BNDES Desembolsado 3 anos Amapá 273 200 Itaú BBA, ABC Compromisso Firme 7/10 anos Minas-Rio 2.033 1.518 Unibanco/Sindicato/BNDES Empréstimo-ponte 12 anos US$ 50M Metálicos 1.224 985 Empréstimo-ponte Corumbá 148 150 Credit Suisse US$ 50M 7 anos Amapá 643 510 Itaú BBA/BNDES - 10 anos Minas-Rio (Pelotizadora) 433 325 Itaú BBA/BNDES - 10 anos TOTAL 3.602 2.729 (1) Custo Médio Ponderado da Dívida: Libor + 1,5%, supondo 50% de financiamento pelo BNDES. 12
  • SISTEMA MMX CORUMBÁ SISTEMA CORUMBÁ Minério de ferro de alta qualidade na Mina 63 – granulados (85%) e sinter feed (15%) A MMX espera produzir metálicos a custos competitivos Logística comprovada existente Brasil RECURSOS GEOLÓGICOS – 31 de março 2006 RESOURCES CORUMB ÁPROJECT Paraguai River Corumbá Porto Classificação Área Tonelagem (MT) Ladário 20km AREA do Recurso Mina 63 Transporte pelo MMX 15km Rio Paraguai RailroadPlanta Integrada de Semi-acabados Corumbá Mina 63 Indicado 65 km 2022 Porto de San Nicolas Capacidade para TOTAL 65 receber navios San Nicolas tamanho PanamaxA MMX está realizando uma campanha de sondagem com 3 sondas e poços Sondagem realizada: 2.652 metros até outubro de2006, 43% da campanha Sondagem projetada aumentou para 6.102 metros até março de 2007 Dos 21 direitos minerários, 3 foram pesquisados até setembro de 2006 (2 mensurados) 13
  • STATUS OPERACIONAL CRONOGRAMA MMX CORUMBÁProjetos de Alto Valor Agregado Integrados Verticalmente Produção de minério de ferro (Mt) Produção de Ferro Gusa (Mt) 4,9 4,9 4,9 4,9 Produção de Semi-Acabados (Mt) 3,3 0,7 0,2 0,4 0,1 0,5 0,5 0,5 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Engenharia; Licença de início da Instalação Início Ferro Início Planta de Aquisição de ativos Gusa Corumbá campanha de Usina de Semi-Acabados sondagem Ferro Gusa Corumbá Início da Mina de Corumbá Nota: Em 2008, o Sistema Corumbá alcançará plena capacidade de produção de ferro gusa de 0,4Mtpa, que será utilizada para abastecer a planta de semi-acabados. 14
  • SISTEMA MMX CORUMBÁ RESPONSABILIDADE AMBIENTALFoto: Região Amolar, onde está localizada a Reserva Natural Eliezer Batista. 15
  • SISTEMA MMX CORUMBÁ PLANTA INDUSTRIAL – MINA 63 16
  • SISTEMA MMX CORUMBÁ CONSTRUÇÃO DA PLANTA DE FERRO GUSA 17
  • SISTEMA MMX CORUMBÁ PLANTAÇÃO DE EUCALIPTO 18
  • SISTEMA MMX AMAPÁ SISTEMA AMAPÁ Mais de 370 milhões de toneladas de recursos de minério de ferro em março de 2006 Contrato de fornecimento de longo prazo de 20 anos com a GIIC (Gulf Industrial Investment Co.) – já assinado Campanha agressiva de sondagem, em malha de 200m x 50m Logística existente, incluindo ferrovia em operação Capacidade para exportar 6,5 Mtpa de finos (sinter e pellet feed) de alta qualidade em embarcações do tipo capesize, por meio de transbordo Incentivo fiscal disponível, reduzindo em 75% o imposto de renda até completar 10 anos de operação Ferrovia EFA RECURSOS GEOLÓGICOS –CORUMB RESOURCES 31 de março 2006 ÁPROJECT AMAPÁ Porto de Santana 20 Capacidade para 0k m Classificação Mina receber navios Área AREA Tonelagem (MT) MMX tamanho Capesize do Recurso Porto Ferro Gusa de Santana Planta de Semi- Taboca e Indicado 220 Acabados Vila do Meio Inferido 155 TOTAL 375A MMX está realizando uma campanha de sondagem com 8 sondas Sondagem realizada: 25.827 metros até outubro de 2006, 80% da campanha Sondagem projetada: 32.180 metros até março de 2007 Dos 18 direitos minerários, 3 foram pesquisados e mensurados 19
  • STATUS OPERACIONAL CRONOGRAMA MMX AMAPÁProjetos de Alto Valor Agregado Integrados Verticalmente Produção de minério de ferro (Mt) 6,5 6,5 6,5 Produção de Ferro Gusa (Mt) 4,3 Produção de Semi-Acabados (Mt) 1,5 1,5 0,8 0,3 1,3 0,1 0,5 0,5 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Engenharia; Concessão Início Planta de Início da Início Ferro Aquisição de ativos início da Ferrovia no Semi-Acabados Mina do Gusa Amapá campanha de Amapá Amapá Amapá sondagem Licença de Instalação para Mina do Amapá Licença Preliminar Porto de SantanaNota: Em 2010, o Sistema Amapá alcançará plena capacidade de produção de ferro gusa de 2 Mtpa. Parte desta produção seráutilizada para abastecer a planta de semi-acabados. 20
  • SISTEMA MMX AMAPÁ TABOCA 21
  • SISTEMA MMX AMAPÁ EVOLUÇÃO DA CONSTRUÇÃO 22
  • SISTEMA MMX MINAS-RIO SISTEMA MINAS-RIOO Sistema Minas-Rio da MMX conecta extensos depósitos de minério de ferro a um super porto pormeio de um mineroduto com capacidade para transportar 26,6 MtpaA MMX adquiriu amplos depósitos de minério de ferro em Minas Gerais, com 0,7 bilhão de toneladas derecursos indicados e inferidos (data-base março de 2006)A MMX também adquiriu uma ampla área portuária de 1.900 hectares, suficiente para instalar umapelotizadora de 7 Mtpa Minas Mineroduto MMX RECURSOS GEOLÓGICOS – 31 de março 2006 RESOURCES CORUMB ÁPROJECT MMX Conectando Minas MMX ao Super Porto do Açu 55 Classificação Área AREA Tonelagem (MT) 0 do Recurso Km Super Porto do Açu Capacidade para receber navios Indicado 408 Super Porto do Açu tamanho capesize Itapanhoacanga Inferido 159 Pelotizadora Área de processamento, Pelotizadora Pilhas de TOTAL 567 Área de filtragem e Armazenamento Pelotizadora João Monlevade Inferido 147 TOTAL 714 Serviços Super Porto do Açu AdministrativoA MMX está realizando uma campanha de sondagem com 14 sondas Sondagem realizada: 18.927 metros até outubro de 2006, 67% da campanha Sondagem projetada: 28.274 metros até março de 2007 Dos 27 direitos minerários, 9 foram pesquisados até setembro de 2006 (5 mensurados) 23
  • STATUS OPERACIONAL CRONOGRAMA MMX MINAS-RIOProjetos de Alto Valor Agregado Integrados Verticalmente 26.6 20.0 Produção de minério de ferro (Mt) 8.0 7.0 Produção de pellet (Mt) 3.0 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Início da Engenharia e Início das obras Início Sistema Início Aquisição de ativos campanha de sondagem de de instalação do Minas -Rio Pelotizadora mineroduto, porto Sistema sondagem novas áreas e pelotizadora Minas-Rio Nota: A partir de 2010, parte da produção de minério de ferro será utilizada para abastecer a pelotizadora. 24
  • ITAPANHOACANGA E SERRA DO SAPO –SISTEMA MMX MINAS-RIO VISTA AÉREA 25
  • SISTEMA MMX MINAS-RIO SUPER PORTO DO AÇU 26
  • PERFIL DA EMPRESA MULTIPLICANDO RIQUEZAS Responsabilidade Ambiental, Social, Ocupacional e Saúde Logística Parcerias para Integrada e Fornecimento Independente de Longo PrazoBaixo Custo Projetos dede Produção Alto Valorcom Custos AgregadoOperacionais IntegradosCompetitivos Verticalmente Produtos de Alta Qualidade 27